The New Life Mission

Sermões

Assunto 13: O Evangelho Segundo MATEUS

[Capítulo 15] (Mateus 15:32-39) Deus nos deu Bênçãos Ilimitadas

(Mateus 15:32-39)
“Jesus chamou os discípulos e lhes disse: Tenho compaixão da multidão; já está comigo há três dias, e não tem o que comer. Não quero despedi-la em jejum, para que não desfaleça no caminho. Os seus discípulos lhe disseram: Donde nos viriam num deserto tantos pães, para saciar tão grande multidão? Perguntou-lhes Jesus: Quantos pães tendes? Responderam: Sete, e alguns peixinhos. Então mandou que a multidão se assentasse no chão, tomou os sete pães e os peixes e, dando graças, partiu-os, e deu-os aos discípulos, e estes à multidão. Todos comeram e se saciaram. E levantaram do que sobrou sete cestos cheios de pedaços. Ora, os que comeram foram quatro mil homens, além de mulheres e crianças. Tendo despedido a multidão, entrou no barco, e dirigiu-se ao território de Magadã.”
 
 
Quando prestamos atenção na última parte do texto bíblico de hoje, podemos ver o quanto a abundante graça de Deus foi derramada sobre a humanidade. A grande multidão que estava seguindo Jesus Cristo não comia há três dias, e por isso eles estavam famintos. Está escrito aqui que ao vê-los, Jesus teve tanta compaixão que disse: “Eu não quero que vocês os mande embora com fome, a fim de que não desfaleçam no caminho”, então Ele abençoou sete pães e dois peixes e os deu à multidão, todos se saciaram e ainda sobraram sete cestos cheios de comida. Aproximadamente 4.000 homens foram alimentados, além das mulheres e crianças.
O fato de terem sobrado sete cestos de comida significa que a graça de Deus é abundante. Não é impressionante ter sobrado comida suficiente para encher sete cestos após terem alimentado 4.000 homens, sem contar as mulheres e crianças? Deus abençoou uma pouca comida que consistia em sete pães e dois peixinhos e os dividiu com a multidão, e ainda sete cestos cheios de comida sobraram após terem alimentado 4.000 homens além de mulheres e crianças. Isso nos diz que a graça de Deus é abundante e eterna. Isso só vem a enfatizar o quanto é importante nós termos fé em Deus. A graça de Deus é grandiosa. Se a graça de Deus não fosse tão grande, seria impossível estarmos motivados em nossa vida de fé.
 
 
Deus é Perfeito
 
Na bíblia, o número sete é o numero da perfeição e simboliza o atributo de Deus. Deus derramou Sua graça sobre Seu povo faminto. E está evidente nessa passagem bíblica que Deus derramará mesmo Sua graça de maneira infinita. O Senhor quer que saibamos e creiamos na perfeição dEle e em Sua abundante graça.
Então, sob que tipo de fé nós devemos viver? Ao invés de vivermos segundo nosso estado ou circunstância, devemos pedir mais pela graça de Deus a cada dia e vivermos no Seu amor. E firmando ainda mais nossa fé em Deus nós devemos viver crendo mais nEle. Você precisa entender e crer de coração que o amor de Deus é infinito. Ainda que freqüentemente ouçamos as pessoas dizerem: “Deus é grande. Deus é amor”, Deus quer que verdadeiramente compreendamos que Ele derramou Sua graça abundantemente. Quando nós entendemos realmente a ilimitada graça de Deus e cremos nela, nós iremos além do nosso estágio atual de fé que só se guia pelas circunstâncias e situações.
Você não crê em Deus e O segue do seu próprio jeito? Você não foi convencido pelas doutrinas instauradas pelo cristianismo legalista? Se você vive sua vida de fé baseada em seus próprios padrões e está insatisfeito com o resultado disso, então essa é a hora de você sair desse estado e ir para as profundas, imensas e perfeitas regiões da fé.
Se nós cremos em Deus, então podemos viver em Seu infinito amor pois Ele não conhece fronteiras. Eu peço a você que creia nesse Deus. Você tem que reconhecer que o motivo de você estar com tantas lutas e dificuldades é porque você não tem fé suficiente em Deus. Quando nós não temos fé na abundante graça de Deus, freqüentemente nosso coração fica desanimado e sofrendo. Também há momentos que pensamos que Deus não conhece nosso sofrimento e que é por isso que nós estamos presos a eles. Por isso nos esforçamos para levar nossa vida de fé como se fôssemos os únicos que sofrem. Contudo, mesmo quando sentimos como se Deus tivesse nos abandonado em meio às nossas lutas, sofrimentos, dificuldades e dor, Ele ainda nos conhece e derrama Seu amor em nós. Então, quando estamos sofrendo e passando por dificuldades, nós temos mais motivo ainda para voltarmos para Deus, pois Ele derrama Sua abundante graça sobre nós. Deus ainda está pedindo para você: “Confie em Mim, conte Comigo e creia em Mim”.
Nosso Deus não é o tipo de Deus que derrama Sua graça em nós e pára na metade. Pelo contrário, Ele é o Deus que fez sobrar sete cestos de comida após alimentar 4.000 homens. Ele não é o Deus que o abandonará quando você estiver exausto, precisando desesperadamente da Sua ajuda, mas Ele é o Deus que derrama graça mais do que suficiente para alimentar a todos e ainda sobrar sete cestos. Do mesmo modo, a graça de Deus não é algo que é derramado em nós e cessa no meio. Essa graça é derramada sobre nós contínua e infinitamente.
Teve algum momento em sua vida em que você sentiu que ela estava no fim? Ou teve um tempo em sua vida de fé quando você sentiu que “minha vida de fé vai acabar aqui?” Quando levamos nossa vida de fé há momentos que parece que ela vai acabar. Em tempos assim, que você sente que sua fé foi embora e pensa, “minda vida de fé acabou”, lembre-se de que o abundante amor de Deus e Sua graça não têm fim, apesar da sua própria justiça, força e fé pareçam ter chegado no limite. É porque nossa própria fé se cansa que nós pensamos que tudo acabou, mas isso não significa que a graça de Deus acabou.
Quando levamos nossa vida de fé, há momentos que parece que a nossa vida acabou. Provavelmente todos nós tivemos experiências bem próximas à morte. E mesmo assim, nós conseguimos sobreviver e ainda estamos vivos. Mesmo que nossas forças tenham se exaurido e termos chegado tão perto da morte só foi possível nos levantar porque a graça de Deus foi ministrada em nós. O motivo pelo qual podemos continuar com nosssa vida de fé sem perecermos, é porque nós temos a absoluta e perfeita força que nos mantém firmes quando parece que nossa fé vai acabar. É através dessa força que temos podido superar as crises da fé e continuarmos vivos. Deus tem derramado Sua graça em nós, Ele tem nos guiado no caminho da justiça através de Seu abundante amor e graça, Ele tem nos ensinado e guiado sabiamente e, conhecendo nossa fome, Ele tem nos saciado. Já que é assim que acontece, não precisamos estar desmotivados nem desesperados frente às nossas atuais dificuldades e sofrimentos e nem frente às futuras também. Quando parece que nossa fé está exausta e vencida por nossa fraqueza, tudo o que devemos fazer é lembrar do abundante amor do Senhor que foi dado a nós mediante Sua vontade e graça e que a mesma não tem limites, pois Ele quer continuar derramando-a sobre nós constantemente. Deus se alegra quando cremos nEle dessa forma.
Observe o que Deus está nos falando na passagem bíblica de hoje. Todas aquelas pessoas que estavam com Jesus Cristo naquele momento estavam com fome há três dias. Muitas pessoas estavam famintas naquela hora. Quando levamos nossa vida de fé, há momentos que ficamos famintos e há momentos que ficamos exaustos também. Em cada momento, Deus nos cobre com Sua graça. Essa graça continuará nos dias vindouros, mas hoje eu gostaria de explanar esse assunto em maiores detalhes.
 
 
Quem Verdadeiramente Não Crê em Deus?
 
Deus disse em Mateus 15:8-9: “Este povo honra-me com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim. Mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens”. Jesus disse isso tendo em mente os fariseus. Os religiosos só se importavam com a aparência exterior. Os fariseus também eram os típicos religiosos daquele tempo, e eles só invocavam o nome de Deus para buscarem os seus próprios interesses, dizendo: “Tudo o que importa é você manter limpo a si mesmo e agir com bondade exteriormente”. Eles fingiam servir a Deus só de aparência, dizendo por exemplo: “Já que Deus nos disse para cuidarmos aos nossos pais, nós devemos cuidar deles. Mas essa exigência não é absoluta, haja vista que o que déssemos aos nossos pais poderia ser ofertado a Deus” (Marcos 7:11). Esses fariseus, isto é, esses religiosos, enfatizavam demais a pureza externa. Eles diziam que todos tinham que lavar suas mãos quando chegavam em casa, mas por outro lado, eles davam todo o tipo de desculpas para o seu comportamento, torcendo a Palavra de Deus para se ajustar às suas próprias necessidades, dizendo: “Isso é o que Deus nos mandou fazer, mas sempre há uma exceção”.
O Senhor nos diz: “O que entra na boca do homem não o contamina; o que sai do homem é que contamina” (Marcos 7:18-20). Nós temos que ser libertos dessa pureza superficial. Isso significa que qualquer doutrina que alega que precisamos ser puros exteriormente, como se o que entrasse em nossa boca não nos contaminasse, não está certa. Em outras palavras, tudo o que entra pela boca não pode contaminar ninguém, mas o que sai dela isso é o que contamina. Muitos religiosos pensam: “É o que entra pela boca que contamina”. Queridos irmãos, eu peço a vocês que entendam que o que entra pela boca não contamina ninguém. Apesar da vida de alguém parecer justa e virtuosa externamente, se seu interior se encontra cheio de pecado ele não é um homem puro.
Nosso Senhor disse que o que entra pela boca não é o problema. As pessoas pensam que se elas lavarem o alimento antes de comerem então, de alguma forma, seu interior ficará limpo. Isso é o que os fariseus pensavam. E não eram somente os fariseus que pensavam assim, mas muitos outros também pensaram dessa maneira. Eles pensavam que se eles somente limpassem o que fossem comer eles continuariam limpos, mas esse nunca foi o caso. Jesus disse: “A boca fala do que está cheio o coração, e o que sai do homem é o que o contamina”.
 
 
Vamos Meditar Sobre os Pecados que Nascem do Coração do Homem
 
Nós precisamos considerar a seguinte questão: “Quanto o homem é corrupto exatamente? E o quanto ele é superficial?” Jesus disse que tudo o que sai da boca do homem vem do coração e isso significa que o que procede do coração vem da natureza humana. O Senhor está dizendo que o que sai da boca do homem não é nada mais que sua própria essência e isso é o que contamina os outros. O que sai da boca é o que sai do coração e é importante para nós sabermos o que é que sai da boca, isto é, o que sai de nosso coração.
Agora vamos voltar para Mateus 15:19: “Pois do coração procedem maus pensamentos, assassínio, adultério, prostituição, furto, falso testemunho, blasfêmia”. Jesus disse que o que procede do coração são os maus pensamentos, assassinatos, adultérios, fornicação, furtos, falso testemunho e blasfêmias e que são essas coisas que contaminam o homem. Se olharmos para nós mesmos somente como seres humanos, deixando de lado o fato de que o Senhor apagou todos os nossos pecados, então nos veríamos? Dê uma boa olhada para si mesmo e também para os outros. Uma vez que olhamos para nossa vida sob o reflexo da Palavra de Deus, e deixamos de lado Jesus Cristo, então poderemos entender o quanto somos cheio de pecado. Nós estamos constantemente pecando. Nós estamos cheios de maus pensamentos, assassinatos, adultérios, fornicação, furtos, falso testemunho e blasfêmia. Se deixarmos de lado nossa fé em Jesus Cristo, então o que sobrará do ser humano é nada menos do que uma pilha de pecados. A natureza humana, o que sai do homem e o que sai do coração de seu coração é maligno. E não é exagero dizer que a base da natureza humana é coberta de iniqüidades tais como os maus pensamentos, assassinatos, adultérios e furtos. Está claro como a luz do dia que o homem é um poço de pecados que não pode evitar sua maldade e a impureza.
Mesmo que muitas pessoas, que passaram por lavagem cerebral por causa dos ensinamentos religiosos, pensem que há algo de bom nelas, é justamente porque o homem é mau que ele busca a bondade. Por isso que muitas pessoas procuram fazer boas obras, para esconder sua natureza pecaminosa com seu próprio esforço, e ainda pensam que o homem é capaz de alcançar alguma virtude. Contudo, quando olhamos para nós mesmos como seres humanos nós sabemos que o homem é pecador por si mesmo. Se você se conhece então você não pode evitar em admitir que o homem é pecador, que os seus pensamentos são maus, que ele é blasfemo e que ele dá falso testemunho. Você pode admitir tudo isso olhando somente para si mesmo. Mas se você não se reconhecer assim, então você pode estar iludido pensando que é uma boa pessoa. Além disso, analisando o ponto de vista de quem se acha muito bom, é quase certo que esse tipo de pensamento tem a ver com a hipocrisia religiosa. Por nós mesmos não há o que justifique nós nos vermos como pessoas boas. Como Jesus diz na bíblia, não há dúvidas de que todos que vivem nesta terra, inclusive eu, são uma geração de malignos cujos pensamentos são maus, impuros e depravados, pessoas que realmente praticam só o mal.
Nós seres humanos somos totalmente desprezíveis. Quando olhamos para o âmago do coração humano, nós vemos o quanto ele é impuro. Como a bíblia diz: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e incorrigível. Quem o conhecerá?” (Jeremias 17:9), não há nada mais sujo e mais depravado que o coração humano. Todas as outras coisas nesse mundo tal como as flores, são limpas. Mas pelo contrário o homem tenta esconder sua impureza com hipocrisia. De toda a criação, somente o homem é hipócrita, e é incapaz de admiti-la. É justamente porque o homem é hipócrita que ele tenta enganar a si mesmo pensando que ele é bom. E diferentemente das flores, que são lindas por natureza, quando o homem mostra suas verdadeiras cores, eles são tão sujos, maus e feios sendo mais imundos que o esgoto no bueiro e o lixo no lixão. E sobre as fezes cheias de vermes? Elas também não estão incluídas nessas “coisas todas?” É claro que estão. E se estão, então o coração humano é ainda mais sujo que as fezes e os vermes que moram ali. Essa é a verdadeira natureza humana.
 
 
Você se Conhece Bem?
 
O problema é que não conhecemos a nós mesmos tão bem. Às vezes mesmo aqueles que receberam a remissão de pecados não conhecem a si mesmos. E o resultado disso é que eles se tornam orgulhosos quando fazem algo, mas quando suas imperfeições são mostradas, o seu desapontamento acaba sendo maior do que o orgulho que sentiram.
Havia muitas pessoas famintas seguindo a Jesus Cristo. Jesus teve tanta compaixão por essas pessoas que Ele operou um milagre para alimentá-las, mas que tipo de pessoas estão famintas em espírito? São aquelas que sabem quem realmente são. Quando o homem conhece a si mesmo e vê que está faminto espiritualmente, acabam ficando completamente desesperados. Então eles vão pedir ajuda aos deuses do mundo mas é tudo em vão. Somente Deus pode dar-lhes a graça divina, e isso é que é a verdade.
Por outro lado, há muitas pessoas que vivem sem conhecer a si mesmas e para elas não há sentido irem pedir a ajuda de Deus quando elas mesmas não se conhecem. Não há como elas implorarem a Deus, dizendo: “Por favor me ajude só um pouco e perdoe-me só dessa vez.” É errado orar para ganhar algo quando só sabem dizer: “Eu sou estou um pouco sujo e só preciso de uma pequena ajuda. Eu posso cuidar do restante por mim mesmo”. Quando você reconhece sua depravação total, chega a conhecer a extensão de sua fraqueza e admitir: “Eu sou totalmente sujo. Meus pensamentos são sujos assim como os meus atos, eu sou nada mais do que um lixo humano”, é então que você se torna pobre de coração e aí ele se tornará faminto e sedento por justiça.
Se você e eu ainda achamos que temos algo de bom de nós mesmos após termos nascido de novo, então devemos rever nossos conceitos. Se, de alguma maneira, você pensa que pode praticar a justiça, que há algo bom em você e que você tem algumas qualidades, então isso significa que você ainda não está faminto de espírito. Todos os seres humanos, incluindo você e eu, somos completamente depravados do jeito como o Senhor disse. Desde o momento em que nascemos já somos destinados a sermos corruptos de fato. Desde a queda de Adão e Eva todos os seres humanos nasceram como uma descendência de completa imundície e depravação. Se você e eu nos reconhecermos assim, então não nos vangloriaremos de nós mesmos mas estaremos nos lamentando. Mesmo que soframos por reconhecermos a nós mesmos dessa forma, o que aconteceria depois? Nós iríamos entender que é justamente sobre essas pessoas que o nosso Deus derrama a Sua graça. Então poderíamos crer em Deus confiando e aceitando essa graça e aqueles que crêem nisso estão prontos para encontrá-la pela fé.
Pelo contrário, aqueles que ainda não sabem que tipo de pessoas são e consideram que são capazes de praticar alguma justiça, esses estão ocupados servindo a Deus com sua própria bondade. Algumas pessoas vão e vem, servem metade a Deus e a outra metade a eles mesmos. Por outro lado, aqueles que sabem que são imperfeitos reconhecem que são completamente depravados e colocam suas expectativas somente na graça de Deus mesmo que ainda vacilem um pouco. Em outras palavras, por contar com Deus e confiar somente em Sua graça, eles chegam a ter fé nela e em Sua Palavra.
 
 
Deus Também Concedeu a Mesma Salvação aos Gentios
 
Um dia, enquanto Jesus viajava pela região de Sidom, uma mulher Cananéia daquela região veio até Ele e implorou: “Tenha misericórdia de mim, Senhor, Filho de Davi! Minha filha está possuída de demônios”. O que significou o fato de que uma mulher gentia da terra de Canaã ter visto Jesus e dito: “Tenha misericórdia de mim?” Na verdade, isso significou que aquela mulher conhecia totalmente seu pecado e o reconhecia. Além disso, a mulher não somente viu a si mesma mas ela também viu como sua filha estava possuída por um demônio, e ela não teve alternativa a não ser confiar em Jesus e se apegar a Ele.
Por isso ela veio até Jesus gritando: “Tenha misericórdia de mim, Filho de Davi!” Essa mulher, que conhecia bem a si mesma implorou para Jesus ajudar a sua filha, dizendo: “Minha filha está sofrendo terrivelmente de uma possessão demoníaca. Por favor, tenha misericórdia de mim!” Apesar disso, Jesus não virou-lhe as costas mas disse: “Não é bom pegar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos”. Jesus estava tratando aquela mulher como um cão. Ele estava falando com ela face a face, “Você não é melhor do que um cão!” Apesar do insulto, veja como a mulher respondeu a Jesus: “Sim, Senhor mesmo os cachorrinhos comem as migalhas que caem da mesa de seus senhores”. Em outras palavras, a mulher honestamente reconheceu a si mesma para Jesus, dizendo: “Sim, Você está certo. Eu sou uma mulher que não é melhor do que um cão. Eu sou um cão.” Jesus falou sobre cães de uma maneira figurada porque Ele conhecia o coração humano e por isso, aquela mulher também admitiu exatamente quem ela era, pois ela também sabia que era como um cão. Em outras palavras, ela deixou sua filha de lado por um momento para primeiro admitir que ela era essa pessoa desprezível. Foi assim que aquela mulher alcançou a graça de Deus.
Amados irmãos, mesmo tendo nascido de novo, que tipo de de pessoa nós somos? Nós não somos melhores do que um cachorro. Jesus disse que o que procede do coração humano é o que contamina o homem. O que procede do coração do homem é todo o tipo de pecado, de maus pensamentos a assassinatos, adultérios, furtos, ira, conflitos, orgulho e assim por diante. Em outras palavras, Jesus nos disse que nós nascemos com pecado como um cachorro. É dito sobre o cachorro que ele retorna ao seu vômito (Provérbios 26:11).
Um cachorro vomita e come seu próprio vômito. O homem também é assim. As pessoas colocam sua imundície para fora só para engoli-la de novo, elas pecam, se arrependem, e cometem outro pecado ainda maior, e repetem isso de novo e de novo. Mas o que você acha? Você acha que o homem é melhor do que um cão? Não, nós não somos melhores do que eles. Pelo contrário, nosso coração é mais sujo e depravado do que o de um cão. Quando realmente olhar para si mesmo, você perceberá o quanto você é vil e miserável e não terá outra alternativa a não ser ficar desapontado consigo mesmo.
O que aconteceria se as pessoas pudessem ver a si mesmas como são? Elas ficariam desapontadas com sua impureza e imagem negativa. Elas ficariam desanimadas pensando: “Quão miserável eu sou!” Não é assim mesmo? Quando olha para si mesmo você não fica desapontado? Todos os que realmente olham a fundo para si mesmos ficam desapontados. Contudo, mesmo o desapontamento pode ser uma boa dose de remédio, pois em tempos assim é que essas pessoas finalmente se tornam famintas e sedentas por justiça. É justamente porque você sabe que é imperfeito que desperta o desejo em seu coração de ficar perto de Jesus Cristo e crer em tudo o que Ele diz. Então você começa a negar totalmente a si mesmo e confiar na Palavra de Deus. Quando você entende que é completamente miserável e que nessa sua miséria você precisa do Senhor, por gratidão você busca pela graça de Jesus Cristo, Suas bênçãos, Seu infinito amor e Sua infinita salvação.
Contudo, a maioria das pessoas ainda não conhece a si mesmas tão bem. Sócrates disse há muito tempo atrás: “Conhece-te a ti mesmo”, mas ainda há muitas pessoas que continuam se esquecendo de quem elas realmente são. Há muitas pessoas que não percebem que não são melhores do que um cão e que não são nada além de lixo humano, e até hoje, ainda envolvidos pelos ensinamentos religiosos, eles continuam iludidos por crerem em seu próprio retrato, adornados com pretensão e hipocrisia, que é a sua verdadeira forma. Nós humanos somos um lixo desprezível total. Então, não há dúvida de que se a fé fosse tirada dos nascidos de novo e a religião tirada daqueles que não nasceram de novo, todos acabariam como pessoas inúteis e desprezíveis diante de Deus.
Se Jesus, que apagou todos os pecados do mundo, fosse tirado de você, que tipo de pessoa você seria? Imagine o que aconteceria se você ficasse sem o evangelho da água e do Espírito. Que tipo de pessoa eu e você seríamos então? Nós seríamos tidos como pessoas miseráveis. Nós nos tornaríamos pessoas inúteis assim como um animal. Acabaríamos como as sanguessugas, comendo e bebendo todo dia e querendo cada vez mais (Provérbios 30:15). Isso não é verdade? É claro que é. Por isso não temos outra escolha a não ser crer em Jesus, o qual apagou todos os nossos pecados. Nós precisamos de Jesus porque éramos pecadores inúteis. Após estarmos tão famintos, nós ficamos muito alegres, gratos e nos regojizamos ao encontrarmos Jesus.
Por isso nós cremos em Jesus. Nós cremos que Jesus aceitou todos os nossos pecados e foi condenado em nosso lugar. Nós também acreditamos que quando nós cremos nEle nós alcançamos a vida eterna. Nós cremos que Ele apagou todos os nossos pecados com Seu amor por nós. Nós também cremos que fomos salvos pela fé. Nós verdadeiramente precisamos de Jesus Cristo.
Após termos nascido de novo nós ainda precisamos de Jesus Cristo. Como seres humanos, nós ainda estamos impuros por dentro e por fora mesmo após termos nascido de novo, mas Jesus Cristo nos diz e nos capacita a crer nEle, e que a nossa fé no Senhor limpa o nosso coração, nos faz agir corretamente e nos guia no caminho certo. Você acredita nisso? Por nós mesmos nós somos incapazes de praticar alguma justiça. É por causa do Senhor que nós praticamos a justiça. É por causa do Senhor que praticamos o bem. E é por causa do Senhor que nós conhecemos o amor de Deus e por causa dEle que nós amamos uns aos outros. Também é por causa do Senhor que nós agora estamos no caminho certo, pois está claro que por nós mesmos não poderíamos fazer isso.
Se um nascido de novo praticou a justiça, pregou o evangelho e serviu ao Senhor de diversas formas então é por isso que Deus deu a ele um bom coração, fé, talento, força e condição para praticar a justiça. Nós precisamos entender que é somente porque o Senhor nos guia é que agora podemos amá-Lo, servi-Lo e pregar o evangelho às pessoas, se amássemos o Senhor por nós mesmos então nunca poderíamos amar as pessoas e nem servir a Ele.
 
 
Às Vezes Levamos Nossa Vida de Fé no Engano
 
Enquanto nós os nascidos de novo levamos nossa vida de fé é possível às vezes cairmos no engano. “Senhor, eu O tenho servido todo esse tempo mas o que Você fez por mim? Você fez alguma coisa por mim? Tudo o que Você tem trazido é mais sofrimento para mim. O que é que Você tem feito por mim? Eu não quero servi-Lo mais. Pelo contrário, vou desistir da minha de fé agora.” Alguns de nós têm esses maus pensamentos.
Mas isso não está certo. Se você tem realmente servido ao Senhor de todo o coração, então você deveria ser grato por Ele ter te dado um coração justo, permitido que Sua Palavra chegasse até você e tê-lo capacitado para servi-Lo. E você deveria agradecê-Lo por te usar como instrumento da Sua justiça. Não somos nós que servimos o Senhor mas o Senhor é quem nos serve, para que nós possamos servi-Lo. Nós temos que entender que nós não praticamos justiça por nós mesmos mas é o Senhor que nos dá força para praticar a justiça.
Mesmo dentre os nascidos de novo, alguns estão desapontados imaginando: “Eu tenho seguido ao Senhor, mas o que eu recebi dEle?” É porque eles ainda não perceberam o quanto são impuros e o quanto são parecidos com um cachorro. Porques eles ainda não sabem o quanto são depravados e miseráveis, que vivem como um cão. Por não conseguirem ver como são impuros e inúteis, eles exaltam sua própria justiça e endurecem a cerviz diante do Senhor, achando que valem alguma coisa. Contudo, você precisa entender que não passa de um ser humano. Na verdade, nós não somos nada se o Senhor nos deixar. Sem o Senhor nós somos incapazes de praticar justiça, nós só pecaríamos. Nem poderíamos amar, mas invés disso seríamos amaldiçoados. É assim que você quer viver o resto da sua vida, borbulhando com a sujeira do esgoto e cheirando a um odor fétido?
Pois é evidente que se o Senhor fosse tirado de nós, nós nos afogaríamos em água suja, moraríamos no esgoto e vomitaríamos imundície somente para cairmos mais no pântano do pecado e sermos destruídos para sempre. Mesmo que não pudéssemos evitar de viver assim, Deus ainda teria nos salvado e iluminado. Eu aconselho vocês todos a compreenderem que precisam ser realmente gratos a Deus. Porque Deus teve compaixão de nós mesmo nós sendo maus, depravados e imundos, Ele veio até nós, apagou todos os nossos pecados, nos guiou e tornou possível praticarmos a justiça. Ele nos ensina o que é certo e o que é verdadeiro, Ele nos fez amá-Lo, e Ele nos fez viver uma vida justa. Por isso é que devemos dar glória a Deus. Nós somos nós que amamos a Deus e nem nós que O servimos. E o Senhor que nos ama e é Ele quem nos ajuda a não despediçarmos nossas vidas e é o próprio Deus que nos guia pelo caminho reto para que sejamos recompensados por Ele.
Queridos irmãos, quem é o senhor das nossas vidas? A sua vida é realmente sua? Não, não é. Então, quem é a força divina que dirige nossas vidas e quem nos capacita a praticarmos a justiça e a bondade, a amar e a levar uma vida correta? Não é outro senão Jesus Cristo, e não nós.
Sem o Senhor o ser humano é totalmente miserável, sempre cometendo erros, um após o outro. De vez em quando eu olho para mim mesmo e compreendo com mais clareza que “se eu não estivesse fazendo a obra do Senhor, eu poderia ser um homem inútil para fazer qualquer outra coisa a não ser pecar para o resto da minha vida”. Eu não somente pecaria mas seria um perito nisso. Estou certo de que seria um homem muito astuto, desfrutaria de todos os prazeres e cometeria atos inimagináveis, maliciosamente escapando da lei para evitar de ser preso. Talvez você seja muito bom para que isso tudo acontecesse na sua vida. Alguns de vocês que ainda não siguem o Senhor podem pensar que resta ainda alguma bondade em vocês, mas em se tratando de mim eu sei que seria nada além de uma pilha de pecado se não seguisse o Senhor. Pois eu sei muito bem que não importa o que eu faça, eu não posso evitar de fazer o que é mau. É claro que foi antes de receber a remissão de pecados que eu me via como esse homem.
Na verdade, antes de nascer de novo eu nunca pensei que eu era tão mau. Eu me considerava muito bom, mesmo que os outros fossem maus. Quando eu encontrava uma criança perdida no caminho de casa, eu procurava levá-la em segurança para sua casa; quando eu via o dono da carvoaria da minha vizinhança se esforçando para empurrar a carroça, eu procurava dar uma mão e empurrá-la para ele e quando eu via um idoso carregando peso, eu sempre o levava para ele. Então eu pensava que era um bom homem. Contudo, com o passar do tempo eu olhei bem para mim e concluí: “Ah, se eu não seguisse o Senhor eu me tornaria um vigarista e um homem totalmente inútil”.
E quanto a você? Não é assim que você é também? Você pode viver uma vida correta sem Jesus? Você poderia viver como um grande sábio da história da humanidade mesmo se Jesus fosse tirado de você? Está claro como a luz do dia que sem Jesus toda a sua infalibilidade se tornaria em maldade.
 
 
Sem o Senhor Nós Somos Completamente Desprezíveis
 
Você e eu assim como qualquer um outro, devemos reconhecer e admitir que somos desprezíveis e confiarmos no Senhor. Sem Jesus Cristo e sem a Palavra de Deus somos um lixo inútil tanto para a humanidade quanto para esse mundo. Sem o Senhor, nossa vida é totalmente desprezível. Há um hino intitulado “eu não posso viver sem meu Senhor”, e não resta nada de bom em nós se não tivermos a Jesus. Se Jesus Cristo e a Palavra da Verdade fossem tirados de nós, então seríamos incapazes de falar a verdade. Sem o Senhor, seríamos como um barco no mar sem as velas. Nossa vida seria guiada na direção errada, e seria impossível levarmos uma vida correta. Uma vida sem o Senhor seria levada de um lado para o outro, como um barco sem vela guiado pelas ondas do alto mar. Sem a Palavra do Senhor, nós não poderíamos seguir na direção certa e se o Senhor não habitasse em nós não poderíamos evitar de viver pecando – isso é o que nós somos.
Abram seus ouvidos para o que a mulher de Canaã disse. Mesmo depois de Jesus Cristo ter dito a ela: “Não é bom tirar o pão das crianças e dar para os cachorrinhos”, essa mulher respondeu, dizendo: “Sim, Senhor, mesmo os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa de seus senhores”. Em outras palavras, a mulher disse a Ele: “Mesmo que eu seja um cachorro, eu ainda desejo alcançar e ser alimentada até mesmo pela menor da Sua graça em minha vida. Senhor, por favor conceda-me a Sua graça mesmo que eu seja um cachorro”.
Ouvindo as palavras dessa mulher o Senhor disse: “Ó mulher, grande é a sua fé!” Quem são aqueles cuja fé é realmente grande? Eles são aqueles que sabem que são como cachorro e admitem que são um lixo desprezível. Esse é o povo que sabe que sem Jesus, nada os impediria de ir para o inferno porque nenhuma bondade é encontrada neles. Eles são incapazes de praticar nada além da maldade. Então eles pedem a Jesus Cristo pela graça da salvação e o dom de Deus pois crêem neles. É esse povo que tem uma grande fé. O próprio Deus disse a mulher que sua fé era grande.
Viajando com Seus discípulos por três dias nosso Senhor falou a uma grande multidão. Mas havia muitas pessoas na multidão que tiveram fome pois seguiam Jesus por três dias. No terceiro dia Jesus disse: “Eu tenho estado com essa multidão por três dias e tenho tanta compaixão por eles que não posso despedi-los com fome”. Quando Jesus disse isso, alguém trouxe uma refeição para Ele que consistia em um pouco de peixe e sete pães. Já que esse peixe e o pão era a refeição que geralmente as pessoas comuns carregavam, ela devia ser muito pequena. Alguém tinha trazido uma pequena refeição para Jesus Cristo. Assim quando Jesus impôs Suas mãos sobre ela, abençoou-a e a distribuiu para a multidão, nada menos de 4.000 pessoas comeram dela, e foram contados somente os homens. Na bíblia, mulheres e crianças não eram contadas. Isso não significa que a bíblia as ignorava mas quando os israelitas contavam o povo eles sempre contavam somente o número de homens. Somente com a chegada de Jesus Cristo que as mulheres finalmente vieram a ser tratadas com igualdade, e as mulheres na bíblia significam as noivas de Jesus Cristo, ou seja, nós.
 
 
Nós Devemos Pedir ao Senhor por Sua Graça, A Qual é a Fonte de Todas as Bênçãos
 
Está escrito na passagem bíblica de hoje: “Jesus chamou os discípulos e lhes disse: Tenho compaixão da multidão; já está comigo há três dias, e não tem o que comer. Não quero despedi-la em jejum, para que não desfaleça no caminho. Os seus discípulos lhe disseram: Donde nos viriam num deserto tantos pães, para saciar tão grande multidão? Perguntou-lhes Jesus: Quantos pães tendes? Responderam: Sete, e alguns peixinhos. Então mandou que a multidão se assentasse no chão, tomou os sete pães e os peixes e, dando graças, partiu-os, e deu-os aos discípulos, e estes à multidão. Todos comeram e se saciaram. E levantaram do que sobrou sete cestos cheios de pedaços. Ora, os que comeram foram quatro mil homens, além de mulheres e crianças.”
Amados irmãos, todos nós somos pessoas famintas. Nós somos imperfeitos, nós somos pobres e somos desprovidos de qualquer justiça. Nós humanos não vivemos somente para comer o pão carnal mas devemos também comer o pão espiritual. É assim que a vida humana é sustentada. Quando nós estávamos tão famintos para prosseguirmos com nossa vida nesse mundo, as mãos de Jesus nos alcançou e Ele nos tocou. Na verdade, se Jesus Cristo não tivesse vindo a esta terra nós não teríamos nenhum alimento espiritual, nem pão para nossa alma nem para o nosso coração. Sem Jesus, esse planeta e tudo o que nele há seria nada mais do que lixo. Mesmo que muitas pessoas tenham dito coisas sábias, de Buda a Confúcio, Platão, Sócrates e Gandi, sem Jesus, tudo o que vem do homem é lixo.
Mas o que aconteceu? Está escrito na passagem bíblica de hoje que Jesus Cristo alimentou toda a multidão. E também diz que mesmo depois de todos terem sido alimentados, ainda sobraram sete cestos cheios de comida. Tanto agora como antes, a graça de Deus é sempre ilimitada. É quando cremos na infinita graça de Deus que podemos viver desfrutando dessa abundante graça. Se o ser humano que é finito foi destinado a seguir o Senhor, poderia ele seguir ao Senhor e praticar a justiça por seu próprio esforço e mérito? Não, a justiça do homem acabaria em pouco tempo.
O Senhor nos deu a Sua oração, nos ensinando como e para quê nós devemos orar. Dentre os pedidos de oração, Ele nos disse para orar: “Dê-nos o pão de cada dia”. Já que o próprio Deus nos disse para pedirmos o pão de cada dia, então Ele não tomaria conta da nossa necessidade? A graça de Deus é eterna e abundante. O pão de Deus, que é a Sua infinita graça, é o nosso pão diário de amor, Verdade e graça. Nosso Deus nos concede esse pão por toda a eternidade e a cada dia nós comemos esse pão diário pela fé. A abundante graça que Deus concedeu a nós foi-nos dada no passado mas é algo que durará para sempre em nosso futuro.
Quando levamos nossa vida de fé, nós ficamos desanimados de vez em quando. Contudo, uma vez que renovemos nossa fé na graça de Deus que é ilimitada, nosso desânimo se torna em esperança. Eu aconselho a todos vocês a crerem nisso, que essa graça de Deus é abundante e que Deus ainda tem graça suficiente para encher sete cestos. Se você crê nisso, então a graça de Deus continuará sendo derramada em você agora e para sempre. Se nós cremos que a graça de Deus ainda está sendo derramada em nós, então podemos ser livres não somente da nossa pobreza mas também de nossas dificuldades.
Se pelo contrário, nós cremos em nós mesmos e confiarmos na nossa própria força ao invés de acreditarmos na abundante graça de Deus, então será inevitável nos tornarmos famintos novamente, cansados e perdidos na imensidão. Eu e você somos seres frágeis. E quanto a você? Mesmo que você vá para o Senhor com toda a sua força, às vezes você não se sente faminto, nu e fraco? Em tempos assim é que você precisa da abundante graça do nosso Deus. Quando nós cremos que a graça infinita de Deus é derramada em nós a cada dia, quando pedimos a Deus por Sua graça e quando nós confiamos nesse Deus, é aí que somos supridos dia após dia. Desse jeito eu e você podemos viver diante do Senhor em meio às Suas bênçãos.
Por que você ainda está desanimado já que o Senhor é conosco e está derramando sobre nós Sua transbordante graça? O motivo pelo qual nós nos sentimos desanimados e ficamos desesperados é porque nós não cremos no infinito amor de Deus, em Sua Verdade e graça. Mesmo que sejamos imperfeitos e limitados Deus é ilimitado. Mesmo que nossa força seja limitada, o poder de Jesus Cristo é ilimitado. O amor de Deus e Suas bênçãos para nós são infinitos. Mesmo que nossa justiça seja como o nevoeiro que desaparece em pouco tempo, Deus é eterno e Ele está derramando Sua eterna graça em toda a raça humana, Ele tem armazenada graça suficiente para durar para sempre e mesmo nesse momento Ele está nos dando Sua graça.
Meus amados santos, o Senhor mora em nossos corações. O apóstolo Paulo uma vez disse aos crentes de Corinto: “Ó coríntios, a nossa boca está aberta para vós, o nosso coração está dilatado. Não estamos retirando o nosso afeto de vós, mas vós estais retirando o vosso afeto de nós. Ora, em recompensa disto (falo como a filhos), abri também o vosso coração” (II Coríntios 6:11-13). Vamos gravar essas palavras em nosso coração. Somente quando nosso coração está sedento e ansiando pela graça de Deus é que podemos receber Seu infinito amor, Sua verdade eterna e bênçãos ilimitadas. Se nós não podemos pedir a ajuda de Deus é porque nosso coração está limitado. Dessa forma eu os aconselho a crer que o próprio Deus é ilimitado e que Seu coração está sempre aberto para vocês. Quando enfrentamos dificuldades é porque limitamos a nós mesmos. O infinito amor, a verdade eterna, a salvação e as infinitas bênçãos que Deus derramou em nós nunca serão limitadas. Vocês crêem nisso amados irmãos?
Vamos todos pedir incessantemente pelo resto das nossas vidas pela graça de Deus pela fé. Eu creio que as bênçãos de Deus serão derramadas abundantemente sobre todos nós.