Sermões

Assunto 17: JESUS CRISTO e JOÃO BATISTA

[17-12] (Lucas 1:1-17) Devemos Crer em Jesus Entendendo Também o Ministério de João Batista

(Lucas 1:1-17)
“Tendo muitos empreendido uma narração dos fatos que entre nós se cumpriram, segundo nos transmitiram os que desde o princípio foram deles testemunhas oculares, e ministros da palavra, pareceu-me também conveniente descrevê-los a ti, ó excelente Teófilo, por sua ordem, havendo-me já informado minuciosamente de tudo desde o princípio, para que tenhas plena certeza das coisas em que foste ensinado. Existiu no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias; sua mulher era das filhas de Arão, e o seu nome era Isabel. Eram ambos justos perante Deus, andando sem repreensão em todos os mandamentos e preceitos do Senhor. Mas não tinham filhos, porque Isabel era estéril, sendo ambos avançados em idade. Exercendo ele o sacerdócio diante de Deus, na ordem do seu turno, coube-lhe por sorte, segundo o costume sacerdotal, entrar no templo do Senhor para oferecer o incenso. Chegada a hora de oferecer o incenso, toda a multidão do povo estava fora, orando. Então um anjo do Senhor lhe apareceu, em pé, à direita do altar do incenso. Vendo-o, Zacarias perturbou-se, e o temor apoderou-se dele. Mas o anjo lhe disse: Zacarias, não temas. A tua oração foi ouvida. Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João. Terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento, pois será grande diante do Senhor. Não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe. E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus. Irá adiante dele no espírito e poder de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, converter os rebeldes à prudência dos justos, e preparar ao Senhor um povo bem disposto.”
 
 
Eu Sou Grato a Deus por Ele Nos Ter Dado o Alimento Espiritual em Abundância
 
Eu andei bastante procurando uma copiadora para comprar e vi muitas pessoas buscando algo que as satisfizesse. Elas eram pobres espiritualmente apesar de viverem nesta época tão abundante e rica materialmente. Elas pareciam estar vagando pelo deserto extremamente sedentas, tentando achar uma forma de conseguir um pouco d’água. Numa visão carnal, elas até que pareciam ricas materialmente, mas, na verdade, eu percebi que elas pareciam muito pobres e infelizes quando eu pude ver sua alma. Aos meus olhos, elas eram pessoas que estavam lutando contra a morte por estarem sendo assoladas pela fome e pela pobreza em sua alma; pessoas que estavam morrendo por causa da sua grande fome espiritual.
Ao olhar para elas, eu pude entender o significa espiritual da Palavra de Deus que diz: “Não só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”. Quando Jesus foi tentado após jejuar e orar por 40 dias, a primeira coisa que Satanás usou para tentá-Lo foi a comida. Satanás, o diabo, trouxe uma pedra para o Senhor e disse: “Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães”. Ao passo que Jesus respondeu desse jeito quando foi tentado por Satanás: “Está escrito: Não só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”, e o repreendeu. O que Ele estava dizendo é que ninguém pode viver só de pão, mas que todos devem viver pela palavra que sai da boca de Deus. O ser humano precisa comer o pão carnal, mas todos têm que se alimentar com a Palavra de Deus, que é o alimento espiritual, junto com o pão carnal para desfrutar da verdadeira vida.
Nós temos que lembrar que só poderemos viver realmente se nos alimentarmos de toda a Palavra de Deus e se dermos graças por Ele ter nos dado o pão diário para comermos neste mundo. Como devemos ser gratos por Deus ter nos dado Sua Palavra para a comermos espiritualmente pela fé! Mas eu ainda fico imaginando se você sabe realmente o quanto a Palavra de Deus é preciosa para você? Nós temos que entender que há muitas pessoas que, mesmo querendo, não podem se alimentar da Palavra de Deus. Quando nós vemos pessoas assim que não podem ter o alimento espiritual, temos que ver o quanto somos abençoados por estarmos na presença de Deus. Temos que ser gratos pela Palavra de Deus. Nós podemos nos alimentar da Palavra de Deus abundantemente pela fé no evangelho da água e do Espírito, mas a maioria dos cristãos não pode se alimentar da Palavra de Deus pela fé mesmo se quiserem.
O Senhor disse que não só de pão viverá o homem, mas de todo palavra que sai da boca de Deus. Há muitas pessoas que vivem neste mundo sem saber que a Palavra da Verdade existe e que tudo que elas precisam é da Palavra de Deus. Quando eu vejo pessoas andando por aí sem poder se alimentar da Palavra de Deus e sem saber que a Palavra da Verdade existe, eu vejo o quanto somos abençoados realmente.
Eu vejo como todos os irmãos da Igreja de Deus são de fato abençoados. No entanto, quanto mais nos sentirmos assim, nós, os crentes da Igreja de Deus, mais temos que olhar para nós mesmos e ver o quanto temos que ser gratos por isso; mais temos que nos alimentar da Palavra de Deus e estar com nosso coração cheio de gratidão. O que eu estou dizendo é que eu percebi no meu coração que tinha que ensinar algo tão precioso assim às pessoas, porque talvez haja muitos crentes na Igreja que clamam o nome de Jeová, O louvam pelo que Ele fez, oram a Ele, lêem e ouvem a Palavra, têm comunhão uns com os outros, mas não entendem o quanto é preciosa a graça do Pai. Você não sabe como é preciosa a graça que nos permite ouvir a Palavra de Deus agora. Eu vejo como é precioso eu poder olhar para a Palavra de Deus, pregá-la para você e ouvi-la de você, e também ter comunhão com os santos do nosso Deus.
“Não só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”. Você então se sente realmente grato e percebe o quanto é precioso podermos viver nos alimentando da Palavra de Deus? A Palavra de Deus é mesmo preciosa. Ela está num nível totalmente diferente de tudo que nós falamos. A Bíblia é o registro de toda palavra que saiu da boca de Deus, e é por isso que vivemos crendo nela pela fé. Aqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito devem se alimentar mesmo com as coisas do mundo porque são carne. Ao mesmo tempo, contudo, também temos que nos alimentar da Palavra de Deus, enquanto que pessoas comuns só se alimentam das coisas do mundo. Também temos que nos alimentar das coisas celestiais porque temos um espírito. Eu sou grato a Deus por Ele ter dado todas essas bênçãos a nós que cremos no evangelho da água e do Espírito.
 
 
“Havendo-me Já Informado Minuciosamente de Tudo Desde o Princípio”
 
Lucas era médico e ele foi o autor do evangelho de Lucas. Ele escreveu o evangelho de Lucas e os Atos dos Apóstolos enquanto pregava o evangelho nas suas viagens missionárias com o apóstolo Paulo. Originalmente, o evangelho de Lucas e os Atos dos Apóstolos eram um só livro. Aqui aparece alguém chamado Teófilo, mas não sabemos quem ele é. Se nós lermos Atos dos Apóstolos capítulo 1 versículo 1, ele começa assim: “Tendo muitos empreendido uma narração dos fatos que entre nós se cumpriram”, e continua em Lucas 1:2-4: “Segundo nos transmitiram os que desde o princípio foram deles testemunhas oculares, e ministros da palavra, pareceu-me também conveniente descrevê-los a ti, ó excelente Teófilo, por sua ordem, havendo-me já informado minuciosamente de tudo desde o princípio, para que tenhas plena certeza das coisas em que foste ensinado”.
Assim, nós podemos ver que Lucas escreveu para alguém chamado Teófilo tanto no seu evangelho quanto no livro de Atos dos Apóstolos. E Teófilo deve ter sido uma pessoa muito importante porque Lucas o chamou de “ó excelente Teófilo; e ele devia crer em Jesus como seu Salvador também. Conforme continuamos lendo, está escrito: “Segundo nos transmitiram os que desde o princípio foram deles testemunhas oculares, e ministros da palavra” (Lucas 1:2). Jesus teve doze discípulos que vivenciaram, ouviram e viram Jesus Cristo com seus olhos espirituais e carnais. E eles compartilharam com outras pessoas a Palavra que ouviram de Deus. Eles falaram exatamente o que tinham visto, e alguns obreiros pegaram a caneta e registraram todos os fatos. Este discípulo chamado Lucas também achou que seria bom escrever para o excelente Teófilo sobre Jesus em ordem cronológica, dizendo que ele também tinha visto tudo em detalhes desde o começo. Lucas disse que estava fazendo isso para que o excelente Teófilo tivesse conhecimento de tudo que ele aprendeu.
Lucas, um dos discípulos de Jesus Cristo, também escreveu sobre Ele. Naqueles dias, algumas pessoas estavam espalhando um boato de que as pessoas que criam em Jesus bebiam sangue. Elas andavam dizendo que os que criam em Jesus tinham que beber sangue para viver. Lucas então escreveu para refutar este boato ridículo. Ele disse: “Eles na verdade não bebem sangue. Eles apenas usam vinho para celebrar o sangue de Jesus que foi derramado por este mundo”.
Por essa razão, quando alguém difamava a Palavra de Jesus Cristo e escrevia coisas más, e quando pessoas más escreviam para prejudicar os cristãos da Igreja Primitiva, Lucas escrevia uma refutação para as pessoas que criam em Deus corretamente. Ele provava que o que os outros andavam dizendo não era verdade e enviava isso às pessoas que estavam difamando os filhos de Jesus Cristo e às pessoas de influencia da época. Ele fazia isso para evitar que as pessoas que tinham altos cargos no governo lessem o que estavam escrevendo os difamadores, a fim de que eles não cressem em nenhuma das suas palavras e, conseqüentemente, viessem a perseguir os filhos da fé.
Há muitas pessoas que entendem as coisas do modo errado. E muita gente naquela época cria nesse boato ridículo, nessa mentira maligna espalhada sobre o povo de Deus, que eles se alimentavam de sangue humano. De fato, o que eles estavam querendo dizer é que pessoas assim tinham que ser mortas. Há um velho ditado que diz que a caneta é mais poderosa que a espada. Deste modo, as pessoas que criam em Jesus refutaram essa mentira negando o que estava sendo dito. As pessoas de um modo geral acreditam em tudo que lêem nos livros. Foi por este motivo que Lucas escreveu este livro para um oficial de alta patente chamado Teófilo.
Como eu já disse antes, o homem chamado de “ó excelente Teófilo” aqui parece ser alguém que cria em Jesus Cristo. E talvez tenha sido por isso que Lucas, o discípulo de Jesus Cristo, disse que seria melhor escrever tudo sobre Ele desde o começo em detalhes e da maneira mais simples como ele havia ouvido. Também para confirmar ao excelente Teófilo o que ele havia aprendido. O excelente Teófilo também havia aprendido a Verdade e crido nela. Lucas então lhe enviou essa carta pois viu que seria bom contar-lhe sobre Jesus Cristo em detalhes. O evangelho de Lucas nada mais é do que isso.
 
 
João Batista Nasceu da Família de Arão
 
Este João que batizou Jesus geralmente é chamado de João Batista para não ser confundido com João, o discípulo de Jesus. Vamos ver a Palavra no evangelho de Lucas capítulo 1 versos 5 ao 7. Está escrito: “Existiu no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias; sua mulher era das filhas de Arão, e o seu nome era Isabel. Eram ambos justos perante Deus, andando sem repreensão em todos os mandamentos e preceitos do Senhor. Mas não tinham filhos, porque Isabel era estéril, sendo ambos avançados em idade. Exercendo ele o sacerdócio diante de Deus, na ordem do seu turno” (Lucas 1:5-7).
Essa história é do tempo do rei Herodes em Israel. O relato minucioso do nascimento de João Batista foi escrito por Lucas há muito tempo. Havia um sacerdote da ordem de Abias cujo nome era Zacarias e sua esposa Isabel. Está escrito: “Eram ambos justos perante Deus, andando sem repreensão em todos os mandamentos e preceitos do Senhor”. A ordem de Abias se refere aos descendentes do sumo sacerdote Arão. Vamos ver a genealogia de João Batista. A lista divisão dos sacerdotes que são da descendência de Arão estão em 1 Crônicas capítulo 24. Vamos ver juntos. Está escrito: “Quanto aos filhos de Arão, foram estas as suas divisões: Os filhos de Arão foram: Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar. Nadabe e Abiú morreram antes de seu pai, e não tiveram filhos; assim Eleazar e Itamar exerciam o sacerdócio” (1 Crônicas 24:1-2). Aqui diz que Arão teve quatro filhos. Mas diz também que Nadabe, o primogênito de Arão, e seu irmão Abiu morreram ao oferecer sacrifício com fogo estranho, e que depois disso só restaram Eleazar e Itamar. Eles assumiram o sacerdócio e passaram a oferecer oferta de sacrifício a Deus.
Esta era sua função, e os nomes dos 24 netos de Arão vistos a partir do versículo 6 são estes: “O escrivão Semaías, filho de Natanael, levita, registrou-os perante o rei e os príncipes: Zadoque, o sacerdote, Aimeleque, filho de Abiatar, os cabeças de famílias dos sacerdotes e dos levitas, tomando-se uma família de Eleazar, e uma de Itamar. Saiu a primeira sorte a Jeoiaribe, a segunda a Jedaías, a terceira a Harim, a quarta a Seorim, a quinta a Malquias, a sexta a Miamim, a sétima a Hacoz, a oitava a Abias, a nona a Jesua, a décima a Secanias, a décima primeira a Eliasibe, a décima segunda a Jaquim, a décima terceira a Hupá, a décima quarta a Jesebeabe, a décima quinta a Bilga, a décima sexta a Imer, a décima sétima a Hezir, a décima oitava a Hapisez, a décima nona a Petaías, a vigésima a Jeezquel, a vigésima primeira a Jaquim, a vigésima segunda a Gamul, a vigésima terceira a Delaías e a vigésima quarta a Maazias. O ofício destes no seu ministério era entrar na casa do Senhor, segundo lhes fora ordenado por Arão, seu pai, como o Senhor Deus de Israel lhe tinha ordenado” (1 Crônicas 24:6-19).
O rei Davi organizou o sistema do sacerdócio levítico pois os descendentes de Arão eram em grande número. Eles foram divididos em 24 divisões segundo as famílias dos 24 netos de Arão. Um dos sacerdotes da divisão de Abias em Israel nos dias do rei Herodes se chamava Zacarias. Zacarias era um dos descendentes do sumo sacerdote Arão. O rei Davi organizou cada divisão para servir no Tabernáculo por 15 dias, e a divisão de Abias aparece aqui como a 8a nessa ordem.
O evangelho fala de João Batista, e o texto deste capítulo nos fala da sua genealogia desde o começo. Eu percebi que Lucas achou melhor enviar uma carta a Teófilo explicando a origem do evangelho. Portanto, Lucas mostrou claramente a genealogia de João Batista, dizendo que havia um sacerdote chamado Zacarias, da divisão de Abias, que sua esposa era das filhas de Arão e seu nome era Isabel. Está escrito que Isabel era também descendente de Arão. Isso quer dizer que ela foi escolhida da casa de Arão.
Eis que surge Zacarias e sua esposa Isabel. Zacarias era um sacerdote da divisão de Abias, um dos netos do sumo sacerdote Arão. Isabel também era descendente de Arão. A Bíblia diz que ambos eram justos perante Deus. Diz que eles andavam sem repreensão em todos os mandamentos e preceitos do Senhor. Esse casal de fato cria em Jeová com um coração sincero e obedecia a Lei de que Deus estabeleceu no Antigo Testamento. No Antigo Testamento o povo de Deus deveria oferecer um bode como sacrifício pelos seus pecados anuais; e eles seguiam essa Lei à risca.
A Bíblia diz: “Não há um justo, nem um sequer” (Romanos 3:10). Está escrito que não há um justo, a não ser aqueles que receberam a remissão de pecados crendo em Jesus segundo a lei da vida. Mas em meio a tudo isso, Zacarias e Isabel foram chamados justos. Isso quer dizer que lá no Antigo Testamento, eles creram que o Messias viria como o Cordeiro do sacrifício segundo a promessa de Deus, e que Ele lhes daria a remissão de pecados levando-os sobre Si pelo batismo e morrendo em seu lugar. Foi assim que eles se tornaram justos perante Deus.
O texto deste capítulo diz que eles eram justos, “andando sem repreensão em todos os mandamentos e preceitos do Senhor”. Eles eram realmente justos na sua maneira de andar, não somente por palavras. A Bíblia também diz: “Mas não tinham filhos, porque Isabel era estéril, sendo ambos avançados em idade. Exercendo ele o sacerdócio diante de Deus, na ordem do seu turno, coube-lhe por sorte, segundo o costume sacerdotal, entrar no templo do Senhor para oferecer o incenso. Chegada a hora de oferecer o incenso, toda a multidão do povo estava fora, orando. Então um anjo do Senhor lhe apareceu, em pé, à direita do altar do incenso. Vendo-o, Zacarias perturbou-se, e o temor apoderou-se dele. Mas o anjo lhe disse: Zacarias, não temas. A tua oração foi ouvida. Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João. Terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento” (Lucas 1:7-14).
Como você pode ver, este casal de idosos não tinha filhos. Mas quando Zacarias entrou no Templo de Deus para realizar sua função como sacerdote, segundo a ordem da sua divisão, antes dele oferecer sacrifício, um anjo apareceu no momento que ele oferecia incenso. É bem provável que, enquanto orava a Deus pelo povo, ele deve ter orado também pelo seu problema. Você e eu não oramos assim também? Mas a Bíblia diz que o anjo apareceu naquela hora e disse: “Mas o anjo lhe disse: Zacarias, não temas. A tua oração foi ouvida. Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João. Terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento, pois será grande diante do Senhor. Não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe. E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus. Irá adiante dele no espírito e poder de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, converter os rebeldes à prudência dos justos, e preparar ao Senhor um povo bem disposto” (Lucas 1:13-17).
O anjo disse a Zacarias que Deus daria um filho a Isabel, mas ele não acreditou. Deus então o fez ficar mudo por ele ter dado lugar aos seus pensamentos humanos e não ter crido na Sua Palavra. Assim, Zacarias ficou mudo até a criança nascer. E sua boca só foi aberta depois que João nasceu.
O anjo disse que Deus daria um filho a Zacarias e a Isabel, e que seu nome deveria ser João. Também disse que Zacarias deveria se alegrar e ficar feliz, assim como todos deveriam se alegrar com seu nascimento. Está escrito que João seria grande diante do Senhor, que ele seria cheio do Espírito Santo desde o ventre de sua mãe e faria com que os descendentes de Israel voltassem para Deus. Também está escrito que ele viria antes do Senhor no espírito e poder de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, converter os rebeldes à prudência dos justos.
Está escrito que Deus deu a ele o espírito e o poder do profeta Elias. Sabemos que Elias é o profeta representante do Antigo Testamento, e no Novo Testamento está escrito que João Batista é como Elias. Quando os escribas disseram que Elias viria e traria tudo de volta antes da vinda do Messias, Jesus disse: “Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram” (Mateus 17:12).
Quando Jesus disse que Elias já tinha vindo, o que Ele quis dizer é que João Batista nasceu neste mundo no espírito de Elias. Mas o que o espírito de Elias aqui significa? Se nós entendermos o que é o espírito de Elias poderemos ver porque João Batista era o representante de toda humanidade que preparou o caminho para o Senhor. Moisés é o representante da Lei no Antigo Testamento e Elias o representante de todos os profetas. Mas o representante de toda a humanidade é João Batista, que possui o espírito de Elias.
Nós podemos ver por que a Bíblia diz que João veio no espírito de Elias quando estudamos sobre este profeta do Antigo Testamento. Elias era um servo de Deus e um profeta de Gileade, no norte de Israel. Naquela época Israel estava dividido entre o reino do norte e o reino do sul, e o rei Acabe reinava sobre o reino do norte em Israel. Mas o rei Acabe, apesar de ser um israelita que deveria adorar a Deus, casou-se com uma mulher gentia. Sua mulher trouxe Baal para o palácio quando veio viver com Acabe a fim de adorá-lo como Deus, e assim os israelitas aceitaram o deus da sua rainha e começaram a adorar Baal também.
Baal significa ‘senhor’ e também pode ser traduzido como ‘dono’. Este deus era comumente adorado em Canaã naquela época. Eles criam que Baal era o deus que tornava a terra fértil e frutífera, e fazia com que o gado crescesse abundantemente. De todo jeito, ele era considerado como deus da prosperidade. Nós também temos divindades como Baal em nosso país. Nós podemos ver ídolos como Baal nos cemitérios públicos, e as pessoas na Coréia os colocam lá sem saber a origem dessa imagem.
Baal era um deus que controlava a produtividade da terra e o crescimento do gado, e por isso ele era adorado pela maioria dos fazendeiros. Esses deuses que supostamente controlam a agricultura e o gado são adorados no mundo todo. Esse deus é originalmente um deus gentio, não o deus do povo de Israel. Eles trouxeram esse deus gentio Baal e fizeram uma imagem dele, o adoravam e oravam pedindo suas bênçãos e para que tudo fosse bem. Eles oravam: “Por favor, nos dê filhos. Por favor, faça com que a colheita seja farta”.
Em todo caso, Jezabel, o esposa do rei Acabe, foi quem trouxe esse deus para Israel. A princípio ela adorava essa coisa com suas servas, mas o negócio se espalhou e muitas pessoas começaram a adorar Baal também. O poder de uma a rainha é maior do que você pode imaginar. Tem um ditado que diz: “São os que controlam o mundo; mas são as mulheres que controlam estes homens”. Se o homem é a cabeça, a mulher é o pescoço então. É o pescoço que move a cabeça para um lado e para o outro. Se o pescoço não quiser se mover, a cabeça então terá que ficar parado e não poderá fazer mais nada. Do mesmo modo, o homem agirá segundo o querer da mulher. Portanto, a rainha Jezabel controlava o rei Acabe da maneira que queria. Conseqüentemente, o que acabou acontecendo então? Israel se tornou uma nação que adorava Baal. Israel passou a ser uma nação que adorava o ídolo Baal, um deus gentio, e não mais uma nação que adorava a Jeová.
Elias era o profeta nos dias do rei Acabe. Moisés, que foi o primeiro profeta, recebeu a Lei de Deus no monte Sinai e a entregou ao povo de Israel. Ele esculpiu a Lei em duas tábuas de pedra, a colocou na Arca e ensinou aos israelitas o que era a Lei de Deus. Elias foi um profeta que viveu nos dias do rei Acabe, muito tempo depois de Moisés. Na época em que Jezabel e o povo de Israel adoravam a Baal, Elias viu aquela situação e declarou com toda autoridade a vontade de Deus a eles dizendo: “Não, Baal não é Deus. Este Baal cujo nome quer dizer ‘senhor’ é somente um ídolo e não o verdadeiro Deus. Adorá-lo e um grande pecado contra Jeová”.
Mas Jezabel e o povo de Israel continuaram a pecar a e chamá-lo de deus. Porém Elias sozinho não seria páreo contra milhares deles. Ele então ouviu a voz de Deus em secreto e profetizou. Ele foi ao povo como um profeta e os advertiu e os repreendeu. Mas Elias acabou indo contra os 850 profetas de Baal e Astarote para provar que o Senhor era o verdadeiro Deus de Israel, quando todos desrespeitaram a Palavra de Deus dizendo que ele era apenas a voz de um fanático. Elias disse então: “Jeová é o verdadeiro Deus. Vamos ver agora quem é o verdadeiro Deus”, e veio sozinho contra os 850.
Ele disse aos falsos profetas: “Só eu fiquei dos profetas do Senhor, mas os profetas de Baal são quatrocentos e cinqüenta homens. Dêem-se-nos dois novilhos. Escolham eles para si um dos novilhos, e o dividam em pedaços, e o ponham sobre a lenha, porém não lhe metam fogo. Eu prepararei o outro novilho e o porei sobre a lenha, e não lhe meterei fogo. Então invocai o nome do vosso deus, e eu invocarei o nome do Senhor. O deus que responder por meio do fogo, esse é que é Deus” (1 Reis 18:22-24). Ele também disse aos profetas de Baal: “Escolham eles para si um dos novilhos, e o dividam em pedaços, e o ponham sobre a lenha, porém não lhe metam fogo”.
Os profetas de Baal então foram os primeiros a começar a preparar o sacrifício e clamavam incessantemente: “Baal, nosso deus Baal”. Mas como ele não lhes respondeu na hora, eles começaram a se cortar enquanto clamavam por ele. E apesar de clamarem até o meio-dia, Baal não deu nenhum sinal. A água ainda estava sobre o altar e o boi que eles ofereceram como sacrifício continuava intacto. Vendo isso, Elias disse: “Clamai em altas vozes! Talvez esteja dormindo e necessite de que o desperte”. Eles então se feriram mais, caminharam ao redor do altar e começaram a gritar desesperadamente, mas tudo em vão.
Elias disse a todo o povo então: “Chegai-vos a mim”. Ele pegou doze pedras e restaurou o altar do Senhor que estava quebrado, e fez um rego ao redor dele. Ele então armou a lenha, dividiu o novilho em pedaços, o colocou sobre a lenha e disse: “Enchei de água quatro cântaros, e derramai-a sobre o holocausto e sobre a lenha”. A água então correu ao redor do altar e encheu também o rego.
E ele orou: “Ouvi-me, oh Senhor, para que este povo saiba que Tu és o Senhor Deus, e que Tu faças com que seu coração se volte para Ti”. Então, depois que ele orou, o fogo do Senhor desceu do céu e lambeu a água que estava no rego. O Senhor consumiu o sacrifício que estava sobre o altar enquanto todo o povo de Israel observava. Só aí então, quando Elias completou a obra de Deus dessa maneira, foi que o povo de Israel veio a reconhecer: “Jeová é o verdadeiro Deus que fez com que nós, nossos filhos e tudo que temos venha a prosperar. Só o Senhor é o verdadeiro Deus”. Eles se arrependeram de todo o coração e voltaram para Deus.
A Bíblia destaca isso no evangelho de Lucas capítulo 1 versículos 16 e17, dizendo: “E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus. Irá adiante dele no espírito e poder de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, converter os rebeldes à prudência dos justos, e preparar ao Senhor um povo bem disposto”. Quem foi que guiou realmente o povo de Deus poderosamente à presença de Deus? Isaías e Ezequiel de fato foram grandes profetas, mas o profeta que realmente guiou o coração do seu povo foi Elias.
Foi ele que levou a prudência dos justos aos desobedientes, ensinou os israelitas qual era a vontade de Deus e levou-os a entendê-la. A Bíblia diz que João Batista, que foi o maior de todos os seres humanos, o maior entre os nascidos de mulher, faria essa obra; não um deus qualquer. Foi por isso que Lucas, discípulo de Jesus Cristo, deu tanta importância ao nascimento de João Batista e disse que ele nasceu no espírito de Elias.
Quando lemos Mateus capítulo 11, ali diz que João Batista é o maior entre os nascidos de mulher. Vamos ler o evangelho de Mateus capítulo 11, dos versos 10 ao 14. Está escrito: “João é aquele de quem está escrito: Adiante da tua face envio o meu anjo, que preparará diante de ti o teu caminho. Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João Batista; contudo, o menor no reino dos céus é maior do que ele. Desde os dias de João Batista até agora, faz-se violência ao reino dos céus, e pela força apoderam-se dele. Pois todos os profetas e a lei profetizaram até João. E, se quiserdes dar crédito, ele é o Elias que havia de vir”.
Deus prometeu no livro de Malaquias que enviaria alguém como Elias (Malaquias 4:5). Ele prometeu que enviaria alguém que guiaria muitas pessoas e que cumpriria a palavra profética. João Batista era essa pessoa que Deus prometeu. O Senhor disse: “E, se quiserdes dar crédito, ele é o Elias que havia de vir” (Mateus 11:14). Muitas pessoas no Antigo Testamento esperavam a vinda de Elias. Assim como elas esperavam pelo Messias, elas também esperavam por alguém que os levasse a Ele. Então, no início do Novo Testamento, João Batista nasceu. João Batista nasceu neste mundo no espírito de Elias, e Deus o preparou para livrar os pecadores do estado pecaminoso de adoração a Baal, o falso Deus, e para que o povo voltasse para Ele.
Foi por isso que Lucas, discípulo de Jesus, escreveu tudo em detalhes em seu evangelho desde o começo. Apesar de nós conhecermos muito bem agora o ministério de João Batista por termos ouvido o evangelho da água e do Espírito e crido nele, há muitas pessoas não sabem muito bem quem foi João Batista e o que ele fez. Até mesmo os cristãos não conhecem João Batista, a quem a Bíblia retrata com tanta importância. Eles não sabem nada apesar de lerem o evangelho de Lucas, o evangelho de Marcos e o evangelho de João, já que todos eles falam de João Batista com muita importância. Mas apesar da Bíblia falar de João Batista com tanta importância, as pessoas só entendem isso de modo superficial, pensando: “João Batista é apenas um dos profetas e um servo de Deus”, e só dizem o que vem a sua mente sem entender quem foi ele realmente.
Até os líderes cristãos de hoje dizem coisas assim. Quem é Baal realmente? Baal representa o falso deus deste mundo. Mas Jeová é Aquele que existe por Si mesmo. Ele disse: “Eu sou o que sou” (Êxodo 3:14). Deus não foi criado por uma criatura. Mas Baal é uma invenção da mente humana. O homem fez dele o objeto da sua adoração e ora a ele por prosperidade. Baal é algo criado pela mente das criaturas de Deus, isto é, um ídolo. Esta é a religião do mundo.
Quem é nosso Deus? O Deus que nós cremos, o Deus que criou o universo como dizem as Escrituras, o Deus Trindade que existe pela Seu próprio desejo e poder, este Deus é Jeová. Em outras palavras, Jesus Cristo é o nosso Criador. Mas muitas pessoas neste mundo ainda acreditam em Baal. Muitos neste mundo, cristãos ou não, fazem deuses segundo seus próprios pensamentos e crêem neles com todo fervor. A mesma coisa aconteceu quando Jesus nasceu, e o que João Batista fez foi a obra de um profeta, levar o povo a saber quem era o verdadeiro Deus. João Batista veio no espírito de Elias, levou o povo a entender quem era o verdadeiro Deus, e fez com que muitos voltassem à prudência dos justos.
Quem é a verdadeira deidade, o verdadeiro Deus? O Deus verdadeiro é Aquele que nos salvou do pecado ou o deus que não salvou nem uma simples pessoa do pecado? Todo ser que não pode salvar as pessoas do pecado não pode ser nosso Deus. Mas não seria um exagero dizer que muitos cristãos atualmente estão chamando Baal de deus, mesmo que clamem o nome de nome Jeová com seus lábios. Algumas pessoas crêem em Baal o adorando através de algum tipo de imagem. E Baal realmente pode ser algum tipo de imagem ou atitude. Ele pode ser uma religião ou denominação. Isso significa que até mesmo criar uma denominação dentro do Cristianismo pode ser Baal para os seus seguidores.
João Batista, que batizou Jesus Cristo, deu um testemunho claro a respeito Dele às pessoas deste mundo. João Batista deu um claro testemunho de que Jesus Cristo é o Salvador. João Batista deu um claro testemunho de como o Senhor levou os nossos pecados sobre Si.
O Jesus Cristo em que nós cremos é o verdadeiro Deus. O mundo pode nos dar prosperidade? Pode até parecer que o mundo pode nos fazer prosperar, mas isso não é verdade. Só Deus pode nos tornar prósperos. Só Deus pode nos fazer felizes, nos abençoar e nos fazer prosperar. O Único que nos leva a uma vida abençoada e nos faz viver em verdadeira felicidade não é nenhum outro senão Jeová; e não qualquer outro ídolo. Este Deus é Jesus Cristo, em quem nós cremos. Ele é o nosso Salvador.
Se olharmos em volta hoje em dia, há muitos cristãos. Mas eles não estão interessados em Deus, ao contrário, seu interesse na verdade está em algumas pessoas, algumas denominações, algumas organizações, mesmo que eles digam que crêem em Jesus Cristo. Eles acham que serão abençoados se adorarem dessa maneira e que serão prósperos caso se apeguem a isso. Espiritualmente falando, isso é o mesmo que adorar ídolos e espíritos malignos.
Seu coração está nos seus negócios, na sua denominação e em outras pessoas, apesar de eles dizerem com seu próprios lábios: ‘Senhor, Senhor”. Eu disse que a palavra Baal significa ‘senhor’. Eles dizem: “Senhor, Senhor” a Baal, às criaturas, ao invés de chamarem Deus de Senhor, e buscam as bênçãos nas criaturas que Deus criou. Mas Baal, que foi criado pelo homem, poderia realmente abençoar o povo de Israel? Baal poderia de fato abençoar este mundo? Baal não pode abençoar ninguém. Baal jamais poderia abençoar este mundo. Baal só finge ajudar as pessoas, as explora e faz com que elas sejam lançadas no inferno, e na verdade nunca poderá trazer felicidade às pessoas que o adoram. Embora pareça que ele as está fazendo prosperar, no final ele levará todas elas para o inferno. Entre os líderes cristãos hoje em dia, aqueles que não receberam a remissão de pecados têm Baal como seu deus, mesmo que clamem “Senhor, Senhor”.
Eu também disse que Baal significa ‘dono’. Isso é a mesma coisa que dizer que há algo enganoso no coração dos cristãos. O que eu estou dizendo é que os cristãos têm um coração que julga tudo, que mede e analisa o que neste mundo pode trazer beneficio para eles, o que sua denominação pode fazer por eles e daí por diante, ao invés de terem a verdadeira fé em Deus que fará com que eles sejam de fato abençoados. Só Deus é o nosso Senhor e só Ele pode nos dar as bênçãos celestiais. Só Jeová pode nos dar bênçãos. Só Ele pode fazer isso. Você crê nisso? Só o Senhor é Deus.
 
 
O que João Batista Fez neste Mundo?
 
A obra de João Batista foi testificar a todos que só Jesus é o nosso Salvador e levá-los especificamente a entender como Ele remiu os pecados do mundo. Ele nos disse como Jesus Cristo levou todos os nossos pecados, como temos que crer Nele para nos tornarmos filhos de Deus, e como temos que crer para que possamos receber as bênçãos celestiais.
Em meio aqueles que dizem que crêem em Jesus, há muitos que na verdade adoram a Baal. Estes cristãos que não têm o Espírito Santo em seu coração são essas pessoas. Todos que não receberam a remissão de pecados são aqueles que ainda adoram a Baal. Eles clamam “Senhor, Senhor”, mas na verdade não se importam com o que o Senhor diz. Eles só oram a Deus com um coração atrevido pedindo bênçãos, mas não querem ouvir nada que Ele fala.
Deus é um Deus atencioso que nos diz tudo através da Sua Palavra, como receber bênçãos e o que é certo e o que é errado. Ele é o Deus vivo também. Ele nos guia passo a passo com Sua Palavra e dá ao desobediente a prudência dos justos, concede Seu amor paternal aos filhos que crêem. Nosso Deus está vivo agora, nos guia por um caminho correto e fala conosco através da Igreja e dos que se converteram antes de nós.
No entanto, as pessoas acham que o falso deus Baal ou a prosperidade é que pode lhes dar felicidade. Mas Baal não pode dar felicidade às pessoas. Na época em que todo o povo de Israel se voltou para Baal e o adorou, o profeta Elias provou quem é o Deus vivo e fez com que os desobedientes voltassem à prudência dos justos. Quem foi este grande líder? Foi o Elias que havia de vir, e ele não é nenhum outro senão João Batista. A Bíblia diz que João Batista guiaria todo o povo a Jesus Cristo e que eles passariam a crer Nele através do seu testemunho. É isso que a Bíblia diz. Não é exagero dizer que o caminho para a sua salvação estará cada vez mais distante se você não crer de modo bem claro no que João Batista fez. As pessoas que estão por aqui dizendo isso e aquilo pertencem a seitas, e as que não aceitam a Palavra de Deus por serem soberbas e orgulhosas, por não saberem nada da Verdade, de maneira alguma podem receber a salvação.
João Batista era alguém como Elias. Você viu como Lucas escreveu em detalhes sobre João Batista desde o começo, não viu? Ele nos deu a prova que João Batista nasceu no espírito e no poder de Elias. A Bíblia testifica de João Batista de várias maneiras e em detalhes. Você crê que João Batista é o próprio Elias? O texto bíblico deste capítulo diz: “[João Batista] Irá adiante dele [Jesus Cristo] no espírito e poder de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, converter os rebeldes à prudência dos justos, e preparar ao Senhor um povo bem disposto.” João Batista deu testemunho de Jesus Cristo ao mundo. Ele testificou às pessoas que só Jesus Cristo é o Deus da Verdade, e ao realizar sua obra fez com que elas voltassem para Deus. Ele fez com que muitos recebessem a verdadeira bênção.
João Batista realizou seu ministério para as pessoas que criam na justiça de Deus, e trabalhou duro para fazê-las voltar ao reino dos justos. Ele foi viver no deserto, sua roupa era feita de pele de camelo e ele se alimentava de gafanhoto e mel. João Batista levantou um povo que desejava viver para deus e sem nenhuma culpa. Ele viveu para Deus e levou muitas pessoas a Cristo. E até o fim ele deu testemunho de Jesus. Ele não apenas fez com que as pessoas recebessem a remissão de pecados, mas também fez com que os descendentes da fé em seu coração tivessem uma fé correta em Deus. João Batista nos mostrou por meio da sua vida o que é realmente ter uma vida correta diante de Deus. Ele era mesmo um homem sem culpa. Está escrito que João Batista habitou no deserto. Ele não vivia no mundo. Não faz nenhum sentido acharmos que podemos servir a Deus enquanto vivemos neste mundo à nossa maneira. Isso significa que não adianta nada dizermos que cremos em Deus se cada vez mais vemos as coisas que há no mundo e as aceitamos. O fato de ele comer gafanhoto e mel no deserto significa que ele só comia o que Deus lhe dava. Significa que ele dependia de Deus para viver neste mundo.
João Batista é o modelo do servo de Deus. Embora sejamos imperfeitos, nós também temos que nos dedicar a Deus e viver para Ele; e temos que dar testemunho de Jesus Cristo para o resto de nossa vida. Nós temos que viver para trazer de volta os desobedientes, as pessoas que caíram em pecado, à prudência dos justos. Nós temos que viver para revelar o Senhor, uma vida pela qual as pessoas recebam as bênçãos. Lucas também estava falando disso.
Através da Palavra, desde o começo podemos analisar com detalhes quem é João Batista, o Elias que havia de vir. Quem é João Batista então? Ele é o Elias do Antigo Testamento. Moisés recebeu a Lei de Deus e a entregou aos israelitas, mas o verdadeiro representante dos israelitas é Elias. Elias viveu no Antigo Testamento dando testemunho de Deus e trazendo os israelitas de volta a Deus. Depois disso, ele foi levado por Deus num carro de fogo.
 
 
João Batista é o Elias que Havia de Vir e o Representante de Toda a Humanidade
 
Além da questão sobre qual divisão e a que família João Batista pertencia, nós podemos ver algo claramente quando analisamos o seu nascimento: João Batista foi alguém enviado por Deus. Seus pais eram velhos demais e, portanto, ele não nasceu por meios humanos ou pelo poder humano. Isso desde o começo sempre foi impossível. A Bíblia afirma claramente: “Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João” (João 1:6). João Batista nasceu por causa da providencia, da obra, da força e do poder especiais de Deus. Está escrito que muitos se alegrariam com seu nascimento, não apenas seus pais. O nascimento de João Batista é uma bênção e uma alegria para nós também. Seria difícil cremos em Jesus e diabo escarneceria muito de nós se João não tivesse nascido neste mundo.
Nós conhecemos Jesus Cristo. Mas se conhecêssemos Jesus e não João Batista e seu ministério, Satanás nos tentaria para que pecássemos novamente, e nós seríamos justos hoje, porém pecadores amanhã. Nós podemos até achar que iremos para o Céu se morrermos num dia de sorte, quando nossa fé estiver fortalecida, ou que iremos para o inferno se morrermos um dia de azar, quando nossa fé estiver enfraquecida. Mas essa não é a fé correta. Por essa razão, nós não podemos receber a perfeita remissão de pecados se não conhecermos corretamente todos os ministérios que João Batista realizou. Isso é confirmação de que a remissão de pecados de alguém não é perfeita diante do Senhor.
Nós temos que saber muito bem qual foi a função que João Batista realizou. É por isso que a Bíblia relata isso em detalhes desde o começo. Você pode ver como é importante o relato que Lucas deu de João Batista em detalhes? Lucas deixou este fato histórico registrado em detalhes porque ele é muito importante. Nós podemos calcular exatamente quando o rei Herodes reinou se olharmos para este fato histórico. Foi bem antes e depois da vinda de Jesus Cristo.
Quando o sacerdote Zacarias estava oferecendo incenso no Templo, um anjo apareceu e disse a ele que o Senhor lhe daria um filho e que a criança se chamaria João. E o anjo disse isso antes de João ter sido concebido. Ele abençoou Zacarias e disse a ele que João faria com que muitos voltassem à prudência dos justos. Quem é este João Batista então? A Bíblia diz que João é aquele que veio no espírito de Elias e que ele é o Elias que havia de vir. Portanto, muitos pessoas crerão em Jesus através de João Batista e confirmarão que ele, como representante de toda humanidade e sumo sacerdote, fez a obra de transferir os pecados do mundo para Jesus Cristo, que veio como o Cordeiro do sacrifício. João Batista deu testemunho de que Jesus Cristo é o Salvador de todos nós.
Tudo em que cremos seria em vão se não conhecêssemos o ministério de João Batista e a justiça de Jesus. O que eu quero dizer é que nós críamos a partir do nosso ponto de vista, mas não tínhamos em nós a certeza e a prova de que Deus havia nos salvado dos pecados do mundo. Mas depois de entendermos o ministério de João Batista, nós passamos a entender que não deveríamos crer no Senhor a partir do nosso ponto de vista, mas que Jesus Cristo nos salvou pelo evangelho da água e do Espírito. Crer assim é ter a fé correta. Quando nós dizíamos que criamos em Deus sem conhecermos João Batista, nós não críamos no Senhor segundo a Sua Palavra, mas ao invés disso, críamos Nele a partir de um ponto de vista humano. O que acontece quando cremos em Jesus de maneira radical segundo nosso ponto de vista? Nossa fé se torna fraca e desfalece, e nós acabamos indo para o inferno. Pecar todos os dias assim e fazer orações de arrependimento definitivamente não é ter uma fé correta. Dizer: “eu creio em Ti” a partir do meu ponto de vista e me apegar a isso não é ter a fé correta. A fé que me leva a me apegar àquilo que creio desfalece quando eu me torno fraco.
Mas se entendermos o ministério de João Batista de modo correto, nós poderemos entender como ele deu testemunho de Jesus Cristo e como Este levou todos os nossos pecados. Ele também disse que Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo; e ele sabe e crê que nós não temos mais nenhum pecado por causa de Jesus. O Senhor e João Batista resolveram nos levar para o Céu dessa maneira, e não temos outra escolha a não ser irmos para o Céu; mesmo que nos não queiramos ir, porque eles trabalharam duro para isso. Foi assim que Jesus nos salvou. Foi assim que recebemos a remissão de pecados.
Deus decidiu nos salvar dos pecados do mundo e realizou isso pela água, pelo sangue e pelo Espírito Santo (1 João 5-4-7). O Senhor testificou isso através de João Batista. Por que João Batista nasceu? Ele nasceu neste mundo para dar testemunho de Jesus Cristo, para fazer com que muitos se tornassem justos, para confirmar o que Jesus realizou, para revelar que Jesus é o verdadeiro Deus, para testificar que Ele é o verdadeiro Deus que criou o universo e o Senhor que salvou todos os homens. Foi Jesus que apagou os pecados de toda humanidade de modo perfeito, e foi este mesmo Jesus que nos criou também. João Batista veio a este mundo para dar testemunho de tudo isso.
Eu realmente dou graças ao Senhor, que veio a nós através do evangelho da água e do Espírito. E eu fico pensando no que devemos fazer em nossa vida no futuro. Nós temos que trazer muito mais pessoas à prudência dos justos, viver para testificar de Jesus Cristo, testificar que Ele é o verdadeiro Deus e o único Deus que levou todos os pecados do mundo. É isso que a Bíblia nos diz.
O meu desejo é que todos vocês tenham uma vida de testemunho como a de João Batista. Eu realmente desejo que vocês recebam as bênçãos de Deus e continuem vivendo como pregadores para o resto de sua vida.