The New Life Mission

Sermões

Assunto 18: GÊNESIS

[Capítulo 1-8] (Gênesis 1:9-13) Fazer a Vontade de Deus

(Gênesis 1:9-13)
“E disse Deus: Ajuntem-se as águas que estão debaixo dos céus num só lugar, e apareça a porção seca. E assim foi. Chamou Deus à porção seca terra, e ao ajuntamento das águas, mares. E viu Deus que isso era bom. E disse Deus: Produza a terra relva, ervas que dêem semente, e árvores frutíferas que dêem fruto segundo a sua espécie, cuja semente esteja nele, sobre a terra. E assim foi. A terra produziu relva, ervas que davam semente conforme a sua espécie, e árvores que davam fruto, cuja semente estava nele, conforme a sua espécie. E viu Deus que isso era bom. E houve tarde e manhã - o terceiro dia”.
 
 
Eu quero compartilhar hoje com vocês o que o Senhor fez no terceiro dia da criação. No segundo dia, Deus dividiu as águas do firmamento das águas abaixo dele, mas mesmo depois disso a superfície da terra ainda ficou coberta de água. Quando veio o terceiro dia, Deus disse: “Ajuntem-se as águas que estão debaixo dos céus num só lugar, e apareça a porção seca”, e assim aconteceu. Ele também disse: “Produza a terra relva, ervas que dêem semente, e árvores frutíferas que dêem fruto segundo a sua espécie, cuja semente esteja nele, sobre a terra”, e isso também aconteceu como Deus ordenou.
Deus também trabalhou com Sua palavra no terceiro dia, e a Bíblia menciona duas vezes que, ao ver tudo acabado, “Deus disse que era bom”. Deus ficou feliz quando viu a terra seca aparecer, e depois Ele ficou feliz de novo ao ver a terra dando ervas, semente e árvores frutíferas.
A superfície da terra estava coberta de água e o solo não podia ser visto. Mas mesmo quando a terra seca não aparecia, pois estava coberta de água, ainda assim ela parecia bonita, por mais desorganizada e suja que estivesse. Mas Deus fez a terra seca que estava coberta pelas águas aparecer e a chamou de ‘terra”. E ao ver a aparência da terra que antes estava coberta de água, Deus disse que era bom. Por que, então, Deus ficou feliz ao ver a terra seca aparecer?
Ele também disse: “Produza a terra relva, ervas que dêem semente, e árvores frutíferas que dêem fruto segundo a sua espécie”. A terra aqui diz respeito ao coração do homem, a sua natureza pecaminosa. O coração do homem é muito enganador e corrupto. É tanta sujeira e maldade que não dá nem para falar. Contudo, em meio a tantas pessoas, não são muitas que sabem que a terra seca (seu coração) é realmente maligna.
Mas, então, que tipo de pessoas são os frutos da justiça que nasceram em abundância? A Bíblia diz que os frutos da justiça nascem naqueles que reconhecem que sua verdadeira natureza é maligna.
Mas este princípio é contrário ao princípio do mundo. No mundo se diz que para que alguém receba as bênçãos celestiais e dê muitos frutos, seu coração deve ser bom e puro. Muitas pessoas entendem isso, crêem nisso e fazem isso. No entanto, a Palavra da Verdade diz que para que venhamos a dar muitos frutos da Verdade, temos que saber que nosso coração é cheio de maldade.
Nosso Senhor disse: “Pois do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, a soberba, e a loucura. Todos estes males procedem de dentro, e contaminam o homem” (Marcos 7:21-23). Aqueles que reconhecem que são pecaminosos assim, diz a Bíblia, é que serão salvos.
A implicação desta passagem destaca a necessidade que há de conhecermos corretamente o que há no coração do homem. Alguém pode até ter recebido a remissão de seus pecados, mas ele pode dar bons frutos ou não, dependendo se ele reconhece que as características pecaminosas de Marcos 7:21-23 estão em seu coração, ou se ele reconhece uma ou duas e nega as outras – em outras palavras, se ele realmente crê nessa Palavra que revela a natureza humana.
Através da obra que Deus fez no terceiro dia, Ele está nos mostrando nitidamente que o evangelho dá frutos abundantes por meio daqueles que reconhecem que sua própria natureza é imunda e falha. Os pensamentos carnais do homem são sempre malignos. “Eu tenho uma natureza carnal homicida, eu sou um pervertido e um adúltero. Por causa da minha natureza, isso é o que eu sou” – é através de pessoas que reconhecem isso com sinceridade que Deus dá frutos espirituais.
Como diz a passagem deste capítulo, quando Deus disse: “Apareça a porção seca”, assim aconteceu. Por que então Deus mandou que a terra seca aparecesse? A terra estava coberta de água, mas apesar dessa água estar poluindo as águas abaixo do firmamento, ela ainda era água; e quando todas as impurezas afundavam, ela parecia limpa aos olhos. Todavia, ao fazer com que a terra seca aparecesse, Deus quis que o homem entendesse a essência da sua natureza. A implicação aqui é que temos que entender que todos nós somos seres impuros e falhos, temos que ser salvos crendo em Jesus Cristo e entender que é através de pessoas assim que nascem os frutos da fé.
Onde as árvores frutíferas crescem melhor? Elas crescem melhor em um solo bem adubado. A árvore frutífera aqui se refere a alguém que recebeu a remissão dos seus pecados. Em quem nascem os frutos do evangelho? Deus diz que os frutos espirituais nascem nos que conhecem sua verdadeira natureza, que reconhecem a Palavra de Deus como ela é, e que se vêem diante de Deus exatamente segundo Sua Palavra, e confessam: “Eu tenho desejos pecaminosos em minha carne, eu sou um ladrão, um adúltero, um pervertido, alguém cujos pensamentos são maus, tolos e egoístas”. Isso é completamente contrário aos ensinamentos do mundo.
Jesus Cristo está dizendo: “Veja como seu coração é sujo”. Ele está dizendo: “No seu coração há os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, e muito mais”. É impossível as árvores darem algum fruto por meio daqueles que, apesar disso, não aceitam a Palavra do Senhor e não revelam por completo a sua natureza pecaminosa. Pelo fato de essas pessoas não revelarem a si mesmas por completo, mesmo depois de terem recebido a remissão dos seus pecados, nenhum fruto pode ser produzido e ninguém pode ser salvo por meio delas – ao contrário, só sua hipocrisia é revelada.
Espiritualmente falando, nunca é bom você ouvir os outros dizerem como você é bom ou justo. O que você é de fato está listado acima, e então suas virtudes não passam de hipocrisia. Deus está nos dizendo: “Vocês são seres malignos, adúlteros, egoístas e ladrões. Vocês são impuros e falhos, nada mais do que um depósito de lixo e esgoto”. Mas apesar disso, quando olhamos para nós mesmos, não é assim que nos vemos. Por mais que nós reconheçamos uma ou duas falhas, mesmo assim insistimos que nossa água é limpa. Mas até o esgoto pode parecer limpo, pois se ele ficar parado a sujeira vai para o fundo e em cima ele parece limpo. Mas isso quer dizer que ele está realmente limpo em cima só porque parece? Ele pode até parecer limpo aos nossos olhos, mas ainda assim será uma água suja, cheia de todo tipo de germes. A hipocrisia humana é assim também.
 
 
O Coração do Homem é Mais Maligno do que Qualquer Outra Coisa
 
A Verdade de Deus é totalmente contrária aos pensamentos humanos. O fato de “a porção seca ter aparecido” significa que nosso verdadeiro eu foi exposto. Deus está dizendo que Ele produzirá frutos do evangelho através daqueles que, crendo na Palavra de Deus, entendem e reconhecem honestamente o que são, dizendo: “Eu tenho em minha carne desejo homicidas, um coração cheio de adultério, roubo, fornicação, orgulho, inveja e falso testemunho”. Nós temos que reconhecer o que foi dito sobre a natureza humana: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e incorrigível” (Jeremias 17:9). Mais uma vez isso é totalmente contrário aos ensinamentos do mundo.
Amados irmãos, vocês só podem se orgulhar do evangelho e exaltar a Jesus Cristo se vocês conhecerem sua natureza má. Já que não existe nada de bom em vocês e nada do que vocês possam se orgulhar, vocês têm que pregar a Jesus Cristo e só se orgulharem Dele. Fora do que Jesus Cristo fez, tudo mais é impuro e falho. E aqueles que sabem disso podem testificar a toda hora e em todo lugar: “Jesus Cristo salvou até alguém como eu. Você também é o tipo de pessoa revelada em Marcos 7, e por isso tem que ser salvo”.
Meus amados irmãos, vocês crêem que são realmente seres malignos como Deus disse? Vocês crêem que todo ser humano é assim? Mas Deus fez com que pessoas como nós fossem os que dessem frutos do Espírito. Quem são aqueles então que não reconhecem sua maldade? São aqueles que escondem todo tipo de sujeira em seu coração, que fingem ser justos, vão à igreja no domingo com a Bíblia debaixo do braço e com um sorriso fingido, adoram com uma postura de santidade e fingem levar uma vida santa. Eles são os religiosos do mundo, que cultivam o fruto da hipocrisia.
Amados irmãos, o ser humano pode levar uma vida santa e justa? É claro que não! Deus nos diz: “Vocês são seres caídos”. Já que as pessoas amam e servem mais ao mundo do que a Deus, como é que elas podem viver em santidade? Mas muitos religiosos ensinam que é possível viver assim, e é por isso que todos eles são como sepulcros caiados. Foi assim que Jesus repreendeu os fariseus. Os cristãos religiosos são santos apenas quando vão à igreja, mas quando voltam para casa sua maldade é totalmente revelada. É a verdadeira natureza do homem que é revelada quando ele comete transgressão, mas estes religiosos não têm nenhuma consciência disso.
 
 
Deus Trabalha Somente através Daqueles que Reconhecem Sua Palavra
 
Nos dias de Noé, “viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra, e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era má continuamente” (Gênesis 6:5), e por isso Deus trouxe juízo às pessoas naqueles dias, mas Noé achou graça aos olhos de Deus. É por isso que a Bíblia diz: “Noé, porém, achou graça aos olhos do Senhor. São estas as gerações de Noé. Era ele homem justo e íntegro em suas gerações, e andava com Deus” (Gênesis 6:8-9).
Deus concedeu Sua graça a Noé e o salvou. Mas ao homem maligno cujos pensamentos eram maus, Deus ordenou que as ervas dessem sementes e as árvores o seu fruto segundo a sua espécie. Deus não trabalha na água, ou seja, neste mundo. Ele trabalha na terra seca. O fato de Deus ter feito a terra produzir frutos significa que Ele trouxe remissão de pecados àqueles cujo seu próprio eu – a terra seca, em outras palavras – foi revelado. E foi essas pessoas que Ele levou a fazer a boa obra de servir ao evangelho.
Há muitas pessoas entre os cristãos que são justas em sua carne. Jesus Cristo é conhecido somente quando há virtude e santidade em alguém, não através de alguém que é justo em sua carne. Deus nunca se agrada deste último, ao contrário, Ele o abomina. Todos nós temos que entender que a santidade do homem é contrária a Deus.
Algumas pessoas dizem que quando eu sou gentil, eu sou realmente gentil, mas quando eu sou duro, eu sou realmente duro. Mas que virtude há em mim para que eu finja ser justo? Amados irmãos, é entre aqueles que foram salvos do pecado, através daqueles que reconhecem sua maldade – isto é, aqueles que crêem na Palavra de Deus exatamente como ela é – que a glória de Deus é revelada. Por outro lado, os que não crêem na Palavra de Deus não podem dar fruto algum. A justiça de Deus se manifesta através daqueles que sabem que são os seres mais impuros e falhos que existem. Nós sabemos que somos maus não porque cometemos todo tipo de pecado em nossos atos, mas porque quando fomos iluminados pela Palavra, passamos a admitir: “Tudo isso é verdade! Eu sou um ser impuro e mau”, e crer nisso de coração. Já que a própria justiça destas pessoas acabou, elas só pregam a justiça de Jesus Cristo; e é a partir daí que elas se tornam instrumentos da Sua justiça.
Eu aconselho a todos vocês, dos alunos da nossa escola de missões aos nossos pastores, pregadores do evangelho, irmãos e irmãs no mundo inteiro, a não colocar sua esperança em si mesmos nem nos outros irmãos. Mesmo não podendo colocar nossa esperança em nossa carne, muitos de nós podem pensar assim: “Eu sou diferente dos outros”.
Mas todos os seres humanos são iguais. Deus diz: “O ser humano é um poço de pecados, uma geração de malignos, mais corruptos do que qualquer outra coisa”. Mas mesmo através de seres humanos assim os frutos podem ser produzidos, e essa é a própria confirmação do poder de Deus. Isto não é maravilhoso? E a simples Verdade é esta, que para darmos fruto, primeiro temos que saber quem somos. Já que Deus expôs nossa nudez por completo e nos iluminou com Sua Palavra dizendo: “Vocês estão cheios de iniqüidade”, todos nós temos que crer nisso e reconhecer o que somos realmente.
Você reconhece isso? Nós temos que reconhecer isso. Na verdade, tudo que pode vir do ser humano nada mais é do que impureza. Nós podemos até pensar em tudo que queremos, mas nada mais pode vir dos nossos pensamentos carnais do que um desejo de roubar, idéias homicidas e desejos adúlteros. Este é o retrato do homem descrito por Deus. Mas apesar disso, muitas pessoas não têm a mínima vontade de admitir seus pecados, por mais que não os cometam em seus atos. Apesar de Aquele que nos criou estar nos dizendo que somos assim, pois Ele sabe tudo sobre nós, nós não queremos admitir isso.
Por isso, nós tentamos cobrir nossa vergonha com folhas de figueira. Mas quanto tempo dura uma roupa feita de folhas de figueira? O quanto ela pode ocultar nossos atos de hipocrisia? Por sermos humanos demais, nossa vergonha é revelada em menos de um dia, ou até mesmo na metade de um dia.
Deus disse mais de duas vezes que foi bom ver a terra seca dando seus frutos. É através daqueles que realmente conhecem a si mesmos que Deus produz frutos de justiça para se pregar a Jesus Cristo, os frutos que são lindos aos olhos de Deus.
 
 
Nós Temos que Reconhecer a Palavra de Deus em Nosso Coração
 
Você reconhece agora que seu coração é terrivelmente mau e enganoso acima de todas as coisas?
Por ter feito a terra seca aparecer e ter se agradado com isso, Deus fez com que muitos acabassem revelando sua maldade através das suas atitudes intencionalmente. Depois que recebem a remissão de pecados, algumas pessoas revelam sua maldade abertamente, porque entenderam mal esta passagem. Nós não devemos fazer isso. Esta passagem não nos diz que nós temos que mostrar nossa natureza pecaminosa em nossas atitudes, mas sim que devemos reconhecê-la diante da Palavra. Isso quer dizer que devemos aceitar a Palavra de Deus, reconhecer em nosso coração diante de Deus que somos pecadores, buscar Sua graça e alcançar a justiça.
A primeira coisa que acontece àqueles que receberam a remissão de seus pecados é que sua maldade é mais revelada do que sua santidade. Eu já ouvi que casais que raramente brigavam antes de nascer de novo acabam brigando muito mais depois de receber a remissão de pecados. Eles pensam assim depois que recebem a remissão de pecados: “Por que eu sou assim? Será que eu recebi a remissão dos meus pecados? Será que isso é tudo que eu vou me tornar?”
Mas não se preocupe com sua salvação se você realmente crê no evangelho da água e do Espírito. Isso é Deus revelando a terra seca na sua vida diária, pois você em sua natureza ainda não reconheceu totalmente Sua Palavra. Quando reconhecemos a Palavra, os frutos da justiça nascem. Porém, quando nós não reconhecemos a Palavra de coração, Deus luta conosco e nos vence, e assim revela o que somos em todas as circunstâncias. É assim que os que nascem de novo sofrem por causa da sua maldade logo que se convertem.
Diante disso, amados irmãos, nós temos que reconhecer a Palavra de Deus o mais rápido possível e crer nela, ainda mais o que ela diz sobre nossa natureza. Aí então poderemos viver realmente na luz da Palavra de Deus, ter orgulho do evangelho e viver com ele e com Deus.
Nós devemos conhecer a verdadeira substância do homem. Mas algumas pessoas não a conhecem, e por isso, mesmo após ouvirem o evangelho, tentam levar uma vida justa. Mas quando vêem que isso é impossível, elas acabam desistindo da sua fé na justiça de Deus. Ninguém pode ter uma vida de fé assim. Nós primeiro temos que entender quem somos de fato através da Palavra.
Você pode entender isso agora? Você reconhece o que você é realmente, como está revelado na Palavra? O meu conselho é que você reconheça a si mesmo enquanto leva sua vida de fé. No que diz respeito a mim, eu sou exatamente como é revelado na Palavra de Deus. Por não termos nada que nos orgulharmos, e por não haver nenhum bondade no ser humano, Jesus Cristo levou os pecados de pessoas como eu e os pecados de todos neste mundo. Eu me tornei um homem justo porque eu cri em Jesus Cristo como Ele é revelado na Palavra de Deus. O Espírito Santo em mim testifica que somente a Palavra de Deus é verdadeira. Foi assim que eu me tornei um instrumento da justiça de Deus e que a anuncia. Se eu não tivesse a Palavra de Jesus Cristo, eu não teria outra escolha senão viver como um homem corrompido desde as minhas entranhas e que cheiraria mal.
Todavia, aqueles que se opõem a Deus procuram não expor suas características imundas e buscam escondê-las quanto mais puderem, mesmo que isso os torne hipócritas. Melhor dizendo, todos querem esconder suas culpas e imperfeições diante de Deus. Entretanto, quando nós procuramos reconhecer e expor a maldade que há em nosso coração, nosso propósito é conhecer e entender o dom da verdadeira remissão dos nossos pecados. É por isso que nossa maldade tem que ser revelada cada vez mais, a fim de que recebamos a verdadeira remissão dos nossos pecados.
Na verdade, a maldade que todos têm em si não é algo que pode ser entendida sozinha. Contudo, aqueles cuja maldade não é exposta diante de Deus não podem receber a remissão de pecados que o Senhor nos oferece com um dom.
No capítulo 8 de João, há o relato de uma mulher que foi apanhada no próprio ato de adultério, e cujos pecados foram perdoados por Jesus Cristo. Entre aquela mulher e as muitas pessoas que a acusavam, qual delas foi abençoada e recebeu a remissão de pecados? Àqueles que pegaram pedras e estavam prontos para jogar nela, Jesus disse: “Aquele que dentre vós está sem pecado, seja o primeiro a lhe atirar uma pedra”. Na verdade, era isso que Jesus estava dizendo: “Todos vocês são pecadores como aquela mulher”.
Contudo, pelo fato de a multidão não admitir inteiramente que pela Palavra de Deus eram pecadores, todos eles foram embora e só a mulher pôde receber a remissão de seus pecados. Isso significa que, aqueles cuja maldade não é revelada perante Deus, não podem ser abençoados e receber de Deus a remissão de pecados que Ele oferece. Todos podem expor sua maldade e se mostrar como realmente são diante de Deus. Quando Pedro encontrou o Senhor pela primeira vez ele também confessou: “Senhor, afasta-te de mim; sou homem pecador” (Lucas 5:8).
Mas ainda existem muitas pessoas que estão totalmente enganadas quanto ao que realmente são. Como diz a Bíblia, os representantes dessas pessoas eram os fariseus, os quais não puderem entender sua maldade e que procuravam escondê-la sempre que havia o menor perigo de serem reveladas. Diante de Deus, seu coração não tinha nenhuma fé na Sua justiça, e por isso eles se gabavam da sua própria justiça.
A Bíblia diz que eles procuraram estabelecer a sua própria justiça e não se sujeitaram à que vem de Deus, que é a própria Verdade da salvação (Romanos 10:3). Eles diziam que eram diferentes das outras pessoas. Quando se achegavam a Deus com sua justiça humana, eles não podiam crer na Sua justiça e acabavam se opondo a ela. Em outras palavras, eles eram tão cheios da sua própria justiça que acabavam perdendo muito; e já que eram incapazes de crer na justiça de Deus, fracassaram na sua vida de fé e não puderam ser salvos.
Até hoje os religiosos deste mundo se gabam da sua própria justiça e exaltam a si mesmos ao invés de exaltarem a justiça de Deus. É inconcebível ver essas pessoas chegarem diante de Deus e buscarem somente sua própria justiça, sendo totalmente ignorantes em relação a si mesmas.
Todavia, Deus está dizendo a todas elas o quanto elas são impuras e falhas. Portanto, todos nós temos que chegar diante de Deus, abaixar humildemente nossa cabeça e coração, aceitar Sua justiça e crer nela com ação de graças. Para ser sincero, aqueles que temem a Deus sujeitam seu coração a Ele, exaltam Sua justiça e crêem nela. Os que conhecem a sua verdadeira natureza e têm uma fé humilde perante Deus receberão grandes bênçãos, pois eles se alegram em crer na justiça de Deus. Os fariseus de hoje, os religiosos atuais, também devem olhar para o seu próprio coração e reconhecer sua maldade. Quando eles confessarem: “Deus, eu sou muito mal. Tenha misericórdia de mim, por favor”, o Senhor terá um encontro com eles então por meio da Palavra da Verdade.
Muitos de vocês provavelmente cresceram ouvindo muitos elogios das pessoas, como estes: “Você é um bom menino! Você é um belo rapaz e muito educado”. Então, até hoje você talvez ache que você era assim realmente. Pessoas assim não conhecem a si mesmas nem quando estão diante de Deus e, no final, não poderão receber a verdadeira fé. Por fingirem serem puras mesmo tendo todo tipo de impureza dentro de si, elas acabam se tornando religiosas, peritas em se esconder na sua hipocrisia conforme o tempo passa.
Contudo, o fato é que temos que entender que, pela nossa natureza, nós não somos tão bons e justos como deveríamos ser. Deus afirma que não há absolutamente nada de bom ou justo em nós (Romanos 3:10-12).
Um irmão da minha igreja recentemente me contou essa história. Para ir para a faculdade, seu irmão teve que sair de casa e ir para a cidade onde ficava minha igreja. Sempre que ele voltasse para casa quando não tinha aula ele ouvia seus pais dizendo: “Nosso filho está aqui! Onde é que nós poderíamos encontrar um filho melhor do que você neste mundo?”
Mas quando ele passava algum tempo fora de casa ele via que não era tão bom e justo assim; ao contrário, não tem nem como descrever como ele era impuro. Ele pensou muito sobre isso então e percebeu que tinha que tomar cuidado para não se comportar mal enquanto estivesse na sua cidade, pois ele tinha muitos parentes que moravam perto; e isso explica porque ele parecia ter um comportamento exemplar perto dos seus pais. Mas depois de passar algum tempo na cidade onde ninguém o conhecia, sua verdadeira natureza revelou quem ele realmente era. Seu irmão me contou que ele não teve outra coisa a fazer a não ser reconhecer toda a sua maldade, assim como está escrito no capítulo 7 de Marcos.
Todos nós pensamos que somos justos em circunstâncias favoráveis, mas quando elas mudam – por exemplo, quando nos mudamos para outra cidade – e vivemos totalmente por nossa conta, sem ninguém interferir, aí é que nossa verdadeira natureza é revelada e passamos a entender como somos maus e impuros.
Entretanto, o mais maravilhoso é que quando Deus revela a maldade de alguém, Ele começa a trabalhar em seu coração. Quando um agricultor planta sementes no seu campo, ele não faz isso de qualquer jeito. Ele primeiro prepara o campo, retira as pedras, ara a terra, e só depois planta as sementes.
Deus também trabalha dessa maneira. Em outras palavras, quando a maldade do nosso coração é revelada é que Deus começa a trabalhar. Sendo assim, nós temos que entender que quando a água que cobre a terra é drenada, a sujeira que há ali é exposta. Todo tipo de sujeira vem à tona, sacos plásticos e pneus velhos, roupas, calçados, guarda-chuvas e panos de chão. Nós também podemos ver garrafas de bebida, latas de cerveja, garrafas de cerveja e todo tipo de aparelho elétrico enferrujado.
Deus primeiro desnuda o coração do homem e então revela sua maldade; e daí por diante Ele começa a fazer Sua obra da salvação através do evangelho da água e do Espírito. Nós agora temos que entender por que Deus disse: “Apareça a porção seca”, e por que Ele se agradou ao ver isso.
Nós jamais poderemos nos aproximar de Deus com nossa bondade humana. Apesar disso, várias pessoas até hoje ainda se acham justas. Sem conhecerem sua verdadeira natureza, elas acham que são puras. Acham que são, pelo menos, melhores do que as outras pessoas. Elas são como a multidão que acusou a mulher apanhada no ato de adultério e que pensou que era melhor do que ela. Os religiosos evitam beber e fumar, por isso tratam os outros que bebem e fumam como pecadores.
Mas e você? Você se acha melhor do que alguém que é falso. Não, não há nada de melhor em você. Se você é melhor, isso é porque você agora faz parte da Igreja de Deus, crê na Sua Palavra e procura segui-la. Se você ainda não nasceu de novo e só leva uma vida religiosa neste mundo, você então é igual a qualquer descrente. Foi por isso que Deus revelou a terra seca primeiro, e só depois trabalhou nela.
De todas as obras que Deus fez por nós, a primeira coisa que ele fez foi quebrar o conceito de que éramos bons e justos. Ele esclareceu nossos pensamentos confusos e nossos erros de interpretação. Devido à natureza humana ser impura e má em si mesma, como poderíamos levar uma vida de fé correta se não entendêssemos isso?
Quando eu vivia minha vida de fé antes de nascer de novo, eu também era elogiado por muitos na minha igreja e era tido como um crente exemplar. Naturalmente então, eu comecei a achar isso também. Porém, eu era constantemente atormentado por causa dos pecados que eu cometia em segredo. Foi só mais tarde, depois que eu nasci de novo pelo evangelho da água e do Espírito, e depois que o falso auto-retrato que encobria meu coração e meus pensamentos foi revelado, que eu pude levar uma vida correta de fé.
Quando a água é drenada da terra, aí é que sua sujeira fica exposta. Toda hipocrisia procurada e promovida pelas religiões do mundo também é exposta. Portanto, quando nós rejeitamos nossa falsa justiça e nossa falsa santidade, daí por diante é que Deus trabalha na nossa vida com Sua Palavra e faz com que demos frutos para a salvação. E se de fato quisermos dar frutos através da justiça de Deus, nós temos que confiar na Palavra do Senhor antes de confiar em nós mesmos, pois nossa verdadeira natureza é suja e falha. Melhor dizendo, ao invés de pregarmos nossa própria justiça, quando nós pregarmos a justiça de Jesus Cristo e vivermos crendo na justiça de Deus, os frutos da salvação nascerão em nosso coração então.
Amados irmãos, quando comparamos nossa justiça com a justiça de Deus, nós temos que entender que somos muito mais impuros e malignos. E por não haver nada de correto em nós, por sermos cheios de todo tipo de impureza, é completamente indispensável termos este evangelho da água e do Espírito que nos concede a perfeita justiça de Deus. Nós temos que crer e dar valor à justiça de Deus. Você concorda com isso agora? Se fôssemos limpos por natureza, Jesus Cristo não precisaria nos ajudar com o evangelho da água e do Espírito.
Quanto mais percebemos que nossa verdadeira natureza é impura e maligna, menos podemos deixar de exaltar a justiça de Jesus Cristo perante Deus. Foi por isso que Deus ordenou que a terra seca aparecesse. A terra seca tinha que ser exposta. Mas muitos de vocês ainda não têm sua terra seca exposta. A terra seca tem que aparecer totalmente. Mas isso não significa que você tem que cometer muitas maldades deliberadamente. Por outro lado, isso significa que você tem que deixar de lado os seus pensamentos humanistas que te fazem pensar que você é justo, e, ao contrário, crer na justiça de Deus manifestada por Ele através do evangelho da água e do Espírito.
Todo o conhecimento errado que há em nossa carne e em nossos pensamentos tem que ser tirado, assim como a nossa postura soberba de bondade. Somente então a Palavra de Deus trabalhará na tábua do nosso coração. Todos têm que seguir Jesus pela fé, mas muitos não fazem isso. Se você olhar em volta, você certamente verá muitas pessoas que pensam que são sábias aos olhos do mundo. Eu estou falando daqueles que são astutos e calculistas em relação às coisas deste mundo. Mas, estranhamente, eles não podem se tornar discípulos e seguir a Jesus Cristo. Isso porque, ao invés de confiarem em Deus, eles confiam mais nos seus planos e estratégias.
Essas pessoas têm que deixar de lado sua astúcia. Talvez haja pessoas junto a você cheias de virtudes humanas. Porém, nem elas podem se tornar discípulos de Jesus Cristo. Ninguém pode seguir Jesus Cristo em sua própria bondade. Mas por quê? Porque elas se acham mais virtuosas do que Jesus Cristo. Já que elas pensam que são melhores do que Jesus Cristo, como é que elas podem segui-Lo? Essas pessoas também só podem se tornar discípulos de Jesus se deixarem de lado sua bondade e orgulho. Somente os que rejeitam tudo o que são podem dizer: “Sim, Tu estás certo Senhor. Apenas Tua Palavra é a Verdade”, e se tornar discípulos que seguem a Jesus Cristo. O orgulho dos que são cheios de emoções, soberba e sentimentos humanos tem que ser tirado pela fé em Jesus Cristo.
Foi por isso que o Senhor disse: “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me” (Marcos 8:34). Talvez você esteja pensando agora: “Como eu posso viver assim. Isso seria tão triste”. Mas não se preocupe. Graças ao nosso Deus, uma nova alegria virá à sua vida. Afinal de contas, os convidados da festa de casamento em Caná não provaram o melhor vinho que o Senhor deu a eles depois que o vinho preparado pelo anfitrião acabou?
Você tem que rejeitar tudo que é humano. Isso parece tão desanimador, não é? Não, não é. Pelo contrário, uma alegria espiritual e verdadeira encherá seu coração. Você vai cantar de coração louvores espirituais e orar com fé realmente; a Palavra também vai trabalhar poderosamente em seu coração; e através do evangelho pregado por nós, muitas pessoas começarão a ter uma verdadeira vida de fé sendo realmente salvas. Por causa disso então, nosso coração se encherá de alegria no Senhor e no Espírito Santo. Quando nós dizemos àqueles que se orgulham da sua própria bondade e virtude que eles têm que deixar tudo isso de lado, eles ficam muito preocupados e não sabem o que fazer, pois eles confiaram demais nisso tudo até hoje. Contudo, quando eles rejeitam corajosamente essas coisas, eles passam a experimentar uma nova alegria e uma nova felicidade que vêm de Deus. Aí então eles não se sentem mais cheios das suas emoções humanas, mas cheios do Espírito de Deus.
Meus amados irmãos, nós temos que deixar para trás as coisas velhas. Deus disse a Abraão: “Sai da tua terra, da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei” (Gênesis 12:1). Do mesmo modo, Deus quer que deixemos para trás as coisas velhas.
Voltando à passagem bíblica deste capítulo, vamos ver o que Deus fez por nós no terceiro dia. “E disse Deus: Ajuntem-se as águas que estão debaixo dos céus num só lugar, e apareça a porção seca. E assim foi. Chamou Deus à porção seca terra, e ao ajuntamento das águas, mares. E viu Deus que isso era bom” (Gênesis 1:9-10).
 
 
O Ministério da Separação de Deus
 
Deus continuou a separar as coisas no terceiro dia também. Neste dia, Ele separou a terra seca das águas e fez com que a terra aparecesse, juntando toda água abaixo dos céus em um só lugar. Ele separou a terra seca das águas. Melhor dizendo, Deus fez com que nosso coração e pensamentos fossem separados.
Antes do terceiro dia chegar, a terra estava completamente coberta pelas águas. A terra e as águas estavam juntas. Isso quer dizer que no coração daqueles onde ainda não existe uma ordem espiritual definida, apesar de terem nascido de novo, o desejo de servir a Deus e a si mesmos estão misturados. Sendo assim, se alguém levar uma vida de fé desse jeito, ele acabará inseguro, às vezes vivendo para si mesmo e outras vezes para Deus; e há muitas pessoas que vivem sua vida inteira assim.
Entretanto, no coração dessas pessoas, Deus separou a terra seca das águas, a terra do mar. “Sua vida pertence a Mim ou a você mesmo e ao mundo?” O que Deus quer é que nós sejamos bem sinceros ao responder essa pergunta. Em outras palavras, o que Ele quer é que nós separemos duas razões nossas que estão misturadas. Ele não quer que amemos nossa carne e o mundo.
Mesmo entre nós que recebemos a remissão de pecados, há muitos que vivem assim, com seu propósito de vida misturado em seu coração. É por isso que muitas pessoas, apesar de terem recebido a remissão dos seus pecados, fingem viver para Deus enquanto desfrutam as coisas deste mundo, buscando satisfazer a ambos.
Alguns obreiros que se dedicavam totalmente para servir ao evangelho fizeram as malas e foram para o mundo. Uma coisa em comum que eles disseram quando foram embora foi isso: “Eu quero viver com liberdade”. Mas não há liberdade quando vivemos para servir ao evangelho? Há muito mais liberdade ainda. O amor por si mesmos em seu coração está misturado com o amor por Deus, e por isso eles acabaram encontrando a morte espiritual.
Há muitos entre os nascidos de novo que vivem balançando entre o espírito e a carne, e ainda se conformam dizendo que estão vivendo para Deus. Deus não aprova pessoas como essas e quer simplesmente separar o que é carnal do que é espiritual, assim como Ele separou a terra das águas do mar. Deus quer fazer uma divisão bem clara no nosso coração e pensamentos confusos. Deus separou de um modo bem claro a carne como carne, o espírito como espírito, a obra de Deus como a obra de Deus, e a obra do homem como a obra do homem.
Neste aspecto, o que nosso Deus quis fazer foi uma divisão bem clara; e foi isso que Ele fez no terceiro dia. Você agora está sendo alimentado com a Palavra na escola de missões. Por que temos jovens na escola de missões? Qual a diferença entre os que são treinados nesta escola de missões e os que não são? O objetivo do treinamento na escola de missões é separar o espírito da carne em nosso coração. É fazer com que eles vivam totalmente para Deus. Aqueles em que a obra de Deus não foi cumprida neste aspecto são os que estão vacilantes, vivendo para Deus e para si mesmos. São neles que a obra do terceiro dia ainda tem que ser cumprida.
Já que muitos irmãos foram treinados e têm comunhão comigo agora, eles têm que entender que conhecer e aprender a Palavra somente de um modo intelectual não é tudo. Antes de tudo, eles devem ter um indicador em seu coração que diz: “Eu devo viver para quê?” Eles têm que assistir as aulas e os outros cursos de treinamento na escola de missões com determinação no coração, dizendo: “Eu vou viver para Deus. Eu vou oferecer de bom grado meu corpo, meu tempo e tudo que eu tenho para ajudar na pregação do evangelho de Deus”.
Deus quer que decidamos viver somente para Ele e para o Seu evangelho. Portanto, Ele quer saber por que motivo temos vivido até hoje. Essa obra separada tem que estar bem clara em nós. Nós temos que discernir em nós mesmos o que é espiritual e o que são coisas da carne. Essa obra tem que acontecer de qualquer jeito no coração dos nascidos de novo.
Somente quando isso acontecer é que a obra de dar frutos começará então. Se essa obra não for feita nenhum fruto vai nascer. Se alguém tem um pé no mundo e outro pé na igreja, e vive sua vida de fé em cima do muro, Deus não poderá operar em seu coração então. Já que recebemos a remissão dos nossos pecados, nós temos que decidir se vamos viver para Deus ou para nós mesmos, para o mundo ou para Deus – nós temos que escolher um ou outro. Mas a escolha a ser feita é muito clara: os justos não devem viver para o mundo.
 
 
Limpe as Impurezas da Sua Fé com a Graça de Deus
 
A Bíblia diz: “As coisas velhas já passaram, tudo se fez novo” (2 Coríntios 5:17). De agora em diante, nós que fomos renovados temos que viver para Deus, para o que é justo. Viver somente para Deus é algo espiritual, enquanto que procurar satisfazer seus desejos da carne é algo carnal. E nós temos que crer na Palavra de Deus que diz: “Os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito, para as coisas do Espírito. A inclinação da carne é morte, mas a inclinação do Espírito é vida e paz. A inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem em verdade o pode ser” (Romanos 8:5-7).
Isso é algo que temos que ter em nossa mente e coração sem nenhuma dúvida. Até as coisas que você gostava antes, se eram para o seu prazer, você tem que ter coragem de deixá-las por Deus e pelo evangelho. E se elas realmente não agradam a Deus, você deve ter coragem e tirá-las do seu coração também.
Assim como toda impureza pode ser removida da prata a fim de que ela fique pura, nós também temos que remover as impurezas carnais que há no nosso coração. Você tem que discernir e separar de modo bem claro no seu coração o que é certo e tomar a seguinte decisão: “Senhor, eu quero mesmo viver para Ti. Eu vou dedicar toda minha vida a Ti por amor ao evangelho. Eu não vou me entregar ao mundo e suas vaidades”.
Amados irmãos, nós podemos muito bem passar o resto de nossas vidas aproveitando as coisas deste mundo. Mas Deus se alegraria se nós vivêssemos assim ou se vivêssemos totalmente para Ele? Como deveríamos viver para agradar a Deus? Melhor dizendo, o que é certo aos olhos de Deus? Aos olhos de Deus, o certo é viver para Ele, para o evangelho e para que todas as almas perdidas recebam a remissão dos seus pecados, temendo e seguindo a Ele. Deus também começou Sua obra em cada um de vocês no terceiro dia. Mas que tipo de obra Ele começou no terceiro dia? Ele disse: “Que a terra que estava submersa venha à tona agora e apareça”. A terra seca então apareceu e Deus fez a separação das águas. Ele separou o amor do mundo do amor de Deus, e o que é espiritual do que é carnal.
Nós temos que fazer muitas coisas diferentes para pregar o evangelho. E se isso é importante para o evangelho, não temos que nos preocupar com o que vai acontecer conosco então. Nós estamos dispostos a fazer tudo que agrada a Deus. Nós estamos dispostos a pagar o preço que for. Se nós de fato amamos este evangelho e a Deus, temos que pagar o preço que isso requer. Por amor a Deus, em outras palavras, temos que estar dispostos a abrir mão de tudo, por mais valioso que seja.
Amados irmãos, vocês não estão freqüentando essa escola de missões à toa. Provavelmente alguns de vocês tenham se matriculado aqui sem nenhum propósito específico. Mas Deus certamente está trabalhando no seu coração. Ele está separando o que é espiritual dos seus desejos carnais, fazendo com que vocês tenham objetivos espirituais em sua vida. Ao longo do tempo de treinamento na escola de missões, o espírito e a carne têm que ser nitidamente separados em seu coração, e a obra de tirar todos estes desejos carnais de vocês tem que ser realizada. Portanto, todos nós temos que orar fervorosamente para que isso aconteça.
 
 
Nós Temos que Temer a Deus em Nossa Vida
 
Nós os nascidos de novo podemos até não conhecer tudo na Bíblia, mas temos que viver o resto da nossa vida totalmente para Deus e para o evangelho. Um dos hinos que cantamos diz o seguinte: “Oferecendo nosso corpo e nossos bens, vamos pregar este evangelho”. Se nós realmente amamos a Deus e o evangelho, nada mais justo do que oferecermos não somente nosso corpo, mas também nossos bens. Nós temos que oferecer tudo que temos a este evangelho, para Deus e para a expansão do Seu Reino. Se nós não tivermos nosso coração totalmente nisso, não poderemos servir a Deus nem Sua obra que separou as águas da terra poderá ser conhecida.
Nós devemos viver para o mundo ou para nós mesmos, ou devemos viver para Deus? É certo ou errado viver para Deus? O que é certo? Viver totalmente para Deus ou para desfrutar das coisas do mundo? O que é certo para os nascidos de novo é viver inteiramente para Deus.
Até mesmo quando um leão persegue um coelho, ele não consegue pegá-lo até que ele fique totalmente cansado. Quando pregamos um prego na parede, ele não fica firme se nós não batermos bem forte. Portanto, até mesmo a menor das tarefas requere todo nosso esforço e atenção para realizá-la. E quanto à obra de Deus, aí é que nós temos que dedicar ainda mais nosso coração, nossas forcas, nossa vontade e dedicação para realizá-la. Se a Palavra de Deus diz que uma coisa está certa, devemos então temê-la e fazer conforme ela diz.
Meus amados irmãos, Deus não diz que devemos viver de qualquer maneira depois que recebemos a remissão de pecados, já que não somos mais pecadores. Ao contrário, Ele nos diz que, a partir deste momento, nós devemos realmente prosseguir para o alvo (Filipenses 3:14). Devemos rejeitar a Lei de Deus? Não, não devemos rejeitá-la. Foi por meio desta Lei que Deus nos ensinou sobre os nossos pecados e nos levou a Cristo para que recebêssemos a remissão dos nossos pecados. A Bíblia diz que agora que nós recebemos a remissão dos nossos pecados, o certo é que temamos a Palavra de Deus e, conforme ela nos orienta, amemos a Deus e vivamos inteiramente para Ele. Nós não devemos receber a Palavra de Deus e tê-la apenas como um exercício intelectual. Temos que crer na Palavra de Deus de coração. E temos que decidir com sinceridade de coração viver para Deus e para o Seu evangelho.
 
 
O Certo é que Vivamos Agora para Pregar o Evangelho
 
Todos nós temos que tomar uma decisão e dizer: “De agora em diante eu vou viver para a justiça de Deus”. Ter um coração assim é totalmente imprescindível. Amados irmãos, ao longo da nossa vida de fé, que é mais curta do que um sonho noturno, o que nós devemos fazer para viver corretamente? O certo é vivermos para o evangelho e para Deus. O mais correto é nós vivermos para o Senhor, a fim de que as outras almas recebam a remissão de seus pecados. Os justos não podem simplesmente viver do jeito que quiserem. Ter uma vida justa é o mesmo que viver para Deus.
Embora sejamos imperfeitos, o certo é que vivamos para o evangelho enquanto estivermos nessa terra. O certo é vivermos para o crescimento do Reino de Deus e para as inúmeras almas que estão perecendo. Se vivermos na carne, nós acabaremos fazendo coisas inúteis, já que o que certo para nós que somos justos é oferecer nossas mãos, nossos pés, nossos lábios e nossa mente para salvar a alma dos pecadores, para o crescimento do Reino de Deus e para servi-Lo; e também é certo usarmos tudo que nós temos para o Senhor. As pessoas que vivem assim são aquelas que, como Daniel, decidiram servir a Deus.
Você é um obreiro de Deus. O povo de Deus tem que viver totalmente para Ele, não importa o que eles estejam passando. Muitos acham muito dar o dízimo. E apesar de darem apenas 10 por cento da sua renda, o fazem com má vontade achando isso muito.
Para os servos de Deus não são apenas os 10 por cento, mas tudo. O certo é que os servos de Deus dêem tudo. Em outras palavras, sua vida deve ser para o Senhor, a vontade do Senhor deve ser nada mais do que a sua vontade, e Seu propósito nada mais do que seu propósito também. O povo de Deus é assim. Só porque nós damos o dízimo, servimos um pouco na igreja e participamos da adoração, isso não quer dizer que temos uma vida de fé e que oferecemos toda a nossa vida ao evangelho. Mas o que quer que façamos, devemos fazer para o evangelho. Isso é uma vida de fé; não é apenas dizer: “Esse tempo é para mim, esse tempo é para meu trabalho, esse tempo é para minha família, e o resto é para o Senhor”. A vida familiar, no trabalho, na escola, tudo isso deve ser vivido para o Senhor.
Você pode até dizer: “O que eu vou fazer para viver então? Se eu só servir ao Senhor, quem vai cuidar da minha família?” Não se preocupem, amados irmãos. Se nós apenas servirmos ao Senhor, ele assumirá toda responsabilidade e cuidará de nós.
Nosso Senhor disse: “Ninguém pode servir a dois senhores. Ou há de odiar a um e amar o outro, ou se devotará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas” (Mateus 6:24). E Ele continuou, dizendo: “Portanto, não andeis ansiosos, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? ou: Com que nos vestiremos? Pois os gentios procuram todas estas coisas. De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas elas. Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:31-33). Nós cremos nessa Palavra e não temos preocupação alguma com nossas necessidades, pois nós somos mais preciosos do que as aves do céu.
Foi isso que Deus fez no terceiro dia. A terra e os mares tinham que ser separados. O espírito e a carne também têm que ser separados no nosso coração. Se ainda existe algum desejo carnal lutando em nosso coração, a obra da separação tem que ser feita nele. Os alunos da escola de missões têm que entender este assunto muito bem. Seu coração não deve ter desejos por este mundo nem buscar só a felicidade carnal. Vocês precisam estar dispostos a caminhar com o Senhor, a sofrer e se alegrar com Ele. Vocês entendem isso agora?
 
 
Nós Somos Soldados do Reino dos Céus
 
Nosso coração deve estar diante de Deus de uma maneira correta. E mesmo que um exército tenha centenas de milhares de soldados, se ele não lutar realmente pela sua nação e pelo seu rei, todos estes soldados serão totalmente inúteis. Eles só vão acabar com seu poderio militar e acabar com os recursos da nação.
Por outro lado, se um exército tiver 300 soldados apenas, e todos eles se dedicarem totalmente à nação e ao seu rei, estes 300 soldados então serão uma força de elite. E mesmo que eles lutem contra um exército com centenas de milhares de soldados, estes 300 soldados valorosos prevalecerão. Que tipo de exército devemos ser então? Nós temos que ser como uma força de elite perante Deus, vivendo somente para o evangelho e para Ele.
Deixe-me contar uma pequena história agora, só para fazer uma ilustração. Há muito tempo atrás, havia dois países. Um era o país dos simplórios, o outro era o país dos espertos. No país dos simplórios, todos eram lerdos, desde o rei até o povo. No país dos espertos, ao contrário, o rei era inteligente e o povo muito astuto.
Um dia, as duas nações entraram em guerra. Quando o rei do país dos espertos ordenou: “Avançar!” seus soldados não avançaram e disseram: “ Sua majestade, não devemos avançar agora. Seria melhor esperarmos mais um pouco e depois então avançarmos”. Mas o rei da nação sombria ordenou novamente: “Avançar!” Ao ouvir isso, os soldados foram para o campo de batalha sem se importar se morreriam ou não. O país dos simplórios venceu a guerra. Mas como foi que ele venceu? Ele venceu porque seus soldados fizeram o que seu rei ordenou sem insistir naquilo que eles queriam.
Em outras palavras, os soldados deram sua vida pelo seu rei e pelo seu país mesmo não estando preparados. O país dos espertos poderia muito bem ter dizimado o país dos simplórios e vencido a guerra, já que todos eram mais inteligentes, mas ao invés disso, seu rei foi subjugado e seu exército aniquilado. E mesmo os soldados do país dos simplórios não tendo sabedoria, eles obedecerem ao seu rei. E o rei pôde vencer a guerra só por causa dos seus soldados que eram totalmente dedicados a ele.
Nós somos soldados e estamos numa guerra espiritual. Ao lutarmos essa guerra, se colocarmos nosso coração no Senhor e dissermos: “Senhor, eu vou viver só para Ti”, com certeza nós a venceremos então. Por outro lado, aqueles que não têm seu coração no Senhor perderão todas as guerras que lutarem, por mais que lutem uma centena delas. Como nosso coração deve agir então? Nosso coração deve estar totalmente determinado a viver para o Senhor.
Por que viemos para a escola de missões? Nós viemos para ser bons pregadores? Nós viemos para aprender os segredos do sucesso ministerial? Nós não viemos para a escola de missões por causa disso. Nós não viemos para a escola de missões para receber um dom especial – isto é, essas coisas como dom de línguas ou dom de profecia. Para que então nós viemos para a escola de missões? Nós não viemos para viver para o Senhor? Na verdade, nós viemos para viver para o Senhor sim. E já que decidimos em nosso coração viver para Deus, Ele permitirá isso e nos dará tudo que precisamos.
Não foi para sermos como Caim, um perito em assuntos carnais, que viemos para a escola de missões. Para que, então, temos que viver? Embora sejamos simples como Abel, nossa vida deve ser vivida inteiramente para Deus, tendo essa certeza em nosso coração, obedecendo a tudo que Ele mandar e unindo nosso coração ao Dele, dizendo sempre “sim”. Nosso coração tem que estar em Deus, tem que estar ao Seu lado. Deus precisa daqueles cujo coração está ao Seu lado. Foi para vivermos com Ele que viemos para a escola de missões. É por isso que nós estamos sendo treinados aqui.
Amados irmãos, agora que vocês ouviram a Palavra, qual vocês acham que foi o motivo de termos vindo para a escola de missões? Este motivo não mudou um pouco? Vocês receberam a remissão de pecados e vieram para a escola de missões por causa de Deus, para anunciar o evangelho às outras almas e fazer a obra de expandir o Reino de Deus. Este é o motivo de vocês estarem aprendendo a Palavra agora, orando e sendo treinados de várias formas.
Portanto, aqueles que vieram para a escola de missões não devem se importar com seus próprios pensamentos. É aqui na escola de missões que nossos pensamentos desaparecem. Quem pensa muito por si mesmo ou só se preocupa com seus assuntos pessoais e particulares, não têm qualificação para ser soldado de Deus. E apesar de sermos imperfeitos em nossa carne, e já que nos alistamos no exército, quando nosso Senhor que é nosso verdadeiro Rei ordenar: “Avancem!” nós temos que estar preparados para avançar sem questionar, e obedecer de todo o coração ao que o Senhor está nos ordenando.
Nosso Senhor nos chamou a todos para fazer de nós Seus obreiros.