The New Life Mission

Sermões

Assunto 23: A Epístola aos HEBREUS

[Capítulo 10-1] (Hebreus 10:1-18) Será que somos salvos crendo na justiça de Deus?

(Hebreus 10:1-18)
“Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam.Doutra maneira, teriam deixado de se oferecer, porque, purificados uma vez os ministrantes, nunca mais teriam consciência de pecado. Nesses sacrifícios, porém, cada ano se faz comemoração dos pecados, Porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados.
Por isso, entrando no mundo, diz:
‘Sacrifício e oferta não quiseste,
Mas corpo me preparaste;
Holocaustos e oblações pelo pecado não te agradaram.
Então disse: Eis aqui venho
(No princípio do livro está escrito de mim),
Para fazer, ó Deus,
A tua vontade.’’
Como acima diz: Sacrifício e oferta, e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem te agradaram (os quais se oferecem segundo a lei). Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro, para estabelecer o segundo. Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez. E assim todo o sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar os pecados; Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus, Daqui em diante esperando até que os seus inimigos sejam postos por escabelo de seus pés. Porque com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados. E também o Espírito Santo no-lo testifica, porque depois de haver dito: Esta é a aliança que farei com eles depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações, e as escreverei em seus entendimentos; acrescenta: E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniquidades. Ora, onde há remissão destes, não há mais oblação pelo pecado”.
 
 
O texto que acabamos de ler está em Hebreus 10.1-18. E todos nós temos que concordar que nem sempre entendemos tudo que está escrito na Palavra de Deus. E como o texto em questão é longo e complexo, não temos como entender a vontade de Deus se não a buscarmos através do evangelho da água e do Espírito. Como Hebreus 10 é um capítulo muito difícil de entender, eu estou certo que poucos compreendem a comparação que o texto faz com a justiça de Deus e a lei. E se estudássemos o texto em questão sem entendermos a justiça de Deus, seria mais difícil compreendê-lo então. E é até difícil para mim explicar a justiça de Deus para vocês em tão pouco tempo. Então, a primeira que vou explicar é por que o livro de Hebreus foi escrito, para depois então ensinar a vocês o que é a justiça de Deus.
 
 
A carta aos Hebreus foi escrita por um servo de Deus como alimento espiritual ao seu povo que havia sido espalhado por todo o mundo
 
Israel era uma colônia do Império Romano quando a epístola aos hebreus foi escrita. Acerca de 70 d.C., o imperador romano enviou o general Tito para sitiar Jerusalém e conquistá-la. Jerusalém era a capital de Israel naquela época, e seus muros tinham sido construídos com blocos enormes. Estes blocos eram tão grandes que alguns deles tinham 2 metros de altura e iam de 6 a 10 metros de comprimento.
No entanto, esses muros formidáveis não foram páreos para o general romano Tito, que atacou Israel com todas as suas forças para destruí-lo por completo. E com a queda de Israel, muitos dentre o povo foram vendidos para outras nações como escravos, enquanto outros fugiram para evitar a escravidão. Dentre eles haviam muitos cristãos que conheciam a justiça de Jesus e criam nela. Em outras palavras, havia muitos judeus convertidos na Igreja Primitiva que também foram espalhados por todo o mundo conhecido da época.
Com a destruição de Jerusalém, o povo de Israel perdeu sua nação e teve que morar em países estrangeiros. E como não podiam voltar para sua pátria, eles não tinham outra escolha senão viver em outras terras e ali manter sua vida de fé como estrangeiros. Era muito importante então que os servos de Deus encontrassem uma forma de pregar para os judeus que criam na justiça de Deus. Só que naquela época não era algo fácil para os justos encontrar servos de Deus. O sistema de transporte naqueles dias em nada se comparava com os de hoje, então os servos de Deus não tinham outra opção senão pregar para os santos enviando cartas para eles.
Os gentios chamavam os hebreus de povo de Israel no Antigo Testamento, porque os israelitas eram conhecidos como aqueles que haviam cruzado o rio. Nos dias da Igreja Primitiva, quase todos os cristãos judeus criam em Jesus Cristo mas não deixaram de adorar os anjos. Embora os anjos fossem meras criaturas de Deus, o povo de Israel ainda os adorava como se eles fossem divinos.
A adoração aos anjos era algo muito comum entre os judeus cristãos, o que era um grande problema para sua vida de fé. Por isso que o autor de Hebreus deixa bem claro no capítulo 1 como os israelitas estava errados por fazer isso. Hebreus 1.14 diz: “Não são porventura todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação?” Assim o escritor de Hebreus explica direitinho para os judeus convertidos espalhados pelo mundo que Jesus Cristo é muito mais glorioso do que os anjos. E no capítulo 10 ele explica a justiça de Jesus e a compara com a lei de Deus, a fim de que todos entendam que a justiça de Deusé a maior verdade da salvação.
Até hoje muitos cristãos erram ao pensar que a verdadeira vida de fé significa guardar a lei. E isso nos deixa muito tristes, pois estes cristãos estão enganados e não sabem para que serve a lei. Sabemos que os mandamentos de Deus são totalmente corretos, mas não foram dados para que os cumpríssemos. A lei, pelo contrário, tem uma função bem específica. É através da lei de Deus que conhecemos nossos pecados; e ao sabermos disso, buscamos a justiça do nosso Salvador Jesus Cristo pela fé. Todo pecador, em outras palavras, deve buscar a justiça de Deus.
Ao invés de tentar estabelecer sua própria justiça guardando a lei, todos nós temos que purificar nossos pecados crendo na justiça de Deus. Mas se não fizermos isso e tentarmos guardar a lei, seremos chamados de tolos por Deus. Até hoje há muitos entre os que confessam ser cristãos que guardam a lei de Deus e não entendem sua justiça. E o problema mais grave enfrentado pelo cristianismo nos dias atuais é que muitos dizem crer em Jesus apesar de não entenderem a justiça de Deus.
 
 
Hebreus 10.1 diz: “Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas”
 
O povo do Antigo Testamento tinha que oferecer sacrifícios no Tabernáculo segundo os estatutos de Deus para ser purificado dos seus pecados. Mais tarde, para apagar os pecados anuais do povo de Israel no Dia da Expiação, o sumo sacerdote impunha as mãos sobre a cabeça do holocausto, como Deus havia especificado, e assim passava os pecados dos israelitas para ele. O sistema sacrificial do Antigo Testamento, assim como todos os sacrifícios oferecidos pelos israelitas, apontavam para a vinda de Jesus Cristo e sua justiça. Este sistema sacrificial do Tabernáculo descrito no Antigo Testamento era totalmente indispensável para que o povo de Israel recebesse a purificação dos seus pecados toda vez que pecasse contra Deus.
Quando chegava o Dia da Expiação no Antigo Testamento, o sumo sacerdote passava os pecados do povo de Israel para a oferta de sacrifício especificada por Deus impondo as mãos sobre sua cabeça. E sempre que ele passava os pecados para a cabeça do holocausto, ele primeiro tinha que impor as mãos sobre sua cabeça. A função que o sumo sacerdote exercia no Tabernáculo era passar os pecados dos israelitas pela imposição de mãos. Os sacerdotes também tinham que oferecer sacrifícios pelo povo de Israel pondo o holocausto no altar de ofertas queimadas para que ele fosse consumido. Mas para que seus pecados fossem purificados, os sacerdotes também tinham que passar o sangue do sacrifício nas pontas do altar de ofertas queimadas e derramar o restante no chão. Era sua função sacerdotal fazer tudo isso para que os pecados do povo fossem purificados.
Sempre que os israelitas queriam receber a remissão de pecados, eles tinham que oferecer um sacrifício a Deus. Para isso, era necessário passar seus pecados para o holocausto pessoalmente impondo as mãos sobre sua cabeça e confessando-os ao mesmo tempo. Deus deu a lei e seus mandamentos no Antigo Testamento para que seu povo reconhecesse seus pecados. Através da lei, Deus disse ao povo de Israel o que eles podiam e não podiam fazer. Do mesmo modo, era através da lei que eles conheciam seus pecados. Só que hoje, ao invés de oferecermos um holocausto como faziam os israelitas, temos que crer no evangelho da água do Espírito, que é a justiça de Deus, para sermos purificados de todos os nossos pecados e recebermos a salvação.
 
 
Muitos cristãos atuais dizem que levam uma vida de fé, embora não conheçam a justiça de Deus contida no evangelho da água do Espírito
 
A remissão de pecados do homem se encontra na justiça de Deus, que foi cumprida pelo batismo que Jesus Cristo recebeu de João Batista e com seu sangue derramado na cruz. A verdade indispensável da salvação é que Jesus Cristo purificou todos os nossos pecados com o batismo que recebeu de João Batista e com seu sangue derramado na cruz. E a fé nesta verdade é o que nos salva. Mas infelizmente muitos não sabem que Jesus purificou todos os seus pecados ao ser batizado e derramando seu sangue na cruz. Até mesmo entre nós há muitos que, apesar de crer em Jesus como seu Salvador, tinham pecado no coração até que conheceram o evangelho da água do Espírito e creram nele. Deus se regozija ao usar como seus instrumentos os que creem neste evangelho.
Como Deus ama a todos os pecadores, ele criou uma forma de todos serem salvos dos seus pecados. E todo aquele que quiser pode oferecer o sacrifício da purificação de pecados através do evangelho da água do Espírito na Igreja de Deus. – Se quiser purificar os pecados das pessoas como sacerdote do reino dos céus, você precisa fazer com que elas passem todos eles para Jesus Cristo, que cumpriu a justiça de Deus, impondo as mãos sobre sua cabeça pela fé. Depois ensine-as a crer no seu sangue derramado na cruz e por que ele fez isso. Deus prometeu aos israelitas do Antigo Testamento que se eles oferecessem uma oferta de sacrifício segundo os seus requisitos, ele purificaria todos os seus pecados. E hoje podemos receber a remissão de pecados exatamente como ele prometeu.
Deus criou uma forma de entendermos, quando comparamos sua justiça com sua lei, que a justiça de Jesus Cristo é o cumprimento da lei. E podemos ver na Palavra de Deus que há uma grande diferença entre nossa fé na justiça de Jesus Cristo e a fé legalista, assim como qual é a fé que Deus aprova. Ao nos questionarmos sobre isso, vemos que Deus criou uma forma de entendermos bem que nossa fé no evangelho da água do Espírito é a fé correta e também muito superior a fé legalista. A justiça de Deus então é a verdade do evangelho da salvação pela qual Jesus Cristo apagou todos os nossos pecados com seu batismo e seu sangue. Hoje podemos ver que a lei de Deus não é mais uma sombra do evangelho da sua justiça. A lei de Deus, em outras palavras, é um aio que nos leva a Jesus Cristo.
O Senhor prometeu através do sistema sacrificial do Antigo Testamento que apagaria todos os nossos pecados de uma vez por todas com o evangelho da água e do Espírito. E a obra da salvação que o Senhor realizou cumpriu esta promessa. Se tivéssemos nascido nos dias do Antigo Testamento, com certeza pecaríamos contra Deus e nosso semelhante e também teríamos que passar nossos pecados para o holocausto que Deus preparou impondo as mãos sobre sua cabeça.
Deus preparou o Dia da Expiação para o povo de Israel, e quando o sumo sacerdote oferecia um sacrifício justo por eles, todos que criam nesta verdade recebiam a remissão de pecados. No Dia da Expiação o sumo sacerdote passava os pecados anuais do povo de Israel para o holocausto e depois colocava seu sangue sobre o altar de ofertas queimadas e o aspergia sobre o propiciatório. Os animais usados para o sacrifício no Antigo Testamento como ovelhas, bodes, bezerros e pombas eram figuras de Jesus Cristo no Novo Testamento. Deste modo, Deus prometeu no Antigo Testamento que Jesus Cristo viria a esta terra e salvaria o homem de todos os seus pecados de uma vez por todas com o evangelho da água do Espírito.
Deus nos deu a lei e seus mandamentos, mas como ele sabia que seríamos incapazes de guardá-los, ele preparou para nós a justiça de Jesus Cristo. Melhor dizendo, o Pai decidiu nos salvardos nossos pecados de uma vez por todas através da justiça de Jesus Cristo. Por isso que o Senhor criou o sistema sacrificial do Tabernáculo como uma figura do verdadeiro evangelho antes de nos dar o evangelho da água do Espírito. Enfim, com a lei de Deus o Senhor nos levou a entender nossos pecados e, ao mesmo tempo, nos deu o justo sistema sacrificial pelo qual eles poderiam ser purificados.
 
 
O Senhor deu a todos nós o evangelho da água do Espírito
 
Deus nos prometeu em sua Palavra que remiria todos os nossos pecados com o evangelho da água do Espírito. Todos nós recebemos a verdade da salvação através da Palavra profética de Deus. Todo cristão tem que aprender sobre a justiça de Deus então, conhecê-la bem e crer nela. Os sacerdotes tinham que oferecer sacrifício a Deus pelos pecadores todos os dias no período do Antigo Testamento. Hoje, nos dias do Novo Testamento, todos têm que receber a remissão de pecados crendo no evangelho da água do Espírito.
Atualmente, assim como no passado, todos precisam receber a remissão de pecados, pois somos cheios de falhas e ninguém consegue deixar de pecar. Assim como o povo de Israel vivia pecando contra Deus, também pecamos todos os dias, constantemente. Sempre que um israelita queria receber a remissão de pecados no Antigo Testamento, ele tinha que levar uma oferta de sacrifício ao Tabernáculo, impor as mãos sobre sua cabeça, derramar seu sangue, dá-lo ao sacerdote, e só depois disso voltar para casa. Os sacerdotes ofereciam então um sacrifício justo a Deus no lugar do pecador, fazendo com que assim ele recebesse a remissão de pecados.
No entanto, mesmo após receber a remissão de pecados ao ofertar sacrifício assim, os israelitas tinham que voltar sempre ao Tabernáculo e procurar novamente o sacerdote, pois não podiam evitar o pecado. Por esta razão, eles tinham que procurar os sacerdotes e sempre oferecer sacrifício para purificar seus pecados. E eles tinham que agir assim até mesmo após receber a remissão dos seus pecados anuais no Dia da Expiação. O povo do Antigo Testamento confiava no sistema sacrificial, embora soubesse que ele não podia resolver o problema dos seus pecados de uma vez por todas. Então, ano após ano o sumo sacerdote tinha que oferecer sacrifício por eles no Dia da Expiação, como Deus havia determinado.
Uma vez por ano, no décimo dia do sétimo mês, o sumo sacerdote entrava no Lugar Santíssimo e oferecia um sacrifício a Deus por todo o povo de Israel. Ele tinha que fazer isso uma vez por ano. Nos dias do Novo Testamento, entretanto, todo aquele que crê na justiça de Deus pode receber de uma vez por todas a eterna remissão de pecados, pois Jesus Cristo se tornou sua propiciação eterna ao ser batizado por João Batista, derramando seu sangue na cruz e ressuscitando dos mortos.
Amados irmãos, hoje muitos cristãos que afirmam crer em Jesus como seu Salvador ainda não foram libertos dos seus pecados, pois ainda levam uma vida religiosa segundo bem entendem por não conhecer o evangelho da água e do Espírito dado por Deus. Estes cristãos desviados não somente levam uma vida de fé sem ter conhecimento da justiça de Deus, mas também não desejam conhecê-la. Ao invés de confiar na justiça de Deus, eles procuram guardar a lei do seu jeito. Devido a isto, não é de se surpreender que eles continuem sendo pecadores por não crer na justiça de Deus.
 
 
Muitos cristãos estão tentando purificar seu coração obedecendo à lei de Deus
 
Infelizmente, sua fé está errada. Quem dentre nós pode guardar toda a lei e a Palavra de Deus? Ninguém consegue obedecer à risca à Palavra de Deus. Assim como o povo de Israel era incapaz de guardar toda a lei de Deus, nós que vivemos hoje, nos dias do Novo Testamento, também não conseguimos fazer isso. É por esta razão que a Bíblia diz que não há uma só pessoa, ninguém mesmo, que consegue evitar o pecado. Talvez seja por isso que alguns de vocês ainda acham que fazer orações de arrependimento é algo indispensável para a fé. Você está redondamente enganado se acha que seus pecados vão desaparecer se você fizer orações de arrependimento. Estas orações não passam de um engano criado por mentes deturpadas. Mas eu tenho certeza no fundo do meu coração que você sabe muito bem que não pode purificar seus pecados fazendo essas estúpidas orações de arrependimento.
Quem lhe ensinou a purificar seus pecados fazendo orações de arrependimento? Seja quem for, esta pessoa lhe ensinou algo muito errado. Por mais que você faça muitas orações de arrependimento, seus pecados não podem ser purificados assim. Ao contrário, eles só podem ser purificados se você compreender a justiça de Deus e crer nela. Sua crença religiosa jamais poderá purificar seus pecados. Seu coração só poderá ser purificado se você crer que o Senhor recebeu todos os pecados do homem em seu corpo de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista e foi condenado por todos eles ao morrer crucificado.
Isso quer dizer que o Deus que criou o homem conhece suas fraquezas. E foi tendo conhecimento disso que ele cumpriu o evangelho da água do Espírito e ofereceu a remissão de pecados a todos que creem neste evangelho. Deus fez uma promessa bem clara no Antigo Testamento que apagaria todos os nossos pecados. Mas onde encontramos esta promessa? Em Jeremias 31.31-34: “Eis que dias vêm, diz o Senhor, em que farei uma aliança nova com a casa de Israel e com a casa de Judá. Não conforme a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito; porque eles invalidaram a minha aliança apesar de eu os haver desposado, diz o Senhor. Mas esta é a aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. E não ensinará mais cada um a seu próximo, nem cada um a seu irmão, dizendo: Conhecei ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor até ao maior deles, diz o Senhor; porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais me lembrarei dos seus pecados”.
 
 
A Palavra abençoada da nova aliança que Deus nos deu no Antigo Testamento
 
O que o Senhor diz em Jeremias 31.31? “Farei uma aliança nova com a casa de Israel e com a casa de Judá”. Mas que aliança é esta que o Senhor fez com o povo de Israel e conosco? Esta nova aliança é a Palavra do evangelho da água e do Espírito que o Senhor cumpriu nos dias do Novo Testamento. E como Jesus levou todos os pecados do homem de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista e derramou seu sangue na cruz, ele não se lembra mais dos pecados daqueles que creem na justiça de Deus.
Não há ninguém que deixe de pecar perante Deus. Mas apesar disso, muitos cristãos procuram ser salvos dos seus pecados guardando sua lei. Como isso entristece o coração de Deus! Esses cristãos desviados estão levando apenas uma vida legalista e religiosa, e não uma verdadeira vida de fé. E quanto mais o tempo passa, mais eles têm consciência disso, pois em sua natureza são incapazes de guardar a lei de Deus. E embora afirmem crer na sua lei, eles na verdade só cumprem os rituais que há nela. Mas em seu coração eles sabem que não podem guardar a Palavra de Deus. Nós também já levamos uma vida religiosa antes de crer na justiça de Deus. Assim como o povo de Israel e muitos cristãos hoje em dia, nós também colocamos a lei num altar e a adorávamos no lugar de Deus.
Ninguém consegue guardar toda a lei. Mas Deus nos fez uma promessa: – Eu purificarei seus pecados de uma vez por todas e farei de vocês meu povo. Apesar dos seus erros e falhas, eu remirei todos os seus pecados e serei seu Deus. Eu lhes salvarei de todos os seus pecados, e também farei que vocês tenham certeza tanto em sua mente como em seu coração que eu sou seu Deus. E ele cumpriu fielmente esta promessa com sua justiça.
 
 
Com o que Deus cumpriu sua abençoada Palavra profética então?
 
Toda bênção que Deus nos concede vem do evangelho da água e do Espírito, que é a justiça do Senhor. E ele planejou a boa obra da salvação para apagar todos os pecados do seu povo. Este plano consistia em enviar seu Filho a esta terra num corpo carnal, fazê-lo levar sobre si todos os pecados do homem,entregar seu corpo como sacrifício ao ser batizado por João Batista, condená-lo na cruz por todos estes pecados, e assim salvar toda a humanidade deles.
Em outras palavras, o próprio Deus realizou a salvação com perfeição, fazendo com que Jesus fosse batizado por João Batista, derramasse seu sangue na cruz e ressuscitasse dos mortos para salvar os pecadores de todos os seus pecados. Por isso que o Senhor nos diz: – Eu salvei todos vocês dos pecados do mundo de uma vez por todas com o evangelho da água e do Espírito. Por isso que os crentes do evangelho da água e do Espírito são chamados de justos, pois receberam a remissão de pecados crendo na justiça de Deus; e esta foi cumprida por seu Filho ao ser batizado e derramar seu sangue na cruz, não guardando a lei.
E agora que o Senhor cumpriu sua justiça por completo nesta terra ao ser batizado por João Batista e derramando seu sangue na cruz, ele faz com que todos que creem na justiça de Deus se tornem seus filhos. É através da lei que reconhecemos nossos pecados, e crendo no evangelho da água e do Espírito que entendemos a justiça de Deus e recebemos a remissão de pecados pela fé. Nosso Senhor nos amou através do evangelho da água e do Espírito e nos abençoou, porém só nos salva de todos os nossos pecados se crermos mesmo na justiça de Deus.
O Senhor nos diz: – Eu apaguei todos os seus pecados de uma vez por todas com o evangelho da água e do Espírito. Esta é a justiça de Deus que eu cumpri, e você só precisa crer nela para fazer parte do povo de Deus. O plano do Senhor era tornar eternamente justos os crentes no evangelho da água e do Espírito. Por isso que ele prometeu no Antigo Testamento que nos levaria a reconhecê-lo como nosso Deus. E assim como o Senhor prometeu nos abençoar para que alcançássemos a salvação em nossa mente e coração, ele nos livrou mesmo de todos os nossos pecados.
E foi para dar mais ênfase a isso que o escritor da carta aos Hebreus escreveu aos cristãos espalhados no mundo inteiro. E o que o servo de Deus diz aqui é que as bênçãos dele são para aqueles que conhecem a sua justiça e creem nela, não para aqueles que se esforçam para guardar a lei. Jesus tomou sobre si todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista, foi condenado por eles, ressuscitou dos mortos, e assim salvou a todos que creem na justiça de Deus. Isso significa então que a fé dos que creem nela é muito superior à fé de qualquer legalista.
É impossível guardarmos toda a lei de Deus. E a verdade é que somente crendo no evangelho da água e do Espírito é que podemos ser libertos de todos os nossos pecados. É isso o que a Bíblia nos ensina aqui. Ninguém pode ser liberto dos seus pecados tentando cumprir a lei de Deus, pois ninguém consegue guardá-la por completo. A justiça de Jesus Cristo, por sua vez, livrou a todos nós que cremos nela de uma só vez de todos os nossos pecados.
A lei de Deus afirma que o salário do pecado é a morte. Então, todo pecador precisa reconhecer que será condenado por seus pecados e buscar a presença de Deus confiando na sua justiça. Por isso que Jesus cumpriu a justiça de Deus ao ser batizado por João Batista e derramou seu sangue na cruz, para dar a verdadeira salvação a todos os pecadores. É por esta razão também que a justiça de Jesus Cristo são as boas novas que trazem a verdadeira salvação a todos que creem na justiça de Deus.
 
 
O que é o verdadeiro evangelho da água e do Espírito que encontramos na Bíblia?
 
O evangelho da água e do Espírito declara que Deus nos salvou enviando Jesus Cristo, seu Filho unigênito, a esta terra, fazendo com que ele oferecesse seu corpo como sacrifício e sobre ele levasse todos os nossos pecados de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista, e também derramasse seu sangue na cruz. Assim o Filho de Deus levou sobre si todos os nossos pecados de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista, foi condenado por todos os nossos pecados, crucificado em nosso lugar, e venceu a morte ressuscitando dos mortos. Jesus Cristo hoje está assentado à destra do trono do Pai e voltará para julgar o mundo. Mas graças a obra da salvação, todo aquele que crê no evangelho da água e do Espírito foi salvo por Deus de uma vez por todas.
O Senhor nos salvou mesmo com o evangelho da água e do Espírito e agora é o nosso Protetor. E seu desejo é que reconheçamos que este evangelho é a derradeira verdade da salvação. Portanto, temos que entender esta verdade como é desejo do Senhor.
Por isso que o servo de Deus, que escreveu a epístola aos Hebreus, nos explicou o que é a justiça de Jesus Cristo, comparando-a com a lei de Deus, e por que ele deseja que creiamos nela e demos toda a glória a Deus. O Novo Testamento testifica a soberania da justiça de Jesus Cristo, como está escrito em Hebreus 10.5: “Por isso, entrando no mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste, mas corpo me preparaste”. Isso quer dizer que Jesus Cristo, o Filho de Deus, preparou sua justiça para nossa salvação.
 
 
A justiça de Jesus Cristo é a grande verdade da salvação para todos os pecadores
 
O nome de Jesus Cristo expressa suas funções. O nome Jesus significa o “Salvador”, e a palavra Cristo, “Ungido”. Isso quer dizer que Jesus Cristo veio a esta terra para cumprir as funções de Rei, Sumo Sacerdote e Profeta, pois era preciso ser ungido para exercer todas as três no Antigo Testamento. Para cumprir estas funções, Cristo teve que vir a esta terra num corpo carnal e realizar a obra da salvação como Sumo Sacerdote celestial, Juiz e Profeta. Jesus Cristo é Criador de todo o universo, o Rei dos reis, e o Rei da justiça que julga toda a iniquidade.
Também como Sumo Sacerdote do reino dos céus, Jesus Cristo é o Salvador de todos os pecadores. Mas para nos salvar de todos os nossos pecados e nos levar para o reino de Deus, ele veio a esta terra encarnado como um homem, levou sobre seu corpo todos os pecados do homem ao ser batizado por João Batista, morreu crucificado por nós e ressuscitou dos mortos. Ao oferecer seu próprio corpo a Deus como propiciação por todos os pecadores, o Senhor fez um só sacrifício para remir nossos pecados. E com este sacrifício, ele salvou a todos nós que cremos nesta verdade. Ele completou toda a obra da salvação para que, a partir de agora, todo aquele que crê na sua justiça seja salvo de todos os seus pecados. Foi assim que o Senhor tirou os pecados de todos que creem no evangelho da água e do Espírito e os abençoou para que eles entrem no reino dos céus.
Foi assim que Jesus Cristo cumpriu sua função como o verdadeiro Profeta de todos que creem no evangelho da água e do Espírito. Ele nos ensinou de onde viemos, para onde vamos, com que propósito Deus nos criou, e no que devemos crer para vivermos segundo a sua vontade – ou seja, no evangelho da água e do Espírito. Foi o próprio Senhor Jesus que nos ensinou tudo isso. Ele veio a esta terra como o Salvador de todos os pecadores.
Nós sempre exaltamos a justiça de Jesus Cristo no Natal e cantamos: “Alegre-se o mundo, o Senhor chegou! Todos neste mundo comemoram o Natal no dia 25 de dezembro. E todos os cristãos são gratos ao Deus da salvação por ter vindo a esta terra. Assim como havia prometido, Jesus Cristo veio a esta terra como um homem através do corpo da virgem Maria. Por isso que cantamos quando adoramos a Deus no Natal: Alegre-se o mundo, o Senhor chegou! Que a terra receba seu Rei!” Nós louvamos a Deus assim por ele ter nos dado sua justiça. No dia em que Jesus nasceu nesta terra, os anjos celestiais cantaram: “Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens!” (Lucas 2.14).
Os anjos celestiais cantaram assim porque o Filho de Deus veio a esta terra para livrar o homem de todos os pecados do mundo, a fim de que Deus os tornasse um povo justo. Quem crê no evangelho da água e do Espírito tem a justiça do Senhor. E ele fez com que todos que creem nela sejam salvos de todos os seus pecados. O próprio Senhor nos livrou de todos os nossos pecados ao vir a este mundo. Deus disse que não quer nenhum sacrifício ou oferta de nós porque ele nos deu a justiça de Jesus. Por isso que as Escrituras dizem que Deus preparou um corpo para nós.
Todos nós temos que entender muito bem em nossa mente a justiça do Senhor e crer nela de coração. Deus não quer que ofereçamos sacrifício a ele para recebermos a remissão de pecados, como era feito no Antigo Testamento. Ao contrário, preparou para nós a justiça de Jesus Cristo, e eis o que a Bíblia diz a respeito: “Por isso, entrando no mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste, mas corpo me preparaste’” (Hebreus 10.5). Este é o cumprimento da promessa que Deus fez através do profeta Isaías 700 anos antes da vinda de Jesus a esta terra: “Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel” (Isaías 7.14).
Deus fez com que seu Filho Jesus tirasse os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista. E ao permitir que o corpo do Senhor fosse crucificado, ele remiu todos eles e nos tornou completamente justos. Foi assim que Deus tornou possível estarmos com ele para sempre. Tudo isso foi planejado pelo Pai, o Filho e o Espírito Santo. Foi Jesus Cristo que nos levou a entender que podíamos ser salvos de todos os pecados do mundo através da justiça de Deus. Então, como Deus já fez tudo para nos libertar, podemos ser salvos de todos os nossos pecados crendo de coração na obra da justiça que Jesus realizou para nos tornar justos – ou seja, no seu batismo e no seu sangue. Por isso que agora podemos participar da boa obra de pregar o evangelho da água e do Espírito.
A partir de agora, cabe a mim e a você anunciar a justiça de Deus, pois nós que cremos no evangelho da água e do Espírito recebemos a remissão de pecados pela fé. Ao ser batizado por João Batista, o representante da humanidade, e ao ressuscitar dos mortos, o Filho de Deus salvou de todos os seus pecados aqueles que creem no evangelho da água e do Espírito. A obra da salvação foi realizada totalmente por Deus. Por isso que ele preparou um corpo para trazer salvação ao homem.
Jesus Cristo é o holocausto preparado por Deus para realizar a libertação do homem. E foi para cumprir esta obra da justiça de Deus que ele foi batizado por João Batista e morreu crucificado nesta terra. Por esta razão que Deus disse a respeito do seu Filho: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mateus 3.17).
O Senhor livrou de todos os seus pecados aqueles que creem no evangelho da água e do Espírito. Por isso que ele disse que preparou um corpo sacrificial para a nossa salvação. E o próprio corpo de Jesus Cristo foi o holocausto preparado por Deus para apagar nossos pecados, como está escrito: “Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro, para estabelecer o segundo.
Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez” (Hebreus 10.9-10).
Nos dias do Antigo Testamento, sempre que pecava, o povo de Israel tinha que receber a remissão de pecados levando um animal para ser sacrificado no Tabernáculo, conforme Deus havia determinado. Eles tinham que passar seus pecados para o animal impondo as mãos sobre sua cabeça e oferecê-lo a Deus como oferta queimada. Mas esta remissão de pecados era apenas temporária, pois eles tinham que oferecer outro sacrifício sempre que pecavam novamente. Pela lei, ninguém podia receber a total e eterna remissão de pecados, como está escrito no texto bíblico deste capítulo: “Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam” (Hebreus 10.1).
Pela lei de Deus, era impossível se tornar completamente sem pecado. Por isso que ele removeu o primeiro para estabelecer o segundo. E foi por isso também que Jesus Cristo veio a esta terra, como ele mesmo disse: “Eis aqui venho (no princípio do livro está escrito de mim), para fazer, ó Deus, a tua vontade” (Hebreus 10.7). Como está escrito aqui, Jesus veio a este mundo para fazer a vontade do Pai. Mas que vontade era essa? Salvar o homem de todos os seus pecados através da sua justiça, como diz João 3.16:“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. Foi assim que Deus amou a todos neste mundo. Seja quem for, seja ele alto, baixo, rico ou pobre, jovem ou adulto. Deus ama tanto o homem que tirou todos os seus pecados ao ser batizado e apagou todos eles.
 
 
Deus diz em Gênesis 1.26: “Façamos o homem à nossa imagem”
 
Este versículo mostra claramente que Deus não criou o homem à toa, pois tinha um propósito específico em mente. Embora soubesse que o homem em sua fraqueza iria cair em pecado, ele estava decidido a salvá-lo de todos os seus pecados e torná-lo seu filho. Este era o propósito principal de Deus. Ele criou o homem por amor, faz dele seu filho, o leva para o seu reino e vive com ele para sempre. Este foi o objetivo de Deus ao criar o homem. E foi por esta razão que ele enviou Jesus Cristo a esta terra para ser batizado por João Batista. Por isso que ele disse: “Façamos o homem à nossa imagem”. É importante prestarmos bastante atenção aqui que o verbo ‘façamos’ e o pronome ‘nossa’ estão no plural. Estas palavras nos mostram que o homem foi criado por obra do Deus trino.
O Deus trino para nós é o Pai, o Filho e o Espírito Santo. E ele já tinha planejado nossa salvação quando disse: “Façamos o homem à nossa imagem”. O Pai enviou seu Filho a esta terra como o Salvador do homem conforme sua vontade e seu plano. E ao fazer isso, ele disse ao seu Filho para cumprir as três funções do Cristo. Em primeiro lugar, como Rei dos reis, Cristo tinha que salvar as pessoas dos pecados do mundo. Em segundo lugar, ele tinha que ministrar como Sumo Sacerdote celestial. Para isso, Deus fez com que Jesus recebesse todos os pecados do mundo sobre seu corpo sacrificial e morresse crucificado. Por isso que o Filho de Deus foi batizado e derramou seu sangue na cruz. E então, como pagou o salário por todos os pecados do mundo de uma maneira justa, Jesus ofereceu a Deus um sacrifício eterno por nós e salvou a todos que nele creem.
Em terceiro lugar, Cristo cumpriu a função de Profeta para nos ensinar que toda a obra da salvação foi feita por Deus, assim como os profetas do Antigo Testamento ensinaram a verdade aos israelitas. São estes os três ofícios de Cristo: Rei dos reis, Sumo Sacerdote e Profeta, que Deus mandou seu Filho para cumprir nesta terra antes de voltar para o céu.
 
 
“Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro, para estabelecer o segundo” (Hebreus 10.9)
 
Isso significa que o objetivo da lei era apontar nossos pecados, embora não pudesse remi-los por completo. E o salário do pecado tinha que ser pago como determina a lei. Mas Jesus Cristo pagou este salário ao ser batizado por João Batista e derramou seu sangue na cruz. Foi assim que ele nos deu a remissão de pecados. E esta é a justa salvação de Deus cumprida através da verdade do evangelho da água e do Espírito. Na verdade, não há falha na lei de Deus. Muito pelo contrário, ela nos aponta nossos pecados para que os reconheçamos.
A lei nos dá uma série de mandamentos que devemos cumprir, tais como não matarás, não adulterarás, não furtarás, etc. Há algo errado nestes estatutos de Deus? Claro que não! Todas as coisas que a lei nos manda fazer são boas, e não ruins. A lei de Deus é algo que o homem não consegue cumprir totalmente, mas Jesus cumpriu tudo que ela exigia, pois é o próprio Deus. E como ela exigia que o salário do pecado fosse pago, Cristo levou todos os nossos pecados sobre seu corpo ao ser batizado e morreu na cruz, cumprindo assim o que a lei requeria.
Então, quando a Bíblia diz aqui que tirou o primeiro (a lei), isso não significa que ele a anulou. Significa, ao contrário, que o justo juízo do pecado exigido pela lei foi cumprido. Melhor dizendo, o Senhor cumpriu todas as exigências da lei ao remir todos os nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito. Por isso, não seremos mais condenados pelo pecado. Foi assim que Deus realizou de uma forma perfeita a obra da justiça que nos salvou de todos os nossos pecados, como está escrito em Hebreus 10.10-14: “Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez. E assim todo o sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar os pecados; Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus, daqui em diante esperando até que os seus inimigos sejam postos por escabelo de seus pés. Porque com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados”.
Amados irmãos, quem criou o universo? O Pai, o Filho e o Espírito Santo. Jesus Cristo ofereceu um sacrifício eterno com seu corpo ao ser batizado e derramou seu sangue na cruz para remir todos os pecados do homem.
 
 
Deus disse que a fé daqueles que querem receber a remissão de pecados guardando a lei é muito diferente da fé dos que creem no evangelho da água e do Espírito
 
Todos os nossos pecados foram purificados e agora somos filhos de Deus por crermos de todo o coração que Jesus veio a esta terra através do corpo da virgem Maria, recebeu sobre si todos os nossos pecados, foi batizado por João Batista, morreu na cruz, ressuscitou dos mortos e assim nos salvou. E nossa fé, como crentes salvos no evangelho da água e do Espírito, é muito diferente da fé dos que procuram purificar seus pecados todos os dias com orações de arrependimento, apesar de professar que creem em Jesus. A diferença entre a fé dos cristãos legalistas e dos crentes no evangelho da água e do Espírito é enorme.
Mas que fé é aprovada por Deus então? A fé dos crentes no evangelho da água e do Espírito. E como isso é verdade, cremos que somos salvou através da justiça de Jesus que vem deste evangelho. Só que muitos cristãos hoje em dia, por outro lado, creem que suas obras são confirmadas pela lei. Embora muitos hoje professem crer em Jesus, a maioria deles não conhece sua justiça e não crê nela. E o que é pior, eles querem que seus pecados sejam purificados, mas rejeitam a justiça de Deus. É um grande erro querer ser purificado dos seus pecados guardando a lei de Deus. E muitos buscam isso fazendo orações de arrependimento todos os dias. Essas pessoas precisam entender o quanto antes que, por mais que tentem, não conseguirão guardar a lei.
Apesar de todo o seu esforço, elas acabarão descobrindo que são fracas demais para guardar toda a lei de Deus. E por mais que consigam fazer isso por algum tempo, cedo ou tarde verão que é impossível guardar a lei sempre. Estas pessoas precisam crer na justiça de Deus e entender que ninguém consegue guardar toda a lei. Elas precisam entender que a lei de Deus é para que reconheçamos nossos pecados. Mas apesar disso, muitos cristãos ainda buscam desesperadamente guardar a lei, pois acham que têm que fazer isso ao pé da letra. Por isso que muitos deles não conhecem a justiça de Deus. Procurar obedecer à lei em si não é uma coisa ruim; na verdade, é algo até elogiável. Mas se confiarmos apenas em palavras, nossa fé não será aprovada por Deus.
Alguns cristãos ignorantes dizem a Deus: – Senhor, eu não tenho procurado tanto levar uma vida de retidão? Leve em conta então pelo menos minha boa ação. Essas pessoas, amados irmãos, estão levando uma vida de fé legalista. Por isso que sua fé está totalmente errada.
 
 
Que fé Deus quer que tenhamos?
 
A fé que Deus quer de nós é a fé no evangelho da água e do Espírito, que é a justiça de Deus. A fé que o Pai quer que tenhamos é aquela que nos leva a crer que ele enviou seu Filho a este mundo para apagar todos os nossos pecados. O que ele deseja é que creiamos que ele fez com que Jesus fosse batizado para tirar todos os nossos pecados. Também deseja que creiamos que, ao ser batizado por João Batista, seu Filho recebeu todos os nossos pecados de uma vez por todas, e agora nos diz: – Meu Filho aceitou todos os pecados do homem ao ser batizado e morreu em seu lugar para pagar o salário do pecado. E ao ressuscitar dos mortos, ele se tornou o seu Salvador. Ao ser batizado por João Batista e morrer na cruz, meu Filho ofereceu um sacrifício eterno por vocês. E em sua vida nesta terra, ele apagou todos os seus pecados de uma vez por todas e tornou seus filhos todos que creem. Ele lhes concedeu a graça da salvação através do evangelho da água e do Espírito. E o que eu quero é que vocês entendam isso e creiam nisso. Esta é a fé, amados irmãos, que o Senhor quer de nós.
O que Deus está dizendo é que devemos crer no evangelho da água e do Espírito de coração, receber a remissão de pecados e voltar para ele. Ele nos diz: – Eu quero que vocês sejam salvos somente pela fé. Deus quer que creiamos no evangelho da água e do Espírito para não termos mais pecado, e que sejamos gratos a ele por sermos fracos demais para guardar toda a lei. O Senhor mesmo apagou todos os nossos pecados com sua justiça. A Bíblia diz que Deus tirou a lei porque sabia que não conseguiríamos guardá-la. Assim sendo, o homem não pode alcançar a salvação simplesmente confiando na lei. Foi por isso que o próprio Deus nos salvou dos nossos pecados através da sua justiça confirmando o ministério do seu Filho.