Sermões

Assunto 23: A Epístola aos HEBREUS

[Capítulo 6-3] (Hebreus 6:1-20) O que Deus Falou Conosco?

(Hebreus 6:1-20)
“Por isso, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, e da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno. E isto faremos, se Deus o permitir. Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa Palavra de Deus, e as virtudes do século futuro, E recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério. Porque a terra que embebe a chuva, que muitas vezes cai sobre ela, e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada, recebe a bênção de Deus; mas a que produz espinhos e abrolhos, é reprovada, e perto está da maldição; o seu fim é ser queimada. Mas de vós, ó amados, esperamos coisas melhores, e coisas que acompanham a salvação, ainda que assim falamos. Porque Deus não é injusto para se esquecer da vossa obra, e do trabalho do amor que para com o seu nome mostrastes, enquanto servistes aos santos; e ainda servis. Mas desejamos que cada um de vós mostre o mesmo cuidado até ao fim, para completa certeza da esperança; para que vos não façais negligentes, mas sejais imitadores dos que pela fé e paciência herdam as promessas. Porque, quando Deus fez a promessa a Abraão, como não tinha outro maior por quem jurasse, jurou por si mesmo, Dizendo: Certamente, abençoando te abençoarei, e multiplicando te multiplicarei. E assim, esperando com paciência, alcançou a promessa. Porque os homens certamente juram por alguém superior a eles, e o juramento para confirmação é, para eles, o fim de toda a contenda. Por isso, querendo Deus mostrar mais abundantemente a imutabilidade do seu conselho aos herdeiros da promessa, se interpôs com juramento; Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta; A qual temos como âncora da alma, segura e firme, e que penetra até ao interior do véu, onde Jesus, nosso precursor, entrou por nós, feito eternamente sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque”.
 
 
Por Que Devemos Fortalecer o Fundamento da Nossa Fé?
 
Podemos descobrir a resposta para essa pergunta no texto bíblico deste capítulo, tirado de Hebreus 6:1-20. Os versículos de 1 a 8 do texto acima nos ensinam que conforme levarmos nossa vida de fé, todos nós devemos ter o perfeito fundamento da fé com relação ao batismo, a ressurreição dos mortos e o juízo eterno, independente se nossa fé é nova ou madura. Melhor dizendo, todos nós que cremos em Jesus como nosso Salvador devemos ter um firme fundamento da fé.
Quem é Jesus Cristo? Ele é o nosso Salvador e o mesmo Deus que criou o universo. É fundamental termos pelo menos o básico conhecimento do evangelho da água e do Espírito para vivermos pela fé. Mas se, por outro lado, crermos em Jesus sem o devido entendimento deste evangelho verdadeiro, então nos meteremos em problemas e, consequentemente, seremos destruídos. Mesmo se crêssemos em Jesus Cristo há uma década, sem o conhecimento do evangelho da água e do Espírito nossa fé no final se arruinaria.
Quem é Jesus Cristo? Ele é o Filho unigênito de Deus e o nosso Salvador. Ele é o mesmo Deus que criou o universo e a nós, e nos salvou de todos os nossos pecados. Por isso que dizemos que Jesus Cristo é o nosso Salvador e Pastor. Ele é o seu Salvador e seu Pastor também. Esse reconhecimento é muito importante. Como Jesus nos salvou quando veio a essa terra? Ao nascer nessa terra através do corpo da virgem Maria para nos salvar, Jesus Cristo se tornou nosso Salvador ao ser batizado por João Batista para levar todos os nossos pecados, morrendo na cruz, sendo condenado por nós e ressuscitando dos mortos.
Jesus é o nosso Salvador, e para nos salvar de todos os nossos pecados, ele teve que aceitar todos os pecados deste mundo ao ser batizado, assim como os bodes expiatórios do Antigo Testamento tiravam os pecados dos Israelitas pela imposição de mãos do sumo sacerdote. Do mesmo modo que no Antigo Testamento os animais sacrificados recebiam os pecados do povo de Israel pela imposição de mãos e tinham que morrer no lugar deles, Jesus recebeu todos os nossos pecados através de seu batismo, morreu na cruz por nós e ressuscitou dos mortos. Foi assim que ele nos salvou por completo, e precisamos entender bem esta expiação que foi feita pelos nossos pecados. Também é muito importante entendermos bem há uma ressurreição esperando por nós, agora que fomos realmente salvos. Mas se trairmos a justiça de Deus, apesar de termos recebido a remissão de pecados, seremos condenados por causa deles.
Por isso que o fundamento da nossa fé deve ser posto sobre o evangelho da água e do Espírito. Vamos ler os versículos 1 e 2 no texto bíblico deste capítulo: “Por isso, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, e da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno” (Hebreus 6:1-2). Esse texto não diz que nunca devemos falar sobre como fomos salvos dos nossos pecados, e sim que devemos lançar um firme fundamento da fé e viver por ela. Melhor dizendo, o autor da epístola aos Hebreus está nos exortando a lançar um perfeito fundamento da fé e com ousadia ir à presença de Deus com uma fé perfeita.
O que aconteceria se alguém fosse construir sua casa sobre uma fundação fraca e com falhas? A casa iria se inclinar para o lado e talvez até cair. Através do texto bíblico deste capítulo, o autor de Hebreus está falando aos crentes do evangelho da água e do Espírito, cujo fundamento da fé ainda é instável, dizendo a eles: “Quem é Jesus Cristo? Ele é nosso Deus, nosso Pastor e nosso Salvador que apagou todos os nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito. O Senhor é nosso Pastor. Ele é o Sumo Sacerdote do reino dos céus que nos salvou levando todos os nossos pecados sobre seu corpo através do seu batismo, morrendo na cruz por nós e ressuscitando dos mortos”.
O autor de Hebreus também está falando a mesma coisa aos cristãos de hoje: “Qual é a verdadeira salvação do pecado? Como podemos ser salvos de todos os nossos pecados? Nós fomos salvos de todos os nossos pecados crendo no evangelho da água e do Espírito. Então, o que é este evangelho da água e do Espírito? Este é o evangelho da salvação que proclama que o filho de Deus nos salvou vindo a essa terra, levou todos os nossos pecados de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista, morreu na cruz e ressuscitou dos mortos. Deste modo, o Senhor cumpriu a nossa salvação de uma forma perfeita. Portanto, devemos compreender esta verdade da salvação, crer nela e viver segundo nossa fé”.
Você não deve dizer que crê em Jesus como seu Salvador sem primeiro construir um perfeito fundamento para sua salvação. A partir do momento que passa a crer em Jesus, você deve crer que ele levou todos os seus pecados de uma vez por todas quando foi batizado por João Batista. Mas se, por outro lado, você crer em Jesus à sua maneira de pensar e sem ter esse entendimento, com o tempo você acabará traindo-o. Estes cujo fundamento da fé é falho se corromperão ao longo da estrada, pois não conhecem a justiça de Deus. Na verdade, eles acabarão se opondo à justiça de Jesus. Eles crucificam novamente o Filho de Deus e o expõe a vergonha, e no final serão queimados no fogo eterno. Este é o destino que os aguarda porque aquele que não constrói um perfeito fundamento da salvação está prestes a trair o Senhor.
Talvez alguns de vocês tenham visto o filme Os Dez Mandamentos, que é baseado parcialmente no relato de Moisés escrito em Êxodo. No começo do filme, faraó manda matar todos os filhos de sexo masculino dos hebreus. Esse decreto foi assinado porque faraó tinha medo que houvesse muitos hebreus e que eles se aliassem aos inimigos e atacassem o Egito de dentro para fora. Moisés nasceu em um tempo perigoso, mas para salvar sua vida, seus pais o colocaram em um cesto e o puseram no rio. Moisés então foi resgatado por uma das filhas de faraó, que o adotou como seu filho. Pela providência de Deus, Moisés cresceu no palácio egípcio, mas acabou descobrindo que era hebreu. E quando viu um de seus irmãos sendo açoitado por um egípcio, ele o matou para salvá-lo.
Faraó chamou Moisés e disse-lhe: “Não importa o que você fez, eu o perdoarei se você me prometer que nunca vai incitar os hebreus a atacar o Egito. Se me prometer isso, eu o perdoarei de tudo que você fez, não importa as acusações que se levantaram contra você. Somente me prometa que nunca incitará os escravos hebreus a atacar o Egito. Com isso, eu irei assinar o perdão total”.
Mas Moisés disse a faraó: “Eu irei libertar o meu povo desta escravidão”. Como Moisés era o neto adotado de faraó, você pode imaginar como o faraó deve ter se sentido traído quando ouviu isso. E na sua ira faraó, baniu Moisés e ordenou que seu nome fosse retirado de todos os registros do Egito.
Amados irmãos, se vocês não tiverem um claro entendimento do evangelho da água e do Espírito, mesmo dizendo que confiam na justiça de Deus e creem em seu Filho Jesus Cristo como seu Salvador, na verdade vocês estarão traindo-o. O conhecimento do evangelho da água e do Espírito é fundamental para que vocês tenham fé na justiça de Deus. Embora os princípios elementares não pareçam importantes, uma simples noção destes princípios não conseguirá sustentar sua vida de fé até o fim. Quando se trata de ter uma fé correta, o entendimento da justiça de Deus é de suma importância. Assim como é importantíssimo lançar um firme fundamento quando se constrói uma casa, é crucial você lançar um firme fundamento da fé.
Antes de tudo, devemos ter fé em Deus. Eu quero enfatizar como é importante dizermos: “Embora não consigamos ver Deus com nossos próprios olhos, ele está vivo e eu creio mesmo neste Deus. Embora existam muitos deuses e religiões neste mundo, e alguns dizerem que são seus próprios deuses, eu creio na verdade que diz que Deus criou os céus e a terra, o universo e tudo que nele há”.
 
 
Se Temos Fé em Deus, Então Devemos Honrar e Confiar na Sua Justiça
 
Ninguém pode fazer de si mesmo um deus. Não fomos nós que criamos Deus, mas ele que nos criou. Além disso, para nos salvar de todos os nossos pecados, da morte eterna e da destruição, o próprio Deus nasceu nessa terra em forma de homem com o nome de Jesus, aceitou todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista, morreu na cruz por nós enquanto levava todos estes pecados, ressuscitou dos mortos e assim nos salvou a todos. Esta é a verdade da salvação que todos nós devemos entender por completo e crer.
Está escrito no texto bíblico deste capítulo: “Da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno” (Hebreus 6:2). O que a palavra “batismos” significa? A palavra “batismo” significa “transferência de pecados” ou “purificação dos pecados”, mas também significa morte, como está escrito em Romanos 6:3-4: “Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida”. Portanto, batismo também significa morte. Jesus não somente aceitou e purificou todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista, mas também morreu na cruz. O Senhor levou todos os nossos pecados e morreu por nós. Por isso que o livro de Hebreus está falando de “batismos”.
Por causa da queda dos primeiros seres humanos, Adão e Eva, todos devem morrer uma só vez. Se você não morrer uma vez por seus pecados com Jesus Cristo e for trazido de volta à vida por este Senhor, você jamais poderá nascer de novo. Por isso que a Bíblia diz que devemos nascer duas vezes. Melhor dizendo, já que é de carne, você também deve nascer de novo espiritualmente. E para nascer de novo, você precisa saber e crer que todos os seus pecados passaram para Jesus, que ele morreu crucificado por você enquanto levava os seus pecados, que ele ressuscitou dos mortos e também lhe trouxe de volta à vida, e que assim purificou todos os seus pecados, lhe tornou justo e fez de você seu próprio filho. Por isso que o autor de Hebreus falou de “batismos”.
A palavra “batismo” significa “passar para” ou “transferir”, e esta palavra tem o mesmo significado da imposição de mãos através do qual os israelitas passavam seus pecados para o holocausto. É fundamental que você entenda bem isso, que assim como os animais sacrificiais do Antigo Testamento recebiam os pecados do povo de Israel pela imposição de mãos e morriam no lugar deles, assim o Senhor recebeu todos os seus pecados através do batismo e morreu na cruz em seu lugar.
Ao aceitar todos os seus e os meus pecados através do batismo e ao morrer na cruz em nosso lugar, Jesus levou todas as nossas maldições. Mas ainda falta a ressurreição dos mortos, ou seja, todos serão trazidos de volta à vida novamente. No entanto, quando todos forem ressuscitados, haverá aqueles que serão ressuscitados para ser condenados por seus pecados, enquanto outros serão ressuscitados para receber a vida eterna e desfrutar do esplendor e glória celestiais.
Alguns por ignorarem o evangelho da água e do Espírito o descrevem como reencarnação. Isso é o que os budistas dizem, alegando que os que levam uma vida virtuosa reencarnam como seres superiores, enquanto que os que praticam o mal reencarnam como seres miseráveis. Então, de certa forma, até os budistas sabem que todos de alguma maneira serão trazidos de volta à vida. O problema, contudo, é que eles se equivocam nisso porque sua compreensão é parcial e errada.
Mesmo os que não creem na justiça de Deus serão trazidos de volta à vida para ser sentenciados à morte eterna no dia do último julgamento. Deus ressuscitará todos eles, mas apenas para mandá-los para o fogo do inferno. Por outro lado, os que receberam a remissão de pecados serão trazidos de volta à vida para participar da boa ressurreição, ou seja, para receber a vida eterna. É muito importante compreender que, no que diz respeito à ressurreição, todos receberão a salvação ou a condenação eterna. Aqueles que pertencem a Deus receberão a salvação e a vida eterna, enquanto os demais enfrentarão a maldição e a condenação eternas.
Se o fundamento da sua fé em Jesus ainda é fraco, então você precisa estudar a Palavra de Deus novamente.
Você está levando uma vida de fé correta a fim de aperfeiçoá-la, construindo um fundamento firme da salvação, colocando toda a sua confiança em Deus, nos batismos, na imposição de mãos, na ressurreição dos mortos e no juízo eterno? Você crê na justiça de Deus e a fundação da sua fé está bem estruturada? Se você lançou uma perfeita fundação da fé e agora está levando uma vida de fé com a compreensão da justiça de Deus, então sua fé é digna de ser imitada.
É triste que ainda muitos cristãos não tenham alcançado esse estágio. Os cristãos de hoje também têm muito a aprender. Ainda há muito que eles precisam aprender sobre o evangelho da água e do Espírito de Deus em sua Palavra. A maioria dos pastores só ensina sua igreja a viver virtuosamente e fazer boas obras, mas não é isso que a Igreja de Deus deve ensinar. Esses ensinamentos éticos são ensinados por praticamente todas as religiões, desde o budismo ao confucionismo até as religiões animistas. As escolas seculares também ensinam os alunos a levar uma vida moralmente correta. Mas não é por isso que muitos vêm a Igreja de Deus. Elas vêm a Igreja de Deus para ser purificados de todos os seus pecados, receber a vida eterna crendo na justiça de Jesus, e se tornar filhos redimidos de Deus.
É muito importante saber realmente por que você vem à igreja de Deus. Você também precisa saber por que crê na justiça de Jesus e crer segundo esse propósito. É obvio que eu não estou dizendo aqui que a Igreja de Deus nunca ensina os irmãos a levar uma vida moralmente correta. Ela exorta a todos os irmãos a dar seu melhor para levar uma vida virtuosa, suportar uns aos outros com paciência, ser gentis uns para com os outros, e viver para o evangelho da água e do Espírito. Mas é claro que estas são apenas as regras básicas que todo irmão deve seguir. Além destes princípios básicos, todos nós que recebemos a remissão de pecados devemos continuar o processo de crescimento espiritual, e conforme estivermos neste processo, devemos chegar mais perto de Deus com o firme fundamento da salvação que já foi lançado pela fé, nos lembrando do que o autor de Hebreus nos adverte no texto bíblico deste capítulo: “Prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, e da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno” (Hebreus 6:1-2). Deus então nos dirá que o dia em que nosso corpo também será liberto está chegando. E é por isso que nós, os redimidos, estamos servindo ao evangelho da água e do Espírito com toda certeza.
O autor da epístola de Hebreus e Deus estão falando justamente de nós. É errado não aguardarmos pelo reino dos céus e a vida eterna dados por Deus em nossa vida. Ao invés de ficarmos cansados de tanto esperar, devemos ansiar ainda mais por estas bênçãos maravilhosas, vencer nossas lutas e tribulações nessa terra com paciência, e vivermos para pregar a salvação de Deus aos outros. Deus só falou desta vida conosco? Não, ele também falou sobre ela aos irmãos do passado, mencionados no relato de Abraão.
Está escrito em Hebreus 6:13-15: “Porque, quando Deus fez a promessa a Abraão, como não tinha outro maior por quem jurasse, jurou por si mesmo, dizendo: Certamente, abençoando te abençoarei, e multiplicando te multiplicarei. E assim, esperando com paciência, alcançou a promessa”. Quando chamou Abraão em Ur dos Caldeus e o mandou deixar seu país e ir para a terra de Canaã, Deus prometeu que o abençoaria abundantemente. Naquele tempo, Abraão tinha 75 anos e passou por muita luta quando deixou seu país. Mas Deus prometeu que lhe daria um filho. E também prometeu que lhe daria uma terra bem melhor. Por isso Abraão esperou com paciência e alcançou a promessa. Abraão foi chamado por Deus com 75 anos, e depois de alguns anos, ele prometeu que lhe daria um filho. Já que Abraão teve seu filho com 100 anos, isso significa que ele esperou cerca de 20 anos para a promessa de Deus se cumprir. Deus prometeu a Abraão: “Certamente, abençoando te abençoarei, e multiplicando te multiplicarei” (Hebreus 6:14), mas ele teve que esperar pacientemente por um longo tempo antes de seus descendentes se tornarem a nação de Israel. Isso requereu uma grande dose de paciência de Abraão até alcançar a promessa.
Além disso, pouco tempo depois de Deus ter dado um filho a Abraão, ele o mandou sacrificá-lo a ele como oferta queimada. Bem cedo na manhã seguinte, Abraão começou sua jornada com seu filho Isaque a fim de obedecer à ordem de Deus. Mas quando Abraão estava para sacrificá-lo como oferta queimada, Deus interveio e disse: “Não mate seu filho. Eu tenho visto sua obediência, e por isso prometo que certamente o abençoarei fazendo-o multiplicar e prosperar”.
A nação de Israel nasceu de um homem chamado Abraão. A promessa de Deus a Abraão foi totalmente cumprida. Os palestinos de hoje também são descendentes de Abraão, assim como o povo judeu. O nome Israel vem do nome de Jacó, como vemos na Bíblia. A palavra “Israel” significa “aquele que lutou com Deus e venceu”. Ele recebeu este nome porque lutou com um anjo (que na verdade era o próprio Deus) até o dia raiar, embora estivesse fraco. O anjo então disse a Jacó: “Deixe-me ir. Seu nome não será mais Jacó, mas Israel. Você lutou com Deus e prevaleceu. O que me resta é abençoá-lo e guardá-lo. De agora em diante, você não mais se chamará Jacó, mas Israel”. Por isso que quando falamos hoje do povo de Israel, na verdade estamos falando dos descendentes de Jacó. Os descendentes de Abraão vieram de uma linhagem especial diferente dos gentios. Assim somos nós, especiais também.
Está escrito em Hebreus 6:11-12: “Mas desejamos que cada um de vós mostre o mesmo cuidado até ao fim, para completa certeza da esperança; para que vos não façais negligentes, mas sejais imitadores dos que pela fé e paciência herdam as promessas”.
Deus nos chamou e nos salvou para que levássemos o mesmo tipo de vida descrito nesta passagem, e nos disse para esperar com paciência, pois sua vontade se cumprirá conforme nos foi prometido. Quando as pessoas fazem uma promessa, elas juram por algo maior que elas mesmas. Por outro lado, Deus jurou por seu próprio nome, porque não há ninguém maior que ele, e disse a Abraão: “Certamente, abençoando te abençoarei, e multiplicando te multiplicarei” (Hebreus 6:14), pois Deus não pode mentir e nem deixar de cumprir toda as suas promessas.
Mentir é algo que Deus não pode fazer, e outra coisa que ele não pode fazer é deixar de cumprir sua promessa. Estes dois princípios são verdades imutáveis. O que devemos evitar então para tomarmos posse do que ele nos prometeu? Devemos evitar o mundo. Nós não fugimos de nenhum desafio, mas fugimos do mundo porque não queremos seguir os ditames dele. Deus diz no texto bíblico deste capítulo que quer que fujamos do mundo para termos uma forte consolação.
A Bíblia também diz: “A qual temos como âncora da alma, segura e firme, e que penetra até ao interior do véu, onde Jesus, nosso precursor, entrou por nós, feito eternamente sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque” (Hebreus 6:19-20). Se suportarmos mais um pouco, iremos para o reino dos céus, desfrutaremos da vida eterna e receberemos glória e esplendor. Está escrito que temos uma âncora da alma, segura e firme, que nos faz entrar na presença de Deus atrás do véu.
Nosso Deus prometeu que se crermos no evangelho da água e do Espírito, ele nos dará a remissão de pecados, nos concederá o reino dos céus, nos fará seus filhos, nos dará a vida eterna e nos abençoará com a ressurreição eterna e a felicidade. Esta é uma verdade imutável, pois é a promessa que Deus fez a todos nós que cremos no evangelho da remissão de pecados. É por isso que dizemos que entraremos no reino de Deus graças ao nosso Senhor.
Hebreus 6:20 diz: “Onde Jesus, nosso precursor, entrou por nós, feito eternamente sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque”. Esse texto significa que porque o nosso Senhor veio a essa terra, levou todos os nossos pecados ao ser batizado, morreu na cruz, ressuscitou dos mortos e ascendeu ao reino de Deus, todos nós que cremos em Jesus Cristo também entraremos no seu reino, assim como ele entrou.
Esta é uma verdade imutável que durará para sempre. É um fato inegável. Porque cremos no evangelho da água e do Espírito, é impossível não entrarmos no reino dos céus, mesmo se não quisermos. Por outro lado, se não crermos neste evangelho verdadeiro, será impossível entrarmos no reino dos céus, não importa o quanto desejemos fazê-lo. Por isso é tão importante lançarmos um perfeito fundamento da salvação para entrarmos no céu. Jesus Cristo não apenas nos salvou de forma perfeita, mas também preparou tudo com perfeição para que todos pudéssemos entrar no reino dos céus. Foi através do evangelho da água e do Espírito que Deus nos salvou, e eu preciso dizer como é importante crermos de todo o coração neste evangelho perfeito, na perfeita salvação dada por Deus e na vida eterna, em suas bênçãos perfeitas, na perfeita ressurreição, e em como devemos esperar com paciência pela fé, com a certeza da esperança até o dia de entrarmos no reino do Senhor.
Mas só há uma coisa que devemos evitar enquanto vivermos nessa terra: o mundo. Se não fugirmos dele, acabaremos sendo tentados por ele; e se isso acontecer, estará tudo acabado para nós. Um exemplo claro disso é Ló, sobrinho de Abraão. Embora Ló tenha sido salvo, ele foi para o mundo e, por isso, sua fé acabou. Seus descendentes, os moabitas e os amonitas (Gênesis 19:30-38), se voltaram contra Deus. Por outro lado, o povo da fé como Abraão se afastou do mundo. Mas não fizeram isso porque eram covardes, e sim porque não queriam ser tentados pelo mundo.
Somos filhos de Deus. Cremos na justiça de Jesus Cristo. Alguns desistiram da fé na justiça do Senhor por varias razões, mas você também acha que a salvação que recebemos é algo tão inútil assim? É tão barata esta salvação que Deus nos trouxe através de sua própria justiça? Ela é tão sem sentido assim? Não, a salvação que o Senhor nos deu é tão preciosa que jamais podemos trocá-la por qualquer outra coisa neste mundo, mesmo que nos deem o próprio mundo em troca. É tão insignificante assim servir à justiça de Deus? Não, servir à justiça de Deus é tão valoroso quanto qualquer desafio humano que já foi feito em toda a história da humanidade, mais importante do que ir à lua. Embora esse ministério de servir a Deus pareça algo simples à primeira vista, ele é na verdade muito importante. Há alguém que leve uma vida mais importante do que aquele que serve aos outros? Não, não há uma vida mais valiosa que a nossa.
Nós estamos servindo ao evangelho da água e do Espírito de todo o coração, mas as pessoas não nos dão nenhum valor. Por outro lado, muitas delas não fazem nada além de desacreditar em nós que somos crentes no evangelho da água e do Espírito. Mas é tão inútil servirmos ao evangelho da água e do Espírito? Não, é claro que não! Eu não tenho nenhum respeito por aqueles que não reconhecem como é importante servir ao Senhor. Estas pessoas são tão tolas que algumas vezes desisti delas depois de exortá-las. Eu só não vou ficar desperdiçando meu tempo com elas.
Mas e você? O que você acha que vale a mais pena: servir a você mesmo ou ao evangelho da água e do Espírito? É claro que vale muito mais a pena servir a Deus, pois este evangelho e sua justiça são muito mais preciosos do que qualquer outra coisa. Apesar disso, havia no passado algumas pessoas em nossa igreja que desistiram de sua fé e foram para o mundo para viver apenas para si mesmos, dizendo que não eram tolas. E elas fizeram isso apesar de termos pregado o evangelho da água e do Espírito para elas, dando-lhes a oportunidade de servir este evangelho, e abrindo o caminho para elas levarem uma vida verdadeiramente digna. Infelizmente, estas pessoas acabaram cometendo o maior erro de sua vida.
Amados irmãos, nós agora estamos fazendo algo que é maior do que qualquer herói já fez. Estamos salvando as almas perdidas do mundo todo. Até o maior herói de todos os tempos não conseguiria realizar nada em termos humanos, já que estamos trabalhando para salvar as almas perdidas do mundo inteiro. E como sabemos que o que estamos fazendo é tão precioso, não podemos trocar nosso trabalho por nada no mundo. Eu tenho muito orgulho do nosso trabalho, e estou certo que vocês também se orgulham do que fazem. É óbvio que talvez existam algumas pessoas aqui que não têm orgulho algum do nosso trabalho, mas se soubessem como ele é importante, também se orgulhariam dele.
Se você gosta do mundo e quer deixar a igreja, eu não vou lhe impedir. Todo aquele que quiser ir para o mundo vai mesmo, não importa o que eu faça. Afinal de contas, você não deve ficar na igreja só porque eu peço para você ficar. Por outro lado, tentar impedi-lo de deixar a igreja só fará com que você queira ir para o mundo ainda mais. Alguns de vocês até pensam que poderão simplesmente voltar para a igreja quando as coisas não darem certo lá fora.
Mas aquele que deixou a igreja pode voltar tão facilmente? Depois que você sai da igreja, não é tão fácil assim voltar. Depois de levar uma vida justa, se seu coração se voltou para a maldade e para seu passado pecaminoso, você não pode simplesmente voltar. Você terá sorte se conseguir voltar no último minuto de vida e confessar em seu leito de morte: “O Senhor é o meu Deus, e eu creio neste Deus justo”, mas isso é quase impossível, pois depois que a maldade toma conta do seu coração, você fica inclinado a odiar quem está fazendo a justa obra de Deus. Você se tornará inimigo de Deus. Algo ruim surgirá em seu coração para fazer você odiar os irmãos sem motivo algum, ficar contra eles à toa e sem razão alguma considerá-los seus inimigos. E isso acontecerá porque você foi enganado pelo diabo e se tornará seu escravo.
Esses sentimentos malignos surgirão na mesma hora a não ser que você se una à igreja. Faz parte da sua natureza humana ser atribulado por esses pensamentos. Portanto, é de suma importância compreender e crer com ação de graças que Deus fez toda a obra da salvação com perfeição por nós, para que o condenado seja salvo e o miserável faça sua preciosa obra.
Mas se não deseja fazer a obra de Deus em sua igreja, então você deve partir. Você está infeliz na Igreja de Deus por algum motivo? Você acha insuportável lidar com os irmãos? Você não quer mais trabalhar na Igreja de Deus? Você quer ir para algum lugar e achar alguém para trabalhar com você? Se é isso o que você quer, então sinta-se livre para deixar a igreja e ir para onde quiser. Mas antes de tomar a decisão final, você deve pensar bem e perguntar a si mesmo: “Vai realmente me fazer bem deixar a Igreja de Deus?”
Ao invés de ficar tratando de assuntos banais, como quem é maior que o outro, devemos pensar na salvação que Deus nos deu, meditar na justiça de Jesus, lançar um perfeito fundamento da salvação pela fé e continuarmos nos aperfeiçoando. Embora nosso coração às vezes fique meio balançado, nossa vida deve estar firmada na Palavra de Deus; e por isso é importante confirmarmos mais uma vez nossa fé no evangelho da água e do Espírito, segurarmos na corda da salvação, acalmarmos nosso coração turbado, e olharmos somente para o Senhor. Ele então renovará nossas forças. Dia após dia nosso Senhor renovará nossas forças quando estivermos fracos; ele nos dará sabedoria quando precisarmos dela; nos dará poder quando estivermos sem nenhum, e nos abençoará quando faltar suas bênçãos em nossa vida. Nosso Senhor está nos guiando como nosso Pastor.
Eu sou grato a Deus. Aleluia!