The New Life Mission

Sermões

Assunto 22: O Evangelho segundo LUCAS

[Capítulo 16-5] (Lucas 16:8-13) Os que Servem a Deus de Coração

(Lucas 16:8-13)
“E louvou aquele senhor o injusto mordomo por haver procedido prudentemente, porque os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz. E eu vos digo: granjeai amigos com as riquezas da injustiça, para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos. Quem é fiel no mínimo também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo também é injusto no muito. Pois, se nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras? E, se no alheio não fostes fiéis, quem vos dará o que é vosso? Nenhum servo pode servir a dois senhores, porque ou há de aborrecer a um e amar ao outro ou se há de chegar a um e desprezar ao outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.”
 
 
Quem São os Servos de Deus?
 
O texto bíblico deste capítulo fala sobre o mordomo injusto de uma casa. O Senhor nos diz nesta parábola se devemos viver como servo da justiça ou do homem. E ele diz também que os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz. Ele está nos dizendo que há muitas pessoas perspicazes neste mundo que vivem com mais sabedoria do que os filhos de Deus.
Podemos aplicar este ensinamento à nossa vida assim: vamos dizer que um homem foi demitido porque não fazia seu trabalho direito e só chegava tarde no serviço. E vendo que teria que trabalhar duro se saísse do emprego, ele reuniu toda a documentação para saldar a dívida de todos que deviam à empresa. Melhor dizendo, ele falsificou documentos. Foi assim que ele ajudou os que deviam à sua empresa. Melhor dizendo, além da falsificação, ele também não fez seu trabalho direito. Mas vamos nos ater apenas ao motivo que o levou a fazer isso. Por que ele fez isso? Porque ele queria ficar bem aos olhos dos devedores quando perdesse o emprego. Em outras palavras, ele foi cuidadoso ao se preparar para o futuro. E o Senhor disse que foi prudente o que ele fez. Tendo em mente o servo desta parábola, ele disse que “os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz.” Embora a atitude egoísta das pessoas deste mundo seja desanimadora, ainda assim o Senhor a considera prudente. Através do texto bíblico deste capítulo, nós justos temos que pensar em como podemos servir ao Senhor por toda a nossa vida.
O Senhor disse que devemos fazer amigos com as riquezas da injustiça. Ele disse: “Quem é fiel no mínimo também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo também é injusto no muito.” Ele diz retoricamente que não somos fiéis com o que é nosso, então não seremos também com o que é dos outros; o que ele está dizendo é que não podemos servir a dois senhores. E ele conclui dizendo que precisamos decidir se vamos viver para nós mesmos ou para o Senhor.
 
 
Não Podemos Servir a Dois Senhores
 
Melhor dizendo, não podemos ter este mundo como nosso mestre e servir a Deus também como tal. Temos que servir um dos dois. Temos que decidir se vamos servir ao mundo ou ao Senhor como nosso Mestre.
Mas antes de tomarmos esta decisão, temos que analisar uma coisa. Como o justo pode ter uma vida justa e prudente? Temos que ser prudentes em tudo que fizermos. Precisamos ter olhos críticos, tanto em relação a nós quanto ao mundo. Temos que rever os caminhos por onde andamos e ver o que devemos fazer para ter uma vida mais prudente. Se meditarmos nisso primeiro, será mais fácil tomarmos decisões rápidas e fazer as escolhas certas. Eu quero deixar bem claro aqui que a vontade do Senhor não é que vivamos de qualquer jeito sem analisar a nós mesmos.
Irmãos, agora temos um Mestre totalmente diferente do que tínhamos no mundo. E o que nosso novo Mestre quer de nós é algo completamente diferente do que nosso antigo mestre nos exigia. Então, se não quisermos deixar nossos velhos hábitos, não poderemos agradar nosso novo Mestre. Isso nos trará uma grande perda. Sendo assim, temos que pensar bem como vamos receber a graça de Deus e tomar a decisão certa.
Irmãos, temos uma vida justa quando nos esforçamos para viver para o Senhor. Temos que mudar o estilo egoísta da nossa vida e viver para a justiça de Deus. O Senhor nos contou uma parábola certa vez para nos ensinar a pensar se deveríamos ir para a guerra com dez mil soldados para lutar contra vinte mil, ou se não seria melhor enviar uma delegação de paz, já que nestas condições nossa vitória seria pouco provável. Ele nos contou esta parábola para nos ensinar que devemos calcular tudo antes para ver o que é mais apropriado no processo de tomada de decisão. Portanto, temos que nos lembrar da Palavra de Deus e tomar a decisão certa. Isso nos levar a ter uma vida de retidão e sem pesar.
Aqueles que vivem para o Senhor buscam seu reino e sua justiça primeiro. Quem leva uma vida cuidadosa e prudente se lembra da Palavra do Senhor e toma decisões certas? Sim, pois são estes que vivem para a justiça do Senhor. Eles sempre analisam tudo cuidadosamente antes a fim de levar uma vida mais produtiva do que levavam antes. Eles procuram sempre fazer o que é melhor para eles e mantém suas decisões. Algo natural para um empresário é dirigir seu negócio para ter lucro. Quem faz isso é um empresário sábio. Do mesmo modo, você e eu temos que levar em conta o custo e o resultado dos planos que fazemos a fim de decidir para quem vamos viver e, assim, procurar levar uma vida de retidão.
O processo pelo qual passamos o longo de toda a nossa vida no final é tão importante como o resultado. A maioria das pessoas lamenta por seu passado quando chegam a certa idade e olham para trás. A maioria dos idosos diz que viveu em vão quando perguntamos se eles foram bem sucedidos em sua vida. E ainda dizem que com toda certeza fariam tudo diferente se tivessem uma chance. Você e eu ainda não chegamos ao fim da nossa vida, mas não podemos ter nenhum pesar quando isso acontecer. Nosso Senhor sabe bem para onde nós estamos indo. Se não calcularmos os custos e o resultado da nossa vida e vivermos de qualquer jeito sem nos preparar para o futuro, certamente lamentaremos quando estivermos perante o Senhor.
É por isso que precisamos nos preparar melhor em nossa vida, como se tivéssemos um negócio. Servir à justiça de Deus é como dirigir um negócio. Há uma parábola na Bíblia que fala de um homem que deu talentos aos seus servos antes de partir para uma terra distante. Ao voltar, ele elogiou o servo que ganhou cinco talentos com os cinco que havia recebido dele. E também elogiou o servo que ganhou dois talentos com os dois que havia recebido dele. No entanto, o servo que recebeu um talento e o enterrou no chão foi repreendido e castigado por sua infidelidade. Ele era mesmo um tolo.
Ontem nevou um pouquinho. Hoje de manhã eu ouvi a notícia de um homem que criava galinhas e perdeu todas elas quando uma tempestade de neve derrubou seus galinheiros e matou todas elas. Em entrevista a um repórter, ele disse que estava muito triste com o que aconteceu e que iria procurar um emprego agora. Mas ao pensar neste homem, eu vejo que ele tinha que ter se preparado para uma tempestade como esta. Ele poderia ter se prevenido da tragédia se tivesse se preparado para este perigo iminente. Infelizmente a maioria das pessoas não toma precauções em sua vida e ainda culpa o destino por seu fracasso. Na verdade, muitas consideram o que acontece em sua vida como parte do destino. Só que Jesus não nos disse que emprego deveríamos ter e como nos preparar para o futuro. Mas já que temos bom senso, quem não se prepara para as tragédias da vida é realmente um tolo. Alguém assim é tolo porque não se prepara para o destino que o Senhor planejou para ele. Apesar de você e eu termos nascido de novo pelo evangelho da água e do Espírito, devemos nos preparar cuidadosamente. Se não fizermos isso, seremos tolos como o homem que perdeu seu negócio na tempestade de neve.
Irmãos, temos que dedicar nossa vida a Deus e viver para o evangelho da água e do Espírito. Podemos ver claramente que a melhor maneira de viver é calculando os custos que teremos ao longo dela e o resultado disso tudo. Que vida você quer ter então? Há uma grande diferença entre aquele que calcula os custos e o resultado e o que não faz isso. O tamanho da nossa felicidade ou infelicidade vai depender se analisamos os custos ou não.
Todos nós somos cristãos nascidos de novo no evangelho da água e do Espírito. Você acha que Deus ilude seus filhos? Claro que não. Eu creio que, ao contrário, ele nos abençoa. E também creio que ele deseja dar grandes bênçãos àqueles que vivem para o seu reino e para sua justiça. Mas os que não calculam os custos e o resultado só terão problemas no futuro.
É por isso que temos que calcular antes os custos e o resultado que teremos em nossa vida. Precisamos pensar muito bem como vamos viver. Para nós que nascemos de novo, basta viver para o Senhor. Mas se descobrirmos como glorificá-lo mais, ele nos dará sabedoria para encontrarmos as respostas que desejamos. Se você conversar sobre isso com seu pastor, você terá mais respostas.
O ministério de evangelismo em todo o mundo sempre me mostrou que Deus jamais deixa de prover as coisas materiais que precisamos. No entanto, precisamos pensar mais nestas bênçãos e orar mais para sermos dignos de recebê-las. Também temos que calcular quantas almas podemos salvar com os recursos que Deus nos deu para pregar o evangelho da água e do Espírito. Nós que somos servos de Deus temos que calcular o custo e o resultado de fazer missões mundiais, orar e aceitar o desafio de fazer esta obra.
Alguns pastores são muito pobres, enquanto que outros são muito ricos. E o que faz a diferença aqui é se eles calculam ou não os custos e o resultado do seu ministério. Os que só se preocupam com sua vida agora vivem com o mínimo possível, enquanto que os que vivem para pregar o evangelho sempre têm uma vida abundante porque o Senhor abençoa sua vida e lhes dá tudo. Portanto, temos que pensar novamente no que é benéfico para nós. Eu quero lembrá-lo novamente que há uma grande diferença entre aquele que planeja cuidadosamente, ora e aceita os desafios da vida e o que não faz isso. Precisamos calcular os custos e o resultado dos nossos planos e ter um alvo claro em nossa vida. E temos que aceitar o desafio de alcançar tudo isso pela fé.
 
 
Mesmo em Tempos Deprimentes como Estes, Podemos Viver para a Justiça de Deus
 
Apesar da depressão econômica, há muitos negócios que podem dar certo se planejarmos cuidadosamente e orarmos. Você já ouviu dizer que a crise pode gerar mudanças? Muitos que têm um negócio ficam ricos, outros acabam falindo; a diferença é se há pesquisa e planejamento antes de começar um negócio. E isso vale para os que nasceram de novo e os que não nasceram. É por isso que precisamos orar sempre. Precisamos orar para que nossa igreja tenha dinheiro. Como Deus poderá nos abençoar se aceitarmos o desafio de pregar o evangelho pela fé mas sem orar? O Senhor é o Deus Criador. E temos que usar nossa mente para pregar o evangelho. Se formos prudentes perante Deus e pensar mais nele, bons resultados naturalmente surgirão.
Se pedirmos mais dinheiro a Deus para pregar o evangelho, ele nos dará. Eu creio que ele nos dá mais dinheiro quando pensamos mais nele, oramos e o buscamos pela fé. Muitos hoje em dia são forçados a se aposentar mais cedo; e isso acontece porque eles não souberam calcular os custos e o resultado em sua vida. Aqueles que vão trabalhar, fazem seu trabalho de qualquer jeito, voltam para casa, tomam banho e vão dormir sem ter desafio algum em sua vida e se aposentam cedo. Melhor dizendo, estas pessoas não usam de criatividade quando pensam em sua vida. Mas isso certamente não aconteceria se eles fossem mais motivados e se dedicassem para ser o funcionário que sua empresa deseja e procura. Se você tiver fé, você alcançará bons resultados na Igreja de Deus. Eu quero que você creia que será o melhor no seu campo de atuação quando aprender a ter fé e for guiado pelos servos de Deus.
Precisamos de dinheiro para pregar o evangelho a todos neste mundo. Em tempos como estes, temos que aceitar este desafio pela fé e preparar nossos vasos para receber todas as bênçãos de Deus. Eu oro e creio que Deus nos ajudará a ter um negócio que precisa de pouco investimento mas nos dará muito lucro. Lucrar muito investindo pouco é um princípio lógico da economia.
A mensagem do Senhor neste capítulo fala que o homem não pode servir a dois senhores. Então é fácil entender o que é mais abençoador, servir ao evangelho de Deus e proclamar sua glória ou ser amigo do mundo e perecer com ele. Só que há muitos irmãos que não calculam os investimentos e resultados em sua vida. Irmãos, não podemos recuperar nossa vida depois que a perdemos. A vida é única para todos nós, por isso temos que viver sem pesar. Não esqueçam disso. O tempo que passou jamais voltará. É o mesmo que lavar as mãos nas águas de um riacho que fluíram e nunca mais voltarão.
Eu vou fugir um pouco da mensagem agora, mas há um bar chamado ‘Lee Chug Dol’ próximo à cidade de Chuncheon. E a primeira vez que estive lá, eu não tinha a mínima ideia por que o ele se chamava assim. Dois meses depois, eu descobri que seu nome é um acróstico das palavras em coreano que significam ‘devolva-me minha juventude’. E o que me parece é que o dono do bar sente muita falta da sua juventude. Mas como todos nós sabemos, o tempo em que éramos jovens não pode mais voltar. Isso é totalmente impossível. O tempo passa como o curso de um rio, e assim como lamentamos por muita coisa, vemos que também tivemos bons momentos ao olharmos para o passado. O tempo que passou não pode mais voltar. Mas se alguém pode dizer a si mesmo: “Eu não teria conseguido isso se não tivesse tomado esta decisão naquela época”, esta pessoa certamente soube viver. Todo mundo lamenta por algo que deveria ter feito. O tempo passa e deixa todo mundo com sentimentos de pesar e satisfação.
De todo modo, eu vou calcular os investimentos e os resultados da minha vida com todo o cuidado, independente se Jesus voltar amanhã ou daqui a cem anos. E eu aconselho você a fazer o mesmo. O tempo voa ainda mais quando ficamos vendo a vida passar. Por isso precisamos nos preparar para ela o tempo todo. Os que fazem isso não lamentam seu passado. Eles podem até se arrepender de algumas coisas, porém jamais pelo que aconteceu com eles. No entanto, os que não fazem nenhum planejamento e não se preparam para a vida acabam se arrependendo.
Você tem que entender que não teremos ganho algum se não calcularmos os investimentos e resultados em nossa vida e vivermos de qualquer jeito sem semear para colher no futuro. Os que não vivem para a justiça de Deus com toda certeza se arrependerão. Eles dirão cheios de pesar quando envelhecerem: “Eu poderia ter aprendido e ganhado muito mais se caminhasse com o Senhor pela fé.”
A fé é o que há de mais importante para um justo que quer ter uma vida correta. O que devemos fazer então para ter uma fé assim? Antes de tudo, temos que aprender sobre esta fé com nossos pais na fé a fim de que possamos ter a verdadeira fé. Em outras palavras, temos que seguir os passos de homens de fé e ser guiados por eles. De certa forma, viver pela fé não é fácil. Apesar de termos sido do pecado e renovados, não podemos fazer tudo sozinhos e da nossa maneira. Além disso, a fé só cresce com aprendizado. É impossível encontrar alguém que não pertence a alguma igreja e tem fé. Aqueles que deixam a Igreja de Deus tendem a se voltar contra ela. E quem deixa a igreja certamente terá uma vida de pesar. Portanto, temos que aprender a ter fé na justiça de Deus com quem tem fé. É assim que podemos viver pela fé. Temos que nos esforçar para viver pela fé através da oração e do aprendizado.
Vemos na história mundial que alguns insensatos tentaram conquistar o mundo mas falharam. Para Deus suas tentativas foram egoístas e insensatas. A única coisa que agrada a Deus é conquistar o mundo com o evangelho da água e do Espírito. Se planejarmos algo e quisermos cumprir nossos planos, nossa intenção deve ser pregar o evangelho para o Senhor em todo o mundo; caso contrário, não teremos ajuda alguma dele. Já que o Senhor disse que devemos buscar o reino de Deus e a sua justiça, temos que obedecer à sua ordem e pregar o evangelho em prol da justiça de Deus, para expandir sua igreja, salvar almas e para a paz de todos os homens. Não podemos pregar o evangelho se não fizermos planos. Temos que fazer planos antes de pôr qualquer coisa em prática.
Também temos que saber quando tempo vamos viver e o que precisamos fazer com o que resta da nossa vida. Caso contrário, seremos vítimas do fatalismo e perderemos nossa vida. Mas Deus nunca impôs limites em nossa vida como o destino. Ele é um Deus justo que dá a mesma oportunidade de desfrutar da sua paz e de suas bênçãos a todos que tomam a decisão certa.
 
 
Nós Pregaremos Mais do que Antes Este Ano
 
Até agora temos pregado o evangelho da água e do Espírito em cerca de 110 países no mundo. Mas não devemos ficar felizes com isso, e sim nos esforçarmos mais para pregar o evangelho em todos os países do mundo que ainda não foram alcançados. E para fazermos isso, precisamos de mais obreiros e mais dinheiro. Então temos que continuar desafiando nossa fé, crendo que Deus nos dará tudo a seu tempo. Dinheiro não cresce em árvore. Só Deus pode encher as salvas vazias quando oramos a ele pela fé. 2 Reis relata um milagre que aconteceu na vida de uma viúva. Quando ela e seus dois filhos pegaram vasos emprestados com seus vizinhos, crendo nas palavras de Elias, o azeite encheu os vasos e não parava de fluir. Daí por diante a viúva e seus filhos puderam ter uma vida sossegada.
Do mesmo modo, precisamos preparar nossos vasos antes de pedir algo material a Deus. Temos que fazer a obra da melhor maneira no lugar onde estamos. Quando julgarmos com sabedoria para o bem do reino de Deus e realizar nossos planos com prudência, Deus encherá totalmente nossos vasos. Isso quer dizer que devemos orar e buscar as bênçãos de Deus tendo em mente os objetivos que traçamos, sabendo que estamos fazendo isso para pregar o evangelho. E então, quando nos esvaziamos do nosso próprio conhecimento, Deus encherá nossos vasos sem esperarmos. O Senhor disse: “Se, vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará bens aos que lhe pedirem!” (Mateus 7:11). Quando olhamos para este mundo com os olhos da fé, podemos ver multidões indo ao encontro de Jesus quando ele voltar a essa terra.
Agora é a hora de plantarmos as sementes do evangelho. E quanto mais sementes plantarmos, maior será nossa colheita. Em outras palavras, quanto mais pregamos o evangelho, mais bênçãos receberemos no futuro. No tempo da colheita nossos frutos serão abundantes em todos os lugares. Aí então alguns serão as pessoas mais ricas deste mundo, enquanto outros serão heróis honrados por todos e brilharão como o sol por abençoar muitos nessa terra.
Irmãos, vocês sabem quem mais contribui para a raça humana e traz mais benefícios para ela? Aqueles que nasceram de novo. A obra que vocês e eu estamos fazendo é que traz mais benefícios ao homem desde que fomos criados. Vivemos para os outros neste mundo orando por eles, enquanto outros vivem apenas para si. Eu não estou dizendo que vocês devem se exaltar por isso, mas na verdade somos o maior povo e mais útil dessa terra. Vocês devem se orgulhar de fazer parte dos que receberam de Deus um espírito altruísta.
Vamos falar de dois tipos de contribuição que temos feito a este mundo. Nós somos cidadãos modelo, que sempre cumprem a lei e pagam seus impostos. E também ajudamos pessoas em dificuldade. Muitos não respeitam as regras básicas da sociedade, mas nós somos diferentes. Não há maldade nos nossos planos e sempre oramos pelas pessoas deste mundo. Nosso trabalho é para que o homem se reconcilie com Deus através do evangelho que traz paz a todos. Aonde quer que vamos, é difícil encontrar pessoas que trabalham pelo bem dos outros. Nosso prêmio será muito mais do que o prêmio Nobel. O Senhor disse: “bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus” (Mateus 5:10). E os pacificadores terão paz.
Vocês e eu somos pessoas abençoadas. E eu creio que Deus derramará suas bênçãos sobre tudo que fizermos para o Senhor. Seremos abençoados se crermos na sua fidelidade e enfrentarmos nossos desafios pela fé. Precisamos ter objetivos, entender os métodos e estar na posição que Deus nos colocou para servi-lo de todo o nosso coração e com todas as nossas forças até o fim. Então Deus nos abençoará ainda mais para que possamos ajudar mais pessoas.
Nós estamos no mesmo barco com o Senhor. Então temos que servir a Jesus Cristo como nosso Senhor e nos unir a ele para expandir seu reino. Mas não devemos esperar nenhuma bênção dele se não nos comprometermos com Deus de coração. Apesar de sermos falhos, temos dedicado nossa vida ao reino de Deus, sabendo que nosso corpo não mais nos pertence, mas é um precioso instrumento da sua justiça. Quando decidirmos servir apenas ao Senhor, Deus estará conosco e nos abençoará.
É muito importante então saber o que vamos fazer. Há uma grande diferença entre os que dedicam seu coração a Deus e os que não fazem isso. Aqueles que servem ao Senhor sem nenhum compromisso no coração acabarão traindo-o. Mas os que dedicam seu coração a servir somente ao Senhor, por outro lado, sempre vivem para ele nos bons e nos maus momentos, esteja frio ou calor. Deus está com eles. A fé do nosso coração é mais importante que tudo. Eu quero enfatizar algo aqui novamente. Se decidirmos buscar a ajuda do Senhor e nos confessarmos assim: “Eu só tenho um Senhor. Eu sou servo de Deus. Então eu vou viver para o meu Senhor, meu Mestre”, poderemos levar uma vida de fidelidade servindo ao Senhor. E se vivermos assim, nosso Mestre nos glorificará e abençoará.
 
 
No Entanto, o Senhor Não Reconhece Aqueles que Querem Servi-lo, Mas Não Viver para Ele
 
Aqueles que não vivem só para Deus um dia acabam se voltando contra ele. Por isso que o Senhor tem que nos ver como alguém fiel. Só podemos fazer a obra do Senhor quando tomamos a firme decisão de fazer tudo para ele e vencer todas as dificuldades com ele. O Senhor dá mais trabalho àqueles que mais se esforçam. E os que têm uma atitude assim serão mais amados e abençoados pelo senhor. Não podemos nos esquecer disso.
No entanto, o Senhor se preocupa com aqueles que não assumem nenhum compromisso com ele. E por mais que pareça que estão bem agora, o Senhor sabe que eles acabarão deixando-o numa condição pior do que agora. Deus guarda os que têm compromisso com ele: “Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco” (1 Tessalonicenses 5:16-18). Ele também nos promete: “Eu te ajudarei e te darei todo o apoio, pois você é meu servo, apesar de suas falhas.” Mas ele não diz isso aos que não têm compromisso com ele. O Senhor sempre está ao lado dos que trabalham com ele.
Irmãos, nós estamos servindo ao Senhor. Por isso somos seus servos. Alguns acham que a palavra ‘servo’ traz algum privilégio, mas ser servo de Deus significa fazer tudo que o Senhor lhe mandar. Se seu Mestre der uma festa, ele tem que comparecer e desfrutar de tudo; quando algo incomoda seu Mestre, ele tem que fazer o melhor para ajudá-la a resolver o problema. É isso o que os servos devem fazer. A partir do momento que tomamos a decisão e dizemos: “O Senhor é meu Mestre e partir de agora eu vou viver só para ele”, a sua obra se torna a nossa obra. Já que somos servos de Deus, temos que trabalhar duro para o Senhor e cuidar bem de tudo que é dele.
 
 
Os Servos de Deus Não Se Cansam ao Fazer Sua Obra
 
Nosso corpo pode ficar cansado, mas nosso coração sempre se alegrará e terá paz quando fizermos a obra do Senhor. Fazer a obra do nosso Senhor é o mesmo que fazer a nossa própria obra. E apesar de termos uma relação de mestre e servo, de certa forma somos um só com ele.
No filme Ben Hur, o personagem principal volta para casa depois do exílio. E ao chegar ele a encontra em ruínas. Nesta hora alguém aparece. É a filha de um antigo servo que ele tinha antes de ir para o exílio. Ela então o leva para um cômodo da casa, onde ele o encontra e vê que ele não pode mais andar. Ele fica sabendo que seu servo foi torturado por causa dele e o pega no colo para cuidar dele. Aí então ele se apaixonada pela sua filha, que havia ficado na casa.
O servo no filme nunca culpou seu senhor, apesar de ter perdido o movimento das pernas ao ser torturado por sua causa. Ele não se lamentou do destino nem culpou seu senhor pelo que aconteceu. Eu me emocionei muito com a atitude deste servo quando assisti a Ben Hur. Os servos devem sofrer por seu senhor, já que sua vida está ligada a dele; e servos fiéis têm a mesma atitude do servo do filme, que lamentou não poder mais servir seu senhor como antes e não exigiu justiça quando ele voltou. E eu nem preciso dizer que os servos devem compartilhar da alegria do seu senhor.
Assim como a função de um mordomo é cuidar das tarefas da casa, a função do servo de Deus é viver e morrer por ele. É natural os servos serem humilhados e honrados pelo seu senhor. Do mesmo modo, todos nós temos que ser fiéis servos do Senhor. Não devemos esquecer que a obra do Senhor é a nossa obra também, que sua glória é nossa glória, e finalmente que nosso Senhor é Jesus Cristo. Poderemos fazer tudo com alegria se tivermos esta disposição no coração. Devemos nos alegrar, orar sem cessar e ser gratos a Deus quando nos lembramos que tudo vem dele. Assim deve ser a atitude de um servo fiel.
Se acharmos que somos donos da nossa vida e quisermos fazer tudo segundo nossa vontade e desejos, não poderemos servir ao Senhor fielmente. Temos sempre que conversar sobre o que pensamos com nossos irmãos e nos unir a eles para fazer não aquilo que queremos. Precisamos consultar os servos de Deus e nossos obreiros para tomar decisões baseadas no que discutimos com eles, a fim de que possamos dividir bem a obra de Deus e fazê-la com eficiência.
Alguém realmente dedicado ao Senhor é aquele que faz sua obra com alegria no coração, seja qual for. Alguém assim faz tudo com o coração alegre. Ele pode até ficar cansado do trabalho, mas procura fazer sempre o melhor na obra do Senhor. Mas quem se considera seu próprio senhor, por outro lado, toma decisões baseado no que é melhor para si. No entanto, os servos do Senhor não escolhem o que querem fazer, contando que seja a sua obra, pois sabem que no futuro serão abençoados por isso.
Há dois tipos de crentes: os que são seus próprios reis e os que servem ao Senhor como seu Rei. E quando comparamos o coração destes dois grupos, podemos ver que há mais paz no coração dos últimos do que no dos primeiros. Os que servem a Jesus como seu Senhor, quer comam, quer bebam, fazem tudo para a sua glória. Eles fazem tudo para cumprir a vontade do Jesus, seu Senhor. Servos fiéis de Deus têm a coragem de se recusar a fazer o que é melhor para si mesmos, e não para o Senhor.
Irmãos, nós temos servido ao Senhor assim? Nós temos trabalhado para o Senhor sem cessar. Nós não pregamos o evangelho em mais de 110 países? Não conseguiríamos pregar o evangelho em tantos países assim se fizéssemos a obra para satisfazer nossos desejos. Quando é algo para nós, ficamos realizados ao alcançar o pouco que seja. Mas quando é para o Jesus, nosso Senhor, não podemos nos contentar com pouco. Não temos de desfrutar das pequenas realizações porque temos muito mais a fazer. O coração dos servos fiéis é diferente do coração dos que são senhores de si mesmos. E a característica dos que vivem para os outros também é diferente daqueles que vivem para Deus.
Como seus objetivos são diferentes, os meios e os resultados também são. No começo tudo até parece igual, mas quando surge um problema cada grupo tem uma maneira e uma atitude diferente de resolver a situação. Os que servem a Deus como seu Senhor entendem no que erraram, voltam atrás e ficam ao seu lado em momentos críticos. E na hora de tomar decisões, eles sempre escolhem ficar ao lado de Deus. Mas os que não têm compromisso são mais propensos a trair o Senhor e escolher o melhor para si nestas situações. É por isso que se comprometer de coração é algo muito importante para servir ao Senhor.
Os que têm seu coração no Senhor podem confessar: “Eu entreguei minha vida ao Senhor e vivo para ele. E isso vale muito a pena porque o evangelho é maravilhoso e faz bem às pessoas. É por isso que eu vou trabalhar para o Senhor e viver para ele de todo o meu coração.” Deus admira muito quem tem um coração assim. E ele não vai cuidar dos seus servos fiéis? Sendo assim, você e eu temos que ser servos fiéis. Na verdade, todos precisam ser servos fiéis do Senhor.
Só que não há muitos servos fiéis do Senhor. Precisamos de ‘verdadeiros servos’, e não de ‘simples servos’. Quando dedicamos nosso coração a Jesus Cristo e vivemos para ele, Deus realiza grandes feitos por meio de nós. Por maior que seja a multidão que segue o Senhor, todos eles serão inúteis para ele se não tiverem compromisso. Eles não terão utilidade alguma para Deus. A maioria deles irá fugir diante do menor perigo. No entanto, os verdadeiros servos fiéis do Senhor não temem nada neste mundo. E podemos fazer isso na vida de todas as pessoas também; só temos que impactá-las com a verdade para que isso aconteça.
Não podemos servir a dois senhores, apenas um. Devemos dedicar nosso coração a servir ao Senhor. E temos que fazer isso, por mais que nossa vida seja difícil. Eu creio que Deus fará tudo dar certo quando comprometermos nosso coração com ele.
Temos que viver pela fé, irmãos. E também como servos da fé. Somos servos do reino de Deus. E os servos de Deus são felizes realmente. Eles não são servos comuns que trabalham para as pessoas do mundo, mas servos de Cristo. Como todos vocês sabem, alguns são escravos dos outros. E temos que rir deles quando os virmos. Aquele a quem servimos como Senhor nos coloca numa posição diferente. Nós servimos ao Senhor, que é digno de vivermos para ele. Ele é mais do que digno de vivemos para ele. É uma grande bênção ter um Senhor tão maravilhoso. Nós somos muito abençoados.
Bem-aventurados os que não lamentam se sacrificar para servir ao Senhor. Vale muito a pena ser servo do Senhor. Mas os que servem a senhores que não são dignos, por outro lado, são realmente patéticos. Nosso Senhor é o único Senhor. Eu creio que Deus nos ajudará e trabalhará por meio de nós se dedicarmos fielmente nosso coração à pregação do evangelho e fizermos sua obra. E ele certamente fará isso por nós. Tudo que precisamos fazer é buscar, pedir, bater pela fé e preparar nossos vasos. E também precisamos prosseguir pela fé. Deus cumprirá tudo por meio de nós com seu poder absoluto sempre que buscarmos sua ajuda. Eu creio nesta verdade e que todos vocês também creem.
Irmãos, temos que viver pela fé. Devemos entregar todas as nossas preocupações ao Senhor e viver pela fé colocando em primeiro lugar a obra de Deus. Tudo que precisamos fazer é viver pela fé como seus servos. Melhor dizendo, devemos servir a Jesus como nosso único Senhor. Eu creio que ele nos dará a vida, paz e suas bênçãos se o servirmos como nosso Senhor de todo o nosso coração. E eu termino este sermão com gratidão ao Senhor em meu coração.