Sermões

Assunto 22: O Evangelho segundo LUCAS

[Capítulo 1-14] (Lucas 1:67-80) O Certo é Você Ter um Encontro com João Batista Primeiro, e Depois com Jesus

(Lucas 1:67-80)
“E Zacarias, seu pai, foi cheio do Espírito Santo e profetizou, dizendo: Bendito o Senhor, Deus de Israel, porque visitou e remiu o seu povo! E nos levantou uma salvação poderosa na casa de Davi, seu servo, como falou pela boca dos seus santos profetas, desde o princípio do mundo, para nos livrar dos nossos inimigos e das mãos de todos os que nos aborrecem e para manifestar misericórdia a nossos pais, e para lembrar-se do seu santo concerto e do juramento que jurou a Abraão, nosso pai, de conceder-nos que, libertados das mãos de nossos inimigos, o servíssemos sem temor, em santidade e justiça perante ele, todos os dias da nossa vida. E tu, ó menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque hás de ir ante a face do Senhor, a preparar os seus caminhos, para dar ao seu povo conhecimento da salvação, na remissão dos seus pecados, pelas entranhas da misericórdia do nosso Deus, com que o oriente do alto nos visitou, para alumiar os que estão assentados em trevas e sombra de morte, a fim de dirigir os nossos pés pelo caminho da paz. E o menino crescia, e se robustecia em espírito, e esteve nos desertos até ao dia em que havia de mostrar-se a Israel”.
 
 
Zacarias e Isabel – Pais de João Batista
 
O texto bíblico deste capítulo fala sobre a profecia de João, o filho de Zacarias. Zacarias era casado com Isabel, mas ela não podia ter filhos porque já era idosa. Era um sonho seu ter um filho, então ela vivia orando a Deus por este filho. Entretanto, chegou a vez de Zacarias oferecer sacrifício a Deus no templo. Quando ele estava queimando incenso no templo do Senhor, um anjo apareceu-lhe e disse: “Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João” (Lucas 1:13). Foi assim que Zacarias ouviu e viu um anjo. Antigamente, o próprio Deus e seus anjos costumavam aparecer em pessoa para os servos e as demais pessoas. Antes de Jesus vir a esta terra como Salvador, era comum isso acontecer nos dias do Antigo Testamento.
Mas Zacarias não acreditou no que o anjo lhe disse, por isso Deus o deixou mudo. Deus cumpriu sua promessa e Isabel ficou grávida; nove meses depois de seu filho nascer, Zacarias voltou a falar e pôs o nome de seu filho de João, como Deus o havia dito. Quando ele obedeceu ao Senhor, sua língua se soltou. Assim que sua língua se soltou e sua boca se abriu, ele louvou a Deus. Os mais próximos de Zacarias o parabenizaram pelo nascimento de João, imaginando o que ele seria. Quando os outros viram o que aconteceu com Zacarias e Isabel e perceberam que Deus era com eles, celebraram junto com eles prevendo que seu filho não seria uma criança qualquer.
Eles pensaram isso porque Isabel já era uma senhora de idade, uma idosa que deu à luz um filho. Este acontecimento foi algo comum? Não, e se não bastasse isso, eles viram o seu sacerdote ficar mudo por dez meses depois de entrar no templo do Senhor após exercer o sacerdócio diante de Deus, na ordem da sua turma. Também viram sua mulher ter um filho e pôr o nome de João, e que Zacarias só voltou a falar neste dia. Quando eles ouviram toda a história, não puderam evitar pensar que isso era obra de Deus e que ele faria algo importante através da família de Zacarias.
Zacarias, o pai de João, cheio do espírito santo, começou a profetizar assim que sua boca se abriu depois de dez longos meses de silêncio. No texto bíblico deste capítulo em Lucas 1:68-71, ele diz: “Bendito o Senhor Deus de Israel, Porque visitou e remiu o seu povo,e nos levantou uma salvação poderosa na casa de Davi seu servo. Como falou pela boca dos seus santos profetas, desde o princípio do mundo; para nos livrar dos nossos inimigos e da mão de todos os que nos aborrecem.” O texto bíblico acima relata toda a profecia de Zacarias. Ele profetizou que Deus olharia para o seu povo e enviaria o Messias da casa de Davi para salvá-los dos seus pecados; e também os salvaria dos seus inimigos e livraria das mãos de todos os que os odiassem.
O motivo de Jesus Cristo ter vindo a esta terra foi salvar do pecado os israelitas e aqueles que tinham fé e criam em Deus. Zacarias profetizou que o Senhor viria para nos salvar dos nossos inimigos e da mão dos que nos odeiam. Isso também significa que assim como prometeu a Abraão, o Senhor viria capacitar seus descendentes a servi-lo sem temor. É por isso que em Lucas está escrito: “De conceder-nos que, libertados das mãos de nossos inimigos, o servíssemos sem temor” (Lucas1:74). Jesus Cristo veio a esta terra para nos salvar dos pecados; os que crêem nele como seu Salvador encontram o favor de servir ao Senhor sem temor, mas com santidade e justiça. Deus veio para os que crêem nele como seu Salvador porque ele queria que seu povo vivesse uma vida pura e sem pecado para servi-lo a vida toda sem temor. Jesus veio a esta terra como descendente da casa de Davi. O Salvador esteve aqui para separar crentes sem pecado, justos e santos para viver só servi-lo.
Nos versículos 76-79 está escrito:
“E tu, ó menino, serás chamado profeta do Altíssimo, Porque hás de ir ante a face do Senhor, a preparar os seus caminhos;
Para dar ao seu povo conhecimento da salvação,
Na remissão dos seus pecados;
Pelas entranhas da misericórdia do nosso Deus,
Com que o oriente do alto nos visitou;
Para alumiar aos que estão assentados em trevas e em sombra de morte;
A fim de dirigir os nossos pés pelo caminho da paz.”
O que isso significa? Quem é “tu” do versículo 76? É João Batista, o que batizou Jesus. Quem é a pessoa que fará as coisas profetizadas neste texto? É João Batista. “E tu, ó menino, serás chamado profeta do Altíssimo, Porque hás de ir ante a face do Senhor, a preparar os seus caminhos” (Lucas 1:76). “O profeta do altíssimo” mencionado aqui é João Batista. E este é o mesmo João Batista que batizou Jesus. Ele foi chamado para ser o profeta do altíssimo e aquele que prepararia o caminho para o Senhor.
João Batista nasceu seis meses antes de Jesus Cristo. Quem é este João? O que ele nos ensinou? Foi profetizado que ele ensinaria o povo de Deus como receber a remissão de pecados. O ministério de João Batista foi “dar ao seu povo conhecimento da salvação, na remissão dos seus pecados” (Lucas 1:77). Isso significa que João Batista testemunharia ao povo sobre quem Jesus era.
Todos os nossos pecados foram recebidos por Jesus quando ele foi batizado por João Batista no rio Jordão. E ao passar por João no dia seguinte, ele disse: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (João 1:29). Ou seja, “Ele é o filho de Deus. Ele está levando os pecados do mundo. Ele é o Messias e o nosso Salvador. Ele é o Cristo!” João Batista testificou ao povo que o conhecimento da salvação na remissão dos pecados foi trazida aos crentes em Deus. Portanto, o papel que ele teve na salvação do mundo foi de suma importância.
Assim como comemoramos o Natal, devemos celebrar e nos regozijar pela vinda do nosso Senhor; mas também precisamos lembrar que João Batista nasceu seis meses antes Jesus, e deveríamos comemorar o que ele fez pela nossa salvação. Devemos nos lembrar dele como o representante da humanidade ungido por Deus e ter certeza da nossa salvação. Os protestantes de hoje não dão muita atenção aos rituais, mas a Igreja Ortodoxa Russa celebra estes dias especiais com muita ostentação.
 
 
Você Ainda Acha que o Papel de João Não Foi Muito Importante?
 
A maioria dos cristãos hoje considera João Batista um simples servo de Deus que conheceu Jesus. Eles acham que ele era um servo de Deus que vivia uma vida modesta como a que eles vivem hoje. É verdade que ele era um servo de Deus, mas ele não era um simples obreiro. Precisamos lembrar o que João Batista testificou: como Jesus Cristo levou nossos pecados; e como ele transferiu os pecados do mundo para Jesus Cristo. Devemos crer em seu testemunho sobre como Jesus se tornou nosso Salvador. Se não crermos no testemunho de João Batista, não podemos confiar em Jesus do fundo do nosso coração. O evangelho de João capitulo 1 diz que recebemos a remissão de pecados através do que João Batista testificou.
Em João capítulo 1:6-12 está escrito: “Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João. Este veio para testemunho, para que testificasse da luz, para que todos cressem por ele. Não era ele a luz, mas veio para que testificasse da luz. Ali estava a luz verdadeira, que alumia a todo o homem que vem ao mundo. Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome.”
Amados irmãos, João Batista foi enviado por Deus. Alguns podem até dizer: “Onde nestes versículos está dizendo que era João Batista? Só está escrito João”. Como vocês sabem, o autor do evangelho de João é João. Ele que era um dos doze discípulos e não escreveu sobre si mesmo, mas sobre João Batista, que batizou Jesus. As pessoas dificilmente crêem se não lhe explicarmos estas coisas. Elas querem detalhes, embora haja algumas que não crêem em nada até mesmo quando explicamos com detalhes. Em suma, João foi enviado por Deus para testificar de Jesus, que é a verdadeira luz. Está escrito: “Não era ele a luz, mas para que testificasse da luz” (João 1:8). João Batista foi o homem que veio para testificar de Jesus. Ele passou os pecados do mundo para Jesus ao batizá-lo e testificou seu ministério dizendo: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” Através do testemunho de João, as pessoas passaram a conhecer Jesus como seu Salvador e creram que seu batismo tirou os seus pecados. João Batista testificou: “Ali estava a luz verdadeira, que alumia a todo o homem que vem ao mundo. Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome” (João 1:9-12).
Jesus brilhou sua luz sobre nós, o que significa que ele nos deu a palavra da verdade, o conhecimento da verdade, e fé ao ser batizado e morto naquela cruz. “O Verbo estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele” (João 1:10). Jesus Cristo, o verdadeiro Deus, criou este mundo. “Haja luz; haja as estrelas; haja os grandes luminares e o luminar menor; produza a terra as criaturas vivas; voem as ave sobre a terra”. Com sua palavra Jesus criou todas as coisas.
Não limite Jesus Cristo só como o nosso Salvador e o filho de Deus. Jesus não é apenas o filho de Deus, mas também o dono do universo, o Senhor da criação. Ele nos fez. Ele é o Deus que fez todo o universo, como está escrito: “O Verbo estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o conheceu” (João 1:10). Jesus Cristo é o Deus que criou você e a mim, e aquele que soprou em nossas narinas o fôlego de vida, dizendo: “Porquanto és pó e em pó te tornarás” (Gênesis 3:19). Já que nossa alma não morre, mas vive para sempre, ele purificou nossos pecados e nos salvou deles, pois éramos escravos de satanás e estávamos condenados por Deus. Jesus, que é o próprio Deus, veio como homem através de uma virgem para salvar seu povo. Ele nos salvou pela água e pelo sangue. Ele nos salvou pela circuncisão espiritual.
Embora as pessoas não o tenham reconhecido ou recebido, ele “veio para o que era seu, e os seus não o receberam” (João 1:11). “Seu” aqui se refere a tudo que ele possui. Não apenas a terra de Israel, mas tudo o que ele criou. Este mundo e tudo que nele há pertence a Jesus. “Veio para o que era seu, e os seus não o receberam” (João 1:11). Os israelitas não aceitaram Jesus em seu coração e nem o reconheceram como o filho de Deus ou o Salvador. Mas mesmo assim eles pertencem a Deus. Nenhum dos israelitas daquela época acreditaria que o inocente e sem pecado Jesus deixaria João Batista passar os pecados do mundo para ele. Esta foi a notícia mais sensacional daquela época, mas apenas alguns israelitas aceitaram Jesus Cristo; o restante deles duvidou e ficou indiferente a esta notícia.
Contudo, a Bíblia diz: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome” (João 1:12). O mundo foi criado através de Jesus. “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus” (João 1:1). O mundo e tudo que nele há passaram a existir quando Deus falou, e a própria Palavra era Deus. Sua palavra teve o poder de criar o universo. “Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens” (John 1:3-4). Este texto diz que havia vida e luz nele. Ele nos criou, nos deu vida, nos salvou dos pecados, da queda, da opressão, das maldições e brilhou sua luz da salvação sobre nós que éramos alvo de Satanás, destinados à queda e à morte por causa do pecado.
E seu desejo é que cada um de nós o aceitemos. Nós devemos aceitar Jesus Cristo. E para fazermos isso, precisamos conhecer o papel de João Batista e o que ele disse sobre Jesus na Bíblia. No evangelho de Mateus 3:13-17, Jesus diz a João: “Deixa por agora. Você não tem a missão de me batizar? É certo você me batizar para que eu cumpra toda a justiça”. A letra chinesa para justiça é ‘yi’ (義); quando a observamos bem, vemos que a letra é composta de duas letras separadas, que é ‘yang’ (羊) que significa cordeiro e ‘wo’ (我) que significa eu. Isso mostra que Jesus nos tornou justos ao levar os pecados do mundo através de seu batismo feito por João Batista, ao morrer e derramar seu sangue na cruz e ressuscitar dos mortos. Jesus disse a João Batista quando foi batizado: “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça.” (Mateus 3:15). Aceitar a Jesus significa aceitar e crer em tudo isso; ou seja, é crer em Jesus como nosso Salvador.
 
 
Devemos Aceitar Jesus Como Nosso Salvador
 
“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome” (João 1:12). Os cristãos não entendem bem este texto e acham que dizer “eu creio em Jesus, amém” é tudo que precisam para se tornar filhos de Deus. Mas isso não é verdade. Então, o que realmente significa aceitar a Jesus?
O nome ‘Jesus’ significa ‘Salvador’, e ‘Cristo’ significa ‘ungido’. Jesus Cristo, o Rei de todos os reis veio a esta terra através do corpo de uma virgem, recebeu o batismo de João Batista para tirar o pecado do mundo e entregou seu corpo na cruz como sacrifício a Deus para nos salvar de todos os pecados. Nós não nos tornamos filhos de Deus até entendermos o significado do seu nome e crermos na verdade. Para todos quanto o receberem, para os que crêem em seu nome, ele deu o direito de se tornar filhos de Deus. Você já o aceitou?
Ao aceitar Jesus, João Batista desempenhou um papel muito importante. Se não for pelo seu testemunho, ou seja, se você não crer em seu testemunho, você não pode aceitar o Senhor. Não há como crermos que Jesus veio para nos salvar do pecado sem sabermos o que João Batista fez. A verdade é que Jesus tomou nossos pecados, morreu na cruz e ressuscitou dos mortos para tornar nossa consciência pura e santa. Se João Batista não tivesse batizado Jesus, nós não poderíamos aceitá-lo. Zacarias, o pai de João, também profetizou:
“E tu, ó menino, serás chamado profeta do Altíssimo, Porque hás de ir ante a face do Senhor, a preparar os seus caminhos; para dar ao seu povo conhecimento da salvação, Na remissão dos seus pecados” (Lucas 1:76-77).
Como o último profeta e sumo sacerdote do Antigo testamento, João Batista deu este conhecimento abençoado ao povo. Os profetas são aqueles que falam ao povo tudo da parte de Deus. Eles prevêem o que acontecerá e avisam ao povo. A Bíblia diz que ele preparou o caminho do Senhor, e o que ele fez para preparar este caminho foi batizar as pessoas com o batismo do arrependimento aos tinha trinta anos. Ele clamou no deserto: “Arrependei-vos, raça de víboras”. Todos que foram batizados por João Batista haviam sido repreendidos por seus pecados, independente se eram comuns ou mais abastadas, como reis e líderes espirituais. Ele clamou: “Arrependei-vos, raça de víboras. O machado já está posto à raiz das árvores. Portanto, quem não se arrepender e voltar para Deus será cortado e lançado no fogo”.
Ele foi um verdadeiro profeta. Ele sempre falava de forma direta não importava a quem fosse. As pessoas se arrependiam quando ele clamava bem alto. Os israelitas voltaram-se para o Senhor, reconhecendo que se afastaram de Deus durante centenas de anos. Os israelitas que no passado costumavam servir fielmente a Deus e sacrificavam a ele abandonaram a Deus, acabaram com o sistema de sacrifício, ignoraram os sacerdotes e viveram uma vida sem Deus durante quatrocentos anos. João Batista nasceu no período colonial romano quando os israelitas eram escravos. Quando fez trinta anos ele começou a clamar no deserto. E quando o povo ouviam seu testemunho, elas o reconheceram como servo de Deus e compreenderam que servir aos ídolos dos gentios era um pecado abominável para ele. Foi assim que eles se arrependeram e voltaram para Deus. Mas o que eles quando se arrependiam? Confessavam seu arrependimento diante de Deus, eram batizados por João Batista e declaravam que seus pecados tinham sido purificados.
Jesus foi até João enquanto ele batizava o povo com água e disse: “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça” (Mateus 3:15). Isso mostra que era para João Batista passar os pecados do mundo para Jesus, e para ele receber estes pecados e se tornar o bode emissário de toda a raça humana.
Como eu falei antes sobre o nome de Jesus Cristo, ‘Cristo’ significa ‘ungido’. No tempo do Antigo Testamento, alguém era ungido para desempenhar três tipos de função: a de sumo sacerdote, profeta e rei. Jesus é o sumo sacerdote celestial que ofereceu a si mesmo como propiciação por toda a humanidade. O Senhor é o rei dos céus e da terra. Ele é o rei de toda criação. O Senhor não é apenas Rei, mas também o profeta que sabe de todas as coisas. Ele sabe o que aconteceu com você no passado, o que está acontecendo agora e o que acontecerá com você no futuro. Ao tirar o pecado do mundo e oferecer a si mesmo como sacrifício a Deus, Jesus, como o perfeito profeta e sumo sacerdote celestial, preparou o caminho para que seus seguidores entrassem no céu. E João Batista foi aquele que preparou o caminho para o Senhor. João Batista fez isso para os que viriam a crer em Jesus Cristo e receberiam a salvação.
João Batista sempre foi cheio do Espírito Santo e nunca se deixou seduzir pelas coisas do mundo. Ele também foi concebido pelo Espírito Santo. Isabel, a esposa de Zacarias, já estava em idade avançada. Nós não sabemos que idade ela tinha, mas imagine uma mulher ter um filho com setenta anos. Não é algo estranho? Isso mostra que o nascimento de João Batista foi uma ação especial de Deus. A Bíblia diz que João Batista já era cheio do espírito santo quando ainda estava no ventre de sua mãe. Ele andava com Deus.
Então, os cristãos que não conhecem o ministério de João Batista e sua função não possuem uma fé verdadeira. Sua fé é como uma fé religiosa cega, e não uma genuína fé na verdade. O papel de João Batista foi indispensável e absolutamente necessário para a nossa salvação. Ele foi alguém essencial para a nossa salvação. Ou seja, João Batista é alguém indispensável para sermos salvos através da fé em Jesus Cristo. Jesus só pôde se tornar nosso Salvador porque João Batista passou os pecados do mundo para ele e o batizou, e ele morreu na cruz e ressuscitou dos mortos. A Bíblia nos diz isso e devemos crer assim.
Alguns crentes dizem que não há problema algum em não saber disso, que todo aquele que clamar o nome do Senhor será salvo, e que crer em Jesus e chamá-lo de Senhor certamente nos faz receber a salvação. Mas eles estão errados. Se o que eles dizem é verdade, então quem não será salvo? Até mesmo os budistas que forem à igreja uma ou duas vezes e clamarem o nome do Senhor serão salvos. Isso é um absurdo!
O Senhor revelou o conhecimento da salvação na remissão de pecados através de João Batista. Ele nos deu este conhecimento através de João Batista. Irmãos amados, que conhecimento vocês estão adquirindo enquanto ouvem a pregação sobre João Batista? Ele apagou os seus pecados? Não, não apagou. Ele nos salvou? Não. Através de João Batista nós recebemos o conhecimento da salvação de que Jesus levou o pecado do mundo, morreu na cruz e ressuscitou dos mortos para nos salvar. Nós recebemos a remissão dos pecados quando sabemos o que João Batista fez e quando cremos em Jesus Cristo. Adquirimos o conhecimento sobre a salvação através de João Batista. Ele nos deu o verdadeiro conhecimento. Isso não significa que João Batista não tem nada a ver com a nossa salvação, pois conhecer sua função nos ajuda a entender como Jesus Cristo se tornou nosso Salvador. Isso não é verdade? Se você não sabe que função João Batista desempenhou, você não conhecerá Jesus corretamente.
Quando não sabemos o que João Batista fez, pensamos que Jesus foi direto para a cruz. Se dissermos que Jesus Cristo veio para nos salvar, com trina e três anos morreu na cruz dizendo “está consumado”, ressuscitou dos mortos, foi para o céu e voltou depois, que sentido isso faz? Ele pode ter sido alguém importante e o fundador do Cristianismo, mas não o nosso verdadeiro Salvador. Será que se crermos cegamente em Jesus sem conhecermos o papel de João Batista ele terá algo a ver com os nossos pecados, já que os cometemos todos os dias? Você pode até crer em Jesus assim, mas não receberá a remissão de pecados.
Cabe a você crer cegamente nele ou não, mas o que mais importa é termos nossos pecados apagados quando cremos em Jesus. Por acaso nossos pecados desaparecem quando fazemos orações de arrependimento todos os dias? Amados irmãos, mesmo crendo em Jesus Cristo como seu Salvador, vocês serão como estes que crêem cegamente nele se não entenderem direito o que João Batista fez.
João Batista foi alguém enviado por Deus. Deus o enviou antes de enviar seu único Filho. Quando ambos tinham trinta anos, Jesus encontrou João Batista no rio Jordão. Lá João batizou Jesus e passou os pecados do mundo para ele. Jesus se tornou o nosso Salvador ao tirar os nossos pecados, morrer na cruz e ressuscitar dos mortos. Quando conhecemos o ministério deles dois, passamos a crer em Jesus Cristo como Salvador; quando temos o verdadeiro conhecimento, passamos a ter uma fé consistente de que o nosso Senhor tirou todos os nossos pecados. A fé genuína acompanha o verdadeiro conhecimento. Fé sem conhecimento não é uma fé genuína. Jesus disse: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8:32). Sem conhecer a verdade, não há como ter uma fé completa. Isso pode ser comparado a um trem veloz sem trilho; não importa o quanto o trem seja bom, ele não pode rodar sem os trilhos. Ficamos equipados com a verdadeira fé quando sabemos que Jesus Cristo e João Batista trabalharam juntos pelo bem, assim como um trem não pode funcionar sem os trilhos.
Conhecimento é importante para nossa fé. “Para dar ao seu povo conhecimento da salvação, na remissão dos seus pecados” (Lucas 1:77). Quem deu o conhecimento da salvação na remissão dos pecados? João Batista.
“Pelas entranhas da misericórdia do nosso Deus, Com que o oriente do alto nos visitou; Para alumiar aos que estão assentados em trevas e em sombra de morte; A fim de dirigir os nossos pés pelo caminho da paz” (Lucas 1:78-79). A brilhante luz da salvação trazida por Jesus Cristo brilhou sobre nós que estávamos sentados à sombra da morte, remiu todos os nossos pecados e nos guiou pelo caminho da paz.
Ao celebrarmos o natal, não devemos nos esquecer do papel que João Batista desempenhou em nossa fé em Jesus. O que acontece se você deixar de lado o papel de João Batista e crer apenas em Jesus Cristo? Você é livre para fazer isso, mas os pecados de seu coração nunca serão removidos.
Quando as pessoas ouvem e lêem meus sermões que falam sobre este assunto, elas acham que eu exalto João Batista desnecessariamente. Mas elas não têm nenhuma base sólida para fundamentar seu ponto de vista. Nós recebemos inúmeros e-mails de toda parte dos leitores dos meus livros, e a maioria deles admite que é difícil não concordar comigo, já que meus sermões são todos baseados na Bíblia. O sermão verdadeiro deve ser baseado na Bíblia e na fé do próprio pregador na Palavra de Deus. Este é o tipo certo de sermão. Independente se o modo de pregar é excelente ou não, isso não é importante. Alguns se exaltam por fazer pregações refinadas. As pessoas dizem que o pregador é muito eloquente, mas não lembram nada do que foi pregado por ele.
Quando comemoramos o Natal, eu sempre falo do papel de João Batista. Ele significa muito para nós; ele era homem igual a nós, mas foi o último profeta e o último sumo sacerdote antes de Cristo. E como o último sumo sacerdote do Antigo Testamento, ele passou o pecado de toda raça humana para o cordeiro de Deus, Jesus Cristo, que é a verdadeira luz no Novo Testamento. João fez esta importante obra ao passar nossos pecados para Jesus.
Então, ele testificou ao povo clamando: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo! Ele é o Messias, o Salvador e o Cristo”. E ele continuou repreendendo o povo por seus pecados até ser degolado. Antes de ir para o céu, ele cumpriu sua missão ao batizar Jesus e testificar para as pessoas que Jesus é o nosso Salvador. Ele viveu apenas trinta anos, mas cumpriu toda a sua obra. Amados irmãos, se vocês querem receber a Cristo e crer nele como seu Salvador, vocês precisam ter certeza do que João Batista fez.
João Batista testificou da verdadeira luz, Jesus. Podemos ter uma fé completa se soubermos o papel de João Batista. Todos só podem ser filhos abençoados de Deus se crerem em Jesus baseados no firme fundamento que João Batista edificou. É assim que recebemos a salvação de uma vez por todas crendo em Jesus Cristo como nosso Salvador. Somos circuncidados espiritualmente quando cremos que Jesus apagou todos os nossos pecados através do seu batismo, morte na cruz e ressurreição.
Eu sou grato a Deus por enviar João Batista e Jesus Cristo para nos salvar de todos os nossos pecados.