The New Life Mission

Sermões

Assunto 26: LEVÍTICO

[26-3] (Levítico 2:1-16) Dê sempre oferta de alimentos ao Senhor

(Levítico 2:1-16)
“E quando alguma pessoa oferecer oferta de alimentos ao SENHOR, a sua oferta será de flor de farinha, e nela deitará azeite, e porá o incenso sobre ela; e a trará aos filhos de Arão, os sacerdotes, um dos quais tomará dela um punhado da flor de farinha, e do seu azeite com todo o seu incenso; e o sacerdote queimará como memorial sobre o altar; oferta queimada é, de cheiro suave ao Senhor. E o que sobejar da oferta de alimentos, será de Arão e de seus filhos; coisa santíssima é, das ofertas queimadas ao Senhor. E, quando ofereceres oferta de alimentos, cozida no forno, será de bolos ázimos de flor de farinha, amassados com azeite, e coscorões ázimos untados com azeite. E, se a tua oferta for oferta de alimentos cozida na caçoula, será da flor de farinha sem fermento, amassada com azeite. Em pedaços a partirás, e sobre ela deitarás azeite; oferta é de alimentos. E, se a tua oferta for oferta de alimentos de frigideira, far-se-á da flor de farinha com azeite. Então trarás a oferta de alimentos, que se fará daquilo, ao Senhor; e se apresentará ao sacerdote, o qual a levará ao altar. E o sacerdote tomará daquela oferta de alimentos como memorial, e a queimará sobre o altar; oferta queimada é de cheiro suave ao Senhor. E, o que sobejar da oferta de alimentos, será de Arão e de seus filhos; coisa santíssima é, das ofertas queimadas ao Senhor. Nenhuma oferta de alimentos, que oferecerdes ao Senhor, se fará com fermento; porque de nenhum fermento, nem de mel algum, oferecereis oferta queimada ao Senhor. Deles oferecereis ao Senhor por oferta das primícias; porém sobre o altar não subirão por cheiro suave. E todas as tuas ofertas dos teus alimentos temperarás com sal; e não deixarás faltar à tua oferta de alimentos o sal da aliança do teu Deus; em todas as tuas ofertas oferecerás sal. E, se fizeres ao Senhor oferta de alimentos das primícias, oferecerás como oferta de alimentos das tuas primícias de espigas verdes, tostadas ao fogo; isto é, do grão trilhado de espigas verdes cheias. E sobre ela deitarás azeite, e porás sobre ela incenso; oferta é de alimentos. Assim o sacerdote queimará o seu memorial do seu grão trilhado, e do seu azeite, com todo o seu incenso; oferta queimada é ao Senhor”.
 
 
O que a oferta de alimentos?
 
Sejam todos bem-vindos! Hoje eu quero pregar sobre o que a Palavra de Deus diz da oferta de alimentos. Esta era uma oferta onde não era derramado sangue, pois era feita com flor de farinha e outras ofertas. Espiritualmente falando, podemos dizer que a flor de farinha se refere a uma oferta de dedicação que fazemos a Deus. Depois que ofertas queimadas, ofertas de paz e ofertas pelo pecado eram oferecidas a Deus, oferecia-se a oferta de alimentos, que consistia da primeira colheita de grãos misturada com incenso, sal e azeite. Por isso que era chamada oferta de alimentos. E o povo de Israel dava esta oferta a Deus com outras ofertas de sacrifício.
Os grãos oferecidos tinham um sentido espiritual muito importante. E quando os justos oferecem a Deus tal oferta, seu sentido espiritual se torna mais importante ainda. E este sentido é que oferecêssemos nosso corpo e coração a Deus pela fé, já que fomos salvos e nos tornamos justos crendo na justiça de Deus. No entanto, o Senhor nos instruiu que jamais deveríamos adicionar fermento ou mal à oferta de alimentos. Vamos ler agora Levítico 2:11: “Nenhuma oferta de alimentos, que oferecerdes ao Senhor, se fará com fermento; porque de nenhum fermento, nem de mel algum, oferecereis oferta queimada ao Senhor.” Isso significa que agora que fomos salvos dos pecados do mundo e nos tornamos filhos de Deus crendo no evangelho da água e do Espírito, nada mais natural do que nos dedicarmos para servirmos à justiça de Deus e servirmos a Deus por seu amor. Esta é a razão de crermos que devemos oferecer nosso corpo e coração por todos neste mundo que ainda não creem no evangelho da água e do Espírito e estão perecendo por não serem filhos de Deus. Melhor dizendo, oferecemos nosso corpo para servirmos ao evangelho do Senhor para que todos possam ouvi-lo.
A oferta de alimentos descrita no texto bíblico deste capítulo se refere justamente a esta oferta, que fazemos quando servimos ao precioso evangelho do Senhor. Por isso que Deus proibiu adicionar fermento e mel à oferta de alimentos. Qual é sentido espiritual do fermento e do mel então? O fermento faz a massa crescer quando adicionado a ela, e o mel dá um sabor doce ao pão. Sabemos disso muito bem porque comemos pão quase todos os dias e usamos mel para adoçar alguns alimentos. Mas o que Deus está dizendo a nós, que vivemos pela fé, é que devemos evitar ou nos abster de tais coisas, espiritualmente falando.
Deus está dizendo aqui a nós que vivemos nos dias do Novo Testamento e recebemos no coração a remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito é que não devemos adicionar fermento e mel quando estivermos servindo à sua justiça. Espiritualmente falando, não adicionar fermento e mel significa que não devemos viver pelos desejos da carne ou o que eles nos ensinam. Em outras palavras, Deus está dizendo que devemos fazer a obra do Senhor para nossa própria glória. Ao contrário, temos que fazer sua obra para exaltar sua justiça apenas, e nunca para nos gloriarmos com isso. Por esta razão Deus disse que devemos dar oferta de alimentos somente com flor de farinha, azeite, sal e incenso.
Eu espero que você entenda bem o sentido espiritual disso. Estamos servindo ao evangelho da água e do Espírito porque cremos neste evangelho realmente, e oferecemos oferta de alimentos para pregá-lo a todos. E fazemos isso porque estamos servindo à justiça de Deus. Já que o Senhor nos amou e salvou de todos os nossos pecados, estamos servindo ao evangelho porque somos gratos a ele de coração por isso. E ele nos disse que não devemos orar para nos mostrar aos outros. Se alguém deseja elevar seu ego e satisfazer seus desejos carnais, ele não está oferecendo uma legítima oferta de alimentos a Deus. O Senhor disse que não deveríamos adicionar fermento e mel à oferta de alimentos, e isso significa que não devemos levar uma vida carnal. Servir a Deus, melhor dizendo, não é algo que devemos fazer como se fosse um hobby.
Sabemos que estamos fazendo a obra espiritual de Deus porque ele nos amou primeiro e, acima de tudo, nos salvou de todos os nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito. Então, a oferta espiritual da fé é algo indispensável a todos nós que cremos na justiça de Deus. Por isso que devemos suportar todo o sacrifício que fazemos para dar nossas ofertas a Deus, inclusive a oferta de alimentos. Em outras palavras, se quisermos dar uma oferta que agrada a Deus, temos que nos dedicar totalmente de corpo, alma e coração a tudo que fazemos, a fim de que possamos pregar o evangelho da água e do Espírito do Senhor. Deus disse que quando oferecêssemos uma oferta queimada a ele, isso seria sua comida. Isso quer dizer que ele se agrada de todos que creem no evangelho da água e do Espírito, ensinam este evangelho e o pregam para reconciliar com ele aqueles que são inimigos dele por causa dos seus pecados.
A comida de Deus está na pregação do evangelho da água e do Espírito, não em nosso próprio sacrifício. E o mesmo vale para a oferta de alimentos. Nós servimos a Deus porque ele nos salvou de todos os nossos pecados. Jesus levou todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista, morreu crucificado levando-os sobre si, e ressuscitou dos mortos. E se alguém recebeu a remissão de pecados mas não prega este evangelho, ele é alguém que não está oferecendo oferta de alimentos. Essa gente é espiritualmente vil. Na verdade, todos que não dão uma oferta de alimentos espiritual não estão com Deus. Por isso que é imprescindível que todos nós sejamos um só com a justiça do Senhor e sirvamos a ela. Mas para fazer isso, não devemos procurar estabelecer nossa própria justiça, e sim servir à justiça do Senhor apenas e de coração. Este é o tipo de devoção que mostra quando alguém está realmente ligado ao Senhor de coração. Todos nós que cremos no evangelho da água e do Espírito temos que ser um só com o Senhor em nossa vida espiritual.
Nada mais justo do que aqueles que receberam a remissão de pecados procurarem viver pela fé sendo um só com Deus, dando ofertas de alimentos. Mas para levarmos uma vida de união com Deus, temos que oferecer a nós mesmos como ofertas de paz, ofertas queimadas e oferta pelo pecado em favor dos outros. Todos nós que somos justos temos este dever diante de Deus. Afinal de contas, como podemos ficar felizes sabendo que outros estão caminhando para a perdição quando nós estamos felizes sabendo que iremos para o céu por Deus ter nos amado e livrado de todos os nossos pecados? Podemos dizer sem dúvida alguma que aquele que pensa assim não está anunciando a justiça do Senhor. Todos que receberam a remissão de pecados têm o dever de servir a justiça de Deus em unidade com ele.
Na verdade, se alguém recebeu mesmo a remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito, por mais que ninguém peça, ele vai servir ao evangelho. E como somos gratos a Deus pela nossa salvação, não podemos deixar de servir ao evangelho da água e do Espírito. Um grande número de pessoas não sabe de onde veio nem para onde está indo. Muitos não sabem por que nasceram e vivem de um lado para o outro sem direção. No fim acabam caindo na armadilha de alguma religião deste mundo e ficam presos o resto da vida até ser destruídos. Sem encontrar o verdadeiro propósito da vida, eles vivem se decepcionando e acabam não vendo nenhum sentido na vida.
Todos, homens e mulheres, precisam conhecer o evangelho da água e do Espírito, a Palavra da verdade. Mas o que é o evangelho da água e do Espírito? A verdade é que, em nossa fraqueza, fomos enganados por Satanás e iríamos ser destruídos. No entanto, o próprio Deus que nos criou enviou o Salvador a este mundo e nos salvou. A verdade é que Deus enviou seu Filho a esta terra para nos livrar de todos os pecados do mundo e da destruição, para nos tornar seus filhos e nos dar a vida eterna. Portanto, Jesus Cristo veio a esta terra e de um modo perfeito nos salvou dos pecados do mundo e do juízo com o evangelho da água e do Espírito. Deus fez com que nascêssemos nesta terra para sermos salvos. Entretanto, se não entendermos isso, por mais que tenhamos uma longa vida, felicidade e muitas riquezas, nossa vida será em vão.
Não há como expressar como é imprescindível que todos nós conheçamos a justiça do Senhor e creiamos nela. Olhem para trás e pensem no que aconteceu desde que conhecemos a justiça do Senhor. Deus fez com que nascêssemos nesta terra para que ele mesmo pudesse apagar nossos pecados e tivéssemos a certeza de que ele nos ama, nos tornou seus filhos especiais e nos levará a viver para sempre no seu reino. Mas até este dia chegar, Deus nos guiará em todos os nossos caminhos e cuidará de nós.
Nenhuma religião deste mundo pode responder a pergunta: “Por que eu nasci nesta terra?” E o que o budismo diz sobre isso? Ele defende a reencarnação e afirma que nasceremos como seres mais elevados se levarmos uma vida de retidão aqui. Por outro lado, nasceremos como seres inferiores se fizermos o mal nesta vida. A Palavra de Deus diz em Eclesiastes 1:2: “Vaidade de vaidades! Tudo é vaidade”. E o que o Senhor nos diz? Ele nos diz que “porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas” (Romanos 11:36). O que Deus está dizendo é que o universo e tudo que nele há existem por causa de Jesus Cristo, que nos salvou dos pecados do mundo. Para que propósito Deus criou o homem? O Senhor disse que criou o ser humano para viver com ele. Mas o homem caiu na armadilha de Satanás e pecou contra ele. Então o próprio Deus todo-poderoso veio a esta terra como homem, foi batizado por João Batista, morreu na cruz, ressuscitou dos mortos, e assim cumpriu o evangelho da água e do Espírito. Ao fazer isso, Deus salvou de todos os pecados do mundo aqueles que creem neste evangelho.
Por meio das obras que realizou, Deus fez com que os pecadores se tornassem seus filhos. Na verdade, este sempre foi o plano de Deus para todos nós que fomos criados conforme a sua imagem e semelhança. Em outras palavras, Deus nos criou e salvou com o evangelho da água e do Espírito para vivermos para sempre como seus filhos e desfrutarmos da sua glória. Você será muito abençoado se entender o plano de Deus e a verdade da salvação. Não importa quantos anos tenha vivido até hoje, 10, 30 ou 70, você precisa entender que o propósito para o qual Deus o criou foi conhecer a verdade do evangelho da água e do Espírito. Eu sou muito grato por todos vocês terem me ouvido, crido neste evangelho e recebido a remissão de pecados. E eu oro para que vocês levem a Jesus Cristo não somente aos seus familiares que ainda não receberam a remissão de pecados, mas a todos neste mundo.
É pregando o evangelho que os crentes no evangelho da água e do Espírito dão uma oferta de justiça a Deus. Apesar de termos vivido para nós mesmos até hoje, a partir de agora, para o bem do homem que foi criado conforme a imagem de Deus, devemos oferecer oferta de alimentos ao Senhor, e fazer isso sem cessar.
 
 
Por que motivo devemos viver assim?
 
Porque recebemos a remissão de pecados graças à justiça de Jesus Cristo. O Senhor veio a esta terra, recebeu todos os nossos pecados de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista, o representante da humanidade, derramou seu sangue na cruz, ressuscitou dos mortos, e assim nos salvou para todo o sempre. E recebemos a remissão de pecados justamente quando cremos nesta verdade que veio pelo evangelho da água e do Espírito. E já que recebemos a remissão de pecados em nosso coração pela fé, nos tornamos filhos de Deus. O que devemos fazer a partir de agora então? Temos que dar ofertas da justiça em favor dos outros. Melhor dizendo, temos que pregar o evangelho da água e do Espírito para que outras almas creiam nele também.
Você deve estar pensando: “Como vou fazer a obra de Deus com eficácia se já estou tão ocupado com minha própria vida?” Eu até entendo que pode ser difícil para você fazer a obra de Deus devido ao que está passando, mas a Igreja de Deus existe nesta terra e os servos de Deus aqui podem ajudá-lo. Você pode fazer parte da obra de Deus de muitas formas: você pode contribuir financeiramente com frequência, orar pela obra, ofertar seu tempo. A obra de Deus não é difícil. Se você crê na justiça de Deus e procura fazer a sua vontade, então pode fazer sua obra de alguma forma.
Se você se alegra sempre que ouve a Palavra da justiça de Deus, eu o aconselho a pensar nas almas, inclusive na sua. Veja como sua vida era difícil antes de conhecer Jesus Cristo, que veio pela água e pelo Espírito. Antes de encontrar a justiça de Deus, eu não tinha nenhuma esperança ou alegria. Eu não queria fazer nada neste mundo; e não tinha nenhuma habilidade também. Por mais que eu me esforçasse, nada alegrava meu coração aqui. Eu não sabia a razão de ter nascido nem meu propósito nesta vida. Era assim que eu pensava: “Não há propósito na vida de ninguém. Todos nascem, envelhecem, ficam doentes e morrem. De que adianta viver então? Meu avô faleceu e agora está em seu túmulo. Eu também não vou acabar num túmulo algum dia? Foi para isso que eu nasci então? Se for, minha vida não tem sentido algum. Por que as pessoas dizem que o homem é a coroa da criação? Eu me sinto tão inútil. Todos um dia acabarão numa sepultura. Jovens e adultos, homens e mulheres, todos um dia morrerão. Qual o propósito da vida então? Ela não é completamente sem sentido?” e meus pensamentos eram muito confusos naquela época.
Então, para descobrir o sentido da vida, eu procurei o budismo, e depois o cristianismo. Mas dez anos se passaram antes de eu conhecer Jesus e entender a preciosa verdade da água e do Espírito na Palavra de Deus. Foi na Bíblia que eu conheci o evangelho da água e do Espírito. E quando cri neste evangelho, todos os pecados do meu coração sumiram. E daquele momento em diante, eu não precisei mais fazer orações de arrependimento. Isso foi meio estranho para mim a princípio. Eu não precisava me preocupar muito com minha vida e nem me esforçar para suprir minhas necessidades. Não havia muito a fazer. Já que tudo é obscuro quando nascemos, não sabemos o que fazer da vida. E isso acontecia comigo também. Mas quando encontrei o evangelho da água e do Espírito, o evangelho da remissão de pecados, e fui remido de todos eles, eu tive o entendimento perfeito do que deveria fazer nesta vida.
Então eu passei a pensar assim: “A vida não é fácil, mas se eu me esforçar um pouco, todas as minhas necessidades serão supridas. Isso não é grande coisa realmente. Eu quero pregar o evangelho da água e do Espírito daqui por diante. E agora que os pecados do meu coração despareceram, eu quero pregar este evangelho a todos que não o conhecem.” A partir daí então, sempre que encontrava alguém, eu começa a falar naturalmente e pregava o evangelho da água e do Espírito sempre que tinha uma oportunidade. A maioria das pessoas para quem eu pregava este evangelho se mostrava cética no começo, mas logo muitas delas começaram a se alegrar por conhecê-lo.
Eu não conseguia parar de pregar o evangelho da água e do Espírito. E ao mesmo tempo que fazia isso, eu edificava os novos convertidos. Ao longo deste processo, eu também procurava novas formas de sustento para o ministério do evangelho. Eu tinha tomado a decisão de servir a Deus e aos outros. Os que creem no evangelho da água e do Espírito estão trabalhando dia e noite para a justiça de Deus, a fim de que todos vocês sejam salvos do pecado. Há algum pastor aqui que vive para si mesmo? Até quando viajam os pastores que creem no evangelho da água e do Espírito não vão com a congregação no veículo da igreja? Há algum pastor aqui que já comprou um carro luxuoso e disse orgulhoso: “Só eu posso dirigir meu carro, mais ninguém.” Claro que não.
Eu também sou pastor, e quando vejo nossos obreiros servindo fielmente à justiça de Deus, sejam homens ou mulheres, eu não tenho como deixar de respeitá-los. Será que eles poderiam fazer isso se estivessem vivendo para si mesmos? Veja por si mesmo. Eles não estão fazendo a obra de Deus dia e noite sem cessar? Não estão servindo a Deus e ao seu evangelho fielmente? A princípio, dentre aqueles que estão servindo ao evangelho da água e do Espírito, não tem ninguém fazendo isso em benefício próprio. E eu respeito muito estas pessoas.
Dar ofertas de alimentos a Deus é uma obrigação natural de todos que conhecem o evangelho da água e do Espírito e creem nele. E hoje somos nós que damos esta oferta a Deus e pelas pessoas. Melhor dizendo, estamos dando ofertas de justiça a Deus pelo bem daqueles que ainda não conhecem o evangelho da água e do Espírito e não receberam a remissão de pecados. Assim como os verdadeiros sacerdotes cumpriam sua função na época do Antigo Testamento, nós que vivemos nos dias do Novo Testamento estamos fazendo a mesma coisa. Todos que creem no evangelho da água e do Espírito estão dando ofertas por aqueles que ainda não conhecem o amor de Deus e o evangelho da justiça.
O que devemos fazer para Deus e para o bem do homem também? Temos que nos sacrificar. A oferta de alimentos era composta por flor de farinha e azeite, e este era aspergido sobre o altar de ofertas queimadas com sal e incenso. E quando a farinha misturada com sal, incenso e azeite era aspergida sobre o altar, subia uma fumaça com aroma suave. Isso significa que onde quer que o evangelho da água e do Espírito seja pregado, é preciso fazer ofertas de alimentos. Em outras palavras, os verdadeiros obreiros que estão servindo ao evangelho da água e do Espírito e apoiando o ministério do evangelho precisam fazer esta obra. Por exemplo, quando está nevando durante o retiro de treinamento de discípulos, alguns irmãos espalham sal na estrada. Eles fazem isso pelos outros também, e não apenas para si mesmos. E todos nós devemos agir assim. Temos que oferecer oferta de alimentos a Deus em prol das outras almas.
Nosso Senhor disse que “se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto” (João 12:24). Se vivermos apenas para nós mesmos depois de conhecer o evangelho da água e do Espírito e recebermos a remissão de pecados, não haverá por que ajudarmos os outros ou sermos ajudados por eles. Um grão de trigo produz muitos frutos quando cai na terra. Mas se ele não for enterrado, não servirá para nada. O que será de nós se isso acontecer conosco então? Continuaremos tendo uma alma vil mesmo depois de termos recebido a remissão de pecados.
Se você crê na Palavra do evangelho da água e do Espírito e que o Senhor tirou todos os seus pecados ao ser batizado no rio Jordão, o Espírito Santo habita em seu coração então. Deus é o Deus da justiça, da misericórdia e da verdade. Ele é o bom Deus que usou de bondade com o homem, o abençoou e o salvou dos seus pecados. E como este com Deus habita no coração de todos que creem no evangelho da água e do Espírito, também somos capazes de fazer o bem às pessoas. Por isso que quem tem o Espírito Santo no coração não consegue deixar de fazer a obra da justiça. Sendo assim, se você recebeu mesmo a remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito, não há mais como viver para sua própria carne.
Agora, se está vivendo para sua carne, então você tem um grande problema, pois isso indica que ainda não nasceu de novo como deveria. Podemos dizer que pessoas assim não conhecem a justiça de Deus nem o seu amor. Não fomos nós que amamos a Deus primeiro, mas ele que nos amou assim. E já que recebemos a remissão de pecados de uma vez por todas pela fé, como podemos deixar de fazer tudo para apoiar este valioso ministério do evangelho? Como podemos deixar de dar oferta de alimentos espirituais a Deus? Como podemos não nos sacrificar para que outros sejam salvos do pecado?
Imagine se eu dissesse a vocês: “Não façam nada para servir ao evangelho da água e do Espírito. De agora em diante, não façam nada para levar as pessoas a receber a remissão de pecados.” Vocês fariam o que estou mandando? Claro que não. O que vocês fariam se eu lhes impedisse de pregar o evangelho da água e do Espírito? Vocês não diriam: “Deixe-nos livre ou nos mate.” “Se você quiser nos impedir de pregar o evangelho, é melhor que nos mate então. Muitos estão agonizando por causa dos seus pecados e nem sabem por que nasceram. Você terá que nos matar se quiser que paremos de pregar o lindo evangelho da água e do Espírito para estas pessoas miseráveis.” Não tentem nos impedir então! Não é isso que vocês me diriam? É claro que sim.
Eu oraria assim se fôssemos proibidos de pregar o evangelho da água e do Espírito e servir a este ministério: “Senhor, eu já vivi o bastante. Não demore para me levar então. Se não puder mais fazer esta obra boa e maravilhosa, se não puder fazer a obra da justiça, eu acabarei desperdiçando minha vida só comendo e dormindo. Do que adianta viver assim? Me leve agora então, eu te peço.” É assim que eu oraria. Que esperança haverá para este mundo se não pregarmos o evangelho da água e do Espírito? Eu tenho certeza que vocês concordam comigo. Eu não vou mais querer ficar nesta terra se não puder fazer a obra de Deus.
Por outro lado, muitos ouviram o evangelho da água e do Espírito e agora creem nele; e outros ainda querem permanecer nesta terra para apoiar o ministério do evangelho. Mas o que diz a Bíblia? Está escrito que embora Jesus tenha curado dez leprosos, só um voltou para agradecer o Senhor pela cura. Um número incontável de pessoas já ouviram o evangelho; e aqui na Coreia do Sul também. Muitos, porém, caíram na armadilha da religião e ainda querem fazer parte de mega igrejas, pois não veem problema em crer em Jesus e ainda ter pecado no coração. E já que creem no Senhor apenas de um modo religioso, eles o rejeitam quando se sentem mal e o procuram quando se sentem bem.
Nós, ao contrário, estamos trabalhando para pregar o evangelho da água e do Espírito a todos os seis bilhões de habitantes que há neste mundo. Estamos servindo ao Senhor em prol das almas. Aos olhos de Deus, nós é que somos de fato abençoados, pois estamos fazendo algo que é realmente bom. Há muito poucas pessoas na Coreia que creem no evangelho da água e do Espírito. Mas você sabia que já recebemos mais de três mil testemunhos de salvação do mundo todo? A verdade é que muitos neste mundo têm ouvido o evangelho que temos pregado e recebido a remissão de pecados. Então temos que ser gratos a ele por nos permitir fazer esta obra. No início deste sermão, eu expliquei a vocês como devemos dar ofertas de alimentos, e agora quero enfatizar que devemos fazer isso sacrificando a nós mesmos. Quem recebeu a remissão de pecados no coração deve sempre dar ofertas a Deus em prol das outras almas. Devemos fazer isso constantemente. Temos que servir ao evangelho do Senhor e nos sacrificar pelas almas.
Apesar de não falarmos sobre isso, quantos sacrifícios temos feito para servir ao evangelho da água e do Espírito? Um número incrível de pessoas tem se sacrificado para apoiar o ministério do evangelho. Mas isso é algo muito natural. E como estas pessoas se comportam quando se sacrificam? Há alguém que se exalta por fazer isso? Não há problema algum acharmos difícil servir ao evangelho, mas não devemos exagerar e exigir algo em troca por isso. Isso me deixa irado. Já que a oferta de alimentos, a oferta de paz e a oferta pelo pecado são oferecidas através do autossacrifício em prol das outras pessoas, nada mais natural do que acharmos isso muito difícil e cansativo, não é verdade? Vocês não acham que é normal pensar assim? Nada mais natural do que acharmos isso difícil.
No entanto, por mais que meu corpo esteja arrasado, eu ficarei muito grato se alguém receber a remissão de pecados e entrar no reino dos céus por ouvir este evangelho. Eu seria muito grato ao Senhor e diria a ele com alegria: “Senhor, embora meu esforço tenha sido mínimo e meu sacrifício, insignificante, tu me levaste a colher muitos frutos. Aleluia! Obrigado, Senhor. Apesar de ter feito muito pouco, tu salvaste muitas almas e glorificaste o teu nome na vida delas ao dar a eles o seu amor. Eu estou tão maravilhado e grato que só posso te render toda a glória.” Mesmo que tenha que trabalhar duro até meu último suspiro, eu ficarei muito grato se diversas pessoas receberem a remissão de pecados. E estou certo que é assim que vocês vão se sentir também.
Já que recebemos a remissão de pecados e nossa fé aumentou, de agora em diante temos que viver pelos outros, e não para nós mesmos. No entanto, aqueles que acabaram de receber a remissão de pecados devem seguir seus pais na fé para crescer a aprender com eles a viver assim. Isso é o certo a fazer. Vocês não estão felizes e exultantes por poder servir ao evangelho do Senhor? Eu estou tão feliz que me faltam as palavras. E estou certo que vocês estão felizes também. Eu sei que é difícil servir ao evangelho, mas pelo menos nosso coração se alegra em fazer isso. E por causa da obra simples que estamos fazendo, muitos neste mundo estão sendo salvos. Isso nos mostra que Deus de fato está fazendo uma grande obra e nos abençoando com uma imensa recompensa.
Eu sou muito grato a Deus. Agora eu quero dizer a vocês algumas palavras para exortá-los. Todos nós devemos servir ao Senhor fielmente e apoiar o ministério do evangelho com todo o afinco. Todos estão trabalhando duro para servir ao Senhor, então será muito errado se alguém tentar se esquivar de fazer a obra de Deus e disser: “Chega! Eu não aguento mais fazer isso. Você pode ter me influenciado a fazer isso até aqui, mas agora chega.” O Senhor já nos disse algo assim? Claro que não. Se ele nos dissesse: “Eu vou tirar os pecados que vocês cometeram até hoje, mas vocês serão responsáveis pelos que cometerem de agora em diante. Vocês têm que me agradecer porque eu já fiz muito em tirar os pecados que vocês cometeram no passado” todos nós acabaríamos no inferno. Mas o Senhor é tão cheio de amor que não fez isso conosco.
Jesus apagou todos os nossos pecados do passado, do presente e do futuro de uma vez por todas. Após completar 33 anos de vida nesta terra, ele nos salvou de um modo perfeito ao ser batizado, derramando seu sangue na cruz e ressuscitando dos mortos. Foi isso o que o Senhor fez por nós. Então, nada mais natural que nos sacrificarmos para pregar o evangelho da água e do Espírito. Esta é a obra que Deus confiou a nós, a tarefa que ele nos confiou até a sua vinda.
Eu desejo e oro para que Deus abençoe sua vida física e espiritual. Peço a ele que proteja vocês aqui e no exterior, e os abençoe a todos. Se confiarmos ao Senhor tudo que há em nós – nossas mãos, nossos pés, nossos lábios – e pregarmos sua Palavra com o mesmo amor que ele teve por todos nós, ele nos protegerá e nos dará muitas bênçãos para que sejamos usados como valiosos instrumentos seus. Melhor dizendo, se fizermos a obra do evangelho, o Senhor nos dará todas as suas bênçãos materiais e espirituais em todas as ocasiões. E temos feito tudo isso até hoje justamente porque ele tem nos abençoado assim. Então eu oro ao nosso Deus que abençoe todos vocês e rendo a ele toda a minha gratidão.