Sermões

Assunto 22: O Evangelho segundo LUCAS

[Capítulo 19-2] (Lucas 19:1-10) A Coisa Mais Justa a Fazer é Servir ao Evangelho da Água e do Espírito

(Lucas 19:1-10)
“E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando. E eis que havia ali um homem, chamado Zaqueu; e era este um chefe dos publicanos e era rico. E procurava ver quem era Jesus e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura. E, correndo adiante, subiu a uma figueira brava para o ver, porque havia de passar por ali. E, quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, porque, hoje, me convém pousar em tua casa. E, apressando-se, desceu e recebeu-o com júbilo. E, vendo todos isso, murmuravam, dizendo que entrara para ser hóspede de um homem pecador. E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado. E disse-lhe Jesus: Hoje, veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão. Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.”
 
 
Deus Procura por Aqueles que Desejam Levar uma Vida Justa e Encontrá-lo Pessoalmente
 
Deus sabe muito bem quem está procurando. Ele conhece o coração dos que desejam viver em retidão. No texto bíblico deste capítulo vemos um chefe de publicanos chamado Zaqueu. Quando este homem ouviu que Jesus ia passar por sua cidade, ele correu para vê-lo. Mas como ele era um homem de baixa estatura, Zaqueu não conseguiu ver Jesus em meio à multidão. Ele então subiu uma figueira brava para tentar ver o Senhor dali.
Estando Zaqueu em cima da figueira brava, Jesus passou por ela, olhou para cima, o viu e lhe disse: “Zaqueu, desce depressa, porque, hoje, me convém pousar em tua casa.” Ele então desceu da árvore cheio de alegria, preparou um jantar para Jesus e disse: “Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado.” Zaqueu com estas palavras fez a sua confissão, reconhecendo que, mesmo querendo, não conseguia levar uma vida de retidão. Mas como o Senhor veio ao encontro de um homem tão falho como ele, ele queria levar uma vida de retidão dali por diante. Podemos ver aqui como Zaqueu se transformou num novo homem.
Zaqueu era chefe dos publicanos. Naquela época Israel pagava impostos ao Império Romano. E de todos os impostos que o povo de Israel pagava, a maioria deles ia para Roma. No entanto, isso não quer dizer que todos os impostos arrecadados iam de fato para Roma. Muito deste dinheiro ficava com os publicanos. Por exemplo, se fosse cobrado 100 reais de impostos, somente 50 ou 70 iam para Roma, pois o restante ficava com os publicanos. Deste modo, os publicanos ficavam ricos desviando dinheiro dos impostos que eram cobrados.
Como chefe dos publicanos, Zaqueu não levava uma vida de retidão. Então, quando Jesus entrou em sua casa, o povo reclamou dizendo que ele estava na casa de um pecador. Só que Zaqueu havia subido numa figueira brava para ver Jesus Cristo, para descobrir quem ele era, e dali pôde vê-lo passar pela sua cidade. E no momento em que seus olhos se cruzaram com os de Jesus, ele entendeu quem ele era e o desejo de levar uma vida de retidão nasceu em seu coração.
Amados irmãos, todo ser humano deseja levar uma vida de retidão. Mas embora desejemos isso em nosso coração, a verdade é que nossa vida era toda errada antes de encontrarmos Jesus. Nós éramos como Zaqueu. Nossa vida era injusta, só queríamos levar uma vida confortável e vivíamos nos justificando. Mas como Zaqueu mudou depois que encontrou Jesus? Ele disse a Jesus: “Eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens.” Isso significa que ele prometeu levar uma vida de retidão dali por diante. Ao dizer que daria metade dos seus bens para os pobres, Zaqueu estava confessando que seu coração desejava viver para a justiça e para uma causa justa a partir daquele momento. Seu coração foi transformado assim. Ele disse: “Se em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado.” Esta é a prova que nos mostra a grande transformação que aconteceu no coração de Zaqueu, um homem que até então não tinha levado uma vida de retidão. Um ladrão estava declarando que mudaria seu coração e levaria uma vida de retidão a partir dali. Assim o coração de Zaqueu foi transformado quando ele encontrou Jesus.
Amados irmãos, nosso coração deseja viver para a justiça de Deus quando temos um encontro com Jesus. E de fato só podemos levar uma vida de retidão após termos um encontro com ele. Nenhum de nós podia levar uma vida de retidão antes de encontrarmos o Senhor. Mas agora que o encontramos, nós desejamos levar uma vida assim. Graças ao Senhor todos nós agora desejamos levar uma vida de retidão e justiça. O Senhor apagou todos os nossos pecados e agora habita em nosso coração na pessoa do Espírito Santo. Assim como o Senhor fez com que o injusto Zaqueu desejasse levar uma vida de retidão, ele gera o mesmo desejo em nosso coração depois que temos um encontro com ele. Não é verdade, amados irmãos? Deus gera este desejo em nosso coração. É ele quem desperta este desejo em nós. Por isso queremos levar uma vida de retidão a partir de agora. Nós queremos viver para o que é justo. Não importa como vivíamos no passado, pois Deus nos deu agora uma nova vida, um novo começo, e por isso queremos dedicar nossa vida à sua boa obra.
Já que o Senhor fez nascer em nosso coração o desejo de levar uma vida de retidão, ele agora nos guia para que levemos mesmo uma vida assim. Nosso Senhor trabalha em nós. Ele gera em nós o desejo de fazer o que é certo, mas precisamos perguntar a nós mesmos se estamos de fato fazendo a vontade de Deus. Já que o Senhor gera em nosso coração a força de vontade para levarmos uma vida de retidão, seria algo muito errado ignorarmos sua vontade. Não devemos fingir que estamos ouvindo o Senhor. Ele gerou em nós o desejo de levar uma vida de retidão e sempre nos lembrará disso. Nossa função então é responder com sinceridade à Palavra de Deus e ao seu chamado, a fim de que possamos viver para o resto da nossa vida segundo o desejo que Deus nos concedeu.
Antes de encontrar o Senhor, eu achava que a maneira que estava vivendo era reta e justa. É bem provável que você pense assim também ao olhar para sua vida antes. No entanto, o que aconteceu quando tivemos mesmo um encontro com o Senhor? Nós paramos de pensar na nossa própria justiça, nas nossas virtudes e passamos a pensar no verdadeiro desejo que Deus gerou em nosso coração de levar uma vida de retidão, apesar das nossas fraquezas. Nosso Senhor gerou em nós este desejo maravilhoso de viver para o que é correto, nos leva a fazer a boa obra em sua igreja, a pregar o evangelho e a viver para o resto da nossa vida para ele e para esta obra. É ele quem nos faz levar uma vida de retidão.
Nós não fazemos parte desta igreja por causa dos nossos méritos. Não é porque somos bons e justos que estamos na igreja. Nós estamos aqui agora porque Deus gerou o desejo de viver para sua obra. Nós fazemos parte da igreja, estamos servindo ao Senhor, levando uma vida de fé e fazendo a boa obra do Senhor porque Deus nos deu sua justiça e gerou este desejo em nosso coração. E tudo isso acontece graças a Deus. O Senhor sabe muito bem quem deseja levar uma vida de retidão. E são estes que ele deseja encontrar. Zaqueu sabia muito bem que era injusto. E Jesus também sabia que ele era um homem injusto. Embora uma parte do coração de Zaqueu quisesse levar uma vida de retidão, até então ele não conhecia ninguém que pudesse guiá-lo pelo caminho correto. Todavia, quando ele ouviu que Jesus ia passar por sua cidade, ele quis muito vê-lo, pois imaginava quem era Jesus. E seu esforço deu resultado, pois ele conseguiu ver Jesus.
E seu coração foi completamente transformado quando ele encontrou Jesus. Uma grande transformação aconteceu no coração de Zaqueu. A partir daí seu desejo era viver para o que é justo. Amados irmãos, há muitos neste mundo que desejam viver para o que é justo. É claro que este lindo desejo não é algo exclusivo de um grupo de pessoas especiais, mas de todos, inclusive você e eu.
Ninguém poderá fazer o que é justo se não tiver um encontro com ele e não for guiado por ele. Há pouco tempo pedimos ofertas especiais para a construção da nossa nova igreja. E nos dedicarmos a isso é algo muito bom para a nossa vida espiritual. Jesus se agrada quando temos propósitos como este no coração e fazemos o que é certo, ao invés de fazermos o que é bom apenas para os nossos pastores e irmãos. É algo maravilhoso se dedicar à justiça de Deus. Isso nos dá a oportunidade de servirmos ao Senhor na presença de Deus. E é também uma excelente oportunidade de fazermos o que é certo, de servirmos a Deus com sinceridade de coração e desviarmos sua atenção das coisas do mundo. Se os justos ficarem isentos de fazer a boa obra, eles certamente voltarão para o mundo. Os desejos mundanos não têm fim; quando um desejo é realizado, surge outro, nos levando a ser mais gananciosos ainda e voltar para o mundo.
Amados irmãos, vocês saberão o que eu estou dizendo quando servirem ao Senhor. Aí vocês verão como é gratificante servir a ele. Até hoje temos servido fielmente ao Senhor apesar das nossas dificuldades. É por isso que em toda a Coreia nós encontramos nossas igrejas. Sempre que fazemos um pequeno sacrifício para servir ao Senhor, o resultado do nosso esforço supera todas as nossas expectativas, e assim permanecemos firmes fortalecidos para enfrentar novos desafios e cumprir nossas tarefas. Mas se dedicarmos nossas forças para obtermos mais bens materiais e cuidar dos nossos assuntos nessa terra, isso não terá fim e não nos trará satisfação alguma. No entanto, servir ao Senhor é algo que realmente vale a pena. Não há nada mais importante do que esta obra. Todos vocês sabem por experiência própria que servir ao mundo é algo inútil, pois ele não pode nos dar satisfação alguma.
Mas se vocês servirem ao Senhor, seu coração se sentirá realizado, por mais que a obra seja pequena. Todas as nossas igrejas na Coreia levantam ofertas para evangelismo, mesmo quando temos poucos recursos e a situação não está muito boa. Mas graças à nossa dedicação, muitas almas estão sendo salvas em toda a Coreia e em outros países. Deus tem nos abençoado porque temos levado uma vida justa. Ele até nos deu condições de fundar igrejas em outros países, gerou um desejo de justiça em nosso coração e nos guia para que façamos esta grande obra da justiça.
 
 
Ao Encontrar o Senhor, Zaqueu Disse: “Se em Alguma Coisa Tenho Defraudado Alguém, o Restituo Quadruplicado.”
 
Ao ler este texto, podemos chegar à conclusão que Zaqueu já tinha perdido tudo que tinha. Isso porque ele tinha adquirido a maior parte da sua riqueza injustamente como chefe dos publicanos. Na verdade, não apenas parte da sua riqueza que foi adquirida injustamente, mas toda a sua riqueza vinha de roubo. Foi preciso toda a sua fortuna então para pagar o que ele havia roubado do povo. Mas podemos ver aqui que o coração de Zaqueu foi totalmente transformado. Ele recebeu um novo coração quando teve um encontro com Jesus.
Quando Deus nos salvou, nosso coração foi totalmente transformado também, graças a sua justiça que veio sobre nós. Amados irmãos, jamais devemos nos esquecer disso. Nosso Senhor nos deu um novo coração e nos leva a fazer novas obras. Mas muitas vezes não somos levados pela carne e esquecemos este desejo que o Senhor nos deu de fazermos sua boa obra? Já que o Senhor exaltou sua justiça em nosso coração e nos leva a fazer a boa obra, temos que obedecê-lo. Deus gerou em nosso coração o desejo de fazer muitas boas obras e nos leva a fazer o que é certo. É assim que ele trabalha em mim e em você.
Não devemos seguir os desejos da carne. Se fizermos isso, nossa vida perderá o sentido e acabaremos achando que não precisamos mais ouvir a Palavra, pois já recebemos a remissão de pecados. Se nosso coração ainda estiver preso ao mundo, mesmo tendo recebido a remissão de pecados acabaremos caindo num abismo sem fim. E se nosso coração nos levar para o mundo de novo, jamais teremos paz em nossa vida. Nosso coração, ao contrário, viverá turbado e atormentado, e iremos sofrer. E isso será muito pior do que servir ao Senhor. Nós não teremos satisfação alguma no coração se voltarmos para o mundo. Se não conseguirmos guardar nosso coração, logo o sofrimento virá. Tudo vai até parecer que está bem, mas na verdade nada estará bem. No fim acabaremos caindo numa armadilha.
No entanto, se vivermos segundo o justo desejo que nosso Senhor despertou em nós, faremos a sua obra e serviremos à sua justiça, seguiremos o Senhor e o serviremos. E apesar das nossas lutas e problemas, o Senhor nos guiará por um caminho abençoado de paz. Você tem que entender que é Deus quem desperta este desejo em nosso coração. Todos nós precisamos entender que temos este desejo não porque somos justos, mas porque Deus o gerou em nosso coração.
Apesar de termos recebido a remissão de pecados, ainda não estamos presos ao mundo, nos preocupando sempre com tudo em nossa vida, com o que vamos comer ou beber? Será que existe alguém entre os remidos que apostou tudo em si mesmo? Amados irmãos, vocês jamais terão prosperidade se confiarem no que têm hoje. Vocês acham que viveriam com todo conforto se tivessem um milhão de dólares? Os que acham que dinheiro é importante pensam que não teriam com o que se preocupar se tivessem um milhão de dólares? No entanto, tudo depende de como você vai gastar seu dinheiro. Se você pensar assim: “Eu vou administrar muito bem tudo que eu ganhar para que fique seguro por toda a minha vida”, nunca em sua vida você poderá fazer a obra de Deus. Ao contrário, você acabará gastando todo o seu dinheiro consigo mesmo.
Contudo, amados irmãos, se vocês viverem para o Senhor, vocês terão prosperidade em sua vida por mais que não tenham muitos bens. Vocês podem até ajudar seus semelhantes, mas se viverem para a justiça de Deus e fizerem boas obras, vocês viverão para sempre como pessoas ricas. Temos que entender isso. Temos que entender muito bem o que é a boa obra e a vida correta que devemos viver. O dinheiro não tem valor algum se não for usado no que é justo. Se alguém for escravo do dinheiro, ele acabará se tornando uma pessoa desprezível. Todo ser humano precisa praticar as boas obras antes que sua vida termine.
Zaqueu tinha em seu coração o desejo de praticar a justiça para o resto de sua vida. A Bíblia diz: “bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos” (Mateus 5:6). Amados irmãos, vocês querem praticar a justiça em sua vida? Se este é o desejo do seu coração, Deus então os capacitará para que vocês façam isso. Eu creio que se nosso desejo for viver para a justiça de Deus, ele confiará a nós a sua boa obra para que vivamos de fato para a sua justiça e façamos esta obra, prosperando cada dia mais. Deus nos concede suas bênçãos em abundância. E se quisermos viver para a sua justiça, ele nos abençoará ainda mais.
Olhando para trás e vendo os 30 anos da minha vida antes de encontrar Jesus, e as duas últimas décadas que vivi depois de encontrá-lo, eu fico pensando que vida era mais correta e justa. Embora seja uma bênção maravilhosa ter recebido a vida eterna do Senhor para que eu viva para sempre, eu me alegro ainda mais por ter tido um encontro com ele e, graças a isso, poder levar uma vida de retidão. Mesmo que alguém fosse viver apenas mais um mês nessa terra após encontrar o Senhor, esta vida seria muito mais justa e valiosa do que toda a sua vida antes. Depois que encontramos o Senhor, ele nos leva a fazer muito mais boas obras todos os anos do que tudo que fizermos por décadas antes de encontrá-lo.
Por vezes sentimos que é um fardo pesado fazer o que é certo. No entanto, quando pensamos um pouco mais sobre isso e chegamos à conclusão de que isso é a coisa certa fazer, aí é que merecemos participar da sua obra. Nós temos que saber se o que estamos fazendo é certo ou errado, escolher a obra certa e fazê-la. O desejo certo que Deus gerou em nosso coração é algo inconfundível.
Mas o problema é que às vezes damos lugar ao medo com muita facilidade sem nem mesmo pensar um pouco mais sobre isso. Por essa razão é que não há mais o desejo certo em nosso coração e, no fim, não conseguimos cumprir a justiça de Deus nem fazer sua vontade, mas acabando levando uma vida miserável pelo resto de nossos dias. Não podemos ser enganados por Satanás. O diabo está tentando nos enganar com os desejos do mundo, como fez com Adão e Eva. Portanto, temos que pensar no que é certo, fazer disso nosso objetivo e buscar a justiça.
 
 
Temos que Entender o que é Certo aos Olhos de Deus
 
O Senhor nos disse que há duas coisas que não podemos deixar de celebrar até o fim do mundo. Umas delas é que nunca devemos esquecer que o Senhor nos salvou de todos os nossos pecados ao vir a essa terra e nos dar seu corpo e seu sangue. Por isso que o Senhor nos disse que devemos tomar a Santa Ceia.
Outra coisa que o Senhor disse que não podemos esquecer é como uma mulher chamada Maria, que era endemoninhada antes, abriu um frasco de perfume e o derramou na sua cabeça. E ela fez isso sem saber preparando-o para o seu sepultamento, e confessou sua fé ao declarar: “O Senhor Jesus apagou todos os meus pecados com seu batismo e seu sangue na cruz. Ele ofereceu um sacrifício maravilhoso com seu próprio corpo, e para mim nada é mais importante do que esta salvação.” O Senhor se agradou da fé de Maria e disse: “Em verdade vos digo que, em todas as partes do mundo onde este evangelho for pregado, também o que ela fez será contado para sua memória” (Marcos 14:9).
Qual é a melhor obra dessa terra? Servir ao evangelho. Servir ao evangelho é a melhor obra que existe. Vocês creem nisso? Servir ao evangelho é o que mais agrada a Deus. Para o Senhor, esta é a obra mais importante. O que fazemos para servir o evangelho nos está reservado como recompensa pelo Senhor; e é isso também que dá testemunho do fruto mais virtuoso. Fundar igrejas, pregar o evangelho para as pessoas e servir a ele de todas as formas possíveis, seja com nossos bens, nossas orações, nosso corpo, nossas obras ou nosso tempo – tudo isso é a boa obra que podemos fazer para o evangelho; e é isso que mais agrada a Deus também.
Quando pregamos o evangelho, nós celebramos a atitude de Maria Madalena, pois o Senhor disse para nos lembrarmos disso. Esta mulher era endemoninhada, mas depois que teve um encontro com o Senhor, ela quebrou um frasco de alabastro com um perfume caríssimo e com ele preparou o Senhor para o seu sepultamento. E os que viram aquela cena pensaram: “Esta mulher deve estar louca. Por que ele quebrou o frasco de alabastro com este perfume caríssimo e derramou na cabeça de Jesus? Seria melhor ter vendido e dado o dinheiro aos pobres.” Eles criticaram Maria e a repreenderam por isso. E também criticaram Jesus, dizendo: “Como podes tu ver esta mulher desperdiçando tanto e não fazer nada? Por que tu não fazes nada com ela?”
Jesus disse então: “Sempre tendes convosco os pobres, mas a mim não me haveis de ter sempre.” E completou: “Em verdade vos digo que, onde quer que este evangelho for pregado, em todo o mundo, também será referido o que ela fez para memória sua.” Isso mostra que Maria fez o que é certo. E através da sua boa ação, Deus está nos mostrando como temos que servir ao Senhor. Além disso, ele nos encoraja a servi-lo da maneira correta. Amados irmãos, todos nós devemos aprender com o exemplo de Maria, entendendo que o que ela fez foi algo correto.
A pobreza é um problema insolucionável que não pode ser resolvido, por mais que queiramos ajudar os pobres. Embora os países ricos tenham dado ajuda financeira aos países pobres por muitos anos, o problema da pobreza ainda não foi resolvido. Veja o que está acontecendo em países como a Etiópia e a Somália. Embora o mundo todo esteja enviando ajuda para os países que estão sendo assolados pela fome, muitas pessoas continuaram morrendo de inanição. Estes países receberam de outros países ajuda e uma grande quantidade de alimentos. Por que então muitos ainda estão morrendo de fome? Embora vários países e organizações estejam trabalhando duro para acabar com a fome, seus esforços não deram muito resultado e não mudaram muita coisa. Isso foi um grande fracasso. Há um ditado na Coreia que diz que nem os reis podem acabar com a fome.
Mas embora os esforços para acabar com o problema da fome tenham dado pouco resultado, pois muitos continuam morrendo numa pobreza extrema, vale a pena servir ao evangelho de Jesus Cristo, pois pregar o evangelho dá frutos. Se servirmos ao evangelho, muitos receberão a remissão de pecados. Servir ao evangelho produzirá este fruto. E é justamente isso o certo a fazer. Embora o evangelho não possa libertar muitos da pobreza, ainda assim eles podem receber a salvação espiritual. E que precioso fruto é este? Graças à obra e ao sacrifício dos nossos pais na fé, com o relato das suas boas obras, muitos estão sendo salvos e nos seguindo.
O Senhor elogiou os irmãos da igreja de Filadélfia por sua fidelidade. Ele disse: “Eu sei as tuas obras; eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar; tendo pouca força, guardaste a minha palavra e não negaste o meu nome” (Apocalipse 3:8). A Igreja de Filadélfia tinha pouca força, mas os irmãos ali guardaram a Palavra do Senhor fielmente. O Senhor se agrada muito quando guardamos nossa fé até o fim. Mas se ela for corrompida, passaremos por um grande sofrimento.
Vemos assim que o Senhor se preocupa com a fé que nós defendemos e com o evangelho a que estamos servindo. Em outras palavras, o Senhor se preocupa com quem faz o que é certo depois que tem um encontro com ele, com os que agora fazem parte do seu povo. Nós estamos seguindo o Senhor e fazendo o que é certo porque Deus disse que se lembraria de tudo isso, e jamais se esquecerá de nos recompensar, até pelas mínimas coisas que fizemos, como dar um copo d´água para alguém.
Nós temos que entender muito bem e nunca esquecer como o Senhor aprova os que servem ao evangelho. Ele se agrada de nós. Ao ver uma pobre viúva pondo duas pequenas moedas na arca do tesouro, Jesus a elogiou dizendo: “Esta, da sua pobreza, deu todo o sustento que tinha.” Independente do que temos, nunca devemos esquecer que o mais importante é o desejo que temos em nosso coração de fazer a boa obra e o que é certo, é a fome e a sede que temos de justiça, e o desejo de praticá-la.
Amados irmãos, eu exorto vocês a participar de toda boa obra, mesmo que ela seja pequena. E eu peço a vocês que participem das grandes obras também. Se alegrem por servir ao Senhor. Eu estou certo que o desejo que há em seu coração de servir o Senhor assim nunca acabará. Sempre haverá alguma coisa para vocês fazerem para o Senhor, e eu sei que Deus dará tudo que vocês precisam para servi-lo. Se servirmos ao Senhor de todo o nosso coração, Deus suprirá todas as nossas necessidades. E ele não nos dará apenas o que precisamos para servir ao Senhor, mas também tudo que precisamos para viver.
Uma vida justa é aquela que faz o que é certo. E Deus nos deu o desejo de fazer isso. Assim como ele gerou no coração de Zaqueu o desejo pela justiça de Deus, ele também vai gerar este desejo no coração dos santos. Não devemos rejeitar isso então. Ao contrário, devemos ser obedientes e viver para a justiça de Deus. Isso é o certo a fazer. Se vocês se apegarem as poucas coisas que possuem agora e confiarem nelas, vocês não terão outra escolha senão viver para o resto de sua vida com bens limitados e nenhum fruto. No entanto, se vocês servirem ao Senhor, orarem a ele e viverem pela fé, ele certamente fará com que vocês tenham uma vida próspera, mesmo depois de ofertarem tudo que possuem a ele. Amados irmãos, vocês têm que aprender este segredo sobre servir.
Se vocês se apegarem ao que possuem, o Senhor lhes dirá: “Vivam o resto de sua vida com o que vocês têm então.” Mas se vocês não tiverem nada e servirem ao Senhor de todo o seu coração, ele suprirá todas as coisas em sua vida por vocês fazerem a sua vontade. Este é o segredo do servir. Isso não é mentira. É a Palavra de Deus que nos promete que se servirmos ao Senhor, ele cuidará de nós. Se vocês servirem ao Senhor, ele cuidará de vocês. Este é o segredo de uma vida bem sucedida. É uma verdade oculta. É uma verdade que só os que servem ao Senhor podem realmente desfrutar.
Os que vivem segundo a Palavra de Deus reconhecem a pedra branca dada por Deus. O Senhor disse no livro de Apocalipse: “Ao que vencer darei eu a comer do maná escondido e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe” (Apocalipse 2:17). Só quem serve ao Senhor pode receber a ajuda de Deus todos os dias em sua vida. E esta é a vida que todos nós temos que viver como cristãos. Mas se não servirmos ao Senhor, ficaremos do mesmo jeito que estamos hoje. Agora, se o servirmos, nós teremos muita prosperidade em nossa vida. Vocês estão entendendo? Temos que ser gratos a Deus de todo o coração. E esta forma de servir é um mistério. Não é apenas a remissão de pecados que é um mistério, mas isso também é um mistério abençoado.
O que você faria se tivesse um milhão de dólares? Se eu tivesse um milhão de dólares, eu usaria numa boa causa. Eu abriria um novo negócio para financiar a obra do Senhor. Mas para alguns um milhão de dólares ainda é pouco. Não é o bastante para que eles sequer vivam bem. Mas se eu tivesse um milhão de dólares, este dinheiro não seria gasto com comida e bebida. Eu o investiria com sabedoria para que ele rendesse dezenas e centenas de vezes. Eu investiria este milhão e ganharia muitos outros milhões e usaria tudo para servir ao Senhor.
Isso mostra como as pessoas de fé são diferentes das pessoas comuns. Como você deve viver de agora em diante então? Se você for como o tio Patinhas e se apegar aos bens materiais, sua riqueza não aumentará. Ao contrário, você levará uma vida mesquinha e morrerá sem nada no final. Mas se você viver para o Senhor, você terá uma vida próspera. Aqueles que servem ao Senhor terão uma vida muito rica, mesmo se doarem tudo que possuem. É isso que o Senhor está dizendo no texto bíblico deste capítulo.
Não sabemos exatamente a quantidade de riqueza que Zaqueu acumulou. Mas já que ele era chefe dos publicanos, ele deve ter guardado uma riqueza muito grande. Mas embora Zaqueu tenha enriquecido injustamente, ele confessou quando encontrou o Senhor: “Eu darei metade dos meus bens para os pobres.” Que vida abastada é esta? Antes de ter um encontro com Jesus, Zaqueu era um mão de vaca mesquinho que não dava um centavo aos pobres, embora fosse um homem rico. No entanto, após ter um encontro com o Senhor, ele disse que daria metade dos seus bens aos pobres. Ele também disse: “Se em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado.” Depois de encontrar o Senhor, o coração de Zaqueu encontrou a justiça de Deus e aí sim ele passou a ter uma vida abastada.
Se olharmos para a vida que Zaqueu levava antes de ter um encontro com o Senhor e a vida que ele começou a levar depois disso, qual era a mais abastada? Que Zaqueu era mais rico, o velho e mesquinho Zaqueu ou o novo e transformado Zaqueu? Foi o Novo Zaqueu que começou a levar uma vida muito mais abastada após ter um encontro com o Senhor. É isso que significa ser rico realmente.
Zaqueu era tão baixo que teve que subir numa figueira brava para ver Jesus. Uma figueira brava não é uma árvore muito grande. Ele devia ser muito baixo então para conseguir subir numa figueira brava! Ele não era apenas mais baixo do que os homens da sua época; ele era o mais baixo de todos eles. Por isso que ele não conseguiu ver Jesus em meio à multidão e subiu numa figueira brava. O que Jesus fez então? Ele viu Zaqueu e o reconheceu, apesar da sua baixa estatura. Ele então o mandou descer da árvore e se apresentou a ele, dizendo: “Zaqueu, desce depressa, porque, hoje, me convém pousar em tua casa.” Como foi que Jesus conheceu Zaqueu? Ele conhecia Zaqueu porque foi à sua cidade justamente para encontrá-lo. Depois de ter um encontro com o Senhor, Zaqueu teve uma vida de muito próspera. Ele passou a levar uma vida justa e santa.
Já que recebemos a remissão de pecados, temos que servir ao Senhor por toda a nossa vida. Assim deve ser a vida de todo cristão. Precisamos entender que esta é a vida que todos os justos que receberam a remissão de pecados devem ter; esta é a vida normal que todo justo deve levar. Se não servirmos ao Senhor, mesmo tendo recebido a remissão de pecados, ele não servirá a nós também. O Senhor só serve àqueles que o servem. Ele disse: “Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas” (Mateus 7:12). Se você quiser ser amado pelas pessoas deste mundo, sirva a elas e ao mundo então. Mas se você, por outro lado, quiser ser abençoado por Deus, sirva a Deus então. Nós colheremos o que plantarmos. Embora tenhamos recebido a remissão dos nossos pecados como um dom por causa da nossa fé, nossa recompensa será de acordo com tudo que plantarmos. Os que são perseguidos por causa da justiça serão chamados filhos de Deus e recompensados por seu sofrimento. O Senhor servirá àqueles que o serviram. Mas os que serviram ao mundo, ao contrário, sofrerão por causa disso.
Todos nós temos que entender esta verdade fundamental. Como você leva sua vida diz respeito a você, mas eu tenho que ensiná-lo os princípios básicos que você precisa saber como cristão. Agora, pôr em prática o que você aprendeu da Palavra de Deus diz respeito só a você. Isso vai depender da sua relação pessoal com Deus. Tente servir ao Senhor, só para variar. Aí ele jamais te deixará sozinho. Ele vai te recompensar de uma forma ou de outra e te vestirá com sua graça abundante para que você possa servi-lo. Aqueles que realmente servem ao Senhor sabem disso. Não seja tão mesquinho quando servir ao Senhor. Aí ele não será mesquinho também e não reterá suas bênçãos de você.
Ao invés de trabalhar sozinho, o Senhor realiza tudo que deseja através de nós, no coração dos seus santos redimidos, usando suas mãos, seus lábios, suas pernas, seus olhos e seus ouvidos. Deus abençoa ainda mais os que são usados por ele, a fim de que eles possam dar mais frutos e ser ainda mais usados por ele. Vocês creem nisso, amados irmãos? Este é o princípio de Deus.
Amados irmãos, eu exorto todos vocês a viver para o que é certo. O Senhor fez nascer um desejo de justiça em nosso coração. E eu peço a vocês que vivam conforme este desejo de justiça. Eu exorto todos vocês a levar uma vida de retidão e justiça para o resto de sua vida. Não desperdice a sua vida. Vocês não querem ser felizes? Sigam o Senhor então. Assim sua felicidade estará garantida. Você quer ter uma vida abençoada? Siga o Senhor então e sua bênção estará garantida. Deus gerou em nós o desejo de praticar a justiça. E até agora ele está gerando este desejo em nós.
E quando este desejo nasce em nós, somos levados a servir ao Senhor de todas as formas possíveis, tanto que nosso coração ficar turbado quando não conseguimos fazer a boa obra do Senhor e não servi-lo um dia sequer. Isso acontece com você também? Deus pôs este desejo de justiça em nós. Ele fez nascer em nós o desejo de levar uma vida de retidão.
Sejamos todos gratos ao Senhor nosso Deus então.