Sermões

Assunto 22: O Evangelho segundo LUCAS

[Capítulo 18-1] (Lucas 18:9-14) O Senhor que Torna Justos os Pecadores

(Lucas 18:9-14)
“E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros: Dois homens subiram ao templo, a orar; um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou, porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana e dou os dízimos de tudo quanto possuo. O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.”
 
 
Deus Tornou Justos Pecadores como Nós?
 
No futuro, quando as coisas ficarem cada vez mais difíceis, muitos aceitarão Jesus, que veio pela água e pelo Espírito, como seu Salvador. No entanto, meu desejo é que todos voltem para Deus por livre e espontânea vontade e recebam a remissão de pecados, reconhecendo sua natureza pecaminosa ao invés de aceitar Jesus de qualquer jeito só porque estão passando por uma situação difícil.
Vemos no texto bíblico deste capítulo que dois homens subiram ao templo para orar a Deus. Um deles se achava justo e olhava para o outro com desprezo. E Jesus toma este dois homens como exemplo para contar uma parábola. Deus identificou dois tipos de pessoas aqui, como ele mesmo disse: “Dois homens subiram ao templo, a orar; um, fariseu, e o outro, publicano”.
No texto bíblico deste capítulo, dois homens sobem ao templo para orar a Deus. Um deles crê que é justo e olha para o outro com desprezo. Ele era alguém cuja fé era apenas externa, que cria fielmente na Palavra, mas via tudo pelo lado religioso. O publicano, por outro lado, era um pecador, humanamente falando. Pelo lado humano ele não era nada. Segundo a moral, a ética e a fé em Deus ele era totalmente pecador. Jesus então usa uma parábola com estes dois homens para nos ensinar algo.
Um fariseu era considerado por todos como alguém que cria em Deus fielmente, vivia segundo a Palavra, ia sempre ao templo, e por isso ele fez esta oração: “Ó Deus, graças te dou, porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana e dou os dízimos de tudo quanto possuo.” Ele era um homem que se considerava justo, que se achava melhor do que o publicano, que pensava diferente dos outros quando orava a Deus. Ele disse que era diferente dos outros pecadores. E não apenas isso, mas ele também disse que jejuava duas vezes por semana e dava o dízimo de tudo. O publicano, contudo, ficou longe dele, nem conseguia levantar a cabeça e batia no peito dizendo: “Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!”
Jesus disse que há dois tipos de pessoas. O fariseu orou: “Ó Deus, graças te dou, porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana e dou os dízimos de tudo quanto possuo. Eu sou muito diferente deste publicano.” Ao olharmos para este fariseu e sua oração, vemos que ele era alguém realmente perfeito, humanamente falando. Ele disse que dava o dízimo de tudo que possuía. Ele dava 200 reais se ganhasse dois mil. Algumas pessoas calculam o dízimo tão certinho que até dão moedas. É algo natural que todos dizimem a Deus, mas este homem estava exaltando a si mesmo na sua presença. E ele também disse que jejuava duas vezes por semana. E isso era algo maravilhoso.
Do ponto de vista religioso, ele era um grande homem. Além disso, ele disse que não tinha pecado. Ele era alguém que não cometia muitos pecados. Ele era um grande homem, que não cometia o pecado de adultério até quando olhava para uma mulher, que não tinha pensamentos maus, não contendia com ninguém, não bebia, não roubava, não tinha desejos malignos e não fazia o que era errado.
Jesus então conclui sua parábola dizendo: “Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.” Podemos ver aqui que o Senhor classifica o homem em dois tipos: o primeiro são os que creem que podem viver fielmente segundo a vontade de Deus na sua presença, e o segundo são os que se humilham perante ele reconhecendo que não são nada.
Quando viver neste mundo estiver mais difícil e nossas necessidades básicas como alimento e moradia não forem mais supridas, o clamor das pessoas dizendo: “Senhor, Senhor”, suas orações e sua busca a ele serão ouvidas de uma casa à outra, de um bairro a outro, de uma igreja à outra. Muitos então voltarão para Deus por causa da sua dificuldade. Mas ao invés de voltar para Deus só depois que a situação ficar difícil, eles deveriam voltar para ele de coração crendo na sua Palavra antes disso acontecer.
Há dois tipos de pessoas. E ao vermos como o fariseu estava enganado, temos que olhar para nós mesmos e ver que tipo de pessoa realmente somos. O publicano mal conseguia levantar a cabeça. A única coisa que ele fazia era bater no peito e dizer: “Ó Deus, tem misericórdia de mim!”
Que tipo de pessoa todo ser humano deve ser perante Deus? Pessoas cujo coração não aguenta mais de tanto pecado, como o publicano. Que tipo de pessoa somos nós quando tudo que há em nosso coração é revelado pela Palavra perante Deus? Nós temos crido em Jesus até hoje, mas também temos pecado muito; nós não deixamos de pecar depois que cremos em Jesus. Ao contrário, nós pecaremos até nosso último suspiro. Você e eu somos tão falhos que pecaremos até nosso último suspiro, embora o certo seria não pecarmos perante Deus.
E já que somos tão imperfeitos, não podemos deixar de bater no peito e dizer que estamos na presença de Deus: “Deus, tenha misericórdia de mim, pois eu sou pecador.” Quando tudo que há em nós é revelado perante Deus e vemos nosso coração, não há como deixarmos de reconhecer que somos pecadores. Sim, nós somos assim. Somos como as bestas que perecem. O homem peca até o dia da sua morte, mesmo crendo em Jesus. Embora nós cristãos queiramos andar com Jesus levando uma vida sublime, servindo-o com nossos dízimos, jejuando duas vezes por semana, isso não significa que não vamos pecar. É claro que não pecamos abertamente para todo mundo ver, mas quando olhamos para nós mesmos à luz do nosso coração, não podemos negar que somos imperfeitos e que sempre pecaremos perante Deus. Nós pecamos desde que nascemos neste mundo até hoje, e continuaremos pecando enquanto vivermos. Somos seres fracos que devem dizer sempre: “Senhor, tem compaixão de mim porque eu não consigo deixar de pecar.” Quem dentre nós pode dizer com toda confiança: “Eu nunca cometi nenhum pecado, nem grande ou pequeno?” Todos nós pecamos desde o dia em que nascemos até quando morremos. É algo natural o ser humano pecar desde o nascimento até o dia da sua morte. Ninguém neste mundo pode negar que é pecador.
Então, a primeira coisa que precisamos entender é a nossa verdadeira natureza. As pessoas são determinadas. Elas decidem que vão ser justas e não vão mais fazer coisas erradas, que vão andar corretamente e nunca mais roubar, mas acabam pecando até o dia da sua morte porque são seres humanos. Algumas pessoas têm prazer em roubar, mas elas geralmente roubam porque não têm dinheiro ou assaltam um supermercado porque não têm o que comer.
Há doze tipos de pecado no evangelho da Marcos capítulo 7, os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Mas o homem não comete estes pecados porque ele quer, mas porque as circunstâncias o levam a fazer isso. Quem neste mundo nunca roubou quando teve fome e precisou de alimento? Quem rouba comida também é ladrão. Quem neste mundo nunca encontrou na rua uma carteira com dinheiro e ficou para si?
Quem nunca adulterou? Quem nunca fez algo errado? Depois que o homem faz algo errado, mesmo que seja só na sua mente, ele é levado a cometer todo tipo de pecado quanto tem chance.
 
 
Todos em Sua Natureza São um Poço de Pecados
 
O homem consegue não pecar em seu corpo físico? Não, isso nunca acontece. Ele peca até morrer. O homem pode até tentar afastar seu coração do pecado, mas todos morrerão por causa do pecado da sua carne. É por isso que temos sempre que clamar assim: “Deus, tem compaixão de mim. Eu sou alguém que vai pecar até morrer. Portanto, tenha compaixão de mim, Deus. Eu sou fraco e pecador.”
Nós nascemos em pecado. Em outras palavras, herdamos um coração maligno, um coração que mata, um coração que furta, um coração que mente, que comete todo tipo de pecado imundo. Mas vamos dizer que não cometemos isso abertamente. Então podemos dizer com orgulho: “Eu sou diferente de todo mundo. Eu sou diferente de quem bebe. Eu sou diferente das prostitutas e dos ladrões.” Mas será que para Deus somos mesmo justos? Será que somos justos só porque as circunstâncias foram favoráveis, nos permitindo levar uma vida espiritual fiel e ir à igreja com a Bíblia debaixo do braço?
Para ser bem sincero, temos que entender que todos os pecados que as prostitutas e garotos de programa, bandidos e ladrões cometem, que os pecados que os criminosos mais procurados deste mundo cometem são os mesmos pecados que você e eu cometemos. Temos que entender que também somos esse tipo de gente perante Deus. Você e eu somos assim. Desde o berço até o túmulo, e até estarmos na presença de Deus nosso corpo físico pecará. O homem peca até morrer. Por essa razão, alguém só deixa de ser pecador quando nasce de novo crendo no evangelho da água e do Espírito. Todos são pecadores diante de Deus e merecem ir para o inferno.
Nós somos como o publicano. Somos como o publicano que enganava as pessoas e as explorava, tirava seu dinheiro e pecava o tempo todo. Ele cobrava impostos no seu país e punha o dinheiro em seu próprio bolso. Nós somos como o publicano que tirava tudo do povo para satisfazer seus próprios desejos. Temos que entender que nosso corpo físico peca desde o nosso nascimento até a nossa morte. Você crê nisso? Você reconhece isso?
 
 
Muitos Cristãos São Mesmo como os Fariseus, Embora Confessem Crer em Jesus como Seu Salvador
 
Apesar de não crer no evangelho da água e do Espírito, eles andam com arrogância, abrem um enorme sorriso no rosto, vão frequentemente para suas igrejas e adoram assim, como se fossem santos: “Aleluia. Bendita é a casa de Deus.” E cantam: “♫Santo, Santo, Santo, Deus Onipotente! Cedo de manhã, cantaremos teu louvor♪.” Então o pastor com aparência de santidade aparece e ora: “Pai santo, teu povo se achega a ti porque pecou muito durante esta semana. Perdoe seus pecados e santifica este culto para te bendizermos e também sermos santificados. Eu oro em nome de Jesus. Amém.”
Aí ele prega assim: “Deus diz na sua Palavra, na primeira epístola de João capítulo 1, versículo 9: ‘Se confessarmos nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar nossos pecados e nos purificar de toda injustiça’. Eu creio que Deus purifica todos os nossos pecados com o sangue de Jesus Cristo quando os confessamos. Amém. Nós somos santos porque recebemos a remissão de pecados e confessamos nossos pecados todos os dias. Então, nós que cremos em Jesus Cristo, somos a luz e o sal do mundo. E como deve ser o sal e a luz nesta vida? Deve ser uma boa vida. Temos que visitar os idosos e ajudá-los. Temos que seguir as leis de trânsito. Não devemos roubar. Esta é a vida moral que todo cristão deve ter. Temos que fazer brilhar a luz neste mundo coberto de trevas com nossa vida santa e justa. Mas agora nosso culto a Deus acabou. Vamos para casa. Eu vou dar a bênção final. No nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo eu abençoo com a abundante graça de Jesus Cristo, todos que creem nela, no santo amor de Deus Pai e na obra dele, do Filho e do Espírito Santo. Amém.”
O coral então canta um hino religioso sublime. Como é emocionante quando acaba o culto numa destas grandes igrejas cristãs! Isso é uma vida religiosa. Essas pessoas oram cheias de arrogância como os fariseus: “Eu jejuo duas vezes por semana, levo uma vida de retidão, dou dízimo de tudo que possuo e não tenho pecado.” Estes acham que são mais justos do que todos neste mundo, mas voltam para casa sem receber a justiça de Deus.
Que tipo de pessoas recebe a remissão de pecados? Os pecadores. O Senhor disse: “Seria bom se vocês soubessem o significado do texto bíblico que diz: ‘Misericórdia quero, e não sacrifício.” O que é a misericórdia do Senhor? É o ato pelo qual ele aceita todos que reconhecem que nunca conseguirão deixar de pecar, mesmo sendo seu povo; que ele purificou todos os seus pecados com a água e o Espírito Santo; e assim nos tornou justos perante Deus. Ao olharmos para o significado da palavra misericórdia, vemos que ela expressa o quanto Deus se compadece de nós.
A misericórdia de Deus é como o ventre. Quando o óvulo fecundado é semeado no ventre da mulher, ele protege a vida que há dentro dele de tudo que há do lado de fora. E mesmo quando está frio por fora, o feto é aquecido e nutrido por nove meses até ser trazido a este mundo. Assim é a misericórdia de Deus. O óvulo fecundado em si não tem força alguma. E ele morrerá se entrar em contato com um simples vírus. Porém o ventre da mulher o protege, o alimenta e o traz a este mundo no tempo certo. Assim é a misericórdia de Deus.
O homem não é nada perante Deus. Psicologicamente, nós que nascemos como descendentes de Adão somos seres que não podem evitar o pecado porque o herdamos de nosso pai. Somos seres que não podem evitar o pecado, por mais que tentemos.
Mas nosso Deus tornou justos nós que éramos pecadores. E ele fez isso pela água e pelo Espírito. O povo no Antigo Testamento impunha as mãos sobre a cabeça do holocausto. Um israelita sempre trazia um animal para ser sacrificado no Tabernáculo quando pecava. Eles levavam animais que tinham patas fendidas e ruminavam como cabras, ovelhas, bois, e impunham as mãos sobre sua cabeça. “Eu matei, adulterei, roubei.” Assim eles confessavam seus pecados ao impor as mãos sobre a cabeça do sacrifício e eles eram todos passados para eles. “Impor as mãos” significa “transferir o pecado para o sacrifício.” Eles então degolavam o animal e derramavam seu sangue. O salário do pecado é a morte. Eles tinham que morrer por causa do pecado que cometeram, mas o holocausto morria em seu lugar.
Deus deu dois tipos de lei aos israelitas. Uma foi a lei que os levava a entender o pecado, e a outra foi o sistema sacrificial que os levava a receber a remissão de pecados. Deus deu estas duas leis ao mesmo tempo a Moisés no Monte Sinai. Moisés recebeu ali 613 mandamentos da lei. Você está enganado se acha que Moisés desceu do Monte Sinai apenas com a lei que dizia o que podia e não podia fazer. Moisés recebeu ali também o sistema do Tabernáculo. Deus deu a ele o sistema sacrificial do Tabernáculo, que define toda oferta de sacrifício. Deus disse que os israelitas deveriam oferecer ofertas de grãos, ofertas queimadas e ofertas pacíficas. E quem pecasse violando a lei deveria trazer um animal puro e sem mancha, transferir seus pecados para ele pela imposição de mãos, degolá-lo, tomar seu sangue e dá-lo ao sacerdote. O sacerdote então cortava em partes a oferta queimada, tirava sua cabeça e suas patas, assim como ambos os rins, e a gordura que está sobre eles e sobre as tripas, e queimava os intestinos e as partes impuras numa cerimônia fora do arraial. Deus também disse que ele deveria ser cortado em partes e oferecido no altar de ofertas queimadas na sua presença.
Como sacrifício a Deus, um animal sem mancha tinha que receber a imposição de mãos e ser imolado. O povo tinha que entregar suas partes cortadas na presença de Deus com sua gordura, e o sacerdote as oferecia pelo pecador. Deus criou uma lei pela qual o pecador só podia receber a remissão de pecados se ele mesmo transferisse todos eles pela imposição de mãos, mas era o sumo sacerdote que oferecia o sacrifício em seu lugar no Dia da Expiação.
Foi assim que Deus deu a Moisés a lei e o sistema sacrificial. Moisés os recebeu e deu ao povo de Israel, e eles foram passados a nós hoje também. Antes de entendermos a justiça de Deus e crermos nela, temos que entender nossos pecados através da sua lei. A lei nos diz para não adulterar. Isso quer dizer então que o homem comete adultério. A lei nos ensina sobre nossos pecados: “Vocês são pessoas que adulteram. Vocês são pessoas que roubam. Vocês são pessoas que servem a outros deuses. Vocês são pessoas ignorantes. Vocês são pessoas que não guardam o sábado. Vocês são pessoas que não honram seus pais.” E Deus também nos deu Jesus Cristo. Ele nos deu Jesus Cristo para que recebêssemos a remissão de pecados.
Deus nos deu a sua lei e Jesus Cristo. E nós conhecemos a lei de Deus. Mas ele nos deu sua lei para nos conhecermos e entendermos nossos pecados, não para a guardarmos. O livro de Romanos nos diz no capítulo 3 que “pela lei vem o conhecimento do pecado.” As pessoas geralmente tentam guardar a lei, mas Deus não no-la deu para guardarmos. Ele nos deu a lei para que conhecêssemos a nós mesmos. Para que serve o espelho? Nós podemos ver o reflexo do nosso rosto no espelho e limpá-lo quando ele está sujo. Do mesmo modo, a lei nos leva a entender e ver nossos pecados. E Jesus Cristo é que traz sua misericórdia sobre nós. Misericórdia é ter compaixão de quem precisa dela. Jesus teve compaixão de nós e apagou todos os nossos pecados.
No Antigo Testamento, o sumo sacerdote transferia todos os pecados do povo de Israel para a cabeça do bode emissário pela imposição de mãos. Este sacrifício era oferecido uma vez por ano, no décimo dia do sétimo mês. E como ele é feito no Novo Testamento? Jesus, o Filho de Deus, veio a este mundo. Qual foi a primeira coisa que Jesus fez quando iniciou sua vida pública neste mundo?
Por que ele foi batizado? Vamos ver o que diz a Palavra. Está escrito no evangelho de Mateus capítulo 3, versículos 13 ao 17: “Então, veio Jesus da Galiléia ter com João junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim? Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então, ele o permitiu. E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele. E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.”
 
 
Jesus Foi Batizado por João Batista Apenas uma Vez
 
Por que Jesus foi batizado? Foi porque ele era humilde, simples ou para ser como o homem? O motivo de Jesus ter sido batizado está bem claro em Mateus 11:11-14: “Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João Batista; mas aquele que é o menor no Reino dos céus é maior do que ele. E, desde os dias de João Batista até agora, se faz violência ao Reino dos céus, e pela força se apoderam dele. Porque todos os profetas e a lei profetizaram até João. E, se quereis dar crédito, é este o Elias que havia de vir.”
Nós poderemos entender todo o Antigo Testamento se lermos a Palavra no evangelho de Mateus e a compreendermos. Jesus disse: “Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João Batista”, e isso significa que Deus enviou João Batista como o representante de toda a humanidade. Mas Jesus continuou: “Aquele que é o menor no Reino dos céus é maior do que ele.” Isso significa que por maior que seja o homem, ele é menor do que os filhos de Deus. Então ele disse que “desde os dias de João Batista até agora, se faz violência ao Reino dos céus, e pela força se apoderam dele.” E isso significa que só vamos para o céu se crermos na obra que João Batista realizou. Jesus também disse que “todos os profetas e a lei profetizaram até João”, e isso significa que todas as profecias do Antigo Testamento foram cumpridas através do ministério de João Batista e de Jesus Cristo. Significa que João Batista é o último profeta do Antigo Testamento, o representante de toda a humanidade, o maior entre todos os seres humanos, e o último sumo sacerdote. João foi profeta e o último sacerdote, maior do que os profetas Isaías, Ezequiel e Daniel. A tribo de Arão era a casa dos sumos sacerdotes no Antigo testamento, e João Batista era descendente de Arão, da casa do profeta Zacarias. É por isso que está escrito que “todos os profetas e a lei profetizaram até João.”
 
 
Todas as Profecias do Antigo Testamento Apontam para a Justiça de Jesus
 
Jesus, que antes havia sido profetizado, de fato veio nos dias do Novo Testamento. Ele nasceu numa manjedoura em Belém. Deus se fez homem e veio a este mundo. Jesus veio a este mundo, assim como cantamos: ♪Que o mundo se alegre, O Senhor chegou♫.”
João Batista nasceu seis meses antes do Salvador Jesus. Ele nasceu da casa do sumo sacerdote Arão, e Jesus nasceu como descendente de Davi. Pelo lado carnal, João era da casa do sumo sacerdote, enquanto que Jesus era da família real. E os dois se encontraram no rio Jordão quando Jesus tinha trinta anos. “Então, veio Jesus da Galiléia ter com João junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim? Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça.” Isso está escrito em Mateus capítulo 3, dos versículos 13 ao 15.
Por que Jesus foi ao rio Jordão para ser batizado por João Batista? Jesus foi batizado no rio Jordão, o rio da morte, para salvar todos os pecadores do mundo, que iriam para o inferno por causa dos seus pecados. Como o sumo sacerdote do Antigo Testamento transferia os pecados anuais dos israelitas de uma vez por todas impondo as mãos sobre o bode emissário, João Batista, o representante da humanidade, batizou Jesus no início do Novo Testamento. Jesus foi batizado no rio Jordão para apagar todos os nossos pecados. Batismo por imersão significa impor as mãos sobre a cabeça, mergulhar nas águas e trazer para fora. E ao ser batizado assim, Jesus recebeu em seu corpo todos os nossos pecados. O que aconteceu então quando nossos pecados foram passados para Jesus? Todos eles desapareceram. Foi por isso que Jesus morreu levando os pecados do mundo. Mas ele ressuscitou para nos salvar e agora está assentado à destra do trono do Pai. Por isso que Jesus foi batizado.
Jesus foi batizado para tirar todos os nossos pecados, para acabar com todos os pecados dos pecadores e não deixar mais nenhum, para ser condenado no seu lugar e para nos salvar. Ele fez isso porque teve compaixão de nós. Jesus respondeu a João e disse: “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça.” Ele então o batizou. Foi isso o que Jesus quis dizer: “Me batize e assim transfira todos os pecados do homem para mim. Ao ser batizado por você, eu receberei todos os pecados do homem e serei condenado por eles; eu também morrerei crucificado em seu lugar, e purificarei todos os seus pecados ao ressuscitar. Eu farei com que meu povo não tenha mais pecado. Este é meu amor por vocês.” Por isso que Jesus foi batizado por João Batista.
A Bíblia diz: “E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele. E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.” Jesus foi batizado, e a Bíblia diz que “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”, e “vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.” Todas estas palavras foram cumpridas quando Jesus foi batizado por João Batista.
Mateus 3:15 diz: “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça.” “Toda a justiça” em grego é “πάσαν δικαιοσύνην (pasan dikaiosunen),” que significa o estado mais perfeito onde não há defeito algum. E “porque assim” é ‘οϋτως γάρ (hoo’-tos gar)’ em grego, e significa ‘bem desse jeito’, ‘o mais adequado’, ou ‘não há outra maneira além dessa’. Esse texto mostra que Jesus levou sobre si os pecados do homem de uma vez ao ser batizado por João Batista e da maneira mais adequada.
Já que foi batizado por este método, o método pelo qual João Batista o batizou, Jesus veio a este mundo como o bode emissário do Antigo Testamento. O sumo sacerdote nos dias do Antigo Testamento tomava dois bodes: um era oferecido no Tabernáculo e o outro era oferecido na frente dos israelitas. O sumo sacerdote impunha então as mãos sobre a cabeça destes bodes para transferir todos os pecados anuais do seu povo. Este sacrifício era uma sombra dos bens futuros, ou seja, o eterno sacrifício de Jesus (Hebreus 10:1).
Nosso Senhor disse a João Batista: “Nos convém cumprir toda a justiça. Eu vim para levar sobre mim todos os pecados do homem. Eu tenho que fazer isso através de você. E o método mais correto de levar todos os pecados é o batismo. Eu tenho que se batizado para apagar todos os pecados do mundo e fazer com que todos creiam em mim para se tornarem filhos de Deus. Eu preciso se batizado por você para mostrar que não tenho pecado e chamar Deus de Pai. E não há outra maneira de fazer isso. Se não for pelo método do batismo, se não for pelo método de receber os pecados do homem através de você, todos que crerem em mim no futuro não poderão ser justos.” Foi por isso que Jesus foi batizado por João Batista.
O Senhor disse: “Porque assim nos convém cumprir toda a justiça”, e a justiça aqui é a boa obra de Deus que nos salvou. Deus escolheu João Batista para transferir todos os pecados do homem para Jesus pela imposição de mãos. E esta foi a forma mais justa pela qual ele nos amou. E foi por isso também que Jesus foi batizado. Este é o amor de Deus. E este foi o método mais correto de fazer isso. O que eu quero dizer é que Deus nos salvou pelo método mais justo e correto fazendo com que Jesus fosse batizado para tirar nossos pecados e morresse na cruz. E foi assim que ele nos salvou do pecado.
A Bíblia diz que Jesus levou todos os nossos pecados sobre si ao ser batizado por João Batista. Ele disse: “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça.” E João então concordou quando Jesus disse isso. João Batista transferiu todos os pecados do homem para Jesus como o sacerdote de toda a humanidade. Nós não sabemos quando será o fim deste mundo, mas todos os pecados do homem – que não tinha como deixar de ser pecador aqui – foram transferidos para Jesus pelas mãos de João Batista.
Todos os pecados que cometemos em nossa carne desde o nascimento até a morte foram transferidos. E no outro dia João Batista deu testemunho do batismo que ministrou sobre Jesus dizendo: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (João 1:29). Quando Deus diz “do mundo”, ele não está falando do mundo material. Ele está, por outro lado, se referindo a todo ser humano, inclusive eu e você que fomos criados à sua imagem. Jesus tirou todos os nossos pecados. Todos os nossos pecados foram transferidos para Jesus. “Nos convém cumprir toda a justiça. Me convém levar os pecados de todo mundo e salvá-los pelo batismo.” Jesus foi batizado para levar nossos pecados, para nos salvar, para apagar e purificar todos os pecados do mundo, e para ser condenado por nós.
Quando Jesus saiu das águas, as janelas do céu se abriram e Deus disse: “Este é meu Filho amado, em quem me comprazo.” Ele disse: “Meu Filho levou todos os pecados do mundo sobre si. Ele foi à cruz e condenado porque tirou todos os seus pecados. Meu Filho obedeceu à minha vontade.” Deus enviou seu Filho unigênito a este mundo para nos salvar dos nossos pecados.
O que aconteceria se Jesus se recusasse e dissesse que não queria seguir o plano da salvação de Deus quando ele o enviou a este mundo para fazer a sua vontade? Você e eu iríamos para o inferno. Mas Jesus foi batizado por João Batista segundo a vontade de Deus.
Nossos pecados foram passados para Jesus ou não? Sim, todos os nossos pecados foram passados para ele. E todos os pecados aqui significam os pecados que cometemos no mundo desde que nascemos até a nossa morte. Está escrito que Jesus levou sobre si todos os nossos pecados. Então isso inclui todos os pecados que cometemos desde que nascemos até termos vinte anos ou não? Sim, inclui.
Eu não quero viver até os 120 anos. Mas eu vou viver até lá se Deus assim quiser. Se eu pudesse ter uma vida saudável até Jesus voltar, eu viveria de bom grado até os cem anos. Enfim, Jesus levou todos os pecados que eu cometerei no futuro, até eu morrer. Ele levou todos os meus pecados. Jesus foi batizado para que eu e você não tivéssemos mais pecado.
Este mundo é dominado pela lei da selva, e os mais fortes oprimem os mais fracos de uma forma terrível. Os mais velhos não oprimem muito os mais novos? Jesus é o Deus Todo-Poderoso, mas ele não nos incomoda. Ao contrário, ele se entregou como propiciação pela humanidade. E ele não levou sobre si os nossos pecados apenas, mas os de todos neste mundo. Jesus levou todos os pecados do homem, não apenas os nossos. Deus levou sobre si todos os pecados do homem para cumprir a justiça de Deus. Foi assim que Deus amou o mundo de tal maneira.
Só recebe a salvação e vai para o céu quem reconhece que Jesus levou sobre si seus pecados ao ser batizado e creem nele como Seu Deus e Salvador. Para Deus, Jesus levou os pecados de todos neste mundo, sem exceção. Nós vamos para o céu pela fé. Os que creem nesta verdade vão para o céu, mas os que não creem vão para o inferno. Nós vamos para o céu pela fé, não pelas obras. Está escrito na Bíblia: “Porque os caminhos do SENHOR são retos, e os justos andarão neles, mas os transgressores neles cairão” (Oséias 14:9). Quem reconhece que é pecador diz assim: “Deus, eu sou pecador. Eu sou uma pessoa condenada ao inferno. Eu sou alguém que vai pecar até morrer. Mas eu creio que o Senhor foi batizado por mim e levou sobre si todos os meus pecados.” Quem reconhece isso e também que Deus o salvou vai para o céu.
Todos os nossos pecados foram transferidos para Jesus Cristo. A primeira coisa que Jesus fez antes de iniciar sua vida pública foi ser batizado. Mas Jesus não foi batizado porque era humilde. Ele disse que tinha que fazer isso para cumprir toda a justiça. Ser batizado era algo muito importante.
Até os vinte anos, Jesus ajudava seu pai humano, José. E José era carpinteiro. O trabalho de Jesus devia ser limpar a sujeira do lugar onde ajudava seu pai. Mas quando fez trinta anos, ele foi ao rio Jordão para se encontrar com João Batista. E João batizava pessoas ali.
João Batista era um servo de Deus e dizia às pessoas: “Arrependam-se, raça de víboras!” E ele dizia isso claramente.
Jesus se aproximou dele então e disse: “Me batize.”
“O que? Como tu vens a mim e me pede para batizá-lo?”
A palavra ‘batismo’ tem dois significados. Um deles é ‘deixar de servir aos ídolos dos gentios e voltar para Deus’. O outro é ‘ser coberto por alguma coisa’, levar pecados sobre si’ ou ‘purificar pecados’. O batismo que Jesus recebeu de João foi para levar todos os nossos pecados. O povo era batizado por João como sinal de que não serviriam mais a outros deuses, pois criam em Deus e estavam voltando para ele. Há dois tipos de pessoas neste mundo que são batizadas. Um deles são aquelas que são batizadas como um sinal e dizem: “Eu antes cria num deus gentio, mas agora creio em Deus como meu Salvador. Eu estou voltando para Deus.” O outro são aquelas que recebem o batismo pela fé no coração e dizem: “Todos os meus pecados foram passados para Jesus quando ele foi batizado.” Esta é a circuncisão espiritual.
Jesus levou sobre si todos os nossos pecados quando foi batizado. Vamos ler a uma só voz o evangelho de João capítulo 1 versículo 29 para vermos se Jesus levou mesmo todos os nossos pecados ou não.
Está escrito: “No dia seguinte, João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (João 1:29). Depois que batizou Jesus no rio Jordão no início do seu ministério terreno, João Batista o viu vindo em sua direção e disse: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” Isso foi dito um dia após seu batismo. Era isso o que João Batista estava dizendo: “Vejam bem. Jesus foi batizado por mim ontem para levar todos os seus pecados sobre seu corpo. Ele é o Cordeiro de Deus, o Senhor que levou sobre si os pecados do mundo.”
 
 
Jesus Não Poderia Ter Purificado os Pecados do Mundo Se Não Tivesse Recebido Todos Eles Sobre Si ao Ser Batizado por João Batista
 
Jesus poderia dizer que levou sobre si todos os pecados do mundo se não tivesse sido batizado por João Batista? Não, pois Deus não pode mentir. Jesus levou todos os nossos pecados sobre si ao ser batizado. Ele é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo porque levou todos os nossos pecados sobre si. Mas para onde ele levou todos estes pecados? Ele os levou à cruz e ali morreu. Sua vida pública durou três anos e foi do seu batismo até a cruz.
A vida de Jesus foi dividida entre sua vida pessoal e sua vida pública. Sua vida pessoal foi até os vinte e nove anos, e sua vida pública começou aos trinta e três anos. Jesus era justo porque tirou todos os nossos pecados e morreu por nós a fim de salvar os que nele creem. “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” Só este versículo fala tão claramente sobre isso. João Batista deu testemunho a este mundo. E ele testificou isso porque foi ele mesmo quem batizou Jesus.
Mateus testifica em seu evangelho que Jesus é o Rei, o Salvador do homem, dizendo: “Livro da geração de Jesus Cristo, Filho de Davi, Filho de Abraão” (Mateus 1:1). Mateus descreve em seu evangelho a genealogia de Jesus Cristo para sabermos que todos que creem nele como o seu Salvador – que levou sobre si todos os seus pecados ao ser batizado e pagou por eles ao morrer na cruz em seu lugar – sejam descendentes de Abraão e Davi. Foi por isso que Mateus, discípulo de Jesus, disse bem claro que ele foi batizado. Ele deixou descrito de modo bem claro a razão pela qual Jesus foi batizado, ou seja, por que ele recebeu o batismo. Está escrito que Jesus recebeu o batismo para cumprir toda a justiça, para apagar os pecados do seu povo.
Jesus disse: “Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça.” Ele recebeu o batismo para apagar os pecados do seu povo. Para isso ele foi batizado. Jesus recebeu o batismo por todo mundo, para apagar todos os seus pecados. O fato de Jesus ter sido batizado significa que ele levou todos os nossos pecados. Como? Isso foi feito do modo mais correto, mais adequado e mais justo. Está escrito que Jesus foi batizado por João Batista porque não havia método além deste pelo qual ele poderia levar sobre si todos os pecados do mundo.
Depois de levar sobre si todos os pecados do mundo ao ser batizado, Jesus percorreu toda a nação durante três anos e disse à mulher que foi apanhada em adultério, ao cego, ao coxo e a outros pecadores: “Filhos, seus pecados estão perdoados.” No evangelho de João capítulo 8, Jesus diz à mulher apanhada em adultério: “Eu não te condeno e não te julgo também, pois digo que você não tem mais pecado.” Por quê? Porque nosso Senhor levou sobre si todos os pecados do mundo ao ser batizado por João, inclusive este pecado da mulher adúltera. Por isso que ele teve que ser condenado e todos os pecados do mundo foram passados para o seu corpo, não para o nosso. Isso quer dizer que até a mulher que foi apanhada em adultério não tinha pecado. Esta mulher achava que era pecadora porque não cria em Jesus. Ela estava tremendo de medo porque as pessoas queriam apedrejá-la e matá-la segundo a lei. Naquela ocasião, Jesus foi até ela e perguntou: “Mulher, onde estão aqueles que te acusavam? Ninguém te condenou?”
No que ela respondeu: “Não, Senhor.”
Então Jesus lhe disse: “Nem eu te condeno. Vá e não peques mais. Apenas me siga. Eu sou a luz do mundo. Quem me seguir jamais andará em trevas e será pecador. Todos estes foram salvos do juízo da lei.”
“Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” João Batista estava dizendo com isso que todos deveriam olhar para Jesus. E temos que ver os pecados do mundo também. Até onde vão os pecados do mundo? Mesmo se dissermos que eles vão de um lado a outro deste púlpito, o Senhor que diz: “Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim”, já tirou todos eles. Nosso Senhor é o Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo.
Segundo uma profecia do Antigo Testamento, o Senhor nasceu neste mundo, foi batizado e morreu na cruz. E ao ser batizado, Jesus levou sobre si todos os pecados do homem. Ele tirou todos os pecados do mundo, inclusive de todos que nasceriam 2000 anos depois e até além, de todos que viveram nos dias do Antigo Testamento, de todos desde os dias de Adão até o fim deste mundo.
João Batista testificou de Jesus dizendo: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” Nós ainda cometemos pecados neste mundo ou não? Sim, nós ainda pecamos neste mundo. Então não devemos dizer: “Eu sou diferente das outras pessoas”, já que pecaremos hoje, amanhã e depois de amanhã. Não devemos viver de qualquer maneira achando que sempre haverá óleo sobre a nossa cabeça, quando na verdade dentro de nós estamos cheios de maldade. Todos nós somos iguais para Deus. A única coisa que devemos dizer é: “Eu sou mesmo um pecador. Eu mereço ir para o inferno.” No entanto, o Senhor fez com que pessoas como nós recebessem a sua justiça e nos colocou no caminho certo.
Nosso Deus tornou justos os pecadores. O Cordeiro de Deus que tirou os pecados do mundo fez uma obra fabulosa. Você e eu pecamos desde que nascemos e continuamos a pecar até os doze anos ou não? Nós pecamos todos os dias e assim será até morrermos. Mas estes pecados foram passados para Jesus ou não? Sim, foram. Os pecados do mundo são aqueles que cometemos desde que nascemos aqui. Você acha que os pecados do mundo são algo especial ou diferente disso? Todos os pecados que cometemos em nossa mente e em nossos atos são os pecados do mundo.
Você e eu saímos do ventre de nossas mães, fomos bebês, crianças, chegamos à adolescência, à fase adulta, à meia idade e à velhice. Alguém disse certa vez que temos quatro pernas de manhã, duas pernas ao meio-dia e três pernas à noite. Assim é a vida do homem, e todos os pecados que cometemos ao longo da nossa vida são os pecados do mundo.
Nosso Senhor levou sobre si todos os pecados do mundo. Todavia, mesmo reconhecendo que Jesus levou sobre si todos os pecados do mundo ao ser batizado, ainda temos pecado. Mas os pecados que cometemos só permanecem em nós quando não cremos no batismo de Jesus.
Jesus levou sobre si todos os pecados do mundo de uma vez por todas. Nunca diga: “Eu nunca ouvi falar sobre isso”, nem de brincadeira. A Bíblia é a verdade. E todas as palavras do Antigo e do Novo Testamento se completam, como está escrito:
“Buscai no livro do SENHOR e lede;
Nenhuma dessas coisas falhará,
Nem uma nem outra faltará;
Porque a sua própria boca o ordenou, E o seu espírito mesmo as ajuntará” (Isaías 34:16).
A Bíblia é como uma corrente. Quando um mistério é desvendado, todos os outros segredos também são revelados. Se pecarmos mesmo sabendo que Jesus levou os pecados do mundo quando foi batizado, seremos sempre pecadores. Já que pecamos todos os dias, sempre seremos pecadores. Nós éramos pecadores antes de crermos em Jesus e também seremos depois de crermos nele.
Os apóstolos criam no evangelho da água e do Espírito. Em 313 d.C., Roma decretou o Edito de Milão e o Cristianismo passou a ser a religião oficial do Império Romano. E por mais de mil anos eles proibiram as pessoas de ler a Bíblia. Foi um período de trevas. Durante a Idade Média, eles ensinavam que era preciso fazer boas obras mesmo depois de crer em Deus, mas Martinho Lutero no século XVI disse que nos tornamos justos crendo em Jesus.
Tudo indicava que a Reforma religiosa havia restaurado a verdade do Cristianismo. Mas a verdade é que nada mudou. O livro que eu li vinte anos atrás até hoje continua na mesma livraria cristã. Até os livros que são publicados hoje em dia não podem fugir do passado. As pessoas acham que o Cristianismo tem uma longa história e tradição, mas sua história é pequena, pois o Cristianismo desapareceu dos países do ocidente onde teve início. O que predomina nestes países são o islamismo e o budismo. Isso porque o Cristianismo deixou a verdade e seus líderes não conhecem o evangelho da água e do Espírito. Como alguém pode dizer que está estudando teologia já que nem conhece a Bíblia? Como alguém pode dizer que estuda teologia já que não sabe que todos os seus pecados foram passados para Jesus quando ele foi batizado por João Batista?
É por isso que alguns perguntam: “Mesmo crendo somos pecadores? Devemos algo mais mesmo quando pegamos nossa dívida? Ainda somos pecadores mesmo crendo em Jesus e tendo recebido a remissão de pecados?” Jesus nos disse que só entraríamos no céu se nascêssemos de novo da água e do Espírito (João 3:5). Ele disse que se alguém quiser entrar no reino dos céus, ele precisa nascer de novo crendo no evangelho da água e do Espírito.
O que significa então nascer de novo crendo no evangelho da água e do Espírito? Jesus foi batizado no rio Jordão por João Batista. E qual a função da água? Ela purifica as impurezas do mundo. Está chovendo lá fora agora, e nós não poderíamos viver se não fosse pela chuva, pois tudo ficaria contaminado. Ninguém pode viver sem água. É por isso que Deus fez sempre chover. Ele faz o vapor subir do mar e da terra, e assim lava a terra e protege todos os seres vivos com a chuva. A função da água é purificar, e a função do fogo é o juízo. Depois de Jesus ser batizado não restou mais nenhum pecado do mundo. Por isso que ele foi batizado por João Batista.
Assim como alguém precisa de certo conhecimento para ser o líder de uma igreja, nós também não precisamos entender a bênção que é nascer de novo da água e do Espírito a fim de fazermos cultos de avivamento e pregarmos a Palavra? Procure para ver se há algum livro que fala do evangelho da água e do Espírito. Nenhum livro traz uma página sequer sobre isso. Ninguém sabe nada sobre nascer de novo. Alguns dizem que é possível nascer de novo orando quando sopra o vento ou por um sonho quando se crê em Jesus, mas que absurdo é este? A verdade é algo muito claro, bem concreto.
Nós não somos condenados pelos nossos pecados porque Jesus levou todos eles sobre si ao ser batizado, porque eles foram transferidos assim para Jesus, e porque ele levou à cruz os pecados do mundo e foi condenado por nós. E é por isso que podemos chamar Deus de Pai, pois somos justos e filhos de Deus. A Bíblia diz assim: “Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus: aos que crêem no seu nome” (João 1:12). Também está escrito: “Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.”
Todos os nossos pecados foram transferidos para Jesus quando ele foi batizado. Jesus nos salvou ao levar sobre si todos os nossos pecados e ser condenado por nós. Eu creio nesta verdade. Crer de coração nos traz a salvação. A Palavra diz que somos salvos pela fé, e não pelas obras. Está escrito: “Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição.” Isso quer dizer que todos que querem ser salvos pelas obras estão debaixo de maldição. Todos que creem que é possível ser abençoado, justo e ir para o reino de Deus fazendo boas obras estão debaixo de maldição. Deus nos deu a lei para que entendêssemos o pecado e que estávamos condenados. E além da lei, ele nos deu a lei do Espírito de vida (Romanos 8:2), que nos leva a nascer de novo da água e do Espírito. Deus nos deu a lei e o sistema sacrificial. Nós temos que entender e crer que Jesus nos salvou ao ser batizado e condenado. A vontade de Deus era que entendêssemos o pecado por meio da lei e nos tornássemos seus filhos crendo no evangelho da água e do Espírito e recebendo a remissão de pecados.
Está escrito: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” Há algum pecado no mundo? Não, nenhum. Todos os pecados foram passados para Jesus Cristo ou não? Todos os pecados que cometemos dez anos atrás foram passados para Jesus Cristo ou não? Todos os pecados que cometemos até hoje foram passados para Jesus Cristo ou não? Sim, foram. Todos os pecados que cometemos até morrermos são os pecados do mundo. Os pecados dos filhos que você terá quando se casar foram passados para Jesus ou não? Sim, foram.
 
 
A Palavra “Festa da Páscoa” Significa Transferir
 
A condenação do pecado foi transferida porque Jesus foi batizado por João Batista e morreu na cruz. Como e para quem o juízo foi transferido? Jesus veio a este mundo, foi batizado, derramou seu sangue e morreu na cruz. Então, quando você for visitado pelo mensageiro da morte, ele não poderá condená-lo e passará por você porque o sangue do Cordeiro estará sobre os umbrais das suas portas. ‘Páscoa’ significa passar. E Jesus levou sobre si nossos pecados e morreu na cruz. Isso fala da circuncisão. O batismo de Jesus acabou com o pecado. E esta é a circuncisão do coração (Romanos 2:29). A circuncisão do coração significa que os que creem no batismo de Jesus e no sangue da cruz podem receber a salvação. O mais importante é a fé que nos leva a receber a salvação. Deus requeria esta fé antes, e ainda a requer hoje.
Como está escrito: “Está consumado!” (João 19:30), Jesus cumpriu tudo ao morreu na cruz. Mas ele ressuscitou três dias depois de morrer e ascendeu para a destra do trono de Deus.
Nós pecaremos até o dia da nossa morte. Mas este pecado foi transferido para Jesus. Jesus salvou a você e a mim. Temos que crer nesta verdade de coração. E temos que entendê-la também. Temos que entender a Palavra que diz: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8:32). Só podemos crer na verdade quando a entendemos.
Crer sem entender é superstição e uma fé cega. Receber bênçãos materiais e ser curado de doenças só por crer em Jesus é um ensinamento dos pajés cristãos. Ser curado de doenças receber bênçãos, ficar rico e tudo mais crendo em Jesus é o mesmo que receber bênçãos e ficar rico quando alguém faz alguma obra de feitiçaria. O pajé diz que os demônios são expulsos e as pessoas recebem perdão dos pecados que elas cometeram quando são exorcizadas. Um pajé coreano diz: “Adubo, adubo. Uma abóbora nasceu. Que venha a manhã! Que venha a manhã! Tudo será meu quando a manhã chegar.” Quando um pastor que afirma crer em Jesus diz: “Vocês serão abençoados se crerem em Jesus. Eu creio que Deus os abençoará dez vezes mais se vocês servirem à igreja”, ele não passa de um pajé de Jesus.
Já que Jesus convida a todos que venham a ele para que eles possam entrar no reino dos céus, os cristãos esperam que Deus os chame também. Eles dizem: “Tu chamaste a mim, um pecador. Por isso eu estou aqui.” Mas Deus diz: “Para onde vocês acham que vão os pecadores?” “Eles vão para o inferno.” “Alguém que tem pecado é filho de Deus ou filho do diabo?” “Ele é filho do diabo.” “Vão para onde vocês têm que ir.”
Nosso Deus veio a este mundo, foi batizado, morreu na cruz e ressuscitou dos mortos para nos salvar do pecado. Ele é o Deus da salvação daqueles que creem. O Senhor dá o Espírito Santo àqueles que creem no evangelho da água e do Espírito e no sangue. Você crê que todos os pecados do homem foram transferidos para Jesus quando ele foi batizado? Você crê que a condenação que Jesus recebeu na cruz foi por causa dos nossos pecados? Se você crê nisso, o Espírito Santo colocará um selo em seu coração e dirá: “Você é meu filho, gerado por mim. Eu estarei contigo até o fim do mundo. Acalme seu coração; creia em Deus e creia também em mim, Jesus. Eu vou preparar um lugar para você no reino do meu Pai. Eu venci o mundo. E a fé em Jesus Cristo, que veio pela água e pelo sangue, é que vence o mundo.”
1 João 5:4-10 afirma: “Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé. Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus? Este é aquele que veio por água e sangue, isto é, Jesus Cristo; não só por água, mas por água e por sangue. E o Espírito é o que testifica, porque o Espírito é a verdade. Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um. E três são os que testificam na terra: o Espírito, e a água, e o sangue; e estes três concordam num. Se recebemos o testemunho dos homens, o testemunho de Deus é maior; porque o testemunho de Deus é este, que de seu Filho testificou. Quem crê no Filho de Deus em si mesmo tem o testemunho; quem em Deus não crê mentiroso o fez, porquanto não creu no testemunho que Deus de seu Filho deu.”
A Bíblia diz aqui que Jesus veio pela água e pelo sangue. E o Espírito põe um selo naquele que crê que o Senhor veio pela água e pelo sangue. Portanto, a água, o sangue e o Espírito são um. Está escrito que três dão testemunho da nossa salvação. O versículo 8 diz: “E três são os que testificam na terra: o Espírito, e a água, e o sangue; e estes três concordam num.” Você crê no batismo de Jesus Cristo? Embora Jesus tenha levado sobre si nossos pecados ao ser batizado, nós seríamos condenados se voltássemos para Deus sem passar pela cruz. Por isso que Jesus veio pela água, pelo sangue e pelo Espírito.
O Espírito Santo é a verdade. Ele é a verdade e põe um selo no coração dos que creem na água e no sangue. Nossos pecados são apagados só porque cremos no sangue da cruz mas sem entendermos o batismo de Jesus? Crer assim não é ter a verdadeira fé. E quem crê assim tem pecado no coração porque nunca passou seus pecados para Jesus. É por isso que eles vão para o inferno, embora creiam em Jesus. Eles dirão: “Senhor, Senhor, não profetizamos, expulsamos demônios e fizemos maravilhas em teu nome?” Mas o Senhor dirá: “Eu nunca os conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.” Assim eles serão lançados fora. Portanto, temos que crer na verdade já que cremos em Jesus. Temos que aceitar e crer na bênção que nos leva a nascer de novo da água, do sangue e do Espírito.
Só que muitos só creem no sangue da cruz. E todos eles são pecadores. Eles têm o Espírito Santo em seu coração? Não, não têm. Vamos falar mais especificamente sobre isso. Nós temos pecado ou não? Não, não temos. E como não temos mais pecado, agora vamos pecar à vontade, não é? Não, não é bem assim. Então não vamos mais pecar a partir de agora porque não temos mais pecado, certo? Não, também não é assim. Nós pecamos o tempo todo porque nossa carne é fraca. E nós pecaremos enquanto vivermos neste mundo por causa da nossa carne fraca. Mas Jesus já levou sobre si todos estes pecados.
Nós somos pecadores ou justos? Nós somos justos. Nós seremos julgados pelos nossos pecados? Não, de modo algum. Nós não seremos julgados. Jesus é o nosso Salvador e o Filho do Deus vivo.
A Bíblia diz: “Livro da geração de Jesus Cristo, Filho de Davi, Filho de Abraão” (Mateus 1:1). Na geração de Jesus, uma nora se tornou esposa do seu sogro. E a prostituta Raabe também se encontra na geração de Jesus. Algumas mulheres aparecem nas Escrituras, inclusive mulheres gentias. E todas elas são consideradas descendentes de Abraão pela fé. Todas elas foram ancestrais de Jesus Cristo, o Filho de Davi. Mas isso só foi possível porque elas creram. Caso contrário, como uma prostituta ou uma mulher gentia poderia fazer parte do povo de Deus? Mas isso aconteceu com elas porque elas creram no evangelho da água e do Espírito, creram em Jesus como o seu Salvador.
Alguns podem perguntar então: “Não havia o evangelho da água e do Espírito no Antigo Testamento, não é?” Não seja ridículo. Há muitos relatos no Antigo Testamento que apontam para a verdade do evangelho da água e do Espírito. Cruzar o Jordão é uma figura da água e do sangue. A própria palavra hebreus significa aqueles que cruzaram as águas. Os pastores coreanos não falam sobre isso porque são ignorantes. Eu não sei se eles não possuem um dicionário bíblico ou não sabem usá-lo, mas tem muita gente ridícula neste meio. É por isso que eles são pecadores. Eles pecam todos os dias apesar de buscarem sempre o Senhor e crerem nele. Você não deve ir a uma igreja destas. Esta não é a Igreja de Deus. Este é um lugar onde eles vendem a almas das pessoas e as negociam.
Só quem recebeu a remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito é filho de Deus. E estes têm que ir para a Igreja de Deus. Jesus Cristo é o nosso Salvador. A Igreja de Deus não é um lugar qualquer, mas um lugar onde se dá testemunho do evangelho. Eu disse que a Igreja de Deus não é um lugar qualquer. Eu tenho pena dos moradores de cidade de Wonjoo. Ninguém até hoje veio para o culto de avivamento que estamos realizando. Como é que eles podem não vir? Não há outra igreja nesta cidade que prega o tipo de mensagem que estamos pregando aqui. Mesmo assim, eles não vêm. Mas eles não vêm porque os pastores de outras igrejas não os deixam vir. Mas eles deveriam vir como um enxame de abelhas, sentar aqui, nos dizer o que está biblicamente errado no que estamos pregando. No entanto, eles se escondem e ficam falando mal de nós pelas costas, dizendo: “Vocês pecarão se forem lá. Não vão lá. Mesmo crendo em Jesus, nós seremos pecadores até o fim.” Mas eles é que são pecadores, embora creiam em Jesus; eles são pecadores porque não creem; eles são grandes pecadores embora tenha tido um encontro com Jesus. Mesmo conhecendo Jesus, eles estão condenados ao inferno.
Antes que o mundo fique pior, temos que olhar para o nosso coração, não para as circunstâncias. Temos que dizer: “Eu sou um pecador que merece morrer, um pecador que merece ir para o inferno, um pecador que não pode evitar o pecado. Salve-me. Eu sou pecador.” Jesus disse: “Eu os salvei com o evangelho da água e do Espírito.” Você crê nisso?
Venham sempre para a Igreja de Deus. Os que vêm aqui são pessoas especiais. Nem todas as igrejas são templos de Deus. O templo é o coração daqueles que receberam a remissão de pecados. Os tijolos são usados apenas para as construções.
Não importa se alguém estudou teologia por cem anos. Ninguém pode dizer que estudou teologia, por mais que tenha estudado todas as teologias que há no mundo. Não precisamos falar de teologia. Os pastores falam sobre teologia, mas isso não faz parte das ciências humanas. Os verdadeiros eruditos estudam todas as teologias do mundo. No entanto, dizer que só as doutrinas da sua denominação estão corretas não é teologia. O verdadeiro erudito tem a mente aberta. E é preciso analisar e entender tudo isso depois de estudar todas as coisas.
Quem possui doutorado ou o reitor de uma universidade pode falar sobre a fé no evangelho da água e do Espírito? Os teólogos famosos podem falar sobre este evangelho? Não, não podem. Eles só sabem dizer que nascer de novo é algo que acontece naturalmente, que se você tem alguma dúvida, vá para o seminário e lá você aprenderá. Só que você poderia viver duas vezes e ir para lá que não aprenderia nada.
Você já recebeu a remissão de pecados em seu coração? Você crê no evangelho da água e do Espírito? Você tem que ser sincero perante Deus. “Eu não tenho como evitar o pecado. Mas Jesus me salvou ao ser batizado e morrido na cruz. Eu creio nisso.” Os que creem assim recebem a salvação.
Primeiro você tem que receber a salvação para depois amadurecer. Você será uma pessoa maravilhosa se ouvir a Palavra e amadurecer em um ano. Você será um obreiro do reino de Deus. Você será um pastor e servirá à sua igreja. Quem crê realmente se torna uma pessoa muito útil. Todos nós temos que ser instrumentos do reino de Deus.