Sermões

Assunto 24: Sermões para Aqueles que são Nossos Colaboradores

[24-65] Nosso ministério deve ser algo especial perante Deus (Gênesis 30:25-43)

(Gênesis 30:25-43)
“Aconteceu que, quando Raquel teve a José, disse Jacó a Labão: Deixa-me ir; que me vá ao meu lugar e à minha terra. Dá-me os meus filhos e as minhas mulheres, pelas quais te tenho servido, e ir-me-ei; pois tu sabes o meu serviço, que te tenho feito. Então, lhe disse Labão: Se, agora, tenho achado graça a teus olhos, fica comigo. Tenho experimentado que o SENHOR me abençoou por amor de ti. E disse mais: Determina-me o teu salário, que to darei. Então, lhe disse: Tu sabes como te tenho servido e como passou o teu gado comigo. Porque o pouco que tinhas antes de mim é aumentado até uma multidão; e o SENHOR te tem abençoado por meu trabalho. Agora, pois, quando hei de trabalhar também por minha casa? E disse ele: Que te darei? Então, disse Jacó: Nada me darás; tornarei a apascentar e a guardar o teu rebanho, se me fizeres isto: passarei hoje por todo o teu rebanho, separando dele todos os salpicados e malhados, e todos os morenos entre os cordeiros, e o que é malhado e salpicado entre as cabras; e isto será o meu salário. Assim, testificará por mim a minha justiça no dia de amanhã, quando vieres e o meu salário estiver diante de tua face; tudo o que não for salpicado e malhado entre as cabras e moreno entre os cordeiros ser-me-á por furto. Então, disse Labão: Tomara que seja conforme a tua palavra. E separou, naquele mesmo dia, os bodes listrados e malhados e todas as cabras salpicadas e malhadas, tudo em que havia brancura e todo o moreno entre os cordeiros; e deu-os nas mãos dos seus filhos. E pôs três dias de caminho entre si e Jacó; e Jacó apascentava o resto dos rebanhos de Labão. Então, tomou Jacó varas verdes de álamo, e de aveleira, e de castanheiro e descascou nelas riscas brancas, descobrindo a brancura que nas varas havia, e pôs estas varas, que tinha descascado, em frente do rebanho, nos canos e nas pias de água, aonde o rebanho vinha a beber, e conceberam vindo a beber. E concebia o rebanho diante das varas, e as ovelhas davam crias listradas, salpicadas e malhadas. Então, separou Jacó os cordeiros e pôs as faces do rebanho para os listrados e todo moreno entre o rebanho de Labão; e pôs o seu rebanho à parte e não o pôs com o rebanho de Labão. E sucedia que, cada vez que concebiam as ovelhas fortes, punha Jacó as varas diante dos olhos do rebanho nos canos, para que concebessem diante das varas. Mas, quando enfraqueceu o rebanho, não as pôs. Assim, as fracas eram de Labão, e as fortes, de Jacó. E cresceu o varão em grande maneira; e teve muitos rebanhos, e servas, e servos, e camelos, e jumentos”.
 
 
Jacó levou catorze anos para formar uma família
 
Longos catorze anos se passaram desde que Jacó começou a trabalhar na casa de seu tio Labão, irmão de sua mãe. E neste período ele se casou com Lia e Raquel, filhas de seu tio. E das duas, Jacó amava mais a Raquel. Mas para se casar com ela, Jacó teve que trabalhar sete anos cuidando do rebanho de seu tio. Ele trabalhou duro sete anos, dia e noite, alimentando e cuidando das ovelhas até que finalmente chegou o dia de se casar com Raquel. Mas na manhã seguinte após o casamento, ele acordou e viu que a mulher que estava ao seu lado era Lia, e não Raquel. Jacó se casou com Lia primeiro porque Labão o enganou. Ele então reclamou e disse: “Eu trabalhei duro por Raquel, por que você me deu Lia?” Ele reclamou por Labão ter trocado as irmãs na noite do casamento, mas ele lhe disse: “Na nossa terra a irmã mais nova não deve se casar antes da primeira” e lhe fez uma promessa: “Após sete dias de celebração pelo casamento, eu lhe darei Raquel também, mas você terá que trabalhar mais sete anos por ela.” Jacó concordou e trabalhou mais sete anos para Labão. Mas durante este tempo ele teve Raquel, que foi sua segunda esposa. Deste modo, Jacó levou catorze anos para formar uma família.
Quando começou a guerra da Coreia em 1950, A Coreia do Norte comunista invadiu a Coreia do Sul. E quando os sul coreanos estavam quase sendo vencidos, as Nações Unidas intervieram, nos devolveram a nação e expulsaram os norte coreanos para a fronteira da China. Mas a China enviou milhões de soldados para a guerra e as forças aliadas tiveram que se retirar rapidamente para as províncias sul coreanas. E junto com os exércitos aliados, os que viviam nas regiões do norte também tiveram que fugir para o sul em busca de abrigo. Eles pensaram que poderiam voltar para casa depois que a guerra acabasse. Só que até hoje não puderam voltar, pois a guerra acabou com o armistício e as fronteiras entre ambos os países foram fechadas. Desde então estas pessoas não podem voltar mais para casa, embora desejem muito fazer isso. A maioria delas vive na província de Gangwon, na Coreia do Sul, mas não podem voltar para sua terra.
Jacó também não tinha mais esperança de voltar à sua terra natal depois que fugiu para casa de seu tio. Ele até pensou que em um ou dois meses a ira do seu irmão se aplacaria, mas catorze anos haviam se passado. Jacó foi para a casa do seu tio, irmão de sua mãe, e só depois de trabalhar catorze anos é que pôde ter sua família. E ele gerou doze filhos de suas duas esposas. Era uma grande honra para os pais ter muitos filhos nos dias do Antigo Testamento.
Na geração passada em nosso país, o poder que os pais exerciam sobre os filhos também era muito grande. Se alguém incomodasse um dos irmãos de uma grande família, todos os irmãos se uniam como abelhas para defendê-lo e diziam: “É você que quer bater no nosso irmão?” O poder exercido era muito grande. Por isso que os filhos de uma grande família sempre tinham um ar de superioridade.
A Bíblia diz que Raquel, esposa de Jacó, era tão bonita que encantava as pessoas. Mas Lia não tinha esses atributos. Por isso que Jacó amava mais a Raquel. Só que Lia gerou quatro filhos e Raquel, nenhum. Então ela disse a Jacó: “Dá-me um filho ou eu morro!” Mas Jacó se irritou e disse: “Eu sou Deus por acaso? Será que posso gerar fruto no seu ventre? Sua irmã gerou filhos porque Deus a abençoou. Você deve orar a ele por isso então.” Raquel era criticada por não ter filhos, então Jacó lhe disse: “Somente Deus, o Criador dos céus e da terra, pode lhe dar um filho. Não me culpe então por não gerar um filho em você!” Por isso que a Bíblia diz que a mulher não amada por seu marido geraria muitos filhos, ao contrário da que era amada por ele, que não geraria nenhum.
 
 
O que o texto bíblico deste capítulo nos ensina?
 
É isso que ele nos ensina: os que possuem a verdadeira fé serão mais amados e abençoados por Deus do que os que são elogiados por sua beleza física. Melhor dizendo, os que não são elogiados neste mundo serão mais amados por Deus porque creem na sua justiça e se dedicam para fazer sua obra. Os justos não têm do que se exaltar, humanamente falando, buscam a justiça de Deus e nele têm fé. Por isso que são amados por ele. Em outras palavras, se nos esforçarmos para salvar almas tendo fé no evangelho da água e do Espírito, geraremos muito filhos na fé. Também aprendemos aqui que poderemos gerar muitos filhos nesta nova vida se tivermos fé na justiça de Deus. E o que ele nos ensina aqui é que nossa vida espiritual deve ser assim. Os que se acham importantes nesta terra não podem dar frutos aqui porque raramente creem na justiça de Deus ou a buscam. E Deus é o Deus dos justos.
Mas Raquel, que não podia gerar filhos, finalmente deu um filho a Jacó, cujo nome era José. Anos depois, José se tornou o governador de toda a terra do Egito e salvou sua família. E foi Raquel que deu à luz a José. Depois de gerar José, Raquel elevou seu espírito aos céus e disse: “O Senhor me acrescente outro filho” (Gênesis 30:24). E o nome desse filho era José, que significa “Deus me acrescentou”.
 
 

Jacó fez os preparativos para voltar à sua terra

 
Embora Jacó tivesse duas esposas e muitos filhos, ele não tinha muitas riquezas, ou seja, um grande rebanho. E ao sentir desejo de deixar a casa de seu tio e voltar para sua terra natal, umas de suas sua preocupações era ter um rebanho pequeno. Ele teve que esperar catorze anos para ter suas duas esposas, e precisa de um rebanho maior para voltar para a casa de seus pais. Então ele pensou: “Eu preciso trabalhar para ter minha própria riqueza” e foi conversar a respeito disso com seu tio. “Querido tio, eu quero sua permissão para voltar à minha terra natal.” Só que Labão não queria que ele voltasse porque foi muito abençoado por Deus enquanto Jacó estava ali. A verdade é que ele foi muito abençoado desde que Jacó chegou à sua casa, pois foi muito abençoado e seus rebanhos cresceram bastante. Então Labão disse a Jacó: “Eu não posso negar que enriqueci muito depois que você chegou aqui, e reconheço que Deus me deu muitas bênçãos por sua causa. Então, se achei graça aos seus olhos, fique comigo mais um pouco. Diga-me o que você quer que eu lhe darei.”
Mas quando seu tio lhe disse para pedir o que quisesse, Jacó disse a ele: “Eu não quero mais nada do senhor a não ser que concorde com uma coisa: dá-me as ovelhas listradas e malhadas que nascerem a partir de agora. Separe todas que já são agora e dê aos seus filhos, e a partir de agora dá-me as que nascerem malhadas.”
E ainda havia mais em sua proposta: “Fique para si com todos os cordeiros brancos e marrons, mas dá-me os que forem listrados e salpicados.” E como a proposta de Jacó pareceu muito boa para Labão, ele disse: “Ótima ideia” e separou suas ovelhas listradas e malhadas a caminho de um dia dos rebanhos de Jacó. Esta distância era tão grande que Jacó não tinha como roubá-las. Labão gostou muito da proposta de Jacó. Ele fez os cálculos e pensou: “As ovelhas bancas são em maior número. E se os cordeiros brancos cruzarem com as ovelhas brancas, há chance de as crias serem brancas é de 99% de ficarem para mim. A probabilidade de isso acontecer é de 99%! Meu sobrinho me fez uma proposta excelente. Ele me fez uma proposta generosa e tenho sido muito abençoado por Deus por causa dele.” Então Labão deu sua palavra a Jacó e disse: “Eu aceito sua proposta. Vamos fazer como você disse então.”
Labão então apertou a mão de Jacó, firmou seu acordo com ele, separou todas as ovelhas listradas e malhadas e as deu aos seus filhos. Depois separou suas ovelhas a três dias de distância das ovelhas de Jacó para protegê-las. Mas Jacó agora tinha uma tarefa: “Segundo o acordo, todas as ovelhas listradas e malhadas que nasceram a partir de agora serão minhas. Mas como fazê-las nascer assim?” E depois de pensar muito, ele chegou à conclusão de que cortar varas de álamo cortadas para aparecer as partes brancas e colocá-las em frente ao rebanho quando elas fosse cruzar. E aconteceu como ele esperava, pois os rebanhos que cruzaram em frente às varas de álamo cortadas tiveram crias listradas e malhadas.
As ovelhas geralmente cruzam quando vão beber água. E como Jacó era um bom pastor, ele conhecia bem o hábito das ovelhas. Então, quando elas iam beber água, Jacó descascava listras brancas nas varas verdes de álamo e as colocava nas frentes delas nos canos e pias de água, fazendo com que as mais fortes olhassem para elas quando cruzassem. E o seu plano funcionou, pois as ovelhas mais fortes olhavam para as varas cortadas quando iam beber água e concebiam cordeiros malhados. Como Jacó não era bobo, quando ele via que uma ovelha fraca queria cruzar, ele retirava as varas de diante dela. Deste modo, as ovelhas mais fortes geravam cordeiros listrados e malhados. O rebanho de Jacó cresceu muito com o passar do tempo, pois além de os cordeiros serem malhados, também eram fortes e robustos. Mas as ovelhas do seu tio, ou seja, as que eram brancas, nasceram fracas. As ovelhas de Jacó, por sua vez, eram cheias de vida e fortes. Todas as que eram fracas ficaram para Labão. Além disso, Jacó separou as ovelhas em dois grupos: as marrons e malhadas ele colocou no melhor pasto, enquanto que as de Labão colocou no pastor ruim. E ainda não satisfeito, Jacó fez as ovelhas brancas de Labão cruzar com as suas malhadas. Aí então elas geraram cordeiros malhados que passaram a pertencer a ele. E ao agir de modo tão astuto, Jacó se tornou um homem muito rico.
Quando entraram neste acordo, seu tio Labão pensou que ia se dar bem. Mas em pouco tempo o número de seu rebanho diminuiu muito, enquanto que o rebanho de Jacó cresceu bastante. As ovelhas continuavam a dar cria, mas só nasciam listradas e malhadas. E como Labão havia prometido que todas que nascessem assim seriam de Jacó, ele não podia fazer mais nada senão dá-las para ele. Alguns cordeiros pareciam até que eram brancos, mas quando examinados de perto, havia uma pequena mancha neles. Alguns nasciam totalmente brancos, mas com uma pequena mancha no nariz; então pertencia a Jacó. Deste modo, quase todas ficavam para Jacó, e por isso ele se tornou um homem rico.
 
  
Espiritualmente falando, também somos Jacós que cuidam de ovelhas de uma forma muito importante 
 
Amados irmãos, nós que somos os verdadeiros crentes pregamos este importante evangelho da água e do Espírito como Jacó. Como Jacó, que era um pecuarista importante, de certa forma estamos no ramo da pecuária de uma forma muito especial. Mas que evangelho estamos pregando? O evangelho da água e do Espírito, e não o evangelho comum que os outros cristãos estão pregando. Os cristãos comuns só pregam uma parte da expiação de pecados, ou seja, o sangue da cruz. Eles pregam assim: “Você irá para o céu se aceitar Jesus. Se você aceitar Jesus e seguir estes três passos, você será salvo.” Eles fazem isso, mas nós não.
Nós pregamos segundo a Bíblia, que se alguém crê em Jesus mas ainda tiver pecados, ele ainda é pecador. É assim que devemos pregar a justiça de Deus: “Você tem que crer no evangelho da água e do Espírito, que envolve o batismo de Jesus e seu sangue na cruz, e não no evangelho que só possui uma parte da expiação de pecados, ou seja, o sangue da cruz.” Assim como Jacó fez algo especial junto ao rebanho, colocando diante dele varas de álamo descascadas com listras brancas, também temos que pregar este evangelho que é tão especial a todas as pessoas. E dizemos de modo bem claro em nosso ministério: “Jesus nos salvou de todos os pecados do mundo de uma vez por todas com o evangelho da água e do Espírito” e não seguimos o exemplo daqueles que só pregam a cruz como único meio de receber a remissão de pecados. Quando a vara de álamo era descascada, sua brancura natural era exposta. Em outras palavras, a casca da vara de álamo esconde sua verdadeira brancura. E nós pregamos como era feito antigamente, ensinando primeiro a verdade absoluta, ou seja, o evangelho da água e do Espírito como está escrito. Os que hoje pregam o evangelho da água e do Espírito para os pecadores são especiais porque têm um ministério especial dado por Deus. E atualmente esses obreiros estão pregando este evangelho para muitas pessoas. E por ensiná-las a justiça de Deus de modo bem claro, eles estão levando-as a receber a remissão de todos os seus pecados pela fé. Não podemos deixar de revelar a justiça de Deus a todos através do evangelho da água e do Espírito, a fim de que eles possam se tornar seus filhos. Temos que dizer a eles que somente os que creem neste evangelho pertencem a Deus. E Deus está nos dizendo que devemos investir neste ministério especial e fazer a obra da justiça de uma forma espiritual como Jacó.
Jacó trabalhou duro para ter suas próprias ovelhas, mas não colocou as varas de álamo descascadas na frente de todas elas, apenas das que eram saudáveis e ele queria a cria. E como ele foi bem sucedido com as ovelhas, nós também devemos ter um ministério especial perante Deus. Quando pregarmos o evangelho da água e do Espírito, que contém a justiça de Deus, devemos ter cuidado com isso. Não podemos pregá-lo para aqueles que são soberbos perante Deus, mas somente para as ovelhas perdidas de Deus, que são pobres de espírito e desejam receber a remissão de pecados. É para estes que devemos pregar o evangelho da água e do Espírito. E é assim que temos que pregar: “O Senhor Jesus levou todos os nossos pecados de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista para nos salvar. E este batismo é o mesmo que a imposição de mãos sobre a cabeça do cordeiro sacrificial no Antigo Testamento. Depois disso Jesus foi condenado por todos os nossos pecados derramando seu sangue na cruz.” Se as pessoas crerem neste verdadeiro evangelho, temos que confirmar isso e dizer: “Agora que o Senhor lhe salvou com o evangelho da água e do Espírito, você foi salvo de todos os pecados do mundo pela fé.” Devemos pregar a todos que o Senhor nos tornou justos nos levando a ouvir o evangelho da água e do Espírito e crer nele. É assim que devemos pregar este verdadeiro evangelho, a fim de que todos se tornem justos sendo salvos de todos os seus pecados crendo no evangelho da água e do Espírito.
Nosso ministério de pregar o evangelho da água e do Espírito deve ser algo especial, como vemos na vida de Jacó no texto bíblico deste capítulo. Nós que somos pregadores do verdadeiro evangelho jamais devemos deixar de pregá-lo àqueles que desprezam a Palavra de Deus, para que ele não seja ignorado. Ele é uma pérola preciosa que não deve ser pisada por estes porcos espirituais. Há muitas almas neste mundo, e a sabedoria de um pregador está em pregar o evangelho da água e do Espírito somente àqueles que precisam dele. Só assim os cordeiros puros serão salvos crendo neste evangelho. Não podemos poupar esforços para cumprir nosso ministério. Até os soberbos são alcançados pela compaixão de Deus. O evangelho da água e do Espírito tem sido pregado a vocês até agora. E sua salvação está em crer nele ou não. A decisão é sua.
 
 

Temos que crer no evangelho da água e do Espírito como obreiros especiais de Deus

 
Todos que creem no evangelho da água e do Espírito são obreiros de Deus que possuem um ministério especial, como Jacó. Labão, tio de Jacó, criava ovelhas e não se importava se as brancas se misturassem com as malhadas. Jacó, por sua vez, fez algo diferente para que pudesse ter suas próprias ovelhas. Todas as ovelhas de Jacó eram listradas ou malhadas. E nosso ministério espiritual deve ser assim também. Pregar o evangelho da água e do Espírito em todo o mundo é uma obra espiritual. Por isso que os obreiros de Deus precisam conhecer sua justiça e crer neste evangelho para realizá-la. As pessoas que estão sendo salvas de todos os seus pecados crendo no evangelho da água e do Espírito podem ser chamadas de “ovelhas de Deus”.
Na verdade, os filhos de Deus são aqueles que se tornam justos crendo no evangelho da água e do Espírito. Nosso Senhor apagou todos os pecados do mundo de uma vez por todas com o evangelho da água e do Espírito. E todos serão purificados dos pecados do seu coração se crerem mesmo neste evangelho celestial. Por isso que os pregadores espirituais não devem pregar o evangelho assim: “Você será salvo e irá para o céu se crer em Jesus – mas fazer com que as pessoas saibam que serão julgadas por Deus pelos seus pecados.” Em outras palavras, os verdadeiros pregadores primeiro têm que levar todos a reconhecer que são grandes pecadores. E só depois pregar para eles que o Senhor pode fazê-los nascer de novo pregando o evangelho da água e do Espírito. Eles têm que pregar que o Senhor apagou todos os pecados do mundo através do batismo que recebeu de João Batista e do seu sangue derramado na cruz.
Nós que cremos no evangelho da água e do Espírito fomos salvos pelo Senhor de todos os pecados do mundo de uma vez por todas. E além de fazer isso, agora fazemos parte do seu povo e somos espiritualmente listrados e malhados. É isso mesmo. Já que cremos no verdadeiro evangelho da água e do Espírito, o Senhor fez de nós seu próprio povo sem pecado. Ele agora aceita todos que creem neste evangelho e diz: “Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. Eu não sou Deus de mortos, mas de vivos.”
Este é o nosso Deus. Mas como foi que conhecemos sua justiça? Como tivemos um encontro com este Deus? Através da verdade da salvação encontrada em sua Palavra é que pudemos ter um encontro com ele e ser salvos. E como passamos a crer de todo o coração no evangelho da água e do Espírito encontrado na Palavra de Deus, nos tornamos obreiros da sua justiça.
Mas quem é o Deus da justiça? Como podemos ter um encontro ele? Além disso, como podemos crer sempre nele e segui-lo? Como podemos viver pela fé de verdade? Através da santa Palavra do Deus santo, que nos revela todas as coisas. O que estou dizendo é que o próprio Deus que criou este mundo com sua Palavra até hoje nos revela todas as coisas através da Palavra escrita. E pela fé na Palavra da justiça de Deus que há nas Escrituras podemos conhecer o evangelho da água e do Espírito que nos salva de todos os nossos pecados e crer no Deus da verdade.
É isso mesmo. Podemos ter um encontro com o Deus da salvação crendo na sua Palavra da justiça, assim como ser o perfeito povo de Deus e receber a verdadeira remissão de pecados conhecendo o evangelho da água e do Espírito, que é a justiça de Jesus. Agora, todos nós que cremos no evangelho da água e do Espírito somos povo de Deus.
Mas qual é a fé que nos leva a ser especiais, os justos de Deus? O que significa ter uma fé especial? Por que nós é que temos uma fé especial? Por que somente nós somos o povo de Deus? Porque cremos na Palavra de Deus que afirma que ninguém pode entrar no reino de Deus e fazer parte do seu povo se não nascer de novo crendo no evangelho da água e do Espírito. E isso é biblicamente correto, pois nosso Senhor disse que nos salvou de todos os pecados não apenas com seu sangue, mas com a água, o sangue e o Espírito (1 João 5.6-8). Para sermos salvos de todos os pecados do mundo, temos que crer na Palavra que o Senhor disse: “Está consumado!” ao expiar todos os nossos pecados após vir a esta terra, ser batizado por João Batista e derramar seu sangue na cruz. Exatamente como está escrito no Antigo Testamento, Jesus Cristo nos salvou por completo ao levar sobre si os pecados do mundo de uma vez por todas quando foi batizado, derramando seu sangue na cruz e morrendo por nós. Hoje, é pela fé na santa Palavra de Deus que recebemos a remissão de pecados e nos tornamos seus filhos.
 
 

Deus é o Deus que fala

 
Nós que cremos no evangelho da água e do Espírito somos ovelhas especiais para Deus. Espiritualmente, somos ovelhas, ovelhas especiais com listras e manchas. De um ponto de vista espiritual, somos ovelhas de Deus, não ovelhas comuns. E assim como as ovelhas listradas e malhadas pertenciam a Jacó, e não a Labão, somos filhos espirituais de Deus porque cremos na sua Palavra da justiça.
No princípio Deus criou os céus e a terra. E no momento da criação do universo, sua Palavra já existia. O primeiro versículo do evangelho de João afirma que “no princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus” (João 1:1). Está escrito aqui que o Verbo, ou seja, a Palavra existia desde o princípio, pois foi com ela que Deus criou o universo. Deus disse: “Haja luz! Haja o sol! Haja a lua! Haja as estrelas! Que a terra produza árvores e vegetação! Que haja os animais marinhos e que rastejam no solo!” Tudo veio a existência segundo a sua espécie quando Deus criou tudo pela sua Palavra. Por isso que a Bíblia declara que “o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus”, quando o Deus trino – Deus Pai, seu Filho Jesus Cristo, que coexistem e trabalharam juntos – criou o universo.
A Bíblia diz que “no princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus” (João 1:1). E o Verbo aqui, ou seja, “a Palavra” é justamente nosso Senhor Jesus Cristo. O Senhor, que habitava com o Pai antes mesmo da criação do universo, veio a esta terra em carne e apagou todos os nossos pecados. Sendo assim, a Palavra escrita é justamente a Palavra dita por Deus; e o Deus que disse esta Palavra veio a esta terra como o Senhor Jesus. Nosso Deus é o Deus da Palavra. E hoje conhecemos o evangelho da água e do Espírito porque cremos na Palavra que Deus deu aos servos e eles deixaram registrada ao longo dos séculos. E também fomos salvos de todos os nossos pecados de uma vez por todas por crermos nessa Palavra.
Como foi que tivemos um encontro e passamos a crer neste Deus que criou o universo e tudo que nele há? Como foi que também começamos a levar uma vida de fé obedecendo à justiça de Deus depois que recebemos a remissão de pecados? Nós tivemos um encontro com Deus e passamos a crer nele tendo fé na sua Palavra; e também porque Jesus Cristo criou o universo com sua Palavra, salvou o homem de todos os seus pecados pela Palavra da água e do Espírito, está conosco até agora através desta Palavra. Por isso que sou muito grato ao Senhor Jesus. Apesar de não podermos ver a Deus, que criou o universo e tudo que nele há, com nossos próprios olhos, podemos nos tornar seus filhos através de Jesus Cristo, seu Filho unigênito, que veio nos salvar segundo a sua vontade com a Palavra do evangelho da água e do Espírito. É isso mesmo. Jesus Cristo, o Filho de Deus, em sua essência é a própria Palavra. Esta Palavra estava com Deus e era Deus. Deus existe por toda a eternidade, e sempre existirá. Por isso que ele liberou sua Palavra e criou todo o universo com ela. E ele fez com que seus servos deixassem registrado tudo que ele disse e fez. E através da Palavra escrita podemos vê-lo e crer nele. Podemos ter um encontro com ele através da sua Palavra e tendo fé nela, pois esta Palavra é o próprio Deus em quem cremos hoje. É assim que o Deus da Palavra tem um encontro conosco até hoje pela água e pelo Espírito.
Nós fomos salvos crendo no Deus da justiça, que cumpriu o evangelho da água e do Espírito. Fomos salvos de todos os nossos pecados e nos tornamos povo exclusivo de Deus crendo na verdade de que Jesus Cristo nos salvou com a água e o sangue. Amados irmãos, podemos desfrutar de uma vida nova e eterna com Deus pela fé na sua Palavra escrita. Apesar de não conseguirmos ver o Deus da justiça com nossos próprios olhos, podemos ter um encontro com ele e viver com ele pela fé na sua Palavra escrita. Nós que vivemos neste mundo tivemos um encontro com Jesus Cristo, que veio pela água e pelo sangue, através da Palavra de Deus. Ele veio a esta terra como homem e nos salvou de todos os nossos pecados com a água e o sangue porque temos fé na justiça de Deus. Também nos tornamos discípulos abençoados de Jesus Cristo crendo na justiça de Deus e obedecendo-a.
Agora, como somos verdadeiros discípulos de Jesus Cristo, temos que fazer uma obra espiritual junto às ovelhas do Senhor, como fez Jacó. Mas o que devemos fazer a partir de agora então? Descascar espiritualmente as varas de álamo e colocá-las diante daqueles que desejam crer mesmo na justiça de Deus. E a estes temos que pregar com sabedoria o evangelho da água e do Espírito, que é o evangelho definitivo de Deus. E quando crerem totalmente nele, eles nascerão de novo, farão parte do povo de Deus e serão discípulos de Jesus Cristo que pregarão o evangelho conosco.
De agora em diante temos que viver para sempre fazendo esta obra de Deus tão única. Temos que pregar a Palavra do evangelho da água e do Espírito de Deus ainda mais para que todos recebam a verdadeira salvação. E a perfeita salvação é diferente da salvação simples e fútil que os cristãos pecadores estão pregando hoje, assim como as ovelhas brancas são bem diferentes das listradas e malhadas. É isso mesmo. Você e eu temos que pregar o evangelho da água e do Espírito a todo pecador como ele está escrito na Palavra de Deus. E se persistirmos em pregar o evangelho para eles até que creiam em Jesus Cristo, eles também gerarão filhos na fé que serão listrados e malhados espiritualmente, que por sua vez gerarão filhos na fé. Mas para que isso se torne realidade em nossa vida, temos que aprender a negar nossos próprios pensamentos e ser unicamente discípulos de Jesus Cristo pela fé. O que estou dizendo é que primeiro temos que receber a remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito para depois pregarmos este evangelho a todos. Deus está nos ensinando hoje que devemos fazer sua obra como discípulos de Jesus Cristo pregando o evangelho da água e do Espírito, que é como as varas descascadas de álamo.
Amados irmãos, nós que cremos no evangelho da água e do Espírito somos o povo de Deus. Também somos propriedade exclusiva dele. Assim como todas as ovelhas listradas e malhadas eram propriedade de Jacó, temos que viver pela fé na Palavra que Deus nos deixou.
A verdade é que a situação do mundo está muito ruim hoje em dia. Há muitos sinais do iminente fim em todos os lugares. A situação econômica do mundo também está sombria. Muitas crises estão acontecendo aqui e ali, e as pessoas em todo o mundo estão muito tensas e preocupadas. Como é que podemos viver neste mundo tão difícil então? Só podemos suportar tudo isso pela fé na justiça de Deus e na redenção eterna. Temos que viver pela fé na Palavra de Deus, que nos garante a vida eterna. Deus nos salvou de todos os nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito, e temos que viver pela fé nesta Palavra. Todos os dias temos que confirmar que já fomos salvos da condenação por todos os nossos pecados.
Se há algo que nos preocupa, nos incomoda ou turba nosso coração, temos que orar a Deus e colocar tudo isso diante dele. Assim a Bíblia nos exorta: “Não estejais inquietos por coisa alguma; antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus” (Filipenses 4:6-7). Temos que orar a Deus e confiar tudo a ele se cremos no que diz a passagem acima. Já que fomos salvos e recebemos a remissão de pecados pela Palavra de Deus, temos que crer totalmente nela enquanto vivermos. Se fizermos isso, poderemos viver pela fé neste mundo. Podemos ser pastores fiéis e fazer a obra junto com o Senhor como seus discípulos, ajuntar muitas ovelhas e fazer com que seu rebanho listrado e malhado continue crescendo.
Amados irmãos, nós que cremos no evangelho da água e do Espírito somos muito diferentes dos outros, pois nosso Deus é o Deus da justiça. Ele é o nosso Pastor e o nosso Deus. Por isso que quem crê no evangelho da água e do Espírito, ou seja, os que foram salvos por Deus são muito diferentes dos outros. Não há dúvida de que somos um povo especial. Nós somos especiais, mais do que qualquer um outro. E Deus tornou isso possível nos vestindo com sua graça especial através do evangelho da água e do Espírito. Foi ele quem nos levou a conhecer Jesus Cristo, que veio pela água e pelo Espírito. Por meio da sua Palavra escrita, Deus nos levou a ter um encontro com Jesus Cristo, o verdadeiro Deus, para que fôssemos salvos de todos os nossos pecados crendo nele. Guardem isso no coração: não importa o que passarmos, jamais devemos nos esquecer que somos os filhos especiais de Deus.
O que nos impulsiona em nossa vida não é poder algum senão a fé na Palavra da justiça de Deus. Por isso que devemos crer na Palavra de Deus sem duvidar. Nós vivemos não pelas nossas habilidades ou poder. Na verdade, vivemos porque cremos na Palavra escrita de Deus. E mais, só poderemos viver no futuro se crermos nesta Palavra. Se não crermos de modo correto nesta Palavra, que é o próprio Deus que nos salvou, seremos amaldiçoados como bastardos espirituais que perderam seus pais.
 
  

Nosso ministério deve ser específico e voltado para cuidar de ovelhas espirituais

 
Já que fomos salvos de todos os pecados do mundo, temos que viver pela fé em Jesus Cristo, o Filho de Deus que veio pela água e pelo Espírito. O que estou dizendo é que devemos viver neste mundo como nascidos de novo e ter uma fé inabalável na Palavra de Deus. Hoje vivemos nesta terra como um povo bem distinto. E como recebemos a salvação pela Palavra da justiça de Deus, somos bem diferentes das pessoas deste mundo. Assim como Jacó e Labão tinha um método diferente para criar suas ovelhas, também precisamos ter uma vida diferente dos cristãos pecadores. Temos que fazer a obra de Deus e levar as ovelhas a gerar cordeiros malhados. A verdade é que somos pessoas comuns e falhas em todas as nossas habilidades; por isso temos que viver pela fé na Palavra de Deus. Temos uma vida diferente porque fomos salvos pelo evangelho da água e do Espírito e agora fazemos a obra para salvar outras almas. Devemos viver pela fé, crendo que Deus cumprirá tudo em nossa vida conforme prometeu em sua palavra.
Eu disse que o modo de Jacó criar suas ovelhas era diferente do de Labão. O que Deus então quer nos ensinar com o ministério de Jacó? Que ele também nos tornou obreiros da sua justiça, pois além de ser o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, também é o Deus que nos salvou pela água e pelo Espírito. E eu creio nisso de todo o coração. Creio que o próprio Deus que protegeu e cuidou de Jacó onde quer que ele estivesse e lhe estendeu sua graça é o Deus daqueles que nasceram de novo. Por isso que ele sempre nos guarda, como fez com Jacó.
Devemos viver com fé na justiça de Deus. E agora é a hora de a nossa fé na justiça de Deus ser mais forte do que jamais foi. Vivemos uma era terrível e pecaminosa, onde viver em termos humanos não é mais possível. E o que os nascidos de novo devem fazer em tal era é crer de todo o coração na Palavra escrita de Deus, pois ela é o próprio Deus. E ao ouvirmos esta Palavra, temos que confiar nela, crer nela e obedecer a tudo que nela está escrito. Temos que fazer isso porque somos o povo exclusivo de Deus. O que devemos fazer no fim dos tempos? Que obra devemos fazer? Nem é preciso perguntar: a obra que devemos fazer é gerar ovelhas listradas e malhadas. Esta é a obra específica que os filhos de Deus devem fazer na igreja.
Depois então, quando os justos sofrerem na tribulação e enfrentarem muitas lutas, Deus preparará um lugar de refúgio para vivermos aqui. E eu quero que vocês saibam que ele está preparando este lugar, ou seja, nosso Centro para Treinamento de Discipulado, para que possamos viver aqui nos dias da Grande Tribulação. E vocês são justamente os donos deste Centro. Vocês mesmos é que mandarão em tudo aqui. Quando este mundo for abalado pela Tribulação, é aqui que nos reuniremos para viver debaixo da graça de Deus.
Amados irmãos, temos mesmo um trabalho diferente para fazer. Mas antes de tudo, temos que descascar as varas de álamo e colocar na frente das ovelhas para que elas gerem cordeiros diferentes. E temos que cuidar bem destes cordeiros. Quando formos aos hospitais, temos que apresentar às pessoas o evangelho da água e do Espírito, que num sentido espiritual é a vara de álamo descascada. Quando visitarmos as prisões, também temos que pregar este evangelho; quando formos às universidades, temos que pregá-lo aos alunos; e até mesmo quando estivemos na nossa própria casa, temos que pregá-lo para os membros da nossa família; quando formos à Rússia ou ao Japão, temos que anunciá-lo para o povo ali. Ao invés de enganarmos as pessoas pregando um evangelho errado que não as levará à salvação, pois não pode salvar ninguém, temos que levá-las a crer no evangelho da água e do Espírito para que sejam salvas. A verdade é que ainda há muitas pessoas neste mundo a quem devemos pregar o evangelho da água e do Espírito. Temos que pregar este evangelho para elas então, estar em comunhão e viver com Deus. Há muitos lugares neste mundo onde devemos pregar o evangelho da água e do Espírito, é por isso que temos nos reunido aqui duas vezes por ano. E quando finalmente pregarmos este evangelho em todo o mundo, viveremos em comunhão e juntos para sempre.
Há muitos lugares onde devemos descascar as varas de álamo para mostrar sua brancura. Temos que visitar então os cinco oceanos e seis continentes para pregar o evangelho da água e do Espírito. Até hoje, espiritualmente falando, ao invés de mostras às pessoas a vara de álamo descascada, os cristãos têm mostrado às pessoas uma vara qualquer e dito a elas: “Tudo que vocês precisam fazer é crer.” E embora isso não seja uma vara de álamo descascada, as pessoas creem como foram ensinadas. “Creia em Jesus e você será salvo.” Esse ‘evangelho fácil’ que tem sido pregado no lugar da fé em Jesus jamais poderá tornar alguém filho de Deus. Esta é a hora então de os remidos descascarem a vara de álamo e mostrar a parte branca para as pessoas. Temos que pregar de modo bem claro aos pecadores o evangelho da água e do Espírito, que está oculto na justiça de Deus. Precisamos mostrar muito bem a eles que Jesus já lhes salvou com a água e o sangue, revelando os pecados do seu coração, mostrando como a natureza humana é vil e expondo-as abertamente. As pessoas só alcançarão a verdadeira salvação se fizermos isso passo a passo.
 
 

Temos que nos dedicar para pregar o evangelho da água e do Espírito até o fim dos tempos

 
Devemos ter um ministério especial como o de Jacó nestes últimos dias, que é cuidar das ovelhas espirituais. O que estou falando é que devemos cuidar das ovelhas de uma forma muito especial. Todos os cordeiros listrados, malhados e marrons pertenciam a Jacó. Isso significa então que todos que não tinham nenhuma mancha ou listra não pertenciam a ele. Nem todas as ovelhas são de Deus. Nossa obra então é fazer com que todos venham a nascer de novo para que sejam ovelhas de Deus. Somente as especiais é que são ovelhas de Deus. Temos que mostrar a vara descascada em todas as nações, pregar o evangelho da água e do Espírito em todo o mundo. E pregar este evangelho no mundo todo é justamente a obra de descascar as varas de álamo e mostrar a parte branca para eles. E é nesta obra que devemos concentrar nossos esforços, pois ao chegarmos ao fim dela, nosso Senhor virá a segunda vez a esta terra e levará os que se apartam do pecado e aguardam ansiosamente a sua volta (Hebreus 9:28). Mas ainda temos muitas outras obras para fazer. Por isso que eu acho que Deus está protegendo a Coreia de um modo bem especial, pois é aqui que está o quartel general do ministério de Deus.
Eu creio que muitas pessoas nos países onde nossos obreiros estão trabalhando crerão no verdadeiro evangelho da água e do Espírito. E não importa o que aconteça, temos que pregar este evangelho. Temos que descascar as varas de álamo e mostrar a parte branca para todos os pecadores. Em outras palavras, temos que pregar o segredo do legítimo evangelho da água e do Espírito a todos neste mundo – que o Senhor Jesus apagou todos os pecados do mundo com o batismo que recebeu de João Batista e o sangue que derramou na cruz. Eu confio muito que o Senhor estará conosco sempre que pregarmos o evangelho da água e do Espírito. Está escrito que quando este evangelho for pregado em todo o mundo, ele chegará ao fim e o Senhor voltará para nos buscar. Este dia certamente virá quando o evangelho da água e do Espírito for pregado em todo o mundo.
Mas a verdade é que ainda há muitos países onde este evangelho ainda não chegou. Alguns teólogos cristãos dizem que o evangelho de Deus já tem sido pregado no mundo todo, mas a verdade é que o verdadeiro evangelho da água e do Espírito, que é tão especial como as varas de álamo descascadas, ainda não foi anunciado nos confins da terra. Amados irmãos, muitos neste mundo ainda não ouviram o evangelho da água e do Espírito. E até hoje eles pensam que todos os evangelhos são iguais. Melhor dizendo, eles pensam que são cristãos e serão salvos crendo em Jesus de qualquer maneira. Mas a verdade não é outra? Crer assim não é ter fé na justiça de Deus, mas em mentiras.
 
 
Deus abençoa quem prega o evangelho da água e do Espírito em todo o mundo
 
Deus prometeu que seria o Deus de Jacó, e ele o abençoou mesmo. Ele disse: “Eu sou seu Deus, e onde você estiver, estarei contigo. O cheiro do meu filho, a quem abençoei, é como o cheiro do campo. Eu amaldiçoarei quem o amaldiçoar, e abençoarei quem o abençoar.”
É isso mesmo. Deus é o Deus de Jacó. Mas ele também é o Deus daqueles que nasceram de novo crendo no evangelho da água e do Espírito. Deus jamais será o Deus de alguém só porque ele diz que crê em Jesus. Jesus só é o Deus daqueles que creem no evangelho especial da água e do Espírito, assim como só pertenciam a Jacó as ovelhas listradas e malhadas e marrons. E seu desejo é que nós que nascemos de novo preguemos este evangelho, ou seja, cuidemos de maneira tão especial das ovelhas que há no mundo inteiro. Deus abençoa os justos que creem no evangelho da água e do Espírito. Mas por que você acha que ele faz isso? Porque fazemos parte do seu povo, como Jacó. Por mais que sejamos falhos, Deus nos abençoa porque somos ovelhas especiais do seu rebanho, listradas e malhadas. Apesar dos nossos erros, Deus com toda certeza abençoará a obra que estamos fazendo. Assim como Jacó ficou muito rico, como vemos no texto bíblico deste capítulo, eu estou certo que Deus vai trabalhar em nossa vida e nos ajudará para que venhamos a progredir muito e dar frutos no ministério da pregação do evangelho.
Por isso que devemos pregar o evangelho da água e do Espírito em todo o mundo. Temos que fazer esta obra pela fé. E não somente isso, mas vivermos pela fé também. De todos os ministérios, o que devemos mais usar nossa fé é no da pregação do evangelho. Também devemos usar nossa fé para apoiar o ministério da pregação do evangelho no campo, ou seja, gerindo nossos negócios ou captando recursos. Devemos exercitar nossa fé em todas as áreas da nossa vida.
“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus” (Filipenses 4:6-7). É isso que Deus nos diz. E já que isso é a Palavra de Deus, precisamos crer que ele com toda certeza guardará nosso coração e sentimentos como nos diz aqui. Eu creio que Deus nos ajudará a resolver nossos problemas que nos deixa ansiosos e nos guardará a todo o momento. Temos fé que Deus, que excede todo o entendimento, cuidará de toda ansiedade que temos em nossa mente e coração e nos ajudará a resolver todos os nossos problemas com seu soberano poder. E cremos nisso porque a Palavra é o próprio Deus. Também porque ele é o Deus que cumpre suas promessas como estão nas Escrituras. Cremos que Deus certamente fará sua obra em nossa vida se acreditarmos que ele nos ajudará em tudo e confiarmos nele pela fé.
Quando voltarmos para nossa igreja depois de retornarmos para casa depois deste treinamento de discipulado de verão, temos que continuar pregando o evangelho da água e do Espírito como fazíamos antes em nossa igreja. Ainda há muitos lugares que esperam por nós. Portanto, devemos sempre orar a Deus para que ele esteja conosco neste ministério da pregação do evangelho.
 
 

Não devemos buscar a glória pessoal nestes últimos dias, mas nos dedicar ainda mais à pregação do evangelho

 
A verdade é que nestes últimos dias devemos dedicar nosso coração à pregação do evangelho da água e do Espírito. Jamais devemos buscar a glória pessoal. Já que Deus disse que o fim deste mundo está próximo, precisamos crer que isso logo acontecerá então. Apesar de não termos examinado todas as provas científicas que este mundo logo será destruído, devemos crer que ele em breve perecerá. Embora o tempo das dores não tenha chegado, quando a fome e tragédias acontecerem em todos os lugares e anunciarem que o fim do mundo é iminente, cremos que ele será mesmo destruído em pouco tempo. A verdadeira fé nos levará a ver com nossos próprios olhos o cumprimento de toda a Palavra. Por isso que devemos pregar o evangelho a todos neste mundo antes que ele seja finalmente destruído.
Amados irmãos, não se preocupem com seus problemas ou com o que vão comer, beber ou vestir. Mas se isso lhes preocupar muito, orem a Deus. E orem assim: “Amado Deus, dá-nos o pão de cada dia, supra nossas necessidades, nos guarde e abençoe.” Depois creia que ele ouve suas orações, pois conhece suas necessidades e cuida de você mais do que os pássaros do céu que ele alimenta todos os dias. Deixe todas as suas preocupações de lado então, não se preocupe com o que vai comer ou beber, e busque o máximo que você puder o reino de Deus em primeiro lugar.
Você tem que orar mais pela pregação do evangelho e concentrar todos os seus esforços nisso. Tudo que fizermos chegará ao fim quando este mundo for destruído. A única coisa que não será destruída em meio ao caos completo que haverá será o evangelho da água e do Espírito. E como apenas o povo de Deus que recebeu a remissão de pecados pela pregação do evangelho será exaltado por Deus em meio ao caos e entrará no reino dos céus, temos que concentrar todos os nossos esforços nesta obra tão especial. Eu não vou dizer mais que o fim do mundo está muito próximo, pois já falei muito sobre isso alguns anos atrás. Se eu fosse pregar sobre este tema novamente, ele ocuparia todo o meu sermão. Está chovendo agora; e quem pode dizer que não está chovendo? Isso é fácil. Eu queria ver olhar para as nuvens ontem e prever que hoje choveria. Se o meteorologista disser que vai chover quando vir a chuva caindo, ele estará fazendo seu trabalho direito? Claro que não. Isso não é uma precisão, e sim um fato.
Amados irmãos, este mundo logo será totalmente destruído. Mas antes que isso aconteça, temos que pregar o evangelho da água e do Espírito a todos neste mundo. Vocês estão entendendo, amados irmãos? E o que estou dizendo aqui é o que o próprio Deus nos mandou fazer. Não pensem então que as coisas não acontecerão assim. Se vocês acharem que isso nunca vai acontecer, este dia virá de repente. Temos que nos preparar para o fim dos tempos, olhar para o futuro com sabedoria e viver o presente tendo uma fé perfeita. Temos que ser servos de Deus que esperam com paciência a volta do Senhor e clamam: “Volte logo, Senhor Jesus” depois de completar antes da sua segunda vinda tudo que lhes foi confiado. Não devemos apenas comer, beber, nos divertir e aproveitar a vida até este dia chegar. Quando o Noivo chegar, teremos que levantar rápido, lavar o rosto, nos vestir para recebê-lo.
Amados irmãos, temos que cumprir a tarefa de pregar o evangelho da água e do Espírito em todo o mundo. E o que mais temos que fazer nestes dias em que o mundo está tão sombrio e perecendo? Temos que nos preocupar com nossa vida como se fôssemos viver milhares de anos neste mundo que a cada dia se torna mais um poço sombrio? Como se expressou o famoso poeta coreano Sat Gat Kim em um de seus poemas satíricos? Ele disse:
“Por que viver assim,
Uma vida que não passa de cem anos,
Com preocupações que pesam mil anos?”
Se você ainda tem pecado no coração, você precisa acabar com esta angústia. A primeira coisa com que você deve se preocupar é com os pecados do seu coração. Acredite em mim, não resta muito tempo. Temos que nos unir para anunciar o evangelho da água e do Espírito no mundo inteiro. E temos que fazer isso com um só coração. Não chegaremos a lugar algum se não unirmos nossas forças nos momentos de dificuldade para caminharmos juntos numa só direção. Precisamos fazer a obra de Deus com um só coração.
Também devemos ter um sonho e fé, além de oferecer nosso coração a Deus. Precisamos crer de todo o nosso coração na sua Palavra e no evangelho da água e do Espírito, que é tão especial como a vara de álamo descascada. Também temos que crer que o fim deste mundo logo virá depois que pregarmos o evangelho nos quatro cantos da terra. Nosso Senhor disse que virá no seu tempo; por isso que precisamos pregar fielmente o evangelho da água e do Espírito em todo o mundo. E cada um de nós tem que fazer isso individualmente também. Imaginem morrer de repente sem crer neste verdadeiro evangelho. Vocês irão para o inferno se isso acontecer. Creiam nele agora então, neste exato momento. Tenham um só coração com os irmãos da fé na Igreja de Deus. Creiam neste verdadeiro evangelho de todo o coração. E motivem seus familiares a crer nele também, irmãos. Para Deus não importa se eles não pararem de beber ou fumar. Se eles crerem na obra que o Senhor fez por eles, todos eles com certeza serão salvos de todos os seus pecados. Depois disso Deus cuidará deste problema.
Deus hoje quer nos confiar a obra especial de cuidar de ovelhas, como vemos no texto bíblico deste capítulo. Eu não tenho dúvidas de que o Senhor nos usará para chamar seus filhos no mundo todo e que, ao fazer isso, cumprirá sua vontade.
Por fim, eu quero sempre pedir ajuda a Deus pela fé. Quero pedir a ele que nos ajude a pregar o evangelho crendo em sua justiça. Também desejo de coração que ele nos dê muitos obreiros. Além disso, espero que ele nos dê os recursos que precisamos para pregar o evangelho da água e do Espírito. Eu oro para que ele nos dê muitos irmãos na Coreia e em todo o mundo e que nos ajude financeiramente a pregar o evangelho.
Vamos orar a Deus por isso então. Vamos orar assim: “Nos permita pregar em todo o mundo o evangelho da vara de álamo descascada. Abençoe nosso ministério e nos dê muitos obreiros para financiá-lo.” Eu creio que Deus realizará todos os desejos do nosso coração.