Sermões

Assunto 17: JESUS CRISTO e JOÃO BATISTA

[17-3] (Mateus 17:1-13) João Batista, que Veio para Mostrar o Caminho da Justiça

(Mateus 17:1-13)
“Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, a Tiago, a João, irmão deste, e os levou, em particular, a um alto monte. Ali ele foi transfigurado diante deles. O seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz. Então lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele. Pedro disse a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui. Se queres, façamos aqui três abrigos - um para ti, um para Moisés e um para Elias. Estando ele ainda a falar, uma nuvem luminosa os cobriu, e da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo. A ele ouvi! Os discípulos, ouvindo isto, caíram com o rosto no chão, tomados de grande medo. Aproximando-se Jesus, tocou-lhes, e disse: Levantai-vos, e não tenhais medo. Erguendo eles os olhos, a ninguém viram senão unicamente a Jesus. Enquanto desciam do monte, Jesus lhes ordenou: A ninguém conteis a visão, até que o Filho do homem seja ressuscitado dentre os mortos. Os discípulos o interrogaram: Por que dizem, pois, os escribas que é mister que Elias venha primeiro? Jesus lhes respondeu: Certamente Elias virá primeiro, e restaurará todas as coisas. Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim farão eles também padecer o Filho do homem. Então entenderam os discípulos que lhes falara a respeito de João Batista”.
 
 
A passagem bíblica deste capítulo está em Mateus 17:1-13. Está escrito aqui que Jesus escolheu três dos Seus discípulos, Pedro, Tiago e João, os levou a um alto monte, e algo tremendo aconteceu ali. Moisés e Elias vieram do Céu. As vestes de Jesus se tornaram brancas como a luz e Sua imagem foi completamente transfigurada também. E Jesus conversou com Moisés e Elias. Quando Pedro viu aquilo, ele disse sem pensar: “Vamos fazer três abrigos aqui: um para Ti, outro para Moisés e outro para Elias. Nós vamos construir esses três abrigos para que possamos ficar com vocês”. Então uma nuvem cobriu o Céu e uma voz vindo dela disse: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo. A ele ouvi!”
Pedro, Tiago e João subiram no monte com Jesus, e quando chegaram no topo Jesus de repente se transfigurou e Moisés e Elias vieram conversar com Ele. O céu então foi coberto por uma nuvem e uma voz disse: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo. A ele ouvi!” Você não pode imaginar como aquela cena foi gloriosa. Por que Jesus mostrou tudo aquilo para os discípulos? Ele permitiu que eles vissem Moisés e Elias, mas o qual o significado disso?
O versículo 2 diz: “Ali ele foi transfigurado diante deles. O seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz”. E em Daniel está escrito: “Os que forem sábios resplandecerão como o fulgor do firmamento, e os que a muitos ensinam a justiça refulgirão como as estrelas sempre e eternamente” (Daniel 12:3). A Bíblia diz aqui que as vestes de Jesus se tornaram brancas como a luz. Deus prometeu que nos transformaria nos últimos dias assim como Jesus se transfigurou. E quando nós formos transformados neste dia então, seremos transfigurados assim como Jesus. Nós brilharemos como o sol do meio-dia. Quando o Senhor voltar, nós seremos transformados e arrebatados; e eu tenho certeza que neste dia seremos transformados assim. Foi por isso que Jesus levou Seus discípulos para o monte e lhes mostrou estas coisas.
E depois de mostrar tudo isto aos Seus discípulos no monte, ao descer dele Ele falou com eles. No versículo 9 está escrito: “Enquanto desciam do monte, Jesus lhes ordenou: A ninguém conteis a visão, até que o Filho do homem seja ressuscitado dentre os mortos”. Os discípulos perguntaram então: “Por que dizem, pois, os escribas que é mister que Elias venha primeiro? A Bíblia então continua dizendo: “Certamente Elias virá primeiro, e restaurará todas as coisas. Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim farão eles também padecer o Filho do homem. Então entenderam os discípulos que lhes falara a respeito de João Batista”.
Mas os discípulos ficaram se perguntando: “Senhor, tudo que está escrito nas Escrituras será cumprido com Seu batismo, crucificação e ressurreição, mas por que os escribas dizem que é preciso que Elias venha primeiro?” As Escrituras haviam sido escritas muito tempo antes, e os escribas massoréticos diziam: “Elias tem que vir antes para que nosso Senhor cumpra a profecia do Antigo Testamento”. Eles afirmavam que somente quando Elias viesse é que a salvação do homem seria realizada e tudo que Deus prometeu restaurado. A “restauração de todas as coisas” se refere ao fato de que, ao enviar o Salvador, Deus libertaria os descendentes de Adão, que foi expulso do Jardim do Éden por causa do pecado, e assim os faria Seus filhos de novo.
Em outras palavras, o que os discípulos estavam dizendo a Jesus era isso: “Os escribas dizem que Elias tem que vir antes para que a salvação seja cumprida, para que tudo que Tu falaste seja completamente restaurado, para que o Jardim do Éden seja restaurado, e para sejamos livres do pecado e voltemos a ser filhos de Deus. Quem é este Elias então?” Jesus lhes respondeu dizendo: “Digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram”. Melhor dizendo, Deus já havia enviado Elias, mas as pessoas não creram nele. Então Jesus completou: “Assim farão eles também padecer o Filho do homem”, mostrando a eles que, assim como João Batista sofreria muito nesta terra, o mesmo aconteceria com Ele. Mas quando Seus discípulos ouviram isso, eles finalmente puderam entender: “Ah, então João Batista é Elias!” O versículo 13 diz: “Então entenderam os discípulos que lhes falara a respeito de João Batista”. João Batista é o Elias que Deus prometeu enviar no livro da Malaquias, no Antigo Testamento.
Vamos voltar então para Malaquias. No último capítulo do Antigo Testamento, antes de Mateus, está escrito em Malaquias 4:1-3: “Certamente aquele dia vem; arderá como fornalha. Todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade, serão como o restolho, e o dia que está para vir os abrasará, diz o Senhor dos Exércitos, de sorte que não lhes deixará nem raiz nem ramo. Mas para vós, que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, trazendo salvação debaixo das suas asas. E saireis, e saltareis como bezerros libertos da estrebaria. Pisareis os ímpios, porque se farão cinza debaixo das plantas de vossos pés naquele dia que prepararei, diz o Senhor dos Exércitos”. E o texto continua dizendo em Malaquias 4:4-6: “Lembrai-vos da lei de Moisés, meu servo, a qual lhe mandei em Horebe para todo o Israel, os estatutos e os juízos. Vede, eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o dia grande e terrível do Senhor. Ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos aos pais, para que eu não venha e fira a terra com maldição”.
Deus prometeu enviar Seu servo, o profeta Elias, antes que Ele mesmo viesse a este mundo. Ele disse que Elias converteria o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos aos pais. E era exatamente isso que o sumo sacerdote tinha que fazer. Era função do sumo sacerdote tocar o coração de Deus oferecendo-Lhe sacrifício. O povo de Deus provocava Sua ira pecando contra Ele, e o trabalho do sumo sacerdote era tornar o coração irado de Deus em um coração de misericórdia. Melhor dizendo, era o sumo sacerdote que exercia a função de mediador para que Deus tivesse misericórdia em Seu coração pelo povo. E sua função também era converter o coração das pessoas que tinham se afastado de Deus. Estas eram as funções do sumo sacerdote, que também ofereciam sacrifícios a Deus em favor do povo. Deus disse que enviaria o profeta Elias, e ele veio e cumpriu todas estas funções nessa terra. Quando ele viria então? Deus prometeu que ele viria quando o juízo estivesse iminente, como está escrito: “para que eu não venha e fira a terra com maldição”. Elias viria e cumpriria seu papel de mediador para converter o coração do povo a Deus e o coração de Deus a eles. Mas a Bíblia também diz que se o povo não ouvisse as palavras deste Elias que haveria de vir, não voltasse seu coração para Ele e não cresse Nele, Ele então viria e feriria essa terra. Ele os destruiria e os lançaria na fornalha ardente.
Jesus falou face a face com Moisés e Elias no texto que nós estamos vendo agora. Ele os encontrou num alto monte e falou com eles. E este acontecimento é de suma importância para a nossa salvação. Moisés é o representante de Lei. E depois de receber a Lei de Deus, ele também recebeu o sistema sacrificial do Tabernáculo, que permitia que o povo recebesse de Deus a remissão de pecados. Deus falou com Moisés pessoalmente. Por esse motivo, os cinco livros de Moisés, o Pentateuco, são completamente oficiais. Nestes cinco livros, Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio, Deus fala sobre as Suas bênçãos para o povo de Israel e para toda humanidade por meio de Moisés; e Ele profetizou que Jesus Cristo viria a essa terra e salvaria o homem. Ao longo de todo o Pentateuco está descrito que todos no Antigo Testamento poderiam receber a remissão de pecados através do sistema sacrificial do Tabernáculo. E de acordo com as exigências do sistema sacrifical do Tabernáculo, Jesus Cristo veio a essa terra e de uma vez por todas apagou todos os pecados do homem. Deus disse tudo isso por meio de Moisés.
O que os outros livros do Antigo Testamento, de Josué a Malaquias, nos dizem então? Eles nos dizem: “Guardem a Lei de Deus. Se vocês adorarem ídolos e não obedecerem à Lei, Deus os julgará então”. Do livro de Josué em diante, o Antigo Testamento todo fala do período de pecado e arrependimento que o povo de Israel passou, deixando registrado como eles caíram por desobedecer à Lei, como se arrependeram e como pecaram de novo. Por essa razão, o Pentateuco é o fundamento absoluto da salvação. Você agora talvez entenda por que Jesus subiu a um alto monte e chamou Moisés e Elias para conversar com Ele.
Elias foi o servo de Deus que conseguiu fazer com que o povo de Israel deixasse a idolatria e voltasse para Deus, dando testemunho a eles assim: “O Senhor é o verdadeiro Deus. Jeová é o verdadeiro Deus”. No entanto, o Elias que foi profetizado no livro de Malaquias, que viria antes do Senhor para preparar Seu caminho, não é nenhum outro senão João Batista, de quem Jesus testificou que foi o maior entre os nascidos de mulher (Mateus 11:11). Jesus disse em Mateus 11:14: “E, se quiserdes dar crédito, ele é o Elias que havia de vir”, e também disse em Mateus 11:11-12: “Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João Batista; contudo, o menor no reino dos céus é maior do que ele. Desde os dias de João Batista até agora, faz-se violência ao reino dos céus, e pela força apoderam-se dele”.
Por que o reino dos céus sofre violência desde os dias de João Batista? Porque todos os pecados da humanidade foram passados a Jesus através do batismo que João Batista ministrou Nele. É por isso que aqueles que crêem que todos os seus pecados foram passados para Jesus por João Batista tomam o Céu pela força. Em outras palavras, eles entram no Céu pela fé. O versículo 14 diz: “E, se quiserdes dar crédito, ele é o Elias que havia de vir”. Quem Jesus disse que era Elias? João Batista.
Melhor dizendo, este Elias que era alguém absolutamente indispensável e necessário para a nossa salvação não é outro a não ser João Batista. Somente quando este Elias veio foi que os pecados de todo mundo puderam ser passados a Jesus, fazendo todos sem pecado. Em outras palavras, João Batista, que era Elias, fez com que todos voltassem para presença de Deus ao batizar Jesus e passar todos os pecados a Ele. Quando passou os pecados das pessoas para Jesus, e assim ofereceu sacrifício em seu lugar, João Batista cumpriu toda a função de Elias. Ao se referir a João Batista, Lucas 1:17 diz: “Irá adiante dele no espírito e poder de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, converter os rebeldes à prudência dos justos, e preparar ao Senhor um povo bem disposto”. Foi isso que o pai de João Batista, Zacarias, profetizou antes de ele nascer.
A nossa salvação foi o cumprimento de toda a Lei e dos estatutos do sistema sacrificial que Deus falou por Moisés. Ao enviar Seu Filho Jesus Cristo a essa terra, Deus Pai nos salvou, nós que estávamos condenados ao inferno porque fracassamos em guardar a Lei. Quando Jesus veio a essa terra, Ele aceitou todos os pecados do homem ao ser batizado por João Batista, e ao receber sobre Si todos os pecados do mundo, Ele foi à Cruz e morreu crucificado, nos salvando a todos dessa maneira. Foi assim que recebemos a nossa salvação. E é por isso que Jesus, Moisés e Elias são indispensáveis para nossa salvação. Eles são totalmente essenciais para a salvação, ou seja, para que seja restaurada a nossa perfeita relação com Deus. Foi por isso que Jesus chamou Moisés e Elias para conversar com Ele.
Os discípulos perguntaram a Jesus: “Os escribas dizem que para que tudo seja restaurado, Elias tem que vir primeiro. Mas o que Tu tens a dizer sobre isso?” Jesus então lhes respondeu: “Elias já veio, mas eles não creram nele; ao invés disso, eles fizeram com ele o que quiseram. Ele não é nenhum outro senão João Batista que me Batizou”. As pessoas não reconheceram João Batista e não creram no que ele fez por elas.
Mateus 21:23-27 continua dizendo o seguinte sobre João Batista: “Tendo Jesus entrado no templo, estando já ensinando, acercaram-se dele os principais sacerdotes e os anciãos do povo, e perguntaram: Com que autoridade fazes estas coisas? E quem te deu tal autoridade? Respondeu-lhes Jesus: Eu também vos farei uma pergunta. Se me responderdes, eu vos direi com que autoridade faço estas coisas. De onde era o batismo de João? Do céu, ou dos homens? E discutiam entre si: Se dissermos: Do céu, ele nos dirá: Então por que não crestes nele? Mas se dissermos: Dos homens, tememos o povo, pois todos consideram João como profeta. Assim, responderam a Jesus: Não sabemos. Então ele lhes disse: Nem eu vos digo com que autoridade faço estas coisas”.
Naqueles dias, Jesus foi ao templo e ensinava as pessoas. Os principais dos sacerdotes, escribas e anciãos foram até Ele para confrontá-Lo e rejeitaram os Seus ensinamentos. Eles O repreenderam duramente, dizendo: “Com que autoridade Tu ensinas as pessoas no templo? Quem te deu esta autoridade? Em Israel, além dos mestres da Lei chamados rabinos, ninguém mais podia ensinar no templo. Foi por isso que eles desafiaram Jesus, dizendo: “De quem Tu recebestes esta autoridade? Foi dos principais sacerdotes? Dos anciãos? Se não foi deles, Tu estás ensinando pela Sua própria autoridade então? Quem te deu esta autoridade?”
Todavia, ao invés de respondê-los diretamente, Jesus disse: “Eu tenho uma pergunta para fazer a vocês também; se vocês responderem a minha pergunta, Eu responderei a sua”. Jesus então perguntou aos principais sacerdotes e anciãos: “De onde era o batismo de João? Do Céu ou dos homens? João batizou o povo e a mim também. Este batismo foi ministrado pela sua autoridade também ou foi Deus que deu a ele essa autoridade? Quem foi que a deu? Essa autoridade veio do Céu ou vocês a deram a ele?”
Os escribas sabiam que se respondessem: “Veio do Céu”, Jesus então diria: “Por que vocês não creram na obra de João Batista então?” Por outro lado, se eles dissessem: “Era dos homens”, isso seria o mesmo que negar que João Batista era um servo de Deus, o que levaria o povo a apedrejá-los. Com medo então, eles apenas disseram: “Nós não sabemos”. Eles disseram isso porque o povo de Israel naquela época sabia e cria que João Batista era um servo de Deus. Jesus então disse aos escribas: “Nem eu vou dizer com que autoridade faço essas coisas”.
Jesus usou outro exemplo, dizendo: “O que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, disse: Filho, vai trabalhar hoje na vinha. Respondeu ele: Não irei. Mais tarde, porém, arrependeu-se e foi. Então o pai se dirigiu ao segundo filho e disse a mesma coisa. Respondeu ele: Eu vou, senhor, mas não foi. Qual dos dois fez a vontade do pai? Responderam-lhe: O primeiro” (Mateus 21-28-31). E então os repreendeu, dizendo: “Em verdade vos digo que os cobradores de impostos e as meretrizes entram adiante de vós no reino de Deus. Pois João veio a vós a fim de vos mostrar o caminho da justiça, e não crestes nele, mas os cobradores de impostos e as meretrizes creram. Vós, porém, mesmo vendo isto não vos arrependestes para crerdes nele” (Mateus 21:31-32). Assim, Jesus testificou de João dizendo aos principais sacerdotes e aos escribas que os coletores de impostos e prostitutas entrarão no Reino de Deus antes deles, pois estes criam em João, enquanto que eles e os anciãos não criam nele, mesmo João tendo vindo para mostrar o caminho da justiça.
O que Jesus está dizendo aqui? Ele está dizendo: “João veio até vocês para mostrar o caminho da justiça”. Isso significa que João Batista veio para fazer a obra de justiça que justificaria o homem. Ele foi enviado a essa terra para fazer a obra que tornaria possível ao homem receber a remissão de pecados; ele cumpriu essa obra ao batizar o povo e Jesus. Mas apesar disso, os líderes judeus da época não creram que Deus havia enviado João Batista para cumprir a obra de apagar os pecados de todo mundo nem creram no seu batismo. Foi por isso que Jesus os repreendeu. Além disso, Jesus também lhes disse: “Até mesmo os coletores de impostos e as prostitutas entrarão no Reino dos Céus antes de vocês”. Os coletores de impostos e as prostituas creram em João. Eles creram que João Batista era um servo de Deus, e que ao batizar Jesus, ele passou todos os pecados das pessoas para Ele e os purificou.
Qual o significa do batismo de João? A palavra batismo significa ser purificado. Assim como a imposição de mãos no Antigo Testamento, o batismo significa impor as mãos sobre uma pessoa e submergi-la na água. Então, quando as mãos são impostas, os pecados são passados. O batismo foi estabelecido por Deus e vale para todos. Se um endemoninhado impor as mãos sobre a sua cabeça, o demônio passará para você. Se alguém endemoninhado falar em línguas e impor suas mãos sobre a cabeça de outra pessoa, o demônio passará para ela e ela ficará endemoninhada e falará em línguas também. Se uma pessoa ouvir um sermão pregado por alguém endemoninhado, é muito provável que ela começa a falar em línguas também. Essas pessoas entram em êxtase de repente, falando em línguas bem alto, rolando pelo chão e fazendo muito barulho. Tudo isso porque estão possuídas por demônios. Os demônios então possuem outras pessoas através delas. Por isso que a imposição de mãos significa transferir.
Meus amados irmãos, a palavra batismo significa, antes de tudo, purificação dos nossos pecados. Clamando para que todos fossem batizados, João dizia: “Purifiquem seus pecados. Vocês têm que ser purificados dos seus pecados”. Ao povo de Israel, João Batista ministrou o batismo de arrependimento que fez com que eles recebessem a remissão dos seus pecados (Marcos 1:4). Mas ele também batizou Jesus, e este batismo específico foi aquele que passou todos os pecados do homem para Jesus. O batismo que Jesus recebeu de João Batista foi aquele que purificou os pecados de todo mundo. É por isso que o batismo significa “ser purificado”, “ser enterrado”, e “ser passado”.
Meus amados irmãos, o que foi preciso ser feito para que nossos pecados fossem purificados? Para que todos eles fossem purificados, foi totalmente indispensável João Batista ter posto suas mãos sobre Jesus para passar todos os pecados da raça humana para Ele. O que teve que acontecer então para que os nossos pecados fossem passados de uma vez para Jesus? Já que Jesus aceitou todos os nossos pecados, Ele teve que morrer e ser enterrado. Foi por isso que Jesus, depois de levar todos os pecados do homem ao ser batizado, foi à Cruz como o Cordeiro de Deus e morreu em nosso lugar. E foi por isso que Jesus foi enterrado.
Jesus perguntou: “O que é o batismo de João?” Porém os líderes religiosos de Israel não deram importância ao batismo de João. Então Jesus disse a eles: “João veio a essa terra para mostrar o caminho da justiça, e enquanto coletores de impostos e prostitutas creram nele, vocês não se arrependeram e nem creram nele quando o viram. Vocês vão direto para o inferno. Assim como está escrito em Malaquias, vocês serão lançados na fornalha ardente nos últimos dias, e sofrerão com tamanha ira”.
Deus enviaria o profeta Elias e ele converteria o coração dos pais aos filhos – isto é, o coração de Deus aos Seus filhos. Como? Enviando João Batista, o representante da humanidade e o maior entre todos os nascidos de mulher. Ao batizar Jesus, o Filho de Deus e nosso Salvador, João Batista passou todos os nossos pecados para Ele. Deste modo, João desviou para Jesus Cristo a ira de Deus que nos estava reservada e tornou possível a todos nós, que não podíamos nos aproximar de Deus por causa dos nossos pecados, chegar com toda coragem perante Ele crendo nesta Verdade. Quando o homem crê no evangelho da água e do Espírito, que João Batista passou todos os pecados do mundo para Jesus ao batizá-Lo, e que Ele levou todos os pecados sobre Si e foi condenado na Cruz por causa deles, ele pode chegar e permanecer na presença de Deus. Deus fez com que João Batista realizasse sua função como aquele que era responsável pelo batismo de Jesus, a fim de que Ele tivesse misericórdia de todo aquele que cresse em Jesus Cristo e no ministério de João Batista, e também fizesse deles Seus filhos. Melhor dizendo, João Batista fez o papel de mediador. Está escrito: “Ele converterá o coração dos pais aos filhos”. Como último sacerdote do Antigo Testamento, João Batista cumpriu totalmente a função de mediador.
Deus estabeleceu o sistema sacrificial e fez com que o povo de Israel o conhecesse através de Moisés. É por isso que todos os israelitas ofereciam sacrifícios a Deus baseados no princípio da representação. E aqui vemos João Batista, que cumpriu suas funções como último sumo sacerdote. Ele é o representante da humanidade, o maior entre os nascidos de mulher. Jesus disse que o Reino dos Céus sofre violência desde os dias de João Batista. Isso quer dizer que João Batista é o último sumo sacerdote do Antigo Testamento, que cumpriu o papel crucial de passar todos os pecados do mundo para o Cordeiro de Deus, a fim de abrir a porta dos Céus.
Deus prometeu enviar Elias, e este Elias não era nenhum outro a não ser João Batista. Deus disse que Elias converteria o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos aos pais. Foi João Batista que ofereceu o eterno sacrifício em nosso lugar.
No Antigo Testamento, o povo de Israel trazia animais para o sacrifício e entregava-os ao sumo sacerdote, a fim de que eles fossem sacrificados em seu lugar; mas este sacrifício mudou. O Filho de Deus se tornou nossa propiciação. E João Batista, o último sumo sacerdote do Antigo Testamento, passou todos pecados do homem para o Filho de Deus. Jesus aceitou todos os pecados do homem através deste batismo que foi ministrado por João Batista. E já que João Batista quebrou as muralhas do pecado que afastavam o homem de Deus, ele fez o coração dos pais se converter aos filhos, e o coração dos filhos se converter aos seus pais. Deste modo, todos podem receber a remissão dos seus pecados se crerem no batismo de Jesus e no Seu sangue na Cruz. Deus tornou totalmente sem pecado todo aquele que crê na salvação que o Senhor nos trouxe, todo aquele que crê no evangelho da água e do Espírito, que declara que Jesus aceitou todos os seus pecados quando foi batizado por João Batista, e que Ele os apagou a todos. Como está escrito: “João veio a vós a fim de vos mostrar o caminho da justiça”. João Batista teve o papel de passar os pecados do homem para Jesus ao batizá-Lo.
Contudo, por mais que proclamemos que todos os pecados foram passados para Jesus através de João Batista, as pessoas hoje simplesmente não acreditam. Isso é ridículo! A Bíblia dá um testemunho tão claro assim de João Batista? Nenhum outro além de João Batista foi mais aprovado por Jesus. E foi o próprio João que recebeu de Jesus o Seu selo de aprovação. Foi através de João Batista que Jesus levou todos os pecados do homem. Jesus não disse: “Eu levarei os seus pecados sozinho”. Assim como os pecados dos israelitas no Antigo Testamento eram passados para o animal do sacrifício pelo sumo sacerdote, Jesus também veio a essa terra como o Cordeiro de Deus e como nossa oferta de sacrifício. E Ele levou todos os pecados do mundo pelo batismo que recebeu de João Batista. Isso está muito claro. Mas ainda assim, as pessoas não crêem nisso.
Quando Jesus estava nessa terra, os escribas da Lei e os anciãos do povo de Israel, líderes religiosos da época, não somente se recusaram a crer em Jesus, mas também não creram no que João Batista fez por eles. Eles foram contra o ministério de João Batista. E foi por isso que Jesus disse a eles: “Vocês serão lançados no inferno, porque vocês estão cheios da sua própria justiça e não crêem no testemunho de João. Porém as prostitutas e os coletores de impostos creram”. Melhor dizendo, prostitutas e coletores de impostos foram salvos primeiro por Deus porque creram no evangelho da água e do Espírito. Mas hoje, entretanto, a maioria dos cristãos não crê neste evangelho ainda.
Quando Jesus estava na terra, os fariseus e saduceus foram até Ele de Jerusalém e lhe perguntaram: “Por que os Seus discípulos não guardam a tradição de nossos antepassados? Por que eles comem sem antes lavar as mãos?” Eles acusavam os discípulos só porque eles comiam sem lavar as mãos. Eles acusaram Jesus dizendo: “Só de olhar para os Seus discípulos podemos ver que você também é uma farsa. Você também é um homem que não guarda a Lei. Você está muito abaixo do nosso nível”. Então, Jesus os repreendeu dizendo: “Não é o que entra pela boca do homem que o contamina. É a maldade que sai do seu coração que o contamina. Do coração do homem é que procede os doze tipos de pecado, até os maus pensamentos, e é por isso que o que sai de sua boca é que o contamina. Só porque alguém come sem lavar as mãos, isso não significa que ele é impuro”. Então, os escribas e fariseus que guardavam a tradição dos antepassados, acusaram Jesus dizendo: “Você e os Seus discípulos são completamente desprezíveis. Vocês são tão impuros que nós não temos nada a ver com vocês. Como pode alguém comer sem lavar as suas mãos? A tradição dos nossos antepassados diz claramente que todos têm que levar suas mãos e seus pés depois de voltaram para casa. E essa é a tradição que temos que guardar, mas vocês se recusam a fazer isso”. Eles acusavam Jesus baseados em coisas superficiais.
Jesus os repreendeu então, dizendo: “Vocês dizem que guardam a Lei? Mas a Lei manda que vocês honrem seus pais e cuidem deles; vocês realmente fazem isso? Vocês não quebram a Lei achando que não têm que dar nada aos seus pais, dizendo simplesmente: “Tudo que daríamos a eles é ‘corban’ (ou seja, uma oferta a Deus)? É isso que significa de fato guardar a Lei? Vocês não tornaram os mandamentos de Deus mandamentos de homens e não crêem nisso agora? O seu temor a Deus não vale nada, pois mesmo dizendo que crêem Nele vocês fazem tudo baseados nos seus próprios mandamentos”. E Jesus continuou: “Então, se um cego guiar outro cego, ambos cairão no abismo”.
Essa tradição dos antepassados se refere às doutrinas que os homens criaram. Até hoje muitos cristãos dizem: “Sempre faça parte de uma grande igreja. Veja se essa igreja faz parte do Ministério de Cultura e Turismo e não deixe de fazer parte de uma cujas doutrinas são bem definidas. Resumindo, você deve fazer parte de uma igreja de uma grande denominação e que seja reconhecida no meio secular também. Você tem que ser discipulado nessa igreja e crer na Palavra que você aprende lá”. Mas não adianta nada crer em Deus e temê-Lo baseado nestes mandamentos de homens.
Não importa quem esteja ensinando, o que ele disser pode ser comparado a uma simples frase de Deus? Os ensinamentos humanos são totalmente inúteis. Até mesmo os líderes cristãos atuais vêm sempre com a mesma ladainha de quem disse isso ou aquilo, dizendo a sua igreja: “Calvino disse isso, Lutero disse aquilo; Livingstone disse isso, Abraham Kuyper disse aquilo; Hegel e Kant disseram isso, enquanto que Confúcio, Mêncio e Sócrates disseram isso. Foi isso que o britânico John Stott disse, e foi isso que o americano Abraham Lincoln disse, e eles criam e levavam sua vida de fé assim”. Mas não adianta nada ensinar isso, aprender isso e andar dessa forma.
O mais importante realmente é o que a Bíblia diz. O mais importante é o que diz a Palavra de Deus, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento. Jesus disse que João Batista era o Elias que havia de vir, e que ele foi o maior entre os nascidos de mulher. Já que o próprio Deus disse que João Batista passou todos os nossos pecados para Jesus ao batizá-Lo, e que isso se referia ao sistema sacrificial, nós temos que crer nisso e ensinar assim então. É isso que significa ouvir os mandamentos de Deus e Sua Palavra e crer neles. E é crendo na Palavra de Deus que nós somos salvos. É imprescindível ouvirmos a Deus atentamente segundo a Sua Palavra. É assim que nós devemos temer a Deus.
Não há nada mais sem sentido do que ensinar doutrinas sem conhecer a Palavra de Deus corretamente. O francês João Calvino conhecia o evangelho da água e do Espírito, que é a Palavra de Deus? Este gigante da teologia nasceu na França, mas só agora o evangelho da água e do Espírito está entrando na França. Os franceses não conhecem muito bem a Coréia, mas aproveitaremos essa oportunidade para fazê-la conhecida entre eles. Eles vão entender que a Coréia não é mais um “país sincretista”, mas uma nação dos pais da verdadeira fé.
Apesar de João ter vindo para mostrar o caminho da justiça, muitos cristãos não acreditam nisso. Eles não acreditam que João Batista era o Elias que Deus havia prometido enviar nos últimos dias. As pessoas afirmam que João Batista foi um fracasso, dizendo: “João foi um fracasso. Por quê? Porque ele desafiou o rei Herodes e foi decapitado”. Mas João Batista não foi um fracasso, nem Jesus também o foi, e muito menos Deus. Para salvar o ser humano do pecado, Deus enviou João Batista a essa terra seis meses antes de Jesus. O Pai então enviou Jesus a este mundo seis meses depois de João Batista nascer. Quando os dois fizeram 30 anos, Jesus foi batizado por João Batista. Foi assim que o Pai passou os pecados do mundo para Jesus. Por causa disso, se João Batista tivesse falhado, o ministério da salvação de Jesus também teria falhado, assim como Deus que os enviou teria falhado também.
Deus deu a Lei ao homem decaído através de Moisés no Antigo Testamento, o sistema sacrificial que apagou o pecado e os 613 estatutos e mandamentos que o homem deveria guardar. Tudo isso contido na Lei, desde o sistema sacrificial à lei da salvação e à lei do juízo. Deus prometeu enviar Elias. E assim como Ele prometeu, Elias foi enviado por Ele. Seis meses após enviar Elias, Deus enviou Jesus a essa terra. E através de Elias, Ele passou todos os pecados do homem para Jesus. E Jesus aceitou todos os pecados do homem através de Elias. Todos os pecados do homem foram passados para Jesus por Elias. Jesus disse: “Já que nos convém cumprir toda a justiça, nós devemos então salvar todas as pessoas e fazer com que elas não tenham mais pecados”. Como Jesus aceitou os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista, e como João Batista passou todos os pecados do mundo para Jesus, foi através de João Batista, o Elias que havia de vir, e de Jesus, que se tornou o Cordeiro do sacrifício, que Deus apagou todos os pecados do homem. Mas ainda assim, as pessoas não crêem nisso. Mesmo vivendo nos tempos do Novo Testamento, há muitos que não reconhecem João Batista, e por isso não podem ser salvos.
Eu já falei para vocês dos e-mails que nós recebemos de um missionário da África? Quando este missionário leu um dos nossos livros pela primeira vez, ele reagiu de forma contrária. Ele disse: “Este livro está dizendo que João Batista passou os meus pecados para Jesus, mas isso é demais para eu aceitar. Eu não posso concordar com o que diz este livro”. Ele devia ser um homem muito impaciente, pois enviou sua primeira carta mostrando seu descontentamento sem nem mesmo acabar de ler o livro todo. Mas poucos dias depois, ele nos escreveu de novo dizendo: “Eu tenho ótimas notícias para vocês”. Ele de fato não tinha acabado de ler o livro quando nos escreveu pela primeira vez. Depois de ler um pouco nosso livro e passar da primeira parte, ele nos disse: “Eu não concordo com isso”, mas depois que ele leu mais um pouco, ele pôde entender realmente do que se trata o livro. Então, depois de ler um pouco mais, ele nos enviou outra carta dizendo: “Eu tenho ótimas notícias para compartilhar com vocês. Eu também concordo com sua opinião sobre o batismo de Jesus, que Deus passou os pecados para Ele através de João Batista. E eu agora não tenho mais pecados, pois eles foram passados para Ele também”.
Várias pessoas de outros países agora também concordam conosco. Elas estão admitindo que apesar de terem crido em Jesus por muito tempo, esta foi a primeira vez que elas ouviram este evangelho. Eu tenho sido bem franco em meus livros: “A não ser pelos escritos dos discípulos de Jesus, este é o primeiro livro no mundo inteiro que contém o evangelho da água e do Espírito”. E essas pessoas não contestam isso. Elas concordam com o seu silêncio. Até agora, muitas pessoas estão admitindo depois de lerem nossos livros: “Eu nunca li um livro cristão como este”. Elas reconhecem que João Batista passou todos os pecados do mundo para Jesus. Elas admitem em seu coração que Jesus recebeu de João Batista todos os pecados do mundo. Elas reconhecem tudo isso porque leram apenas um livro. A princípio, como a Palavra deste evangelho não era familiar para elas, elas o acharam exagerado, mas o que aconteceu depois quando ele foi explicado para elas com base na Bíblia? Elas vieram a aceitá-lo.
Por isso que agora muitos estrangeiros estão nascendo de novo. Neste exato momento, novos crentes estão nascendo de novo. No banheiro ou na sala, muitos estão lendo os nossos livros com os olhos da fé e crendo no evangelho, dizendo: “Eu não tenho mais pecados agora, exatamente como diz a Bíblia”. Eles então escrevem para nós: “Eu tenho ótimas notícias para compartilhar com vocês. Eu concordo que Jesus levou todos os meus pecados ao ser batizado”.
Toda a humanidade concorda que Jesus levou os nossos pecados até a Cruz e foi crucificado. Até o diabo concorda com isso. E mesmo que algumas pessoas me ataquem dizendo: “Como pode o pastor Jong só saber isso? Por que ele só vive falando a mesma coisa o tempo todo? Como ele conseguiu encontrar essas coisas na Bíblia? Ele tem que falar só dessas coisas mesmo?” Mas eu não tive que encontrar nada; tudo que eu fiz foi ler a Bíblia. Já que toda a Bíblia fala dessa salvação, é impossível não vê-la, mesmo que eu não queira encontrá-la? Quando eu leio a Bíblia, eu leio muito. Eu leio até não agüentar mais. O que eu estou dizendo é que eu conheço a Bíblia tanto quanto os chamados doutores da Bíblia.
Todos no mundo inteiro que crêem em Deus irão crer no batismo da justiça que João ministrou em Jesus, o caminho da justiça, porque isso está muito claro. É isso que a Bíblia diz e que foi profetizado no Antigo Testamento. Está escrito: “Vede, eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o dia grande e terrível do Senhor. Ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos aos pais”.
As pessoas agora estão voltando para Deus por causa do evangelho da água e do Espírito. Já que João Batista passou todos os pecados do homem para Jesus ao batizá-Lo, e como ele transferiu todos os pecados do mundo para Ele, tudo que os pecadores precisam fazer agora é somente voltar para Deus crendo nisto. Nós também não voltamos para Deus? Nós não confessamos crer nisso também? É claro que sim. Se João não tivesse feito essa obra até a morte de Jesus teria sido inútil. Por mais que crêssemos fielmente, por mais que chorássemos, por mais que fôssemos martirizados, por mais que ofertássemos todo o nosso dinheiro ou por mais que servíssemos aos outros, a salvação não poderia ser realizada. No final, nós apenas nos sentiríamos culpados como Judas e diríamos: “Por que eu fui acreditar nisso? Teria sido melhor se eu não acreditasse! Eu não queria nem ter nascido!” Mas João Batista passou todos os nossos pecados para Jesus ao batizá-Lo, e é por isso que nós podemos crer fielmente em Deus.
Meus amados irmãos, João veio para mostrar o caminho da justiça e nos fazer instrumento dela. Jesus aceitou todos os seus pecados para que vocês pudessem receber a remissão de todos eles. Quando recebeu o batismo de João, Jesus apagou todos os pecados do mundo. Jesus levou os pecados do mundo, morreu crucificado e nos salvou. Se a Palavra diz que isso é verdade, então é nisso que temos que acreditar.
Jesus chamou Moisés e Elias e conversou com eles. E por mais que a Bíblia não nos diga o que eles de fato conversaram, está claro que eles tiveram essa conversa. Moisés representa a Lei aqui. Mas e Elias então? Ele representa o sumo sacerdote. Ele é o maior sacerdote entre todos os nascidos de mulher – ou seja, ele é o representante.
A Bíblia sempre fala da terra. A terra se refere ao coração das pessoas. Se refere ao seu espírito. O que é que diz o último versículo de Malaquias? Diz assim: “para que eu não venha e fira a terra com maldição”. Isso significa que Deus derramará Sua ira sobre todo aquele que não crê na Verdade da salvação. Vocês podem estar se perguntando por que eu estou dizendo isso de novo, haja vista que todos vocês já crêem nisso. E eu digo que nem tudo acaba quando nós recebemos a remissão de pecados, pois ainda há muitas almas que são responsabilidade nossa. Toda raça humana tem que crer nisso. E há muita gente que passou crer nisso recentemente.
Eu vou continuar publicando nosso jornal evangelístico por mais que o preço do papel suba. Eu tenho certeza que muitos encontrarão nosso jornal e, de alguma maneira, irão lê-lo folha por folha e vir para nossa igreja, dizendo: “Alguém aqui pode me ajudar, por favor. Eu vim aqui para ouvir a Palavra. Eu não sabia que havia uma Palavra assim na Bíblia”. Algum tempo atrás, nossos santos da igreja de Daejeon visitaram uma mulher que tinha um salão de beleza e lhe deram nosso jornal. Depois que essa cabeleireira acabou de lê-lo, ela o deixou numa mesa que havia no salão. Uma das suas clientes leu o jornal enquanto esperava ela voltar, e então disse a ela: “Você sabe onde é essa igreja?” Você pode me levar nesse lugar onde essa maravilhosa Palavra é pregada? Há muito tempo que eu sou cristã, mas eu ainda sou cheia de pecados. Você faria a gentileza de me levar a essa igreja?” Ela então telefonou para a igreja de Daejeon, e depois do pastor pregar o evangelho para ela, depois de ouvi-lo, ela recebeu a remissão dos seus pecados.
Amados irmãos, a Palavra de Deus jamais desaparecerá. Ela sempre será a mesma. A notícia mais maravilhosa deste mundo é esta Palavra que proclama que João passou os nossos pecados para Jesus ao batizá-Lo, que Jesus tirou todos os pecados do mundo e os levou à Cruz; que Ele morreu nela e ressuscitou dos mortos; e que Ele assim nos salvou a todos. Esta é a notícia mais linda e alegre que existe. Ela tem o poder de uma dinamite e é a mais linda de todas as canções. Amados irmãos, vocês crêem nisso? Ou vocês estão entediados por eu dizer sempre a mesma coisa? Meus sermões costumavam ser mais longos do que este. E quando eles eram longos realmente, eles duravam até três horas. Eu tenho sido muito equilibrado ultimamente. Se eu fosse pregar tudo que eu tenho em minha mente, eu teria que falar por três ou quatro horas. Então, em comparação com o passado, meus sermões hoje em dia até que são muito comedidos.
Amados irmãos, vocês só poderão pregar essa Verdade da água e do Espírito se vocês a conhecerem. Vocês já pregaram o evangelho antes? Não faltam palavras quando vocês procuram pregar o evangelho? Somente quando vocês ouvirem a Palavra de Deus com todos os detalhes, a conhecerem e reconhecerem sua perfeição, é que vocês poderão pregar o evangelho de uma forma plena sempre que alguém os desafiarem com a Palavra, levando essa pessoa a se arrepender e à salvação da sua alma. Você poderia ser salvo sozinho e guardar o conhecimento da Verdade para si mesmo? Se eu fosse fazer isso, eu teria parado de servir ao evangelho há muito tempo trás, quando eu recebi a remissão dos meus pecados. Se eu tivesse deixado de servir ao evangelho depois que o recebi, eu hoje provavelmente seria o diretor de um grande centro de oração que minha mãe dirigia. E talvez até muitos de vocês viessem ao meu centro de oração para orar. “Bem-vindos. O que traz você aqui?” “Eu vim aqui para orar”. “Vá para aquela sala e ore então; você pode usá-la à vontade”. Vocês então chorariam até os olhos ficarem inchados e até sofreriam tentando jejuar. As pessoas que procuram um centro de oração sempre querem que seu diretor imponha suas mãos sobre ela. Quem dirige um centro de oração sempre pede muitas ofertas para impor suas mãos sobre alguém. E ganham muito dinheiro. Mas se eu ficasse calado ao invés de pregar este evangelho, todos vocês não estariam indo para o inferno agora? Se eu não tivesse feito essa obra, Deus então faria com que outra pessoa a fizesse, porque Ele tem poder até para tornar uma pedra descendente de Abraão.
Todavia, eu não posso resistir à vontade de Deus, e é por isso que eu estou pregando o evangelho da água e do Espírito. Esta é a razão pela qual eu continuo pregando o evangelho da água e do Espírito cada vez mais. Eu aconselho a vocês pregar este evangelho aos outros nos seus mínimos detalhes, ao invés de guardá-lo para si mesmos. Tente escrever tudo o que você ouviu no sermão de hoje, creia no que foi dito e pregue isso para alguém. Procure fazer com que ele receba a remissão de pecados e ele com certeza receberá. Se ele for remido de todos os seus pecados através de você, o reino de Deus estará no seu coração também.
Talvez alguns de vocês estejam se sentindo muito cansados por estarmos adorando até essa hora, como se tivessem jogado futebol a tarde toda. Me disseram que nossas irmãs jogam futebol muito bem. Eu até que sou um bom centroavante, mas hoje em dia eu não tenho forças para jogar futebol com vocês. Eu passei muito tempo cuidando da minha saúde para voltar a ficar bem de novo, e é por isso que eu só posso sair para pregar fora de vem em quando. Minha saúde é muito frágil para eu ficar de lá para cá. Considerando o quanto minha saúde é fraca hoje em dia, eu me sinto feliz só de poder estar aqui pregando a Palavra para vocês. Na verdade, Deus torna possível o que é impossível.
Amados irmãos, todo ser humano neste mundo não deve crer no que João Batista testificou? Mas por que as pessoas não acreditam, já que a Bíblia deixa bem claro que João veio para mostrar o caminho da justiça? Todo mundo deveria crer no testemunho e no ministério de João. O evangelho da água e do Espírito que João Batista cumpriu junto com Jesus é o caminho da salvação que todo mundo deve crer. João Batista veio para mostrar o caminho da justiça e passou todos os pecados deste mundo para Jesus ao batizá-Lo. Então, ao aceitar estes pecados do mundo e morrer na Cruz, Jesus nos salvou de todos eles. Todos devem crer nesta salvação e neste caminho para o Reino dos Céus.
Você e eu também, todos nós temos que receber a salvação pela fé. Todos que crêem em Jesus devem crer nisso sem duvidar. A salvação não pode ser alcançada somente crendo na Cruz. É totalmente necessário crermos no evangelho da água e do Espírito. Isso é tudo que eu gostaria de compartilhar com vocês. E agora então, vocês crêem no evangelho da água e do Espírito?
Vocês já devem ter ouvido essa Palavra centenas, milhares de vezes, mas se vocês ainda não dão valor a este evangelho, vocês então serão envergonhados diante de Deus. Já que Jesus mesmo aprovou este evangelho da água e do Espírito, como pode vocês não darem valor a ele? Amados irmãos, eu peço a todos vocês que dêem valor a este evangelho. Vocês devem guardá-lo fielmente. Vocês devem crer nele de coração.