The New Life Mission

Sermões

Assunto 21: O Evangelho segundo MARCOS

[Capítulo 8-3] (Marcos 8:27-38) A Vida do Cristão Tem a Ver com Autossacrifício

(Marcos 8:27-38)
“Jesus e seus discípulos partiram para as aldeias de Cesaréia de Filipe. No caminho perguntou-lhes: ‘Quem dizem os homens que eu sou?’ Responderam eles: ‘João Batista; outros: Elias; e ainda outros: Um dos profetas.’ Então lhes perguntou: ‘Mas vós quem dizeis que eu sou?’ Respondendo Pedro, lhe disse: ‘Tu és o Cristo.’ Advertiu-os Jesus de que a ninguém dissessem tal coisa a respeito dele. Então começou a ensinar-lhes que importava que o Filho do homem sofresse muitas coisas, fosse rejeitado pelos anciãos, pelos principais sacerdotes e pelos escribas, fosse morto e que depois de três dias ressurgisse. Ele dizia abertamente estas palavras. E Pedro, chamando-o à parte, começou a repreendê-lo. Jesus, porém, voltou-se e, olhando para os discípulos, repreendeu a Pedro, e disse: ‘Para trás de mim, Satanás! Não pensas nas coisas de Deus, mas, sim, nas dos homens.’ Então, chamando a si a multidão e juntamente os seus discípulos, lhes disse: ‘Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas quem perder a sua vida por causa de mim e do evangelho, esse a salvará. Que aproveitaria ao homem ganhar o mundo todo, e perder a sua alma? Ou que daria o homem em troca da sua alma? Qualquer que, nesta geração adúltera e pecadora, se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos.’”
 
 
Enquanto Jesus estava nesta terra, parecia que Ele sabia o que as pessoas pensavam sobre Ele. Talvez por esse motivo, enquanto viajava para várias cidades para pregar Ele perguntou aos Seus discípulos: “Quem dizem os homens que eu sou?” Então os discípulos responderam: “João Batista; outros: Elias; e ainda outros: Um dos profetas.” Jesus então perguntou-lhes novamente: “Mas vós quem dizeis que eu sou?” Pedro então respondeu dizendo: “Tu és o Cristo.” A palavra Cristo aqui significa que Jesus é o Rei dos reis, nosso Salvador e nosso Deus, mas ao mesmo tempo, Ele também é o Filho do Deus Todo-Poderoso.
Depois de ouvir Pedro confessando sua fé diante dos outros discípulos, Jesus disse-lhes abertamente que em breve Ele seria rejeitado pelos anciãos, sacerdotes e escribas, e que seria morto, mas ressuscitaria em três dias. Ele lhes disse: “Logo Eu serei rejeitado pelos anciãos, escribas e sacerdotes. Mas Eu ressuscitarei após a Minha morte”. Pedro, sendo um homem impaciente e de temperamento forte, protestou quando ouviu isso e disse a Jesus: “Senhor, tem compaixão de ti; de modo nenhum te acontecerá isso” (Mateus 16:22).
Nosso Senhor disse aos discípulos o que Ele faria, e que sacrifícios Ele faria por amor de cada alma no mundo. Ele disse-lhes que sacrificaria a Si mesmo a fim de salvar toda a raça humana, suportando o sofrimento e dando Seu próprio corpo na cruz. Embora Pedro amasse muito a Jesus, seu amor ainda era algo carnal, por isso ele tentou dissuadir Jesus sem pensar no motivo pelo qual Ele veio a esta terra, dizendo-Lhe: “Mestre, Você não deve morrer e nem sofrer. Por que Você tem que fazer isso? Isso não acontecerá a Você!” Pedro não conseguia entender porque seu amado Jesus teria que ser rejeitado pelo povo e crucificado até a morte. Isso porque Pedro não tinha o completo entendimento do motivo exato do porquê Jesus teve que vir a esta terra. E embora Jesus tenha prometido que Ele não só morreria, mas que certamente ressuscitaria dos mortos também, Pedro não conseguiu acreditar nisso e ficou angustiado pelo fato de Jesus ter que morrer. É claro que o Senhor o repreendeu por isso.
 
 
Nosso Senhor Veio a Esta Terra Para Cumprir Sua Obra
 
A obra do Senhor foi para oferecer Seu próprio corpo a Deus Pai como propiciação para expiar os pecados do homem, como uma oferta de sacrifício por todos. E foi para apagar todos os pecados do homem que Ele teve que vir a esta terra. Essa foi a Sua obra. Nosso Deus tinha que vir em forma humana a fim de fazer a Sua obra. Essa obra foi sacrificar a Si mesmo, apagar o pecado de todos neste mundo e fazer com que recebessem uma nova vida.
Para fazer essa obra, nosso Senhor veio a esta terra em forma humana, e aqui Ele completou essa obra com perfeição. Ao ser batizado no rio Jordão Ele apagou os pecados de todos neste mundo, ao entregar Seu corpo na cruz, ele pagou todo o salário do pecado, aceitando-os sobre Si; e ao sacrificar a Si mesmo dessa forma, Ele completou Sua obra da salvação para dar a vida eterna a todos. Foi sacrificando a Si mesmo dessa forma que Jesus salvou a você e a mim.
É natural que ninguém queira que seus entes queridos morram. Por que Jesus repreendeu Pedro? A resposta está no que Jesus disse a Pedro: “Não pensas nas coisas de Deus, mas, sim, nas dos homens” (Marcos 8:33). Pedro estava pensando na obra humana e não na obra de Deus.
O que é a obra humana? Ela cuida de evitar o sofrimento, de não perder seus entes queridos e nem fazer nenhum sacrifício. Simplesmente ficar com os vizinhos, desfrutar da prosperidade terrena e viver confortavelmente—é com isso que todos estão preocupados. Ao invés de pensar no motivo real de Jesus ter vindo a esta terra, Pedro provavelmente queria que Ele simplesmente ficasse com os discípulos, fazendo milagres e curando os enfermos. Da mesma forma os discípulos só queriam que Jesus ficasse com eles por um longo tempo, ao invés de pensarem na salvação da humanidade.
Contudo, a obra de Deus era diferente da obra humana. A obra de Deus era para Jesus aceitar os pecados do mundo através do batismo de João Batista e nos salvar ao sacrificar a Si mesmo até a morte na cruz. Aqueles que nasceram de novo pelo evangelho da água e do Espírito também fazem a obra de Deus. Isso não significa que os nascidos de novo devem morrer na cruz por outra pessoa, mas sim que eles devem trabalhar duro para servir ao evangelho da água e do Espírito que salvou todo ser humano, e que também devem pregá-lo até o fim deste mundo. O desafio, contudo, é que lutamos constantemente entre a obra de Deus e a obra humana.
Entre buscar o conforto e sacrificar a si mesmo, o primeiro caminho é muito mais fácil de tomar. Isso porque ninguém quer sacrificar a si mesmo. Na verdade, mesmo aqueles que receberam a remissão de pecados não gostam de sacrificar a si mesmos. Afinal de contas, até alguém que é pouco inteligente não quer fazer nada que seja contra seus próprios interesses. Todavia, a obra de Deus trata de fazermos sacrifícios. Isso também é o que Deus quer de nós.
Então como sacrificamos a nós mesmos? Fazemos isso ao darmos o máximo para trazer vida a outros e ajudá-los a obterem-na, mesmo que isso requeira sofrimento e dificuldade para nós. É assim que os justos que receberam a remissão de pecados devem levar suas vidas. Assim como nosso Senhor veio a esta terra para fazer Sua obra, assim nós que recebemos a remissão de pecados, devemos em primeiro lugar fazer a obra do Senhor. A obra de Deus que todos nós devemos fazer não é outra senão sacrificarmos a nós mesmos para pregar o evangelho da água e do Espírito para outros e ajudá-los a receber a remissão dos pecados.
Aqueles que verdadeiramente nasceram de novo por crerem no evangelho da água e do Espírito não são de fato contrários ao autosacrifício. A bíblia diz: “O ímpio toma emprestado, e não paga; mas o justo se compadece e dá” (Salmos 37:21). Porque o Senhor habita no justo que nasceu de novo através do evangelho da água e do Espírito, é normal para ele doar-se sem medida. Por isso que o Senhor que habita neles deseja que eles se doem. Por outro lado, o Senhor não habita nos maus, por isso eles preferem tomar emprestado do que dar, e ainda não pagam de volta. Mais a frente, no mesmo Salmo 37 lido acima, nós lemos no versículo 26: “Compadece-se sempre, e empresta, e a sua semente é abençoada”. Isso significa que embora o justo continue a dar, eles são abençoados e de nada têm falta. Essas são as bênçãos recebidas por fazer sacrifícios pela obra do Senhor.
Nosso Senhor, que está e habita em nós, veio a esta terra para fazer Sua obra e deu o Espírito Santo para os que nasceram de novo através do evangelho da água e do Espírito. O Espírito Santo veio ao nosso coração para habitar nele, e nosso Senhor continua trabalhando para dar vida a todos até o dia da Sua volta. E Ele faz essa obra através de vocês e de mim, que recebemos a remissão de pecados pelo evangelho da água e do Espírito. Por isso nosso sacrifício é necessário para a pregação do evangelho.
O sacrifício que Jesus fez nesta terra para cumprir a nossa salvação e para apagar todos os nossos pecados foi o primeiro sacrifício real feito nesta terra. Todos os personagens bíblicos anteriores a Jesus que foram martirizados pela justiça, na verdade foram figuras de Jesus Cristo. Deus mostrou através deles que Jesus Cristo viria a esta terra, faria Sua justa obra por amor ao homem e suportaria o sofrimento para nos dar a remissão dos pecados, uma nova vida e os Céus. Ou seja, os sacrifícios feitos pelos justos no Antigo Testamento eram modelos da obra de Deus que foram realizadas por Jesus.
Assim como muitos profetas sacrificaram a si mesmos, e já que Jesus foi um exemplo vivo para nós, da mesma forma aqueles de nós que receberam a remissão de pecados no evangelho da água e do Espírito também devem fazer sacrifícios. Devemos nos doar. Assim como Jesus trabalhou duro por toda a raça humana, cada verdadeiro cristão deve trabalhar duro pelos outros. Todos nós somos capazes de fazer isso. Já que o autosacrifício é algo normal para todos em cujo coração habita o Espírito Santo, e já que é isso que o Senhor que habita em nós deseja, não podemos evitar de sacrificar a nós mesmos.
Hoje, fizemos muitos sacrifícios em nossa vida para seguir o Senhor. Contudo, quem recebeu a remissão de pecados no evangelho da água e do Espírito deve sacrificar seu tudo. Em outras palavras, não é que você possa sacrificar algumas coisas e deixar o restante para si mesmo. Depois de nos encontrarmos com nosso Senhor, às vezes pensamos: “Agora que eu recebi a Jesus, vou prosperar mais ou terei que fazer mais sacrifícios? O que acontecerá comigo?” Essas perguntas surgem em nossa mente porque embora vivêssemos apenas para nós mesmos antes de o Senhor vir até nós, agora que O encontramos, temos primeiro que fazer a Sua obra ao invés da nossa própria obra.
Isso é verdade tanto para vocês quanto para mim. Agora que recebemos a remissão dos nossos pecados, não estamos mais fazendo a nossa própria obra, mas sim a obra de Deus. Nada é feito para nós mesmos, assim como diz a bíblia: “Porque nenhum de nós vive para si, e nenhum morre para si. Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor” (Romanos 14:7-8). Tudo é feito para o Senhor. Para aqueles que verdadeiramente nasceram de novo da água e do Espírito e foram remidos de todos os seus pecados, tudo aquilo que é feito só para si mesmos deixa seu coração extremamente desconfortável, porque isso os tornaria novamente servos do diabo. Por isso é impossível os cristãos nascidos de novo viverem apenas para si mesmos. Isso se aplica a você também? Eu espero que sim.
 
 
Para Quem Você Está Trabalhando?
 
Quando você trabalha pra si mesmo, isso pode agradar sua carne por algum tempo, mas seu coração não sente que há algo errado, algo vazio? Estou certo que todos vocês passaram por isso uma ou duas vezes. Por outro lado, quando você se sacrifica e segue o Senhor, trabalhando por Ele, você sente que há muito a se ganhar. Isso acontece porque o ponto principal da vida de um cristão é o sacrifício. Não há nenhuma outra característica que define a vida do cristão do que o autosacrifício.
Em Êxodo 29:18 está escrito: “Assim queimarás todo o carneiro sobre o altar; é um holocausto para o SENHOR, cheiro suave; uma oferta queimada ao SENHOR”. Quando o dia da expiação chegava, o altar de oferta queimada no Tabernáculo exalava o aroma de carne queimada durante todo o dia, de manhã até a noite, e Deus aceitava isso como um aroma suave. É disso que trata a vida de um cristão. Quando Jesus Cristo veio a esta terra, Ele pôs Seu corpo no altar de oferta queimada para se tornar a nossa própria oferta de sacrifício. Ao aceitar Sua morte, Deus Pai apagou todos os nossos pecados. A vida dos nascidos de novo também deve ser sacrificada para ser um aroma suave para o Senhor. Essa é a vida de todo cristão.
Os que verdadeiramente nasceram de novo pelo evangelho da água e do Espírito e encontraram o Senhor não têm vida própria. Eles levam uma vida inteiramente por Cristo e não para si mesmos. Se você pensar nisso de uma forma carnal, essa vida parecerá estúpida e idiota. Você pode até se ofender com isso, pensando: “Por que eu devo viver assim?” Porém, se você se sacrificar para pregar o evangelho, ele será pregado a todos neste mundo. Portanto, devemos sacrificar a nós mesmos.
Ao vir fazer Sua obra, o Senhor disse que Ele seria rejeitado pelos anciãos, escribas e sacerdotes. Por que Jesus tinha que ser rejeitado? Ele fez alguma revolta? Ele fez algo antiético? Ele foi para a política? Não, Ele não fez nenhuma dessas coisas. Por que Ele tinha que ser rejeitado pelos escribas e políticos? Por que Ele tinha que ser rejeitado pelos sacerdotes, os líderes religiosos daquele tempo? Por que Ele tinha que ser rejeitado por simples seres humanos já que Ele era o Filho de Deus? Não havia nenhum motivo para Jesus ser rejeitado. Embora Ele não tivesse nenhuma falta e nem pecado, Jesus ainda tinha que ser rejeitado porque Ele tinha que pagar o preço do pecado de todos, porque tinha aceitado esses pecados. Foi por isso que todos cometeram pecado e foi por causa disso que Jesus sacrificou-se a Si mesmo, embora tenha sido rejeitado pelo povo daquela época e tratado como seu inimigo.
Como nascidos de novo no evangelho da água e do Espírito, nós também somos perseguidos por muitas pessoas enquanto vivemos nossa vida nesta terra fazendo a justa obra de Deus. É comum sermos chamados de estúpidos e tolos e às vezes até de idiotas. É claro que se você vive uma vida comum sem fazer a obra de Deus mesmo dizendo que nasceu de novo, você não irá enfrentar nenhuma perseguição. Por isso será aprovado pelos outros. Mas viver para si mesmo sem fazer nenhum sacrifício é o tipo de vida que Deus quer que você tenha?
Nós cremos que tudo que fazemos é a obra de Deus, desde implantar igrejas até continuar com esse ministério de literatura, trabalhar para missões mundiais, cuidar da Igreja de Deus na Coreia e fora daqui, e orar por todas essas coisas. E estamos convencidos que servir ao Senhor dessa forma é sacrificar a nós mesmos. Cremos simplesmente que nenhuma dessas obras fazemos para nós mesmos. Se as fizéssemos para nós mesmos, então procuraríamos receber algum tipo de compensação. Nós esperaríamos que Deus nos recompensasse e pensaríamos sempre que nenhuma recompensa valeria para compensar nosso trabalho duro.
Fazer a obra de Deus diz respeito à doação e sacrifício próprio. Na verdade, a obra missionária não pode ser feita sem sacrifício. Temos recebido pedidos de muitos irmãos e irmãs para enviarmos missionários para eles. Mas não é tão fácil nossos missionários viajarem para um país distante onde a cultura e a língua são completamente estranhas para eles. Isso requer um grande sacrifício. Igualmente, quando se trata de fazer a obra do Senhor, o sacrifício é fundamental em todos os aspectos.
E ainda alguns se enganam pensando: “Nossos missionários devem estar se divertindo viajando para todos esses lugares diferentes. Eu gostaria de ser enviado como missionário”. Mas algum missionário já foi enviado ao campo missionário de férias? Se você pensa que os nossos missionários vão para o campo em férias, você deveria ir no lugar deles e ver por si mesmo. Alguns lugares têm uma água tão ruim que ela não é potável. Veja o caso de Yanbian na China. A água da torneira é tão ruim que se deixá-la parada por um tempo, dá pra ver sedimentos no fundo. Você beberia dessa água? Além disso, não é tão fácil ficar sozinho longe de quem se ama em um lugar onde você não consegue se comunicar com ninguém de sua própria terra. Isso requer sacrifício.
Nosso ministério de literatura também requer muito sacrifício. Vendo nossos livros publicados, alguns de vocês podem pensar: “Isso não é grande coisa. Os livros do Pastor Jong não são tão grande coisa mesmo, então por que continuamos publicando mais e mais livros? Somente uma publicação seria suficiente; o que passar disso é simplesmente perda de tempo”. Mas não é assim que acontece. Vocês têm alguma idéia de como é difícil publicar um só livro sequer? Todos envolvidos nesse trabalho sofrem muita pressão e stress. Se você diz algo errado, facilmente pode corrigi-lo, mas depois que o livro é publicado, é o fim dele. Ele não pode ser revisado na mesma hora. Além disso, não é tão fácil transcrever sermões e editá-los em formato de livro porque cada contexto de um sermão deve surgir naturalmente. Porém, nosso ministério de literatura está indo muito bem porque todos os envolvidos estão fazendo um grande sacrifício.
No que se refere ao seu emprego, sua família ou a servir ao Senhor junto com a igreja, nada pode ser feito sem sacrifício. Existe algo que é feito sem sacrifício? Às vezes você tem que fazer coisas que você não quer, e às vezes você tem que deixar sua vida social para ir às reuniões da igreja. Tudo isso requer sacrifício. Podemos nos tornar um só se nos sacrificarmos assim de diversas formas e servirmos ao Senhor unidos com a igreja. Mesmo a sua vida social requer sacrifício. Você não pode participar de nenhum grupo social se não sacrificar a si mesmo. Algo simples como participar das reuniões de pais e mestres da escola do seu filho requer sacrifício, e é obvio que você deve se sacrificar ainda mais pela Igreja de Deus.
Não é algo fácil você servir ao Senhor e viver sua vida junto com a igreja se você tem um emprego secular. Sem autosacrifício, isso é absolutamente impossível. Por isso o Senhor disse: “Quem quiser vir após Mim deve negar a si mesmo, tomar sua cruz e seguir-Me”. Mesmo quando isso passa a ser o seu emprego, requer um sacrifício maior ainda.
Eu também tive um emprego durante alguns anos, e por muitas vezes enquanto trabalhava pensei em desistir por causa do meu chefe. Como homem, meu chefe não era melhor que eu, mas só porque ele era o chefe, ele não tinha muito respeito por mim e me tratava como um objeto, me mandando fazer isso e aquilo. Era algo normal eu ficar zangado. Eu tinha que apresentar meu trabalho na hora, mas nunca tinha hora para ir para casa. E sem dizer que eu nem poderia sonhar em ter um momento de privacidade. Quando eu tentava ouvir alguns sermões ou mesmo ler a bíblia no meu tempo livre, meu chefe ia atrás de mim e me repreendia. Eu trabalhava pelo menos oito horas ao dia em média. Eu passava todas essas oito horas trabalhando duro pelo negócio de uma outra pessoa.
Mas quanto me pagavam por isso? Era algo irrisório, mal dava para me sustentar. Quando o dia do pagamento chegava, eu rasgava meu contra-cheque, pensando: “Eu trabalhei tão duro por esse pequeno salário? Isso é um insulto!” Eu achava que poderia ganhar aquele dinheiro trabalhando somente uma hora por dia em alguma outra coisa. Eu também pensava que deveria empregar todos os meus esforços para ganhar uma alma ao invés de trabalhar até morrer para ganhar aquela ínfima quantia de dinheiro; uma alma é mais preciosa do que qualquer outra coisa debaixo do céu e ganhá-la é mais recompensador do que qualquer ganho nesta terra. Já que era tão difícil ganhar dinheiro, eu também sofria pensando em como gastá-lo, aguardando para investi-lo em algo que valesse a pena.
Estou certo que todos vocês já passaram por isso antes. O dinheiro também deve ser gasto com sabedoria. Ele deve ser investido da forma certa, ou do contrário você acabará perdendo todo o seu suado dinheiro. Eu mesmo passei por isso várias vezes enquanto trabalhava secularmente. Nunca é fácil servir o evangelho quando se tem um emprego, ir para a escola, ou ter uma família, mas o mais desafiador é ficar totalmente envolvido com o ministério da igreja. Por vários motivos, você pode achar que é mais fácil ocupar o tempo inteiro no ministério. Dependendo de quem esteja olhando, pode parecer que os pastores em tempo integral não fazem muita coisa ao invés de criar confusão na igreja e se divertir, mas quando você se coloca no lugar deles, você descobre que não é tão fácil quanto você pensava. O seu ministério é algo que jamais pode ser feito sem autosacrifício.
Toda nossa vida requer que façamos sacrifícios. Desde os nossos professores da escola dominical, nossos irmãos e irmãs em treinamento até nossos santos da igreja, todos nós temos servido o evangelho e seguido o Senhor até agora porque tivemos que sacrificar a nós mesmos. Esses sacrifícios serão ainda mais necessários nos anos que virão.
Não devemos pensar na obra humana. A obra humana tem a ver com prosperidade material. É como se tornar um porco com o estômago cheio. A vida que é vivida em vão, sem nenhum sacrifício, aquela que não é levada para o que é certo, mas é guiada pela prosperidade material, essa perecerá de forma insignificante—é disso que trata a obra humana.
Por outro lado, aqueles que nasceram de novo no evangelho da água e do Espírito desejam fazer a justa obra do que fazer a obra do homem que morre em vão. E nós fazemos essa justa obra. Que justa obra nós fazemos? Nós fazemos a obra de Deus. Embora nosso sacrifício seja pequeno, nos sacrificamos para seguir o Senhor na fé. Deus não permite que esses sacrifícios fiquem sem recompensa. Deus certamente os abençoará. O Senhor disse em Mateus 16:25: “Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á”. Isso significa que se vocês tentarem viver para si mesmos, nós perdemos mais ainda, mas se decidirmos sacrificar até as nossas vidas pelo Senhor, Ele acrescentará ainda mais bênçãos sobre as bênçãos.
Mesmo quando se trata da obra humana, que tem a ver com a prosperidade material, o sacrifício é necessário. Mas essa obra só requer sacrifício e não recompensa. Por outro lado, apesar de para fazermos a obra de Deus seja necessário autosacrifício, há uma recompensa para isso, e nosso sacrifício vale a pena. É por isso que vivemos uma vida de sacrifício para seguirmos ao Senhor. Ele deixou claro para nós: “Se você perder sua vida por Mim e pelo Meu evangelho, você viverá, mas se viver somente para a obra humana, você perderá tudo”. O que Jesus quis dizer quando disse que alguém deve negar a si mesmo e O seguir? Significa que a pessoa deve seguir o Senhor mesmo pagando um alto preço, pois então ganhará muitas coisas.
Contudo, se a pessoa não se sacrificar e desistir de seguir o Senhor, perderá então muitas coisas. Está escrito: “Não andeis, pois, inquietos, dizendo: ‘Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos?’ ... Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:31, 33). Se pensarmos primeiro na obra de Deus, Ele proverá todas as nossas necessidades.
Todos nós devemos fazer a obra de Deus. Isso significa que todos devemos nos sacrificar. Isso porque seguir ao Senhor requer inevitavelmente autosacrifício. Através do nosso sacrifício muitos receberão a remissão dos pecados. O ganho é grande mesmo com um pequeno sacrifício. Pense nisso. Nós fizemos apenas pequenos sacrifícios, e quanto nós ganhamos? Por conta do nosso sacrifício, igrejas estão sendo implantadas pela Coreia e mais e mais almas estão nascendo de novo. Nós não temos visto com nossos próprios olhos quantas almas são salvas através da Igreja estabelecida de Deus, Seus servos e santos? Embora seja necessário um alto grau de sacrifício para implantar uma única igreja, temos visto com nossos próprios olhos como Deus tem nos abençoado a cada dia por conta disso.
Um alto grau de sacrifício foi feito quando a igreja em Wonju foi implantada, sem mencionar quando a Igreja Nova Vida foi implantada em Seul e outra em Incheon. Muitos irmãos, irmãs e servos de Deus trabalharam muito, e eles fizeram muitos sacrifícios e investimentos com seus bens materiais, corpos e coração, tudo pela fé. Foi assim que eles estabeleceram essas igrejas. Mesmo quando nós implantamos a igreja em Chungju, os servos de Deus investiram de diversas maneiras. Quanto aos pastores servos de Deus, eles ofertaram tudo ali para o Senhor, independente do que tinham. Quando estávamos procurando um lugar para a igreja em Chuncheon, encontramos um local graças ao evangelista Jung e Choi e suas famílias, pois eles ofertaram seus bens materiais para o Senhor. Naquele tempo, nós tínhamos que dar um sinal de vinte mil dólares e fazer um pagamento mensal de cerca de duzentos e cinquenta dólares. Onde mais encontraríamos todo esse dinheiro? Isso só foi possível porque nossos irmãos, irmãs e servos de Deus ofertaram tudo o que tinham e sacrificaram a si mesmos. Não foram só nossos irmãos e irmãs que fizeram sacrifícios. Os servos de Deus também fizeram sacrifícios e todos serviram ao Senhor juntos.
O sacrifício é necessário para nós seguirmos o Senhor. Os sacrifícios que vocês fizeram para seguir o Senhor não foram feitos de forma conscienciosa, mas vocês fizeram isso sem perceber. O próprio fato de vocês terem servido ao Senhor até hoje, já é um sacrifício em si. Vocês jamais poderiam segui-Lo sem algum sacrifício. A não ser que alguém negue e sacrifique a si mesmo, essa pessoa não poderá seguir a Igreja de Deus e nem ao Senhor. Seguir a igreja é seguir o Senhor.
Qual é a vontade do Senhor? Qual é a obra de Deus? Qual foi a obra que o Senhor fez quando veio a esta terra? Sacrificar a Si mesmo ao aceitar todos os nossos pecados no rio Jordão sendo condenado na cruz em nosso lugar, e por sacrificar Seu próprio corpo Ele salvou a você e a mim. Essa foi a obra de Deus. Agora nós somos aqueles que fazem a obra de Deus. Essa obra é feita por aqueles que receberam a remissão dos pecados através do evangelho da água e do Espírito.
Amados irmãos, a remissão de pecados não é algo que devemos apenas receber sozinhos, mas é algo que todos devem receber ao ouvirem o evangelho da água e do Espírito, desde os que estão perto de nós e nossos familiares, nossos compatriotas e todos que estão no mundo inteiro. Na China, as pessoas são tão inocentes que a maioria delas recebe a remissão de pecados assim que ouvem o evangelho. Eles são muito receptivos à Palavra. Se trabalharmos com afinco por mais um ano e pregarmos com dedicação o evangelho, Deus irá salvar muitas almas ali. Eu também sei que isso leva algum tempo antes de o evangelho ser firmemente implantado na China. Mas eu creio que em alguns anos a fé dos santos chineses se tornará ainda mais forte.
Quando nós implantarmos uma igreja aqui na cidade de Daejeon, nossos familiares e outras pessoas também receberão a remissão de pecados. Implantar uma igreja em Daejeon para servir o evangelho não é só por amor ao Senhor, mas também por amor aos nossos parentes e todos à nossa volta que ainda não nasceram de novo. Assim como Jesus sacrificou a Si mesmo por amor a todos, então nós também devemos sacrificar a nós mesmos e servir ao Senhor por amor a outras pessoas.
Eu sei bem que é muito difícil vocês fazerem sacrifícios, pois às vezes vocês acham que vão desistir. Eu sei que às vezes vocês pensam: “Eu não posso parar agora de me sacrificar tanto assim? Eu não posso simplesmente viver o resto da vida tranquilamente até o Senhor voltar ou eu ir para Sua presença?” Embora exista um desejo em nosso coração de ser complacente ou indulgente conosco mesmos, ainda é a vontade do Senhor nós nos sacrificarmos. Isso é o que agrada a Deus. E é por isso que devemos ter fé. Então, nós que conhecemos a vontade do Senhor, vamos confiar nessa vontade e obedecê-la.
A bíblia diz que Aquele que está por vir em breve virá. Como o mundo é mal, a não ser que sirvamos ao Senhor, nos sacrifiquemos por Ele, e trabalhemos em Sua obra, não conseguiremos evitar de sermos arrastados pela influência do pecado. Quanto mais os tempos são maus, mais devemos nos aplicar a servir e a seguir o Senhor.