Sermões

Assunto 22: O Evangelho segundo LUCAS

[Capítulo 1-1] (Lucas 1:1-16) João Batista

(Lucas 1:1-16)
“Tendo, pois, muitos empreendido pôr em ordem a narração dos fatos que entre nós se cumpriram, segundo nos transmitiram os mesmos que os presenciaram desde o princípio, e foram ministros da palavra, pareceu-me também a mim conveniente descrevê-los a ti, ó excelente Teófilo, por sua ordem, havendo-me já informado minuciosamente de tudo desde o princípio; para que conheças a certeza das coisas de que já estás informado. Existiu, no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias, e cuja mulher era das filhas de Arão; e o seu nome era Isabel. E eram ambos justos perante Deus, andando sem repreensão em todos os mandamentos e preceitos do Senhor. E não tinham filhos, porque Isabel era estéril, e ambos eram avançados em idade. E aconteceu que, exercendo ele o sacerdócio diante de Deus, na ordem da sua turma, segundo o costume sacerdotal, coube-lhe em sorte entrar no templo do Senhor para oferecer o incenso. E toda a multidão do povo estava fora, orando, à hora do incenso. E um anjo do Senhor lhe apareceu, posto em pé, à direita do altar do incenso. E Zacarias, vendo-o, turbou-se, e caiu temor sobre ele. Mas o anjo lhe disse: ‘Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João. E terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento, porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe. E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus’”.
 
 
A Genealogia de João Batista
 
Vamos ler João 1:5-7. “E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam. Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João. Este veio para testemunho, para que testificasse da luz, para que todos cressem por ele.”
O rei Herodes era o tetrarca da região da Judeia em Israel naquela época. Primeiro, vamos analisar mais de perto o fundo histórico de Israel naqueles dias. Israel havia perdido a guerra contra o Império Romano, que tinha o maior poder no mundo conhecido daquela época. Então, Israel foi obrigado a pagar imposto a Roma. Embora houvesse tetrarcas em Israel, eles não tinham poder algum; o verdadeiro poder estava nas mãos do governador romano, e os israelitas tinham que pagar impostos a Roma. Nessa época, Augusto era o César, o imperador romano. E ele enviou Pôncio Pilatos para ser governador da Judeia.
Está bem, eu vou falar sobre João Batista agora. O texto bíblico deste capítulo diz: “Existiu, no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias, e cuja mulher era das filhas de Arão; e o seu nome era Isabel” (Lucas 1:5). Lucas, o discípulo de Jesus que escreveu o evangelho que leva seu nome, procurou descrever o fundo histórico da nação de Israel, mas falou primeiro de João Batista, que tipo de homem ele era perante Deus, o que ele fez por nós e quem era ele. Ele procurou descrever como o ministério de João Batista foi importante.
Está escrito que Zacarias, pai de João Batista, era um sacerdote “da ordem de Abias” (Lucas 1:5). Alguém só podia ser sacerdote em Israel se tivesse nascido na família de Arão. Deus separou os descendentes de Arão, que eram da tribo de Levi, um dos doze filhos de Jacó, para exercer o sacerdócio. Ele escolheu Arão, o irmão mais velho de Moisés, e deu a ele o cargo de sumo sacerdote. A Moisés ele deu a função de profeta. Foi assim que os descendentes de Arão se tornaram uma família de profetas.
Que tipo de família era a tribo de Judá? Era da família dos reis, de geração a geração. E já que a tribo de Judá era a família dos reis, Deus fez com que Jesus Cristo nascesse dessa tribo.
Lucas 1, que acabamos de ler, diz que João Batista era filho de Zacarias. “Existiu, no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias, e cuja mulher era das filhas de Arão; e o seu nome era Isabel” (Lucas 1:5). Zacarias nasceu na família de “Abias” e podia exercer o sacerdócio porque era descendente de Arão. Então, João Batista, sendo filho de Zacarias, pôde herdar suas funções. Em outras palavras, os descendentes do sumo sacerdote Arão podiam entrar no santuário de Deus todos os dias para cuidar dos seus instrumentos como o candelabro de ouro, o altar de incenso e a mesa de pães asmos. Se o sacerdote não tivesse nenhum defeito físico ou espiritual, ele poderia exercer suas funções dos 30 aos 50 anos.
Vamos ler agora 1 Crônicas 24:1-4. “E quanto aos filhos de Arão, estas foram as suas divisões: os filhos de Arão: Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar. E morreram Nadabe e Abiú antes de seu pai, e não tiveram filhos; e Eleazar e Itamar administravam o sacerdócio. E Davi, com Zadoque, dos filhos de Eleazar, e Aimeleque, dos filhos de Itamar, dividiu-os segundo o seu ofício no seu ministério. E acharam-se muito mais chefes dos pais entre os filhos de Eleazar do que entre os filhos de Itamar, quando os repartiram; dos filhos de Eleazar dezesseis chefes das casas paternas, mas dos filhos de Itamar, segundo as casas paternas, oito”.
Arão teve quatro filhos: Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar. Nadabe e Abiú morreram ao oferecer fogo estranho ao Senhor (Levítico 10:1), e Eleazar e Itamar exerceram a função de sacerdote perante seu pai Arão. Mas com o passar do tempo, os descendentes de Arão começaram a crescer. Foi por isso que o rei Davi teve que determinar a ordem dos sacerdotes a fim de que eles exercessem o sacerdócio. Ele separou os descendentes de Arão em 24 divisões segundo sua linhagem; Eleazar teve 16 filhos, enquanto que Itamar só teve 8. O rei Davi criou então 24 divisões de sacerdotes segundo a família dos 24 netos do sumo sacerdote Arão.
 
 
João Batista Nasceu na Casa de Arão
 
Os sacerdotes do Antigo Testamento ofereciam todos os dias ofertas queimadas ao Senhor e cuidavam dos instrumentos do santuário. Um dia, Zacarias entrou no santuário para exercer sua função. Um anjo então apareceu para ele e disse: “Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João” (Lucas 1:13). E o que isso quer dizer? Zacarias ainda não tinha filhos naquela época. Embora ele e sua esposa fossem idosos, eles ainda não tinham filhos.
Se uma geração dos israelitas acabasse por causa da falta de filhos, isso era uma vergonha. Por isso que Zacarias queria muito ter um filho. E ao que parece, o sacerdote Zacarias orou a Deus porque já estava há muito tempo no santuário. E o anjo de Deus apareceu a ele naquele momento.
Amados irmãos, qual seria a reação de alguém se um anjo de repente aparecesse a ele num lugar escuro? Muitos ficariam apavorados. Zacarias estava realizando as funções do sacerdote e não havia ninguém no santuário. Mas alguém de repente apareceu e não era uma pessoa; era um anjo. Então o anjo lhe disse: “Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João. E terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento. Porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe. E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus” (Lucas 1:13-16). O anjo estava falando do nascimento de João Batista.
João Batista tinha que nascer na família de Zacarias, pois Deus queria usar seu filho para cumprir sua providência. Zacarias era um homem que oferecia sacrifício segundo a lei de Deus e guardava seus mandamentos e estatutos. Deus fez com que João Batista nascesse nessa terra como filho de Zacarias para que ele servisse à sua justiça. Então, João Batista só pôde batizar Jesus porque era descendente de Arão. E tudo isso foi para se cumprir a vontade de Deus.
Deus criou o sistema sacrificial no Antigo Testamento para remir os pecados do povo; e isso acontecia através deste sistema sacrificial. Deus criou o sistema sacrificial para que seu povo pudesse ser salvo por meio dele. E ele planejou salvar toda a humanidade no Antigo Testamento segundo a lei da salvação que ele estabeleceu no Monte Sinai. Então, antes de Jesus Cristo nascer, Deus enviou um anjo a Zacarias, que era descendente de Arão, e disse que lhe daria um filho.
Deus fez com que João Batista, que era o representante da humanidade, fosse filho do sacerdote Zacarias e, do mesmo modo, fez com que Jesus fosse concebido no ventre de Maria seis meses depois. Depois o levou a exercer a função de sumo sacerdote quando ele completou 30 anos. Portanto, aos 30 anos, Jesus estava qualificado como o Sumo Sacerdote celestial. Ele estava pronto para ser batizado por João Batista. E João Batista, por sua vez, como representante da terra, pôde batizar Jesus, o Sumo Sacerdote Celestial. Deus fez isso acontecer.
João Batista impôs as mãos sobre a cabeça de Jesus, e ele recebeu o batismo que transferiu para ele todos os pecados do homem de uma vez. Deus cumpriu completamente a obra de purificação dos pecados de toda a humanidade ao passar estes pecados para o seu Filho quando ele foi batizado. Foi por isso que ele fez com que Jesus fosse batizado por João Batista. Isso fazia parte da sua providência para que toda a sua justiça fosse cumprida. Os escritores dos quatro evangelhos começaram seus escritos falando do ministério de João Batista porque ele foi muito importante. Isso porque foi João Batista que transferiu os pecados do homem para Jesus quando o batizou. Deus separou o representante da humanidade para transferir os pecados do mundo para o seu Filho, Jesus Cristo.
Deus derramou a graça da salvação sobre os israelitas no Antigo Testamento levando-os a receber a remissão de pecados através do sumo sacerdote Arão, que os passava para as ofertas de sacrifício. Os sacerdotes do povo de Israel transferiam os pecados de todos incessantemente para as ofertas de sacrifícios e depois as sacrificava. Mas no Novo Testamento Jesus só teve que ser batizado por João Batista uma vez, morrer uma vez e ressuscitar uma vez para nos dar a salvação.
Todos podem receber a remissão de pecados no dias do Novo Testamento pela fé no ministério de Jesus Cristo, que é igual a oferta pela expiação dos pecados no Antigo Testamento. Somente o método e o efeito da salvação é que foi diferente dos do Antigo Testamento. Quando Jesus veio a essa terra, ele foi batizado por João Batista, o representante da humanidade. Nem todos podiam exercer essa função; só João Batista, que foi enviado por Deus como descendente de Arão, podia exercê-la. E só o corpo de Jesus poderia ser oferecido como oferta de sacrifício pelos nossos pecados. Por isso, a primeira coisa que temos que pensar é que era preciso haver um representante da humanidade entre os descendentes de Arão, que foi o primeiro sumo sacerdote. Foi por essa razão que Deus enviou e preparou João Batista como descendente de Arão e representante da humanidade antes de Jesus.
O anjo disse: “Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João” (Lucas 1:13). O evangelho da água e do Espírito começou a partir do momento em que o anjo apareceu ao sacerdote Zacarias e prometeu que ele teria João Batista. João Batista então foi grande aos olhos do Senhor e o representante da humanidade. Ele foi maior do que Moisés e do profeta Isaías.
Vamos continuar lendo a passagem: “Porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe. E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus” (Lucas 1:15, 16). João Batista foi como os nazireus que eram consagrados a Deus no Antigo Testamento. Os nazireus no Antigo Testamento eram homens consagrados a Deus. E está escrito que eles não tomavam bebida forte.
João Batista foi aquele que de fato transferiu pessoalmente todos os nossos pecados para Jesus Cristo ao batizá-lo. Ele foi um homem de Deus enviado por ele a essa terra. O que a Bíblia diz sobre ele? Ela diz que ele “será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe” (Lucas 1:15). Nós só recebemos o Espírito Santo depois que recebemos a remissão de pecados, mas Deus disse que João Batista era cheio do Espírito Santo desde o ventre de sua mãe.
João Batista, que batizou Jesus, foi concebido no ventre de Isabel, que era esposa do sacerdote Zacarias. Depois disso, Maria foi visitar Isabel. Mas Jesus já tinha sido concebido no seu ventre. João Batista e Jesus se encontraram ainda no ventre de suas mães. Quando Maria encontrou Isabel, João Batista mexeu no seu ventre.
Não podemos achar que João Batista foi apenas mais um dos profetas do Antigo Testamento. Ele foi o representante da humanidade que batizou Jesus para Deus salvar o homem. Ele foi preparado e usado por Deus porque era indispensável para cumprir a sua justiça. A vontade de Deus foi cumprida através do processo pelo qual João Batista transferiu de uma só vez os pecados do homem para Jesus ao batizá-lo. Em outras palavras, Jesus recebeu todos os pecados do homem ao ser batizado por João Batista. Sendo assim, quem ignora o ministério de João Batista não pode receber a salvação de seus pecados.
Eu tenho encontrado muitos cristãos que dizem crer em Jesus como seu Salvador. No entanto, a maioria deles ignora o ministério de João Batista. Eles desprezam o ministério de João Batista, que batizou Jesus. Eles menosprezam completamente o ministério de João Batista e ainda dizem assim: “O que há de tão importante na função de João Batista?” É por isso que eles não receberam a remissão de pecados.
 
 
João Batista É Tratado com Respeito nos Quatro Evangelhos
 
As palavras destes cristãos não são a Palavra de Deus; elas não passam de palavras humanas. O que a Palavra de Deus diz sobre o ministério de João Batista? Quando lemos os quatro evangelhos, vemos que eles começam falando de João Batista. O evangelho de Marcos, por exemplo, começa com um texto em que João Batista é preparado pelo Senhor e depois descreve como ele batizou Jesus Cristo segundo a vontade do Pai. João Batista sempre aparece antes de Jesus nos quatro evangelhos clamando: “Arrependei-vos, raça de víboras!”, e pregando o verdadeiro arrependimento para que as pessoas voltassem para Deus. E isso está escrito para mostrar que ele cumpriu a justiça de Deus ao batizar Jesus. Portanto, não podemos conhecer a justiça de Jesus se ignorarmos a obra de João Batista.
Sobre o ministério de João Batista, Jesus disse que ele foi enviado especialmente a essa terra para que Deus salvasse o homem de todos os seus pecados. João Batista foi aquele que, sendo o representante da humanidade, transferiu os pecados do mundo para Jesus ao batizá-lo. Se João Batista não tivesse nascido nessa terra e não tivesse a função de batizar Jesus, nós ainda teríamos pecado. Sem o ministério de João Batista, não adiantaria nada Jesus ter morrido na cruz. Deus precisou do ministério de João Batista para realizar a salvação do homem. Portanto, temos que entender que o evangelho da água e do Espírito dado pelo Senhor é o plano da salvação de Deus.
Deus nos falou dessa salvação há muito tempo por meio do sistema sacrificial do tabernáculo. Os que violavam a lei tinham que levar um cordeiro ou um bode como sacrifício para Deus e transferir seus pecados para ele impondo as mãos sobre sua cabeça. Este foi o sistema legítimo estabelecido por Deus para nos salvar dos pecados do mundo.
Deus deu aos israelitas o sistema sacrificial para que seus pecados anuais fossem expiados no Dia da Expiação (Levítico 16). Todo ano, no décimo dia do sétimo mês, o sumo sacerdote impunha as mãos sobre a cabeça do bode emissário e transferia para ele os pecados anuais de todos os israelitas. Então, o bode emissário era enviado ao deserto pela mão de um homem designado para isso (Levítico 16:20-22). Deste modo, Deus nos mostrou a lei da salvação; o sumo sacerdote tinha que oferecer oferta de expiação para apagar todos os pecados dos israelitas segundo o sistema sacrificial.
Do mesmo modo, tinha que haver um sumo sacerdote no Novo Testamento também. Então, Deus enviou João Batista a essa terra seis meses antes de seu Filho.
Nós estamos analisando agora a raiz do evangelho da água e do Espírito de Jesus. Estamos vendo a vinda de João Batista como servo de Deus e o ministério que ele exerceu. O Senhor disse: “Entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João o Batista; mas aquele que é o menor no reino dos céus é maior do que ele” (Mateus 11:11). Como está escrito na Bíblia, João Batista foi o representante da humanidade.
Mateus 11:12 diz o seguinte: “E, desde os dias de João o Batista até agora, se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele”. Eu não consigo decorar muito bem os versículos bíblicos, mas este eu sei de cor. O evangelho começou com a vinda de João Batista, que era descendente de Arão, e com a vinda de Jesus Cristo. O começo dele foi quando Jesus foi batizado por João Batista, como está escrito: “E, desde os dias de João o Batista até agora, se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele” (Mateus 11:12). Todos os pecados do homem foram passados para Jesus de uma vez quando João Batista o batizou. Eu, você e todas as pessoas neste mundo recebemos a remissão de pecados pela fé que todos eles foram passados para Jesus quando João Batista o batizou. Desde os dias de João o Batista até agora se faz violência ao reino dos céus e pela força se apoderam dele. Todo aquele que crê no evangelho da água e do Espírito recebe a remissão de pecados e pode entrar no reino dos céus pela fé na justiça de Deus.
É por isso que a Bíblia diz que “desde os dias de João o Batista até agora, se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele” (Mateus 11:12). Em outras palavras, o ato de invadir o reino dos céus e ocupá-lo pela fé tem sido uma bênção para quem crê no evangelho da água e do Espírito desde que Jesus foi batizado por João Batista no rio Jordão. Por essa razão, temos que entender muito bem como a verdade foi ensinada desde o início a Teófilo por Lucas, um dos discípulos de Jesus.
Lucas pregou a Teófilo que o evangelho começou a partir de João Batista. Também disse a ele que Jesus recebeu todos os pecados do homem por meio de João Batista. Lucas também disse a Teófilo que Jesus recebeu todos os pecados que ele cometeria durante toda a sua vida através do batismo que ele recebeu de João Batista. Hoje também podemos conhecer o evangelho da água e do Espírito e crer nele para que possamos permanecer em Jesus.
Nós temos que entender muito bem quem foi João Batista. Há muitas passagens na Bíblia que falam dele. Vamos analisar algumas delas.
Está escrito em Malaquias 4:5-6: “Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR. E ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a terra com maldição”. Através do texto acima em Malaquias, Deus está dizendo: “Eu enviarei meu servo antes do meu Filho. Eu enviarei meu servo Elias a vocês a fim de que ele transfira todos os pecados do homem a Jesus, que guiará todos a mim e o meu coração a eles”. O Elias citado aqui é João Batista, que surgiu no início do Novo Testamento. E foi ele quem transferiu todos os pecados do homem para Jesus quando o batizou.
Vamos ler agora o texto de Lucas 1:17. “E irá adiante dele no espírito e virtude de Elias, ‘para converter os corações dos pais aos filhos,’ e os rebeldes à prudência dos justos, com o fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto”. Isso quer dizer que João Batista veio a nós no espírito e virtude de Elias. Elias foi o profeta que provou quem era o verdadeiro Deus ao lutar sozinho contra os 850 profetas de Baal e Aserá. E ele derrotou e matou estes 850 profetas idólatras. Deste modo, ele fez com que todos os israelitas voltassem para o Senhor Deus. Elias testemunhou assim a todos os israelitas que o Senhor era o único e verdadeiro Deus. Ele foi um poderoso profeta que trouxe todo o povo de volta para Deus.
“Elias” então é sinônimo de “servo de poder”. A Bíblia diz que João Batista iria “adiante dele no espírito e virtude de Elias” (Lucas 1:17). Temos que entender como Elias amava os israelitas e como ele desejou levar o povo de volta a Deus. Elias tinha tanto poder que não choveu por três anos por causa da uma oração sua. E os pecados deste mundo foram passados para Jesus de uma vez por causa do Elias que viria.
O Senhor disse que João Batista foi o Elias desta geração. Foi por isso que ele exerceu o mesmo ministério de Elias. Ele foi o servo de Deus que teve a função e o poder de transferir todos os pecados do homem para Jesus. Zacarias e Isabel se alegraram muito quando João Batista nasceu. Mas não foram somente seus pais que se alegraram assim. A Bíblia diz que muitas pessoas se alegraram com o seu nascimento. Amados irmãos, eu também me alegro muito pelo seu nascimento e pela sua obra. O que aconteceria a nós que cremos em Jesus se João Batista não tivesse vindo a essa terra? Tudo seria terrível se isso tivesse acontecido.
Eu sou grato a Deus por ele ter enviado seu servo João Batista a essa terra através de Zacarias e sua esposa para dar início ao evangelho. Amados irmãos, nós temos que ser gratos a João Batista por ter batizado Jesus. Temos que buscar a Deus pela fé e ser gratos a ele por isso. Temos que ser gratos por ele ter enviado João Batista e por ele ter batizado Jesus no começo do evangelho da água e do Espírito. Esta é a fé correta. É a fé que conhece e crê na verdade absoluta.
Também temos que ser gratos a Deus por ele ter enviado João Batista primeiro. Deus, através de João Batista, fez com que muitas pessoas, inclusive você e eu, voltassem para Cristo pela fé e assim pudessem receber a verdadeira salvação. Nós somos gratos a Deus por nos ter dado essa graça.
Nós podemos realmente ter um encontro com Jesus, que é o Salvador, e ter fé na justiça de Deus pelo testemunho de João Batista. Através do ministério de João Batista, passamos a crer que Jesus é o nosso verdadeiro Salvador. Nós temos mesmo que crer no ministério de João Batista e de Jesus, além de nos lembrar como eles foram importantes no início ao nos dar o evangelho da água e do Espírito para que pudéssemos receber a salvação de Deus. Temos que ser sempre gratos a Deus pela fé. Temos que ser gratos a ele que nos enviou João Batista e hoje podermos ser salvos pela fé.
O ministério de João Batista é totalmente necessário para sermos salvos de todos os nossos pecados crendo em Jesus Cristo. Nós hoje somos gratos não somente a João Batista, mas também a Deus que o enviou. Portanto, eu espero que vocês entendam bem isso. Também espero que todos vocês recebam a remissão de pecados e a vida eterna crendo no evangelho da água e do Espírito.