Khotbah-Khotbah

Assunto 11: O Tabernáculo

[11-21] O Sumo Sacerdote Que Entregava a Oferta Do Dia da Expiação (Levítico 16:1-34)

O Sumo Sacerdote Que Entregava a Oferta Do Dia da Expiação(Levítico 16:1-34)
“E FALOU o SENHOR a Moisés, depois da morte dos dois filhos de Arão, que morreram quando se chegaram diante do SENHOR. Disse, pois, o SENHOR a Moisés: Dize a Arão, teu irmão, que não entre no santuário em todo o tempo, para dentro do véu, diante do propiciatório que está sobre a arca, para que não morra; porque eu aparecerei na nuvem sobre o propiciatório. Com isto Arão entrará no santuário: com um novilho, para expiação do pecado, e um carneiro para holocausto. Vestirá ele a túnica santa de linho, e terá ceroulas de linho sobre a sua carne, e cingir-se-á com um cinto de linho, e se cobrirá com uma mitra de linho; estas são vestes santas; por isso banhará a sua carne na água, e as vestirá. E da congregação dos filhos de Israel tomará dois bodes para expiação do pecado e um carneiro para holocausto. Depois Arão oferecerá o novilho da expiação, que será para ele; e fará expiação por si e pela sua casa. Também tomará ambos os bodes, e os porá perante o SENHOR, à entrada da tenda da congregação. E Arão lançará sortes sobre os dois bodes; uma pelo SENHOR, e a outra pelo bode emissário. Então Arão fará chegar o bode, sobre o qual cair a sorte pelo SENHOR, e o oferecerá para expiação do pecado. Mas o bode, sobre que cair a sorte para ser bode emissário, apresentar-se-á vivo perante o SENHOR, para fazer expiação com ele, a fim de enviá-lo ao deserto como bode emissário. E Arão fará chegar o novilho da expiação, que será por ele, e fará expiação por si e pela sua casa; e degolará o novilho da sua expiação. Tomará também o incensário cheio de brasas de fogo do altar, de diante do SENHOR, e os seus punhos cheios de incenso aromático moído, e o levará para dentro do véu. E porá o incenso sobre o fogo perante o SENHOR, e a nuvem do incenso cobrirá o propiciatório, que está sobre o testemunho, para que não morra. E tomará do sangue do novilho, e com o seu dedo espargirá sobre a face do propiciatório, para o lado oriental; e perante o propiciatório espargirá sete vezes do sangue com o seu dedo. Depois degolará o bode, da expiação, que será pelo povo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e fará com o seu sangue como fez com o sangue do novilho, e o espargirá sobre o propiciatório, e perante a face do propiciatório. Assim fará expiação pelo santuário por causa das imundícias dos filhos de Israel e das suas transgressões, e de todos os seus pecados; e assim fará para a tenda da congregação que reside com eles no meio das suas imundícias. E nenhum homem estará na tenda da congregação quando ele entrar para fazer expiação no santuário, até que ele saia, depois de feita expiação por si mesmo, e pela sua casa, e por toda a congregação de Israel. Então sairá ao altar, que está perante o SENHOR, e fará expiação por ele; e tomará do sangue do novilho, e do sangue do bode, e o porá sobre as pontas do altar ao redor. E daquele sangue espargirá sobre o altar, com o seu dedo, sete vezes, e o purificará das imundícias dos filhos de Israel, e o santificará. Havendo, pois, acabado de fazer expiação pelo santuário, e pela tenda da congregação, e pelo altar, então fará chegar o bode vivo. E Arão porá ambas as suas mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele confessará todas as iniquidades dos filhos de Israel, e todas as suas transgressões, e todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode, e envia-lo-á ao deserto, pela mão de um homem designado para isso. Assim aquele bode levará sobre si todas as iniquidades deles à terra solitária; e deixará o bode no deserto. Depois Arão virá à tenda da congregação, e despirá as vestes de linho, que havia vestido quando entrara no santuário, e ali as deixará. E banhará a sua carne em água no lugar santo, e vestirá as suas vestes; então sairá e preparará o seu holocausto, e o holocausto do povo, e fará expiação por si e pelo povo. Também queimará a gordura da expiação do pecado sobre o altar. E aquele que tiver levado o bode emissário lavará as suas vestes, e banhará a sua carne em água; e depois entrará no arraial. Mas o novilho da expiação, e o bode da expiação do pecado, cujo sangue foi trazido para fazer expiação no santuário, serão levados fora do arraial; porém as suas peles, a sua carne, e o seu esterco queimarão com fogo. E aquele que os queimar lavará as suas vestes, e banhará a sua carne em água; e depois entrará no arraial. E isto vos será por estatuto perpétuo: no sétimo mês, aos dez do mês, afligireis as vossas almas, e nenhum trabalho fareis nem o natural nem o estrangeiro que peregrina entre vós. Porque naquele dia se fará expiação por vós, para purificar-vos; e sereis purificados de todos os vossos pecados perante o SENHOR. É um sábado de descanso para vós, e afligireis as vossas almas; isto é estatuto perpétuo. E o sacerdote, que for ungido, e que for sagrado, para administrar o sacerdócio, no lugar de seu pai, fará a expiação, havendo vestido as vestes de linho, as vestes santas. Assim fará expiação pelo santo santuário; também fará expiação pela tenda da congregação e pelo altar; semelhantemente fará expiação pelos sacerdotes e por todo o povo da congregação. E isto vos será por estatuto perpétuo, para fazer expiação pelos filhos de Israel de todos os seus pecados, uma vez no ano. E fez Arão como o SENHOR ordenara a Moisés”. 
 
 
O Sumo Sacerdote era a pessoa que oferecia a oferta do Dia da Expiação pelo povo de Israel. Esta oferta se fazia uma vez por ano no décimo dia do sétimo mês conforme o calendário israelita. Neste dia, Arão, o Sumo Sacerdote, oferecia a oferta em nome do povo de Israel e por sua causa, e, assim, todas as suas iniquidades eram realmente passadas para a oferta de sacrifício, e eles eram limpos de seus pecados. O Dia da Expiação, então, se tornou uma grande festa anual para o povo de Israel.
Como nas outras ofertas, a oferta do Dia da Expiação dos pecados também teve que ser acompanhada de três padrões fixos: animais de sacrifícios puros, imposição de mãos e a morte dos animais de sacrifício. Deus aceitava com prazer a oferta dada deste modo. O que era diferente nesta oferta em relação às outras era que o Sumo Sacerdote tinha que ofertar o sangue da oferta de sacrifício no Santo dos Santos.
Depois de dar uma oferta por ele mesmo e por sua casa, Arão, o Sumo Sacerdote, oferecia dois bodes a Deus pelo povo de Israel. Primeiramente, oferecia um deles ao Senhor Deus do mesmo modo que oferecia o novilho como oferta pelos pecados. A seguir, oferecia o segundo bode como sendo o bode expiatório. Ele passava os pecados do povo de Israel sobre o bode expiatório impondo as suas mãos em sua cabeça diante da presença dos Israelitas, e este bode, que aceitava os seus pecados, era, então, enviado para fora no deserto pela mão de um homem apropriado.
 
 

A Oferta do Dia da Expiação Limpava Todos os Pecados do Povo de Israel

 
No Dia da Expiação, o Sumo Sacerdote, representando o povo de Israel, passava todos os seus pecados sobre a cabeça da oferta de sacrifício impondo as suas mãos nela. Ele trazia dois bodes vivos e lançava à sorte por eles, um era escolhido para Deus e o outro para o povo de Israel.
A imposição de mãos aqui significa transferir todos os pecados sobre a oferta de sacrifício impondo as mãos em sua cabeça. Esta imposição de mãos foi o método fixado por Deus para lavar os pecados. Na época do Novo Testamento, o mesmo método, em forma da imposição de mãos, tinha que ser igualmente aplicado para que Jesus Cristo pudesse lavar todos os pecados da humanidade, também. Para redimir os seus próprios pecados, os pecados de sua casa, e um ano inteiro de pecados do povo de Israel, o Sumo Sacerdote tinha absolutamente que impor as suas mãos na cabeça do bode e passar todos estes pecados para ele. Devido ao Sumo Sacerdote passar os pecados do povo de Israel para a oferta de sacrifício pela imposição de mãos em sua cabeça, um ano inteiro de pecados dos Israelitas era eliminado. Como isto, pela oferta do Dia da Expiação, o povo de Israel podia agradecer a Deus por tê-los salvado de todos os seus pecados.
Todos no mundo que têm pecados serão condenados, inevitavelmente. Para uma oferta de sacrifício ser vicariamente condenada pelos pecados das outras pessoas, primeiramente, teria que aceitar estes pecados. Se o Sumo Sacerdote desse uma oferta a Deus sem impor as suas mãos em sua cabeça, esta oferta teria sido uma blasfêmia contra Deus, e ele seria reprimido por ter feito assim. Para salvar à humanidade inteira que se transformou em pecadores, Deus teve que estabelecer o Seu plano de salvação cumprido pelo método de imposição das mãos. Para desfazer os pecados do povo de Israel, Deus levantou o Sumo Sacerdote e o fez passar os pecados que todo o seu povo cometia, de uma vez por todas, impondo as suas mãos na cabeça da oferta de sacrifício como sendo o seu representante. Como tal, todos os animais de sacrifício que eram oferecidos para Deus, no Tabernáculo, recebiam os pecados dos Israelitas com a imposição de mãos, e aguentavam a condenação dos pecados derramando o seu sangue e morrendo.
Para cumprir a justiça e o amor de Deus completamente, os Israelitas tiveram que oferecer o sacrifício do Dia da Expiação pela imposição das mãos do Sumo Sacerdote na cabeça dos animais de sacrifício e cortavam as suas gargantas para derramar o seu sangue vicariamente uma vez a cada ano. Por esta oferta, em outras palavras, Deus queria lavar um ano inteiro de todos os pecados, de uma vez por todas, do povo de Israel. Esta era a Lei de amor de Deus, aquela que satisfazia a Sua misericórdia e a Sua justiça. Por querer desfazer os pecados das pessoas, de uma vez por todas, de acordo com a Sua Lei justa, Deus preparou Jesus Cristo, o Seu Cordeiro, para que Ele tomasse os pecados pela imposição de mãos, e o fez sangrar na Cruz.
Jesus Cristo, por este método, se ofereceu como o sacrifício eterno e tomou, de uma vez por todas, os pecados de todo o mundo, derramou o Seu sangue uma vez e completou, assim, a nossa salvação eterna de pecados. Como tal, devemos ir diante de Deus com a fé que crê na verdade de salvação manifestada nos fios, azul, púrpura, escarlate e no tecido de linho retorcido. É com esta fé que todos os pecados podem ser, de uma vez por todas, redimidos. Então, quem quer receber a remissão de pecados, de uma vez por todas, deve ir a Deus com a fé que verdadeiramente crê no evangelho da água e do Espírito.
 
 

O Significado da Imposição de Mãos

 
A imposição de mãos significa, “ser passado, ser transferido, ou ser eliminado”. (Levítico 1:4). Quando qualquer um do povo de Israel pecava sem intenção e ficava ciente disto, ele tinha que dar um holocausto a Deus. (Levítico 4:27-29). Primeiro, ele tinha que trazer um animal de sacrifício sem mácula, e tinha que passar os seus pecados sobre ele impondo as suas mãos em sua cabeça. E ainda tinha que cortar a sua garganta, tirar o seu sangue, e dar este sangue a um sacerdote. (Levítico 4:30). Então, o sacerdote tinha que tomar um pouco deste sangue com o seu dedo e o pôr nos chifres do altar de holocaustos, e borrifar todo o sangue restante no chão do altar. Ele também tinha que queimar a sua gordura no altar, e Deus, então, sentia o aroma suave da gordura nas chamas quando Lhe davam esta oferta. 
Nós já aprendemos que para desfazer os pecados do povo de Israel, Deus preparou a oferta do Dia da Expiação onde as mãos eram impostas sobre o animal de sacrifício e o seu sangue era retirado. Neste caso, também, Deus não podia lavar os pecados dos Israelitas sem a imposição das mãos na oferta de sacrifício. Como isto, a oferta do Dia da Expiação que era dada no Antigo Testamento está proximamente ligada com o batismo e o sangue de Jesus na era do Novo Testamento.
Da mesma maneira que a oferta de sacrifício do Antigo Testamento tinha que ser um animal puro, na era do Novo Testamento, também. Jesus Cristo veio como o Cordeiro puro de Deus, foi batizado e derramou o Seu sangue na Cruz para lavar as iniquidades de todos os pecadores. Como o animal de sacrifício tinha que aceitar as iniquidades dos pecadores com a imposição de mãos no Antigo Testamento, todos os pecados do mundo foram passados para Jesus quando João Batista impôs as suas mãos na Sua cabeça e o batizou no Rio Jordão. (Mateus 3:15). A oferta de sacrifício do Antigo Testamento e Jesus Cristo, no Novo Testamento, semelhantemente tinham que receber a imposição de mãos e sangrar até morrer da mesma maneira. A oferta da imposição de mãos e morte era a mesma oferta que foi preparada para os pecadores tanto no Antigo Testamento como no Novo Testamento, semelhantemente.
 
 
Os Pecados da Humanidade São Infalivelmente Seguidos da Ira de Deus
 
Diante de Deus, nós tínhamos sido pecadores que não podiam evitar pecar, mas morreríamos por nossos pecados do mesmo modo que a oferta pelos pecados tinha que ser morta por causa dos pecados. Quando descrevemos a oferta de sacrifício sendo cortada em pedaços e queimada com o fogo do altar de holocaustos, percebemos que nós também estivemos destinados a ser destruídos diante de Deus, mas, ainda assim, o Senhor Jesus nos salvou sendo batizado por João Batista e derramando o Seu sangue. 
Como tal, os que ainda não nasceram de novo devem reconhecer que, enquanto pecadores, enfrentarão a condenação colérica por seus pecados diante de Deus e devem também crer no batismo e no sangue do Senhor Jesus como a sua única salvação. Para nos salvar de nossos pecados em vez de nos castigar por eles, Deus preparou uma oferta de salvação, e tendo passado os nossos pecados sobre esta oferta de sacrifício eterno, fazendo-a sangrar, assim nos redimiu de todos os nossos pecados. (Levítico 16:1-34; Romanos 8:3-4, Hebreus 10:10-12). Vocês ainda têm pecados em seus corações? Então, devem primeiro admitir diante de Deus que são pecadores destinados à condenação, vocês devem crer que, por Jesus Cristo, Deus cumpriu o plano de salvação que foi projetado antes da fundação do mundo.
Os pecadores não podem ser reconciliados sem o pagamento de um resgate adequado. Foi por isso que Deus deu ao povo de Israel o sistema de sacrifício. Neste sistema de sacrifício, somente a oferta acompanhada da imposição de mãos e morte seria a oferta verdadeira por meio da fé que podia lavar os pecados dos Israelitas. 
Pela fé, devemos também dar a Deus esta oferta que tem a imposição de mãos e morte, tudo de acordo com o sistema de sacrifício descrito nas Escrituras. O Senhor Jesus derramou o Seu sangue porque recebeu os nossos pecados em Seu batismo, e vicariamente suportou a condenação de todos os nossos pecados em nosso lugar, eliminando, assim, estes pecados. (Mateus 3:15; João 1:29; Isaías 53:1-7). Quando cremos na Palavra da água e do Espírito, e quando colocamos as nossas mãos no Senhor Jesus, o qual, se tornando a nossa oferta de sacrifício, recebeu todos os nossos pecados sobre Si mesmo, podemos, então, receber a remissão de pecados, com a fé que crê que o Senhor Jesus tomou os nossos pecados e, também, suportou a condenação destes pecados em nosso lugar. Crendo no evangelho da água e do Espírito, podemos passar todos os nossos pecados sobre o Senhor Jesus que se tornou a nossa oferta de sacrifício, e poderemos morrer com Ele e viver com Ele. (Romanos 6:1-11, Gálatas 3:27).
As lições espirituais que nós devemos perceber da oferta do Dia da Expiação é, em primeiro lugar, que nós devemos reconhecer os nossos pecados e a condenação deles, e que nós devemos, então, dar a oferta pela fé que Deus quer receber, isto é, nós devemos ter fé em Jesus que cumpriu a nossa salvação com o Seu batismo e Sua morte na Cruz. Nós devemos impor as nossas mãos na cabeça de Jesus crendo em Seu batismo. Por quê? Porque só quando nós impusermos as nossas mãos na oferta de sacrifício pela fé e retirarmos o seu sangue poderemos ser salvos de todos os nossos pecados.
Como isto, qualquer um que queira ser redimido de seus pecados diante de Deus deverá pagar o resgate por sua vida, pois o salário do pecado é a morte. Se rico ou pobre, deverá haver a oferta de sacrifício que paga o salário dos pecados e o preço da expiação da vida. A menos que isto não seja o caso, ninguém poderá receber a remissão dos seus pecados pela fé.
 
 

A Oferta no Antigo Testamento no Dia da Expiação

 
Vamos dar uma olhada em Levítico 16:6-10: “Depois Arão oferecerá o novilho da expiação, que será para ele; e fará expiação por si e pela sua casa. Também tomará ambos os bodes, e os porá perante o SENHOR, à porta da tenda da congregação. E Arão lançará sortes sobre os dois bodes; uma pelo SENHOR, e a outra pelo bode emissário. Então Arão fará chegar o bode, sobre o qual cair a sorte pelo SENHOR, e o oferecerá para expiação do pecado. Mas o bode, sobre que cair a sorte para ser bode emissário, apresentar-se-á vivo perante o SENHOR, para fazer expiação com ele, a fim de enviá-lo ao deserto como bode emissário”.
Para habilitar o povo de Israel para receber a remissão de seus pecados pela fé, o Sumo Sacerdote, em seu lugar, dava a oferta que era acompanhada da imposição de mãos e morte. Como, então, é a fé dos cristãos de hoje? Não é uma fé especulativa e infundada cuja oferta busca receber a remissão de pecados sem passar os pecados? Se a sua fé não é a fé que passa os seus pecados sobre Jesus pela imposição de mãos, você tem um sério problema. A menos que a sua fé seja a fé que crê no batismo de Jesus e no Seu sangue derramado na Cruz, não pode ser a fé verdadeira.
Nós não deveríamos, mas falhamos em se manter diante do Deus da Lei e cometemos todos os tipos de pecados durante o último ano. Se vivêssemos no tempo do Antigo Testamento, em plena Lei, precisaríamos receber a remissão de nossos pecados crendo na oferta pelos pecados que o Sumo Sacerdote daria em nosso lugar. Para ofertarmos a Deus, pela fé, devemos, inicialmente, reconhecer que estamos destinados a ser destruídos por nossos pecados, e devemos crer na imposição de mãos que passa todos os nossos pecados sobre a oferta de sacrifício que Deus preparou para nos salvar e na morte desta oferta. 
Porque a imposição de mãos sobre a cabeça do animal de sacrifício e a sua morte tinham o poder de salvação, as pessoas, no tempo do Antigo Testamento, podiam receber a remissão de seus pecados por esta oferta que o Sumo Sacerdote oferecia de acordo com o sistema de sacrifício estabelecido por Deus. Impondo as suas mãos na oferta de sacrifício, o Sumo Sacerdote passava, por um ano, os pecados de seu povo, cortava a sua garganta e tirava o seu sangue, e borrifava este sangue diante do propiciatório e em seu lado leste por sete vezes. Fazendo isso, ele nunca cessava de dar a oferta certa a Deus em todos os anos. Assim é como o povo de Israel podia receber a remissão perfeita de seus pecados naqueles dias.
Como isto, pela oferta de pecados que o Sumo Sacerdote oferecia, o povo de Israel cria e afirmava em seus corações que todos os seus pecados foram redimidos. O que a oferta do Antigo Testamento, no Dia da Expiação, está nos mostrando é que, no Novo Testamento, Jesus Cristo recebeu todos os pecados do mundo sendo batizado por João Batista e derramou o Seu sangue na Cruz, e que nós devemos crer neste Jesus Cristo como o nosso Salvador e receber a remissão eterna dos nossos pecados pela fé. Todas as almas deste mundo, cujos corações estão sofrendo agonizantes por seus pecados, devem crer que podem receber a remissão eterna destes pecados crendo no evangelho da água e do Espírito, e, verdadeiramente, devem crer nisto em seus corações. Como isto, a oferta de remissão de todos os pecados tinha sido fixada por Deus antecipadamente e prometida por Ele para ser cumprida. Esta promessa de salvação foi claramente manifesta nos fios, azul, púrpura, escarlate e no tecido de linho retorcido que foram usados como materiais do Tabernáculo.
 
 

A Oferta do Dia da Expiação Cumprida no Tabernáculo

 
No Dia da Expiação, para cuidar de todos os pecados do povo de Israel, o Sumo Sacerdote impunha as suas mãos na cabeça da oferta de sacrifício diante da presença de todos os Israelitas. (Levítico 16:1-23). Era absolutamente necessário para ele passar os seus próprios pecados sobre a oferta de sacrifício impondo as suas mãos em sua cabeça. Quando Arão, o Sumo Sacerdote, dava a oferta do Dia da Expiação dentro do Tabernáculo pelo povo de Israel, ninguém mais podia entrar no Tabernáculo. Era um evento extraordinário, porque lá costumava haver muitos sacerdotes no pátio do Tabernáculo, exceto no Dia da Expiação.
O Sumo Sacerdote ao passar os pecados do povo de Israel sobre a oferta de sacrifício impondo as suas mãos em sua cabeça, tomava o sangue deste sacrifício no Santo dos Santos, e aspergia este sangue com o seu dedo no propiciatório do lado do leste; e diante do propiciatório aspergia sete vezes. (Levítico 16:14). 
Neste momento, os sinos dourados que estavam presos à bainha da bata do Sumo Sacerdote tocavam, e a todo o tempo ele aspergia o sangue diante do propiciatório no lado do leste, os sinos tocavam e o povo de Israel que estava de pé do lado de fora do Tabernáculo podia ouvir o som destes sinos. Quando os Israelitas ouviam este som de sinos, eles percebiam que o Sumo Sacerdote estava, naquele momento, oferecendo, em seu lugar, a oferta ao Senhor Deus. E tendo ouvido o som de sinos por sete vezes, suspiravam de alívio por saberem que a oferta do Dia da Expiação havia sido oferecida e confirmada, concluindo-se, assim, a oferta que perdoava um ano inteiro de seus pecados. 
Depois disto, Arão, o Sumo Sacerdote, saía do Tabernáculo, tomava o outro bode vivo como a outra oferta, e oferecia esta oferta do Dia da Expiação diante da presença do povo de Israel. Deus ordenou ao povo de Israel para não fazer nada no Dia da Expiação. (Levítico 16:20-21,29). Com a multidão enorme dos Israelitas reunidos ao redor para ver a cerimônia desta oferta do Tabernáculo, o Sumo Sacerdote impunha as suas mãos na cabeça do bode expiatório para cumprir a sua obrigação e o mandava embora para o deserto pela mão de um homem apropriado.
No Dia da Expiação, o Sumo Sacerdote trazia o bode diante do povo de Israel, impunha as mãos em sua cabeça, e confessava todas as iniquidades e transgressões dos filhos de Israel, passando-os sobre o bode. “Senhor, eu confesso todos os pecados que o povo de Israel cometeu durante o último ano. Nós falhamos completamente no cumprimento da Sua Lei, cada um de nós cometeu pecados incontáveis contra Ti, nós falhamos em viver a vida que o Senhor nos ordenou que vivêssemos, e nós fizemos coisas que o Senhor não nos ordenou que fizéssemos. Nós quebramos tantas de Suas ordens durante o último ano. Nós mentimos. Nós cometemos assassinatos. Nós cometemos adultérios. Nós roubamos”. Com isso, o Sumo Sacerdote passava todos os pecados do povo de Israel sobre o bode expiatório impondo as mãos em sua cabeça diante da presença deles, e, então, mandava o bode embora para o deserto pela mão de um homem apropriado.
Por ser a morte o salário do pecado, Deus não podia deixar o bode expiatório viver depois de aceitar os pecados do povo de Israel. O bode expiatório que era abandonado no deserto tinha que sofrer e morrer no deserto carregando todas as iniquidades, manchas e transgressões do povo de Israel. Depois disso, todo o povo de Israel começava a apreciar o Banquete do Tabernáculo (Levítico 23:34), porque eles tinham retirado, pela oferta do Dia da Expiação, os pecados que os prendia no último ano.
A imposição de mãos é o meio pelo qual os pecados de todas as pessoas são passados sobre a oferta de sacrifício. Quando o Sumo Sacerdote impunha as suas mãos no animal de sacrifício, todos os pecados do povo de Israel, acumulados por um ano, eram passados sobre este animal de uma vez por todas. Todos os pecados de cada um e de todos os Israelitas eram passados de uma vez só sobre a oferta de sacrifício com a imposição de mãos do Sumo Sacerdote.
Poderiam todos os pecados das pessoas de hoje também serem passados sobre a oferta de sacrifício com a imposição de mãos, da mesma maneira que as iniquidades do povo de Israel eram passadas com a imposição de mãos do Sumo Sacerdote no Antigo Testamento? Se isto não fosse possível, como hoje as pessoas receberiam a remissão de seus pecados? Hoje, se os pecados das pessoas são passados, como, e por quem? De acordo com o que foi estabelecido pelo sistema de sacrifício de Deus na era do Antigo Testamento, Jesus Cristo tomou os pecados do mundo sendo batizado por João Batista na era do Novo Testamento. Da mesma maneira que um ano de pecados eram passados sobre a oferta de sacrifício, de uma vez por todas, através da oferta do Dia da Expiação, que o Sumo Sacerdote oferecia pelo povo de Israel, os nossos pecados foram passados sobre Jesus Cristo que foi batizado por João Batista, o último Sumo Sacerdote. Hoje, então, onde estão todos os pecados das pessoas? Eles estão, agora, na cabeça de Jesus Cristo.
Da mesma maneira que o bode expiatório aceitava todos os pecados do povo de Israel pela imposição de mãos do Sumo Sacerdote, Jesus se tornou a oferta de sacrifício da remissão eterna de pecados para todos nós que agora estamos vivendo nesta era presente. Jesus Cristo se tornou o nosso próprio bode expiatório oferecendo a Si mesmo para Deus como a oferta de sacrifício pelos nossos pecados. Jesus, noutras palavras, foi batizado por João Batista e renunciou a Si mesmo para ser crucificado, do mesmo modo que, no Antigo Testamento, Deus fixou a oferta de sacrifício para o povo de Israel e passou os seus pecados sobre o animal de sacrifício, condenando-o em vez de condenar o povo.
O bode expiatório, que era enviado para o deserto, não podia sobreviver porque não havia nenhuma água, tinha apenas o intenso calor ardente do sol no deserto de areia. Igualmente, Jesus, também, não podia evitar ser crucificado, pois Ele já tinha recebido os pecados de toda a humanidade por Seu batismo. Como o bode expiatório era abandonado no deserto para morrer, Jesus, que tomou os pecados do mundo, também foi odiado, menosprezado e abandonado por muitas pessoas. Se o bode de sacrifício era levado ao deserto e abandonado em uma terra sem vida, não poderia vagar ao redor, apenas lhe caberia, no fim, morrer de sede.
Da mesma forma como Jesus aceitou os nossos pecados e foi rejeitado por muitas pessoas, tendo que ser crucificado para suportar a condenação de nossos pecados, derramar o Seu sangue e morrer, repetia-se exatamente com o com o bode expiatório. Assim foi que recebemos a salvação que Jesus Cristo cumpriu para nos dar a Sua vida eterna pelo evangelho da água e do Espírito.
O povo de Israel viu o processo de expiação contido na remissão de pecados com os seus próprios olhos e creu com os seus corações. Como eles, nós, também, recebemos, agora, a remissão de nossos pecados, vendo, ouvindo e crendo nas obras justas de Jesus Cristo em nossos corações. Isto nos diz que Jesus Cristo foi batizado por João Batista, que levou os pecados do mundo ao ser crucificado e morto, que derramou o Seu sangue, que morreu e ressuscitou dentre os mortos e que nós seremos salvos vendo tudo isto com os nossos próprios olhos espirituais e crendo em tudo com os nossos corações sinceros.
A oferta do Dia da Expiação continuará acontecendo enquanto os Israelitas existirem. Eles ainda entregam a oferta do Dia da Expiação no 10º dia do sétimo mês de seu calendário, porque Deus disse a eles, “E isto vos será por estatuto perpétuo, para fazer expiação pelos filhos de Israel de todos os seus pecados, uma vez no ano”. (Levítico 16:34). Fazendo o povo de Israel dar a oferta do Dia da Expiação, Deus concedeu-lhes a Sua misericórdia sobre as suas vidas para que todos os seus pecados pudessem ser lavados e eles, assim, pudessem ser libertos da punição destes pecados. 
Deus permitiu que as pessoas de hoje percebessem que Jesus carregou todos os pecados do mundo em Seu próprio corpo quando foi batizado por João Batista e crucificado até à morte, completando, assim, totalmente e definitivamente, a eterna limpeza de pecados. Jesus Cristo carregou todos os pecados da humanidade com o Seu batismo e se tornou o Sumo Sacerdote eterno do Céu. Agora, não existe nada mais que permaneça para nós fazermos para a nossa própria salvação, a não ser crer nesta verdade.
 
 
A Oferta da Grande Expiação que O Messias deu a Deus Pai com o Seu Próprio Corpo
 
Por que Deus ordenou ao povo de Israel o oferecimento da oferta no Dia da Expiação? Ele fez isto de forma que pudessem olhar adiante, pela fé, para o dia quando Deus Pai teria o Seu Filho, Jesus, oferecido como a grande expiação pelos pecados de todos os homens com o Seu batismo e morte. Por isto é que Jesus Cristo, o único Filho unigênito de Deus, o Pai, e o Salvador de toda a humanidade, veio a esta Terra desfazer os pecados de todos os homens do mundo, cumpriu tudo com o amor de Deus e revelou a salvação à humanidade. Sendo batizado por João Batista para tomar todos os pecados da humanidade e derramando o Seu sangue na Cruz, Jesus eliminou todos os pecados e iniquidades do mundo, foi condenado por eles, e, assim, se tornou o nosso Salvador verdadeiro.
Deus chamou a Moisés e lhe deu a Lei, primeiramente. Também lhe ordenou que construísse o Tabernáculo com tais materiais como os fios, azul, púrpura, escarlate e o tecido de linho retorcido, e lhe deu, também, o sistema de sacrifício. Fazendo assim, Deus permitiu ao povo de Israel reconhecer como era tão importante à imposição de mãos e o derramamento de sangue, e, na sua vez, lhes mostrou a Jesus Cristo, demonstrado na entrada de salvação profetizada no Tabernáculo, que viria a esta terra, para tomar os pecados do mundo e ser batizado, e para, depois, ser crucificado e derramar o Seu sangue até à morte. A salvação pelo lavar dos pecados que Deus nos deu foi claramente manifesta nos materiais que foram usados para a entrada do Tabernáculo. 
Entre os materiais usados para a entrada do Tabernáculo, o significado implicado do fio azul é que Jesus tomou todos os pecados do mundo inteiro, de uma vez por todas, quando foi batizado por João Batista; o fio púrpura nos mostra que Jesus Cristo é o Rei dos reis e o Senhor dos senhores, pois Ele criou o Universo inteiro; o fio escarlate nos diz que, por ter sido batizado, Jesus suportou toda a condenação dos pecados de todos os pecadores do mundo derramando o Seu sangue na Cruz; o tecido de linho retorcido nos diz que a Bíblia descreve, primorosamente, sobre estes três ministérios manifestados nos fios, azul, púrpura e escarlate, e que Deus deu a remissão de pecados para aqueles que creem em Sua Palavra.
Agora, todos devem se lembrar, uma vez mais, e crer que esta é a verdade, Jesus Cristo é o seu Salvador e Ele lavou todos os seus pecados quando foi batizado por João Batista e derramou todo o Seu precioso sangue na Cruz. Isto também está manifestado nos fios, azul, púrpura, escarlate e no tecido de linho retorcido usados como os materiais do Tabernáculo, e é assim que todos devem receber a remissão de seus pecados. Por meio de Moisés, Deus estabeleceu a lei de salvação, a lei de remissão dos pecados da humanidade, e, quando o tempo veio, Deus enviou a esta Terra o Seu Filho Jesus, que foi batizado por João Batista e derramou o Seu sangue na Cruz, de forma que Jesus Cristo se tornou a oferta de sacrifício que lavou os pecados do mundo. E fazendo isso, Deus tem permitido a todos aqueles que creem serem lavados de todos os seus pecados pela fé. 
Então, quando professamos crer em Jesus Cristo como o nosso Salvador, devemos crer conhecendo o batismo que Ele recebeu e a Sua morte na Cruz. Da mesma forma que a oferta de sacrifício, no Antigo Testamento, aceitava as iniquidades dos pecadores com a imposição de mãos e era vicariamente condenada derramando o seu sangue, Jesus Cristo veio como a oferta de sacrifício pelos pecados de todas as pessoas viventes nesta Terra, tomou os seus pecados sendo batizado, foi crucificado e derramou o Seu sangue precioso, tendo, assim, eliminado para sempre, e tudo de uma vez só, os pecados daqueles que creem.
Nós devemos crer na verdade da Palavra escrita exatamente como é. A verdade bíblica é que com o mesmo método que o Sumo Sacerdote oferecia a oferta pelo seu povo no Antigo Testamento, Jesus veio a esta Terra, foi batizado e crucificado, e derramou o Seu sangue para nos salvar de todos os nossos pecados de uma vez por todas. Nós devemos, então, crer exatamente como está escrito na Bíblia. Nós não podíamos evitar os pecados e seríamos condenados para sempre por estes pecados, mas Jesus Cristo veio a esta Terra e nos salvou de todos os nossos pecados com o Seu batismo e o Seu sangue.
Não crendo assim, embora Deus tenha perdoado todos os nossos pecados, há um pecado que nunca será perdoado por Deus. Ele eliminou todos os pecados do mundo exceto um único pecado, “o pecado de blasfemar contra o Espírito Santo”. (Marcos 3:28-29). Como tal, os que verdadeiramente querem receber a remissão de seus pecados devem crer na verdade de que Jesus Cristo foi batizado, derramou o Seu sangue, ressuscitou de entre os mortos, e, assim, nos libertou de todos os pecados do mundo. Exceto tal fé, que boas ações seriam necessárias para a nossa remissão de pecados? Agora o tempo veio para que soubéssemos o que realmente é a verdade do evangelho da água e do Espírito, e crer nesta verdade.
Todos no mundo deveriam perceber e crer que a verdade manifestada na entrada do Tabernáculo, tecida de fios, azul, púrpura, escarlate e do tecido de linho retorcido, é o evangelho da salvação verdadeira, e, também, a sombra da vinda de Jesus Cristo. Na medida em que vamos crendo em Jesus Cristo nos interessamos cada vez mais pelo batismo que Ele recebeu e pelo sangue que Ele derramou na Cruz, porque são essenciais para a nossa salvação, e nós devemos crer indubitavelmente. A verdade indisputável e irrefutável é que Jesus deu a Sua salvação àqueles que creem em Seu batismo, em Sua morte na Cruz, e em Sua ressurreição, e que tudo isto foi feito para nos salvar dos pecados do mundo. 
 
 
O Sacrifício do Filho que o Deus Pai Quis 
 
Vamos analisar Hebreus 10:5-9: “Por isso, entrando no mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste, Mas corpo me preparaste. Holocaustos e oblações pelo pecado não te agradaram. Então disse: Eis aqui venho (No princípio do livro está escrito de mim), Para fazer, ó Deus, a tua vontade. Como acima diz: Sacrifício e oferta, e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem te agradaram (os quais se oferecem segundo a lei). Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro, para estabelecer o segundo”.
Qual é o significado da passagem que diz que Deus não desejou sacrifício e oferta? Esta passagem consta no Livro dos Salmos 40:6-7. Quer dizer que todos os pecados do mundo não podiam ser completamente eliminados com as ofertas diárias do Antigo Testamento, e que, para entregar a oferta eterna pelos pecados, Jesus veio a esta Terra, foi batizado, derramou o Seu sangue, ressuscitou de entre os mortos e se tornou o Salvador de todos nós. O significado de Salmos 40:7, diz, “Então disse: Eis aqui venho; no rolo do livro de mim está escrito”. Isto foi assim porque Jesus Cristo veio a esta Terra e lavou todos os pecados com a imposição de mãos e Sua morte, exatamente como escrito no Antigo Testamento.
Na era do Antigo Testamento, os pecados do povo de Israel eram redimidos com o animal de sacrifício que era oferecido a Deus no Dia da Expiação com a imposição das mãos do Sumo Sacerdote e a morte da oferta. Igualmente, Jesus, que veio a esta Terra se tornar a oferta de sacrifício eterna por toda a humanidade, tomou os pecados do mundo recebendo o batismo com a de imposição de mãos, e suportou toda a condenação dos pecados da humanidade inteira levando estes pecados do mundo para a Cruz, sendo crucificado, derramando o Seu sangue precioso e morrendo. Fazendo isso, Jesus deu a salvação eterna a todos aqueles que creem.
Exatamente como Deus prometeu pelo sistema de Tabernáculo, no Novo Testamento, Jesus veio a esta Terra e cumpriu, de uma vez por todas, a salvação. Aqueles que creem foram salvos de todos os pecados. O Tabernáculo foi a promessa de Deus de que Jesus viria desfazer, para sempre, os pecados de todas as pessoas sendo batizado e derramando o Seu sangue. E Ele, realmente, veio e cumpriu a salvação prometida sendo batizado e derramando o Seu sangue, cumprindo, assim, a Palavra de Deus com perfeição. Todas as promessas do Deus de salvação, noutras palavras, foram realmente cumpridas em Jesus Cristo.
O povo de Israel crê que a Lei do Antigo Testamento e as palavras dos profetas é a Palavra de Deus. Mas eles são incapazes de crer em Jesus Cristo que veio até nós na era do Novo Testamento como o Deus Salvador. Todas as pessoas deste mundo, inclusive o povo de Israel, devem, agora, perceber que Jesus Cristo é o próprio Deus e aceitar em seus corações que Ele é o Messias que veio.
 
 

Por Que Jesus Cristo Veio?

 
Como Jesus veio para cumprir a Lei de Deus Pai, Ele é o Salvador de todos os que creem Nele. Como tal, Ele veio a este mundo para lavar para sempre todos os nossos pecados. Em Hebreus 10:10 afirma, “Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez”. Claramente devemos perceber e crer que foi pela Lei de Deus Pai que Jesus Cristo nasceu nesta Terra e foi batizado de acordo com a vontade do Pai, e, por isto, foi crucificado derramando o seu sangue até à morte na Cruz, para, em seguida, ressuscitar de entre os mortos e se tornar o Salvador daqueles que creem. Para desfazer todos os nossos pecados de acordo com a Lei de Deus Pai, Jesus Cristo teve que cumprir a salvação da humanidade pela eliminação de todos os pecados com o batismo que Ele recebeu e Sua morte na Cruz. Como tal, Ele, de boa vontade, renunciou a Si mesmo para ser sacrificado, dando-nos, assim, a salvação perfeita.
Por Jesus ter sacrificado a Si mesmo para desfazer não só os pecados do povo de Israel, mas, também, os pecados da humanidade inteira, nós somente poderemos ser salvos se, entre nós, cada um crer nisto nos seus próprios corações. Com 33 anos de vida, Jesus foi batizado uma única vez, sacrificado, também, uma única vez, e, assim, salvou os pecadores do mundo de uma vez por todas. Esta é a única salvação perfeita. 
Da mesma forma que Jesus Cristo eliminou, de uma vez por todas, todos os pecados cometidos pela humanidade desde o início até o fim do mundo, Ele também nos permitiu ser, de uma vez por todas, salvos pela fé. Pela oferta de Seu próprio corpo, de uma vez por todas, por todos os nossos pecados, Ele derramou o Seu sangue, e nós devemos, agora, alegremente, crer neste evangelho em nossos corações para sermos salvos de todos os nossos pecados. Pela vontade de Deus Pai, Jesus Cristo veio a esta Terra para carregar todos os nossos pecados e pagar o salário deles com a própria vida, e com muito sucesso Ele revelou a Sua salvação verdadeira com o amor de Deus, e tudo de acordo com a vontade do Pai.
Seguramente, esta Palavra é a verdade que você e eu, que agora estamos vivendo neste mundo moderno, devemos crer. Nós devemos ligar e unir o batismo de Jesus e a Sua morte na Cruz, nós devemos crer nisto como um conjunto único e singular de verdades que nos salva perfeitamente. Se nós falharmos em fazer assim, perderemos a remissão eterna de nossos pecados. Como tal, devemos crer de acordo com a Palavra escrita por Deus, que está de acordo com a verdade do evangelho da água e do Espírito. O evangelho da água e do Espírito derrama a luz da salvação eterna, mas se nós adicionarmos qualquer outra coisa ou subtrairmos um pouco da essência do evangelho verdadeiro quando nós crermos em Deus, ou se nós não crermos na verdade como ela é, então, esta luz do evangelho de salvação será perdida ou escondida até desaparecer.
Nós não devemos cair debaixo da ilusão de que a verdade do evangelho da água e do Espírito é, também, uma doutrina meramente mundana, que ensina que nós podemos, de alguma forma, receber a remissão de nossos pecados simplesmente por meio de nossas orações de arrependimentos diários pedindo a Deus para perdoar os nossos pecados todos os dias. Deus disse claramente em Hebreus 10:11, “E assim todo o sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar os pecados”. Ele nos disse, noutras palavras, que os pecados que nós cometemos diariamente não podem ser lavados somente por que pedimos a Deus para perdoar os nossos pecados diários com a nossa fé no sangue da Cruz. 
Sendo a oferta de sacrifício que Jesus Cristo deu a Deus Pai, quando foi batizado por João Batista e morreu na Cruz, uma oferta perfeita de salvação, crendo nesta oferta nós somos completamente salvos. Foi por receber os pecados do mundo que Lhe foram passados, de uma vez por todas, que Jesus Cristo, quando foi batizado por João Batista, pode levar todos os nossos pecados para a Cruz e morrer ali dando fim à condenação de nossos pecados, e, por causa disso, os pecados daqueles que creem em Seu batismo e morte são lavados.
Crendo no batismo que Jesus Cristo recebeu e no sangue da Cruz, nós, também, mortos com Jesus Cristo viemos a viver com Ele pela fé. Romanos 6:23 afirma, “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor”. O salário do pecado é morte, não importa o que possa ser, então, seu salário deve ser pago com a vida. Por isto é que foi necessário a Jesus Cristo vir aqui nesta Terra encarnado corporalmente, ser batizado por João Batista e derramar o Seu sangue na Cruz. O transcurso real de seus pecados sobre o corpo de Jesus foi realizado por Seu batismo, e carregando estes pecados em sua morte de cruz, Jesus pagou o salário de seus pecados e os eliminou de uma vez por todas. Porém, apesar disso, mesmo tendo Deus nos dado esta verdade do evangelho, existe muitas pessoas que ainda pleiteiam com Deus para que Lhes perdoe os seus pecados reais de todos os dias, pois são, simplesmente, ignorantes da verdade do evangelho da água e do Espírito.
Enquanto as pessoas tiverem pecados em seus corações, mesmo que não possam evitá-los, estarão apavoradas diante de Deus por estes pecados. É verdade que existem muitos que ainda permanecem ignorantes sobre o evangelho da água e do Espírito e ainda precisam ser lavados de seus pecados, pois estão inseguros e com medo por causa dos pecados em suas consciências. Porém, Jesus, que veio a esta Terra para libertá-los de todos os seus pecados, foi batizado por João Batista, derramou o Seu sangue na Cruz e, assim, os salvou perfeitamente. Por que razão nós precisamos estar preocupados, então, já que o evangelho da água e do Espírito, o evangelho da salvação de Deus, completamente nos salvou e cuidou de nossa condenação pelos pecados? 
Aqueles que conhecem e verdadeiramente creem que Jesus tenha eliminado todos os pecados da humanidade pelo evangelho da água e do Espírito, podem ser realmente salvos pela fé da mesma forma como Deus prometeu, “ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã”. (Isaías 1:18). Nós podemos todos ser salvos pela fé, pois houve o batismo de Jesus que aceitou os pecados deste mundo de acordo com a Lei de Deus colocada no Antigo Testamento que passava todos os pecados sobre a oferta de sacrifício com a imposição de mãos. Foi por Jesus Cristo tomar os pecados do mundo sendo batizado por João Batista que Ele pôde morrer na Cruz, e por causa da salvação que Deus falou no Antigo Testamento ter sido cumprida nós podemos ser salvos de todos os nossos pecados só pela nossa fé.
Ainda apesar desta verdade infalível, nós ainda vemos muitas pessoas que creem em Jesus como se fosse um exercício de empatia. Eles lamentam e clamam diariamente querendo realçar a fé que têm baseados em simpatizarem-se e solidarizarem-se com Jesus pelos sofrimentos mortais que Ele suportou padecendo na Cruz. Os corações de tais pessoas estão completamente errados, e eles devem abandonar esta fé confusa. 
Você e eu precisamos da fé no batismo e no sangue de Jesus, o nosso Salvador, e não de uma fé em que Jesus precise de nossa condolência ou devoção. A verdade simples é que nós precisamos desesperadamente de Jesus como o nosso Salvador, mas ainda existem muitas pessoas que creem em Deus por alguma razão própria ou particular, pensando que Deus que é carente de algo, como se Ele estivesse mendigando para que cressem Nele. Mas tal fé que crê condescendentemente é o um tanto quanto uma fé que é menosprezada por Deus.
Os corações daqueles que condescendentemente dizem que creem ou que creriam em Jesus, como se estivessem fazendo um favor para Ele, são autocolocados mais altos do que até mesmo Deus, e com tanta arrogância nunca poderão aceitar em seus corações o evangelho da água e do Espírito que pode lhes salvar perfeitamente de seus pecados. Eles têm tão pouca consideração com a Palavra de Deus que consideram o fato como sendo uma pequena diferença que alguns de seus vizinhos falam, desprezando, assim, a Jesus e favorecendo à falsa fé, como se cressem estar fazendo um favor para Deus pela sua condolência. 
No fim, são pessoas que não creem no batismo e morte de Jesus como a remissão de seus pecados e permanecem contra Deus. Eles creem que seus pecados possam ser lavados por suas orações agonizantes de arrependimento sem crer no evangelho da água e do Espírito. Por invocarem o nome de Deus em vão, eles não conhecem e nem creem que o Salvador Jesus tenha eliminado completamente os seus pecados, e, assim, não podem ser salvos.
Deus disse, “Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia”. (Romanos 9:15). Se Deus decidiu salvar os pecadores com a Sua Lei de salvação e por Sua misericórdia, então, Ele fará exatamente conforme decidiu. Nós devemos crer no evangelho da água e do Espírito para, assim, recebermos a nossa salvação verdadeira. 
Aqueles que não creem na Palavra do evangelho da água e do Espírito, descobrirão, pessoalmente, o quão grandemente severo é Deus e a Sua justiça. Aqueles que creem no evangelho da água e do Espírito, por outro lado, verão apenas quão grande e misericordioso é o amor de Deus. Quem reconhece os seus pecados Diante de Deus e reconhece e crê no evangelho da água e do Espírito, o Evangelho de Deus para a salvação perfeita, será liberto de todos os seus pecados.
Aqueles que creem que Jesus Cristo tomou todos os seus pecados sendo batizado serão libertos de todos os seus pecados. Aqueles que menosprezam esta verdade, em contraste, enfrentarão a temida condenação por seus pecados. Todas as pessoas deste mundo deveriam crer no evangelho da água e do Espírito, a verdade real. Aqueles pecadores que não temem o julgamento de Deus e não creem no evangelho da água e do Espírito serão, seguramente, condenados por seus pecados. Mas aqueles que creem na verdade de que Jesus lavou os pecados da humanidade serão salvos de todos os seus pecados.
Todas as pessoas do mundo em cujas consciências têm pecados estão, agora, desconfortáveis, porque lhes apresentam doutrinas infundadas, doutrinas sem fundamento de salvação que são completamente diferentes do evangelho da água e do Espírito, e eles, tentando confortar as suas consciências aflitas, dão ouvidos aos falsos pregadores. Existem até os que dizem, “Mesmo crendo em Jesus, é certo que eu continue tendo pecados em meu coração”. Mas nós não devemos esquecer que todos que têm pecados em seus corações enfrentarão o castigo do inferno, pois Deus, seguramente, julgará com o Seu julgamento justo a todas essas pessoas por seus pecados. Por estar em desvio com Satanás, Deus, simplesmente, não os pode deixar impunes.
Mas aqueles que conhecem sobre a justiça de Deus e que sabem que haverá o julgamento pelos pecados, pedem a Deus por Seu amor misericordioso, querem ser salvos de todos os seus pecados e procuram pela verdade desejando permanecer ao lado de Deus. Para tais pessoas, a verdade é que Jesus Cristo tomou todos os pecados da humanidade sendo batizado. Todo pecador deve crer Nele e receber a remissão de seus pecados. Por Seu batismo, Jesus Cristo aceitou todos os pecados do mundo inteiro, uma vez só, e morreu na Cruz, uma vez só, também, eliminando definitivamente todos os pecados e nos fez justos.
Pela Palavra do evangelho da água e do Espírito, todos nós devemos, agora, perceber o que a nossa salvação verdadeira é de fato, e em nossos corações devemos todos ter a fé que verdadeiramente crê neste evangelho. Todos os que creem nesta verdade em seus corações, não importando quais tipos de pecados tenham cometido, serão realmente lavados de todos os seus pecados pela fé e receberão a remissão verdadeira de seus pecados e a vida eterna. Você não quer crer nesta Palavra de salvação e tomar o evangelho da água e do Espírito pela fé, o evangelho que faz todos os pecados de seu coração desaparecer? Aqueles que creem no evangelho da água e do Espírito, diante de Deus, seguramente, receberão a remissão de todos os seus pecados.
 
 

Suas Orações Diárias de Arrependimento não Podem Salvar Você

 
Hoje, muitos que professam crer em Jesus fazem as suas orações de arrependimento diariamente, pedindo a Deus para lhes perdoar os pecados. Eles vivem as suas vidas pela fé que dá ofertas de sacrifícios para Deus diariamente, tão qual se fazia no tempo do Antigo Testamento. Mas está não é a vida de fé que você deveria viver. Jesus derramará novamente o Seu sangue na Cruz para lavar os seus pecados sempre que você fizer as suas repetidas orações diárias de arrependimento? Este não é o caso! Ao invés, você deve lavar os seus pecados, de uma vez por todas, crendo que o poder do batismo e da morte de Jesus Cristo dura para sempre. Aqueles que tentam ser lavados de seus pecados fazendo orações de arrependimento diariamente não podem receber a remissão eterna de seus pecados, na verdade, eles não têm a fé que os permite receber a salvação verdadeira.
Se os pecados de todos os homens do mundo pudessem ser perdoados por tais orações de arrependimento ou quaisquer cerimônias artificiais, Deus não teria estabelecido na Sua Lei que o salário do pecado é a morte. Para as pessoas serem redimidas de seus pecados, realmente, pela fé, deveriam dar a oferta que passa os seus pecados para o corpo de Jesus Cristo. O que nós devemos ter não é a fé que dá orações de arrependimento diariamente, mas, sim, a fé que crê no evangelho da água e do sangue manifestado nos fios, azul, púrpura, escarlate e no tecido de linho retorcido usados na entrada do Tabernáculo. Em outras palavras, nós devemos perceber que só a fé que crê no evangelho da água e do Espírito pode nos trazer o verdadeiro lavar de nossos pecados, e nós devemos crer nisto em nossos corações.
Da mesma forma que os pecadores do Antigo Testamento passavam os seus pecados para o animal de sacrifício impondo as mãos em sua cabeça quando ofereciam a oferta pelos pecados, nós também devemos passar os nossos pecados para Jesus Cristo crendo em Seu batismo, e com esta fé que crê no Seu batismo e na Sua morte de Cruz devemos ir a Deus e receber a remissão eterna de nossos pecados. Deus disse, “Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação”. E “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”. (Romanos 10:10, 17).
Em João 1:29 diz, “No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. Esta passagem descreve o testemunho de João Batista ao ver Jesus vindo para ele no dia seguinte ao dia do Seu batismo. Quando João Batista viu a Jesus, disse: “Olhe povo! Lá vem vindo Ele!”. Isto causou uma grande comoção entre a multidão que se juntou ao redor de João Batista. Ele gritava, “Vejam! Vem vindo o Cordeiro de Deus!”. Ele não é nenhum outro senão o Filho de Deus, o grande Cordeiro de Deus que tirou os pecados da humanidade por meio do batismo que recebeu de mim no Rio Jordão. Ele é o nosso Salvador! 
Ele é Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus. Vejam! O Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo! Foi por ter batizado Jesus Cristo e passar os pecados do mundo para Ele que o próprio João Batista, pessoalmente, pôde testemunhar sobre Jesus. João Batista passou todos os nossos pecados para Jesus quando o batizou, noutras palavras, Jesus Cristo se tornou, assim, o Cordeiro de sacrifício que tomou todos os nossos pecados de acordo com a Lei de Deus Pai.
No Antigo Testamento, a remissão de pecados era recebida quando davam ofertas de sacrifícios a Deus, mas, no Novo Testamento, é somente pela fé que crê completamente no batismo de Jesus e no Seu sangue derramado na Cruz que nós podemos ser redimidos de nossos pecados. Porque Deus aceitava criações como bois, cordeiros e bodes como ofertas de sacrifícios para desfazer os pecados do povo de Israel, animais incontáveis derramavam o seu sangue, eram cortados em pedaços e queimados no altar de holocaustos. Milhares de animais de sacrifício eram mortos por causa dos pecados das pessoas.
Mas, na era do Novo Testamento, Jesus Cristo não ofereceu tais animais de sacrifício, Ele ofereceu o Seu próprio corpo por nós. Como Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus, veio a esta Terra, aceitou os pecados do mundo sobre o Seu corpo por Seu batismo e derramou o Seu sangue na Cruz, Ele tem permitido àqueles que assim creem serem salvos de todos os seus pecados de uma vez por todas. Foi para colocar fim em nossos pecados com a água, o sangue e o Espírito que Jesus veio até nós.
Deus está agora ordenando para você e eu crermos nesta verdade de salvação real. Ele está nos dizendo, “eu eliminei todos os seus pecados porque eu amo você. Eu salvei você eliminando totalmente cada um de seus pecados. Então creia! Eu eliminei os seus pecados dando o Meu próprio Filho como a oferta pelos seus pecados. Eu deixei Meu Filho viver nesta Terra por 33 anos de Sua vida, eu o batizei, o fiz derramar Seu sangue na Cruz por você, e fazendo assim eu completamente libertei você de todos os seus pecados e condenação. Agora, crendo nesta verdade, você pode se tornar o Meu próprio filho que eu tanto amo, e você pode ser abraçado em Meus braços”. Conhecendo e crendo assim em seus corações, os que creem no batismo que Jesus Cristo recebeu e no sangue que Ele derramou não serão somente salvos de todos os seus pecados, mas, além disso, também receberão o direito de se tornarem os próprios filhos de Deus.
 
 

Jesus Cristo Realmente redimiu Todos os Pecados deste Mundo?

 
Vamos olhar Hebreus 10:14-18: “Porque com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados. E também o Espírito Santo no-lo testifica, porque depois de haver dito: Esta é a aliança que farei com eles depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações, e as escreverei em seus entendimentos; acrescenta: E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniquidades. Ora, onde há remissão destes, não há mais oblação pelo pecado”.
A passagem diz isto claramente: “Onde existe a remissão de pecados, não existe mais a oferta pelos pecados”. Escute esta boa nova de que todos os nossos pecados foram passados para Jesus pelo batismo que Ele recebeu! Não foram somente todos os pecados que você e eu cometemos em nossas vidas inteiras que passaram para Jesus, mas, todos os pecados da humanidade inteira foram passados para Ele, também. Para cumprir toda a justiça de Deus, Jesus recebeu a imposição de mãos e foi batizado por imersão nas águas do Rio Jordão, permitindo, assim, que todos os pecados fossem passados sobre Ele mesmo. 
Além de carregar todos os pecados, Jesus foi crucificado e recebeu a condenação de todos os pecados da humanidade, e, agora, aqueles que creem estão libertos do julgamento. Da mesma maneira que o Sumo Sacerdote passava os pecados do povo de Israel para o animal de sacrifício impondo as mãos em sua cabeça, João Batista passou todos os nossos pecados sobre Jesus Cristo quando o batizou. E Jesus, por sua vez, carregou estes pecados e foi crucificado, libertando dos pecados, do mesmo modo, a todos do mundo que creem Nele. Então, aqueles que creem assim podem receber o direito de se tornar os próprios filhos de Deus. 
Romanos 10:10 afirma: “Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação”. Portanto, é crendo na justiça de Deus com o coração que podemos ser justificados, e crendo na verdade de salvação com o coração podemos receber a remissão de nossos pecados e entrar no Céu. Irmãos e irmãs, vocês têm sido salvos crendo com os seus corações e confessando com as suas línguas que o batismo e o sangue de Jesus Cristo são os elementos essenciais que constituem a “justiça de Deus,” a “verdade da salvação eterna,” e o “evangelho da remissão dos pecados?”. Debaixo do sistema de sacrifício do Antigo Testamento, os pecados dos Israelitas não eram eliminados somente pela morte do animal de sacrifício, mas com a imposição de mãos que passava os seus pecados sobre a oferta, também. Igualmente, se nós crermos apenas e tão somente no sangue da Cruz e omitirmos o batismo que Jesus recebeu de João Batista, todos os nossos pecados não poderão ser lavados.
“E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniquidades. Ora, onde há remissão destes, não há mais oblação pelo pecado”. (Hebreus 10:17-18). Por que Deus disse aqui que Ele não se lembraria de nossos pecados? Entretanto, nós, que não podemos evitar os pecados, continuaremos pecando até o dia em que morrermos. Foi por isso que Jesus Cristo tomou todos os pecados do mundo, de uma vez por todas, sendo batizado, e a nossa salvação foi realizada e dura para sempre, e aqueles, dentre nós, que creem assim, estão, agora, sem pecados. E por isso Deus não tem nenhuma necessidade de se lembrar de nossos pecados.
A justiça de Deus significa a Sua justiça. A justiça de Deus Pai diz que Ele é Santo, os que creem no evangelho da água e do Espírito também são santos e sem pecados. Desde o início, Deus nos amou e desejou nos fazer Seu próprio povo. Mas não importa o quanto Ele quisesse nos fazer Seus filhos, Ele não podia fazer muito por causa de nossos pecados. Então, Deus, o Pai, apresentou uma solução para resolver definitivamente este problema.
Por Deus Pai ter colocado a oferta sem mácula que poderia vicariamente ser sacrificada em nosso lugar e decidido lavar os nossos pecados transferindo-os para esta oferta, Jesus Cristo não hesitou ser batizado e se tornou a nossa própria oferta de sacrifício que seria vicariamente sacrificada em nosso lugar, e, assim, Ele se deu como a oferta eterna pelos nossos pecados. E por esta oferta pelos pecados Deus cumpriu a Sua providência e limpou de seus pecados todos os que creem e os fez Seus próprios filhos. Agora, aqueles que creem neste evangelho de verdade são redimidos de seus pecados diante de Deus. Por ter Jesus lavado todos os pecados deste mundo sendo batizado, se nós crermos que Ele limpou os pecados da humanidade sendo vicariamente condenado, nós não precisamos mais dar qualquer oferta por nossos pecados. Nós ainda precisamos oferecer sacrifícios por nossos pecados, irmãos e irmãs? Não, absolutamente não!
Você sabe por que Jesus Cristo foi crucificado, mesmo sendo puro e sem pecados? Embora Jesus tenha sido crucificado, Ele não tinha feito nada errado, de fato. Foi somente por aceitar todos os pecados da humanidade sendo batizado no Rio Jordão que Ele teve que morrer em nosso lugar. A razão por que Ele teve que morrer na Cruz foi porque, antes, aceitou todos os pecados do mundo transferidos para Ele no Seu batismo e porque estava, também, pronto para cumprir toda justiça de Deus. 
Sendo o Filho de Deus batizado para cumprir toda a justiça desse modo, como não haveríamos de Lhe agradecer? Foi porque Jesus tomou os nossos pecados que Ele, como uma ovelha muda, diante de seu tosquiador, aguentou o sofrimento da Cruz. Todos nós devemos nos lembrar de Seu batismo e de Sua Cruz para sempre, pois, se Ele não tivesse sido condenado e crucificado, com certeza, cada um de nós, seria condenado.
Nosso Senhor Jesus não só tomou todos os nossos pecados, mas, Ele Próprio, também suportou toda a condenação de pecados. Em outras palavras, Jesus, o próprio Salvador, tomou os nossos pecados, se tornou a nossa própria oferta de pecados e, em silêncio, aguentou o castigo da Cruz, tudo a fim de nos salvar dos pecados e cumprir plenamente à vontade de Deus. Por isso é que a Bíblia diz, “Ora, onde há remissão destes, não há mais oblação pelo pecado. Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus”. (Hebreus 10:18-19).
Você agora entende por que Jesus Cristo foi crucificado? Nós não devemos crer só no sangue de Jesus na Cruz, mas devemos nos apegar à razão por que Ele teve que morrer na Cruz, e, corretamente, devemos entender e crer que esta razão se recai sobre o batismo que Ele recebeu. Se você e eu quisermos conhecer e crer, exatamente, onde e como os nossos pecados foram lavados, devemos perceber e crer que foi no Rio Jordão quando João Batista batizou e passou os nossos pecados para Jesus Cristo, foi assim que nós fomos lavados de todos os nossos pecados pela fé.
 
 

Sabendo e Crendo na Verdade do Evangelho da Água e do Espírito, Nós Podemos Agora Ser Salvos de Todos os Nossos Pecados.

 
O que eu tenho dito a você até agora é a verdade do evangelho da água e do Espírito que a Bíblia fala de forma elaborada e detalhada. Esta verdade é a salvação que tinha sido planejada antes da fundação do mundo, e esta salvação também está manifestada nos fios, azul, púrpura e escarlate, os materiais usados para a entrada do Tabernáculo. Junto com os meus obreiros cooperadores, eu tenho pregado esta verdade manifestada nos fios, azul, púrpura e escarlate para incontáveis pessoas neste mundo. Até agora, nesta grande hora, este evangelho está se espalhando ao longo do mundo inteiro por nossos livros.
Ainda existem aqueles que afirmam crer em Jesus mesmo sendo ignorantes sobre evangelho da água e do Espírito. Eu ouso chamar a tais pessoas de enganadas, pois este evangelho da água e do Espírito é a verdade central que nos diz sobre o sistema de sacrifício verdadeiramente cumprido por Jesus Cristo, é, também, a essência real da sombra da salvação manifestada no Tabernáculo. Agora, é a sua vez. Se você cria sem conhecer a verdade real, agora é o tempo para você mudar, creia no evangelho da água e do Espírito, e receba a remissão de seus pecados.
O batismo de Jesus e Sua morte na Cruz tinham sido prometidos antes mesmo da fundação do mundo, e foram manifestos nos fios, azuis, púrpura, escarlates e no tecido de linho retorcido, também. Para cumprir esta promessa, e realmente salvar a você e eu de nossos pecados, Jesus foi batizado, morreu na Cruz, ressuscitou de entre os mortos, e agora está assentado à destra de Deus Pai. 
Você ainda está tentando crer em Jesus seguindo às suas experiências próprias ou emoções e sem conhecer esta verdade? Existem muitas pessoas crendo assim neste mundo, mas deveriam imediatamente deixar às suas fés falhas e crerem com sinceridade na verdade do evangelho da água e do Espírito, escondida nos fios, azul, púrpura, escarlate e no tecido de linho retorcido, que são manifestados na entrada do Tabernáculo.
Hebreus 10:19-20 diz, “Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus. Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne”. Quando Jesus tomou os pecados do mundo sendo batizado e, após, crucificado, o véu do Templo foi rasgado e os pecados da humanidade foram lavados com o Seu batismo e o Seu sangue vertido na Cruz. O véu do Templo, tecido com os fios, azul, púrpura, escarlate e com o tecido de linho retorcido, era tão forte que não podia ser rasgado até mesmo se puxado em seus quatro cantos por quatro cavalos. 
Este véu robusto do Templo ser rasgado de cima para baixo, mesmo sem ser tocado por ninguém, revela que, no grande momento em que Jesus Cristo completou à Sua missão, as portas do Céu foram grandemente abertas. O rasgar do véu do Templo, de cima para baixo, significa que todas as paredes de pecados foram derrubadas, nos mostrando que, por Jesus Cristo, Deus derrubou estas paredes de pecados.
O que, então, significa dizer que as paredes de pecados foram derrubadas? Isto significa que alguém pode ser redimido de todos os seus pecados crendo no batismo que Jesus Cristo recebeu e no Seu sangue derramado na Cruz. O que Deus buscou mostrar manifestado na entrada do Tabernáculo é que a salvação da humanidade foi cumprida, de uma vez por todas, pelos ministérios de Jesus demonstrados nos fios, azul, púrpura, escarlate e no tecido de linho retorcido. Por ter sido cumprida a expiação eterna de pecados prometida por Deus para todos nós, a entrada de véu do Santo dos Santos, que era tecida de fios, azul, púrpura, escarlate e do tecido de linho retorcido, foi severamente rasgada em duas partes, não pelas mãos de homens, mas pelas Mãos do próprio Deus.
Isto revela que Jesus se tornou o sacrifício eterno pelos pecados da humanidade, e, perfeitamente, salvou os que dentre nós creem no evangelho da água e do Espírito. Deus Pai fixou que quem crê no batismo que Jesus Cristo recebeu e na Sua morte de Cruz pode receber a remissão de seus pecados e estar diante de Sua presença. Você crê nesta verdade ou não?
Da mesma maneira que Deus Pai amou a você, Jesus Cristo, o Filho de Deus, lhe tem amado também, e Ele lhe deu a perfeita salvação sendo batizado por João Batista e morrendo crucificado. Recebendo este amor de Deus que nos é dado por Jesus Cristo, e crendo na verdade que nos habilita a entrar no Reino de Deus, todos os nossos pecados desapareceram. Crendo no evangelho da água e do Espírito, até mesmo todos os nossos pecados reais (diários) foram lavados, pois todos os nossos pecados e condenação já foram lavados com o batismo de Jesus e o Seu sangue derramado na Cruz.
Hebreus 10:22 diz, “Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé; tendo o coração purificado da má consciência e o corpo lavado com água limpa”. A Bíblia continua falando do lavar de pecados. Nós podemos ser salvos de todos os nossos pecados crendo na verdade de que Jesus Cristo lavou todos os pecados que nós cometemos com as nossas carnes e mentes por Seu batismo. 
Da mesma maneira que o Sumo Sacerdote também lavava a sua sujeira na pia de bronze antes de dar a oferta, depois de limparmos todos os nossos pecados crendo no batismo de Jesus Cristo, também devemos nos lembrar desta fé em todos os dias. Como o Sumo Sacerdote lavava a si mesmo na pia de bronze, devemos lavar os nossos pecados reais (diários) lembrando e crendo, diariamente, que todos os nossos pecados foram limpos com o batismo de Jesus, pois, como ainda vivemos neste mundo, há momentos em que ficamos expostos a estas imundícias.
Todos os pecados, se cometidos com o corpo, coração, ou pensamentos, pertencem aos pecados do mundo. Com que fé, então, nós podemos lavar todos estes pecados do mundo? Nós podemos lavá-los somente pelo batismo que Jesus recebeu. Aqueles que uma vez se tornaram limpos crendo no batismo de Jesus devem manter os seus corações limpos, e sempre que pecarem, devem lavar-se novamente pela fé. Aqueles que se lembram do batismo de Jesus diariamente e lavam os artigos de seu vestuário pela fé são santificados. Porque todos os nossos pecados foram passados para Jesus Cristo pelo batismo que Ele recebeu de João Batista, meditando profundamente nesta verdade e crendo nela diariamente, nós podemos estar completamente libertos de todos os pecados para sempre.
Você deve crer no evangelho da água e do Espírito, e que seus pecados também foram todos passados sobre Jesus Cristo quando Ele foi batizado por João Batista. Você não tem nada a perder se crer neste evangelho, pois o Deus Onipotente o planejou antes da fundação do mundo, antes dos tempos do Antigo Testamento. A verdade de que Jesus aceitou os seus pecados sendo batizado no Rio Jordão e suportou toda a condenação destes pecados indo à Cruz, permite que você alcance à justiça de Deus e seja perfeitamente salvo. A verdade que lhes permiti compreender que Jesus Cristo, o Rei dos reis, para sempre lhes salvou de seus pecados e limpou os seus corações de uma consciência do mal, como também lavou os seus corpos com a água pura, é este grande evangelho da água e do Espírito. O evangelho da água e do Espírito é a Palavra indispensável para a sua vida, e ele brilha muito mais ainda quando você crer.
Durante os 3 anos de Sua vida pública, a primeira coisa que Jesus fez para salvar à humanidade inteira de seus pecados foi ser batizado. Jesus Cristo, noutras palavras, teve que tomar os nossos pecados, e, para fazer isso, Ele teve que ir até João Batista e ser batizado por ele. Então, todos os Quatro Evangelhos descrevem este acontecimento crítico no princípio.
Você e eu, de fato, estávamos todos indo rumo à morte por nossos pecados. Mas algo aconteceu? Nosso Senhor Jesus veio a esta Terra, tomou os nossos pecados sendo batizado por João Batista, se tornou o Cordeiro de Deus, levou todos os pecados do mundo à Cruz, foi pregado pelas mãos e pés por nossos pecados, derramou todo o sangue que estava em Seu coração e morreu, e, após, ressuscitou de entre os mortos. Por isso é que Jesus disse “Está consumado”, quando expirou o seu último fôlego na Cruz.
Tudo o que Jesus disse e fez era verdade. Jesus se tornou a nossa oferta pelos pecados para nos salvar, e ressuscitou de entre os mortos em três dias. Depois de ressuscitar de entre os mortos, ainda permaneceu testemunhando de Sua ressurreição por 40 dias. Depois de ascendido ao Céu, agora está assentado à destra do Trono do Pai, de onde voltará a esta Terra para nos levar. Jesus Cristo veio primeiramente a esta Terra como o Salvador, mas quando retornar pela segunda vez, virá como Juiz para condenar todos àqueles que não creem. 
Você deve perceber agora que Jesus Cristo retornará a esta Terra como Juiz, e clamar a Ele. Jesus, o Salvador, será recebido pelos filhos de Deus que creem na salvação da água, do sangue e do Espírito, que foi cumprida por Seus 33 anos de vida nesta Terra, tendo-os habilitado para viverem no Reino Milenar e no Céu eterno. Jesus irá prestar o Seu julgamento eterno àqueles que não creram no evangelho da água, do sangue, e do Espírito, e que rejeitaram o amor de Deus.
Agora, você não deve mais ignorar o evangelho da água e do Espírito e fingir-se desavisado acerca disto, você deve crer nesta verdade de salvação. Você deve perceber isto da mesma maneira que Deus prometeu pelo Tabernáculo com o sistema de sacrifício. Jesus Cristo veio a esta Terra, foi batizado pela imposição das mãos de João Batista, foi crucificado, e salvou, assim, a todas as nações do mundo inteiro de todos os seus pecados, e você deve receber a remissão de seus pecados crendo nesta verdade com todo o seu coração.
Mesmo assim, a nação de Israel ainda continua com as suas costas viradas para a verdade e estão esperando por outro Messias. Os Israelitas deveriam perceber que não importa o quanto ardentemente possam esperar por um Messias diferente de Jesus Cristo, pois, simplesmente, não existe nenhum outro Messias exceto Jesus Cristo. Verdadeiramente não existe nenhum outro Messias! Diante desta Terra só Jesus Cristo é a verdade patente. E ao povo de Israel não foi dada nenhuma exceção quanto a crerem nesta verdade, nem está lá entre eles qualquer outro Salvador. 
Como tal, o povo de Israel deve se arrepender do pecado de não crer em Jesus Cristo como o Filho de Deus, e devem crer que Jesus, realmente, é o seu Messias verdadeiro, e aceitar isto como a verdade. Afirmando e crendo que Jesus Cristo seja o grande Salvador a vir, a nação de Israel deveria retornar à verdade, pois é a nação espiritualmente escolhida por Deus.
Até agora, o povo de Israel ainda espera por um Messias majestoso, capaz e poderoso que possa salvá-los dos padecimentos e misérias deste mundo. Mas Jesus Cristo já veio a esta Terra na carne de um homem como o Messias e os salvou, eles que não podiam evitar pecar seriam julgados ao fogo por todos os seus pecados, não fora Jesus lhes salvar. Como tal, deveriam reconhecer esta verdade e crer nisto. Por suas almas, o próprio Senhor Jesus veio a esta Terra como a sua oferta de sacrifício pelos pecados prometido no Antigo Testamento, os salvou para sempre de todos os seus pecados, e os fez o próprio povo de Deus.
Jesus Cristo, que veio como o Salvador, salvou a todos nós pelo evangelho da água e do Espírito, que é a verdade manifestada nos fios, azul, púrpura, escarlate e no tecido de linho retorcido. Ele, seguramente, habilitará àqueles dentre nós que acreditam nisto para viver durante o Reino Milenar com Ele. Depois disto, Ele também permitirá que tomem parte no Reino eterno de Deus e vivam para sempre com o próprio Deus em felicidade e Glória. 
Como tal, enquanto nós ainda estamos nesta Terra, devemos crer no evangelho da água e do Espírito com os nossos corações e nos tornar os próprios filhos de Deus. Só os que creem neste evangelho que contém a verdade de salvação podem se tornar os filhos sem pecados de Deus e estão garantidos a receber todas as bênçãos que lhes aguardam no mundo vindouro.
Aleluias! Eu agradeço ao Senhor Jesus com a minha fé por nos dar as bênçãos espirituais do Céu. Nosso Senhor Jesus prometeu que retornaria logo; mesmo assim, venha, Senhor Jesus!