The New Life Mission

Sermões

Assunto 23: A Epístola aos HEBREUS

[Capítulo 6-1] (Hebreus 6:1-8) O Evangelho da Água e do Espírito Nos Torna Sempre Perfeitos

(Hebreus 6:1-8)
“Por isso, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, e da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno. E isto faremos, se Deus o permitir. Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, E provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro, e recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério. Porque a terra que embebe a chuva, que muitas vezes cai sobre ela, e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada, recebe a bênção de Deus; mas a que produz espinhos e abrolhos, é reprovada, e perto está da maldição; o seu fim é ser queimada”.
 
 
Acabamos de ler Hebreus 6:1-8, e quero aproveitar a oportunidade para analisar o que a Bíblia fala sobre “arrependimento de obras mortas” (Hebreus 6:1).
O que fazer obras mortas significa exatamente para um cristão? Significa viver sem confiar na justiça de Deus. Para que os cristãos pecadores voltem para Cristo e levem uma vida correta de fé, eles primeiro devem saber o que é a justiça de Cristo, lançar fora as obras mortas que estão fazendo entre os ímpios, e vir para a presença de Deus. Melhor dizendo, eles precisam se arrepender da adoração que fazem a este mundo, entender corretamente quem é Deus e sua justiça, e voltar para Jesus Cristo. E para fazer isso, eles precisam entender como Deus apagou todos os seus pecados e que gloriosa bênção está reservada para eles no futuro.
O autor da epístola aos Hebreus exorta mais uma vez todos os cristãos que se desviaram a voltar, para que possam compreender a verdade da salvação e a Cristo também. Por isso Paulo disse: “Prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, e da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno” (Hebreus 6:1-2). Comparando o batismo que Jesus recebeu de João Batista no Novo Testamento com a imposição de mãos do Antigo Testamento, esse texto mostra que os dois são a mesma coisa. Ele também nos mostra que morremos com Cristo e fomos ressuscitados com ele, e quem não confiar na justiça de Deus em sua vida enfrentará o juízo da sua ira.
No entanto, alguns cristãos enganados não compreendem bem esse texto, e por isso ficam muito confusos. Isso porque eles acham que há outra verdade que os aperfeiçoará além do batismo de Jesus, da sua morte na cruz e sua ressurreição. Por esta razão, eles acham erradamente que é mais importante confiar em sua própria caridade e devoção para se aperfeiçoar do que crer no evangelho da água e do Espírito, que é o único caminho para podermos morrer com Cristo e ressuscitar com ele. Melhor dizendo, eles creem equivocadamente que podem se santificar confiando em sua própria caridade e devoção.
Mas esta não é a vontade de Deus. Todos nós devemos compreender que como Jesus se tornou nosso Salvador ao ser batizado por João Batista, morrendo na cruz e ressuscitando dos mortos ao terceiro dia, e que ele já nos aperfeiçoou de forma perfeita. Por isso o autordo livro de Hebreus está nos ensinando que o batismo de Jesus, sua morte na cruz e ressurreição são elementos indispensáveis que todos nós devemos conhecer e crer.
Em especial, os “batismos” e a “imposição de mãos” mencionados no versículo 2 indicam que Jesus foi batizado por João Batista com o mesmo propósito da imposição de mãos do Antigo Testamento, ou seja, tirar todos os nossos pecados. Portanto, como Jesus nos salvou tirando todos os pecados neste mundo com seu batismo, derramando seu sangue na cruz até a morte e ressuscitando dos mortos, Deus está nos exortando a não colocar novamente o fundamento da doutrina da ressurreição e do juízo eterno, mas a vivermos por nossa fé perfeita.
Os “batismos” e a “imposição de mãos” dos quais o autor da epístola aos Hebreus menciona em 6:2 referem-se à verdade que Jesus Cristo levou todos os nossos pecados de uma vez por todas ao ser batizado nessa terra. Melhor dizendo, ele está falando da verdade da salvação ao ligar a imposição de mãos do Antigo Testamento ao batismo de Jesus. O autor também falou de ressurreição, dizendo que todos que creem no evangelho da água e do Espírito tomarão parte da primeira ressurreição de Jesus. Por outro lado, os que se negam a crer no evangelho da água e do Espírito e, portanto, não nasceram de novo, mas vivem como pecadores, serão condenados por seus pecados quando ressuscitarem.
Nós cremos no evangelho da água e do Espírito, que é a base da fé cristã. Cremos que o Senhor nos salvou de todos os nossos pecados para nos dar a bênção da ressurreição. Vamos parar um pouco aqui e analisar os princípios básicos da nossa fé na justiça de Deus. Jesus Cristo é realmente o próprio Deus, mas para se tornar nosso Senhor e Salvador, ele levou todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista. E por ter levado antes todos os pecados deste mundo, ele depois morreu crucificado, mas ressuscitou dos mortos ao terceiro dia depois de ser sepultado em uma tumba. Como Deus do juízo, Jesus Cristo condenará a todos neste mundo que não creem nele como seu Deus e lançará os ímpios no inferno. Mas os que creem na justiça de Deus, Cristo irá levá-los ao reino eterno dos céus e viverá com eles para sempre. Devemos, portanto, crer em todas estas verdades que são encontradas no evangelho da água e do Espírito.
 
 
Não Podemos Entender ou Interpretar de Modo Errado o Texto Bíblico de Hebreus 6:1-8
 
Se alguém tentar entender o texto bíblico deste capítulo segundo sua própria interpretação, sem nenhum conhecimento do evangelho da água e do Espírito, ele certamente entrará numa grande mentira. Ainda há muitos cristãos hoje em dia que não interpretam esse texto literalmente por desconhecer a justiça de Deus. Esses cristãos equivocados ignoram a justiça de Deus, que é o cerne da fé cristã, dizendo: “Olha, a Bíblia não diz aqui que devemos deixar a discussão sobre os princípios elementares de Cristo?” Mas fazer isso é cair em um ensinamento totalmente errado.
Os justos nunca devem se opor aos líderes da Igreja de Deus. O mínimo que você poder fazer como justo é não se opor aos servos de Deus e ao evangelho da água e do Espírito. Mesmo que se sinta ofendido por algum líder de sua igreja, você deve procurar ser compreensivo e lembrar-se que até eles podem às vezes ser fracos como você e cheios de falhas. Você entenderá então que Deus, na verdade, está tentando eliminar sua própria justiça, e agradecerá a ele e novamente colocará sua confiança nela. É através dessas lutas e tribulações que você passa a confiar mais na justiça de Deus. Se você se unir aos seus pais na fé, você estará unido à Igreja de Deus e poderá viver o resto da vida como um soldado de Cristo. Não importa quantas falhas cometeu perante Deus, contanto que creia em sua justiça, você não terá mais pecado algum. Todos nós nos tornamos justos crendo na justiça de Deus, recebemos a remissão de pecados do Senhor, nos tornamos seus filhos e obtivemos a bênção da vida eterna.
Nada pode nos abençoar além da justiça de Deus, que o Senhor nos deu. É sobre essa justiça de Deus que o fundamento da nossa fé está firmado, e por isso nunca devemos tentar pôr outro fundamento da fé. Se fosse pregar sem compreender a justiça de Deus revelada nas Escrituras, eu não seria um pastor verdadeiro. Deus nos nomeou como seus servos para que pregássemos sua justiça. Ele não nos nomeou como servos da sua justiça com outro propósito. Você acha que Deus nos colocou neste mundo sem propósito algum? Não, é claro que não!
Nossa missão nessa terra é libertar os que estão presos às falsas religiões e livrá-los de todos os seus pecados, não prendê-los ainda mais com a lei, só para fazê-los perecer. Mas ainda vemos muitos pastores insistindo que sua igreja guarde a lei de Deus a todo custo, apesar de eles mesmos não cumprirem todos os mandamentos. Na verdade, esses pastores não estão servindo à justiça de Deus. A Palavra de Deus lhes diz claramente para não fazer isso. Ao contrário, ele nos exorta a salvar os pecadores pela pregação dos princípios elementares de Cristo. Foi isso que o autor da epístola de Hebreus tinha em mente quando disse: “E isto faremos, se Deus o permitir” (Hebreus 6:3).
 
 
A Punição Que é Dada Àqueles Que Traíram a Justiça de Deus
 
Todos nós temos que crer que o Senhor apagou todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista nessa terra, morreu crucificado enquanto carregava todos os pecados deste mundo, ressuscitou dos mortos depois de sepultado, e assim se tornou o Salvador de todo aquele que crê nesta verdade. Quem não crê nesta verdade da salvação é um pecador prestes a ser condenado, e quem trai o evangelho da água e do Espírito depois de crer nele também sofrerá a condenação. Isso está bem explicado na leitura do texto bíblico.
Vamos ler agora Hebreus 6:4-6: “Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro, e recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério”. Aqui as palavras: “os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial” (Hebreus 6:4) se referem àqueles que em algum momento de sua vida ouviram o evangelho da água e do Espírito e creram nele. O “dom celestial” que é mencionado nesse texto se refere ao dom da salvação que Jesus Cristo nos deu ao cumprir a justiça de Deus.
A Bíblia diz claramente que os que nem sequer provaram da salvação que vem pelo evangelho da água e do Espírito não podem ser renovados para o arrependimento. E já que estas pessoas acabam traindo o evangelho da água e do Espírito, mesmo depois de crer nele, é impossível receberem novamente a remissão de pecados. Está escrito claramente que estes que traíram a justiça de Deus nunca mais poderão receber a remissão de pecados, pois envergonharam publicamente o Filho de Deus e sua justiça. Melhor dizendo, eles traíram a justiça de Deus que Cristo cumpriu por eles e se opuseram a ela.
Eu preguei o evangelho da água e do Espírito para várias pessoas. Algumas delas creram neste evangelho, mas acabaram traindo-o depois. O que aconteceu com elas? Nenhuma delas quis se arrepender. Mesmo quando dei o melhor de mim para pregar o evangelho da água e do Espírito para elas de novo, elas se recusaram a aceitá-lo.
Todas elas serão condenadas por seus pecados, pois não quiseram mais crer na justiça de Deus. De quem é a culpa então? É de Deus ou delas mesmas? A culpa é daqueles que se recusam a crer no evangelho da água e do Espírito depois de ouvi-lo. Jesus Cristo amou a todos igualmente e apagou todos os nossos pecados de uma vez por todas através do batismo que recebeu de João Batista. Ele levou todos os pecados deste mundo à cruz e foi condenado justamente pelo pecado de todos derramando seu sangue por eles. Mas ele ressuscitou dos mortos e assim se tornou o verdadeiro Salvador para todos nós que cremos na justiça de Deus.
Se Jesus Cristo não tivesse ressuscitado dos mortos depois de ter sido crucificado, ele não poderia ter se tornado o Salvador de todos nós que cremos no evangelho da água e do Espírito. Essa justa obra da salvação não foi realizada segundo a vontade de Jesus, mas através da sua obediência à vontade de Deus; e isso foi o bastante para nos salvar pela fé. Deus Pai, o Filho e o Espírito Santo se uniram e consultaram um ao outro para planejar nossa salvação, e cumpriram esta obra adotando os que creem na sua justiça como seus filhos. Portanto, quem crê na justiça de Deus está salvo, mas quem não crê ou a trair depois de crer nela nunca poderá escapar da punição do inferno.
Através do texto bíblico deste capítulo, o Senhor está nos alertando a nunca trair sua justiça, pois aquele que trai a justiça de Deus será certamente destruído para sempre. Aquele que se recusa a aceitar e crer que o batismo de Jesus e seu sangue na cruz são a justiça de Deus será simplesmente destruído por seus pecados. Estas pessoas nunca poderão ser salvas dos seus pecados. Não importa se creem com fervor em Jesus como seu Salvador e o servem com dedicação, elas nunca poderão ser salvas dos seus pecados. Foi por isso que o nosso Senhor nos advertiu no texto bíblico deste capítulo a nunca trair sua justiça.
Está escrito em Hebreus 6:7-8: “Porque a terra que embebe a chuva, que muitas vezes cai sobre ela, e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada, recebe a bênção de Deus; mas a que produz espinhos e abrolhos, é reprovada, e perto está da maldição; o seu fim é ser queimada”.
A “terra” aqui se refere ao coração do homem. Todo verdadeiro pregador testifica do batismo de Jesus Cristo, seu sangue na cruz, sua morte, ressurreição e divindade como Filho de Deus e o próprio Deus. E quando os que ouvem esta Palavra de Deus, a aceitam em seu coração e creem nela, o fruto da fé nasce dentro dele. Quando crê na Palavra de Deus, você se sente obrigado a pregar o evangelho da água e do Espírito por todo o mundo e a viver o resto da vida como soldado de Cristo. Mas o que aconteceria se você se recusasse a aceitar a justiça da Palavra de Deus em seu coração? Se você se opuser à justiça de Deus com seus pensamentos carnais, você certamente será destruído.
Qualquer um hoje em dia pode ouvir o evangelho da água e do Espírito, mas quem não crer neste evangelho, mesmo depois de ouvi-lo, será destruído. Nós temos trabalhado muito para ensinar as pessoas sobre o evangelho da água e do Espírito, mas se não crerem nele apesar de ouvi-lo, elas serão condenadas. Por outro lado, todos que creem no evangelho da água e do Espírito receberão definitivamente de Deus a vida eterna. Ninguém na Igreja de Deus jamais deve desprezar esta salvação que Jesus cumpriu através do batismo que recebeu de João Batista e do sangue que derramou naquela cruz, que juntos são a justiça de Deus.
Mas alguns dizem: “Eu gostaria que o pastor Paul C. Jong pregasse outra coisa além do evangelho da água e do Espírito todos os dias”. Isso está errado porque já que a oração do Senhor diz: “Dá-nos o pão nosso de cada dia”, este pão não é outro além do evangelho da água e do Espírito. O que mais este pão seria senão o evangelho da água e do Espírito? O próprio fato de o Senhor ter salvado a todos nós que cremos na sua justiça de todos os pecados ao vir a essa terra, sendo batizado, derramando seu sangue na cruz e ressuscitando dos mortos é na verdade o pão que o Senhor nos dá, e com certeza o pão nosso de cada dia.
A oração do Senhor também nos ensina a orar assim: “Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores”. Hoje muitos cristãos tomam este ensinamento como base dizendo que alguém recebe a remissão de pecados fazendo orações de arrependimento, mas isso está totalmente errado.
O apóstolo Pedro deixou bem claro que Jesus foi batizado por João Batista para levar todos os nossos pecados. E isso está em 1 Pedro 3:21: “Que também, como uma verdadeira figura, agora vos salva, o batismo, não do despojamento da imundícia da carne, mas da indagação de uma boa consciência para com Deus”. Foi para nos permitir entrar com uma consciência clara na presença do Deus Santo que Jesus foi batizado por João Batista e derramou seu sangue. Nós fomos salvos de cada um dos nossos pecados pela fé no evangelho da água e do Espírito porque o Senhor levou todos eles ao ser batizado e foi condenado por eles ao derramar seu sangue na cruz. Quem crê na justiça de Deus é salvo de todos os seus pecados. E nós cremos nessa justiça de Deus.
A Palavra de Deus que lemos hoje na epístola aos Hebreus diz: “Por isso, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, e da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno” (Hebreus 6:1-2). Se simplesmente passarmos os olhos nesse texto, acabaremos interpretando mal o que ele quer dizer, achando que devemos lançar fora a nossa fé. Mas isso não é realmente o que ele quer dizer. Ao contrário, ele nos ensina que devemos basear nossa vida de fé em Jesus Cristo e edificá-la sobre um fundamento imutável que crê na justiça de Deus: nós fomos batizados com Jesus Cristo, morremos na cruz com ele e fomos trazidos de volta à vida com ele.
A Palavra de Deus nos ensina tudo sobre nossa fé. Nenhum de nós jamais deve pregar algo que não seja a Palavra de Deus, muito menos discutir sobre assuntos que não existem. Nós somos Deus? Não, é claro que não! Então por que alguns de nós tenta pregar sobre algo que Deus nunca revelou nas Escrituras? Isso não é aceitável.
Quando pregamos o evangelho da água e do Espírito, muitos hoje nos perguntam: “Muitos no passado nunca ouviram sobre o evangelho da água e do Espírito, então o que aconteceu com todos eles?” Mas eles deveriam saber que Deus é justo. Tudo que já aconteceu foi segundo a providência de Deus. O fato de Deus ter nos dado o evangelho da água e do Espírito através de sua Palavra é realmente uma bênção incrível. Mesmo assim, ao invés de crer na justiça de Deus, muitos cristãos de hoje pregam sobre ética, tentando impedir esses crentes enganados de ouvir o verdadeiro evangelho. Esses cristãos pecadores desprezam o batismo que Jesus recebeu de João Batista e só dão importância ao seu sangue na cruz e à sua ressurreição.
Nossa ressurreição é tanto física como espiritual. E já que cremos na justiça de Deus, nossa alma já morreu e foi trazida de volta à vida, embora a ressurreição do nosso corpo ainda não tenha acontecido. Isso de fato não aconteceu ainda. Nosso corpo imperfeito também será transformado quando nossa vida nessa terra terminar ou o Senhor voltar antes disso. Este corpo que temos agora está prestes a ser ressuscitado pelo Senhor.
Nós nunca devemos chamar outra coisa de justiça de Deus além do evangelho da água e do Espírito dado por ele. O evangelho da água e do Espírito é a justiça de Deus, e se realmente fomos salvos de todos os nossos pecados crendo neste verdadeiro evangelho, devemos plantar bem fundo em nosso coração esta verdade e viver segundo a nossa fé. É fundamental entendermos como esta fé é importante. Hoje em dia há muitos cristãos dizendo que não têm pecado, apesar de crer apenas no sangue da cruz e rejeitar o evangelho da água e do Espírito. Estes são geralmente chamados de “evangélicos”. Mas se são mesmo evangélicos, eles deveriam crer no evangelho da água e do Espírito. Mesmo assim os que não creem no evangelho da água e do Espírito pregam somente sobre o sangue da cruz, e ainda se denominam evangélicos. Eles até atacam os verdadeiros crentes no evangelho da água e do Espírito. Quando sou atacado, eu fico determinado a enfrentar uma batalha espiritual para decidir de uma vez por todas qual é o evangelho mais poderoso, se o evangelho da água e do Espírito ou o evangelho só da cruz. Há muitos em todo o mundo cuja fé é equivocada, igual a destes chamados “evangélicos”. Aonde quer que você vá, seja na Europa ou nas Américas, a maioria dos cristãos crê apenas no sangue da cruz. Todos eles confessam que são pecadores. E quando vejo estas pessoas sofrendo por causa do pecado, eu sempre dou para elas um de nossos livros que contém o evangelho da água e do Espírito e as aconselho a ler e meditar sobre qual é o verdadeiro evangelho.
Nós temos compartilhado nossos livros com inúmeras pessoas ao redor do mundo, e muitos dos que os leram ficaram atônitos. Muitos delas nos enviaram seu testemunho de salvação, dizendo que as doutrinas cristãs que creram por décadas eram todas mentirosas, e que agora encontraram o verdadeiro evangelho da água e do Espírito. Nós as obrigamos a escrever esses testemunhos? Não, é claro que não! Elas nos enviaram esses testemunhos por vontade própria, porque agora creem na Palavra do evangelho da água e do Espírito de todo o coração.
A obra realizada na Igreja de Deus é feita pelo próprio Deus através daqueles que creem no evangelho da água e do Espírito nesses últimos dias. Esta é a prova da incrível obra de Deus. Os apóstolos pregaram o evangelho da água e do Espírito e registraram seus passos em Atos dos Apóstolos por inspiração do Espírito Santo. Hoje em dia a obra de pregar o evangelho de Deus continua através daqueles que receberam a remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito.
Hoje muitos pentecostais buscam falar em línguas e ter visões enquanto oram, mas isso não é crer no evangelho da água e do Espírito e nem buscar a verdade. Aqueles cuja fé é realmente madura são os que usam a razão para crer no evangelho da água e do Espírito e discernir a justiça de Deus da justiça do homem. Eles conseguem discernir o que os adeptos de um falso evangelho dizem do que a Palavra de Deus realmente diz.
Agora que estão sendo treinados na Escola de Missões, vocês precisam ter uma clara compreensão do evangelho da água e do Espírito e crer nele de forma inabalável. Ao invés de levar uma vida de fé instável com um entendimento limitado do evangelho da água e do Espírito, vocês devem firmar sua fé neste evangelho agora que estão sendo treinados, crer nele até o fim, se exaltar apenas da justiça de Deus e viver como soldados de Cristo para sempre.
Quando aconselhados a viver para a justiça do Senhor, alguns de vocês podem até dizer: “Eu falho muito quando faço isso”. Mas quem não comete erros na vida? O que importa não são suas ações, mas se vocês decidem crer na justiça de Deus que foi cumprida por Cristo, pois esta decisão determina se vocês serão soldados de Cristo e filhos de Deus, se receberão suas bênçãos, libertarão outras pessoas de todos os pecados do mundo e andarão na justiça do Senhor até o fim deste mundo. O verdadeiro evangelho da remissão de pecados é o evangelho da água e do Espírito, e não o evangelho somente do sangue da cruz. O poder deste evangelho da água e do Espírito não conhece limites. Afinal de contas, se o poder do evangelho da água e do Espírito não fosse tão grande, não conseguiríamos pregá-lo com tanta confiança. O poder deste verdadeiro evangelho é mesmo inigualável.
Amados irmãos, um simples obreiro de Deus que crê totalmente em sua justiça pode salvar toda a população de um país. Há cerca de 250 países neste mundo, e se tivermos apenas 250 ou 300 obreiros verdadeiramente fiéis e dedicados a Deus, conseguiremos transformar o mundo todo com o evangelho da água e do Espírito. Por exemplo, no Antigo Testamento, Gideão tinha que derrotar vários soldados inimigos com apenas 300 guerreiros. E esses 300 guerreiros de Gideão prevaleceram porque deixaram seus pensamentos carnais, confiaram no servo de Deus e em sua Palavra por obediência, e com ousadia entraram no campo inimigo pela fé. Do mesmo modo, é pela fé que pregaremos o evangelho da água e do Espírito com ousadia, assim como é pela fé que venceremos todas as provações, salvaremos muitas almas, fortaleceremos nosso coração e seguiremos a justiça de Cristo.
Por outro lado, aqueles que dizem que só o sangue da cruz é a salvação não têm nada além de pecado em seu coração. Estas pessoas são incapazes de pregar o evangelho da água e do Espírito para qualquer pecador que conheçam.
Muitos cristãos hoje ficam tão encantados por estes falsos profetas que dizem possuir poderes sobrenaturais que vão atrás desses charlatães espirituais implorando que ponham a mão em sua cabeça. Mas isso é muito errado. Quando uma pessoa possessa de demônio põe a mão sobre outra pessoa, ela acaba ficando endemoninhada também. A Bíblia diz que se um demônio é expulso de mentira por alguém, este demônio logo voltará e entrará nesta mesma pessoa de novo com mais sete demônios. Então, ela acabará possuída por uma legião de demônios ao invés de apenas um.
O que é as pessoas realmente precisam? Do evangelho da água e do Espírito. O que exatamente este evangelho da água e do Espírito proclama? Ele diz que Jesus Cristo levou todos os pecados do homem ao ser batizado por João Batista quando veio a essa terra num corpo carnal. Assim como o sacrifício de animais no Antigo Testamento apagava o pecado dos israelitas pela imposição de mãos do sumo sacerdote, Jesus, o Filho de Deus, carregou todos os pecados deste mundo ao ser batizado por João Batista, um descendente do sumo sacerdote Arão. Ele então foi condenado por todos os nossos pecados ao derramar seu sangue na cruz, ressuscitou dos mortos e se tornou o Salvador de todos nós que cremos na justiça eterna de Deus. É isso que o evangelho da água e do Espírito proclama, e crer nesta verdade é o único meio de sermos salvos de todos os nossos pecados. O evangelho da água e do Espírito é o evangelho perfeito, e nossa fé neste evangelho é a própria fé que nos aperfeiçoa. Mas e você? Você crê na justiça de Deus?
Não importa quantas falhas tenha cometido, se você crê na justiça de Deus, você se tornará um filho de Deus totalmente sem pecado. Assim como até o mais duro pedaço de aço se derrete quando colocado em uma fornalha, se você crer no evangelho da água e do Espírito de todo o coração e ficar firme nele com todas as suas forças, todos os seus pecados desaparecerão e você se tornará uma nova pessoa. É assim que você consegue se tornar alguém que vive para a justiça de Deus, alguém que não tem pecado algum, que faz a justa obra de Deus. Quem crê no evangelho da água e do Espírito pode se tornar uma pessoa maravilhosa devido à graça de Deus. E todos que creem neste evangelho serão louvados por Deus por sua fé inabalável em sua justiça.
O autor da epístola aos Hebreus testemunhou o poder o evangelho da água e do Espírito e testificou que Jesus Cristo é o Sumo Sacerdote do reino dos céus. Quem é Cristo? Ele é o Sumo Sacerdote do reino dos céus. Novamente, quem é Cristo? Ele é o Filho de Deus e aquele que criou todo o universo e tudo que nele há. Assim como toda casa é construída por alguém, este mundo não passou a existir sozinho, mas veio à existência somente porque houve alguém que o criou. E este Criador de todo o universo e de tudo que nele há não é outro senão Jesus Cristo. Ele é o Criador que fez os céus e a terra. Este Criador, o Filho de Deus e nosso Senhor, teve tanta compaixão de suas criaturas que pessoalmente veio a este mundo em obediência à vontade de Deus, suportou uma humilhação inimaginável e sofreu para nos salvar através do evangelho da água e do Espírito.
Seria tão maravilhoso se todo cristão cresse na justiça de Deus, mas infelizmente isso não acontece. Na verdade, a maioria dos cristãos não crê na justiça de Deus, e por causa disso serão todos destruídos. Há um tempo atrás, um famoso comediante coreano chamado Juil Lee morreu após lutar contra um câncer. Uma de suas frases mais usadas era: “Desculpe por se tão feio”. Mas, naquela época, antes de morrer, ele disse: “Desculpe por não conseguir mais me levantar”, brincando por ter perdido a batalha contra o câncer. Lee tinha tantos fãs que várias pessoas foram ao seu funeral prestar homenagens. Mas em uma entrevista que deu a uma emissora de televisão, Lee disse: “Eu nunca fiz nada de errado com ninguém, nem cometi pecado algum. Eu não consigo entender por que tenho sido afligido por este câncer”. Lee não conhecia seus pecados e nem conhecia o evangelho da água e do Espírito.
Todo ser humano foi criado por Jesus Cristo, mas muitos deles não reconhecem nem creem neste Criador que não apenas os criou, mas também apagou todos os seus pecados com o evangelho da água e do Espírito. Este comediante do qual falei tinha muitos amigos cristãos em sua vida, mas nenhum deles pregou o evangelho da água e do Espírito para ele. Isso nos mostra como é importante orarmos por todos neste mundo e pregarmos o evangelho para eles.
Já que cremos no evangelho da água e do Espírito, somos muito felizes e abençoados tanto física como espiritualmente. Nosso Senhor nos libertou de todos os nossos pecados através do evangelho da água e do Espírito e nos tornou totalmente sem pecado. Palavras não podem expressar como somos gratos por esta bênção maravilhosa. Então, devemos dar graças ao Senhor por abençoar a nós, que cremos no evangelho da água e do Espírito, e nos fazer suas perfeitas testemunhas. Devemos todos louvar a Deus por ter trazido a nós sua justiça.