The New Life Mission

Sermões

Assunto 26: LEVÍTICO

[26-12] (Levítico 13:1-23) Como é nossa verdadeira imagem?

(Levítico 13:1-23)
“Falou mais o SENHOR a Moisés e a Arão, dizendo: Quando um homem tiver na pele da sua carne, inchação, ou pústula, ou mancha lustrosa, na pele de sua carne como praga da lepra, então será levado a Arão, o sacerdote, ou a um de seus filhos, os sacerdotes. E o sacerdote examinará a praga na pele da carne; se o pêlo na praga se tornou branco, e a praga parecer mais profunda do que a pele da sua carne, é praga de lepra; o sacerdote o examinará, e o declarará por imundo. Mas, se a mancha na pele de sua carne for branca, e não parecer mais profunda do que a pele, e o pêlo não se tornou branco, então o sacerdote encerrará o que tem a praga por sete dias; e ao sétimo dia o sacerdote o examinará; e eis que, se a praga, ao seu parecer parou, e na pele não se estendeu, então o sacerdote o encerrará por outros sete dias; e o sacerdote ao sétimo dia o examinará outra vez; e eis que, se a praga se recolheu, e na pele não se estendeu, então o sacerdote o declarará por limpo; é uma pústula; e lavará as suas vestes, e será limpo. Mas, se a pústula na pele se estende grandemente, depois que foi mostrado ao sacerdote para a sua purificação, outra vez será mostrado ao sacerdote, e o sacerdote o examinará, e eis que, se a pústula na pele se tem estendido, o sacerdote o declarará por imundo; é lepra. Quando no homem houver praga de lepra, será levado ao sacerdote, e o sacerdote o examinará, e eis que, se há inchação branca na pele, a qual tornou o pêlo em branco, e houver carne viva na inchação, Lepra inveterada é na pele da sua carne; portanto, o sacerdote o declarará por imundo; não o encerrará, porque imundo é. E, se a lepra se espalhar de todo na pele, e a lepra cobrir toda a pele do que tem a praga, desde a sua cabeça até aos seus pés, quanto podem ver os olhos do sacerdote, então o sacerdote examinará, e eis que, se a lepra tem coberto toda a sua carne, então declarará o que tem a praga por limpo; todo se tornou branco; limpo está. Mas no dia em que aparecer nela carne viva será imundo. Vendo, pois, o sacerdote a carne viva, declará-lo-á por imundo; a carne é imunda; é lepra. Ou, tornando a carne viva, e mudando-se em branca, então virá ao sacerdote, E este o examinará, e eis que, se a praga se tornou branca, então o sacerdote declarará limpo o que tem a praga; limpo está. Se também a carne, em cuja pele houver alguma úlcera, sarar, e, em lugar da pústula, vier inchação branca ou mancha lustrosa, tirando a vermelho, mostrar-se-á então ao sacerdote. E o sacerdote examinará, e eis que, se ela parece mais funda do que a pele, e o seu pêlo se tornou branco, o sacerdote o declarará por imundo; é praga da lepra que brotou da pústula. E o sacerdote, vendo-a, e eis que se nela não houver pêlo branco, nem estiver mais funda do que a pele, mas encolhida, então o sacerdote o encerrará por sete dias. Se ela grandemente se estender na pele, o sacerdote o declarará por imundo; praga é. Mas se a mancha parar no seu lugar, não se estendendo, inflamação da pústula é; o sacerdote, pois, o declarará por limpo”.
 
 
Como a lepra era diagnosticada
 
A passagem bíblica acima descreve como os sacerdotes diagnosticavam a enfermidade do pecado no povo. Está escrito: “Falou mais o SENHOR a Moisés e a Arão, dizendo: Quando um homem tiver na pele da sua carne, inchação, ou pústula, ou mancha lustrosa, na pele de sua carne como praga da lepra, então será levado a Arão, o sacerdote, ou a um de seus filhos, os sacerdotes. E o sacerdote examinará a praga na pele da carne” (Levítico 13:1-3). Como está escrito aqui, quando um israelita tinha uma mancha na pele que parecia lepra, ele tinha que mostrar ao sacerdote primeiro. Este então examinava a pessoa e dava o diagnóstico, como diz acima: “E o sacerdote examinará a praga na pele da carne; se o pêlo na praga se tornou branco, e a praga parecer mais profunda do que a pele da sua carne, é praga de lepra; o sacerdote o examinará, e o declarará por imundo” (Levítico 13:3). Se fosse constatado que era mesmo lepra, a pessoa tinha que ser levada para uma colônia de leprosos fora do arraial.
Há uma pequena ilha na Coreia do Sul chamada Sorokdo, conhecida por todos como um leprosário. O governo criou uma colônia de leprosos nesta ilha para colocar os infectados em quarentena e evitar o contágio da doença entre a população. Do mesmo modo, se o sacerdote diagnosticasse que um israelita estava com lepra, ele tinha que ser separado de todos, inclusive da sua família. Vemos então que o povo de Israel levava esta doença muito a sério. E como eles serviam a um Deus santo, ninguém com lepra podia viver junto ao povo. Os israelitas tinham que se separar de toda impureza. Por isso que a lepra era considerada a doença mais grave em Israel. Então, era comum alguém achar que estava com sintoma da lepra quando percebia qualquer alteração na pele.
Se uma mancha na pele demorasse a sumir, isso geralmente indicava um sério problema. A pele de alguém com lepra é diferente da pele das outras pessoas. Para termos uma ideia, a lepra deixa a pele como a casca de um caqui quando cai no chão. Quando um caqui cai da árvore e fica amassado no chão, sua casca começa a soltar, e então ele passa a dar mofo e apodrecer. O mesmo acontece quando alguém está com lepra e os sintomas começam a aparecer na sua pele. Manchas e pústulas começam a aparecer e sua pele começa a apodrecer.
Houve uma época em que a lepra se espalhou pela Coreia do Sul e era considerada uma doença muito grave. Tanto que os infectados ficavam em quarentena, isolados da sociedade e até da sua própria família. E isso sem dúvida gerava um trauma na vida deles, levando-os a se sentir muito mal e a pensar por que haviam nascido neste mundo. A lepra era uma doença muito comum na antiguidade. Hoje pode ser tratada se for logo diagnosticada. Mas no passado não era assim. Não havia tratamento, muito menos uma forma de escondê-la, já que seus sintomas se espalhavam pelo corpo todo. Quem tinha lepra era obrigado a viver longe da família e não tinha mais convívio social. E esta separação da sociedade, o que impedia os leprosos de ter uma vida social normal, era o que lhes causava maior sofrimento.
Espiritualmente falando, os leprosos representam os pecadores que serão condenados pelos seus pecados. Todos que têm pecado perante Deus precisam ser purificados. E se isso não acontecer durante sua vida, eles serão lançados no inferno. Isso se aplica à nossa família também. Nós vamos para o céu porque cremos na justiça de Jesus Cristo e recebemos a remissão de pecados, mas se isso não acontecer com nossos familiares, eles irão para o inferno. Deus purificou todos os pecados que cometemos nesta terra com o evangelho da água e do Espírito. E todo aquele que crer neste evangelho receberá a remissão de pecados e irá para céu. Mas os pecadores que não creem nele sofrerão para sempre no inferno. Por isso que os leprosos tinham que mostrar sua doença ao sacerdote para ser tratados.
 
 
Vamos ver agora quem era diagnosticado como leproso
 
Está escrito em Levítico 13:8-13: “E o sacerdote o examinará, e eis que, se a pústula na pele se tem estendido, o sacerdote o declarará por imundo; é lepra. Quando no homem houver praga de lepra, será levado ao sacerdote, e o sacerdote o examinará, e eis que, se há inchação branca na pele, a qual tornou o pêlo em branco, e houver carne viva na inchação, lepra inveterada é na pele da sua carne; portanto, o sacerdote o declarará por imundo; não o encerrará, porque imundo é. E, se a lepra se espalhar de todo na pele, e a lepra cobrir toda a pele do que tem a praga, desde a sua cabeça até aos seus pés, quanto podem ver os olhos do sacerdote, então o sacerdote examinará, e eis que, se a lepra tem coberto toda a sua carne, então declarará o que tem a praga por limpo; todo se tornou branco; limpo está”. A lepra é uma doença que se espalha rápido por todo o corpo. Quando alguém é infectado, não há um tratamento que possa evitar as lesões na pele, pois o agente patogênico da lepra é resistente a estes tratamentos. E como não há um tratamento específico, as lesões na pele acabam se espalhando por todo o corpo e causando sérias deformidades na pessoa.
Espiritualmente falando, quem tem pecado no coração é como alguém que foi infectado com a lepra. E foi através destes pecadores que o pecado se espalhou por todos os cantos da terra. E os que foram infectados com esta doença não podem evitá-la, por mais que queiram. Isso porque o homem, que nasceu em iniquidade, está propenso a pecar constantemente ao longo de toda a vida. Espiritualmente falando, eles estão infectados com a doença do pecado. E assim como o agente patogênico da lepra se espalha rápido e devora a pele da pessoa, isso acontece de um modo espiritual na vida dos que possuem pecado no coração.
Deus disse que ainda no ventre todos nós éramos pecadores. O que é a lepra espiritual que contaminou a todos então? É o pecado que se encontra no coração de todo ser humano. Deus disse que como somos uma descendência de malfeitores por natureza, todos somos leprosos espirituais. E a pergunta que ele nos faz é esta: “O que é a vida? O que é o céu? Quem é pecador? O que acontece com aqueles que creem no evangelho da água e do Espírito?”
 
 
A natureza do homem
 
Vamos ler agora Salmos 51:5-6, no Antigo Testamento:
“Eis que em iniquidade fui formado,
E em pecado me concebeu minha mãe.
Eis que amas a verdade no íntimo,
E no oculto me fazes conhecer a sabedoria”.
Como Deus vê a natureza do homem segundo a Bíblia? Como está escrito na Palavra de Deus, todo ser humano é um poço de pecados. O homem é um poço de pecados desde o ventre. Davi disse que todos foram concebidos em pecado e formados em iniquidade. E como todos nós fomos concebidos em pecado, isso significa que ao nascermos herdamos de nossos pais desejos malignos como de homicídio, furto, inveja e loucura.
Em outras palavras, nós seres humanos somos pecadores porque herdamos os pecados de Adão e Eva, nossos pais. Todos nós nascemos como um poço de iniquidades. Somos uma geração de malignos. E o pecado que herdamos não foi apenas no corpo, mas também no coração. Por isso que a Bíblia diz que “pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores” (Romanos 5:19). Todos nós temos pecado no coração porque Adão e Eva pecaram contra Deus.
 
 
Os pecados do coração do homem
 
Vamos ler a Palavra de Deus novamente para ver quais são os pecados que há no coração do homem. Marcos 7:20-23: “E dizia: O que sai do homem isso contamina o homem. Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as fornicações, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem”.
Como somos seres humanos, nosso coração vive tendo pensamentos maus, por mais que nos esforcemos para evitá-los. Por exemplo, acontecimentos trágicos atraem a nossa atenção. Gostamos de ver quando uma casa está pegando fogo. Quando ouvimos que um acidente no mar matou 300 pessoas, sentimos pelas vítimas, mas antes disso ficamos pensando que poderia ter sido bem pior. Todos nós temos pensamentos maus e adoramos o sensacionalismo, mesmo que isso envolva a morte trágica de 300 pessoas. Em suma, todos nós nascemos com desejos malignos de pecar. E é justamente pelo fato de o homem ter pensamentos maus e desejos imorais no coração que fazemos o mal onde quer que estejamos.
O problema, obviamente, é que todo pecador está debaixo da ira de Deus. Esta é sua justiça. Mas a salvação que vem por esta mesma justiça já erradicou todos os pecados. Isso porque o Senhor veio a esta terra como homem, levou todos os pecados deste mundo ao ser batizado por João Batista, morreu crucificado levando todos estes pecados e ressuscitou dos mortos. Se conhecermos esta verdade e crermos nela, seremos salvos de todos os nossos pecados de uma vez por todas. Nós que cremos no evangelho da água e do Espírito não somos mais pecadores como éramos no passado. E a razão disso é que agora temos no coração a verdade do evangelho da água e do Espírito. Por isso que nós que fomos remidos não temos mais prazer em pecar neste mundo. A maioria das pessoas busca prazer porque tem um coração imoral, mas os justos não são assim.
Isso acontecia no passado, pois não sabíamos que éramos pecadores que pecavam o tempo todo contra Deus. Achávamos que éramos o máximo e nem nos preocupávamos com o pecado. Pensávamos que tudo que fazíamos era por causa da nossa natureza humana, e não tínhamos a menor ideia de que aquilo tudo era um grande pecado contra Deus. Mas quando examinávamos a nós mesmos e os Dez Mandamentos dados por Deus, víamos que de fato éramos pecadores. Deus nos deu os Dez Mandamentos e disse que não deveríamos adulterar ou roubar. Contudo, não sabíamos que éramos pecadores mesmo quando cometíamos estes pecados. Depois, quando soubemos que Deus derramaria sua ira sobre quem pecasse, reconhecemos que éramos de fato pecadores.
O homem é uma descendência de malfeitores e um ser egoísta por natureza. Seus pensamentos são tão maus que desejamos mais que as pessoas fracassem do que sejam bem sucedidas; exceto quando se trata dos nossos familiares ou pessoas que amamos. Não conseguimos suportar quando alguém é próspero. Quando pega fogo na casa de alguém, nosso desejo é que ela seja toda consumida pelo incêndio. Assim é a maldade do ser humano. Você acha que estou exagerando? Vamos olhar para dentro de nós agora. Não é verdade que ficamos decepcionados quando o fogo é logo apagado? Não podemos evitar isso por causa da nossa natureza humana. Ficamos com medo que o fogo se espalhe e atinja nossa casa, mas por outro lado gostamos de ver quando a casa dos outros é totalmente consumida pelo incêndio.
Por isso que tudo que procede do coração do homem são os maus pensamentos. E se Deus não apontasse nossos pecados, jamais saberíamos que somos um poço deles. Eu também cometia estes pecados, e só depois que encontrei a justiça de Deus foi que conheci o meu verdadeiro eu. Eu achava que levava uma vida de retidão, mas não sabia que na verdade era um poço de pecados perante Deus.
 
 
Os pensamentos maus nos levam a pecar
 
Assim como a lepra se espalha rápido pelo corpo todo, o pecado também devora a nossa alma. Como tudo que está vivo cresce naturalmente, assim acontece com os maus pensamentos na mente do homem. E como a iniquidade se espalha rápido, o homem gera frutos do pecado onde quer que esteja. Nós pecamos todos os dias, e não podemos evitar isso. O homem não faz nada além de pecar durante os seus 80, 90 anos de vida. Por isso que a Bíblia diz que somos uma geração de malignos. Em suma, o homem é tão maligno que merece ir para o inferno; a não ser que conheça a justiça de Jesus e creia nela, é claro. Este é o problema mais grave que enfrentam todos que vivem em pecado.
Mas Deus concede sua misericórdia a pessoas como nós, e espera pacientemente que cada um de nós seja salvo. E ele é misericordioso, ao contrário de nós, que não conseguimos perdoar aqueles que sempre nos fazem mal. E até hoje ele nos diz: “Voltem para o evangelho da água e do Espírito. Vocês são leprosos espirituais. Voltem para mim e eu curarei sua enfermidade.”
O Senhor preparou a salvação para nós com a justiça de Deus. E ele nos disse que “do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as fornicações, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem” (Marcos 7:21-23). Deus olha para o coração do homem primeiro, e não para sua aparência. Mas os sacerdotes tinham que olhar para a aparência. Eram os sacerdotes que nos dias do Antigo Testamento examinavam as pessoas para ver se tinham lepra. Se as feridas na pele estivessem espalhadas pelo corpo, então era considerada lepra. O mesmo diagnóstico era dado se a ferida na pele fosse profunda e os pelos na área afetadas fossem brancos. E mesmo que não estivesse se espalhado pelo corpo, mesmo assim era considerada lepra. Do mesmo modo, mesmo que alguém não tenha pecado em seus atos ainda, se ainda houver pecado no seu coração por ele não ter recebido a remissão de pecados, ele é um pecador. O agente patogênico da lepra reside no corpo sem demonstrar os sintomas, mas no fim eles acabam aparecendo. O mesmo acontece com aquele que tem pecado no coração: ele sempre será um pecador.
As pessoas deste mundo não chamam ninguém de pecador por causa dos pecados do seu coração. Elas só chamam alguém de pecador quando os pecados do seu coração se transformam em atos; ou seja, quando alguém comete um pecado aberto e concreto. Deus diz na lei que não devemos cometer adultério e homicídio. Mas pelo lado humano, não há ninguém que consiga guardar todos os mandamentos de Deus. Como a menina no conto dos sapatinhos vermelhos, não fazemos nada que nos mandam fazer. Deus disse para não adorarmos outros deuses perante ele, mas o que o homem fez? Criamos vários tipos de falsos deuses. Alguns dizem que tudo e todos são divinos. E vemos o mesmo tipo de desobediência no que se refere às relações humanas. Embora Deus tenha dito de modo bem claro que devemos honrar nossos pais, não fazemos isso. Muitos usam seus pais como um meio para conseguir o que querem e os consideram um fardo pesado quando eles ficam velhos. Muitos hoje em dia tiram de seus pais ao invés de dar a eles, e ao invés de honrá-los, ainda os tratam mal quando estão idosos.
O Senhor também disse que não devemos roubar, mas só que não fazemos o que ele mandou. Por mais que queira, o homem é incapaz de fazer coisas virtuosas porque nasceu como uma geração de iniquidade. E como seu coração não tem mais nada além de pecado, não conseguimos fazer outra coisa senão pecar. Assim é a natureza humana. Pecamos toda hora, onde quer que estivermos. É claro que muitos têm o desejo de fazer o bem e pensam assim: “Eu tenho que viver em retidão” mas ninguém consegue fazer isso. Outros lamentam e dizem: “Eu já li sobre todos os grandes homens que levaram uma vida de retidão. E eu quero ser bom e virtuoso como eles. Por que sou tão miserável então?” Embora o homem tenha um coração mau, por outro lado, ele tem o desejo de ser bom. No entanto, somos incapazes de fazer o bem como queremos, pois não conseguimos deixar de praticar a maldade que não queremos fazer. Por isso que o homem é uma descendência de malfeitores por natureza. A semente do homem é tão ruim que nascemos como uma geração de malignos. É isso que diz a Palavra de Deus, então esta é a verdade, gostemos ou não.
 
 
Vamos ver com atenção agora o que o livro de Isaías diz a respeito dos pecados do homem
 
Vamos ler Isaías 1:2-4:
“Ouvi, ó céus, e dá ouvidos, tu, ó terra;
Porque o Senhor tem falado:
Criei filhos, e engrandeci-os;
Mas eles se rebelaram contra mim.
O boi conhece o seu possuidor,
E o jumento a manjedoura do seu dono;
Mas Israel não tem conhecimento,
O meu povo não entende.
Ai, nação pecadora,
Povo carregado de iniquidade,
Descendência de malfeitores,
Filhos corruptores;
Deixaram ao Senhor,
Blasfemaram o Santo de Israel,
Voltaram para trás”.
Foi isso o que Deus disse ao profeta Isaías ao lamentar sobre a “nação pecadora, povo carregado de iniquidade, descendência de malfeitores, filhos corruptores”. E ele está falando isso não somente do povo de Israel, mas de todos nós. Nossos pais pecaram porque não creram na Palavra de Deus. E como eles nos passaram seus pecados, também nascemos pecadores. Por isso que para Deus somos uma descendência de malfeitores, pessoas cheias de iniquidade. Se olharmos para nossos atos de retidão, que virtude há em nós? É até algo digno o homem tentar ser bom, mas isso para Deus não passa de hipocrisia. Em outras palavras, as pessoas procuram fazer o bem porque são más e querem esconder sua maldade. Algumas fazem boas obras esperando receber algum tipo de recompensa, e pensam assim: “O que eu vou ganhar com isso? Se eu fizer algo bom, como dar dinheiro para um mendigo, eu tenho certeza que Deus verá e me recompensará.”
O que é hipocrisia? Em mandarim, a palavra hipocrisia é formada pela junção de dois caracteres: um deles significa ‘falso’ e o outro, ‘bondade’. Neste caso então, hipocrisia significa ‘falsa bondade’. Isso se aplica àquele que não é justo mas age como tal. Por exemplo, fazer uma doação para um orfanato é algo bom, mas a pessoa faz isso para esconder sua maldade ou para ser reconhecida. Então isso é uma falsa bondade. O mesmo vale para aqueles que fazem doações para que crianças pobres possam estudar. Isso é uma boa ação, mas se a pessoa espera receber algo de Deus em troca, é hipocrisia. Muitas, diversas pessoas agem com hipocrisia para esconder sua maldade.
Vamos dizer que alguém cometa uma fraude e roube três milhões de dólares. Vamos dizer também que esta pessoa doe 500 mil dólares como bolsa para estudantes. Mas e os outros 2.500 dólares? Foi direto para o seu bolso. Os jornais então destacam a doação de meio milhão de dólares, mas não fala nada de onde veio o dinheiro. A pessoa é vista então como alguém muito altruísta por doar 500 mil dólares do seu dinheiro suado. É isso justamente que significa hipocrisia. O que este sujeito fez realmente? Ele roubou milhões de dólares. É um criminoso que roubou o dinheiro de alguém. Mas as pessoas na sociedade o têm em grande consideração. Assim é a hipocrisia do ser humano.
Quem realmente pratica a bondade são aqueles que receberam a remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito e vivem para este evangelho. Uma vida que serve ao evangelho da justiça perante Deus e obedece aos seus mandamentos sem buscar seus próprios interesses é uma vida que pratica a verdadeira bondade.
Já que o coração de todo mundo está cheio de desejos malignos, como o ser humano pode dizer então que é bom? Quando Deus olha para o coração do homem hoje, ele vê que nele não há nada além de iniquidade. E estes pecados que há no coração das pessoas acabam vindo à tona e se multiplicando. Às vezes pecamos somente no coração, outras vezes em atos também. Já que todos nós nascemos em iniquidade, cometemos todo tipo de pecado enquanto vivemos neste mundo. E por mais que a princípio sejam apenas pecados pequenos, no fim todos acabam cometendo grandes pecados. Por isso que Deus disse que todos nós somos pecadores, uma descendência de malfeitores.
Antes de crermos no evangelho da água e do Espírito, primeiro temos que entender que somos pecadores condenados ao inferno aos olhos de Deus. Mas para fazermos isso, precisamos ter a lei de Deus em nosso coração. Deus nos deu a lei, que é composta por 613 mandamentos, inclusive os Dez Mandamentos. “Não terás outros deuses diante de mim. Não farás imagem de escultura e te dobrará perante elas. Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão. Guardarás o sábado para o santificar. Honrarás pai e mãe. Não matarás. Não adulterarás. Não darás falso testemunho. Não cobiçarás a mulher do teu próximo ou seus bens”. Quando aceitamos de coração a lei de Deus, podemos entender como somos maus perante ela e que todos nós somos uma descendência de malfeitores.
Sem a lei não conseguimos entender que somos pecadores. Melhor dizendo, somente quando olhamos para nós mesmos através da lei de Deus é que entendemos que somos pecadores. Todos têm uma desculpa para justificar suas atitudes, é por isso que ninguém reconhece que é um pecador condenado ao inferno. Os que dizem a Deus que seus pecados são pequenos também acham que há muita bondade em si. E a justiça do homem é justamente isso. Mas você precisa entender que esta justiça para Deus é como trapo de imundícia. Crer na justiça do homem é o mesmo que jogar... É o mesmo que um monte de estrume dizer para Deus que está limpo e não cheira mal. Deus é justo, santo e não tem pecado algum. Seu coração é puro e seus atos são santos e justos. Então como pode o homem, que é um poço de pecado, querer a aprovação de Deus escondendo seus pecados imundos e vivendo de aparências? E por mais que reclame de Deus dizendo: “Mas Senhor, eu fiz tantas coisas boas” isso vai mudar sua natureza? Claro que não. E é isso o que Deus diz a estas pessoas: “Por que você diz que é santo se está cheio de pecados? Você é um pecador que não consegue obedecer à minha Palavra.”
Por isso que somos totalmente expostos quando nos vemos diante da lei de Deus. É aí também que compreendemos que não valemos nada, que não há nada de bom em nós. É por isso também que quando o homem está diante de Deus, é inevitável que sua justiça humana seja toda anulada. Até os crentes no evangelho da água e do Espírito quando se veem diante de Deus reconhecem que não servem para nada, senão para servir à sua justiça. Se conhecêssemos os estatutos de Deus, obedecêssemos aos seus mandamentos e soubéssemos que ele é um Deus justo, o justo Juiz, veríamos que não somos nada mesmo e como é maravilhosa a graça pela qual ele salvou todos os pecadores com o evangelho da água e do Espírito. As pessoas só dizem que possuem justiça própria porque ainda não viram seu verdadeiro eu perante Deus.
 
 
O engano da própria justiça
 
Se você se acha justo e que é grande coisa, esta é a prova de que ainda não buscou ao Deus santo com sinceridade. Busque a Deus com sinceridade e veja se é possível ser justo perante ele. A primeira coisa que aquele que se acha justo deve fazer é reconhecer como sua justiça própria é imunda. E Deus permite que muitos sofram para que entendam isso. Todos neste mundo cometem todo tipo de pecado. Mas por que Deus tolera isso? Por que ele poupa a vida dessas pessoas? Em outras palavras, por Deus não pune todas elas? Ele faz isso para que todos conheçam sua justiça e recebam a verdadeira salvação.
No entanto, muitos sofrem nesta terra porque não conhecem nem creem no evangelho da água e do Espírito, que é a justiça de Deus. E é muito importante entendermos que não somos diferentes dessas pessoas. Também não há nada de bom em nós que possa agradar a Deus. Mas ele permite que muitos passem por lutas para despertá-los e fazer com que eles conheçam sua justiça e recebam a remissão de pecados.
Todos que se acham justos sofrem ainda mais. E se insistirem em manter sua própria justiça até o fim, eles enfrentarão o justo juízo de Deus. Os que se acham muito justos não podem ser salvos nem por Deus; e são estes que tentam ir para o céu santificando a si mesmos. Até Deus não pode fazer nada por essa gente. São eles que dizem: “Eu fui remido do pecado original porque aceitei Jesus. De agora em diante vou receber a remissão dos meus pecados pessoais fazendo orações de arrependimento todos os dias, pois assim irei para o reino dos céus.”
Essas pessoas seguem a hedionda doutrina da santificação contínua e dizem que se buscarem se santificar a vida inteira, serão totalmente libertos dos seus pecados quando morrerem. Nem Deus pode ajudar os que levam uma vida de fé errada assim. Aqueles que reconhecem suas falhas, por sua vez, creem que é somente pela fé na justiça de Deus que podem entrar no reino dos céus. Os tolos, contudo, acham que irão para o céu por causa da sua própria virtude.
Todos que se acham justos serão lançados no inferno. Você acha que há alguma virtude em você então? Dê um passo à frente se você acha que é merecedor de alguma coisa! Se você acha que existe algo de bom em si mesmo, vamos ler a Palavra de Deus agora para ver se você está certo. Mas antes de tudo, lembre-se do que a Bíblia diz sobre o pecado: “O salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23). E está escrito em Êxodo 20:3: “Não terás outros deuses diante de mim”. Você pode reclamar e dizer que crê apenas em Deus, mas será que é verdade? Você serve somente a Deus mesmo?
Vamos ver. Você precisa de dinheiro para sobreviver. E vamos dizer que você foi contratado por uma empresa que lhe ofereceu um alto salário. Só o fato de você ser cristão não agrada ao dono da empresa. Então ele pede a você que não vá mais aos cultos durante a semana, e em troca promete lhe pagar um valor extra de três mil reais por mês. Você não ficaria tentado com esta proposta? Com certeza ficaria sim. Vivemos num mundo onde o dinheiro se tornou um deus hoje em dia, assim como as pessoas. As coisas deste mundo viraram deuses. Existe alguém que não gosta de dinheiro? Até os cristãos não gostam quando Deus interfere nos seus planos e projetos para ganhar dinheiro. Será que não existe então alguém que não gosta de adorar outros deuses além de Deus? Não, os cristãos de hoje dizem que adoram a Deus, mas só fazem isso da boca para fora; o que eles adoram mesmo é o dinheiro. Você pode dizer com toda a certeza que só adora a Deus? Você tem certeza que não adora nenhum ídolo?
Se alguém adora o dinheiro mais do que a Deus, essa pessoa é culpada do seu pecado ou não? É claro que sim. Deus disse que todos que têm pecado, por menor que seja, será lançado no inferno. Ele diz em Romanos 6:23 que “o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor”. Isso significa que se você tiver algum pecado, por menos que seja, você será lançado no inferno. Esta é a lei de Deus. Mas quando cremos pela fé, recebemos a remissão de pecados. Agora, se não crermos com fé, seremos lançados no inferno. Precisamos de duas coisas para crermos com fé e recebermos a remissão de pecados. Primeiro, temos que crer na lei, e segundo, temos que crer na lei da graça. Se conhecermos estas duas leis e crermos nelas, receberemos a salvação.
 
 
A destruição que aguarda os que se acham justos
 
Eu vou dizer novamente, todos que se acham justos serão destruídos. Algumas pessoas neste mundo dizem que são tão boas que não precisam da lei, mas todas elas estão erradas por pensar assim. Mas como vivem estas pessoas que acham que não precisam da lei de Deus? Elas fingem ser justas mas na verdade são astutas, pois quando veem que podem se dar bem, elas pecam enquanto ninguém está olhando. Há alguém aqui que jamais pegou algo de uma pessoa sem permissão, nem uma vez sequer? Eu tenho certeza que vocês já fizeram isso, nem que tenha sido um biscoito ou brinquedo.
Os que dizem que podem viver sem a lei de Deus na verdade são os piores pecadores, já que se exaltam tanto e não veem a necessidade de receber a remissão de pecados. Imagine que tragédia seria se fôssemos com essas pessoas. Nós não creríamos no evangelho da água e do Espírito e muito menos teríamos recebido a remissão de pecados. Mas os olhos de Deus estão sempre sobre nós. Ele vê todo pecado que cometemos e o deixa gravado no Livro das Obras. O Senhor diz em Salmos 139:2: “Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento”.
Se não confiarmos na justiça de Deus, cairemos na armadilha do pecado e acabaremos indo para o inferno. É como um peixe nadando tranquilamente sem perceber que está indo em direção à rede. E quando cai na rede, ele não sabe que aquilo é uma armadilha. Então ele continua nadando, como sempre faz, mas quando cai na rede não consegue escapar. O mesmo acontece com o homem, que quando cai na armadilha do pecado é lançado no inferno. As pessoas são lançadas no inferno porque caem em pecado. Pode alguém que nasceu neste mundo jamais cometer pecado, nem um sequer? Isso é completamente impossível. Mas há muitos que se acham justos e que são realmente bons. Deste modo se colocam contra a justiça de Deus e não podem evitar a morte. Se você se acha justo, eu peço a você que reconheça o mais rápido possível perante Deus que é pecador e creia no evangelho da água e do Espírito para ser salvo dos seus pecados.
Eu vejo que alguns de vocês estão de cabeça baixa, com medo de eu perguntar sobre os seus pecados. Eu nunca farei isso, mas peço a vocês que abram seu coração para Deus. E se confessem a ele quando ele perguntar se vocês têm pecado. Assim vocês serão salvos de todos os seus pecados crendo no evangelho da água e do Espírito. Mas se vocês não estiverem certos se são pecadores ou não, ou se insistirem em manter sua própria justiça ao invés de confiar na justiça de Deus, vocês provocarão a sua ira. Deus considera aqueles que são teimosos e se acham justos homens de belial. E ele permite que eles caiam em pecado se levantando contra sua justiça.
A vida e a morte de todo ser humano está nas mãos de Deus. É isso que você tem que entender aqui. Todo mundo tem um tipo de fraqueza ou algo que é comum a todos. Alguns são fracos em relação ao sexo oposto, enquanto outros são fracos em questões de dinheiro. Então é impossível o homem não pecar. E Deus sabe tudo sobre nós. Por mais forte que alguém seja, se não confiar na justiça de Deus, ele não terá outro destino a não ser o inferno. E por mais que se arrependa ou peça perdão, isso não vai adiantar nada. Se não confiar na justiça de Deus e crer nela, seus pecados jamais serão remidos.
Deus deixa registrados nossos pecados no Livro do Juízo e na tábua do nosso coração. Ele diz em Jeremias 17:1: “O pecado de Judá está escrito com um ponteiro de ferro, com ponta de diamante, gravado na tábua do seu coração e nas pontas dos vossos altares”. Isso significa que deixa gravado na tábua do nosso coração todos os pecados que cometemos. Por isso que nos lembramos deles o tempo todo e vivemos dando desculpas. Quer estejamos na cama ou na mesa de jantar, nossa consciência sempre nos lembra da culpa pelos nossos pecados. E para tirar este peso dela, culpamos os outros e colocamos neles a culpa por termos pecado. Apesar de acharmos que somos inocentes, no fundo nossa consciência nos diz que somos culpados. E isso acontece porque nossa própria justiça luta contra a lei de Deus dentro de nós.
 
 
A pior de todas as enfermidades é a doença do pecado
 
Assim como a doença mais grave e repugnante é a lepra, a mais terrível e repulsiva doença espiritual é a enfermidade do pecado que há no coração do homem. E este pecado é o que causa a doença mais repulsiva. São os pecados do coração do homem que nos faz exalar um fedor insuportável, nos torna incapazes de cumprir nosso papel como seres humanos, e nos afasta dos outros. Este é o pecado que leva o homem a perder sua humanidade.
O ser humano foi feito conforme a imagem de Deus, e por isso é a criatura mais linda criada por ele. Mas embora tenhamos sido criados como um seres extraordinários, por causa do pecado nos tornamos seres vergonhosos e miseráveis. Os pecados do homem o corromperam totalmente. O pecado faz do homem um ser vil, um verdadeiro lixo humano. Os pecados que habitam no coração dos seres humanos e em seus atos os transformam numa lixeira. Mas até estas pessoas podem ser libertas desta condição miserável se receberem a remissão de pecados. Portanto, o maior presente que o homem recebeu foi Jesus Cristo ter apagado todos os seus pecados. E é entendendo bem isso que devemos crer nele.
Vamos ler agora Levítico 13:12-13: “E, se a lepra se espalhar de todo na pele, e a lepra cobrir toda a pele do que tem a praga, desde a sua cabeça até aos seus pés, quanto podem ver os olhos do sacerdote, então o sacerdote examinará, e eis que, se a lepra tem coberto toda a sua carne, então declarará o que tem a praga por limpo; todo se tornou branco; limpo está”.
Todos que não receberam a remissão de pecados vivem num estado pecaminoso. Já que todos nós nascemos em pecado, só deixamos de ser pecadores quando recebemos a remissão de pecados. Como um pecador pode ser salvo então? O caminho da salvação é descrito nos versículos 13 e 14: “E, se a lepra se espalhar de todo na pele, e a lepra cobrir toda a pele do que tem a praga, desde a sua cabeça até aos seus pés, quanto podem ver os olhos do sacerdote, então o sacerdote examinará, e eis que, se a lepra tem coberto toda a sua carne, então declarará o que tem a praga por limpo; todo se tornou branco; limpo está”.
Você deve estar pensando como alguém pode ficar limpo da lepra quando ela já se espalhou por todo o corpo. Já que uma pequena mancha numa parte do corpo que é difícil ver é considerada um sinal de lepra, como podemos dizer então que uma pessoa com estes sintomas pode ser curada? O padrão bíblico é diferente do padrão humano. Deus nos diz nas Escrituras como podemos receber a remissão de pecados. E o que o texto acima nos ensina é que Deus salva o homem quando ele reconhece que não tem justiça alguma diante dele, admite que não há nada de bom em si quando se vê à luz da Palavra da lei, concorda que não pode evitar a morte e confessa: “Senhor, eu mereço ser lançado no inferno. Eu nunca fiz o que é bom.”
O pecador que reconhece apenas parte do seu pecado não pode ser salvo. Por isso que o Senhor disse que o leproso só seria considerado limpo da doença se todo o seu corpo, dos pés à cabeça, não tivesse mais manchas. Isso significa que Deus salva as pessoas e as torna perfeitas apagando os pecados que elas cometeram sua vida toda, assim como a lepra era curada. É isso o que diz a Palavra de Deus. Deus salva quem reconhece que é totalmente pecador, não aquele que admite somente parte da sua pecaminosidade. Totalmente pecador é aquele que reconhece perante Deus que não consegue obedecer à sua Palavra, que se colocou contra ele, está condenado ao inferno, e implora a Deus que salve um pecador como ele. Deus só pode salvar aquele que reconhece que é totalmente pecador.
Alguns de nós que recebemos a remissão de pecados podemos ser tentados a pensar assim: “Eu pequei sim, mas isso não tem importância porque não vou pecar de novo. Obrigado, Senhor, por ter remido todos os meus pecados.” Só que os que pensam assim na verdade não são gratos a Deus. Eles pensam que agora que Jesus os salvou e remiu todos os seus pecados, eles não precisam mais dele. Melhor dizendo, eles acham que já que receberam a remissão de pecados, não precisam mais andar com Jesus ou fazer parte da igreja. Como receberam a remissão de pecados, eles acham que estão sendo reprimidos por Jesus e não gostam disso. E como sabem que ele apagou todos os seus pecados, eles acham que não precisam mais dele. Então seguem seu caminho que um dia encontrarão o Senhor no céu. Se isso não é um pensamento completamente egoísta, o que mais seria? Mas ao invés de ir para o céu, essas pessoas vão acabar no fogo do inferno, pois com certeza traíram a justiça de Jesus Cristo.
Vamos ler agora Hebreus 6:1-8: “Por isso, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, e da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno. E isto faremos, se Deus o permitir. Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro, e recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério. Porque a terra que embebe a chuva, que muitas vezes cai sobre ela, e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada, recebe a bênção de Deus; mas a que produz espinhos e abrolhos, é reprovada, e perto está da maldição; o seu fim é ser queimada”.
Eu já vi muitas pessoas que não vêm mais à Igreja de Deus depois que creem no evangelho da água e do Espírito e recebem a remissão de pecados. E sempre que as vejo, eu fico pensando qual será o seu fim. Será que eu vou vê-la no céu? Esta é uma pergunta que não posso responder com certeza. Mas por que a Bíblia nos adverte quanto a isso? O que acontecerá se deixarmos a igreja, não pregarmos mais o evangelho da água e do Espírito, e vivermos com as pessoas deste mundo? Se isso acontecer, cometeremos o mais grave de todos os pecados. Também passaremos a odiar os servos de Deus, porque eles continuarão sendo justos, mas nós viveremos em pecado.
Os que pertencem às trevas não gostam da luz, pois uma se opõe a outra. E como eles não gostam da luz, seu coração se torna em trevas. Em pouco tempo então eles começam a odiar os servos da justiça e a se opor a eles. Mas isso acontece não porque eles decidiram fazer isso pela sua própria vontade, mas porque dominados pelas trevas, não gostam da luz. Quem está em trevas não gosta da luz. Por esta razão, mesmo que estas pessoas em algum momento tenham recebido a remissão de pecados, no fim elas não dão nenhum dos frutos da justiça que Deus se agrada.
Por isso que os nascidos de novo jamais devem deixar a Igreja de Deus e seguir seu caminho. Temos que ser guerreiros de oração para fazer a obra de Deus, que antes de tudo oram por sua obra. Precisamos estar ligados à justiça de Deus. Só assim poderemos unir nossas forças para fazer a boa obra de Deus. O Senhor disse que o Espírito Santo sempre habitará nos justos que não deixarem sua igreja e andará com eles (2 Coríntios 6:16).
Está escrito no texto que lemos em Hebreus 6:1-2: “Por isso, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, e da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno”. A Bíblia está falando aqui justamente da fé no evangelho da água e do Espírito. E como Deus nos disse que devemos prosseguir em perfeição, tudo que precisamos fazer é crer no evangelho da água e do Espírito e continuar assim. Também está escrito aqui: “E isto faremos, se Deus o permitir. Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo”. Este texto diz que o Espírito Santo habita nos que foram salvos. Por isso que temos sempre alegria e paz no coração.
E a Bíblia continua dizendo: “E provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro, e recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério. Porque a terra que embebe a chuva, que muitas vezes cai sobre ela, e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada, recebe a bênção de Deus; mas a que produz espinhos e abrolhos, é reprovada, e perto está da maldição; o seu fim é ser queimada”. Mas o que Deus quer dizer com isso?
O que acontecerá com aqueles que não fazem parte da Igreja de Deus depois que creem no evangelho da água e do Espírito e nascem de novo? Estes em algum momento participaram da obra do Espírito Santo e provaram o dom celestial. Em outras palavras, eles receberam a remissão de pecados. Só que sua fé se corrompeu. Então eles passaram a pertencer mais às pessoas do mundo do que a família santa da Igreja de Deus. E o que o Senhor está dizendo aqui é que eles não podem mais ser renovados para que se arrependam. Mesmo crendo na justiça de Deus, essa gente ainda gosta de ouvir o que dizem os que não nasceram de novo. E eles são levados a crer que podem receber a remissão de pecados todos os dias fazendo orações de arrependimento. O que explica isso? Eles agem assim porque seus atos são impuros.
Estas pessoas precisam voltar para o evangelho da água e do Espírito e ter seu coração curado para que possam ser purificadas. Até nós que nascemos de novo e cremos no evangelho da água e do Espírito ainda pecamos nesta terra. No entanto, quando ouvimos a Palavra de Deus em sua igreja, o adoramos temos comunhão uns com os outros, podemos ver por experiência própria como nosso coração ferido é curado. Agora, se nosso coração não for curado do que o aflige todos os dias neste mundo e permitirmos que ele se corrompa, não podemos dizer a Deus com a consciência tranquila que somos justos. Apesar de termos recebido a remissão de pecados por crermos no evangelho da água e do Espírito, nosso coração ficará endurecido se formos para o mundo e vivermos como servos de Satanás. E isso pode acontecer com quem recebeu a remissão de pecados e compreende bem a justiça de Deus quando eles ouvem o evangelho da água e do Espírito com seus ouvidos, mas não vivem como servos de Deus. Isso é o que Deus diz àqueles que traem a sua justiça.
Diz a Bíblia: “Porque a terra que embebe a chuva, que muitas vezes cai sobre ela, e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada, recebe a bênção de Deus; mas a que produz espinhos e abrolhos, é reprovada, e perto está da maldição; o seu fim é ser queimada” (Hebreus 6:7-8). Isso quer dizer que Deus separará os justos dos ímpios e lançará estes no fogo consumidor. Mas se ele não tivesse nos dado esta Palavra de advertência, não saberíamos o fim daqueles que traem a sua justiça.
Eu tenho plena convicção de que aquele que de fato nasceu de novo crendo no evangelho da água e do Espírito permanecerá na Igreja de Deus. Agora, se ele quiser ir para o mundo e seguir Satanás, então seu coração, que um dia foi justo, voltará a se corromper novamente. Alguns de vocês já devem ter passado por esta experiência. Se alguém deixar seu coração se corromper pelo mundo e ser tragado por ele, seu coração será corrompido. E se alguém for para o mundo e fizer parte de uma religião, ele acabará se tornando inimigo de Deus e se levantando contra a justiça do Senhor. E aqueles que ouviram sobre a justiça de Deus, mas não creram nela, no fim serão queimados.
Está escrito em Êxodo 30:10: “E uma vez no ano Arão fará expiação sobre as suas pontas com o sangue do sacrifício das expiações; uma vez no ano fará expiação sobre ele pelas vossas gerações; santíssimo é ao Senhor”. Temos que ser gratos a Deus em nossas orações por ele ter tirado nossos pecados. Também devemos buscá-lo com certeza disso e fé. Por que precisamos pedir a Deus então que purifique nossos pecados todos os dias?
Na época em que a epístola aos Hebreus, que lemos alguns minutos atrás, foi escrita, Roma havia posto em prática uma política para espalhar os judeus por todo o mundo. E isso acabou mesmo acontecendo e eles foram espalhados por vários países do mundo. Aonde quer fossem, eles eram perseguidos. E os que criam em Jesus eram mais perseguidos ainda e muitos deles foram mortos. Durante a terrível perseguição, os judeus se esconderam nas montanhas, em cavernas, mas muitos deles acabaram traindo Jesus. Era isso o que preocupava o autor da carta aos Hebreus.
Assim como houve muitos crentes naquela época que voltaram para o mundo e acabaram traindo Jesus, embora tenham recebido a remissão de pecados, hoje também há muitos que acabam fazendo a mesma coisa. Essa gente deixa Jesus e começa a adorar um deus falso para ter prosperidade material. E então passam a perseguir os que creem em Jesus. Eles começam dizendo? “Como pode Jesus ser o Filho de Deus?” Quando os remidos caem da graça, eles se tornam mais vis do que eram antes de conhecer Jesus. Por isso que o Senhor disse: “Bom é o sal; mas, se o sal degenerar, com que se há de salgar? Nem presta para a terra, nem para o monturo; lançam-no fora. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça” (Lucas 14:34-35). O Senhor usou o sal como exemplo para nos ensinar que se cairmos da graça, acabaremos sendo seres totalmente miseráveis, inúteis para o reino de Deus e para este mundo. Cada passo que eu dou é com muito cuidado. E eu sinto como se o apóstolo Paulo estivesse falando comigo quando disse que tinha medo de que salvaria muitos pregando o evangelho, mas que ele mesmo seria desqualificado para a salvação.
Amados irmãos, embora tenhamos sido salvos pela graça de Deus, receber a salvação em si não é o fim de tudo. O mais importante é mantermos a salvação ao longo da vida. Agora que Deus nos deu um coração muito precioso, temos que conservá-lo a todo custo. Se não tivermos um coração assim, não nos restará mais nada.
Quando lemos o capítulo 6 de 2 Reis, vemos um ato de canibalismo de duas mulheres que comeram seus filhos. Houve uma guerra entre Israel e Síria, e como esta situou Samaria, houve uma fome tão grande na terra que duas mulheres, desesperadas por comida, concordaram de comer seus filhos. O acordo era comer o filho de uma num dia, depois comer o filho da outro no dia seguinte. Mas elas brigaram porque depois de comer o filho de uma delas, no dia seguinte a outra escondeu seu filho para não comê-lo. O caso foi levado ao rei e uma delas lhe disse: “Nós estávamos tão famintas que concordamos em comer nossos filhos. Ontem comemos meu filho, e hoje éramos para comer o filho dela. Mas ela escondeu seu filho e não deu-o a mim.” Como você acha que o rei se sentiu depois de ouvir isso? Ele precisava de alimento para acabar com a fome do seu povo, mas embora fosse rei, não havia nada que pudesse fazer. Então ele caiu em desespero, rasgou suas vestes e lamentou.
Este relato nos mostra como o ser humano pode ser mau quando está desesperado. O homem é um ser tão vil que os pais podem comer seus filhos e vice-versa. É comum hoje em dia vermos no noticiário filhos malignos que matam seus pais por dinheiro ou deixam que morram de fome quando estão idosos por considerá-los um fardo. Algumas atrocidades são tão comuns atualmente que não deixam mais ninguém chocado. Você ainda acha que o ser humano é bom? Pelo contrário, a maldade do homem não tem limites. No fim, eu e você somos maus também. Se ficarmos desesperados, também somos capazes de comer nossos filhos.
Mas e você? Seu coração tem fé na Palavra do evangelho da água e do Espírito? Se você não tem esta fé, você é um pecador. Então você precisa receber a remissão de pecados pela fé. Pecador é aquele que se recusa a viver pela Palavra de Deus depois que a conhece. Mas quando recebemos a remissão de pecados, é de uma vez por todas e podemos desfrutar dela para sempre. A remissão de pecados não é algo que recebemos aos poucos, diversas vezes. Assim como aquele que tinha o corpo todo coberto pela lepra era considerado puro quando era curado, se você reconhecer perante Deus que é totalmente pecador, Deus lhe salvará. Sabendo disso, eu peço a você que seja salvo de todos os seus pecados crendo no evangelho da água e do Espírito e viva para glorificar a Deus.