Sermons

< Êxodo 28:1-43 > O Significado Espiritual Oculto nas Vestes do Sumo Sacerdote



< Êxodo 28:1-43 >

“Faze também vir para junto de ti Arão, teu irmão, e seus filhos com ele, dentre os filhos de Israel, para me oficiarem como sacerdotes, a saber, Arão e seus filhos Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar. Farás vestes sagradas para Arão, teu irmão, para glória e ornamento. Falarás também a todos os homens hábeis a quem enchi do espírito de sabedoria, que façam vestes para Arão para consagrá-lo, para que me ministre o ofício sacerdotal. As vestes, pois, que farão são estas: um peitoral, uma estola sacerdotal, uma sobrepeliz, uma túnica bordada, mitra e cinto. Farão vestes sagradas para Arão, teu irmão, e para seus filhos, para me oficiarem como sacerdotes. Tomarão ouro, estofo azul, púrpura, carmesim e linho fino e farão a estola sacerdotal de ouro, e estofo azul, e púrpura, e carmesim, e linho fino retorcido, obra esmerada. Terá duas ombreiras que se unam às suas duas extremidades, e assim se unirá. E o cinto de obra esmerada, que estará sobre a estola sacerdotal, será de obra igual, da mesma obra de ouro, e estofo azul, e púrpura, e carmesim, e linho fino retorcido. Tomarás duas pedras de ônix e gravarás nelas os nomes dos filhos de Israel: seis de seus nomes numa pedra e os outros seis na outra pedra, segundo a ordem do seu nascimento. Conforme a obra de lapidador, como lavores de sinete, gravarás as duas pedras com os nomes dos filhos de Israel; engastadas ao redor de ouro, as farás. E porás as duas pedras nas ombreiras da estola sacerdotal, por pedras de memória aos filhos de Israel; e Arão levará os seus nomes sobre ambos os seus ombros, para memória diante do SENHOR. Farás também engastes de ouro e duas correntes de ouro puro; obra de fieira as farás; e as correntes de fieira prenderás nos engastes. Farás também o peitoral do juízo de obra esmerada, conforme a obra da estola sacerdotal o farás: de ouro, e estofo azul, e púrpura, e carmesim, e linho fino retorcido o farás. Quadrado e duplo, será de um palmo o seu comprimento, e de um palmo, a sua largura. Colocarás nele engaste de pedras, com quatro ordens de pedras: a ordem de sárdio, topázio e carbúnculo será a primeira ordem; a segunda ordem será de esmeralda, safira e diamante; a terceira ordem será de jacinto, ágata e ametista; a quarta ordem será de berilo, ônix e jaspe; elas serão guarnecidas de ouro nos seus engastes. As pedras serão conforme os nomes dos filhos de Israel, doze, segundo os seus nomes; serão esculpidas como sinetes, cada uma com o seu nome, para as doze tribos. Para o peitoral farás correntes como cordas, de obra trançada de ouro puro. Também farás para o peitoral duas argolas de ouro e porás as duas argolas nas extremidades do peitoral. Então, meterás as duas correntes de ouro nas duas argolas, nas extremidades do peitoral. As duas pontas das correntes prenderás nos dois engastes e as porás nas ombreiras da estola sacerdotal na frente dele. Farás também duas argolas de ouro e as porás nas duas extremidades do peitoral, na sua orla interior junto à estola sacerdotal. Farás também duas argolas de ouro e as porás nas duas ombreiras da estola sacerdotal, abaixo, na frente dele, perto da sua juntura, sobre o cinto de obra esmerada da estola sacerdotal. E ligarão o peitoral com as suas argolas às argolas da estola sacerdotal por cima com uma fita azul, para que esteja sobre o cinto da estola sacerdotal; e nunca o peitoral se separará da estola sacerdotal. Assim, Arão levará os nomes dos filhos de Israel no peitoral do juízo sobre o seu coração, quando entrar no santuário, para memória diante do SENHOR continuamente. Também porás no peitoral do juízo o Urim e o Tumim, para que estejam sobre o coração de Arão, quando entrar perante o SENHOR; assim, Arão levará o juízo dos filhos de Israel sobre o seu coração diante do SENHOR continuamente. Farás também a sobrepeliz da estola sacerdotal toda de estofo azul. No meio dela, haverá uma abertura para a cabeça; será debruada essa abertura, como a abertura de uma saia de malha, para que não se rompa. Em toda a orla da sobrepeliz, farás romãs de estofo azul, e púrpura, e carmesim; e campainhas de ouro no meio delas. Haverá em toda a orla da sobrepeliz uma campainha de ouro e uma romã, outra campainha de ouro e outra romã. Esta sobrepeliz estará sobre Arão quando ministrar, para que se ouça o seu sonido, quando entrar no santuário diante do SENHOR e quando sair; e isso para que não morra. Farás também uma lâmina de ouro puro e nela gravarás à maneira de gravuras de sinetes: Santidade ao SENHOR. Atá-la-ás com um cordão de estofo azul, de maneira que esteja na mitra; bem na frente da mitra estará. E estará sobre a testa de Arão, para que Arão leve a iniquidade concernente às coisas santas que os filhos de Israel consagrarem em todas as ofertas de suas coisas santas; sempre estará sobre a testa de Arão, para que eles sejam aceitos perante o SENHOR. Tecerás, quadriculada, a túnica de linho fino e farás uma mitra de linho fino e um cinto de obra de bordador. Para os filhos de Arão farás túnicas, e cintos, e tiaras; fá-los-ás para glória e ornamento. E, com isso, vestirás Arão, teu irmão, bem como seus filhos; e os ungirás, e consagrarás, e santificarás, para que me oficiem como sacerdotes. Faze-lhes também calções de linho, para cobrirem a pele nua; irão da cintura às coxas. E estarão sobre Arão e sobre seus filhos, quando entrarem na tenda da congregação ou quando se chegarem ao altar para ministrar no santuário, para que não levem iniquidade e morram; isto será estatuto perpétuo para ele e para sua posteridade depois dele”.



As Vestes do Sumo Sacerdote


Hoje eu quero ver com você o significado espiritual que há nas vestes do Sumo Sacerdote. Estas vestes deviam ser usadas por Arão e seus filhos. Através das vestes do Sumo Sacerdote, nós entenderemos o plano de Deus que nos salvou dos pecados pela fé. 

Deus ordenou a Moisés que consagrasse o seu irmão Arão e também aos seus filhos para que eles pudessem ministrar para ele como sacerdotes. Deus também ordenou que Moisés fizesse as vestes seguindo o padrão que Ele lhe mostrara.

No texto acima, Deus diz no versículo 4: “As vestes, pois, que farão são estas: um peitoral, uma estola sacerdotal, uma sobrepeliz, uma túnica bordada, mitra e cinto. Farão vestes sagradas para Arão, teu irmão, e para seus filhos, para me oficiarem como sacerdotes”. 

Antes de tudo, o Sumo Sacerdote tinha que vestir uma túnica e calções para cobrir a sua nudez. Estas vestes eram feitas de linho fino retorcido para que o ar pudesse circular bem e, assim, impedi-lo de suar muito. O significado espiritual disso é que o Sumo Sacerdote tinha que deixar de lado toda a sua força humana, e servir a Deus somente segundo a fé e a Graça que Ele lhe havia dado. A vontade de Deus, em outras palavras, só seria cumprida quando o Sumo Sacerdote deixasse de lado os seus pensamentos e o seu esforço carnal, e oferecesse o sacrifício de expiação pela fé segundo o sistema sacrificial criado por Deus. Esta foi a intenção de Deus ao criar a túnica e os calções do Sumo Sacerdote, e vesti-los com eles.

Além destas vestes, Deus também vestiu o Sumo Sacerdote com uma estola azul. Além desta estola azul, ele usava um éfode, e sobre ele o peitoral. O peitoral do Sumo Sacerdote era feito de um tecido grosso, dobrado duas vezes e desenhado artisticamente com os tecidos, azul, púrpura e carmesim e com o tecido de linho fino retorcido, e seu tamanho era o mesmo tanto em largura quanto em comprimento. Doze pedras preciosas eram postas no peitoral com o nome das doze tribos de Israel gravadas nelas. 

O Sumo Sacerdote também usava uma mitra de linho fino retorcido. E uma lâmina de puro ouro, onde estavam gravadas as palavras “Santidade ao Senhor”, era atada com um cordão azul na frente da mitra. Estas são descrições simples das vestes, da mitra e da lâmina de ouro que o Sumo Sacerdote usava. 

A maior parte das vestes do Sumo Sacerdote era feita de tecidos, azul, púrpura e carmesim e de tecido de linho fino retorcido, assim como o peitoral. Neste peitoral havia doze pedras preciosas que traziam os nomes das doze tribos de Israel gravados nelas. 

A função do Sumo Sacerdote era a seguinte: ele tinha que pegar a oferta de sacrifício da congregação dos filhos de Israel, passar os seus pecados para ela impondo as mãos sobre a sua cabeça como o seu representante, imolá-la, e oferecer o seu sangue como oferta de sacrifício a Deus. Em outras palavras, o Sumo Sacerdote fazia a remissão pelos pecados do povo oferecendo o sacrifício segundo a Lei de Deus. Em favor do povo de Israel, ele impunha as mãos sobre a cabeça da oferta de sacrifício perante Deus, a imolava e derramava o seu sangue, e o colocava sobre os quatro chifres do altar de ofertas queimadas. Ele então levava o sangue para o Santo dos Santos e o aspergia sobre o propiciatório. Depois, o que sobrasse do animal sacrificado era levado para fora do acampamento e queimado. (Levítico 16.3-28). Era assim que o Sumo Sacerdote oferecia o sacrifício. Deste modo, ao oferecer um sacrifício agradável a Deus, ele cumpria a sua função que era aplacar a ira de Deus. O Sumo Sacerdote, em outras palavras, cumpria a função de intercessor entre o povo e Deus.

Do mesmo modo, Jesus, o Messias, foi o Sumo Sacerdote celestial, o intercessor entre Deus e o homem. Ao ser batizado por João Batista, do qual Ele recebeu os pecados do homem sobre o Seu corpo, e ao entregar o Seu corpo para ser crucificado, o Messias livrou toda a humanidade dos pecados e da morte. Nos dias do Antigo Testamento, era o Sumo Sacerdote que oferecia o sacrifício para remir os pecados do seu povo, mas nos dias do Novo Testamento, foi o Messias chamado Jesus Cristo que veio e cumpriu o ministério de Sumo Sacerdote Eterno para apagar os pecados de toda a humanidade (Hebreus 7:1-28). 

Nos dias do Novo Testamento, Deus confirmou o ministério do Sumo Sacerdote junto aos justos que foram purificados de todos os seus pecados pela verdade oculta nos tecidos, azul, púrpura e carmesim. Por isso que a mitra do Sumo Sacerdote trazia uma lâmina de ouro com as palavras gravadas: “Santidade ao Senhor”. Portanto, as vestes do Sumo Sacerdote mostram claramente, e em detalhes, que o evangelho purifica todos os pecados do homem. 

A estola do sacerdote era feita de tecido azul. E, acima de tudo, esta estola azul está relacionada com o batismo que Jesus recebeu. E como o Sumo Sacerdote usava vestes que eram feitas de tecidos, azul, púrpura e carmesim, e também com ouro, elas eram magníficas e muito reluzentes por causa destas quatro cores. Campainhas de ouro feitas de romã eram atadas às orlas da sua estola azul. O versículo 33 do texto bíblico deste capítulo diz: “Em toda a orla da sobrepeliz, farás romãs de estofo azul, e púrpura, e carmesim; e campainhas de ouro no meio delas”. Deste modo, quando o Sumo Sacerdote entrava no Tabernáculo para oferecer sacrifício pelo povo de Israel, eles ficavam do lado de fora e sabiam que a sua oferta estava sendo oferecida quando ouviam o som das campainhas.

Tudo isso está relacionado com a verdade encontrada no Novo Testamento no evangelho da água e do Espírito e confere perfeitamente. O que o Sumo Sacerdote fazia era purificar os pecados do povo, e isso nos mostra qual era a intenção de Deus ao vesti-lo assim e dar a ele esta função. O que os sacerdotes de hoje, o povo de Deus, têm que fazer para que os pecados dos outros sejam purificados? Para cumprirem esta função, eles primeiro precisam receber a remissão dos seus pecados crendo no evangelho da água e do Espírito revelado nos tecidos, azul, púrpura e carmesim. Deste modo, vemos claramente que as vestes do Sumo Sacerdote nos revelam o evangelho que purifica todos os nossos pecados.

Do mesmo modo, no presente século, nós que somos justos temos que cumprir a função de sacerdotes para que a mente das pessoas sejam purificadas e elas sejam santificadas. Por isso é que a mitra do Sumo Sacerdote trazia uma lâmina de ouro com a inscrição: “Santidade ao Senhor”.

Esta lâmina de ouro com as palavras gravadas: “Santidade ao Senhor” era atada com um cordão azul na frente da mitra do Sumo Sacerdote. As pessoas reconheciam o Sumo Sacerdote assim que olhavam para ele; ao olharem para a sua cabeça, elas viam em sua cabeça a lâmina de ouro atada com um cordão azul e as suas lindas vestes feitas com os tecidos, azul, púrpura e carmesim e o tecido de linho fino retorcido. Isso nos mostra que o Sumo Sacerdote sempre fazia a obra de purificação dos pecados usando os tecidos, azul, púrpura e carmesim.



Nós Temos que Respeitar o Julgamento Correto dos Servos de Deus


O Sumo Sacerdote usava um peitoral com os nomes dos filhos de Israel para levá-los sobre o coração quando entrasse no Lugar Santo. E nós, do mesmo modo, temos que levar em nossos corações as almas dos pecadores deste mundo que desejam encontrar a Deus, e, além disso, temos que orar por eles. Deus também disse a Moisés para colocar duas pedras preciosas chamadas Urim e Tumim no peitoral do Sumo Sacerdote. O versículo 30 do texto bíblico deste capítulo diz: “Também porás no peitoral do juízo o Urim e o Tumim, para que estejam sobre o coração de Arão, quando entrar perante o SENHOR; assim, Arão levará o juízo dos filhos de Israel sobre o seu coração diante do SENHOR continuamente”.

Estas pedras preciosas chamadas Urim e Tumim significam literalmente “Luz e Perfeição”. Em outras palavras, Deus levava luz ao coração do Sumo Sacerdote para que ele julgasse o povo de Israel com justiça e retidão. Ele também dava ao Sumo Sacerdote autoridade e sabedoria para que ele pudesse julgar o que era certo ou errado na vida do Seu povo. O Sumo Sacerdote tinha a função de decidir o que era certo ou errado na vida espiritual dos israelitas.

Nos dias atuais, Deus também deu a mesma capacidade a todos os Seus servos para julgarem o que é certo ou errado, assim como discernir se alguém recebeu a remissão de pecados ou não. E com esta capacidade dada por Deus, os Seus servos podem fazer o julgamento correto do que é o verdadeiro evangelho, o que é a verdadeira remissão de pecados, qual a maneira correta que os servos de Deus devem viver, e se alguém nasceu de novo ou não. Sendo assim, todo o povo de Deus tem que respeitar o julgamento dos seus líderes. Eles têm que entender que se recusar a aceitar o julgamento correto dos servos de Deus é o mesmo que se recusar a aceitar a vontade de Deus. Assim como o povo de Israel tinha que aceitar o julgamento dos servos de Deus, o mesmo eles devem fazer em relação aos Sumos Sacerdotes de hoje. 

Hoje em dia, do mesmo modo, Deus confiou aos Seus servos à função de julgar “o que é certo ou errado”. Por isso, temos que respeitar o que os líderes da Igreja de Deus estão fazendo e trabalhar junto com eles tendo um só coração. Nós temos que entender que o certo a fazer é respeitarmos o seu justo julgamento e sua liderança do fundo dos nossos corações e pela fé. Nós não devemos pensar assim: “Ele está fazendo isso só porque foi escolhido como Sumo Sacerdote, pois no fundo ele é como nós”. Algumas pessoas chegam até a pensar assim: “Eu não gosto da personalidade do meu pastor! Seu jeito é tão irritante; ele parece um tirano ao tomar decisões. Embora eu creia no evangelho que ele prega, eu não posso concordar com as decisões que ele toma e com sua maneira de pensar. Eu também tenho o direito de ter um propósito diferente do dele”. As pessoas podem tirar conclusões erradas por olharem para os Sumos Sacerdotes por um ângulo carnal. Mas este julgamento errado deve ser evitado.

Nós temos que obedecer aos servos de Deus que creem nos tecidos, azul, púrpura e carmesim para a salvação assim como obedecemos a Deus. Por quê? Porque seu julgamento não vem de sua própria mente, e sim da fé que agrada a Deus. Em outras palavras, já que o julgamento dos Sumos Sacerdotes atuais é feito à luz da verdade de Deus, seus julgamentos e suas decisões são os mesmos de Deus, então. E suas decisões são tomadas sem nenhumas influências malignas dos seus maus pensamentos, mas baseadas unicamente na Palavra de Deus e segundo a sua fé no evangelho da água e do Espírito. É por essa razão que seus julgamentos são corretos. E já que as suas decisões estão baseadas na Palavra de Deus e são tomadas segundo a Sua vontade, nós não temos porque não crer que elas são as decisões de Deus. 

É por isso que as funções do Sumo Sacerdote são muito importantes para o povo. Hoje em dia, assim como no Antigo Testamento, aquele que guia o povo de Deus não é nenhum outro senão o Sumo Sacerdote. Em Israel, não havia outro rei que pudesse liderar a nação senão o Sumo Sacerdote. E já que o sistema político de Israel era totalmente Teocrático, todo o povo obedecia às decisões tomadas pelos Sumos Sacerdotes. Hoje, no que diz respeito aos assuntos espirituais, o povo de Deus tem que crer também na liderança dos servos que Deus designou para a Sua Igreja, assim como crê e obedece à Sua Palavra. Os Sumos Sacerdotes, por sua vez, precisam tomar as suas decisões segundo a vontade de Deus; tudo deve estar baseado na Sua Palavra e na Sua providência. 

As vestes do Sumo Sacerdote de fato nos trazem muitos ensinamentos. Mas primeiro temos que conhecer o significado dos tecidos, azul, púrpura e carmesim e do ouro usado para fazê-la. Nós já aprendemos a verdade dos tecidos, azul, púrpura e carmesim. Através das vestes do Sumo Sacerdote, Deus nos diz como é importante e necessária a verdade oculta nos tecidos, azul, púrpura e carmesim e a fé que temos nela. Estes tecidos são os materiais essenciais que nos mostram a remissão dos pecados do povo. O fato de o Senhor Jesus ter vindo a esta Terra, ter sido batizado e derramado o Seu sangue revela que apenas o evangelho da água e do Espírito pode remir os pecados de todos neste mundo. Já que os tecidos, azul, púrpura e carmesim nos ensinam que o evangelho da água e do Espírito é a verdade que nos leva à perfeita expiação, temos que entender muito bem o significado disso. E se entendermos e crermos nisso corretamente, seremos purificados dos nossos pecados para sempre e receberemos a vida eterna. Portanto, temos que ter fé nesta verdade que está mais do que clara e foi cumprida pelo evangelho da água e do Espírito. 



Nós Temos que Defender a Nossa Fé nos Tecidos Azul, Púrpura e Carmesim


Se não tivermos o conhecimento exato e a fé inabalável nos tecidos, azul, púrpura e carmesim, nós não poderemos defender o verdadeiro evangelho. E, pior ainda, este evangelho poderá ser corrompido. As religiões deste mundo podem mudar com o passar do tempo, mas por meio das cores das vestes do Sumo Sacerdote, Deus nos mostra que a verdade absoluta dos tecidos, azul, púrpura e carmesim é imutável. Através das vestes do Sumo Sacerdote, de todos os utensílios do Tabernáculo e da maneira em que os sacrifícios eram oferecidos dentro dele, nós vemos uma manifestação perfeita do amor de Deus e dos Seus planos para nós. É por isso que temos que defender com unhas e dentes a nossa fé na verdade eterna que veio até nós como o evangelho dos tecidos, azul, púrpura e carmesim. Algo que nunca deve mudar em nós com passar do tempo é a nossa fé no evangelho da água e do Espírito. E está é a fé que nos leva a crer na salvação eterna encontrada nos tecidos, azul, púrpura e carmesim. 

Jamais devemos permitir que nossa fé nos tecidos, azul, púrpura e carmesim venha a mudar. Se Deus nos disse que nos salvou dos pecados com o evangelho dos tecidos, azul, púrpura e carmesim, isso, então, é verdade. No Antigo Testamento, Deus apagava as iniquidades dos pecadores com a imposição de mãos e o sangue derramado. Hoje, Ele realiza a perfeita remissão de pecados com o batismo que Jesus Cristo recebeu de João Batista (Mateus 3:15) e a Sua morte na cruz. Com o evangelho da água e do Espírito, Deus apagou as iniquidades dos pecadores do mundo inteiro.

Como isso é certo! O ouro representa a fé na Bíblia. Por isso, o ouro usado junto com os tecidos, azul, púrpura e carmesim nas vestes do Sumo Sacerdote significa que a nossa fé no evangelho da água e do Espírito é algo indispensável. E já que Deus preparou um método para apagar todos os nossos pecados e não permite que seja mudado, até quando enfrentamos dificuldades isso nos traz paz. E isso acontece por causa da verdade encontrada nos tecidos, azul, púrpura e carmesim que Deus nos mostra em Sua Palavra.



O Cinto do Sumo Sacerdote


O cinto era algo que também fazia parte das vestes do Sumo Sacerdote. Este cinto, usado pelo Sumo Sacerdote sobre o seu éfode, também era feito de tecidos, azul, púrpura e carmesim, de tecido de linho fino retorcido e de ouro. O cinto do éfode era um símbolo de força. Como diz a Bíblia: “Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça”. (Efésios 6:14). O cinto do Sumo Sacerdote se refere ao poder que vem da fé no evangelho da verdade. Isso nos mostra, em outras palavras, que a fé que crê na verdade dos tecidos, azul, púrpura e carmesim e do tecido de linho fino retorcido nos leva à salvação de todos os nossos pecados. Por esta razão, é totalmente inútil crer nos pseudoevangelhos e não crer no que representa os tecidos, azul, púrpura e carmesim e o tecido de linho fino retorcido.

Aqueles que são carnais também podem ser purificados de todos os seus pecados de uma maneira perfeita crendo no evangelho da água e do Espírito que o Senhor Jesus Cristo nos deu, pois todos os pecados do mundo já foram passados para Ele pela verdade da remissão de pecados cumprida por Deus (Mateus 3:15; Levítico 16:1-22). Portanto, aqueles que creem que as obras de Jesus Cristo manifestadas nos tecidos, azul, púrpura e carmesim os salvaram podem, por mais que as suas carnes sejam fracas, ser fortalecidos pelo Senhor Jesus. Já que cremos no evangelho da água e do Espírito que Jesus Cristo, o Sumo Sacerdote espiritual nos deu, quem nos separará do Seu amor? Porém, a Sua perfeita salvação só poderá ser nossa se crermos na verdade revelada nos tecidos, azul, púrpura e carmesim e no tecido de linho fino retorcido.

Quando os sacerdotes cumpriam as suas funções sacerdotais, eles nunca seguiam doutrinas feitas por homens, mas somente o sistema sacrificial do Tabernáculo. Do mesmo modo, os servos de Deus atuais não podem permitir que outros evangelhos sejam pregados às almas perdidas e as desviem do verdadeiro evangelho. (Gálatas 1:6-9). Quem prega os pseudoevangelhos, por melhor que preguem os seus sermões, não podem prestar nenhuma ajuda às almas perdidas, pois eles não têm como dar o testemunho correto do evangelho da água e do Espírito que é encontrado no Tabernáculo. Eles são enganadores e falsos mestres. Nós, que cremos em Jesus Cristo, o Sumo Sacerdote celestial, como o nosso Salvador, também não podemos deixar de reconhecer o sistema sacrificial da imposição de mãos e do sangue derramado encontrado no sistema do Tabernáculo. Algo que temos que entender é que há muitos pseudoevangelhos neste mundo. No que se refere ao evangelho, se alguém pregar a verdade do evangelho da água e do Espírito baseado na Palavra de Deus, temos que ouvir e crer.

Uma das razões pelas quais o Cristianismo tem muitos problemas hoje é que existem muitos enganadores espirituais dizendo que estão cumprindo bem as suas funções sacerdotais, embora não conheçam o evangelho da água e do Espírito. O primeiro passo para se tornar um verdadeiro sacerdote perante Deus é crer no evangelho da água e do Espírito. Somente os que possuem esta fé podem oferecer sacrifício corretamente a Deus. Por isso, só aqueles que conhecem e creem no evangelho da água e do Espírito podem amar verdadeiramente os outros. Por que você acha que a Igreja de Deus existe? Eu posso dizer a você com toda certeza que Ela existe para pregar o evangelho da água e do Espírito aos pecadores.

Quando cremos de todo o coração na verdade dos tecidos, azul, púrpura e carmesim revelada na Bíblia, nós somos salvos dos pecados e nos tornamos puros. Quando cremos no evangelho da água e do Espírito, a verdadeira paz é encontrada em nossos corações. E já que vivemos em paz, jamais podemos nos afastar de Deus. Nós cremos no perfeito evangelho, vivemos pela fé, e, por isso, entraremos no Reino do Senhor Jesus e viveremos com Ele eternamente. O Senhor Jesus nos deu a Paz e guiará todo o Seu povo neste mundo. E assim como a mitra do Sumo Sacerdote tinha uma lâmina de ouro com a inscrição: “Santidade ao Senhor”, Ele fará brilhar sobre nós a verdadeira luz da remissão de pecados. Portanto, Deus confiou a nós a obra que leva os pecadores ao recebimento da remissão dos seus pecados. Deus confiou àqueles que creem no evangelho dos tecidos, azul, púrpura e carmesim as mesmas funções dos sacerdotes do Antigo Testamento.

Nós somos muitos gratos a Deus por permitir que façamos esta obra maravilhosa à luz da Sua perfeita verdade. Quando eu ouvi de Deus a palavra deste evangelho pela primeira vez, o meu coração se encheu de alegria. E enquanto eu lia a Bíblia, tudo se tornava mais claro para mim. Então, os meus olhos espirituais foram abertos e o Espírito Santo me ensinou a Palavra de Deus em detalhes. Eu passei a entender todas as passagens da Bíblia claramente e vi que o evangelho da água e do Espírito era o único e verdadeiro evangelho que Deus nos deu. Nos tempos do Antigo Testamento, este evangelho era encontrado nos tecidos, azul, púrpura e carmesim. E nos tempos do Novo Testamento, todos os Apóstolos e escritores bíblicos nos dizem que Jesus Cristo foi batizado e derramou o Seu sangue para nos salvar dos pecados de um modo perfeito. Nós temos que crer no evangelho da água e do Espírito para usarmos as vestes da salvação; não é com orações de arrependimento que recebemos de Deus a remissão de pecados. O evangelho da água e do Espírito é o único evangelho perfeito e verdadeiro. 

O Sumo Sacerdote tinha que usar as vestes que Deus havia mandado confeccionar especialmente para ele. Contudo, se ele se incomodasse com alguma coisa, pensasse que não havia necessidade alguma de usar as vestes que Deus preparou para ele e, ao contrário, fosse desobediente e usasse outras vestes, ele morreria na mesma hora. Se o Sumo Sacerdote entrasse no Santo dos Santos usando somente a túnica feita de linho fino retorcido, ele também morreria. Ele tinha que usar a estola e o éfode feitos de tecidos, azul, púrpura, carmesim e de ouro. 

Quando seguimos exatamente o que Deus planejou, o Senhor Jesus caminha conosco, nos guia e opera em tudo que diz respeito às nossas vidas. Deus planejou enviar o Messias por nós e também nos revelou os Seus planos. Se crermos no evangelho da água e do Espírito e seguirmos o plano de Deus, Ele trabalhará em nossas vidas. É por isso que não podemos receber a remissão de pecados por nós mesmos ou pelas nossas obras, mas apenas crendo no plano da salvação de Deus revelado nos tecidos, azul, púrpura, carmesim e no ouro que foram usados na confecção das vestes do Sumo Sacerdote.

O que nós, sacerdotes do Senhor Jesus, temos que fazer é crer no que Deus planejou para nós e seguir este plano. Esta é a verdadeira fé. Seguir a Deus fazendo todo tipo de planos por nossa própria conta não é ter a fé correta em Deus. E no que se refere aos nossos esforços para pregar o evangelho da água e do Espírito em outros países, isso de maneira alguma pode ser realizado quando fazemos como os nossos próprios planos, mas apenas com a ajuda que nós recebemos de Deus pela fé. Esta é a vontade de Deus. Quando fazemos algo pela fé, Deus, então, cuida de todo o resto. Quando conhecemos a vontade de Deus e pregamos o evangelho da água e do Espírito, Deus toca o coração de quem lê os nossos livros, traz um despertamento na vida deles, os leva a crer neste evangelho da água e do Espírito e corrige os seus pensamentos errados a fim de que eles possam crer. E eles, por sua vez, também passam a pregar o evangelho da água e do Espírito.



Para Pregarmos o Evangelho da Água e do Espírito, Primeiro Temos que Crer Nele de Todo o Nosso Coração


Eu já disse antes que não podemos pregar o evangelho da água e do Espírito de qualquer jeito, mas somente quando nós servimos a ele pela fé sendo uníssonos com a vontade de Deus. As almas se convertem não pelos nossos esforços e dedicação, mas quando procuramos fazer a vontade de Deus crendo em Suas obras e no evangelho da água e do Espírito, pelo qual ele cumpriu em a Sua providência. É pela fé que nós servimos ao evangelho da água e do Espírito. Hoje, nós precisamos ter a mesma fé dos dias do Antigo Testamento. E, assim como antes, os filhos de Deus precisam pregar a fé nos tecidos, azul, púrpura e carmesim.

Nós temos que crer nos tecidos, azul, púrpura e carmesim e pregar sobre eles, mas primeiro temos que entender o que é revelado no tecido azul – ou seja, o batismo recebido por Jesus, o Messias. Quando pregamos aos perdidos a verdade do tecido azul, nós acabamos descobrindo que eles podem entender tudo sobre a verdade facilmente e crer nela com toda a fé. Por quê? Porque Jesus, o Messias, levou os pecados do mundo inteiro sobre o Seu corpo quando foi batizado. Quando as pessoas creem no batismo de Jesus e passam a entender que Ele purificou todos os seus pecados, elas também acabam entendendo que Ele morreu na cruz para pagar o preço por todos eles. Melhor dizendo, as pessoas só passam a crer nos tecidos, azul, púrpura e carmesim quando conhecem e creem no mistério do batismo que Jesus, o Messias, recebeu de João Batista, o verdadeiro elemento do tecido azul. Aí elas dizem então: “Ah, Ele levou sobre Si todos os nossos pecados ao ser batizado. Jesus Cristo é o verdadeiro Deus e o Salvador de toda a humanidade. Esta é a única verdade!”. 

Muitos, entretanto, só têm fé no tecido púrpura, ou seja, que Jesus é o próprio Deus, bem depois. No momento em que passamos a crer em Jesus como o nosso Salvador, nós fazemos a seguinte confissão: “Jesus é o Deus absoluto!”. Mas isso, às vezes, não passa de um conceito abstrato para nós. Nós só cremos nisso, de fato, quando há uma fé concreta em nossos corações. Quando recebemos a remissão de pecados crendo no batismo e no sangue de Jesus é que passamos a crer que Ele é o próprio Deus, o Deus vivo que nos ajuda e trabalha em nossas vidas, e a nossa fé Nele vai crescendo gradualmente. Portanto, as pessoas precisam crer no evangelho dos tecidos, azul, púrpura e carmesim dado por Deus para receber a remissão de pecados.



Como os Sacerdotes Servem a Deus Hoje em Dia?


O que os Sumos Sacerdotes faziam no Tabernáculo? O que eles revelam através do sistema sacrificial? Eles revelam a verdade de que o Messias apagou todos os nossos pecados com os tecidos, azul, púrpura e carmesim. E os servos de Deus atuais também têm a mesma função e ministério. Eles estão apagando os pecados das pessoas com o evangelho da água e do Espírito. 

Muita gente tenta ressaltar as suas próprias versões do evangelho. Mas só que um evangelho assim não é corretamente bíblico e nem pode salvar ninguém. Eles são peritos em reunir aqui e ali doutrinas feitas por homens para que possam usá-las. Mas o evangelho da água e do Espírito não nasceu da junção de várias doutrinas cristãs.

As pessoas só podem receber a remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito. A Palavra, melhor dizendo, é o único marco da salvação. A purificação de pecados só é alcançada segundo o padrão criado por Deus. E este padrão é o evangelho da água e do Espírito. Ninguém pode ser remido dos seus pecados e receber a salvação se não for pelo verdadeiro evangelho da salvação. Ser purificado de todos os pecados e santificado por Deus só possível crendo em Jesus, que veio para ser batizado no Rio Jordão e derramar o Seu sangue na cruz como o nosso Salvador. É assim que as pessoas precisam crer em Jesus, que veio como o nosso Salvador segundo os tecidos, azul, púrpura e carmesim, a fim de serem remidas de todos os seus pecados. Não existe outra maneira delas receberem a remissão de pecados. 

Os servos de Deus que se tornaram os seus filhos têm que crer no verdadeiro evangelho segundo os tecidos, azul, púrpura e carmesim usado nas vestes do Sumo Sacerdote. Mas se eles não crerem nesta verdade, eles não estarão qualificados para serem seus servos, então. Eles serão apenas os religiosos deste mundo. Como nas inúmeras religiões deste mundo, eles não passam de religiosos que só usam o nome de Jesus. Os verdadeiros servos de Deus têm que ter fé em Jesus Cristo que veio pela água, pelo sangue e pelo Espírito, como o nosso Salvador. Deste modo, eles têm que dar testemunho do Seu batismo a fim de que a sua fé genuína seja amplamente manifestada e faça brilhar bastante a verdadeira Luz de Deus. Somente aqueles que fazem isso é que são servos de Deus, os que foram salvos por Ele. 

Aqueles que deixam de fora o batismo de Jesus, a Sua cruz ou o fato de Ele ser o próprio Deus, ou aqueles que pregam isso apenas como uma teoria, mas sem fé, são servos do diabo e não tem nada a ver com Deus.

Hoje, há muitos que se dizem “evangélicos” neste mundo. Eles afirmam que todo aquele que crê em Jesus pode ser purificado de todos os seus pecados pela fé e se tornar justo. A princípio, eu pensei que eles estivessem pregando a verdade dos tecidos, azul, púrpura e carmesim, mas com o tempo eu percebi que não era isso. Eles não estão pregando o evangelho da água e do Espírito e acham que as doutrinas inventadas por eles mesmos são o verdadeiro evangelho. Embora sejam chamados “evangélicos”, eles só buscam o bem-estar e os prazeres deste mundo, e seu único propósito é satisfazer os seus próprios desejos. 

Há muitos pretensos pastores hoje neste mundo. Mas por que eles se recusam a aceitar o verdadeiro evangelho que pode torná-los realmente santos? Os fundamentalistas se orgulham do conhecimento que têm da Palavra. Mas a verdade é que eles em nada são conservadores. Já que a Palavra revela claramente o evangelho da água e do Espírito, por que eles excluem de sua fé o batismo de Jesus? Lembre-se de que Nadabe e Abiú morreram quando ofereceram fogo estranho ao Senhor Deus. Como estes sacerdotes não oferecem sacrifício a Deus segundo Ele havia determinado, desceu fogo do céu e os consumiu (Números 26:61).

Se deixasse de usar ao menos a estola que Deus havia determinado, o Sumo Sacerdote morria na hora. (versículo 43). Por mais que os pecadores levassem fielmente o sangue de suas ofertas de sacrifícios ao Tabernáculo, isso não teria valor algum se eles antes não impusessem as mãos sobre as suas cabeças. Sem a fé na imposição de mãos, pela qual eles confessavam as suas iniquidades e as passavam para as suas ofertas, suas fés eram inúteis, por mais que eles cressem no sangue do Seu sacrifício. Por mais que o Sumo Sacerdote pegasse o sangue, levantasse o véu, entrasse no Santo dos Santos e o espargisse sobre o propiciatório, se ele não estivesse usando a estola azul que Deus havia determinado, ele morreria na mesma hora. Sendo assim, todos os que seguem uma seita têm que deixar a sua velha fé e se voltar para o verdadeiro evangelho que pode levá-los à “Luz e Perfeição”, ou seja, o Urim e o Tumim (Êxodo 28:30).

Deus se agrada daqueles que, apesar de serem imperfeitos, creem na Sua Palavra e na Sua vontade e as seguem. Foi por isso que Deus chamou a nós que cremos no evangelho da água e do Espírito. Quando estamos juntos e pregamos o evangelho da água e do Espírito pela fé, Deus sempre nos capacita para fazermos a Sua maravilhosa obra. 

Nós cremos que a providência de Deus em breve será cumprida totalmente. Embora sejamos muito falhos em nossas carnes, e eu me considero o pior de todos, ainda assim somos muitos felizes em Deus. Eu ficaria ruborizado se fosse me confessar a vocês, pois meu lado humano ainda é muito falho. E as minhas imperfeições são constantes. Conforme o tempo passa, quanto mais eu sirvo ao evangelho, mais eu percebo o quanto eu sou imperfeito diante de Deus. E quando eu olho para os meus colaboradores, eu vejo que eles são tão imperfeitos quanto eu. Mas todos nós continuamos servindo ao evangelho devido à Graça de Deus. Deus nos dá provas da Sua obra em nós para que o sirvamos e o sigamos crendo no Seu evangelho e nos Seus planos. 

É através de nós, que somos imperfeitos, que o Senhor Jesus é glorificado. Quanto mais somos imperfeitos, mais o evangelho da água e do Espírito brilha em nossos corações – e é por causa disso que Deus é glorificado. Quando nós percebemos que não temos mais culpa e começamos a nos exaltar por causa disso, isso faz com que Deus não se sinta bem. Esta é a vontade de Deus, que deseja receber a adoração de todos nós, os imperfeitos.

Você e eu somos muito imperfeitos. Mas o quanto somos imperfeitos? Mais do que podemos imaginar. Entretanto, cada um percebe as suas imperfeições de modo diferente, assim como as profundezas do oceano e dos rios são muito diferentes das de um lago. Os que reconhecem que são muito imperfeitos são os que mais amam ao Senhor Jesus, pois eles sabem o quanto é grande o seu débito com Ele. Aqueles que sabem muito bem que são imperfeitos e reconhecem que o seu débito os afastou de Deus são os que o amam ainda mais. É por isso que eles amam muito o evangelho e se orgulham de segui-lo. No entanto, aqueles que não reconhecem as suas imperfeições são os que menos amam a Deus, pois acham que o seu débito com o Senhor Jesus é pequeno e precisam fazer muito pouco para que Ele os perdoe. Então, como é que estas pessoas podem reconhecer realmente como são grandes as suas falhas e imperfeições? Elas não podem ser forçadas a isso. Mas se servirem ao evangelho crendo que esta é a vontade de Deus para elas, embora sejam imperfeitas, as suas falhas começarão a ser reveladas com o passar do tempo. E quanto mais elas forem reveladas, mais profundo será o seu amor a Deus.

Conhecer as nossas imperfeições apenas de um modo teórico não nos traz benefício algum. Nós só reconhecemos as nossas imperfeições quando buscamos servir ao evangelho de coração e passamos por muitas dificuldades por causa disso. É por isso que quanto mais servimos ao Senhor Jesus, mais precioso Ele se torna para nós. É por causa do Senhor Jesus que temos ousadia; é por causa Dele que somos glorificados. Nós só podemos viver pela fé e nos dedicar à obra abençoada do Senhor Jesus por causa Dele. Se não fosse o Senhor Jesus, você e eu não seríamos nada. 

João Batista disse: “Convém que ele cresça e que eu diminua”. (João 3:30). Deus nos deu a remissão de pecados e oportunidades abençoadas para servimos a este evangelho. Nossa existência deve ser um instrumento para servirmos ao evangelho, e o Senhor Jesus é o único digno de receber a nossa adoração. O fato de o Senhor Jesus nos usar como instrumentos em si já é algo que nos faz muito gratos a Ele. 

Nós somos muito gratos ao Senhor Jesus pela bênção que Ele nos deu de realizarmos as funções de um Sumo Sacerdote. Jesus Cristo é nosso Sumo Sacerdote Celestial e o Grande Pastor. E os seus servos são as Suas ovelhinhas. Você e eu somos ovelhinhas que creem no que o Grande Pastor fez por nós. Você e eu cremos na Palavra de Deus exatamente como ela é, agimos exatamente como ela diz e como ela está escrita. E é assim mesmo que nós temos que servir ao Senhor Jesus. Temos que imitar o que o Senhor Jesus fez, crer Nele e segui-Lo desta maneira. O que temos que fazer é crer Nele e segui-Lo como Ele planejou para nós e mandou que fizéssemos, a fim de que possamos pregar o evangelho da água e do Espírito. A fé correta perante Deus é aceitar a Sua Palavra em sua pureza e pregar o evangelho da água e do Espírito tendo fé Nele. 

Nós somos gratos de todo o nosso coração ao Senhor Jesus que se tornou o nosso Sumo Sacerdote.