The New Life Mission

Sermões

Assunto 13: O Evangelho Segundo MATEUS

[Capítulo 12-3] (Mateus 12:31-32) O Pecado Imperdoável e a Responsabilidade dos Nascidos de Novo

(Mateus 12:31-32)
“Portanto eu vos digo: todo pecado e blasfêmia se perdoará aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoada. Se alguém disser alguma palavra contra o Filho do homem, isso lhe será perdoado, mas se alguém falar contra o Espírito Santo, isso não lhe será perdoado, nem neste mundo nem no futuro.”
 
 
O que eu tenho explicado a vocês em tudo que tenho escrito até agora tem suas limitações, mas tudo que eu tenho tentado explicar em meus livros é o evangelho da água e do Espírito. Eu tenho certeza que qualquer um que crer na Verdade desse evangelho certamente receberá a remissão de todos os seus pecados. Nosso Senhor disse em Romanos 10:10, “pois com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação,” e Ele também diz em Romanos 10:17, “de sorte que a fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.”
Qualquer um que crer na Palavra do evangelho da água e do Espírito será salvo de todos os seus pecados e se tornará justo, sem nenhuma exceção. Se vocês ainda têm dúvidas sobre essa fé no evangelho da água e do Espírito, eu os aconselho a mais uma vez abrir seus corações e crer nele. Todo aquele que realmente quer ser limpo de todos os seus pecados deve primeiro colocar de lado os seus próprios pensamentos e crer na Verdade do evangelho da água e do Espírito. Todos os pecados do mundo foram realmente redimidos, porque Jesus os levou a todos ao ser batizado por João Batista.
Agora, eu vou explicar o pecado de blasfemar contra o Espírito Santo. Meus amados irmãos, exatamente aqueles que não crêem no evangelho da água e do Espírito e que mais blasfemam contra ele, são os que cometem esse pecado de blasfemar contra o Espírito Santo. Esse pecado é tão mortal que o Senhor disse que ele não seria perdoado nem neste mundo nem no vindouro. Então todos nós devemos entender muito bem essa blasfêmia contra o Espírito Santo.
1 João 3:9 afirma: “aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado, porque a semente de Deus permanece nele; não pode continuar pecando, porque é nascido de Deus.” Essa passagem quer dizer que aqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito, o evangelho de poder e da remissão de pecados, não cometem blasfêmia contra o Espírito Santo.
Contudo, por outro lado, está escrito em Hebreus 6:4-8: “é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram do dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus, e os poderes do mundo vindouro, e depois caíram, sejam outra vez renovados para arrependimento, porque de novo estão crucificando para si mesmos o Filho de Deus, e expondo-o ao vitupério. A terra que muitas vezes embebe a chuva que cai sobre ela, e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada, recebe a bênção da parte de Deus. Mas se produz espinhos e abrolhos, é rejeitada, e perto está da maldição. O seu fim é ser queimada.”
Também está escrito em Hebreus 10:26-29: “se voluntariamente continuarmos no pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, mas certa expectação horrível de juízo e ardor de fogo que há de devorar os adversários. Todo aquele que quebra a lei de Moisés, morria sem misericórdia, só pela palavra de duas ou três testemunhas. De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com o qual foi santificado, e ultrajar o Espírito da graça.”
Todas essas passagens nos advertem que se alguém, mesmo que reconheça o batismo que Jesus recebeu de João e o Seu sangue derramado na Cruz, negar e rejeitar esse evangelho, ele por si mesmo estará se tornando alguém que blasfema contra o Espírito Santo. Quando a Bíblia fala sobre a blasfêmia contra o Espírito Santo, ela se refere ao pecado de se recusar e rejeitar a crer que Jesus salvou cada um de nós por meio do Seu batismo e do Seu sangue derramado. Por causa disso, qualquer um que cometer essa blasfêmia nunca mais poderá de maneira alguma ser redimido dos seus pecados. Essas pessoas não crêem que a imposição de mãos sobre a cabeça da oferta do sacrifício e o seu sangue derramado no Antigo Testamento são o mesmo que o batismo que Jesus Cristo recebeu de João Batista e Seu sangue derramado na Cruz. É por isso que eles não podem receber a remissão dos seus pecados.
Está escrito em 1 João 5:16, “se alguém vir a seu irmão cometer pecado que não é para a morte, pedirá, e Deus lhe dará a vida, aos que não pecam para a morte. Há pecado para a morte, e por esse não digo que ore.”
O pecado que leva à morte aqui não é nenhum outro senão o pecado da descrença que alguém comete por não crer no batismo que Jesus Cristo recebeu de João Batista e no Seu sangue derramado como a própria remissão para o seu pecado. Em outras palavras, esse pecado de não crer no evangelho da água e do Espírito é o que constitue a blasfêmia propriamente dita contra o Espírito Santo.
Todos aqueles que realmente temem a Deus crêem que Jesus Cristo levou sobre Si todos os pecados do mundo com o batismo que Ele recebeu de João Batista e Seu sangue derramado na Cruz. A Bíblia adverte que se vocês rejeitarem essa fé que se encontra no batismo e no sangue de Jesus Cristo como sendo a verdade sobre a remissão de pecados, vocês terão dores e sofrimentos inimagináveis.
Até hoje, Satanás está levando inúmeras pessoas a não acreditar no batismo e no sangue derramado de Jesus Cristo, mas você não deve desistir de sua fé que está nessa Verdade. O diabo está enganando as pessoas com todo tipo de truques para que elas não creiam no batismo de Jesus Cristo. É por isso que a Bíblia diz em 2 Pedro 3:17-18: “vós, portanto, amados, sabendo isso de antemão, guardais-vos de que pelo engano dos homens perversos sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza. Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como até o dia da eternidade. Amém.”
Essa passagem está nos exortando para que continuemos firmes no conhecimento do evangelho da Verdade, que Jesus levou sobre Si todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista e suportou a condenação do pecado ao ser crucificado e ao derramar Seu sangue na Cruz, e para nos conceder assim a vida eterna. Portanto, nós devemos ser muito cautelosos em relação a todos os outros tipos de fé que rejeitam a Verdade do evangelho da água e do Espírito como sendo a Verdade da salvação.
O que, então, nós devemos fazer, uma vez que recebemos a remissão dos nossos pecados, para vencer o engano de Satanás e manter a nossa verdadeira fé?
Está escrito em 2 Coríntios 6:14-16, “não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis. Pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Pois vós sois santuário do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, entre eles andarei, e serei o seu Deus e eles serão meu povo.” Semelhante ao que vimos nessa passagem, também está escrito 1 Coríntios 6:19 que o corpo dos justos que receberam a remissão dos seus pecados é o santuário do Espírito Santo.
Resumindo, os justos que receberam a remissão dos seus pecados não devem se envolver na obra de Deus junto com os pecadores que ainda não receberam a remissão dos seus pecados, e nem eles devem fazer isso. O razão para não se fazer isso é que o Espírito Santo não se agrada disso. Os justos que receberam a remissão dos seus pecados devem se reunir separadamente com outros justos, e é nessa comunhão com os justos que eles devem levar sua vida de fé, pregando o evangelho, e defendendo sua fé.
Nós não deveríamos nos permitir nos misturarmos com os pecadores. Por exemplo, se pessoas usando roupas brancas fossem trabalhar numa mina de carvão, todos elas não ficariam com suas roupas sujas em pouco tempo? Da mesma forma, se os justos tentarem servir ao evangelho do Senhor junto com os pecadores, eles acabarão corrompendo a Verdade da remissão de pecados. Se isso acontecer conosco, nós perderemos o evangelho da água e do Espírito, e enganados por Satanás, entraremos em confusão mais uma vez.
Satanás espera por cada oportunidade de fazer uma vítima até mesmo entre os nascidos de novo quando eles deixam seus líderes e suas igrejas. Por exemplo, frequentemente quando nós vemos um documentário da natureza, quando algum predador fica à espreita de um bando de animais herbívoros, é sempre aquele que fica para trás ou que se separa do bando que se torna uma vítima e acaba sucumbindo ao ataque do predador. Exatamente assim, aqueles que se separam da comunhão dos justos são os que sempre acabam perecendo.
É por isso que Deus Pai fundou Sua Igreja nessa terra unindo aqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito. Em relação à Igreja de Deus, está escrito em Mateus 16:16-18, “Simão Pedro respondeu: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Respondeu-lhe Jesus: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, pois não foi carne e sangue quem to revelou, mas meu Pai que está nos céus. E também eu te digo que tu és Pedro, e sobre está Pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” Nós devemos prestar muito atenção que é sobre essa fé de crer em Jesus Cristo como o verdadeiro Salvador que a Igreja de Deus está edificada, assim como Jesus mesmo disse a Pedro.
Numa outra passagem em 1 Coríntios 1:2, também está escrito o seguinte sobre a Igreja de Deus: “à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para ser santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome do Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso.” O Apóstolo Paulo define a Igreja de Deus como a reunião dos santos que receberam a remissão de pecados. Colocando de uma maneira diferente, Deus diz aqui que a Sua Igreja é a reunião daqueles que foram remidos de todos os seus pecados pela fé no evangelho da água e do Espírito.
E Deus também diz em Jeremias 3:14-15, “Convertei-vos, ó filhos rebeldes, diz o Senhor, pois eu vos desposarei, e vos tomarei, a um de uma cidade, e a dois de uma geração, e vos levarei a Sião. Dar-vos-ei pastores segundo o meu coração, que vos apascentem com conhecimento e inteligência.”
Assim como Deus nos promete aqui, Ele levantou os servos nascidos de novo cujos corações são segundo o dEle como os líderes da Igreja, e Ele os levou a trabalhar de várias maneiras, para que eles suprissem os filhos de Deus nascidos de novo. Assim como Deus diz aqui, existe realmente nesse mundo Sua Igreja com os nascidos de novo, e também existem Seus servos que nasceram de novo. É por causa da vontade de Deus em relação à vida dos nascidos de novo que Ele levanta Seus pastores em Suas Igrejas para supri-los e cuidar dos santos que crêem no evangelho da água e do Espírito junto com a Palavra da Verdade. É por esse motivo que os santos crescem fortalecidos na Verdade.
O Apóstolo Paulo deu testemunho do seu chamado diante do rei Agripa, dizendo: “Eu te livrei deste povo, e dos gentios, a quem agora te envio, para lhes abrir os olhos, e das trevas os converter à luz, e do poder de Satanás a Deus, a fim de que recebam remissão dos pecados e herança entre aqueles que são santificados pela fé em mim” (Atos 26:17-18). Deus quer livrar todos os pecadores dos seus pecados através da Sua Igreja e dos Seus servos para que eles possam herdar o Reino dos Céus e todas as Suas bênçãos pela fé.
Se tornar membro da Igreja de Deus é um privilégio dos salvos. E nós agora temos outro privilégio que é pregar o evangelho da água e do Espírito em todo o mundo juntamente com a Igreja de Deus. Quando nós aceitamos esses privilégios, podemos levar toda a humanidade ao caminho de uma nova vida.