Sermons

< Levítico 16:1-34 > O Sumo Sacerdote que Oferecia o Sacrifício no Dia da Expiação



< Levítico 16:1-34 >

“Falou o SENHOR a Moisés, depois que morreram os dois filhos de Arão, tendo chegado aqueles diante do SENHOR. Então, disse o SENHOR a Moisés: Dize a Arão, teu irmão, que não entre no santuário em todo tempo, para dentro do véu, diante do propiciatório que está sobre a arca, para que não morra; porque aparecerei na nuvem sobre o propiciatório. Entrará Arão no santuário com isto: um novilho, para oferta pelo pecado, e um carneiro, para holocausto. Vestirá ele a túnica de linho, sagrada, terá as calças de linho sobre a pele, cingir-se-á com o cinto de linho e se cobrirá com a mitra de linho; são estas as vestes sagradas. Banhará o seu corpo em água e, então, as vestirá. Da congregação dos filhos de Israel tomará dois bodes, para a oferta pelo pecado, e um carneiro, para holocausto. Arão trará o novilho da sua oferta pelo pecado e fará expiação por si e pela sua casa. Também tomará ambos os bodes e os porá perante o SENHOR, à porta da tenda da congregação. Lançará sortes sobre os dois bodes: uma, para o SENHOR, e a outra, para o bode emissário. Arão fará chegar o bode sobre o qual cair a sorte para o SENHOR e o oferecerá por oferta pelo pecado. Mas o bode sobre que cair a sorte para bode emissário será apresentado vivo perante o SENHOR, para fazer expiação por meio dele e enviá-lo ao deserto como bode emissário. Arão fará chegar o novilho da sua oferta pelo pecado e fará expiação por si e pela sua casa; imolará o novilho da sua oferta pelo pecado. Tomará também, de sobre o altar, o incensário cheio de brasas de fogo, diante do SENHOR, e dois punhados de incenso aromático bem moído e o trará para dentro do véu. Porá o incenso sobre o fogo, perante o SENHOR, para que a nuvem do incenso cubra o propiciatório, que está sobre o Testemunho, para que não morra. Tomará do sangue do novilho e, com o dedo, o aspergirá sobre a frente do propiciatório; e, diante do propiciatório, aspergirá sete vezes do sangue, com o dedo. Depois, imolará o bode da oferta pelo pecado, que será para o povo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e fará com o seu sangue como fez com o sangue do novilho; aspergi-lo-á no propiciatório e também diante dele. Assim, fará expiação pelo santuário por causa das impurezas dos filhos de Israel, e das suas transgressões, e de todos os seus pecados. Da mesma sorte, fará pela tenda da congregação, que está com eles no meio das suas impurezas. Nenhum homem estará na tenda da congregação quando ele entrar para fazer propiciação no santuário, até que ele saia depois de feita a expiação por si mesmo, e pela sua casa, e por toda a congregação de Israel. Então, sairá ao altar, que está perante o SENHOR, e fará expiação por ele. Tomará do sangue do novilho e do sangue do bode e o porá sobre os chifres do altar, ao redor. Do sangue aspergirá, com o dedo, sete vezes sobre o altar, e o purificará, e o santificará das impurezas dos filhos de Israel. Havendo, pois, acabado de fazer expiação pelo santuário, pela tenda da congregação e pelo altar, então, fará chegar o bode vivo. Arão porá ambas as mãos sobre a cabeça do bode vivo e sobre ele confessará todas as iniquidades dos filhos de Israel, todas as suas transgressões e todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode e enviá-lo-á ao deserto, pela mão de um homem à disposição para isso. Assim, aquele bode levará sobre si todas as iniquidades deles para a terra solitária; e o homem soltará o bode no deserto. Depois, Arão virá à tenda da congregação, e despirá as vestes de linho, que havia usado quando entrara no santuário, e ali as deixará. Banhará o seu corpo em água no lugar santo e porá as suas vestes; então, sairá, e oferecerá o seu holocausto e o holocausto do povo, e fará expiação por si e pelo povo. Também queimará a gordura da oferta pelo pecado sobre o altar. E aquele que tiver levado o bode emissário lavará as suas vestes, banhará o seu corpo em água e, depois, entrará no arraial. Mas o novilho e o bode da oferta pelo pecado, cujo sangue foi trazido para fazer expiação no santuário, serão levados fora do arraial; porém as suas peles, a sua carne e o seu excremento se queimarão. Aquele que o queimar lavará as suas vestes, banhará o seu corpo em água e, depois, entrará no arraial. Isso vos será por estatuto perpétuo: no sétimo mês, aos dez dias do mês, afligireis a vossa alma e nenhuma obra fareis, nem o natural nem o estrangeiro que peregrina entre vós. Porque, naquele dia, se fará expiação por vós, para purificar-vos; e sereis purificados de todos os vossos pecados, perante o SENHOR. É sábado de descanso solene para vós outros, e afligireis a vossa alma; é estatuto perpétuo. Quem for ungido e consagrado para oficiar como sacerdote no lugar de seu pai fará a expiação, havendo posto as vestes de linho, as vestes santas; fará expiação pelo santuário, pela tenda da congregação e pelo altar; também a fará pelos sacerdotes e por todo o povo da congregação. Isto vos será por estatuto perpétuo, para fazer expiação uma vez por ano pelos filhos de Israel, por causa dos seus pecados. E fez Arão como o SENHOR ordenara a Moisés”.



No Dia da Expiação, quem oferecia o sacrifício pelo povo de Israel era o Sumo Sacerdote. Este sacrifício era oferecido uma vez por ano no décimo dia do sétimo mês segundo o calendário de Israel. Neste dia, quando o Sumo Sacerdote Arão oferecia o sacrifício por todo o povo de Israel, todas as suas iniquidades eram passadas para esta oferta e purificadas. Sendo assim, o Dia da Expiação era a maior festividade entre o povo de Israel. 

Como as outras ofertas, o sacrifício do Dia da Expiação também tinha que seguir os três requisitos pré-estabelecidos, isto é, os animais do sacrifício não podiam ter defeito, eles tinham que receber imposição de mãos e o seu sangue tinha que ser derramado. Deus então aceitava este sacrifício que era oferecido de uma forma muito peculiar. A diferença entre este sacrifício e os outros sacrifícios era que o Sumo Sacerdote aqui tinha que pegar o sangue da oferta de sacrifício e levá-lo ao Santo dos Santos. Depois de oferecer um novilho como oferta de sacrifício e um carneiro como oferta queimada por si mesmo e por sua família, o Sumo Sacerdote Arão oferecia dois bodes a Deus em favor do povo de Israel. Ele primeiro oferecia um deles ao Senhor Deus do mesmo modo que havia oferecido um novilho como oferta pelo pecado. Depois, então, ele oferecia um segundo bode, o bode da expiação. Ele passava os pecados do povo de Israel para o bode da expiação impondo as mãos sobre a sua cabeça na presença de todos os israelitas, e este bode que recebia os pecados era enviado ao deserto pela mão de um homem à disposição para isso. 



As Ofertas do Dia da Expiação Purificavam Todos os Pecados do Povo de Israel 


No Dia da Expiação, o Sumo Sacerdote, que representava o povo de Israel, passava os seus pecados anuais para a cabeça da oferta de sacrifício impondo as suas mãos sobre ela. Ele pegava dois bodes vivos e lançava a sorte sobre eles; o primeiro que caísse era oferecido a Deus e o segundo pelo povo de Israel.

A “imposição de mãos” aqui significa passar todos os pecados para a oferta de sacrifício impondo as mãos sobre a sua cabeça. Esta imposição de mãos era o método que Deus criou para a purificação dos pecados e, do mesmo modo, no Novo Testamento, este mesmo método foi usado para passar todos os pecados dos homens para Jesus. Para remir os pecados anuais do povo de Israel, o Sumo Sacerdote Arão tinha que impor as mãos sobre a cabeça de um bode e passar todos os seus pecados para ele. E quando o Sumo Sacerdote passava todos os pecados do povo de Israel para a oferta de sacrifício impondo as suas mãos sobre a sua cabeça, todos os pecados que eles haviam cometido ao longo de um ano eram totalmente apagados. Deste modo, por meio da oferta do Dia da Expiação, o povo de Israel podia ser grato a Deus por salvá-los de todos os pecados que eles haviam cometido ao longo do ano.

Todos os que têm pecados de modo algum podem fugir da condenação. Então, para que a oferta de sacrifício fosse condenada pelos pecados de todo Israel, ela tinha que receber primeiro todos os seus pecados. Se o Sumo Sacerdote oferecesse um sacrifício sem impor as mãos sobre a sua cabeça, esta oferta seria considerada uma blasfêmia contra Deus. É por isso que ele tinha que tomar todas as precauções para não cometer este pecado. 

Para salvar toda a humanidade que havia se tornado pecadora, Deus criou o plano da salvação e o cumpriu pelo método da imposição de mãos. E para apagar todos os pecados do povo de Israel, Ele levantou um Sumo Sacerdote como o seu representante e fez com que ele passasse todos os pecados anuais do povo pela imposição de mãos sobre a cabeça da oferta de sacrifício. Assim, todos os animais de sacrifício que eram oferecidos a Deus no Tabernáculo recebiam os pecados dos israelitas pela imposição de mãos e eram condenados em seu lugar por causa destes pecados, morrendo ao ter o seu sangue derramado.

Para cumprir a justiça e o amor de Deus plenamente, os israelitas tinham que oferecer este sacrifício no Dia da Expiação, quando o Sumo Sacerdote impunha as suas mãos sobre a cabeça do animal do sacrifício e o degolava para que o seu sangue fosse derramado em seu lugar uma vez por ano. O que Deus queria através deste sacrifício, em outras palavras, era purificar todos os pecados anuais dos israelitas de uma vez por todas. Esta era a lei do amor de Deus que satisfazia tanto a sua misericórdia quanto a sua justiça. Por ser um Deus justo, Ele apagou os pecados do povo de uma só vez segundo a sua justa Lei. Deus enviou Jesus Cristo como O Cordeiro de sacrifício e o fez levar todos os nossos pecados pela imposição de mãos e pelo derramamento do Seu sangue na cruz. 

Jesus, que ofereceu a Si mesmo como sacrifício eterno, levou os pecados de todo mundo sobre Si de uma vez por todas por meio deste método, derramou o Seu sangue, e assim nos salvou completamente de todos os nossos pecados. Portanto, temos que nos achegar a Deus tendo fé na verdade da salvação que é encontrada nos tecidos, azul, púrpura e carmesim e no tecido de linho fino retorcido. Somente por meio desta fé é que todos os nossos pecados podem ser remidos de uma vez por todas. Por isso, todo aquele que quer receber a remissão de pecados de uma vez por todas tem que buscar a Deus tendo a fé que crê realmente no evangelho da água e do Espírito. 



O Significado da Imposição de Mãos


Imposição de mãos significa passar, transferir ou enterrar (Levítico 1:3-4). Quando alguém do povo de Israel pecava sem querer e tinha conhecimento disso, ele tinha que oferecer uma oferta queimada a Deus. (Levítico 4:27-29). Primeiro, ele tinha que trazer um animal sem defeito para o sacrifício, e então passar os seus pecados para ele impondo as suas mãos sobre a sua cabeça. Depois, ele o degolava, derramava o seu sangue e o entregava aos sacerdotes. (Levítico 4:27-29). O Sumo Sacerdote então pegava um pouco deste sangue com o seu dedo, passava nos chifres do altar de ofertas queimadas e derramava o que sobrava sobre a base do altar. Ele também tinha que queimar a sua gordura sobre o altar, pois assim Deus sentia o aroma suave da gordura queimada que era oferecida a Ele.

Nós já aprendemos que, para apagar os pecados do povo de Israel, Deus criou o sacrifício do Dia da Expiação, quando o Sumo Sacerdote impunha as suas mãos sobre a cabeça do animal de sacrifício e derramava o seu sangue. Neste caso também, Deus não podia purificar os pecados dos israelitas sem a imposição de mãos sobre a oferta do sacrifício. Portanto, o sacrifício do Antigo Testamento está intimamente ligado com o batismo e o sangue de Jesus no Novo Testamento.

Assim como a oferta de sacrifício do Antigo Testamento tinha que ser um animal sem defeito, Jesus veio no Novo Testamento como O Cordeiro sacrificial também sem defeito, foi batizado e derramou o Seu sangue na cruz para purificar as iniquidades de todos os pecadores. Como o animal de sacrifício que recebia todas as iniquidades dos pecadores pela imposição de mãos no Antigo Testamento, todos os pecados do mundo foram passados para Jesus Cristo quando João Batista impôs as mãos sobre a Sua cabeça ao batizá-lo no Rio Jordão. (Mateus 3:15). A oferta de sacrifício sem defeito do Antigo Testamento e Jesus, O Cordeiro de Deus sem defeito do Novo Testamento, tinham que receber a imposição de mãos e derramar o sangue do mesmo modo. Sendo assim, o sacrifício da imposição de mãos e do sangue derramado é o mesmo sacrifício que foi preparado para os pecadores tanto do Antigo quanto do Novo Testamento.



A Consequência Inevitável dos Pecados do Homem é a Ira de Deus


Diante de Deus, todos nós somos pecadores que tínhamos que morrer por causa dos nossos pecados. Por isso é que a oferta pelos pecados tinha que ser sacrificada, para que estes pecados fossem remidos. Quando olhamos para as partes deste animal de sacrifício sendo cortadas e consumidas pelo fogo no altar de ofertas queimadas, podemos ver como a salvação de Deus é misericordiosa, pois, antes disso, nós estávamos destinados a ser destruídos por Ele. Do mesmo modo, o Senhor Jesus nos salvou ao ser batizado por João Batista e derramar o Seu sangue. Por essa razão, quem ainda não nasceu de novo precisa reconhecer que é um pecador que será condenado por Deus por causa dos seus pecados e crer o mais rápido possível no batismo e no sangue do Senhor Jesus para ser salvo. Para nos salvar de todos os nossos pecados em vez de nos punir por causa deles, Deus preparou uma oferta sem defeito para a salvação, passou todos os nossos pecados para esta oferta de sacrifício eterno e fez com que o Seu sangue fosse derramado para remir todos os nossos pecados de uma vez por todas. (Levítico 16:1-34; Romanos 8:3-4; Hebreus 10:10-12). Ainda existe pecado no seu coração? Se a resposta é que existe, primeiro você tem que reconhecer perante Deus que é um pecador que está condenado por causa dos seus pecados, e depois crer que, através de Jesus Cristo, Deus cumpriu o plano da salvação que Ele havia criado antes da fundação do mundo. 

Os pecados não podem ser expiados sem que seja pago o preço correto por eles. Foi por isso que Deus deu o sistema sacrificial ao povo de Israel. Neste sistema sacrificial, somente a oferta que recebia a imposição de mãos e tinha o seu sangue derramado era considerada a verdadeira oferta de fé que podia purificar os pecados dos israelitas. 

Nós também temos que oferecer a Deus este sacrifício pela fé impondo as mãos sobre Ele e derramando o Seu sangue; tudo segundo o sistema sacrificial descrito nas Escrituras. O Senhor Jesus derramou o Seu sangue porque já tinha tirado todos os nossos pecados quando foi batizado, sendo condenado pelos pecados em nosso lugar, apagando assim todos eles de uma única vez. (Mateus 3:15; João 1:29; Isaías 53:1-7). Quando cremos na palavra da água e do Espírito, e quando impomos as nossas mãos sobre O nosso Senhor Jesus, que se tornou a nossa oferta de sacrifício, nós passamos todos os nossos pecados para Ele e podemos receber a remissão de pecados crendo que Ele levou sobre Si todos os nossos pecados e que foi condenado por eles em nosso lugar. Quando cremos no evangelho da água e do Espírito deste jeito, nós podemos passar todos os nossos pecados para O nosso Senhor Jesus, que se tornou a nossa oferta de sacrifício, e também podemos morrer e viver com Ele por causa desta verdade. (Romanos 6:1-11; Gálatas 3:27).

As lições espirituais que temos que aprender com o sacrifício do Dia da Expiação são as seguintes: antes de tudo, temos que reconhecer os nossos pecados e que merecemos ser condenados por eles, a fim de que possamos então oferecer o sacrifício da fé que Deus deseja receber; ou seja, temos que ter fé em Jesus Cristo que cumpriu a nossa salvação por meio do Seu batismo e do Seu sangue derramado na cruz. Nós temos que impor as mãos sobre a cabeça de Jesus crendo no Seu batismo. Mas por quê? Porque somente quando impomos as nossas mãos sobre a oferta de sacrifício sem defeito e derramamos o Seu sangue pela fé é que podemos ser salvos de todos os nossos pecados. 

Sendo assim, todos que querem ser remidos dos seus pecados diante de Deus precisam pagar o preço por sua vida, pois o salário do pecado é a morte. Por mais que alguém seja rico ou pobre, é necessário que haja uma oferta de sacrifício para pagar o salário dos seus pecados e o preço da expiação de sua vida. E você só poderá receber a remissão de pecados pela fé se obedecer aos Mandamentos de Deus desta forma.



O Sacrifício do Dia da Expiação


Vamos ler agora Levítico 16:6-10. “Arão trará o novilho da sua oferta pelo pecado e fará expiação por si e pela sua casa. Também tomará ambos os bodes e os porá perante o SENHOR, à porta da tenda da congregação. Lançará sortes sobre os dois bodes: uma, para o SENHOR, e a outra, para o bode emissário. Arão fará chegar o bode sobre o qual cair a sorte para o SENHOR e o oferecerá por oferta pelo pecado. Mas o bode sobre que cair a sorte para bode emissário será apresentado vivo perante o SENHOR, para fazer expiação por meio dele e enviá-lo ao deserto como bode emissário”.

Para que o povo de Israel pudesse receber a remissão de pecados pela fé, o Sumo Sacerdote oferecia por eles um sacrifício que recebia a imposição de mãos e cujo sangue era derramado. Mas como podemos descrever a fé dos cristãos hoje em dia? Não é uma fé que busca receber a remissão de pecados passando todos os seus pecados para o sacrifício. Se a sua não fé não é do tipo que passou todos os seus pecados para Jesus Cristo pela imposição de mãos, você está com um grande problema. Se a sua fé não for do tipo que crê no batismo e no sangue derramado na cruz, ela não é a verdadeira fé aprovada por Deus.

Nós não temos como deixar de cometer pecados diante de Deus e falhamos miseravelmente ao tentar guardar a Lei. Então, se vivêssemos nos dias do Antigo Testamento, nós teríamos que receber a remissão de pecados crendo na oferta do pecado que o Sumo Sacerdote ofereceria por nós. Mas para oferecermos um sacrifício de fé a Deus, primeiro temos que reconhecer que deveríamos ser destruídos por causa dos nossos pecados. Aí então, devemos crer na imposição de mãos que passa todos os nossos pecados para a oferta de sacrifício que Deus preparou para nós e no sangue derramado desta oferta.

A imposição de mãos sobre o animal do sacrifício e o seu sangue derramado tinham poder para salvar; e é por isso que o povo do Antigo Testamento podia receber a remissão dos seus pecados por meio deste sacrifício que o Sumo Sacerdote oferecia segundo o sistema sacrificial criado por Deus. Ao impor as mãos sobre o animal do sacrifício, o Sumo Sacerdote passava os pecados anuais do povo para ele, o degolava e derramava o seu sangue, e o aspergia sete vezes sobre o propiciatório. E a cada ano ele não deixava de oferecer esta oferta de modo correto a Deus. Era assim que o povo de Israel podia receber a perfeita remissão dos seus pecados nos dias do Antigo Testamento. 

Deste modo, por meio da oferta do pecado que o Sumo Sacerdote oferecia, o povo de Israel cria e tinha a certeza em seu coração que todos os seus pecados haviam sido remidos. O que o sacrifício do Dia da Expiação no Antigo Testamento está nos mostrando é que, no Novo Testamento, Jesus Cristo levou os pecados do mundo quando foi batizado por João Batista e derramou o Seu sangue na cruz, e que nós temos que crer neste Jesus Cristo como O nosso Salvador para recebermos a eterna remissão dos nossos pecados pela fé. Todas as pessoas deste mundo cujos corações estão sofrendo e agonizando por causa dos seus pecados precisam entender que só podem receber a eterna remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito e tendo este evangelho gravado em seus corações. Portanto, Deus criou o sacrifício para a remissão de todos os nossos pecados e nos prometeu que cumpriria esta promessa através dos tecidos, azul, púrpura e carmesim e do tecido de linho fino retorcido que eram usados no Tabernáculo.



O Sacrifício do Dia da Expiação Realizado no Tabernáculo


No Dia da Expiação, o Sumo Sacerdote impunha as mãos sobre a cabeça da oferta do sacrifício na presença de todo o povo de Israel para passar os seus pecados para ela. (Levítico 16:20-23). Era totalmente necessário que o Sumo Sacerdote Arão passasse os pecados anuais do povo para a oferta de sacrifício impondo as mãos sobre a sua cabeça. Quando o Sumo Sacerdote oferecia o sacrifício do Dia da Expiação dentro do Tabernáculo pelo povo de Israel, somente ele podia entrar ali, ninguém mais. E isso era algo maravilhoso, pois embora muitos sacerdotes estivessem acostumados a entrar no átrio do Tabernáculo para cumprir as suas funções, no Dia da Expiação eles ficavam livres destas funções.

O Sumo Sacerdote passava os pecados do povo de Israel para a oferta de sacrifício impondo as mãos sobre a sua cabeça, levando o seu sangue para o Santo dos Santos, e o espargindo com o dedo sobre o propiciatório; este sangue era aspergido sete vezes sobre o propiciatório. (Levítico 16:14). Nesta ocasião, campainhas de ouro eram atadas à borda das vestes do Sumo Sacerdote, e toda vez que ele aspergia o sangue sobre o propiciatório, elas tocavam fazendo com que todo o povo de Israel que estava do lado de fora as ouvissem. Quando os israelitas ouviam o som das campainhas de ouro, eles sabiam que o Sumo Sacerdote estava oferecendo sacrifício por eles. E quando ouviam o som delas pela sétima vez, eles se sentiam aliviados, pois sabiam que o sacrifício do Dia da Expiação oferecido dentro do Tabernáculo havia quase terminado; isso era uma confirmação de que o sacrifício para apagar todos os seus pecados anuais havia sido aceito.

Depois disso, o Sumo Sacerdote Arão saia do Tabernáculo, pegava o outro bode que havia sobrado como oferta e também oferecia este animal no Dia da Expiação na presença de todo o povo de Israel. Deus ordenou que o povo de Israel não fizesse nada no Dia da Expiação. (Levítico 16:20, 21, 29). Com uma grande multidão de israelitas reunida para ver este sacrifício ser oferecido fora do Tabernáculo, o Sumo Sacerdote impunha as mãos sobre a cabeça do bode emissário para cumprir a sua função e enviá-lo ao deserto pela mão de um homem à disposição para isso. 

No Dia da Expiação, o Sumo Sacerdote trazia o bode emissário diante do povo de Israel, impunha as mãos sobre a sua cabeça e confessava todas as iniquidades e transgressões dos filhos de Israel, passando-as para ele. Ele devia dizer isso: “Senhor, eu confesso todos os pecados que o povo de Israel cometeu neste último ano. Nós não conseguimos guardar todos os mandamentos fielmente, cometemos inúmeros pecados contra Ti e uns para com os outros, e fizemos o que Tu disseste que não devíamos fazer. Nós quebramos muitos dos Seus mandamentos no último ano. Nós mentimos, cometemos assassinatos, adultério, nós roubamos”. Deste modo, o Sumo Sacerdote passava todos os pecados do povo de Israel para o bode emissário impondo as mãos sobre a sua cabeça na presença de todos, e depois o enviava ao deserto pela mão de um homem à disposição para isso. 

Já que o salário do pecado é a morte, Deus não poderia deixar que o bode emissário vivesse depois de ter recebido os pecados do povo de Israel. O bode emissário que era enviado ao deserto tinha que sofrer e morrer ali, pois ele levava todas as iniquidades, culpas e transgressões do povo de Israel. Depois disso, todo o povo se alegrava na Festa dos Tabernáculos (Levítico 23:34), porque eles haviam sido libertos de todos os pecados do ano anterior no Dia da Expiação. 

A imposição de mãos era o meio pelo qual todos os pecados do povo eram passados para a oferta de sacrifício. Quando o Sumo Sacerdote impunha as mãos sobre o animal do sacrifício, todos os pecados que o povo de Israel havia cometido por um ano eram passados para ele de uma vez por todas. Todos os pecados de cada israelita passavam na mesma hora para a oferta de sacrifício pela imposição de mãos do Sumo Sacerdote. 

Todos os pecados das pessoas hoje em dia também podem ser passados para a oferta de sacrifício pela imposição de mãos, assim como as iniquidades do povo de Israel eram passadas do mesmo modo pelo Sumo Sacerdote no Antigo Testamento? Se isso não for possível, então, como as pessoas hoje podem receber a remissão de pecados? Quem pode transferir os seus pecados, como e quando? Segundo o sistema sacrificial criado por Deus nos dias do Antigo Testamento, Jesus Cristo tirou todos os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista nos dias do Novo Testamento. E assim como os pecados de um ano eram passados para o bode sacrificial de uma vez por todas por meio do sacrifício que era feito pelo Sumo Sacerdote no Dia da Expiação pela imposição de mãos, os nossos pecados foram passados para Jesus quando Ele foi batizado por João Batista, o último Sumo Sacerdote. Onde estão todos os pecados das pessoas hoje em dia então? Estão sobre a cabeça de Jesus Cristo.

Assim como o bode emissário recebia todos os pecados do povo de Israel pela imposição de mãos do Sumo Sacerdote, Jesus se tornou a oferta de sacrifício sem defeito para a eterna remissão de pecados de todos nós que vivemos atualmente. Jesus, que se tornou o nosso bode emissário, ofereceu a Si mesmo a Deus como O Cordeiro sacrificial para apagar todos os nossos pecados. Jesus, em outras palavras, foi batizado por João Batista e entregou a Si mesmo para ser crucificado, assim como Deus, no Antigo Testamento, exigia uma oferta de sacrifício para que o povo de Israel passasse os seus pecados para este animal, e ele, por sua vez, fosse condenado em seu lugar. 

O bode emissário que era enviado ao deserto não tinha como sobreviver, pois o sol ali era escaldante e não havia água. Do mesmo modo, Jesus não teve como evitar a crucificação, pois Ele já tinha recebido os pecados do mundo quando foi batizado. Assim como o bode emissário era abandonado no deserto inóspito, Jesus, que levou todos os pecados do mundo, também foi odiado e desprezado por muitos. Já que o bode sacrificial era levado ao deserto e deixado num lugar inóspito e desolador, ele vagava até que, no fim, acabava morrendo de sede. Do mesmo modo, Jesus recebeu todos os nossos pecados, foi rejeitado por muitas pessoas, foi crucificado para ser condenado pelos nossos pecados e derramou o Seu sangue até morrer. Esta foi a salvação que Jesus Cristo realizou por nós por meio do evangelho da água e do Espírito.

O povo de Israel via com os seus próprios olhos este processo pelo qual os seus pecados eram expiados e criam nele de todo o coração. Como eles, nós também podemos receber a remissão dos nossos pecados vendo, ouvindo e crendo de coração nas obras de justiça de Jesus Cristo. Elas nos mostram que Jesus Cristo foi batizado por João Batista, tirou os pecados do mundo, foi crucificado, derramou o Seu sangue, morreu e ressuscitou dos mortos, e que podemos ser salvos observando todas estas coisas com os nossos olhos espirituais e crendo nelas de coração. 

Este sacrifício do Dia da Expiação sempre haverá enquanto os israelitas continuarem existindo. E eles ainda oferecem o sacrifício do Dia da Expiação no décimo dia do sétimo mês do seu calendário, pois foi assim que Deus os ordenou: “Isto vos será por estatuto perpétuo, para fazer expiação uma vez por ano pelos filhos de Israel, por causa dos seus pecados. E fez Arão como o SENHOR ordenara a Moisés”. Ao fazer com que o povo de Israel oferecesse assim o sacrifício no Dia da Expiação, Deus derramava sobre eles a Sua misericórdia para que todos os seus pecados fossem perdoados e eles ficassem livres do castigo que viria por causa deles.

Do mesmo modo, Deus faz com que as pessoas hoje em dia entendam que Jesus levou sobre o Seu próprio corpo todos os pecados do mundo quando foi batizado por João Batista e morto na cruz, para que, assim, cumprisse plenamente a eterna purificação de pecados. Jesus Cristo levou sobre Si todos os pecados dos homens ao ser batizado e se tornou o eterno Sumo Sacerdote celestial. Agora, não nos resta mais nada a fazer para sermos salvos senão crermos nesta verdade. 



O Sacrifício da Grande Expiação que o Messias Ofereceu a Deus Pai com o Seu Próprio Corpo


Por que Deus ordenou ao povo de Israel que oferecesse a Ele um sacrifício no Dia da Expiação? Ele fez isso para que o povo contemplasse, pela fé, o dia em que Ele enviaria o Seu Filho Jesus Cristo para oferecer a grande expiação pelos pecados de todos os seres humanos ao ser batizado e derramar o Seu sangue. Foi por isso que Jesus Cristo, o Filho unigênito de Deus e Salvador de toda a humanidade, cumpriu todas as coisas por amor ao Pai e revelou o Seu amor ao homem. Ao ser batizado por João Batista para levar todos os pecados dos homens e derramar o Seu sangue na cruz, Jesus apagou todos os pecados e iniquidades do mundo, foi condenado por eles, e, assim, se tornou O nosso verdadeiro Salvador.

Deus primeiro chamou Moisés e lhe deu a Lei. Depois, Ele ordenou que construísse o Tabernáculo usando materiais como os tecidos, azul, púrpura e carmesim e o tecido de linho fino retorcido, e também entregou a ele o sistema sacrificial. Ao fazer isso, Deus fez com que o povo de Israel entendesse a importância da imposição de mãos e do sangue derramado. Além disso, Ele lhes mostrou Jesus Cristo, a porta da salvação profetizada no Tabernáculo, que viria a esta Terra, levaria sobre Si os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista, seria crucificado e derramaria o Seu sangue. A salvação através da purificação de pecados que Deus nos deu é expressa claramente nos materiais usados na entrada do Tabernáculo.

Dentre todos os materiais usados na entrada do Tabernáculo, o tecido azul significa que Jesus levou sobre Si os pecados do mundo de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista; o tecido púrpura, que Jesus é o Rei dos reis e Senhor dos senhores, pois Ele é o verdadeiro Deus que criou o Universo; o tecido carmesim nos mostra que Jesus foi batizado e condenado no lugar de todos os pecadores ao derramar o Seu sangue na cruz; e o tecido de linho fino retorcido nos mostra que a Bíblia descreve detalhadamente estes três ministérios manifestados nos tecidos, azul, púrpura e carmesim, e que Deus concedeu a remissão de pecados àqueles que realmente creem na sua Palavra.

Agora, todos os crentes precisam se lembrar disso e crer nesta verdade, ou seja, que Jesus Cristo é o seu Salvador e que Ele purificou todos os seus pecados ao ser batizado por João Batista e ao derramar o Seu sangue na cruz. É assim que eles têm que receber a remissão de pecados, pois isso é manifestado nos tecidos, azul, púrpura e carmesim e no tecido de linho fino retorcido que são usados no material do Tabernáculo. Deus estabeleceu a lei da salvação através de Moisés, que é a lei da remissão de pecados para o homem. E quando chegou a hora, Ele enviou Jesus Cristo a esta Terra e fez com que Ele fosse batizado por João Batista e derramasse o Seu sangue, se tornando assim a oferta de sacrifício que purificou os pecados do mundo. Ao fazer isso, Deus fez com que todos que realmente cressem fossem purificados de todos os seus pecados pela fé. Por isso, já que confessamos crer em Jesus Cristo como O nosso Salvador, temos que crer no batismo que Ele recebeu e no Seu sangue derramado na cruz. Assim como a oferta de sacrifício do Antigo Testamento recebia todas as iniquidades dos pecadores pela imposição de mãos e era condenada em seu lugar ao ter o seu sangue derramado, Jesus Cristo veio a esta Terra como a oferta pelos pecados de todos, levou sobre Si os pecados do mundo ao ser batizado, foi crucificado e derramou o Seu precioso sangue, e assim apagou para sempre, e de uma vez por todas, os pecados daqueles que creem nesta verdade.

Nós temos que crer na verdade da Palavra exatamente como ela é. A verdade bíblica é que Jesus Cristo veio a esta Terra, foi batizado, crucificado e derramou o Seu sangue para nos salvar de todos os pecados do mundo de uma vez por todas por meio do mesmo método pelo qual o Sumo Sacerdote no Antigo Testamento oferecia o sacrifício no Dia da Expiação. Sendo assim, temos que crer na Bíblia exatamente como ela foi escrita. Nós não tínhamos como evitar a condenação eterna por causa dos nossos pecados, mas Jesus Cristo veio a esta Terra e nos salvou de todos os nossos pecados ao ser batizado e derramar o Seu sangue.

E já que foi assim que Deus perdoou todos os nossos pecados, não crer nisso é o mesmo que cometer um pecado que não pode ser perdoado por Ele. Deus apagou todos os pecados do mundo a não ser um, ou seja, “o pecado da blasfêmia contra o Espírito Santo”. (Marcos 3:28-29). Portanto, aqueles que de fato querem receber a remissão de pecados têm que crer na verdade de que Jesus Cristo foi batizado, derramou o Seu sangue, ressuscitou dos mortos, e assim nos livrou de todos os pecados do mundo. O que mais você poderia fazer para receber a remissão dos seus pecados além de ter esta fé? Chegou a hora de você conhecer o que é a verdade do evangelho da água e do Espírito e crer nesta verdade.

Todos precisam entender e crer que a verdade encontrada nos tecidos, azul, púrpura e carmesim e no tecido de linho fino retorcido da entrada do Tabernáculo é o evangelho da verdadeira salvação, a figura de Jesus Cristo que haveria de vir. E já que cremos em Jesus Cristo, temos que crer também que o batismo que Ele recebeu e o sangue que Ele derramou na cruz são essenciais para a nossa salvação. A verdade irrefutável e irrevogável é que Jesus trouxe a salvação aos crentes por meio do Seu batismo, do Seu sangue derramado na cruz e da Sua ressurreição dentre os mortos, e que Ele fez tudo isso realmente para nos salvar de todos os pecados do mundo. 



O Sacrifício que Deus Pai Queria do Seu Filho


Vamos ler Hebreus 10:5-9: “Por isso, ao entrar no mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste; antes, um corpo me formaste; não te deleitaste com holocaustos e ofertas pelo pecado. Então, eu disse: Eis aqui estou (no rolo do livro está escrito a meu respeito), para fazer, ó Deus, a tua vontade. Depois de dizer, como acima: Sacrifícios e ofertas não quiseste, nem holocaustos e oblações pelo pecado, nem com isto te deleitaste (coisas que se oferecem segundo a lei), então, acrescentou: Eis aqui estou para fazer, ó Deus, a tua vontade. Remove o primeiro para estabelecer o segundo”.

O que esta passagem bíblica quer dizer é que Deus não quer sacrifícios nem ofertas porque não tem prazer neles? Esta passagem é uma citação do livro de Salmos 40:6-7. Ela quer dizer que todos os pecados do mundo não poderiam ser apagados com os sacrifícios diários do Antigo Testamento, mas que, para oferecer um sacrifício eterno pelos pecados, Jesus Cristo veio a esta Terra, foi batizado, derramou o Seu sangue, ressuscitou dos mortos, e, assim, se tornou O Salvador de todos nós. O significado de Salmos 40:7, que diz: “Então, eu disse: eis aqui estou, no rolo do livro está escrito a meu respeito”, é que Jesus Cristo veio a esta Terra e purificou todos os pecados pela imposição de mãos e com o Seu sangue derramado, exatamente como está escrito no Antigo Testamento. 

Nos dias do Antigo Testamento, os pecados do povo de Israel eram remidos quando o animal do sacrifico era oferecido a Deus no Dia da Expiação, recebendo a imposição de mãos do Sumo Sacerdote e tendo o seu sangue derramado. Do mesmo modo, Jesus Cristo, que veio a esta Terra para ser a eterna oferta de sacrifício por toda a humanidade, levou sobre Si os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista na forma de imposição de mãos, foi crucificado, condenado por levar à cruz todos os pecados do mundo, e derramou o Seu sangue até à morte. Ao fazer isso, Jesus concedeu a eterna salvação a todo aquele que crê. 

Exatamente como Deus havia prometido no sistema do Tabernáculo, Jesus veio a esta Terra no tempo do Novo Testamento e nos salvou de uma vez por todas. E aqueles que creem na Sua salvação já foram remidos de todos os seus pecados. Vemos no Tabernáculo a promessa de Deus de que Jesus apagaria de uma vez por todas e para sempre o pecado das pessoas quando fosse batizado e derramasse o Seu sangue. E Ele, de fato, veio e cumpriu a promessa da salvação sendo realmente batizado e derramando o Seu sangue, cumprindo, assim, a Palavra de Deus com perfeição. Em outras palavras, todas as promessas da salvação de Deus foram cumpridas em Jesus Cristo.

O povo de Israel crê que somente a Lei e as palavras dos Profetas do Antigo Testamento são a Palavra de Deus. Eles não creem que Jesus Cristo, que veio nos dias do Novo Testamento, é Deus e Salvador. Todas as pessoas deste mundo, inclusive o povo de Israel, precisam entender que Jesus Cristo é o próprio Deus e aceitar em seus corações que Ele, de fato, é o Messias que viria.



Por que Jesus Veio a Este Mundo?


Já que Jesus veio para cumprir a vontade de Deus, Ele é O Salvador de todos os que creem que Ele veio a este mundo para purificar para sempre todos os nossos pecados. Como Hebreus 10:10 afirma: “Nessa vontade é que temos sido santificados, mediante a oferta do corpo de Jesus Cristo, uma vez por todas”. Nós temos que crer e entender claramente que foi pela vontade de Deus Pai que Jesus Cristo nasceu nesta Terra, que foi segundo a vontade Dele que Ele foi batizado, derramou o Seu sangue na cruz até morrer, ressuscitou dos mortos e se tornou O Salvador de todos que creem Nele. Para salvar a humanidade e apagar todos os nossos pecados segundo a vontade de Deus, Jesus Cristo teve que ser batizado e derramar o Seu sangue. Deste modo, Ele mesmo se entregou para ser sacrificado, nos dando uma perfeita salvação assim.

Já que Jesus Cristo se sacrificou para apagar não somente os pecados do povo de Israel, mas de todos os gentios também, nós só poderemos ser salvos se crermos nisso de todo coração. Ao longo dos seus trinta e três anos de vida, Jesus só foi batizado uma vez, sacrificado uma só vez, mas estes Atos de Justiça do nosso Salvador salvaram os pecadores deste mundo de uma vez por todas. Esta é a única e perfeita salvação. Já que Jesus apagou todos os pecados cometidos pelo homem desde o início até o fim do mundo de uma vez por todas, Ele faz com que sejamos salvos de uma vez por todas pela fé também. Ao oferecer o Seu próprio corpo de uma vez por todas, Jesus Cristo nos tornou perfeitos para sempre. E já que Ele foi batizado por João Batista e condenado por todos os nossos pecados quando derramou o Seu sangue, nós agora temos que crer de coração neste legítimo evangelho para sermos salvos de todos os nossos pecados. Jesus Cristo veio a esta Terra segundo a vontade de Deus para tirar todos os nossos pecados e pagar o preço pela nossa vida. E, segundo a vontade do Pai, Ele nos revelou a perfeita salvação que recebemos por causa do Seu amor.

A Palavra de Deus com toda certeza é a verdade que você e eu que vivemos nesta sociedade moderna temos que crer. Nós não podemos separar o batismo de Jesus e o sangue que Ele derramou na cruz, e sim crer em ambos tendo a certeza de que eles são a única verdade que pode nos salvar de modo perfeito. Mas se não fizermos isso, nós certamente não receberemos a eterna remissão de pecados. É por isso que temos que crer segundo o que diz a Palavra de Deus, segundo a verdade do evangelho da água e do Espírito. O evangelho da água e do Espírito reflete a luz da salvação, mas se adicionarmos ou tirarmos algo deste verdadeiro evangelho enquanto crermos em Deus, ou se não crermos na verdade como ela é, então a luz do evangelho da salvação ficará oculta e apagará, desaparecendo para sempre. 

Nós não podemos cair na ilusão de que a verdade do evangelho da água e do Espírito nada mais é do que mais uma das várias doutrinas que há neste mundo, como fazem os cristãos pecadores. Eles ensinam que é possível receber a remissão de pecados fazendo orações de arrependimento, pedindo a Deus que perdoe os seus pecados todos os dias. Deus diz claramente em Hebreus 10:11: “Ora, todo sacerdote se apresenta, dia após dia, a exercer o serviço sagrado e a oferecer muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca jamais podem remover pecados”. Deus nos diz aqui que os pecados que cometemos todos os dias não podem ser purificados simplesmente porque pedimos a Ele que os perdoe tendo fé apenas no sangue derramado na cruz. 

Já que o sacrifício que Jesus Cristo ofereceu a Deus Pai ao ser batizado por João Batista e morrer na cruz foi o sacrifício perfeito para a salvação, nós somos totalmente salvos crendo neste sacrifício. Os pecados do mundo foram passados para Jesus Cristo de uma vez por todas quando Ele foi batizado por João Batista; e foi por causa disso que Ele pôde levá-los à cruz, ser condenado por eles e morrer com eles. Por este motivo, os pecados daqueles que creem no Seu batismo e no Seu sangue derramado já foram purificados.

Por crermos no batismo que Jesus Cristo recebeu e no sangue que Ele derramou na cruz, nós também morremos e ressuscitamos com Ele pela fé. Romanos 6:23 afirma que “o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor”. O salário do pecado é a morte, e isso vale para todos. Então, este salário tem que ser pago com a vida. Foi por isso que Jesus teve que vir a esta Terra encarnado como um homem, ser batizado por João Batista e derramar o Seu sangue na cruz. Nossos pecados foram de fato passados para Jesus quando Ele foi batizado, e ao receber estes pecados e morrer na cruz, Ele pagou o preço por eles e assim os apagou de uma vez por todas. Apesar disso, embora Deus nos tenha dado este verdadeiro evangelho, muitos ainda dizem que Deus perdoa os Seus pecados pessoais todos os dias. Eles simplesmente não conhecem a verdade do evangelho da água e do Espírito.

Quando alguém tem pecados no coração, estes pecados fazem com que ele viva com medo de Deus. A verdade é que há muitas pessoas que, por não conhecerem o evangelho da água e do Espírito e ainda não terem sido purificadas dos seus pecados, vivem com medo e sofrendo por causa do sentimento de culpa. No entanto, Jesus veio a esta Terra para salvá-las de todos os seus pecados, foi batizado por João Batista, derramou o Seu sangue na cruz, e assim as salvou de um modo perfeito. Por que nos preocupar então, já que o evangelho da água e do Espírito, o evangelho da salvação de Deus, já nos salvou completamente e nos livrou da condenação do pecado? 

Aqueles que sabem e realmente creem que Jesus apagou todos os pecados do homem com o evangelho da água e do Espírito podem ser salvos de um modo perfeito pela fé, já que Deus prometeu que “ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã”. (Isaías 1:18). Todos nós podemos ser salvos pela fé, porque ao ser batizado, Jesus recebeu os pecados do mundo segundo o sistema sacrificial do Antigo Testamento, pelo qual todos os pecados do povo eram passados para a oferta de sacrifício pela imposição de mãos. Jesus só pôde morrer na cruz porque antes recebeu sobre Si os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista; e nós só pudemos ser salvos de todos os nossos pecados pela fé porque a salvação de Deus profetizada no Antigo Testamento foi cumprida. 

Mas apesar desta verdade irrefutável, ainda vemos que algumas pessoas simpatizam com Jesus e creem Nele apenas pela emoção. Eles clamam e choram todos os dias para que a sua fé venha a crescer, porque a base dela é apenas se comover com a dor terrível que Jesus sofreu na cruz. O coração destas pessoas está totalmente enganado e desviado da verdade; e é por isso que elas precisam deixar esta fé errada. Você e eu é que precisamos da misericórdia de Deus que Jesus, nosso Salvador, nos deu por meio do Seu batismo e do Seu sangue, e não é Ele que precisa da nossa afeição ou devoção. A verdade pura e simples é que nós é que precisamos desesperadamente de Jesus Cristo, O nosso Salvador. Mas mesmo assim, há muitos que creem em Deus à sua maneira, achando que Ele é que precisa deles, como se Ele estivesse implorando para que eles cressem Nele. Mas esse tipo de fé ignorante é o que Deus mais despreza. 

A fé daqueles que dizem abertamente a Jesus que creem Nele, como se estivessem fazendo um favor para Ele, os fazem acreditar que estão num nível maior do que Deus; e é por essa razão que, em sua arrogância, eles não aceitam em seus corações o evangelho da água e do Espírito que pode salvá-los de um modo perfeito dos pecados. Seu respeito pela Palavra de Deus é tão pequeno que eles nunca concordam com o que os outros dizem, desrespeitando e zombando deles, como se estivessem fazendo um favor a Deus e mostrando a sua afeição por Ele crendo assim. No fim, eles se revelam como aqueles que não creem no batismo e no sangue que Jesus derramou para remir os seus pecados e acabam se voltando contra Deus. Eles creem que os seus pecados podem ser purificados com as suas sofridas orações de arrependimento, mas sem crer no evangelho da água e do Espírito. Por tomarem o nome de Deus em vão, eles não sabem nem creem que Jesus Cristo, O Salvador, apagou totalmente os seus pecados. E é por isso que eles não podem ser salvos.

Deus disse: “Terei misericórdia de quem me aprouver ter misericórdia e compadecer-me-ei de quem me aprouver ter compaixão”. (Romanos 9:15). Se Deus, em sua misericórdia, resolveu salvar os pecadores com a lei da salvação, Ele então fará isso exatamente como planejou. É por isso que temos que crer no evangelho da água e do Espírito, pois só assim nós receberemos a verdadeira salvação. Aqueles que não creem na verdade do evangelho da água e do Espírito descobrirão na prática como é grande o castigo de Deus e como é terrível a Sua ira. Por outro lado, aqueles que creem no evangelho da água e do Espírito verão como é realmente grande o misericordioso amor de Deus. Todo aquele que reconhece os seus pecados diante de Deus e crê no evangelho da água e do Espírito, o evangelho da perfeita salvação de Deus, será liberto de todos os seus pecados. 

Aqueles que creem que Jesus Cristo levou todos os seus pecados ao ser batizado são libertos de todos os seus pecados. Por outro lado, aqueles que desprezam esta verdade terão uma terrível condenação por causa dos seus pecados. Sendo assim, todos neste mundo têm que crer no evangelho da água e do Espírito, a grande verdade da salvação. Os pecadores que não temem o juízo de Deus e não creem no evangelho da água e do Espírito com toda certeza serão condenados por seus pecados. Mas aqueles que creem na verdade de Jesus Cristo sobre a purificação de pecados serão salvos de todos os seus pecados. 

Todos os que têm pecados em suas consciências estão doentes, e é por isso que eles inventam doutrinas sem fundamento sobre a salvação que são totalmente diferentes do genuíno evangelho da água e do Espírito. Eles tentam aliviar o peso das suas consciências com falsas doutrinas. Alguns até dizem assim: “Já que eu creio em Jesus, não tem problema algum eu ter pecado em meu coração”. Mas não podemos esquecer que todos que têm pecados no coração com certeza serão lançados no inferno, porque Deus trará o justo juízo a essas pessoas por causa dos seus pecados. Como eles estão do lado de Satanás, Deus de forma alguma pode deixá-los sair impunes.

No entanto, aqueles que conhecem a justiça de Deus e sabem que certamente serão julgados por seus pecados clamam a Deus por Seu misericordioso amor, querem de coração ser salvos de todos os seus pecados, buscam a verdade e querem estar ao lado de Deus. Estas pessoas têm que conhecer a verdade, que Jesus Cristo levou todos os pecados dos homens ao ser batizado. Todo pecador tem que receber a remissão de pecados crendo nisso. Ao ser batizado, Jesus recebeu todos os pecados do mundo inteiro de uma vez por todas, morreu na cruz, e, assim, apagou todos os nossos pecados e nos fez justos.

Todos nós temos que entender claramente o que é a verdadeira salvação através do evangelho da água e do Espírito. E também termos no coração a verdadeira fé que nos leva a crer neste evangelho. Todos os que creem nesta verdade de coração, por mais que tenham cometido todos os tipos de pecados, são purificados de todos eles pela fé, recebem a verdadeira remissão de pecados e a vida eterna. Você quer crer agora na palavra deste evangelho que faz desaparecer todos os pecados do seu coração? Quem crer neste evangelho da água e do Espírito com toda certeza receberá de Deus a remissão de pecados. 



Suas Orações de Arrependimento Não Podem Salvá-lo


A maioria dos cristãos faz orações de arrependimento hoje em dia pedindo a Deus que perdoe os seus pecados. Eles vivem uma vida de fé onde fazem ofertas de sacrifício a Deus todos os dias, como nos dias do Antigo Testamento. Mas esta não é a vida de fé que você deve viver. Será que Jesus derrama o Seu sangue na cruz para purificar os seus pecados sempre que você faz orações de arrependimento? Não é bem assim. A verdade é que você precisa purificar todos os seus pecados de uma vez por todas crendo no poder do batismo de Jesus e no Seu sangue derramado que dura para sempre. Aqueles que tentam purificar os seus pecados fazendo orações de arrependimento todos os dias não podem receber a eterna remissão de pecados, muito menos ter a fé que os leva a receber a verdadeira salvação também. 

Se os pecados de todos pudessem ser perdoados com orações de arrependimento ou com qualquer ritual criado pelo homem, Deus então não teria criado a Lei que declara que o salário do pecado é a morte. As pessoas têm que dar a oferta pela qual todos os seus pecados são passados para o corpo de Jesus pela fé, a fim de que sejam remidas dos seus pecados. O que nós precisamos não é ter o tipo de fé que faz orações de arrependimento todos os dias, mas aquela que crê no evangelho da água e do Espírito e no sangue derramado na cruz, que são manifestados nos tecidos, azul, púrpura e carmesim e no tecido de linho fino retorcido que são usados na entrada do Tabernáculo. Em outras palavras, nós temos que entender que somente a fé no evangelho da água e do Espírito pode nos dar a verdadeira purificação de pecados; e temos que crer nisso de todo o coração.

Assim como os pecadores do Antigo Testamento passavam os seus pecados para o animal do sacrifício impondo as suas mãos sobre a sua cabeça quando ofereciam a oferta pelo pecado, nós também temos que passar os nossos pecados para Jesus Cristo crendo no Seu batismo. E é com esta fé, que nos leva a crer tanto no batismo quanto no Seu sangue derramado na cruz, que nós temos que buscar a Deus e receber a eterna remissão de pecados. Deus disse: “Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação”, “E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo”. (Romanos 10:10, 17). 

João 1:29 diz: “No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!”. Esta passagem descreve o testemunho que João Batista deu um dia após ter batizado Jesus. Quando viu Jesus vindo até ele, João Batista disse: “Vejam! Ali vem o Messias!”. Isso causou grande emoção na multidão que estava junto a João Batista. Ele clamou bem alto: “Vejam! Ali está O Cordeiro de Deus! Ele não é outro senão o Filho de Deus, O próprio Cordeiro de Deus que tirou os pecados do mundo através de mim. Ele é o nosso Salvador. Vejam! Ali vai O Cordeiro de Deus que tirou os pecados do mundo!”. Mas João só pôde dar testemunho de Jesus assim porque ele mesmo havia passado todos os pecados do mundo para Ele quando o batizou. E como João Batista passou todos os pecados do mundo ao batizá-lo da maneira mais perfeita, Jesus Cristo se tornou O Cordeiro de sacrifício sem defeito que tirou todos os nossos pecados segundo a vontade de Deus Pai.

No Antigo Testamento, a remissão de pecados era recebida dando ofertas de sacrifício a Deus, mas no Novo Testamento, somente pela fé que crê plenamente no batismo de Jesus e no Seu sangue na cruz é que podemos ser remidos de todos os nossos pecados. Como Deus aceitava ovelhas, bodes e novilhos como ofertas de sacrifício para apagar os pecados do povo de Israel, inúmeros animais eram degolados, sacrificados, cortados em pedaços e queimados no altar de ofertas queimadas. Milhares de animais eram sacrificados por causa dos pecados dos seus donos.

No Novo Testamento, contudo, Jesus não ofereceu um animal como sacrifício, mas ofereceu o Seu próprio corpo por nós. E já que Jesus, O Cordeiro de Deus, veio a esta Terra, aceitou os pecados do mundo sobre O Seu corpo por meio do Seu batismo e derramou o Seu sangue na cruz, Ele fez com que todos os que creem nesta verdade sejam salvos de todos os seus pecados de uma vez por todas. Foi para apagar os nossos pecados para sempre que Jesus Cristo veio a nós pela água, pelo sangue e pelo Espírito. 

Deus agora quer que eu e você creiamos nesta verdade da verdadeira salvação. Ele está nos dizendo: “Eu apaguei todos os seus pecados, pois Eu lhes amo muito. Foi assim que Eu lhes salvei. Creiam então! Eu apaguei todos os seus pecados dando o meu próprio Filho como oferta pelos pecados por vocês. Eu permiti que meu Filho vivesse nesta Terra por trinta e três anos, fosse batizado, derramasse o Seu sangue na cruz em seu lugar, e, ao fazer isso, Eu lhes livrei totalmente de todos os seus pecados e da condenação. Agora, crendo nesta verdade, vocês podem se tornar os filhos que Eu tanto amo e que Eu quero receber em meus braços”. Conheçam esta verdade e creiam nela de coração! Os que creem no batismo que Jesus Cristo recebeu e no sangue que Ele derramou não apenas serão salvos de todos os seus pecados, mas também terão o direito de serem feitos filhos de Deus.



Jesus Remiu Mesmo Todos os Pecados deste Mundo?


Vamos ler Hebreus 10:14-18: “Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados. E disto nos dá testemunho também o Espírito Santo; porquanto, após ter dito: Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei no seu coração as minhas leis e sobre a sua mente as inscreverei, acrescenta: Também de nenhum modo me lembrarei dos seus pecados e das suas iniquidades, para sempre. Ora, onde há remissão destes, já não há oferta pelo pecado”.

Esta passagem das Escrituras deixa algo bem claro: “Ora, onde há remissão destes, já não há oferta pelo pecado”. Ouçam estas notícias maravilhosas! Todos os nossos pecados foram passados para Jesus por meio do batismo que Ele recebeu. E não somente todos os pecados que você e eu cometemos ao longo de nossas vidas inteiras, mas também os pecados de todo o mundo foram passados para Ele. Para cumprir toda a justiça de Deus, Jesus foi batizado nas águas pelo método da imposição de mãos, e, assim, permitiu que todos os nossos pecados fossem passados para Ele. E levando todos os pecados do homem sobre Si, Ele foi condenado e crucificado por todos eles. Por isso, aqueles que creem em Jesus e nesta verdade agora estão livres de toda condenação. Assim como o Sumo Sacerdote passava os pecados do povo de Israel para o animal do sacrifício impondo as mãos sobre a sua cabeça, João Batista passou todos os nossos pecados para Jesus ao batizá-lo. E Jesus, por sua vez, aceitou todos estes pecados e foi crucificado, livrando do pecado assim todos os que creem Nele. Sendo assim, aqueles que creem nesta verdade celestial recebem o direito de serem feitos filhos de Deus. 

Romanos 10:10 afirma: “Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação”. Todos vocês têm que entender que só crendo na justiça de Deus é que os seus corações podem ser justificados; e só crendo na verdade da salvação de coração é que vocês podem receber a remissão de pecados e entrar no Céu. Meus amados irmãos, vocês já foram salvos crendo de coração e confessando com as suas bocas que o batismo e o sangue de Jesus são os elementos essenciais que constituem a “justiça de Deus”, “a verdade da salvação” e “o evangelho da remissão de pecados?”. No sistema sacrificial, os pecados dos israelitas não eram apagados apenas sacrificando um animal, mas também impondo as mãos sobre ele para passar os pecados. Do mesmo modo, se vocês creem no sangue derramado na cruz, mas deixam de fora o batismo de Jesus, todos os seus pecados não podem ser purificados. 

“Também de nenhum modo me lembrarei dos seus pecados e das suas iniquidades, para sempre. Ora, onde há remissão destes, já não há oferta pelo pecado”. (Hebreus 10:17-18). Por que Deus diz aqui que não se lembrará mais dos nossos pecados? Embora não possamos evitar os pecados até o dia da nossa morte, já que Jesus levou sobre Si todos os pecados do mundo de uma vez por todas ao ser batizado, a nossa salvação agora está garantida e durará para sempre; e aqueles que creem nisso não têm mais pecados.

A “justiça de Deus” significa a Sua própria justiça. A justiça de Deus nos mostra que assim como Ele é Santo, aqueles que creem no evangelho da água e do Espírito também são santos e não têm pecados. Desde o início, Deus nos amou tanto que quis nos fazer seus filhos. Porém, por mais que Ele quisesse fazer isso, Ele não podia por causa dos nossos pecados. Mas Ele encontrou uma solução para este problema.

Deus mandou que os israelitas separassem animais sem defeito para que eles os oferecessem como oferta de sacrifício, impondo as mãos sobre eles para que fossem purificados de todos os seus pecados. E como esta é uma figura da verdadeira salvação, Jesus Cristo não hesitou em ser batizado, se tornou a nossa oferta de sacrifício, foi condenado em nosso lugar, e, assim, ofereceu o Seu corpo como sacrifício eterno pelos pecados. E por meio desta oferta pelos pecados, Deus cumpriu a Sua providência purificando os verdadeiros crentes dos seus pecados e fazendo deles os seus próprios filhos. Agora, quem crê neste evangelho da verdade é remido por Deus de todos os seus pecados. Como Jesus já purificou todos os pecados do mundo ao ser batizado, se crermos neste Jesus que apagou os pecados dos homens ao ser condenado substituindo-os, nós não precisaremos mais dar nenhuma oferta pelos nossos pecados. Nós ainda temos que oferecer sacrifício pelos nossos pecados, irmãos? Não, claro que não!

Você sabe por que Jesus foi crucificado, mesmo sendo puro e sem pecados? Embora tenha sido crucificado, Jesus não tinha nenhum pecado, nenhum sequer. Jesus só morreu em nosso lugar porque recebeu todos os pecados dos homens ao ser batizado no Rio Jordão. Ele só morreu na cruz porque já tinha recebido todos os pecados do mundo ao ser batizado e estava pronto para cumprir toda a justiça. E já que o Filho de Deus foi batizado assim para cumprir toda a justiça, como poderíamos deixar de sermos gratos a Ele? Jesus só pôde suportar calado a dor na cruz, como uma ovelha diante dos seus tosquiadores, porque já tinha tirado todos os pecados do mundo. Todos nós jamais podemos nos esquecer do batismo e da cruz, porque se Ele não tivesse sido condenado e crucificado, nós teríamos que ser condenados, com toda a certeza. 

Nosso Senhor Jesus não apenas levou sobre Si os nossos pecados, mas também foi condenado por eles. Melhor dizendo, Jesus, O próprio Salvador, que levou sobre Si os nossos pecados, se fez a nossa oferta pelos pecados e sofreu calado na cruz, a fim de nos salvar dos pecados e cumprir toda a vontade de Deus. É por isso que a Bíblia diz: “Ora, onde há remissão destes, já não há oferta pelo pecado. Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus”. (Hebreus 10:18-19). 

Você entende agora por que Jesus Cristo foi crucificado? Nós não podemos crer somente no sangue que Jesus derramou na cruz, mas sim entender a razão pela qual Ele teve que morrer sobre ela. Além disso, temos que entender o motivo pelo qual Jesus foi batizado e crer nisso. Se você e eu quisermos saber onde e como exatamente todos os nossos pecados foram purificados, temos que crer que isso aconteceu porque Jesus foi batizado por João Batista no Rio Jordão. 



Nós Podemos Ser Salvos de Todos os Nossos Pecados Quando Conhecemos a Verdade do Evangelho da Água e do Espírito e Cremos Nela


O que eu tendo dito a vocês até agora é a verdade do evangelho da água e do Espírito, que a Bíblia fala de modo tão específico. E esta verdade é a salvação que foi planejada antes mesmo da fundação do mundo e que é encontrada nos tecidos, azul, púrpura e carmesim, o material usado na entrada do Tabernáculo. Junto com os meus colaboradores, eu tenho pregado esta verdade encontrada nos tecidos, azul, púrpura e carmesim a várias pessoas neste mundo. E até agora, até este exato momento, este evangelho está sendo pregado no mundo inteiro por meio dos nossos livros cristãos.

Entretanto, ainda há muitos que dizem crer em Jesus, apesar de não conhecerem o evangelho da água e do Espírito. Eu digo que estas pessoas são tolas, pois este evangelho da água e do Espírito é a verdade central que nos fala do sistema sacrificial verdadeiro cumprido por Jesus Cristo, o verdadeiro elemento que aponta para a salvação manifestada no Tabernáculo. Agora é a sua vez. Se você cria em Jesus, mas sem conhecer esta grande verdade, agora é a hora de você voltar atrás, crer neste evangelho da água e do Espírito e receber a remissão de todos os seus pecados. 

O batismo de Jesus e a Sua morte na cruz foram profetizados antes da fundação do mundo; e também os encontramos nos tecidos, azul, púrpura e carmesim e no tecido de linho fino retorcido. Mas para cumprir tal promessa, e para nos salvar, de fato, de todos os nossos pecados, Jesus foi batizado, morreu na cruz, ressuscitou dos mortos, e agora está assentado à destra de Deus Pai. Você ainda está tentando crer em Jesus sem conhecer esta verdade, confiando apenas nas suas próprias experiências e emoções? Há muitos assim neste mundo, mas eles agora devem deixar as suas fés erradas e crer de todo o coração na verdade do evangelho da água e do Espírito, oculta nos tecidos, azul, púrpura e carmesim e no tecido de linho fino retorcido, e encontrada na entrada do Tabernáculo.

Hebreus 10:19-20 diz assim: “Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne”. Depois de levar todos os pecados do mundo ao ser batizado, Jesus Cristo foi crucificado e o véu do Templo rasgou-se no meio; os pecados da humanidade foram purificados por meio do batismo de Jesus e do Seu sangue vertido na cruz. O véu do Templo, feito também de tecidos, azul, púrpura e carmesim e de tecido de linho fino retorcido, era tão resistente que não poderia ser rasgado mesmo que as suas quatro pontas fossem amarradas a cavalos e puxadas opostamente por eles. O fato de este véu resistente do Templo ter sido rasgado de cima abaixo, embora ninguém o tenha tocado, revela que no momento em que Jesus Cristo completou a Sua missão, as portas do Céu foram abertas. Além disso, o fato de o véu do Templo ter sido rasgado de cima a baixo também significa que os muros do pecado ruíram, e que foi Jesus Cristo que os trouxe a baixo.

O que significa então os muros do pecado terem ruído? Significa que todos podem ser remidos de seus pecados crendo no batismo que Jesus Cristo recebeu e no Seu sangue vertido na cruz. O que Deus quis manifestar através do véu rasgado no Templo é que a salvação do homem foi realizada de uma vez por todas por meio dos ministérios de Jesus expressos nos tecidos, azul, púrpura e carmesim e no tecido de linho fino retorcido. Foi por causa da promessa da expiação eterna feita por Deus que o véu do Santo dos Santos, feito de tecidos, azul, púrpura e carmesim e de tecido de linho fino retorcido, foi rasgado de cima a baixo, não por mãos de homens, mas pelas Mãos do próprio Deus. 

Isso releva que Jesus Cristo, que se tornou o sacrifício eterno pelos pecados dos homens, salvou de um modo perfeito aqueles que creem no evangelho da água e do Espírito. Deus decidiu que todo aquele que cresse no batismo que Jesus Cristo recebeu e no Seu sangue derramado na cruz poderiam receber a remissão de pecados e estar na Sua presença. Você crê nesta verdade ou não?

Assim como Deus nos amou, Jesus Cristo, O Seu Filho, também fez o mesmo. E Ele nos deu a perfeita salvação quando foi batizado por João Batista e crucificado. Quando recebemos este amor de Deus que nos foi dado por meio de Jesus Cristo, e quando cremos na verdade que nos permite entrar no Reino de Deus, todos os nossos pecados desaparecem. Quando cremos no evangelho da água e do Espírito, até os nossos pecados pessoais são tirados, pois todos eles e a condenação por causa deles já foram eliminados com o batismo de Jesus e o Seu sangue vertido na cruz. 

Hebreus 10:22 diz assim: “Aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado de má consciência e lavado o corpo com água pura”. A Bíblia sempre fala da purificação dos pecados. E podemos ser salvos de todos os nossos pecados crendo na verdade de que Jesus Cristo com o Seu batismo nos purificou de todos os pecados que cometemos em nosso corpo e nossa mente. Assim como o Sumo Sacerdote purificava as suas impurezas na pia de bronze depois de oferecer o sacrifício, após termos todos os nossos pecados purificados crendo no batismo de Jesus, também temos que nos lembrar desta verdade todos os dias. Assim como o Sumo Sacerdote se lavava na pia de bronze, nós também temos que nos lavar de nossos pecados pessoais nos lembrando e crendo todos os dias que todos eles já foram purificados com o batismo de Jesus, pois já que vivemos neste mundo, às vezes somos expostos a todo tipo de impureza. 

Todos os nossos pecados, tenham eles sido cometidos no corpo, na mente ou no coração, pertencem aos pecados do mundo. Com que fé, então, podemos ser purificados de todos os pecados do mundo? Nós só podemos ser purificados de todos eles crendo no batismo que Jesus recebeu. E aqueles que já foram purificados crendo no batismo de Jesus têm que manter os seus corações puros, e sempre que cometerem pecados eles devem purificá-los pela fé. Aqueles que se lembram do batismo de Jesus todos os dias e lavam as suas vestes pela fé são abençoados. E já que todos os nossos pecados foram passados para Jesus Cristo por meio do batismo que Ele recebeu de João Batista, nós podemos ser libertos de todos eles para sempre meditando nesta verdade e crendo nela todos os dias. 

Você tem que crer no evangelho da água e do Espírito porque todos os seus pecados já foram passados para Jesus Cristo quando Ele foi batizado por João Batista. Você não tem nada a perder por crer neste evangelho, pois o Deus onipotente já o havia planejado antes da fundação do mundo, antes mesmo dos dias do Antigo Testamento. A verdade é que Jesus Cristo recebeu todos os nossos pecados ao ser batizado no Rio Jordão e foi condenado por todos eles indo à cruz, a fim de nos levar a alcançar a justiça de Deus e a Sua salvação. Esta verdade nos faz entender que Jesus, o Rei dos reis, nos salvou para sempre dos pecados. E esta água pura do batismo de Jesus foi aspergida em nosso coração para que o nosso corpo e a nossa mente fossem purificados perfeitamente. Esta água pura do batismo de Jesus representa o próprio evangelho da água e do Espírito. O evangelho da água e do Espírito é a Palavra indispensável para a sua vida, e brilha ainda mais quando você crê nela. 

Durante os três anos de sua vida pública, a primeira coisa que Jesus fez para salvar toda a humanidade dos pecados foi ser batizado. Jesus Cristo, em outras palavras, levou sobre Si todos os nossos pecados, e, para fazer isso, Ele teve que ir até João Batista e ser batizado. É por isso que o início de todos os quatro evangelhos fala deste evento tão importante. E você, crê nisso?

Na verdade, você e eu tínhamos que morrer por causa dos nossos pecados. Mas o que aconteceu? Nosso Senhor Jesus veio a esta Terra, levou sobre Si todos os nossos pecados quando foi batizado por João Batista, se tornou O Cordeiro de Deus, levou à cruz todos os pecados do mundo, teve Seus pés e mãos pregados nela por causa dos nossos pecados, derramou todo o sangue que havia em Seu coração, morreu, foi sepultado e, então, ressuscitou dos mortos. Foi por isso que Ele disse em João 10:30: “Está consumado!”, quando deu o Seu último suspiro na cruz. 

Tudo que Jesus disse e fez é a verdade. Ele se tornou a nossa oferta pelos pecados para nos salvar e ressuscitou dos mortos ao terceiro dia. Após ressuscitar dos mortos, Ele deu testemunho da Sua ressurreição por 40 dias, ascendeu aos Céus e agora está assentado à destra do Trono de Deus. E este Jesus Cristo virá novamente e nos levará desta Terra. Quando veio a esta Terra, Jesus veio como O Salvador, mas quando Ele vier pela segunda vez, Ele virá como o Juiz que condenará a todos que não creem. Você tem que entender agora que Jesus Cristo voltará a esta Terra como Juiz, para chamar e receber como filhos de Deus àqueles que creem na salvação da água, do sangue e do Espírito que Ele realizou ao longo dos Seus 33 anos de vida nesta Terra. E Ele também fará com que eles vivam no Seu Reino Milenar e no Céu eterno. Entretanto, Ele também trará o juízo eterno sobre todos os que não creem neste evangelho da água, do sangue e do Espírito, e que, por essa razão, rejeitaram o amor de Deus.

Agora, você não pode mais ignorar o evangelho da água e do Espírito e fingir que não o conhece, e sim crer na verdade da salvação. Além disso, você tem que entender que, segundo a promessa que Deus fez por meio do sistema do Tabernáculo e do sistema sacrificial, Jesus veio a esta Terra, foi batizado na forma de imposição de mãos, crucificado, e assim salvou a todas as nações do mundo de seus pecados. E você também tem que receber a remissão dos seus pecados crendo nesta verdade de todo o seu coração.

Apesar disso, a nação de Israel ainda rejeita esta verdade e espera a vinda de outro Messias. Mas o que os israelitas têm que entender é que, por mais que eles esperem ansiosamente outro Messias além de Jesus Cristo, não há outro além Dele. A verdade mais concreta é que não há outro Messias além de Jesus na face desta Terra. E já que nem o povo de Israel é uma exceção à regra no que diz respeito à verdade, não há outro Salvador para eles também. Portanto, o povo de Israel tem que se arrepender do seu pecado de não crer em Jesus Cristo como O Filho de Deus, e sim crer que Ele, de fato, é O Seu verdadeiro Messias e aceitar isso como uma verdade irrefutável. O povo de Israel só se tornará a verdadeira nação espiritual de Deus quando crer que Jesus Cristo é O Seu Salvador.

O povo de Israel até agora espera pelo seu lindo, glorioso e poderoso Messias que os salvará de seus sofrimentos e de suas misérias neste mundo. Só que Jesus Cristo já veio a esta Terra num corpo carnal como o Messias para salvá-los, mas por tê-lo rejeitado, eles serão julgados pelo fogo por causa dos seus pecados. Portanto, eles precisam reconhecer esta verdade e crer nela. Foi por sua alma que Jesus veio a esta Terra como a oferta pelos seus pecados, como foi prometido no Antigo Testamento, a fim de salvá-los para sempre de todos eles e fazê-los o povo de Deus.

Jesus Cristo, que veio como O Salvador, nos salvou a todos por meio do evangelho da água e do Espírito, a verdade encontrada nos tecidos, azul, púrpura e carmesim e no tecido de linho fino retorcido. E Ele com toda a certeza fará com que todo aquele que crê nisso reine com Ele no Seu Reino Milenar. Depois disso, Ele fará com que todos eles façam parte do eterno Reino de Deus e vivam para sempre com o próprio Deus em alegria na Sua Glória. Sendo assim, enquanto estivermos nesta Terra, todos nós temos que crer no evangelho da água e do Espírito de todo o nosso coração para sermos filhos de Deus. Somente aqueles que creem neste evangelho da verdade é que podem se tornar os filhos de Deus sem pecados e ter a certeza de que receberão o que espera por eles no mundo vindouro. 

Aleluias! Pela fé eu sou grato ao Senhor por Ele nos ter dado bênçãos espirituais e celestiais. Nosso Senhor Jesus prometeu que voltaria logo. Sendo assim, ora venha, Senhor Jesus!