Sermões

Assunto 25: CANTARES DE SALOMÃO

[25-10] Somos o povo amado de Deus e honrado por ele (Cantares de Salomão 6:1-13)

Somos o povo amado de Deus e honrado por ele(Cantares de Salomão 6:1-13)
“Para onde foi o teu amado,
Ó mais formosa entre as mulheres?
Para onde se retirou o teu amado,
Para que o busquemos contigo?
O meu amado desceu ao seu jardim,
Aos canteiros de bálsamo,
Para apascentar nos jardins
E para colher os lírios.
Eu sou do meu amado,
E o meu amado é meu;
Ele apascenta entre os lírios.
Formosa és, meu amor, como Tirza,
Aprazível como Jerusalém,
Terrível como um exército com bandeiras!
Desvia de mim os teus olhos,
Porque eles me dominam.
O teu cabelo é como o rebanho das cabras
Que aparecem em Gileade.
Os teus dentes são como o rebanho de ovelhas
Que sobem do lavadouro,
E das quais todas produzem gêmeos,
E não há estéril entre elas.
Como um pedaço de romã,
Assim são as tuas faces entre os teus cabelos.
Sessenta são as rainhas,
E oitenta as concubinas,
E as virgens sem número.
Porém uma é a minha pomba,
A minha imaculada,
A única de sua mãe,
E a mais querida daquela que a deu à luz;
Viram-na as filhas
E chamaram-na bem-aventurada,
As rainhas e as concubinas louvaram-na.
Quem é esta que aparece como a alva do dia,
Formosa como a lua,
Brilhante como o sol,
Terrível como um exército com bandeiras?
Desci ao jardim das nogueiras,
Para ver os frutos do vale,
A ver se floresciam as vides
E brotavam as romãzeiras.
Antes de eu o sentir,
Me pôs a minha alma
Nos carros do meu nobre povo.
Volta, volta, ó Sulamita,
Volta, volta, para que nós te vejamos.
Por que olhais para a Sulamita como para as fileiras
de dois exércitos?”
 
 
O texto bíblico acima se encontra em Cantares de Salomão 6:1-14. Este livro é uma expressão poética do relacionamento amoroso que há entre Deus e seus obreiros. Seus personagens principais são Salomão e a Sulamita. O amor de um pelo outro representa o amor entre Deus e seus servos. Cantares de Salomão não faz referência alguma a Jesus Cristo, mas Deus o inseriu no Antigo Testamento para explicar como é o relacionamento entre Deus e seus servos.
Melhor dizendo, Cantares de Salomão foi aceito no Cânon porque faz um trabalho maravilhoso ao descrever o amor entre Deus e seus servos. Não podemos deixar passar despercebido aqui também que este livro em particular não fala nada sobre o evangelho da água e do Espírito de modo substancial. Ao contrário, ele nos ensina sobre o relacionamento de amor entre Deus e seus servos, e nos mostra como Deus ama seus obreiros.
 
 

Aos olhos de Deus, seus servos são muito lindos

 
Vamos ler agora Cantares de Salomão 6:1-3: “Para onde foi o teu amado, ó mais formosa entre as mulheres? Para onde se retirou o teu amado, para que o busquemos contigo? O meu amado desceu ao seu jardim, aos canteiros de bálsamo, para apascentar nos jardins e para colher os lírios. Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu; ele apascenta entre os lírios”.
O texto acima nos mostra como o Senhor trabalha com seus servos, e como estes fazem sua obra e apascentam seu rebanho e o alimentam. Também nos ensina que os obreiros de Deus pertencem ao Senhor, que ele pertence aos seus obreiros, e que todos eles trabalham juntos como um só corpo. E os obreiros de Deus estão trabalhando mesmo com ele. Ao pregar o evangelho da água e do Espírito, eles fazem com que muitos recebam a remissão de pecados. Por isso que os obreiros de Deus estão fazendo sua obra junto com o Senhor, e não sozinhos. Os servos de Deus trabalham junto com o Senhor para a sua glória.
Mas infelizmente muitos pastores hoje em dia pregam com um desejo carnal no coração, tanto que é desagradável ouvir seus sermões. No fundo, o tema de suas mensagens sempre gira em torno da construção de um templo maior e melhor. E geralmente ouvimos nos sermões destes pastores que Deus abençoará a igreja se eles construírem um templo maior. No fim, suas pregações não passam de um meio de tirar dinheiro da igreja. O objetivo destes falsos pastores é satisfazer seus desejos carnais usando a Palavra de Deus. Não é de se admirar que quem frequenta estas igrejas faça cara feia quando ouve esse tipo de coisa. Podemos ver na maioria das igrejas do mundo hoje que seus pastores só querem construir um templo maior e aumentar sua riqueza material.
Os verdadeiros servos de Deus, ao contrário, jamais pregam com um propósito carnal. Eles não estão interessados em construir um templo material; longe disso, querem construir o edifício da verdade para salvar almas perdidas. Como verdadeiros servos de Deus, nosso objetivo é pregar o evangelho da água e do Espírito, que traz a todos a remissão de pecados e a vida eterna. Em outras palavras, a função do nosso ministério é prover o pão da vida. Por isso que o fruto dos servos de Deus é muito diferente do fruto dos falsos profetas.
Temos o Senhor no coração, e ele nos tem no seu. Os que creem no evangelho da água e do Espírito estão fazendo a boa obra e seu coração é grato a Deus por isso. Mas e você? Você está fazendo a obra de Deus, servindo a ele com alegria e obediência? Para Deus, os crentes que creem no evangelho da água e do Espírito e estão fazendo sua obra é que são seus verdadeiros servos.
O texto bíblico deste capítulo nos mostra como Deus vê seus obreiros. Está escrito em Cantares de Salomão 6:4: “Formosa és, meu amor, como Tirza, aprazível como Jerusalém, terrível como um exército com bandeiras!” Os obreiros de Deus são seu amor. Tirza é o nome de uma cidade magnífica. E isso significa que, para Deus, os justos são lindos, magníficos e gloriosos como a cidade de Tirza. É assim que ele vê seus obreiros.
Vamos ler agora Cantares de Salomão 6:5-6: “Desvia de mim os teus olhos, porque eles me dominam. O teu cabelo é como o rebanho das cabras que aparecem em Gileade. Os teus dentes são como o rebanho de ovelhas que sobem do lavadouro, e das quais todas produzem gêmeos, e não há estéril entre elas”. Quando Deus nos vê trabalhando na sua vinha, aos seus olhos parecemos lindos. Também está escrito: “Como um pedaço de romã, assim são as tuas faces entre os teus cabelos” (Cantares de Salomão 6:7).
Isso nos mostra de forma estupenda como o Senhor nos ama. Como o rosto da Sulamita era tão lindo para Salomão que parecia um pedaço de romã, assim também são os servos do Senhor para ele, lindos e amados. Ele simplesmente se encanta com a beleza dos seus servos. Aos olhos do Senhor, não há como expressar nossa beleza.
Está escrito em Cantares de Salomão 6:10: “Quem é esta que aparece como a alva do dia, formosa como a lua, brilhante como o sol, terrível como um exército com bandeiras?” Este texto nos mostra como são bravos e corajosos os servos do Senhor aos seus olhos quando fazem sua obra neste mundo. O Senhor não vê nada além de beleza quando olha para seus servos. Os servos do Senhor são maravilhosos. Cantares de Salomão está falando de quem então? Dos que hoje são obreiros de Deus. Por isso que nós que estamos pregando o evangelho da água e do Espírito no mundo inteiro somos os seres mais amados pelo Senhor.
É muito importante entendermos que somos o povo abençoado de Deus, pois quando compreendemos isso é que nosso coração é fortalecido. Aos olhos de Deus, somos o povo lindo, valioso e honrado que está fazendo sua obra. Às vezes olhamos para nós mesmos e nos achamos tão insignificantes que parece que não temos valor algum para Deus. No entanto, a verdade é que somos lindos e honrados para ele. Já que recebemos a remissão de pecados, agora fazemos parte do povo de Deus porque cremos no evangelho da água e do Espírito e estamos fazendo sua obra, não parecemos honrados e fabulosos quando ele nos vê?
Aos olhos do Senhor, somos brilhantes como o sol, lindos como a lua, e espetaculares como os exércitos e suas bandeiras. Assim como a parada militar no dia da independência, nosso ministério é lindo e sublime aos olhos de Deus. Quando o Senhor olha para a obra de Deus que estamos fazendo, ela parece constante e maravilhosa. E é assim que todos os obreiros de Deus parecem lindos aos seus olhos. Podemos até pensar que somos fracos e incapazes quando olhamos para nós mesmos, mas este é um julgamento errado que fazemos. Na verdade, somos muitos lindos aos olhos do Senhor.
Somos simplesmente belíssimos e sublimes, como Jerusalém e um exército com bandeiras. Nós somos lindos porque somos obreiros de Deus. Por isso que é imprescindível vivermos pela fé entendendo bem que somos valiosos, lindos e honrados para Deus. Ao lermos Cantares de Salomão, o que mais nos impressiona e conforta é ver o quanto Deus nos ama. Nós somos lindos para Deus, da cabeça aos pés. Mas embora sejamos tão preciosos aos olhos de Deus, às vezes nos menosprezamos e pensamos mal de nós mesmos. Às vezes nos julgamos muito mal. Mas isso, amados irmãos, está totalmente errado. E ao invés de fazermos isso, devemos olhar para a beleza da nossa fé e nos ver como o Senhor nos vê.
 
 

Por que muitos têm caído em depressão hoje em dia?

 
Muitos caem em depressão porque olham para si mesmos e acham que não têm valor algum. Eles se sentem deprimidos por causa da baixa autoestima. Por isso que é muito importante reavermos nossa autoestima pela fé, lembrando de quem realmente somos aos olhos de Deus. Somos seu povo e seus servos. Somos obreiros seus que estão servindo ao seu valioso evangelho. Deus vê seus obreiros quando olha para nós, e é assim que devemos nos ver também. É assim que reavemos nossa autoestima espiritual e não caímos em depressão.
Somos libertos da depressão quando nossa estima está alta. Um dos sintomas mais comuns da depressão é que o paciente vive preso às seus erros muito tempo e acaba se prejudicando por isso. E quando perdemos toda a autoestima, começamos a achar que a vida não faz mais sentido. Pessoas assim geralmente só pensam nos seus erros e falhas. Por isso que ficam deprimidas e o desespero é tanto que algumas chegam até a se matar. Mas como podemos ver claramente em Cantares de Salomão, isso não tem nada a ver conosco. Deus ama a todos nós que fazemos sua obra e confiamos no evangelho da água e do Espírito. Somos muito valiosos para ele. E agora que somos povo de Deus por crermos no evangelho da água e do Espírito, jamais ficaremos desesperados ou deprimidos por causa das nossas fraquezas.
Vamos ler agora Cantares de Salomão 6:11-13: “Desci ao jardim das nogueiras, para ver os frutos do vale, a ver se floresciam as vides e brotavam as romãzeiras. Antes de eu o sentir, me pôs a minha alma nos carros do meu nobre povo. Volta, volta, ó Sulamita, volta, volta, para que nós te vejamos!” Este texto também tece muitos elogios aos justos. Com a chegada da primavera, o rei Salomão descia ao seu jardim para ver as vides que floresciam e as romãzeiras que brotavam. Foi então que ele viu a Sulamita numa carruagem.
Então ele disse: “Volta, volta, ó Sulamita, volta, volta, para que nós te vejamos!” O rei Salomão disse isso quando viu sua amada Sulamita deixando a vinha depois de trabalhar ali. E com imensa tristeza no coração ele disse: “Volte, eu quero vê-la. Deixe-me olhar para você. Minha alegria e meu prazer é contemplar sua beleza. Por que você está partindo? Você é tão linda e preciosa para mim. Será que você está me deixando por achar que não é boa o bastante para mim?”
Isso, amados irmãos, é o que Deus diz a vocês, a mim e a todos os obreiros da sua vinha. Às vezes nos sentimentos tão oprimidos por causa das nossas falhas que queremos deixar a Igreja de Deus, achando que não somos mais dignos que fazer parte dela. Então nos convencemos de que não somos nada para Deus e caímos em desespero. Todos nós podemos passar por isso e nos sentir inseguros. Mas o que o Senhor nos diz aqui? Ele diz a todos os seus obreiros que trabalham pela fé: “Volta, volta, ó Sulamita, volta, volta, para que nós te vejamos!”
Nosso propósito na vida não é exatamente deixar este mundo e ir para junto do Senhor o quanto antes. Há muita coisa aqui que precisamos fazer na obra do Senhor. E isso não é nada fácil para nós. Como todos vocês, eu também me sinto exausto e sinto dor no estômago enquanto luto para fazer a obra do Senhor neste mundo. E quando estou muito preocupado com alguma coisa, eu fico tão exausto que sinto vontade de acabar logo tudo que tenho a fazer para estar de uma vez com o Senhor. No entanto, eu sei que há muito trabalho a fazer ainda, apesar de tudo que já fizemos até agora. Ainda veremos muito a glória de Deus, mas para isso precisamos perseverar um pouco mais. Há muito que se fazer ainda. O fato de sermos falhos não tem problema algum, pois o que agrada a Deus é se estamos fazendo sua obra e cumprindo o que ele nos designou nesta terra.
Por isso que o rei Salomão clamou várias vezes para que a Sulamita voltasse enquanto ela deixava a vinha numa carruagem. Ao lermos Cantares de Salomão capítulo 6, podemos ouvir Deus dizendo aos seus obreiros como ele os ama, por mais que achemos que não somos dignos do seu amor. Quando o Senhor olha para nós, parecemos lindos aos seus olhos, pois nosso desejo é apoiar o ministério do evangelho da água e do Espírito. Jamais devemos nos menosprezar então. Todos nós queremos fazer a obra de Deus com o Senhor por muitos anos ainda. Queremos trabalhar com o Senhor até ele voltar a esta terra.
Eu estou com quase sessenta anos, mas meu coração ainda é jovem. E eu não quero ficar para trás quando faço a obra com os pastores mais jovens. Mas não é só meu coração que é jovem, pois meu corpo também se sente assim. Eu tenho muito mais trabalho a fazer do que já fiz até agora, e eu estou decidido a cumprir minha função para a glória de Deus. Estou convencido também que o melhor para a Igreja de Deus é continuar assim. Apesar de reconhecer que sou falho, eu posso fazer tudo que o Senhor me pedir. E ele me diz, embora eu seja falho: “Fique onde você está e faça minha obra por muitos e muitos anos.” Sempre que me sinto esgotado, eu me lembro da exortação do Senhor. E ele também mandou ficar onde estou e fazer a obra que ele me confiou. Deus quer que todos nós continuemos a fazer sua obra todos os anos até a volta do Senhor.
Pare um pouco e olhe para si mesmo. Pense um pouco no que Deus tem falado a você. O que ele tem dito a você é o mesmo que ele tem dito a mim também. Você precisa entender que apesar das nossas falhas, precisamos cumprir o que Deus nos confiou para fazer em sua igreja. Nunca se esqueça disso ao longo da vida. Apesar de não podermos fazer grandes coisas para o Senhor e falarmos mais do que agirmos, é imprescindível fazermos a obra na Igreja de Deus.
Por algum tempo eu pensei que a obra de Deus iria bem sem mim. Eu pensava que podia passar o bastão para que outro fizesse a obra que eu faço. Só que eu tenho visto muitos falsos profetas tentando denegrir a Igreja de Deus e humilhá-la. Ao longo dos anos nosso ministério do evangelho passou por algumas crises graves, e estas crises não foram apenas de ordem material. Ao contrário, foram crises espirituais iniciadas por nossos inimigos espirituais. E eu fico chocado toda vez que os vejo blasfemando contra o evangelho. Mas não são suas ameaças físicas que me chocam, pois não é apenas contra eles que precisamos nos defender. Longe disso, o perigo maior é quando há erros na igreja. E isso tem que ser corrigido na hora, pois outro erro poderia acabar com a igreja.
Como alguns de vocês, às vezes sinto que a igreja está passando por uma crise espiritual. Mas embora ela esteja passando por uma grave crise, eu vejo que muitos nem se dão conta de como a questão é séria. A corrupção espiritual acaba não somente com a pessoa, mas pode destruir a Igreja de Deus também. Eu posso ver a fraqueza espiritual de todo mundo. No entanto, não consigo ver isso quando alguém se corrompe espiritualmente e quer levar a igreja para o buraco junto com ele. Por isso que não posso tolerar tal corrupção, pois isso contaminaria todos os membros da Igreja de Deus e afastaria a glória de Deus. Então eu vejo que preciso ser firme nas minhas posições, continuar fazendo a obra e pastoreando vocês porque isso será bom para todos nós e para a igreja. E como isso está muito claro para mim, eu comecei a cuidar mais da minha saúde agora, a fim de que possa fazer a obra de Deus até o dia em que o Senhor me levar para junto de si.
Minha mente está sempre na vontade de Deus, não neste mundo. Todos nós somos muito honrados, pois somos valiosos para Deus. Já que o próprio Deus nos confiou tanto, Como podemos estão desprezar a nós mesmos e achar que somos inúteis? Para nós seria maravilhoso se pudéssemos estar logo com o Senhor, mas no que se refere à pregação do evangelho de Deus, isso não seria bom. Já que somos obreiros de Deus, todos nós somos preciosos para ele, sem exceção. Afinal de contas, se não apoiássemos o ministério do evangelho, quem mais faria isso?
 
 

Muitos neste mundo receberam a remissão de pecados por meio de nós, que cremos no evangelho da água e do Espírito

 
Muitos neste mundo estão fazendo a obra de Deus porque creem no evangelho da água e do Espírito. E o número destas pessoas é bem considerável. Grande é o número de testemunhos que temos recebido do mundo inteiro de pessoas que receberam a remissão de pecados através do nosso ministério. E se unirmos a esta lista todos que ainda não entraram em contato conosco, este número será bem maior. Neste sentido, estamos fazendo algo maravilhoso. A obra que estamos fazendo para Deus é algo tremendo. Existe alguém mais valioso para Deus do que nós então? Existe alguém nesta terra fazendo algo tão importante como nós, ou seja, pregando o evangelho da água e do Espírito? Não, claro que não. Na verdade, somos os últimos obreiros de Deus que estão preparando a volta do Senhor.
Hoje somos participantes da corrida da fé. E isso é como se fosse uma corrida de revezamento, onde o bastão é passado de um corredor para o outro. E é importante notarmos aqui que somos os últimos participantes desta corrida, pois o último corredor que nos passou o bastão foram nossos pais na fé. Se deixarmos cair o bastão durante a corrida, não vem nenhum corredor atrás para pegá-lo. Mas sabemos, obviamente, que Deus é poderoso para fazer tudo através de nós. No entanto, o fato é que ele trabalha através daqueles que são preparados. Um exército despreparado é inútil, por maior que seja. Somos os últimos corredores que estão fazendo a obra de Deus, a última geração neste mundo a pregar evangelho da água e do Espírito e sustentar este ministério.
Nós temos pregado o evangelho da água e do Espírito em nosso ministério, seja através da literatura impressa ou eletrônica; e o dia de Deus cumprir todas as coisas está cada vez mais próximo. E se não cumprirmos nossa tarefa no mundo todo, quem faria isso? Como o tempo está acabando, quem Deus salvará e treinará para fazer sua obra? Naturalmente, ele hoje tem treinado os que ouviram o evangelho da água e do Espírito e receberam a remissão de pecados em seu coração. Mas vocês sabem quanto tempo levaria para que estas pessoas fossem como nós? O que temos que entender aqui é a que ponto já chegamos pela fé, o quanto fomos treinados pela fé, e o quanto crescemos no Senhor pela fé.
Quanto tempo levaria para treinar alguém que acabou de ser salvo dos seus pecados e fazer com que ele seja um obreiro de Deus dedicado e fiel como nós? Isso seria possível nos últimos dias? Não, não seria. Nem todos podem ser discípulos do Senhor como eu e vocês. Vocês acham que a igreja pode designar qualquer um para fazer o que vocês estão fazendo? É claro que todos nós temos que ser humildes perante Deus, mas sabemos que é muito difícil hoje alcançar o nível que chegamos como obreiros de Deus treinados. Isso não seria difícil se ainda houvesse muito tempo, mas só que não há.
Por isso que Deus tem trabalhado com cada um de nós e nos sustentado. Ele mesmo tem nos sustentado, pois tem nos usado para fazer sua obra. Já que somos obreiros de Deus, jamais devemos nos subestimar então. Somos tão lindos para ele que parecemos como Tirza. Ele disse que somos amáveis como Jerusalém e fabulosos como um exército com bandeiras. Quando Deus olha para nossa alma, nossa fé e nossa mente, ele nos vê como pessoas amáveis, lindas e corajosas.
Estamos na corrida da fé rumo a um reino invisível aos nossos olhos, embora possamos vê-lo pela fé. E não são todos que conseguem isso. O que estamos fazendo para apoiar o ministério do evangelho não é algo que todos podem fazer. Podemos até achar que todos que creem na justiça de Deus podem fazer o que estamos fazendo, mas isso não é verdade. Você poderia fazer a obra que tem feito para Deus hoje se não tivesse sido treinado para isso todos estes anos? Claro que não. E por mais que possamos ver o invisível, não é fácil fazer a obra de Deus. Para fazer isso, é preciso ter fé em Deus e sabedoria. Precisamos receber de Deus sabedoria, bênçãos e poder.
Vemos no Antigo Testamento que José estava preso mas interpretou o sonho de faraó e lhe disse que havia sete anos de fartura e depois se seguiria sete anos de fome. Ao ouvir isso, faraó tornou José primeiro-ministro e lhe deu a função de preparar o Egito para os anos de fome. Algum tempo depois a nação de fato teve sete anos de fartura. E em preparação para os sete anos de fome, José construiu grandes armazéns por todo o Egito para estocar alimento.
Muitos egípcios devem ter criticado José por isso, dizendo que já que ano após ano a colheita era boa, não era preciso gastar para estocar alimento, já que o período de fome nunca chegava. Apesar disso, José estocou uma grande quantidade de alimento por sete anos. Depois disso a terra passou por sete anos de fome. A escassez foi tão grande que as famílias mal tinham o que comer. Todos então tiveram que comprar o trigo que José havia estocado. E o pior é que houve fome na terra por sete longos anos.
Para não morrer de fome, as pessoas vendiam tudo que tinham, casas e propriedades, para comprar alimento. Podemos imaginar o caos que ficou o Egito na época da fome. José então aceitava as propriedades do povo como pagamento pelo trigo que havia estocado. Com isso, ele não somente salvou toda a nação da fome, mas também fez com que toda a riqueza do Egito estivesse nas mãos de faraó. Diante disso, como você acha que faraó considerava José? Ele o tinha em grande consideração ou o desprezava? É claro que faraó tinha total confiança em José. Naqueles dias, depois de faraó, José era o governante absoluto do Egito.
Todos no Egito obedeciam a José. Mas como ele conseguiu isso? Através da espada? Não, ele conseguiu tudo isso graças à sabedoria de Deus. E como José gozava de grande prestígio no Egito, todos tratavam sua família com respeito e reverência. Eles até ganharam uma terra para morar. E foi justamente com a multiplicação da família de José ali que o povo de Israel nasceu.
Hoje temos pregado o evangelho no mundo inteiro e doado o pão da vida espiritual. E se não fosse por nós, alguém neste mundo receberia pão para sua alma? É claro que não. Já que a obra que estamos fazendo é indispensável, somos muito preciosos aos olhos de Deus. Então eu peço a vocês que se cuidem. Os jovens que fazem parte do povo de Deus devem crescer fortes e saudáveis pela fé, e os idosos também precisam cuidar da sua saúde para fazer a obra de Deus por muitos anos. Os fracos precisam ser curados e recuperar a saúde. Já que somos preciosos para Deus, o Senhor quer que façamos sua obra nesta terra por muitos anos ainda antes de estarmos com ele. Cedo ou tarde estaremos com o Senhor, então temos que servir a ele o máximo que pudermos e quanto tempo for preciso.
Somos lindos para o Senhor e honrados por ele. Por isso, amados irmãos, não deem lugar à ganância. Ao invés disso, tenham fé, renovem seu coração, sua a mente e a si mesmos. Muitas bênçãos estão reservadas para nós nos anos que virão. Então eu peço a vocês que recebam todas estas bênçãos de Deus, desfrutem de todas elas e preguem o evangelho sempre que puderem, pois assim logo estaremos com o Senhor. Meu desejo é que cada um de nós possa fazer sempre a boa obra antes de estarmos com o Senhor. E a minha oração é para que todos nós possamos compartilhar juntos todas estas bênçãos. Aleluia!