The New Life Mission

Sermões

Assunto 22: O Evangelho segundo LUCAS

[Capítulo 18-2] (Lucas 18:18-27) Os Ricos de Coração Não Podem Entrar no Reino dos Céus

(Lucas 18:18-27)
“E perguntou-lhe um certo príncipe, dizendo: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna? Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom, senão um, que é Deus. Sabes os mandamentos: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, honra a teu pai e a tua mãe. E disse ele: Todas essas coisas tenho observado desde a minha mocidade. E, quando Jesus ouviu isso, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa: vende tudo quanto tens, reparte-o pelos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me. Mas, ouvindo ele isso, ficou muito triste, porque era muito rico. E, vendo Jesus que ele ficara muito triste, disse: Quão dificilmente entrarão no Reino de Deus os que têm riquezas! Porque é mais fácil entrar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no Reino de Deus. E os que ouviram isso disseram: Logo, quem pode salvar-se? Mas ele respondeu: As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus.”
 
 
O Senhor Disse Isso?
 
O Senhor diz no texto bíblico deste capítulo que “é mais fácil entrar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no Reino de Deus.” Jesus disse que é difícil um rico entrar no Reino de Deus, ou seja, que é mais fácil um camelo entrar pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus. Isso significa então que não haverá um rico no céu? É difícil um rico crer em Jesus neste mundo? Eles não podem ser salvos do pecado? Na Bíblia está escrito que é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino de Deus. Mas esse texto tem um sentido espiritual porque, na verdade, há muitos ricos neste mundo que receberam a remissão de pecados para entrar no céu crendo na justiça de Deus.
 
 
Os Ricos dos Quais o Senhor Falou São Aqueles que São Ricos de Coração
 
Esta palavra foi dita ao jovem rico que perguntou: “Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna?” Este jovem era um príncipe, mas sua fé estava baseada em suas próprias ações. Jesus perguntou: “Por que me chamas bom? Ninguém há bom, senão um, que é Deus.” É claro que Jesus disse isso porque o jovem o via apenas como um bom mestre. O jovem rico via Jesus apenas como um dos sábios respeitados deste mundo, como Sócrates, Platão, Buda e Confúcio. Por isso Jesus disse: “Ninguém há bom, senão um, que é Deus.” Em outras palavras, ele deixou claro aqui que o ser humano é totalmente desprovido de virtude.
Você também vê Jesus só como um ser humano? Jesus é o próprio Deus. E ele também é o filho de Deus.
O Senhor disse ao jovem rico: “Sabes os mandamentos: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, honra a teu pai e a tua mãe.” E ele disse que guardava todos estes mandamentos. Isso significa que ele guardava toda a lei de Deus, não cometia adultério, não matava ninguém, não roubava, não dava falso testemunho e honrava seus pais.
Contudo, sem honrar o jovem, Jesus lhe disse: “Ainda te falta uma coisa: vende tudo quanto tens, reparte-o pelos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me.” Mas a Bíblia diz que “ouvindo ele isso, ficou muito triste, porque era muito rico.” Por isso Jesus disse: “É mais fácil entrar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no Reino de Deus.” O que Jesus queria mostrar é que o jovem tinha que ser pobre de coração. Ou seja, o evangelho da salvação da água e do Espírito oferecido por nosso Senhor não consegue entrar naqueles cujo coração está cheio das coisas do mundo. Não há nenhum lugar para a Palavra de vida do nosso Senhor, a Palavra da remissão de pecados entrar. O jovem do texto bíblico deste capítulo era rico materialmente e sem seus atos. Ele era um homem que tinha justiça própria. Então temos por certo que este homem não aceitou Jesus como seu Salvador nem tinha visão para reconhecer isso. Afinal de contas, já que seu coração estava cheio das coisas do mundo, como Jesus poderia entrar nele? Como o evangelho, que proclama que Jesus salvou a todos do pecado do mundo pelo seu batismo e pelo seu sangue, entraria num coração assim?
O jovem rico tentou receber a remissão de pecados e a vida eterna com suas próprias ações. Mas para Jesus a salvação do jovem rico não podia ser obtida com suas próprias ações, e sim com seu batismo e seu sangue. Eles tinham pontos de vista diferentes. O jovem rico pensou que podia receber a vida a vida eterna se fizesse boas ações e guardasse a Palavra de Deus e seus mandamentos, enquanto Jesus, por outro lado, era o salvador que veio para libertar os que reconheciam sua natureza pecaminosa e, portanto, confiavam no amor de Deus e na sua justiça.
Todos que vivem neste mundo são totalmente destituídos de virtude. Jesus queria que o jovem dissesse que não havia ninguém bom a não ser Deus, e que todos são maus e pecadores. Mas o foco do jovem rico estava em outra coisa. Ele era rico tanto material como espiritualmente, mas seu coração estava cheio de justiça própria e hipocrisia. Então os que são ricos de coração, isto é, os que têm justiça própria, não podem entrar no céu, assim como um camelo jamais poderá passar pelo buraco de uma agulha. No entanto, o Senhor deixa uma mensagem de esperança, dizendo que “as coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus.” Ninguém pode entrar no céu confiando em sua própria justiça e virtude ou por guardar os mandamentos. Contudo, Jesus disse que o que é impossível ao homem é “possível a Deus.”
Na verdade, o Senhor morreu por este jovem rico, por este homem mau. Ele o purificou ao ser batizado no rio Jordão por João Batista, o representante da humanidade, e assim levou todos os seus pecados. Ele também recebeu a condenação que o jovem rico tinha que receber de Deus por causa dos seus pecados. Nosso Deus salvou a todos, o rico, o pobre, o velho, o novo e até os que não sabem que ele existe.
 
 
Todos Nós Somos Imperfeitos Tanto no Corpo Como no Espírito
 
As pessoas neste mundo não pecam até o fim da vida? Todos pecam até o dia da sua morte. E você? Você crê que pecará até o dia de morrer ou que pode evitar cometer algum pecado no futuro? Não há exceção, todos nós pecamos até o fim da vida. Você sabe que é da natureza do ser humano pecar desde o nascimento até a morte. Se Sócrates estivesse aqui, ele o elogiaria, pois disse: “Conheça a ti mesmo.” Diante de Deus, todo homem é pobre e totalmente destituído de virtude ou justiça. Por isso você deve crer que Jesus o salvou com seu batismo e seu sangue. Na verdade, o homem não tem nada do que se exaltar.
O Senhor disse que “as coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus.” Nós podemos ser salvos de todos os nossos pecados crendo que o Senhor os levou através do batismo que recebeu de João Batista e do sangue que derramou na cruz, mas se não fizermos isso, não poderemos falar de nós mesmos: “Eu não tenho pecado, eu sou um justo.” Não há como termos certeza disso a não ser que creiamos no evangelho da água e do Espírito. Embora todos pequem desde o dia que nascem até o dia que morrem, os que não conhecem sua natureza pecaminosa ainda prometem a Deus: “Se tu me perdoares mais uma vez, eu nunca mais vou cometer esses pecados de novo.” As pessoas dizem estas coisas só porque não conhecem a si mesmas; se conhecessem, não teriam outra escolha senão agradecer a Deus por tê-las salvo. A Bíblia diz: “Ninguém há bom, senão um, que é Deus.” Se você conhece e entende essa Palavra, estou certo que sua fé crescerá e você levará uma vida de fé correta em seu relacionamento pessoal com o Senhor.
Nós seres humanos não temos uma virtude genuína, mas apenas uma falsa bondade. Tudo não passa de hipocrisia. Somos destituídos da verdadeira bondade. Então você pode perguntar: “Um monte de pessoas pratica as boas obras em sua vida; isso então não é virtude?” É hipocrisia. É simplesmente uma mentira. Podemos ver isso quando lemos na Bíblia: “Ninguém há bom, senão um, que é Deus.” Alguém abre mão de sua vida por outro e dá tudo que possui pelo bem dos outros? Se alguém faz isso, está fazendo por si mesmo, e não porque é totalmente bom. Ninguém abre mão de tudo por algo que não lhe interessa. As pessoas fazem o bem porque isso de alguma forma interessa a elas.
Minutos antes eu perguntei a vocês: “Alguém peca do dia que nasceu até o dia em que morre?” A resposta de vocês foi sim, que todos de fato pecam desde o nascimento até a morte. Esta é a resposta certa para esta pergunta. Mas se é assim, isso significa que jamais teríamos sido salvos se Jesus não tivesse levado no rio Jordão todos os pecados que cometemos durante toda nossa vida. Apesar de sermos salvos agora, ainda pecamos, e se o Senhor não tivesse levado os pecados que cometemos até nosso último suspiro, não seria possível sermos realmente salvos e nem poderíamos dizer isso.
No entanto, com seu batismo, nosso Senhor levou todos os pecados que cometeremos até o dia que morrermos e, por isso, ele é nosso perfeito Salvador. Se isso é verdade, então precisamos admitir que somente Deus é bom. A Bíblia diz: “Porque é mais fácil entrar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no Reino de Deus. E os que ouviram isso disseram: Logo, quem pode salvar-se? Mas ele respondeu: As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus.” Isso significa que ninguém pode receber a salvação por seus atos bons, nem por não pecar e guardar a lei de Deus.
Mas a Bíblia diz que isso é possível a Deus. Ao vir a essa terra, Jesus nos salvou de todos os pecados do mundo, ou seja, do nosso pecado original, dos nossos pecados pessoais e de nossos pecados futuros através do batismo que recebeu no rio Jordão de João Batista e do sangue que derramou na cruz. Quando em silêncio meditamos neste amor do Senhor que nos salvou, podemos ver que Jesus conhecia até nossos pecados futuros, que ele os levou através de seu batismo e assim nos salvou de todos os pecados do mundo. E o pacto que fizemos com nosso Senhor é imutável, tão certo e seguro que quando entendemos a salvação do Senhor, não conseguimos deixar de ser gratos a ele. Ao nos salvar através do batismo que recebeu no rio Jordão e do sangue que derramou na cruz, o Senhor tornou possível nossa entrada no céu, só por causa da nossa fé em sua justiça. Todos nós morreremos pelo menos uma vez ao findar nossa vida nessa terra, mas aqueles que tomarem posse desta salvação pela fé entrarão no reino dos céus. Portanto, nós que cremos no batismo de Jesus e em seu sangue fomos salvos dos pecados do mundo para entrar no céu. Esta remissão de pecados é tão preciosa que é impossível deixar de agradecer a Deus por tudo quando pensamos em todas as suas bênçãos.
A salvação não pode ser comprada com dinheiro. O jovem rico não teria sido salvo mesmo que chegasse para Jesus e dissesse: “Eu darei tudo que possuo, então, por favor, salve-me do pecado. Use tudo que tenho para ajudar os pobres, mas em troca mande-me para o céu e dê-me a vida eterna para eu viver para sempre.” Os ricos que tentarem ganhar a vida eterna com esse tipo de pensamento não serão aprovados por Jesus; ao invés disso, serão lançados no inferno por sua falta de fé. A salvação do pecado que Deus nos deu é tão preciosa que ninguém pode consegui-la por si mesmo. Mas ele a cumpriu de uma vez por todas através do evangelho da água e do Espírito. Devemos reconhecer que todo ser humano desobedece a Deus até o dia de sua morte.
  
 
Até os Cristãos São Contra a Justiça de Deus
 
Ao lermos o Antigo Testamento, vemos como o povo de Israel desobedeceu a Deus até ser destruídos. E no Novo Testamento, vemos que aqueles que desobedeceram a Jesus eram os que diziam crer em Deus. Quem incitou a crucificação de Jesus? Foram os sumo sacerdotes, os fariseus e os escribas, as três principais classes religiosas em Israel e seus líderes; e todos eles diziam crer piamente em Deus. A Palavra que Jesus falou não foi palavra terrena, foi a Palavra do Reino dos Céus. Então os que eram pobres de coração creram nele, assim como os marginalizados deste mundo, os enfermos, os deficientes e os sábios.
Porém, os líderes de Israel entregaram Jesus para ser crucificado, dizendo: “Soltem Barrabás e crucifiquem este jovem Jesus.” E vendo que não era o bastante, incitaram o povo dizendo: “Que seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos.” Vamos parar um pouco para analisar os sumo sacerdotes, os fariseus e os escribas. Os sumo sacerdotes eram os líderes da lei de Deus. Estas pessoas ofereciam sacrifício no Dia da Expiação uma vez no ano e lideravam o sistema legal da nação de Israel. Em outras palavras, eles eram os juízes.
Os sumo sacerdotes criam que eles eram qualificados para remir os pecados do povo e os deles quando quisessem. Os fariseus criam que estavam preservando a tradição da lei de modo fiel e sem alterações, obedecendo-a e também levando outros a guardá-la. Por isso criam que estavam qualificados para tal tarefa. Os escribas eram homens de autoridade. Eram pessoas de justiça própria que achavam que criam fielmente em Deus e protegiam a nação. Todas essas três classes eram ricas então.
No entanto, os escribas, os fariseus e os sumo sacerdotes rejeitaram a Jesus. Quando lemos ao capítulo 3 do livro de João, vemos um homem chamado Nicodemos, que era um líder religioso daquela época. Este homem buscava a Deus e aguardava o Messias. Ele também não percebeu que Jesus era o Filho de Deus e o Salvador. Por isso que ele chamou Jesus só de Rabi. Então Jesus explicou a salvação para ele, dizendo-lhe: “Só pode entrar no reino dos céus aquele que nascer de novo da água e do Espírito.” Nicodemos nasceu de novo então, e quando Jesus morreu na cruz, ele e José de Arimatéia puseram seu corpo num túmulo que nunca havia sido usado por alguém. Nicodemos era fariseu, mas um homem que buscava a Deus.
Jesus é realmente o próprio Deus ou apenas um homem? Ele é Deus. Embora sua essência seja igual a de Deus, ele veio a essa terra em forma de homem para salvar a humanidade. Os que reconhecem Jesus como o próprio Deus e seu Salvador rejeitam seus próprios méritos. Somente os que não possuem mérito algum é que reconhecem Jesus. E somente estes foram salvos por crer no batismo de Jesus, o qual purificou o pecado do mundo, e em seu sangue na cruz.
Os escribas, os fariseus e os sumo sacerdotes eram cheios de mérito próprio. Hoje também muitas pessoas conceituadas concordam que Jesus é o Salvador e se tornam sem pecado crendo nele. Mas elas não concordam quando dizemos: “Jesus apagou todos os nossos pecados com sua água e o sangue.” Por quê? Porque elas não concordam que são más e não têm mérito algum, além de ignorar o que o Senhor fez por pessoas tão más como elas. Também porque não conhecem a verdade de que Jesus foi batizado por João Batista no rio Jordão a fim de levar os pecados da humanidade. Então creem apenas no sangue de Jesus. Elas dizem que Jesus apagou todos os seus pecados apenas com seu sangue. No entanto, a verdade da salvação é que Jesus apagou todos os pecados da humanidade e todos os pecados de cada ser humano ao ser batizado e condenado na cruz.
Aqueles que creem somente no sangue de Jesus ainda têm muito de sua própria justiça. Não foi apenas com seu sangue que Jesus nos salvou, mas pelo batismo que recebeu no rio Jordão e também com seu sangue. Aqueles que têm justiça própria não reconhecem o que Jesus fez por eles, isto é, o batismo da expiação que ele recebeu a fim de levar os pecados da humanidade e o sangue da expiação que ele derramou na cruz (Mateus 26:26-28, Levítico 16:21). Hoje também aqueles que dizem crer em Jesus, embora mantenham sua justiça própria – os homens bem vestidos, os que dão muita oferta, os que ocupam altos cargos na igreja, ou seja, os chamados líderes religiosos das igrejas cristãs – são incapazes de nascer de novo, pois não creem no batismo que Jesus recebeu a fim de nos salvar dos pecados do mundo, o batismo da expiação que foi prefigurado pela imposição de mãos do Antigo Testamento. Estes cristãos não conseguem crer no batismo de Jesus porque seu coração está nas riquezas. Aquele que quiser crer em Jesus deve se despojar de seu próprio mérito e virtudes, pois só assim poderá aceitar a salvação que veio pela água e pelo seu sangue.
O Senhor disse: “Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos céus” (Mateus 5:3). Para você se tornar pobre de espírito, você deve reconhecer o quanto é imperfeito e quantos pecados ainda irá cometer, pois só assim você poderá aceitar totalmente Jesus como seu Salvador e também o que ele fez por você. Os fariseus e os pecadores modernos que estão contra Jesus são aqueles que creem que não irão pecar muito no futuro.
Outro tipo de líder cristão é o que se exalta por sua alta sua alta posição em sua denominação, dizendo: “Eu sou o líder desta denominação!” Por terem feito muitas coisas por sua igreja, eles se sentem confiantes de que irão para o céu, mesmo tendo pecado. Mas todos eles irão para o inferno, pois não nasceram de novo. No entanto, Jesus apagou até mesmo os seus pecados com seu batismo e seu sangue. Tudo que eles têm a fazer então é crer nesta verdade. A salvação da vida eterna é alcançada por crer no batismo de Jesus e em seu sangue. Não basta crer somente no sangue da cruz.
A Bíblia diz: “Este é o mal que há em tudo quanto se faz debaixo do sol: a todos sucede o mesmo; também o coração dos homens está cheio de maldade, nele há desvarios enquanto vivem; depois, rumo aos mortos” (Eclesiastes 9:3). Pense nisso por um instante. Pense como você tem vivido até hoje, como você é infantil e não amadureceu até hoje. Você tem vivido até agora tendo maus pensamentos e praticando o mal? Há alguém aqui que discorda e diz: “Talvez para você isso seja verdade, mas eu nunca vivi assim”? Estou certo que alguns de vocês gostariam de dizer isso. Mas aos olhos de Deus, qualquer pecador que não passar seus pecados para Jesus crendo em seu batismo não conseguirá crer em sua crucificação também. E, por isso, será mais punido do que imagina.
Amados irmãos, não temos sempre maus pensamentos? E não são apenas maus pensamentos, mas não praticamos o mal também? Todos nós fazemos isso diante de Deus. Além do mais, todos nós estávamos destinados e continuar pecando até o dia da nossa morte. Vocês estão certos de que não cometerão pecado algum em sua vida? Não? Então vocês estão sendo muito honestos. Então agora vocês são gratos a Jesus por ele não apenas ter remido seus pecados do passado, mas também do futuro? Se sua resposta é sim, então são pessoas como vocês que são pobres de coração é que serão salvas. E é o nosso Deus que salva pessoas assim. Está escrito: “As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus.” Ou seja, foi Deus que nos salvou.
Mas na Bíblia, Jesus disse ao jovem rico: “Vende tudo quanto tens, reparte-o pelos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me.” O coração do jovem rico ficou turbado quando ouviu isso. Embora ele tenha dito a Jesus: “Eu tenho feito tudo para guardar a lei que manda não matar, não roubar, não cometer adultério e honrar os pais”, nosso Senhor conhecia seu pensamento e lhe disse: “Vende tudo quanto tens, reparte-o pelos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me.” O Senhor sabia que este jovem rico era muito obediente a lei, e que ele era sincero em seu desejo de guardar todos os seus mandamentos. Mas Jesus também conhecia seu coração, e a riqueza era o seu deus. Melhor dizendo, embora o jovem rico dissesse que praticava e guardava a lei, na verdade ele não estava seguindo a Palavra de Deus; ao invés disso, ele estava buscando as riquezas. Sabendo muito bem disso, Jesus lhe disse: “Vende tudo quanto tens, reparte-o pelos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me.” Ou seja, Jesus estava dizendo ao jovem rico: “Não é em Deus que você crê, e não é a Deus que você busca. Você nem está guardando a lei nem se esforçando para fazer isso por causa de Deus; por isso você não pode entrar no céu. A menos que deixe de lado as riquezas que estão em seu coração, você nunca poderá ir para o céu. Você não poderá receber a vida eterna e nem a salvação. No entanto, por mais que isso seja impossível para você, se você descobrir quem realmente é, reconhecer que a riqueza que você almeja como seu deus na verdade não é o verdadeiro Deus, e de fato desejar crer em Deus, você também poderá ser salvo.” Como o Senhor está dizendo isso para nós, precisamos crer no seu batismo e no sangue.
 
 
O Evangelho da Água e do Espírito Remiu Todos os Pecados Deste Mundo
 
Há muitas pessoas vivendo neste mundo. A questão que todos enfrentam é se realmente creem na justiça de Deus, ou como o jovem rico, creem que Mamom é o seu deus. Se cremos em Deus, o que temos não significa nada para nós. Contanto que usemos estes bens para uma boa causa como o mordomo fiel, nossas riquezas nunca serão pecado diante de Deus. Mas se nós considerarmos e crermos nesta riqueza como nosso deus, então ela mesma será um ídolo para nós.
Todos desejam as riquezas do mundo e as buscam. Porém, se você quiser mesmo seguir a Deus, seus bens não significarão tanto para você. Você tem que ouvir a Palavra de Deus que diz: “A prata e o ouro são meus.” Tudo que temos pertence a Deus, nós só estamos administrando o que ele nos confiou. E se você realmente crê em Deus como o seu Deus, você irá se render a sua Palavra e aprender seus ensinamentos. Se a palavra diz que você é pecador, que você irá pecar até o dia da sua morte, e que você terá maus pensamentos e praticar o mal, então você deve admitir tudo e dizer: “Sim, eu sou mesmo esse pecador; é isso o que eu realmente sou.”
A Bíblia diz: “Pode, acaso, o etíope mudar a sua pele ou o leopardo, as suas manchas?” (Jeremias 13:23). Esse texto significa que como todos nós somos considerados pecadores desde o ventre de nossa mãe, nós simplesmente não podemos mudar a nós mesmos. Nós só podemos ser salvos se o próprio Deus nos salvar de todos os nossos pecados através da água do seu batismo e de seu sangue na cruz. Assim os pobres de espírito podem dizer ao Senhor: “Senhor, foi a sua salvação que me libertou. Foi a água do seu batismo e o seu sangue na cruz que me salvaram. Eu aceito a salvação que tu estás me oferecendo.”
A Bíblia que temos hoje é a Santa Palavra escrita pelo Santo Deus. Deus escreveu sua Palavra através de seus servos. Então dizemos que esta Palavra das Escrituras é a Palavra de Deus. A Bíblia também é chamada de Escrituras porque ela transcreve a Palavra Sagrada. E crer nesta Palavra como a Palavra de Deus é crer no próprio Deus.
Você crê que Jesus foi batizado no rio Jordão e assim cumpriu toda justiça, e que ele nos salvou a todos, como lemos em Mateus 3:15? Você crê que o Senhor purificou todos os seus pecados? Você crê que ele foi condenado na cruz em seu lugar? Você crê que Jesus morreu por nós e que ele ressuscitou dos mortos para nos trazer de volta à vida? E você crê neste Deus que está sentado agora à destra do trono do Pai e que virá novamente no futuro? Se você crê, isso significa que você já foi salvo.
Nosso Senhor nos salvou de todos os pecados do mundo através do batismo que recebeu e do sangue que derramou na cruz para nos libertar de todos os pecados. Eu sou totalmente grato ao Senhor por nos dar o evangelho da água e do Espírito e a justiça de Deus.