The New Life Mission

Sermões

Assunto 17: JESUS CRISTO e JOÃO BATISTA

[17-9] (Mateus 21:32) A Relação entre a Obra de João Batista e o Evangelho da Expiação dos Nossos Pecados

(Mateus 21:32)
“Pois João veio a vós a fim de vos mostrar o caminho da justiça, e não crestes nele, mas os cobradores de impostos e as meretrizes creram. Vós, porém, mesmo vendo isto não vos arrependestes para crerdes nele”.
 
 
João Batista, Que Foi Enviado por Jesus
 
Está escrito no evangelho de João capítulo 1 versículos 6 e 7 sobre João Batista: “Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João. Este veio como testemunha para testificar a respeito da luz, a fim de que todos cressem por meio dele”. Nesta passagem, o apóstolo João está testificando a importância do batismo que João Batista ministrou em Jesus de acordo com o evangelho da salvação.
Falando de João Batista aqui, Jesus disse: “Este veio como testemunha para testificar a respeito da luz”. Nesta passagem, Ele testifica que não foi nenhum outro senão João Batista que passou todos os pecados do mundo para Ele através do batismo. João Batista testificou de Jesus “a fim de que todos cressem por meio dele”. O apóstolo João nos diz que pelo testemunho de João Batista, todas as pessoas no mundo podem crer na Verdade que declara que Jesus salvou todos os pecadores pelo batismo que Ele recebeu e com Seu sangue na Cruz.
Em outras palavras, esta passagem quer dizer que se João Batista não tivesse dado testemunho da salvação da água e do Espírito, as pessoas não poderiam conhecer a salvação pela qual Jesus salvou os pecadores ao ser batizado e ao morrer na Cruz. Sendo assim, a fé que não está baseada no conhecimento de que João Batista batizou Jesus é uma fé inútil. Somente aqueles que tiveram um encontro com Jesus através do evangelho da água e do Espírito é que podem ter essa verdadeira fé.
 
 
Que Tipo de Homem era João Batista?
 
Já com idade avançada, o sacerdote Zacarias e sua mulher Isabel tiveram João Batista pela providência de Deus e cantaram este louvor: “E tu, ó menino, serás chamado profeta do Altíssimo; pois irás adiante da face do Senhor, e prepararás os seus caminhos, para dar ao seu povo conhecimento da salvação, na remissão dos seus pecados” (Lucas 1:76-77). Como profeta do Altíssimo, João Batista passou todos os pecados deste mundo para Jesus ao batizá-Lo, e fez com que as pessoas cressem em Jesus pregando este evangelho pelo qual elas poderiam receber a salvação.
Não foi nenhum outro a não ser o profeta João Batista que pregou as boas novas para que soubéssemos que fomos salvos do juízo, pois o batismo de Jesus foi a expiação por todos os nossos pecados. Deus enviou João Batista a este mundo como o representante de toda humanidade, para fazer a obra de passar os pecados das pessoas para Jesus. Lucas 1:78 nos mostra que isso aconteceu “por causa da entranhável misericórdia do nosso Deus, pela qual o sol nascente das alturas nos visitará”. Aqui, “pela qual” significa que toda a humanidade viria a salvação através de João Batista, assim com o sol nascente das alturas sobre aqueles que estavam nas trevas ou no vale da sombra da morte.
Jesus expiou todos os pecados do homem. Quem é que nos guia pelo caminho de paz neste mundo? Jesus. E já que João Batista passou todos os nossos pecados para Jesus ao batizá-Lo, ele nos guiou ao evangelho pelo qual o Senhor expiou todos os nossos pecados.
Vamos ver mais especificamente nas Escrituras quem foi João Batista. Este é o relato que encontramos em Lucas 1:1-14: “Tendo muitos empreendido uma narração dos fatos que entre nós se cumpriram, segundo nos transmitiram os que desde o princípio foram deles testemunhas oculares, e ministros da palavra, pareceu-me também conveniente descrevê-los a ti, ó excelente Teófilo, por sua ordem, havendo-me já informado minuciosamente de tudo desde o princípio, para que tenhas plena certeza das coisas em que foste ensinado. Existiu no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias; sua mulher era das filhas de Arão, e o seu nome era Isabel. Eram ambos justos perante Deus, andando sem repreensão em todos os mandamentos e preceitos do Senhor. Mas não tinham filhos, porque Isabel era estéril, sendo ambos avançados em idade. Exercendo ele o sacerdócio diante de Deus, na ordem do seu turno, coube-lhe por sorte, segundo o costume sacerdotal, entrar no templo do Senhor para oferecer o incenso. Chegada a hora de oferecer o incenso, toda a multidão do povo estava fora, orando. Então um anjo do Senhor lhe apareceu, em pé, à direita do altar do incenso. Vendo-o, Zacarias perturbou-se, e o temor apoderou-se dele. Mas o anjo lhe disse: Zacarias, não temas. A tua oração foi ouvida. Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João. Terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento”.
Lucas, um obreiro e amigo fiel do apóstolo Paulo, enviou seu evangelho para um gentio chamado Teófilo, um homem de alta estirpe. Contudo, por este homem não ter conhecimento das Escrituras, Lucas teve que explicá-la para ele detalhadamente; e foi por isso que Lucas começou escrevendo o evangelho a partir da aparição de João Batista. Para explicar o evangelho em sua essência, Lucas precisou explicar a genealogia de João Batista e os detalhes do seu nascimento. Através das suas palavras, nós tentaremos analisar o nascimento e o ministério de João Batista mais detalhadamente.
Se olharmos para as passagens acima, tem um versículo que diz: “Existiu no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias; sua mulher era das filhas de Arão, e o seu nome era Isabel” (Lucas 1:5). Podemos ver claramente aqui que a mãe de João Batista era descendente de Arão, e no que fiz respeito ao seu pai Zacarias, nós temos que entender muito bem de que linhagem da nação de Israel ele nasceu. O pai de João Batista era Zacarias. E Lucas nos diz que ele era um sacerdote segundo a ordem de Abias.
Quem foi Abias então, o ancestral do sacerdote Zacarias? Se lermos o livro de Crônicas capítulo 24 versículo 10, há um texto que declara: “A sétima a Hacoz, a oitava a Abias”. Deus guiou o povo de Israel indicando Moisés como Seu Mediador. E Ele separou Arão, o irmão mais velho de Moisés, como sumo sacerdote. Deus separou os descendentes de Arão para cuidar das ofertas de sacrifício no Tabernáculo. Mas Nadabe e Abiu, dois filhos de Arão, morreram quando ofereçam sacrifício ao Senhor com fogo estranho (Números 26:61).
Depois da morte destes dois filhos de Arão, seus outros dois filhos, Eleazar e Itamar, assumiram as funções do sacerdócio. E seus descendentes se multiplicaram tanto que nos dias de Davi foi necessário reorganizar a ordem do sacerdócio para servir a Deus e ministrar no Templo. Deste modo, eles dividiram os sacerdotes em 24 grupos, tendo como líderes os chefes das famílias descendentes de Eleazar e Itamar.
Sendo assim, como está escrito: “Com a ajuda de Zadoque, dos filhos de Eleazar, e de Aimeleque, dos filhos de Itamar, Davi os repartiu em divisões, segundo os seus deveres no ministério. Achou-se que os filhos de Eleazar entre os cabeças de famílias eram mais do que os de Itamar, e foram divididos respectivamente: dezesseis cabeças de famílias dos filhos de Eleazar, e oito cabeças de famílias dos filhos de Itamar. Foram repartidos por sortes, tanto uns como os outros, porque havia príncipes do santuário e príncipes da casa de Deus, assim dos filhos de Eleazar, como dos filhos de Itamar” (1 Crônicas 24:3-5), Davi fez a divisão do sacerdócio para servir a Deus no Templo.
Como podemos ver aqui, a ordem que foi estabelecida em Crônicas capítulo 24 versículo 10: “a oitava a Abias”, é a mesma que nós vemos em Lucas 1:5: “um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias”. Lucas nos prova que Zacarias era um sacerdote da ordem de Abias, descendente do sumo sacerdote Arão. Além disso, está escrito também que Isabel era das filhas de Arão. João Batista é indubitavelmente então um descendente do sumo sacerdote Arão (Lucas 1:5), pois seu pai, Zacarias, era um sacerdote da ordem de Abias. E já que Isabel também era descendente de Arão, João Batista, que nasceu deles, obviamente também era descendente do sumo sacerdote Arão.
Lucas teve que explicar isso muito bem para que Teófilo entendesse que João Batista passou os pecados do mundo para Jesus como representante de toda humanidade. Vamos ver agora a passagem bíblica que afirma que os descendentes da casa de Arão cumpriram as funções de sumo sacerdote.
 
 
João Batista Nasceu na Família dos Sumo Sacerdotes
 
O filho de um sumo sacerdote herdava a função de oferecer sacrifícios para expiação. Está escrito no livro de Números capítulo 20 versículos 28 e 29: “Moisés despiu a Arão das suas vestes, e as vestiu em Eleazar, seu filho. E morreu Arão ali no cume do monte. Então Moisés e Eleazar desceram do monte, e quando toda a congregação soube que Arão havia morrido, toda a casa de Israel chorou a Arão durante trinta dias”. Deus deu o sumo sacerdócio da nação de Israel a Arão e seus filhos, e disse que isso seria um estatuto perpétuo (Levítico 16:34). Foi por isso que Arão e seus filhos exerceram a função de oferecer sacrifícios que redimiam os pecados do povo de Israel perante Deus.
Está escrito em Êxodo 28:1-2: “Depois farás chegar a ti teu irmão Arão, e seus filhos com ele, do meio dos filhos de Israel, para me administrarem o ofício sacerdotal; a saber, Arão, Nadabe e Abiú, Eleazar e Itamar, os filhos de Arão. Farás vestes sagradas para Arão, teu irmão, para glória e ornamento”. Êxodo 29:1-9 também diz o seguinte: “Isto é o que lhes farás para os consagrar, para que me administrem o sacerdócio: Toma um novilho e dois carneiros sem defeito, e pães asmos, e bolos asmos, amassados com azeite, e coscorões asmos, untados com azeite; de flor de farinha de trigo os farás, e os porás num cesto, e os trarás no cesto, com o novilho e os dois carneiros. Então farás chegar Arão e seus filhos à porta da tenda da congregação, e os lavarás com água. Depois tomarás as vestes, e vestirás a Arão da túnica e do manto da estola sacerdotal, e da estola sacerdotal mesma, e do peitoral, e lhe cingirás a estola sacerdotal com o seu cinto de obra esmerada; e a mitra porás sobre a sua cabeça, e a coroa de santidade porás sobre a mitra. Então tomarás o óleo da unção, e o derramarás sobre a sua cabeça; assim o ungirás. Depois farás chegar seus filhos, e os vestirás de túnicas, e os cingirás com o cinto, a Arão e a seus filhos, e lhes atarás as tiaras, para que tenham o sacerdócio por estatuto perpétuo, e consagrarás a Arão e a seus filhos”.
Assim, em favor do povo de Israel, Deus fez com que a casa de Arão, irmão mais velho de Moisés, exercesse as funções do sumo sacerdócio oferecendo sacrifício a Deus no Dia da Expiação. E ninguém mais podia exercer essa função. O sumo sacerdócio da casa de Arão foi um mandamento estabelecido por Deus. Este sumo sacerdócio não era algo que qualquer um podia exercer. Apenas os sumo sacerdotes descendentes da casa de Arão podiam entrar no Santíssimo lugar no Tabernáculo uma vez por ano para exercer as funções de sumo sacerdote. Apenas eles podiam expiar os pecados anuais do povo de Israel de uma vez por todas. Foi por isso que Deus disse a Moisés: Depois farás chegar a ti teu irmão Arão, e seus filhos com ele, do meio dos filhos de Israel, para me administrarem o ofício sacerdotal; a saber, Arão, Nadabe e Abiú, Eleazar e Itamar, os filhos de Arão. Farás vestes sagradas para Arão, teu irmão, para glória e ornamento” (Êxodo 28:1-2).
Somente Arão e seus descendentes podiam se tornar sumo sacerdotes, e isso era um estatuto perpétuo estabelecido por Deus. Deus ordenou que Arão e seus descendentes exercessem as funções do sumo sacerdócio para sempre, dos dias do Antigo Testamento até os dias de Jesus no Novo Testamento. E estes descendentes de Arão exerceram de fato as funções do sumo sacerdócio, que era um estatuto perpétuo para a salvação através da expiação dos pecados, algo que foi estabelecido por Deus.
Foi por isso que Lucas descreveu João Batista como último sumo sacerdote do Antigo Testamento, ao mencionar que seu pai Zacarias era da casa do sumo sacerdote Arão. Tendo João Batista como representante de toda humanidade e exercendo a função de passar todos os pecados do mundo a Jesus, o Antigo Testamento chegou ao fim e, daí por diante, o tempo de Jesus, o tempo da graça, começou. Deus falou da história da humanidade dividindo-a em tempos ou dispensações.
 
 
João Batista Realmente Batizou Jesus
 
Nós chamamos João de João Batista porque ele batizou Jesus. Mas o que significa o batismo na Bíblia? “Batismo”, “βάφτισμα” (baptisma) em grego, significa “ser submerso.” Batizar, “baptizo” em grego, significa imergir ou submergir na água, purificar mergulhando ou submergindo, lavar, limpar com água, ser purificado ou se banhar. Também significa transferir ou passar. Quando Jesus foi batizado por João Batista, todos os pecados foram passados para Ele. Deste modo, Jesus se tornou o Salvador dos fiéis levando os pecados do mundo todo, morrendo em nosso lugar na Cruz para pagar o salário dos nossos pecados e ressuscitando dos mortos. O Senhor recebeu o batismo pelo qual Ele levou os pecados em nosso lugar e morreu na Cruz. Isso porque o salário do pecado é a morte.
Pelo fato do rito do batismo ser realizado pela imersão e pela imposição de mãos, ele também é chamado “rito de imersão”. Ambos têm o mesmo sentido. A palavra ‘batismo’ também quer dizer ‘purificar’. O batismo que Jesus recebeu de João Batista no rio Jordão foi o batismo da remissão de pecados, pelo qual Ele nos purificou dos pecados do mundo levando-os sobre o Seu próprio corpo. Pelo fato de todos os pecados da humanidade terem sido passados para Jesus quando Ele foi batizado por João Batista, nós agora podemos receber a salvação crendo nisso. Se olharmos para a extensão do batismo de Jesus, encontraremos quatro significados: “purificar”, “passar”, “transferir” e “ser enterrado”.
As pessoas do Antigo Testamento, a fim de receberem a remissão de pecados, levavam animais como bodes, ovelhas, gado e outros sem mancha para o sacrifício e punham suas mãos sobre sua cabeça para passar seus pecados. Isso é exatamente o mesmo que o batismo (βάφτισμα no grego) que Jesus recebeu. No Antigo Testamento, o sumo sacerdote representava todo o povo de Israel. Representando o povo de Israel então, o sumo sacerdote transferia os pecados pela imposição de mãos sobre a cabeça do bode, derramava o sangue do animal degolando-o e o colocava nas pontas do altar de ofertas queimadas. Ele oferecia a Deus a oferta pelo pecado no Dia da Expiação em favor do povo. No Novo Testamento, João Batista foi o representante de toda humanidade. Por isso, Jesus levou os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista, e a fim de expiar os pecados do homem, Ele derramou Seu sangue e morreu na Cruz. E quando ressuscitou dos mortos, Ele salvou aqueles que Nele crêem.
 
 
O Maior Entre os Nascidos de Mulher
 
Se nós lermos Mateus 11:11, veremos que Jesus testifica de João Batista dizendo: “Entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João Batista”. João Batista, como sumo sacerdote de toda humanidade, passou os pecados do mundo de uma vez por todas para Jesus, de acordo com o estatuto perpétuo estabelecido por Deus, como o sumo sacerdote Arão (Mateus 3:15). João Batista tinha todas as qualificações para ser o sumo sacerdote da humanidade. É por isso que foi possível a João Batista, como último sumo sacerdote do Antigo Testamento, passar todos os pecados do homem para Jesus ao batizá-Lo. No Novo Testamento, o sacerdote Zacarias era um descendente da casa de Arão, e a origem do sumo sacerdócio é a seguinte:
 
 
Primeiro Livro de Crônicas, Capítulo 24 Versículo 10
 
A ordem dos sumo sacerdotes descendentes de Arão para oferecer sacrifício é descrita no Antigo Testamento. E a ordem do sacerdote “Abias” aparece na oitava divisão. E no Novo Testamento o sacerdote ainda era escolhido “segundo o costume sacerdotal”, como podemos ver no evangelho de Lucas capítulo 1 versículo 9. Assim como no Antigo Testamento, o escolhido aqui se tornava o sumo sacerdote, assumia o sacerdócio como no Antigo Testamento e cumpria suas funções. Essa tradição foi passada de geração a geração começando nos dias do Antigo Testamento e indo até os dias de Zacarias, o pai de João Batista.
Zacarias foi um sumo sacerdote nascido na ordem de Abias, descendente de Arão. Assim como o leão só pode ter um filhote, Deus fez isso para que os sumos sacerdotes viessem somente da casa de Arão, o primeiro sumo sacerdote. Por isso, João Batista, que era casa do sumo sacerdote, teve o papel de intermediário; o sacerdote que cumpriria as profecias sobre a salvação de Deus, como foi prometido no Antigo Testamento; e ele foi o maior entre os nascidos de mulher porque passou todos os pecados do mundo para Jesus. A passagem de Mateus 11:11-13 testifica isso. Foi por isso que Jesus, apontando para João Batista, testificou que ele era o Elias que havia de vir, como havia sido profetizado no Antigo Testamento (Malaquias 4:5).
 
 
O Testemunho dos Apóstolos sobre o Batismo de Jesus, que Levou os Pecados do Homem
 
O batismo que Jesus recebeu foi para expiação dos pecados, os pecados do mundo que Ele levou. A prova do batismo de Jesus é mostrada várias vezes nas epístolas de Paulo e Pedro, e assim como nas epístolas de João. Mas primeiro vamos ver a passagem que fala do batismo de Jesus nas epístolas paulinas. Primeiro vamos ver o texto de Romanos 6:2-7.
“De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele? Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte, para que, como Cristo ressurgiu dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida. Se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, também o seremos na da sua ressurreição. Pois sabemos isto, que o nosso velho homem foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, a fim de não servirmos mais ao pecado; porque aquele que está morto está justificado do pecado”.
A fé do apóstolo Paulo de que recebemos o batismo e nos tornamos um só com Cristo, é a fé que crê no batismo de Jesus que levou os pecados do mundo e os expiou. O evangelho da expiação de pecados cujos apóstolos deram testemunho nos diz que Jesus tirou todos os pecados do mundo.
Como é que o apóstolo Pedro cria no batismo de Jesus e o explicou? Em 1 Pedro 3:21 ele diz: “que também agora, por uma verdadeira figura - o batismo - vos salva, o qual não é o despojamento da imundícia da carne, mas a indagação de uma boa consciência para com Deus, por meio da ressurreição de Jesus Cristo”. O apóstolo Pedro está dizendo que o batismo que Jesus recebeu de João Batista é um antítipo da salvação pela qual Ele expiou nossos pecados. E o apóstolo João diz mais: “Quem é o que vence o mundo senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus? Este é aquele que veio por água e sangue, isto é, Jesus Cristo. Ele não veio só pela água, mas pela água e pelo sangue. E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade. Pois três são os que dão testemunho no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um. E três são os que dão testemunho na terra: o Espírito, a água e o sangue; e estes três concordam” (1 João 5:5-8). O apóstolo João está dizendo que recebemos a salvação de Deus que expiou todos os nossos pecados tendo fé no Salvador que veio pela água e pelo sangue.
 
 
Qual é a Fé Correta que Crê em Jesus Cristo
 
Os apóstolos disseram unanimemente que o batismo (água) que Jesus recebeu é o antítipo da salvação que salva todos os pecadores, e que os nascidos de novo podem vencer o mundo crendo no evangelho da expiação de pecados que foi cumprido de forma perfeita pelo batismo e pelo sangue de Jesus. Portanto, podemos ver que existe uma grande diferença entre a fé que os apóstolos tinham,e a fé dos teólogos de hoje que crêem somente no sangue da Cruz. Os teólogos atualmente só crêem no sangue da Cruz, mas a Bíblia testifica que os pecadores podem receber a salvação apenas quando crêem tanto no batismo de Jesus quanto no sangue da Cruz. Sendo assim, nós temos que conhecer muito bem e crer no evangelho pelo qual Jesus expiou todos os nossos pecados com Seu batismo e Seu sangue. O batismo que Jesus recebeu e o sangue da Cruz são componentes essenciais para que o perfeito evangelho seja cumprido. Este é o evangelho que expiou todos os pecados do mundo. Tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, está escrito que o evangelho da expiação de pecados é o evangelho do batismo e do sangue; e este apagou todos os pecados do mundo.
Mateus, um discípulo de Jesus, deixou gravado em Mateus 3:15-16: “Mas Jesus lhe respondeu: Deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça. Então João consentiu. Assim que Jesus foi batizado, saiu logo da água. Nesse instante abriram-se-lhe os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e pousando sobre ele”. Deus nos diz aqui que todos os pecados do mundo foram passados para Jesus quando Ele foi batizado por João Batista. Este é o testemunho da justiça da salvação que Deus tornou perfeita através do evangelho pelo qual nossos pecados foram expiados.
Ao ser batizado, Jesus levou todos os pecados das pessoas no mundo e deu testemunho da Sua salvação por três anos. E depois desses três anos, Ele morreu na Cruz derramando o Seu sangue e ressuscitou ao terceiro dia. Ao fazer isso, Ele tornou perfeita a salvação de todo aquele que crê nessa Verdade e está assentado à destra do trono de Deus agora. Do mesmo modo, os discípulos de Jesus afirmaram que “assim também Cristo, oferecendo-se uma só vez, para levar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para a salvação” (Hebreus 9:28). Esta passagem quer dizer que Jesus aparecerá uma segunda vez para aqueles que estão afastados do pecado e esperam por Ele. Isto é, aqueles que pela fé receberam a salvação pela expiação de pecados crendo no batismo que Jesus recebeu e no sangue da Cruz.
“E uma voz dos céus disse: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mateus 3:17). Esta passagem se refere Àquele a quem todos os pecados do mundo foram transferidos pelo batismo e expiados, nenhum outro a não ser Jesus. Alguns teólogos não conhecem nada da Verdade pela qual Jesus expiou os pecados da humanidade pelo batismo e pelo sangue. Eles são espiritualmente cegos; eles não conseguem receber as águas que vêm do firmamento, ou seja, a pura Palavra. Por causa disso, as pessoas andam pensando por aí que ‘Jesus levou os pecados do mundo de qualquer jeito’, mas este tipo de pensamento vem da sua ignorância em relação ao batismo de Jesus, que faz parte do evangelho da expiação de pecados.
Portanto, assim como a nação de Israel foi liberta dos seus pecados no Antigo Testamento, pelo fato do sumo sacerdote passá-los para o animal do sacrifício pela imposição de mãos e derramar seu sangue, Jesus salvou o homem assim como havia prometido. Jesus foi o Cordeiro sacrificial do Novo testamento. Ele precisou de João Batista, o representante da humanidade que passou todos os pecados do mundo para Ele. Foi por isso que Deus enviou João Batista seis meses antes de Jesus.
João Batista era o servo de Deus que havia sido profetizado no livro de Malaquias no Antigo Testamento. Ele não era outro senão o mensageiro de Deus profetizado em Malaquias 3:1-3. Se lermos 11:10-11, o Senhor precisava receber o batismo que faria com que Ele levasse todos os pecados do homem como Salvador e expiasse todos eles. Por isso, Jesus precisava de um servo de Deus para batizá-Lo. Foi por isso que João Batista passou os pecados do mundo para Jesus através do batismo, obedecendo à ordem de Jesus: “Deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça” (Mateus 3:15).
O cordeiro sacrificial morria nos dias do Antigo Testamento para levar os pecados de uma só pessoa ou de uma única nação. Mas Jesus Cristo, o Filho de Deus, veio a este mundo e deu início a era do Novo Testamento. Ele levou todos os pecados do mundo sem deixar nenhum para trás, a fim de expiar todos os pecados do homem. Deste modo, Ele teve que morrer sendo crucificado como preço pela expiação dos nossos pecados. Para livrar o homem do pecado para sempre, Jesus teve que expiar todos os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista e ressuscitar três dias após ter morrido na Cruz. Deus salvou dos seus pecados os que crêem no evangelho do batismo e do sangue de Jesus.
 
 
João Batista Foi um Mensageiro de Deus
 
Mateus 11:11-14 dá testemunho de João Batista. Vamos ler Mateus do versículo 7 ao 14: “Partindo eles, começou Jesus a dizer à multidão, a respeito de João: Que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento? Sim, que fostes ver? Um homem ricamente vestido? Os que trajam ricamente estão nos palácios dos reis. Mas então que fostes ver? Um profeta? Sim, vos digo eu, e muito mais do que profeta. João é aquele de quem está escrito: Adiante da tua face envio o meu anjo, que preparará diante de ti o teu caminho. Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João Batista; contudo, o menor no reino dos céus é maior do que ele. Desde os dias de João Batista até agora, faz-se violência ao reino dos céus, e pela força apoderam-se dele. Pois todos os profetas e a lei profetizaram até João. E, se quiserdes dar crédito, ele é o Elias que havia de vir”.
As pessoas iam ao deserto para ver João Batista. João Batista clamava para que o povo se arrependesse. Quando Jesus viu as pessoas irem a João Batista, Ele disse: “Que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento? Sim, que fostes ver? Um homem ricamente vestido? Os que trajam ricamente estão nos palácios dos reis”. Mas o profeta João Batista estava no deserto.
Estas são as palavras da Verdade onde Jesus fala que Deus colocou João Batista como o representante da humanidade e o fez também batizar Jesus. E já que Jesus pessoalmente estava dando testemunho de João Batista, Ele disse: “Que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento? Sim, que fostes ver? Um homem ricamente vestido? Os que trajam ricamente estão nos palácios dos reis. Mas ele é maior do que os reis”. E Ele também testificou que João Batista foi o maior entre os nascidos de mulher, dizendo: “O que vocês foram ver? Vocês queriam ver um profeta? Sim, mas ele é maior do que um profeta”.
Os profetas eram considerados maiores do que os reis nos dias do Antigo Testamento. Quem então foi o maior de todos os profetas do Antigo Testamento? Ele não foi nenhum outro senão João Batista. Jesus pessoalmente testificou que João Batista era o representante da humanidade, e disse também que ele era o maior de todos os homens. João Batista foi um servo de Deus enviado seis meses antes de Jesus nascer. Ele foi enviado para passar os pecados do mundo a Jesus ao batizá-Lo. Foi por isso que o Senhor disse: “Sim, vos digo eu, e muito mais do que profeta. João é aquele de quem está escrito: Adiante da tua face envio o meu anjo, que preparará diante de ti o teu caminho”. A Bíblia testifica isso claramente sobre João Batista.
João Batista, de quem Jesus deu testemunho assim, depois testificou de Jesus: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (João 1:29). Foi João Batista que deu testemunho de Jesus dizendo: “Jesus levou todos os pecados do mundo, e este não é nenhum outro senão o Filho de Deus”. E por isso ele foi realmente o maior entre todos os homens e todos os profetas. Podemos dizer que João Batista foi um sumo sacerdote porque seus pais eram descendentes de Arão. Nós sabemos que Deus escolheu Arão como sumo sacerdote de Israel por 40 anos no Antigo Testamento. Ele confiou o sumo sacerdócio para sempre aos seus descendentes, e não há dúvidas de que João Batista é o representante do homem e o sacerdote que passou os pecados do homem para Jesus.
E o Senhor Jesus continuou dizendo: “Desde os dias de João Batista até agora, faz-se violência ao reino dos céus, e pela força apoderam-se dele” (Mateus 11:12). Esse texto nos mostra que Jesus se tornou o Salvador de todas as pessoas ao receber de João Batista os pecados do mundo. Jesus testificou pessoalmente que João Batista transferiu todos os pecados do mundo para Ele. As palavras em Mateus 11:12 testificam que os pecados do mundo, todos os pecados da humanidade, foram passados quando Ele foi batizado. Os crentes no evangelho do Céu, isto é, no evangelho que Jesus recebeu e no Seu sangue, crêem que Jesus morreu na Cruz e levou completamente seus pecados por ter sido batizado.
 
 
O Testemunho de Zacarias
 
Zacarias a princípio não creu quando ouviu a mensagem do anjo dizendo que Deus lhe daria um filho. Como punição então, ele ficou mudo. Algum tempo depois, ao ver a Palavra de Deus se cumprir, ele deu ao seu filho o nome de João, conforme o anjo havia mandado. Sua língua se desenrolou então, e ele pôde falar. E sendo cheio do Espírito Santo, Zacarias louvou a Deus assim:
“Zacarias, seu pai, cheio do Espírito Santo, profetizou: Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo, e nos levantou uma poderosa salvação na casa de Davi, seu servo. Como falou pela boca dos seus santos profetas, desde o princípio do mundo, para nos livrar dos nossos inimigos e da mão de todos os que nos odeiam; para manifestar misericórdia a nossos pais, e lembrar-se da sua santa aliança, e do juramento que fez a Abraão nosso pai, de conceder-nos que, libertados da mão de nossos inimigos, o servíssemos sem temor, em santidade e justiça perante ele, todos os dias da nossa vida. E tu, ó menino, serás chamado profeta do Altíssimo; pois irás adiante da face do Senhor, e prepararás os seus caminhos, para dar ao seu povo conhecimento da salvação, na remissão dos seus pecados, por causa da entranhável misericórdia do nosso Deus, pela qual o sol nascente das alturas nos visitará, para iluminar os que jazem nas trevas e na sombra da morte, e dirigir os nossos pés pelo caminho da paz. E o menino crescia e se fortalecia em espírito; e viveu nos desertos até o dia em que havia de mostrar-se a Israel” (Lucas 1:67-80).
Nesta passagem, o pai de João Batista profetiza que tipo de profeta ele seria no futuro e como ele cumpriria seu sacerdócio. Ele também profetizou que João Batista seria um servo de Deus. E ele profetizou bem especificamente: “E tu, ó menino, serás chamado profeta do Altíssimo; pois irás adiante da face do Senhor, e prepararás os seus caminhos, para dar ao seu povo conhecimento da salvação, na remissão dos seus pecados” (Lucas 1:76-77). Esta passagem profetiza o evangelho. Através do evangelho da água e do Espírito, João Batista se tornou uma testemunha da Verdade para nós que cremos em Jesus. João Batista nos disse que recebemos a remissão de pecados crendo no batismo de Jesus e no Seu sangue, que é expiação para os nossos pecados. Jesus levou todos os pecados do mundo através do batismo que recebeu de João Batista para expiar todos eles. João Batista também deu testemunho que ele passou todos os pecados do mundo para Jesus ao batizá-Lo. Melhor dizendo, através do seu testemunho, João Batista nos levou a conhecer a salvação pela expiação de pecados.
Todos têm que receber a salvação dos seus pecados crendo no batismo e no sangue de Jesus. Do mesmo modo, por meio do testemunho de João Batista, todo mundo soube que Jesus era o Salvador que expiou todos os seus pecados. Se as pessoas não conhecessem o evangelho da expiação de pecados que João Batista ministrou em Jesus, como é que elas poderiam estar 100% certas de que Ele é o Salvador?
Se alguém não conhece a Verdade do evangelho da expiação de pecados, ele não receberá a salvação nem a vida eterna. Se você crer em Jesus sem conhecer o ministério de João Batista, sua fé será imperfeita e você terá uma vida cristã imperfeita. Você fará coisas confiando somente em doutrinas teológicas. No entanto, se você sabe quem é João Batista e conhece a Verdade sobre o tipo de batismo que ele ministrou em Jesus, que foi para a expiação dos pecados do homem, você será salvo de todos os seus pecados por ter fé nessa Verdade.
Os relatos no livro de Gênesis começam desde os dias que não havia pecado, com Adão e Eva, os primeiros seres humanos, e continuaram ao longo dos dias de Abraão, que foi descendente de Sete e Sem depois que Adão e Eva pecaram, até os dias dos descendentes de Jacó. No livro de Êxodo foi escrito o começo dos dias da Lei. Depois de cruzar o Mar Vermelho, os israelitas receberam no deserto os mandamentos de Moisés e viveram de acordo com essas leis.
E nos dias da Lei, Deus deu ao povo de Israel o sistema sacrifical do Tabernáculo. Deus fez com que o povo oferecesse sacrifícios pelos quais o sumo sacerdote passava seus pecados para a cabeça do bode expiatório. E com a morte da oferta pelo sacrifico no lugar do povo, seus pecados eram expiados. Porém, a época da Lei acabou com a chegada da época da graça; ou seja, quando Jesus foi batizado. Toda salvação prometida através da expiação de pecados no Antigo Testamento acabou quando João Batista batizou Jesus. Através do batismo de Jesus e do Seu sangue derramado, os pecados de toda a humanidade foram remidos e a salvação do pecado foi realizada de forma perfeita.
O sacerdote Zacarias ouviu Deus dizer que Ele lhe daria um filho. Mas Isabel, mulher de Zacarias, já era idosa. Para a mente humana parecia impossível uma mulher idosa gerar um filho. Mas a esposa de Zacarias engravidou como Deus havia dito e sua barriga começou a crescer. Seis meses depois, a barriga da virgem Maria também começou a crescer. Um anjo apareceu a Maria e disse: “Salva agraciada”, e Maria sentiu um friozinho na barriga e disse: “Eu sou a serva do Senhor. Cumpra-se em mim segundo a tua palavra” (Lucas 1:38).
Assim, ao ser revestida da graça de Deus, Maria recebeu a bênção de dar à luz a Jesus Cristo. E isso que aconteceu com a virgem Maria, ela ficar grávida, só pode ter sido uma bênção. De fato, ela poderia ter sido condenado por cometer adultério, segundo o mandamento da lei dos judeus naqueles dias; assim como até hoje é uma vergonha uma mulher criar um filho sem marido. E isso até fazia com que a mulher nunca mais pudesse se casar. Mas a graça de Deus sobre Maria lhe concedeu honra e glória ao invés de trazer-lhe sofrimento.
Depois de confessar sua fé, a barriga de Maria começou a crescer. A verdade é que Jesus foi concedido por Maria através do Espírito Santo, assim como foi a mensagem entregue pelo anjo de Deus. Deste modo, Jesus Cristo, nosso Salvador, nasceu através do corpo da virgem Maria. Maria não era descendente de Arão. Ela era descendente de Judá. José, que era noivo de Maria, também era descendente de Judá. Portanto, Jesus Cristo era da família dos reis. Jesus Cristo é o Rei, e por isso Ele tinha que vir da família dos reis. Da mesma forma, João Batista veio como o último sacerdote, e por isso ele teve que vir da casa dos sumo sacerdotes, através dos descendentes de Arão.
Deus enviou Jesus, mas antes de enviá-Lo, Ele enviou João Batista, Seu servo e o maior dos profetas. Só por Ele ter feito isso, as profecias do Antigo Testamento foram cumpridas e nós pudemos crer Nele corretamente. Pelo fato do sumo sacerdócio ter sido algo estabelecido perpetuamente por Deus, os pecados do mundo tiveram que ser passados através do batismo de Jesus por meio de um descendente de Arão; e este foi João Batista, o último sumo sacerdote da humanidade que realizou essa obra.
Arão era o irmão mais velho de Moisés e ele foi o primeiro sumo sacerdote de Israel. Seu bisavô era Levi (filho de Jacó); seu avô era Coate; seu pai era Anrão e sua mãe Joquebede; e sua irmã mais velha era Miriã (Êxodo 6:16-20). Os filhos de Arão se chamavam Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar (Êxodo 6:23; Números 3:2). Desde que Moisés foi chamado por Deus para libertar seu povo do Egito, Arão o ajudou, pois ele era pesado de boca e de língua, e Arão falava por ele (Êxodo 4:10, 7:10). E quando houve a cerimônia em que Deus fez aliança com o povo de Israel no Monte Sinai, Moisés, juntamente com Arão e seus dois filhos e setenta anciãos de Israel, viram Deus e se alegraram na Sua presença. Isso nos mostra que eles representavam o povo de Israel legitimamente (Êxodo 24:1-11).
Portanto, desde o momento em que Deus mandou o povo de Israel construir o Tabernáculo, Arão e seus filhos receberam a unção de Deus e foram consagrados ao sacerdócio (Êxodo 8:41, 40:13-16). Arão, o primeiro sumo sacerdote de Israel, cumpriu o sacerdócio por 40 anos, e por esse motivo, a tribo de Rubens protestou contra sua autoridade de sumo sacerdote.
Mas segundo a vontade de Deus, dentre todas as varas das doze tribos de Israel, as flores desbrocharam na vara de Arão que representava a tribo de Levi; e isso provou que o sacerdócio foi dado por Deus à casa de Arão (Números 17:1-10). Quando Arão morreu com 123 anos, suas vestes foram dadas ao seu filho Eleazar, e Eleazar se tornou sumo sacerdote no lugar do seu pai (Números 20:23-29). O escritor do livro de Hebreus testifica que Arão foi o sumo sacerdote terreno e Jesus foi o sumo sacerdote celestial (Hebreus 7:11-28).
 
 
Está Claro que João Batista Foi o Sumo Sacerdote que Pôde Ministrar o Batismo sobre a Cabeça de Jesus para Expiar os Pecados do Mundo
 
Jesus testificou que João Batista era o representante de toda humanidade. Está escrito em Mateus 11:10-11: “João é aquele de quem está escrito: Adiante da tua face envio o meu anjo, que preparará diante de ti o teu caminho. Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João Batista; contudo, o menor no reino dos céus é maior do que ele”. João Batista cumpriu o sacerdócio ao passar os pecados do homem para Jesus, o Cordeiro sacrificial de Deus.
 
 
A porta dos Céus Está Aberta desde os Dias de João Batista
 
Quando estamos dispostos a fazer uma certa obra, nós nos preparamos para fazê-la bem. Do mesmo modo, para apagar os pecados do mundo, Deus preparou João Batista antes de tudo.
E aqui está a prova disso: “Princípio do evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus. Como está escrito no profeta Isaías: Eu envio o meu anjo diante da tua face, o qual preparará o teu caminho. Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas. Apareceu João batizando no deserto, e pregando o batismo de arrependimento, para remissão dos pecados. Toda a província da Judéia e os de Jerusalém iam ter com ele e, confessando os seus pecados, eram batizados por ele no rio Jordão. João andava vestido de pêlos de camelo, trazia um cinto de couro, e comia gafanhotos e mel silvestre. E pregava, dizendo: Após mim vem aquele que é mais forte do que eu, do qual não sou digno de, abaixando-me, desatar a correia das suas sandálias. Eu, em verdade, vos batizei com água, mas ele vos batizará com o Espírito Santo” (Marcos 1:1-8).
Vamos analisar mais atentamente João Batista, aquele que preparou tudo para o evangelho do Céu. Se nós lermos o livro de Malaquias no Antigo Testamento, veremos que os sacerdotes estavam todos corrompidos. Por essa razão, antes da vinda de Jesus há 2000 anos, não havia um sacerdote entre os israelitas que fosse digno aos olhos de Deus. Os sacerdotes naquele tempo eram tão corruptos que desprezaram os estatutos da Palavra de Deus, o sistema sacrificial dado por Ele e Seus mandamentos.
Foi por isso que Deus teve que fazer com que um sacerdote Seu nascesse nessa terra. Então, Deus enviou Seu mensageiro, e este não era nenhum outro senão João Batista, o que preparou o evangelho do Céu. João Batista foi enviado a essa terra seis meses antes de Jesus. Deus sempre usou um sacerdote a fim de representá-Lo para passar os pecados do povo para o animal do sacrifício, e foi por isso que Ele enviou João Batista. Portanto, Deus enviou João Batista e fez dele o sacerdote representante da humanidade. Mas já que João Batista não podia estar junto dos sacerdotes corruptos, todo o tempo que ele viveu no deserto ele procurou levar os israelitas ao arrependimento.
Está escrito no evangelho de Marcos capítulo 1 versículo 2: “Como está escrito no profeta Isaías: Eu envio o meu anjo diante da tua face”. Entretanto, a voz que clamava no deserto proclamava o arrependimento que levaria o povo a receber a remissão de pecados.
Havia dois tipos de batismo ministrado por João Batista. O primeiro era o batismo para o arrependimento que ele ministrou sobre o povo de Israel; e este foi o batismo pelo qual as pessoas que haviam deixado Deus voltaram para Jesus Cristo, a eterna propiciação pelos seus pecados. Como profeta, ao fazer com que o povo entendesse que era pecador e estava indo para o inferno, João Batista ministrou o batismo para o arrependimento àqueles que reconheceram e confessaram seus pecados. Assim, o povo vinha até João Batista e era batizado nas águas admitindo que eram pecadores perante Deus.
O segundo batismo foi aquele que João Batista ministrou em Jesus. E este foi o batismo que passou todos os pecados deste mundo ao corpo de Jesus. João Batista testificou que aqueles que receberam o batismo para o arrependimento perante Deus deveriam crer em Jesus, que tirou todos os pecados deste mundo pelo batismo.
Antes de Jesus ser batizado por João Batista, Ele lhe disse: “Deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda justiça” (Mateus 3:15). Como está escrito neste texto, a palavra profética de Deus, de que Jesus tiraria os pecados do homem e os expiaria, foi cumprida. João Batista, aquele que preparou o evangelho do Céu, passou os pecados do mundo para Jesus para todo sempre ao batizá-Lo como a perfeita expiação por estes pecados. Assim, ele tornou possível a todos nós entrar no Céu pela fé em Jesus. Jesus se tornou o caminho para o Céu. Você crê nisso?
Está escrito no evangelho de Marcos capítulo 1 versículos 14 e 15: “Depois que João foi entregue à prisão, veio Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho do reino de Deus, e dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo. Arrependei-vos e crede no evangelho”. O evangelho é “as boas novas”, “euaggelion” em grego. As boas novas é que Jesus tirou todos os pecados do mundo recebendo-os sobre Seu corpo ao ser batizado por João Batista, porque a expiação dos pecados é o evangelho do Céu. Todos os pecados do mundo foram passados para Jesus quando João Batista O batizou.
O evangelho do batismo que Jesus recebeu e do Seu sangue na Cruz é o evangelho que expiou os pecados do homem. E os pecados do mundo se referem aos pecados que todas as pessoas cometeram no mundo. E isso inclui você e eu, nossos filhos e netos que irão nascer no futuro. Seus pecados se referem a todos os pecados do passado, do presente e do futuro (eles não incluem apenas os pecados cometidos no passado, mas os pecados que você cometerá no futuro também). E estes são os pecados do mundo. Além disso, o mundo não se refere apenas à terra, mas ao começo e fim de todo universo.
 
 
João Batista Veio para Pregar a Verdade sobre a Expiação de Pecados
 
João Batista trouxe a Verdade da justiça ou a Verdade da salvação pela qual Deus expiou os pecados do homem, como está escrito: “Pois João veio a vós a fim de vos mostrar o caminho da justiça, e não crestes nele, mas os cobradores de impostos e as meretrizes creram. Vós, porém, mesmo vendo isto não vos arrependestes para crerdes nele” (Mateus 21:32). João Batista veio para pregar a Verdade da justiça. João Batista foi o profeta enviado ao mundo por Deus para levar as pessoas à justiça. Ao passar os pecados das pessoas do mundo para Jesus, todas elas receberam a remissão dos seus pecados crendo nessa Verdade. Quando João Batista deu testemunho do ‘evangelho da expiação de pecados’, pelo qual ele passou todos os pecados do mundo para o Senhor, muitos receberam a salvação tendo fé e crendo nessa Verdade por causa do seu testemunho. Em Mateus 21:32 está escrito: “Pois João veio a vós a fim de vos mostrar o caminho da justiça, e não crestes nele, mas os cobradores de impostos e as meretrizes creram. Vós, porém, mesmo vendo isto não vos arrependestes para crerdes nele”. Aqui, a frase “pois João veio a vós a fim de vos mostrar o caminho da justiça”, fala da obra de João Batista, o último sumo sacerdote do Antigo Testamento (Mateus 11:13), que pelo batismo passou todos os pecados do homem para Jesus.
Você acha que os coletores de impostos e prostitutas creram no batismo de Jesus, pelo qual João Batista passou os pecados do mundo para Ele? Nós temos que ver mais uma vez por que as prostitutas e os coletores de impostos receberam a salvação de todos os seus pecados pela fé, crendo na obra de justiça realizada por Jesus Cristo e João Batista. E por que muitas pessoas sofrem por não terem fé neste ministério da justiça? As prostitutas e os cobradores de impostos só eram pessoas comuns que haviam cometido muitos pecados.
Se João Batista não tivesse feito a obra de passar os pecados do mundo para Jesus de uma vez por todas, as prostitutas e os coletores de impostos não teriam recebido a salvação dos seus pecados que eram mais densos que a névoa e as nuvens do céu. Os coletores de impostos e prostitutas criam de coração que o batismo que Jesus recebeu de João Batista era o batismo para a expiação de todos os seus pecados, e por isso eles receberam a salvação. E eles também criam que Jesus era o Filho de Deus e que receberam a salvação para a vida eterna tendo fé que Jesus é o Cordeiro sacrificial que Deus enviou para salvá-los dos seus pecados.
Se não fosse pelo papel que João Batista desempenhou no evangelho para expiação de pecados, como poderíamos crer em Jesus e receber a salvação? Você pode até dizer: “Eu não creio no batismo de Jesus mas creio em Jesus”. Já que é assim, você acha que Jesus pode ser o seu Salvador sem você ter fé que seus pecados foram expiados pelo Seu batismo? Se este for o caso, Jesus morreu sem levar os seus pecados com Seu batismo então. Você acha que pode nascer de novo crendo em Jesus? Amados irmãos, meditem sobre isso mais uma vez.
A fim de te livrar do pecado e do juízo, Deus enviou João Batista e planejou que Jesus tirasse todos os seus pecados por meio dele. Já que Deus decidiu passar todos os seus pecados para Jesus através do Seu batismo, você então jamais poderá receber a salvação sendo contra a decisão de Deus. Se você se opuser ao evangelho do batismo de Jesus e do Seu sangue, você não será uma pessoa redimida então. Por outro lado, você será uma das pessoas que irá para o inferno por se opor ao plano de Deus. Eu espero que, baseado na Palavra da Verdade, você pense muito bem sobre o que é a fé verdadeira.
O certo é você receber a salvação crendo em Jesus segundo o plano de Deus. O que você está sentindo agora? Eu espero que você jogue fora todos os seus pensamentos e creia na Verdade, que todos os seus pecados foram remidos através do batismo que João Batista ministrou em Jesus. Eu oro para que você creia na vontade de Deus, que deseja te salvar pela água e pelo Espírito.
Se você crê que todos os seus pecados foram passados para Jesus você é um justo, porque pela fé você não tem pecado. E os justos que crêem nisso vão para o Céu segundo a Lei da graça de Deus. Se você não consegue aceitar o fato de que todos os seus pecados foram passados para Jesus por João Batista, isso então significa que você recusou a salvação de Deus. Você se nega a aceitar o caminho da justiça que João Batista ministrou sobre Jesus? Se você resistir a essa bênção, você tem que entender que estará rejeitando todos os planos de Deus e será para Ele como um filho bastardo, recusando-se a aceitar a Verdade.
Depois de batizar Jesus no rio Jordão, João Batista testificou Dele no outro dia, proclamando: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (João 1:29). Jesus recebeu os pecados do mundo, e três anos depois de ser batizado morreu na Cruz a fim de pagar o preço por eles.
O pecado não tem peso. Ele não tem cor, cheiro, forma e não faz barulho algum. Ninguém pode percebê-lo através dos cinco sentidos (visão, olfato, paladar, audição ou tato), e é por isso que as pessoas não podem senti-lo. Pare de ser racional em relação aos seus sentidos e suas emoções, achando que seus pecados vão desaparecer. Emoções mudam. Mas a Verdade dita na Palavra de Deus que Jesus apagou os pecados do mundo jamais mudará.
Eu tenho certeza que você agora crê na Palavra da Verdade onde João Batista deu testemunho, dizendo: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (João 1:29). E Jesus deu testemunho por três anos também, dizendo: “Eu sou o caminho, a verdade, e a vida” (João 14:6). Deus testificou que o batismo de Jesus e Seu sangue foi que expiou os pecados do homem. Ele nos mandou pregar o evangelho do batismo de Jesus e do Seu sangue; nós que cremos e vivemos como Seus discípulos. Meus amados irmãos, o profeta Isaías disse: “Falai benignamente a Jerusalém, e bradai-lhe que já a sua malícia é acabada, que a sua iniqüidade está expiada, e que já recebeu em dobro da mão do Senhor, por todos os seus pecados” (Isaías 40:2). Sim, isso é verdade. Jesus nos salvou levando os seus e os meus pecados através do batismo que Ele recebeu de João Batista, morrendo na Cruz para pagar o preço por eles e ressuscitando. A primeira coisa que Deus fez para expiar os pecados do ser humano e nos salvar foi enviar João Batista. A verdade é que a fim de salvar do pecado nós, pecadores, Deus enviou primeiro João Batista, o embaixador do Rei. A Bíblia diz isso.
No livro de Malaquias no Antigo Testamento, no capítulo 3 versículo 1, está escrito: “Vede, eu envio o meu mensageiro que preparará o caminho diante de mim. De repente virá ao seu templo o Senhor, a quem buscais, o mensageiro da aliança, a quem desejais; ele vem, diz o Senhor dos Exércitos”. A verdade é que Deus prometeu enviar João Batista, o Seu mensageiro, no livro de Malaquias no Antigo Testamento.
Deus fez com que o ser humano recebesse a expiação dos seus pecados através de Jesus e de João Batista, Seu servo. Ele passou todos os pecados do mundo para Jesus ao batizá-Lo. Esta foi a forma de nos preparar o caminho para o Céu, levando-nos a receber a remissão de pecados; e este é o caminho da salvação que salvou a nós, seres humanos. E não existe outro caminho da salvação. O Senhor disse: “Eu sou o caminho, a verdade, e a vida” (João 14:6).
Jesus expiou todos os nossos pecados ao levá-los através do Seu batismo e ao morrer na Cruz, e este é o caminho e a verdade que nos capacita a receber a salvação. E quando cremos nisso, nós podemos receber a vida eterna. Você também passou todos os seus pecados para Jesus quando João Batista passou todos os pecados do mundo para Ele quando O batizou? Você crê nessa Verdade? Este foi o plano que Deus criou e revelou aos sábios. Mas se você recusar isso, você nunca poderá entrar no Reino dos Céus. Deus foi batizado por João Batista e expiou todos os seus pecados para te salvar. Eu espero que você creia no caminho da salvação inaugurado por Jesus. Eu espero que nenhum de vocês recuse o caminho da vida.
“Desde os dias de João Batista até agora, faz-se violência ao reino dos céus, e pela força apoderam-se dele” (Mateus 11:12). Fazer violência aqui significa que as pessoas que crêem que todos os seus pecados foram passados para Jesus quando Ele foi batizado por João Batista, com certeza entrarão no Reino dos Céus pela fé porque não têm mais pecado. O Reino dos Céus agora pertence àqueles que crêem que os pecados do mundo foram passados a Jesus por João Batista. Todo aquele que crê no evangelho da expiação de pecados, através do qual João Batista passou todos os pecados do mundo para Jesus, com certeza irão receber a salvação. Meus amados irmãos, quem foi aquele que preparou o caminho do Reino dos Céus para nós?
Deus disse: “Adiante da tua face envio o meu anjo, que preparará diante de ti o teu caminho”, e isso significa que Ele preparou João Batista antes para que nós pudéssemos entrar no Reino dos Céus. Ao fazer a obra de passar nossos pecados para Jesus João Batista nos tornou justos sem nenhum pecado e filhos de Deus. Ele nos preparou para que pudéssemos entrar no Reino dos Céus. Foi João Batista, o mensageiro pessoalmente enviado por Deus, que nos preparou o caminho para que pudéssemos ir para o Reino dos Céus, pois ele é o representante de cada um de nós. João Batista preparou o caminho para que os seres humanos nascessem de novo.
“Então veio Jesus da Galiléia ter com João junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João tentava dissuadi-lo, dizendo: Eu preciso ser batizado por ti, e vens tu a mim? Mas Jesus lhe respondeu: Deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça. Então João consentiu. Assim que Jesus foi batizado, saiu logo da água. Nesse instante abriram-se-lhe os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e pousando sobre ele. E uma voz dos céus disse: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mateus 3:13-17).
João Batista realizou a obra da justiça. O ministério de João Batista, pelo qual ele passou todos os pecados das pessoas deste mundo para Jesus, foi uma obra justa. Estes são o evangelho da expiação de pecados, a justiça de Deus e o caminho da salvação dos quais João Batista deu testemunho. Então, para recebermos a salvação, temos que entender e crer de coração no batismo de Jesus, no Seu sangue derramando e na Sua ressurreição, os quais compõem o evangelho da expiação de pecados.
Jesus também cumpriu a justiça de Deus com Seu batismo. Ele completou a salvação da humanidade ao levar os pecados do mundo inteiro através do batismo que recebeu de João Batista, e morreu na Cruz para expiar todos eles.
Se lermos o livro de Hebreus, Jesus diz que Ele é o sumo sacerdote celestial segundo a ordem de Melquizedeque. Ele não tem genealogia e não é descendente de Arão. Jesus Cristo não é descendente de Adão, ao contrário, Ele é o Filho de Deus. Ele não tem genealogia porque é o nosso Criador e Aquele que diz de Si mesmo “Eu sou o que sou”. Mas Ele deixou a glória do Céu e veio a essa terra para salvar o Seu povo. Já que aqueles que Ele criou para abençoar estavam ansiando pela vida depois de terem caído em pecado por causa da tentação do diabo, Ele veio a essa terra num corpo carnal e foi batizado no rio Jordão para salvar o homem expiando todos os seus pecados.
Vamos ler juntos Mateus 3:15: “Jesus lhe respondeu: Deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça. Então João consentiu”. Jesus disse a João Batista, o representante da terra, que estava tudo bem. Então, João Batista obedeceu e disse: “Está bem, eu farei isso”. Jesus abaixou Sua cabeça para ele e foi batizado então. Assim como o sumo sacerdote impunha as suas mãos sobre a cabeça do bode expiatório para transferir para ele os pecados anuais dos israelitas, como podemos ver no Antigo Testamento, do mesmo modo João Batista passou os pecados do mundo para Jesus ao batizá-Lo.
 
 
A Salvação do Pecado é Realizada pelo Princípio da Representação
 
Quando um país faz um acordo com outro, este acordo se torna legal quando os chefes de estado de ambos os países o assinam, cada um representando seu povo ou sua nação. Da mesma forma, nossa salvação foi realizada pelo princípio da representação. Representando toda a humanidade, João Batista passou nossos pecados para Jesus quando O batizou. A palavra batismo tem o sentido espiritual de “purificar, enterrar, passar e transferir”. Quando um pecador passava seus pecados para um animal pela imposição de mãos no Antigo Testamento, estes pecados eram passados para o animal que morria em seu lugar a fim de expiá-los.
Levítico 16:21 é um versículo que diz: “Porá ambas as mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele confessará todas as iniqüidades dos filhos de Israel, e todas as suas rebeldias, segundo todos os seus pecados, fazendo-os assim cair sobre a cabeça do bode. E o enviará ao deserto pela mão de um homem designado para isso”. Como diz este versículo, todo ano, no Dia da Expiação, Arão realizava a imposição de mãos sobre a cabeça do bode expiatório segundo o princípio da representação em favor do povo. E quando Arão impunha suas mãos sobre o bode, todos os pecados do povo de Israel passavam para ele (Levítico 16:20-22). O povo de Israel tinha pecado naquela hora então? Não, não tinham. E dentro deste mesmo princípio, pelo batismo que Jesus recebeu de João Batista, o representante da humanidade, a vontade de Deus de expiar todos os seus pecados foi cumprida. No Antigo Testamento, o animal do sacrifício recebia os pecados do povo pela imposição de mãos (Levítico 16:21). E o batismo que Jesus recebeu de João Batista no rio Jordão (Mateus 3:13-17) é o mesmo que a oferta do sacrifício para a expiação. As palavras “deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça” (Mateus 3:15), significam o mesmo que “Eu cumprirei toda a justiça neste mundo levando sobre Mim todos os seus pecados ao ser batizado por você”. E “pois assim” quer dizer “quando você me batizar e Eu for batizado por você”. As palavras “pois assim” mencionadas aqui são ‘οϋτως γάρ’ em grego. E essas palavras significam o mesmo que ‘exatamente dessa maneira’, ‘o mais adequado’ ou ‘não há outro jeito além deste’.
Portanto, a frase “pois assim nos convém cumprir toda a justiça” significa: “o certo é que Eu leve todos os pecados do homem, de todas as pessoas, pelo método mais apropriado que existe: você ministrando o batismo em Mim e Eu o recebendo por todos vocês”. Melhor dizendo, o Senhor está falando: “As pessoas vão para o inferno por causa dos seus pecados. Todo mundo está sofrendo agora por causa do pecado. Eles estão sendo oprimidos pelo diabo. Eles não podem receber as bênçãos de Deus por causa do pecados. Então, a fim de abençoar as pessoas para que elas possam entrar no Céu, Eu tenho que ser batizado por você. Você é descendente de Arão. Então, como representante da humanidade, você tem que me batizar em favor de todo mundo. Eu receberei o batismo de você. E ao fazermos isso, toda a justiça será cumprida neste mundo”. Quando Jesus disse a João Batista: “Me batize”, ele respondeu: “Está bem, eu farei isso”. Assim, João Batista impôs suas mãos sobre a cabeça de Jesus e passou os pecados para Ele. Naquele exato momento, todos os pecados foram completamente passados para Jesus.
Jesus já pecou alguma vez? Não, nunca. Jesus Cristo foi concebido pelo Espírito Santo, e por isso Ele não tinha pecado. E o Senhor não cometeu mesmo nenhum pecado neste mundo. Nós seres humanos nascemos com pecado, mas Jesus não. Jesus nunca cometeu um simples pecado enquanto viveu nessa terra, nem um simples erro sequer. Por que você acha então que Jesus teve que morrer pregado na Cruz?
A primeira obra feita por Jesus em Seu ministério público foi levar todos os pecados ao ser batizado no rio Jordão. Através do último sacerdote chamado João Batista, o representante da humanidade, Jesus levou todos os pecados das pessoas. Por isso que Ele foi condenado e morreu na Cruz. Foi assim o ministério de Jesus por três anos, e até quando Ele viu a mulher adúltera Ele disse: “Eu não posso te julgar nem te condenar. Eu é que tenho que se condenado. Eu tenho que morrer na Cruz em seu lugar”.
No jardim do Getsêmani, Jesus orou assim: “Seja feita não a Minha, mas a Tua vontade”. Antes Ele havia orado com todo fervor assim: “Pai, se for a Tua vontade, passe de Mim este cálice”. No entanto, mais tarde, com toda submissão Ele acabou obedecendo ao plano da salvação do Pai. Embora Jesus quisesse evitar tudo aquilo, se fosse possível, Ele acabou desistindo para obedecer à vontade do Pai, dizendo: “Seja feita não a Minha, mas a Tua vontade”, e então preparou Seu coração. Ele sabia que a vontade do Pai era que Ele morresse. Depois disso, Ele foi levado à corte de Pilatos, foi torturado, recebeu acoites como um condenado à morte até que Seu corpo fosse todo dilacerado. Por isso, quando Ele foi pendurado na Cruz Ele já estava quase morto.
À pergunta de Pilatos: “Tu é os Cristo? Tu és o Salvador? O Filho de Deus? Jesus respondeu: “Já que você está falando, seja conforme você está dizendo”. E quando Pilatos disse: “Se você disser as palavras corretas eu posso te libertar. Eu tenho poder para isso”, Jesus então respondeu: “Nenhuma autoridade terias contra mim, se de cima não te fosse dada. Aquele, porém, que me entregou a ti maior pecado tem” (João 19:11), e ficou em silêncio como uma ovelha perante seus tosquiadores.
Por que você acha que Jesus fez isso? O fato é que Jesus tinha que sofrer o castigo da crucificação em nosso lugar, pois Ele levou todos os pecados do mundo através do Seu batismo. Só quando Jesus recebeu o castigo da crucificação foi que a luta contra o pecado chegou ao fim. Só então as pessoas pararam de sofrer por causa do pecado. Só então o homem foi liberto do pecado e da escravidão. Foi por isso que Jesus ficou em silêncio, como uma ovelha tendo seu pêlo tosquiado. Este é o evangelho do batismo e do sangue de Jesus que expiou todos os pecados do homem.
 
 
O Senhor Expiou Todos os Pecados do Mundo Por Completo
 
No evangelho de João capítulo 1 versículo 29, João testifica de Jesus um dia após tê-Lo batizado, dizendo: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!”. João Batista com toda certeza ministrou em Jesus o batismo que expiou os pecados do homem. Quando Jesus veio em direção a João Batista um dia após ter sido batizado, João Batista deu testemunho dizendo às pessoas: “Olhem para Ele. Ele é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Olhem para ele, gente! Ele é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. João Batista passou todos os pecados do homem para Jesus ao batizá-Lo, e por essa razão ele testificou pessoalmente que Ele era o Salvador. “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (João 1:29). Jesus foi o Cordeiro de Deus que tirou o pecado do mundo. O Filho de Deus veio a essa terra e tirou o pecado do mundo.
Em João 1:35-36, João Batista deu testemunho novamente, como está escrito: “No dia seguinte João estava outra vez ali, na companhia de dois dos seus discípulos. Quando ele viu Jesus passar disse: Eis o Cordeiro de Deus”. O Cordeiro mencionado aqui se refere a Jesus, o Cordeiro de Deus e nosso substituto que se tornou a oferta do sacrifício de toda humanidade, assim como o animal do sacrifício no Antigo Testamento tinha que morrer em favor do povo.
Por você e por mim, o Filho de Deus, nosso Criador, veio a essa terra e apagou todos os nossos pecados com Seu batismo e Seu sangue derramado. A fim de tirar e expiar todos os nossos pecados – tanto o pecado original quanto os pecados pessoais, todos os pecados de transgressão e todo pecado maligno que o homem cometeu desde os dias da criação até o fim do mundo – Jesus foi batizado por João e derramou Seu sangue na Cruz.
Aproximadamente 2000 anos atrás, Jesus já apagou todos os pecados do mundo. E o calendário que usamos está baseado no nascimento de Jesus Cristo, que é o Senhor da história. Como você deve saber bem, as nossas datas foram estabelecidas como A.C e D.C (Anno Domini, ou seja, ‘no ano do nosso Senhor), referindo-se ao período antes e depois do Seu nascimento. Jesus levou todos os pecados do mundo ao ser batizado em 30 A.D por João Batista, e por isso ele apontou para Jesus no outro dia e disse: “Eis o Cordeiro de Deus” (João 1:36). João Batista deu testemunho do evangelho da expiação de pecados dizendo: “Jesus levou todos os seus pecados por completo. Sua batalha acabou então. Vocês não têm mais pecado. Qualquer que seja o pecado que vocês tenham cometido, o Filho de Deus levou todos eles”.
Amados irmãos, Deus levou todos os nossos pecados pelo batismo de Jesus. Depois de passar todos os pecados para Jesus, João Batista testificou dizendo: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (João 1:29). João Batista deu testemunho desta Verdade para que todos cressem em Jesus. Está escrito: “Este veio como testemunha para testificar a respeito da luz, a fim de que todos cressem por meio dele” (João 1:7). Essa é a Palavra que há no evangelho de João. Se não fosse pelo testemunho de João Batista, como as pessoas poderiam saber se Jesus tirou ou não os pecados do mundo? A Bíblia diz que Jesus tirou todos os nossos pecados, mas foi João Batista que testificou: “Ao tirar todos os pecados do mundo com Seu batismo, Jesus pessoalmente levou todos eles até a Cruz”.
João Batista é o elo que liga o Antigo ao Novo Testamento. Ele foi o servo de Deus que fez tudo isso para que a Palavra do Antigo Testamento fosse cumprida em Jesus. Crendo nisso, eu oro para que você receba a salvação. Por causa do testemunho de João Batista e daqueles que hoje são fiéis, é possível que toda a humanidade creia que o batismo que Jesus recebeu foi aquele que levou todos os seus pecados, e que por causa disso, Jesus teve que derramar Seu precioso sangue na Cruz.
Eu dou graças a Deus por Ele ter feito com que todos os nossos pecados fossem expiados ao enviar João Batista e Jesus.