The New Life Mission

Sermões

Assunto 23: A Epístola aos HEBREUS

[Capítulo 10-3] (Hebreus 10.26-36) Nossa vida de fé é resultado da perseverança

(Hebreus 10.26-36)
“Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, mas uma certa expectação horrível de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários. Quebrantando alguém a lei de Moisés, morre sem misericórdia, só pela palavra de duas ou três testemunhas. De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da graça? Porque bem conhecemos aquele que disse: Minha é a vingança, eu darei a recompensa, diz o Senhor. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo. Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo. Lembrai-vos, porém, dos dias passados, em que, depois de serdes iluminados, suportastes grande combate de aflições. Em parte fostes feitos espetáculo com vitupérios e tribulações, e em parte fostes participantes com os que assim foram tratados. Porque também vos compadecestes das minhas prisões, e com alegria permitistes o roubo dos vossos bens, sabendo que em vós mesmos tendes nos céus uma possessão melhor e permanente. Não rejeiteis, pois, a vossa confiança, que tem grande e avultado galardão. Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa”.
 
 
Amanhã começará nosso encontro de avivamento, e eu peço a vocês que orem por isso. Este arranjo de flores que vocês colocaram aqui no púlpito é simplesmente maravilhoso. Ainda há muito que precisamos fazer na obra de Deus, todos os dias, dia e noite.
O texto bíblico que acabamos de ler está em Hebreus 10.26-36. E agora eu quero explicar para vocês o que a Bíblia quer nos ensinar nesta passagem. O versículo 27 diz assim: “Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, mas uma certa expectação horrível de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários”. Este texto nos ensina que certamente seremos julgados por Deus se trairmos sua justiça após termos recebido o conhecimento da verdade do evangelho da água e do Espírito. Aí então vem a questão: por que o servo de Deus que escreveu a epístola aos Hebreus nos dá esta advertência? Para responder esta pergunta corretamente, primeiro temos que entender como estava a situação de Israel naquela época. Quando o autor de Hebreus enviou sua carta ao conselho espiritual do povo de Israel, o povo está sofrendo muito. Israel era uma colônia do Império Romano naqueles dias, e os judeus estavam sendo punidos por Roma devido às frequentes rebeliões. Roma adotou uma política de conquista e escravidão, e enviou o general Tito para invadir e conquistar a terra de Israel.
 
 
Tendo conhecimento disso tudo, o autor de Hebreus escreveu sua epístola como alimento espiritual para o povo de Deus
 
No texto bíblico deste capítulo, o autor de Hebreus diz ao povo de Deus para não trair Jesus e a verdade da sua justiça, por mais que sua situação seja difícil. É isso o que ele está dizendo: – Vocês chegaram até aqui, foram salvos crendo na justiça de Jesus, durante este processo perderam muitos bens materiais, até seus irmãos, para defender sua valiosa fé. E depois de tantos anos e muitos sacrifícios, vocês agora vão trair a justiça de Jesus Cristo? Vocês querem abrir mão de todo sacrifício que fizeram e no fim enfrentar o juízo de Deus?
Quando lemos Hebreus 10.30,31, vemos que o autor da epístola nos faz uma advertência: “Porque bem conhecemos aquele que disse: Minha é a vingança, eu darei a recompensa, diz o Senhor. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo. Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo”. O que Deus está dizendo aqui é que ele julgará seu povo primeiro quando chegar o dia do último juízo. Jamais devemos esquecer como o Senhor salvou todos nós que cremos na justiça de Deus – vindo a esta terra encarnado como um homem, sendo batizado por João Batista para tirar todos os nossos pecados, morrendo na cruz levando todos os pecados do mundo, e ressuscitando dos mortos.
Já que todos nós recebemos a remissão de pecados porque compreendemos a justiça de Deus e nela cremos, devemos desistir da nossa fé só porque estamos passando por lutas? Devemos condenar nosso futuro assim? Em outras palavras, se traímos a Deus e negarmos nossa fé para crermos em qualquer outra coisa, receberemos um horrível juízo de Deus. Devemos temer isso muito mais do que as lutas que estamos enfrentando. Afinal de contas, já que enfrentar o juízo de Deus é algo muito mais terrível do que nossos problemas momentâneos, como alguém pode não temer as consequências da apostasia?
Por isso que Deus nos adverte a não desistirmos da nossa fé, dizendo: – Seu sofrimento atual logo vai acabar. Você vai me negar por não ser paciente e no fim enfrentar meu juízo? O que mais de pior pode acontecer com você agora? Você acha que é a morte física, que é apenas temporária? Você vai perecer se me trair. Então pense na glória que lhe aguarda e suporte toda a luta que você está passando com perseverança.
A Bíblia nos diz: “Lembrai-vos, porém, dos dias passados, em que, depois de serdes iluminados, suportastes grande combate de aflições. Em parte fostes feitos espetáculo com vitupérios e tribulações, e em parte fostes participantes com os que assim foram tratados. Porque também vos compadecestes das minhas prisões, e com alegria permitistes o roubo dos vossos bens, sabendo que em vós mesmos tendes nos céus uma possessão melhor e permanente.” (Hebreus 10.32-34). Melhor dizendo, o que a Palavra está nos perguntando é isso: – Você não suportou tudo isso até agora por saber que Deus lhe dará seu reino? E a Bíblia continua dizendo: “Não rejeiteis, pois, a vossa confiança, que tem grande e avultado galardão. Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa” (Hebreus 10.35-36).
A Palavra de Deus que lemos há pouco foi escrita há cerca de 1900 anos. Deus disse aos cristãos daquela época que perseverassem em Jesus. E hoje no meu sermão quero exortar vocês a perseverar também em meio às lutas e provações que têm passado, como fizeram nossos pais na fé. Ter uma fé constante é algo indispensável a todos nós que cremos no evangelho da água e do Espírito. Paciência também é algo tão importante quanto tolerância e persistência em meio às lutas. A dor momentânea que sentimos requer que tenhamos paciência por algum tempo, porém viver pela fé até a volta de Jesus Cristo requer muita perseverança.
 
 
Todos lutam para suportar o sofrimento
 
Não é difícil aguentar uma dor passageira, mas é uma luta suportar um sofrimento contínuo. Mas é isso que precisamos para viver pela fé até a volta do Senhor. As maiores lutas que enfrentamos em nossa vida acontecem quando as promessas do Senhor demoram a acontecer. Em outras palavras, temos que nos esforçar muito para esperar com paciência o dia da volta do Senhor. Foi justamente por isso que Deus disse: “Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa” (Hebreus 10.36).
Como Deus diz aqui, vivemos pela fé e confiamos no evangelho da água e do Espírito para que possamos ver a promessa da volta do Senhor se cumprindo algum dia. Em muitas ocasiões temos que suportar a dor em prol da obra do Senhor. Mas temos que fazer isso para pregar o evangelho da água e do Espírito e servir a ele. Se vivermos pela fé e pregarmos este evangelho, entenderemos que nossa vida de fé é resultado da perseverança. E temos mesmo que suportar a dor e o sofrimento de agora para recebermos as bênçãos que Deus nos prometeu. Todos nós temos que completar a corrida da fé até entrarmos no reino do Senhor.
É muito melhor nos cansarmos fazendo muito a obra de Deus do que ter pouco a fazer para ele. Vocês não concordam? E melhor ainda é estar ocupado com a obra do Senhor. Eu mesmo acho muito proveitoso fazer a obra de Deus com vocês, e tenho certeza que vocês acham isso também. Eu não preciso ver o trabalho de vocês para saber o que há em seu coração. Eu sei que todos vocês estão ocupados na obra de Deus, mas vocês sentem a mesma alegria que eu ao fazer isso.
Se alegrar na obra de Deus também significa viver pela fé. E vocês podem ver o quanto ainda nos resta a fazer. É tanto trabalho que isso nos consome, mas ao mesmo tempo nos sentimos alegre ao fazer esta obra. Hoje de manhã eu vi a pequena Hagyung chorando na porta da igreja por alguma razão. Eu não tinha a menor ideia por que ela estava chorando, mas disse a ela de coração: – Hagyung, você tem que ser forte. Quando crescer, você vai ter que suportar muitas coisas e perseverar. É assim deve ser com vocês e os obreiros de Deus, pois todos nós temos que suportar as lutas e provações que o Senhor permite que tenhamos para nos preparar.
Ninguém consegue viver pela fé se não tiver paciência. Todos nós temos que suportar as dificuldades que surgem enquanto pregamos a justiça de Deus, pois não temos outra escolha. Só assim sua justiça será cumprida. A boa obra de Deus requer que perseveremos até que o Senhor finalmente a cumpre e nos recompense.
Já que cremos no evangelho da água e do Espírito, estamos nos esforçando para pregar a justiça de Deus. Mas se não superarmos as dificuldades confiando na fé que temos na justiça do Senhor, não podemos ser vitoriosos. Temos que perseverar pela fé que possuímos na justiça de Deus e começar a dar frutos para sermos vitoriosos em nossa vida de fé. Isso é tão óbvio que não há por que enfatizar mais a importância de defendermos nossa fé no evangelho da água e do Espírito e na justiça de Deus. Eu tenho certeza que a maioria de vocês sabe o que eu estou falando, já que toquei muito neste assunto antes.
Infelizmente muitos em nossa igreja acabaram abrindo mão da sua vida de fé; e eu não preciso nem dizer que isso está totalmente errado. E isso pode até acontecer conosco se não perseverarmos diante das lutas e tribulações pelo bem da justiça do Senhor. Sempre que passarmos por dificuldades, temos que pedir ajuda ao Senhor em oração e fazer sua vontade, crendo nele e na sua Palavra. Assim veremos que todos os nossos problemas serão resolvidos graças à justiça do Senhor. No entanto, se não suportarmos as provações pela fé, acabaremos traindo sua justiça.
Temos que suportar tudo e perseverar confiando na justiça de Deus. Não importa as dificuldades que passemos, temos que lidar com elas crendo na sua justiça. Se suportarmos com paciência todas as lutas que travarmos em prol da pregação da justiça de Deus, no fim nossa obra árdua será recompensada com o fruto da justiça. E este fruto da justiça é o dom que ele tem para nós que cremos no evangelho da água e do Espírito. É algo incrível e maravilhoso.
Ora, não temos ouvido testemunhos fabulosos de pessoas do mundo inteiro que foram salvas dos seus pecados crendo no evangelho da água e do Espírito que estamos pregando? Hoje de manhã, enquanto ouvia o relatório das nossas atividades missionárias, alguém me falou de um irmão no Quênia que leu nossos livros evangelísticos. Ao que parece, ele leu dois dos nossos livros, o primeiro livro de sermões que publicamos e o segundo sobre Gênesis. E embora ele tivesse acabado de conhecer o evangelho da água e do Espírito, seu testemunho de fé era algo maravilhoso.
Não há como expressar como somos edificados quando ouvimos ou lemos o testemunho de fé de alguém que recebeu a remissão de pecados. E eu tenho plena convicção que fomos nós que produzimos estes frutos da justiça por vivermos pela fé e pregarmos a justiça de Deus. Temos visto os frutos da justiça brotando em todo o mundo porque temos trabalho duro na obra de Deus suportando tudo com paciência. Em outras palavras, estamos produzindo estes frutos da justiça porque estamos trabalhando duro para pregar o evangelho e apoiar este ministério. No início eram apenas poucos frutos, mas agora temos ouvido de novos frutos que estão sendo produzidos no mundo inteiro.
Tudo isso tem acontecido porque temos suportado as provações e perseverado, vivido pela fé em prol da justiça de Deus. O Senhor apagou todos os pecados do homem de uma vez por todas com o evangelho da água e do Espírito. Fomos salvos de todos os nossos pecados crendo neste evangelho. E como temos conservado nossa fé na justiça do Senhor, continuamos seguindo por causa desta fé. Portanto, todos nós temos que continuar fazendo a obra de Deus todos os dias pela fé, vivendo por ela até que a vontade do Senhor se cumpra neste mundo. Não importa se vamos contribuir muito ou pouco; o que mais importa, ou o que todos nós temos que entender, é que o pouco que fazemos na obra de Deus no fim produzirá frutos maravilhosos.
Eu tive que perseverar muito para levá-los à justiça de Deus. Sei que tenho que prepará-los com paciência para que vocês se tornem valiosos obreiros de Deus. Eu sou paciente ao fazer isso porque amo vocês de coração. Agora posso ver como vocês têm se tornado os vasos que Deus deseja e procuro ser paciente comigo mesmo também.
Hoje é Dia dos Pais na Coreia, e para marcar a ocasião, as crianças pregaram um broche na lapela de seus pais como símbolo do seu amor e respeito. Hoje de manhã eu também ganhei um cravo e outros presentes das crianças da igreja, embora não tenha feito nada para elas que merecesse isso. De certo modo parece algo injusto para as crianças, pois elas têm que me respeitar como adulto, apesar de eu não ter feito nada demais para elas. Por isso que eu fiquei um pouco sem jeito com os presentes que recebi hoje, apesar de ser muito grato às crianças da igreja.
É certo que os jovens respeitem os idosos com um coração sincero. E isso deveria ser algo notório em todos eles. Afinal de contas, os filhos nunca entenderão o tamanho do amor de seus pais por eles. Só quando ficam adultos e têm filhos é que começam a entender o grande amor que seus pais têm por eles. Mas geralmente quando isso acontece, seus pais não estão mais com eles. Já que os pais vivem em média de 70 a 80 anos, eles já faleceram quando entendemos seu amor. Tem certas coisas na vida que não voltam atrás, e uma delas é que quando os pais morrem, não podemos mais amá-los como gostaríamos.
Eu sou muito grato ao Senhor por ter vindo a esta terra encarnado como homem, ter sido batizado por João Batista, levado todos os pecados do mundo, se sacrificado na cruz por nós e nos salvado de todos os pecados do mundo. Hoje entendemos plenamente como o Senhor salvou de todos os seus pecados os que creem na justiça de Deus ao ser batizado e suportando tamanho sofrimento por nós. Ao louvarmos a Deus pela sua justiça, fazemos isso por ele ter sido batizado por João Batista, passado por todo aquele sofrimento na cruz, salvando assim todos nós que cremos na justiça de Deus.
Imagine como seria doloroso se tivéssemos que passar por todo aquele sofrimento. Imagine ser crucificado. Imagine se fôssemos crucificados, rasgassem nossas roupas, nos açoitassem e ofendessem de todas as formas. Se estivéssemos numa situação como esta, sofrendo tanto assim, talvez entenderíamos a dimensão do sofrimento que o Senhor passou por nós. A verdade é que só entenderemos, por mais que seja muito pouco, o quanto Jesus sofreu por nós se nos colocarmos no seu lugar.
Só podemos entender os outros se nos colocarmos no seu lugar. Há um ditado que diz que por mais que alguém esteja sentindo dores de morte, o máximo que conseguiremos sentir por ele é a dor de um frio congelante. Em outras palavras, a menor dor que sentirmos sempre vai ser muito maior do que qualquer sofrimento que os outros tenham. Só quando nos colocamos no lugar de alguém é que sabemos o que ele está passando. Só quando fazemos isso é que entendemos sua dor e nos sensibilizamos com ele. Mas se, por outro lado, acharmos que não temos nada a ver com isso, não entenderemos o que ele está passando. De certo modo, se não construirmos um relacionamento com Jesus, não entenderemos o que ele fez por nós.
O Senhor levou todos os nossos pecados quando veio a esta terra e foi batizado por João Batista. E para nos salvar de todos estes pecados, ele foi condenado e suportou todo o sofrimento da crucificação. Mas só poderemos entender a paixão de Cristo e crer nele e considerarmos com sinceridade como teria sido se tivéssemos passado por tal sofrimento. Só assim podemos entender o grande sacrifício que o Senhor fez por nós para nos salvar de todos os nossos pecados. Deve ser algo prazeroso para nós seguir sempre a justiça do Senhor. Por isso que eu procuro dar o meu melhor para que vocês façam a obra do Senhor com o mínimo de problemas possível.
Eu estou sempre pensando no que posso fazer para ajudar vocês. E estou dizendo isso para que vocês conheçam o desejo do meu coração. Eu sei como é difícil para vocês servir à justiça de Deus todos os dias sem descansar. O verão está chegando rápido este ano, e meu coração dói sempre quando penso que vocês irão fazer a obra sob o sol escaldante. Eu não posso ajudar vocês em tudo, mas saibam que o desejo do meu coração é fazer isso no que eu puder. Eu sei o quanto vocês têm se esforçado para fazer a obra de Deus. Mas vocês devem fazer isso pela fé. Temos que perseverar em prol da justiça de Deus. Só assim inúmeras almas serão salvas dos seus pecados em todo o mundo e receberão a vida eterna.
Eu não quero aproveitar este tempo para pregar um sermão que logo vocês esquecerão. Eu não quero que ele entre por um ouvido e saia pelo outro, de modo algum. Mas tenho plena convicção que a Palavra de Deus que estou pregando para vocês agora é a verdade. Por isso que meus sermões são gravados e transcritos, para que sejam publicados e alcancem muitos neste mundo. E como o que estou pregando aqui é a Palavra de Deus, eu quero que ela tenha um impacto poderoso na vida de todos que a lerem e ouvirem.
Se o que estou pregando não é verdade, não havia razão alguma então para vocês ouvirem; muito menos gravar e transcrever. Mas se é a verdade, então precisa ser gravada e preservada para que todos neste mundo e para as gerações futuras. Por isso que tenho plena convicção da obra que estou fazendo com vocês. Toda manhã eu recebo o relatório do Rev. Shin sobre a situação da nossa Missão. E eu pedi a ele para gravar isso também; ou seja, para gravar e transcrever seus relatórios missionários.
Eu não tenho certeza se ele fez o que pedi, pois até agora ele não me passou nenhuma transcrição dos seus relatórios. Talvez ele os tenha gravado mas não teve tempo de transcrevê-los ainda. Ele também pode ter esquecido, já que não toquei mais no assunto. Seja como for, eu tenho certeza que quando os irmãos ouvirem ou lerem o relatório de missões, isso será muito edificante.
Apesar de travarmos muitas lutas em nossa vida de fé, todos nós temos que suportar isso pela fé. Jamais devemos ser impacientes e trair a justiça de Deus. Eu exorto vocês para que nunca deixem que isso aconteça. A Bíblia diz: “O Senhor julgará o seu povo” (Hebreus 10.30). Ao longo de todas as epístolas de 1 e 2 Coríntios, a Palavra nos diz que Deus julgará seu povo primeiro, e só depois julgará os ímpios. E na verdade há muitos pecadores entre os que professam crer na justiça de Deus, e estes serão julgados primeiro. Portanto, todos nós temos que viver pela fé para não sermos condenados por Deus.
Se vocês se levantarem contra Deus e a sua igreja, com toda certeza serão condenados por eles. Eu não estou ameaçando vocês, mas apenas enfatizando o que diz a Palavra de Deus. Afinal de contas, como um homem frágil como eu poderia ameaçá-los? Pensem nisso. Nunca foi minha intenção enfrentar vocês. Eu jamais em minha vida agredi alguém, nem mesmo quando era criança. Sempre me acertavam quando eu jogava futebol, mas eu nunca revidei. Sempre que alguém me agredia eu me afastava e tentava dialogar com ele. Eu odeio violência e tenho medo dela. Por isso eu sou a última pessoa no mundo que ameaçaria vocês. Não fui eu, mas o próprio Deus que disse que julgará todos que traírem sua justiça. E como foi o próprio Deus que disse isso, ele julgará mesmo estas pessoas.
Devemos nos lembrar dos nossos pais na fé, que viveram antes de nós e encontraram o Senhor face a face porque suportaram todas as lutas e provações com paciência e venceram através do sofrimento. E é isso o que o Senhor quer de nós hoje também. Agora que tivemos um encontro com ele, temos que perseverar e ser pacientes. Estaremos diante do Senhor e o veremos face a face em seu reino quando ele voltar a esta terra. Por isso que é tão importante termos paciência agora. Temos que perseverar e meio às lutas que travamos.
Como diz Provérbios, a paciência é amarga, mas seu fruto é doce. Quem espera sempre alcança, diz o ditado. Então temos que perseverar em meio às lutas pelo Senhor. E se pedirmos ajuda a Deus e nós mesmos ajudarmos uns aos outros na Igreja de Deus, poderemos superar assim todas as adversidades. Sabemos que doce é o fruto que nos aguarda após vencermos nossas lutas. E também sabemos que abundantes bênçãos aguardam por nós. Deus abençoará sua igreja e todos nós em tudo se pregarmos seu evangelho. Aleluia!