The New Life Mission

Sermões

Assunto 22: O Evangelho segundo LUCAS

[Capítulo 19-4] (Lucas 19:1-10) Reconheça Seus Pecados Perante o Senhor

(Lucas 19:1-10)
“E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando. E eis que havia ali um homem, chamado Zaqueu; e era este um chefe dos publicanos e era rico. E procurava ver quem era Jesus e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura. E, correndo adiante, subiu a uma figueira brava para o ver, porque havia de passar por ali. E, quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, porque, hoje, me convém pousar em tua casa. E, apressando-se, desceu e recebeu-o com júbilo. E, vendo todos isso, murmuravam, dizendo que entrara para ser hóspede de um homem pecador. E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado. E disse-lhe Jesus: Hoje, veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão. Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.”
 
 
O que Devemos Reconhecer Perante Deus?
 
Deus visitou essa terra por amor ao ser humano. O Deus da verdade deixou sua glória no céu, nos visitou, nos salvou de todos os nossos pecados, nos fez seus filhos, nos deu uma vida nova e eterna, e nos concedeu bênçãos espirituais do céu assim como riquezas neste mundo. O Senhor levou sobre si todas as nossas enfermidades carnais, nossas fraquezas e todos os nossos pecados. E ele fez tudo isso porque nos amou.
Amados irmãos, hoje é o primeiro dia da nossa campanha de avivamento. E eu vejo agora que há muita gente nova aqui. E esta é a hora de despertarmos realmente. Agora é a hora de todos nascerem de novo crendo no evangelho da água e do Espírito. É por isso que muitos em toda a Coreia e de todo o mundo estão vindo ouvir a Palavra do evangelho da água e do Espírito. Por Deus ter amado o homem, ele nos levou a fazer esta campanha de avivamento para pregarmos o evangelho em todo o mundo também. E ao ver isso, eu percebo o quanto Deus ama o homem.
O mundo inteiro está vivendo um momento de caos agora, uma era em que as doenças estão prevalecendo e a fome cada vez mais aumentando. E o pior é que o mundo está passando por uma crise econômica e por uma séria crise de energia. Não é só a Coreia, mas todos os países do mundo estão enfrentando outros sérios problemas. E parece que todo o planeta Terra está passando por um longo inverno depois do outono. No entanto, eu tenho certeza que Deus nos levou a fazer esta campanha de avivamento porque seu desejo é que muitas pessoas nasçam de novo através do evangelho da água e do Espírito até o dia da sua volta.
Dentre todas as bênçãos que o Senhor nos deu, a maior delas foi a purificação de pecados pelo evangelho da água e do Espírito. Quando fizermos outra campanha de avivamento mês que vem, seu tema será o mesmo que esta, e o cartaz que nós faremos será igual ao que estamos usando agora. Até nossos folhetos que distribuiremos serão impressos com o mesmo tema. Eu vou pregar e pregar a Palavra a todos desta cidade, a todos nesta nação, e a todos neste mundo com o tema: “A bênção de nascer de novo da água e do Espírito.” E ao fazer isso, muitos poderão receber a remissão de pecados através do evangelho da água e do Espírito de Jesus, se tornar justos e receber de Deus a vida eterna. Eu vou me empenhar em pregar o evangelho para que todos eles recebam muitas bênçãos do Senhor. Eu vou pregar o evangelho da água e do Espírito sem cessar até o dia em que o Senhor voltar.
Eu sou muito grato a Deus por nos permitir fazer esta campanha de avivamento para salvar muitas almas do pecado. Esta noite eu quero analisar a Palavra junto com vocês, ver o que Deus quer falar conosco nela e como podemos nascer de novo. Em outras palavras, eu quero aproveitar esse tempo para pensarmos juntos em quais são as condições essenciais e qual a Palavra que nos leva a nascer de novo. Eu quero pregar esta Palavra hoje à noite, amanhã à noite e depois de manhã à noite também. E quando vocês ouvirem muito este sermão, vocês poderão entender a verdade e confessar: “Foi isso que Jesus quis dizer quando disse que Nicodemos deveria nascer de novo da água e do Espírito.” Se sua alma nascer de novo depois de ouvir o evangelho da água e do Espírito, eu creio que, ao longo desta campanha de avivamento, vocês cumprirão o propósito para o qual vocês creram em Jesus ao longo de toda a sua vida de fé até agora. Eu sei que sua vida é muito ocupada, e por isso eu agradeço a vocês por ter vindo. E eu espero que vocês ouçam a Palavra de Deus e sejam muito abençoados.
 
 
Um Homem Chamado Zaqueu
 
Vemos um homem chamado Zaqueu no texto bíblico deste capítulo. E este homem era de pequena estatura. Ele era mais baixo do que as pessoas geralmente são. Zaqueu ouviu que Jesus estava passando pela sua cidade, então subiu num tijolo e ficou na ponta dos pés para vê-lo. Mas como não conseguiu, subiu numa figueira brava. E como o galho da figueira não quebrou, eu acho que ele não pesava muito. Ao que parece, ele era um homem muito pequeno. De todo modo, este homem chamado Zaqueu é o personagem principal do sermão de hoje.
Jesus entrou na cidade de Jericó, onde Zaqueu morava. Esta cidade de Jericó é a mesma que tinha os muros quando o povo de Israel entrou na terra de Canaã. Os muros da cidade eram duplos e, portanto, muito grandes e fortes, tanto que até um caminhão de oito toneladas podia passar por eles. Ao atacar Jericó, Josué, o povo de Israel e os sacerdotes marcharam ao redor da cidade por seis dias. No sétimo dia eles marcharam sete vezes ao redor dos muros, e tocaram as trombetas, tanto o muro interior como o exterior caíram por terra. Se vocês lerem a Bíblia, vocês verão Deus contando isso.
A Palavra ‘Jericó’ significa ‘aroma’. Aroma, por sua vez, se refere ao mundo. E o mundo é um lugar onde há muitos aromas. Este mundo é mesmo um lugar maravilhoso. E um lugar muito abençoado também. E se as pessoas deste mundo não tivessem poluído-o tanto com seu lixo, ele seria um lugar de muitos aromas. O texto bíblico deste capítulo nos diz que Jesus entrou em Jericó. Também nos diz que o Senhor veio do céu a essa terra para salvar a nós que estávamos perdidos.
Havia um homem chamado Zaqueu que vivia na cidade de Jericó. Ele era chefe de publicanos e muito rico. E ele queria ver que tipo de homem era Jesus. Mas como ele era de baixa estatura, ele teve que subir numa figueira brava para ver Jesus. Ao ouvir que Jesus estava passando pela cidade, uma grande multidão se reuniu nas ruas. Por causa disso, Zaqueu, que era de baixa estatura, não teve outra escolha senão subir numa figueira brava para ver Jesus. No fim então, ele conseguiu ter um encontro com Jesus. Por que Jesus veio a este mundo? Ele veio para salvar os perdidos, como Zaqueu, e salvar sua alma. Jesus veio em busca dos perdidos, e embora ter baixa estatura pudesse ser um problema, Zaqueu subiu numa figueira brava para vê-lo porque gostava muito dele e queria muito ter um encontro com ele.
 
 
Este Homem Chamado Zaqueu Era uma Alma Perdida para Deus
 
Para Deus, todos nós éramos almas perdidas. Há muito tempo, nossos antepassados viviam num lugar especial, que era o Jardim do Éden que Deus construiu. Mas a serpente, ou seja, Satanás tentou Eva e ela fez com que Adão comesse o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Eles então foram expulsos do Jardim do Éden por terem caído na tentação de Satanás. Vemos aqui que o homem foi criado como cidadão do reino de Deus, mas foi expulso deste reino. Todo ser humano se distanciou de Deus. E foi justamente por isso que Jesus veio a essa terra.
E Zaqueu era uma destas pessoas. Ele subiu numa figueira brava e esperou Jesus passar. Podemos ver aqui que Zaqueu tinha um bom coração, pois queria saber quem era Jesus e ter um encontro com ele. Não foi só porque Zaqueu era menor que os outros que ele subiu na figueira brava, mas porque ele queria ver Jesus muito mais do que os outros. E podemos ver aqui como Deus queria encontrá-lo também. A maioria das pessoas diz que crê em Jesus, mas sempre o adoram de uma maneira muito comum. Mas ao invés de ser religiosos como elas, eu vejo que vocês desejam muito ter um encontro com o Senhor, ou seja, que todos vocês vieram à igreja com o coração aberto desejando encontrar o Senhor, receber a bênção de nascer de novo da água e do Espírito, ser justos, receber a remissão de pecados, o Espírito Santo de Deus, e encontrá-lo independente de quando ele voltar.
Zaqueu era mesmo uma alma perdida que desejava desesperadamente encontrar a Deus, ter um encontro com Jesus. Temos que entender que precisamos ter um coração assim para encontrarmos Jesus Cristo. Vocês devem buscar de todo o coração ter um encontro com Jesus frequentando sempre a igreja. Nosso Senhor disse a Nicodemos: “Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus” (João 3:5). Sendo assim, vocês só poderão buscar realmente a justiça de Deus quando tiverem um coração assim e este desejo. Para Deus, todos nós estamos perdidos. Mas entre os perdidos, somente os que desejam encontrar a justiça de Deus é que poderão ter um encontro com o Senhor da justiça.
Quando Zaqueu estava vendo Jesus, o Senhor olhou para ele debaixo da figueira brava e disse: “Zaqueu, desce depressa, porque, hoje, me convém pousar em tua casa” (Lucas 19:5). Ele então desceu na mesma hora e o recebeu com alegria. Foi assim que Jesus entrou na casa de Zaqueu e ficou ali com ele algum tempo. E ele disse a Jesus: “Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado” (Lucas 19:8).
Zaqueu era um homem pecador, mas convidou Jesus para sua casa. E ele fez isso porque sabia que Jesus era o Filho de Deus e o Salvador, que ele era o próprio Deus e não um homem comum. Então ele disse: “Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens.” Estas palavras, de certa forma, querem dizer: “Eu sou pecador. Eu sou um poço de pecados. Eu tirei muito do povo fazendo falsas acusações contra eles. E pagava pouco para quem ocupava altos cargos e ficava com muito para mim. Eu não sou um ladrão comum, mas um ladrão oficial.” Foi isso o que ele quis dizer realmente. Ele disse que daria metade dos seus bens aos pobres e quatro vezes mais àqueles que havia lesado com falsas acusações. Em suma, Zaqueu se tornou um completo mendigo depois que aceitou o Senhor como seu Salvador. Mas nosso Senhor disse a ele: “Hoje, veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão. Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido” (Lucas 19:9-10).
Zaqueu queria encontrar Jesus. Além disso, ele disse que daria metade de seus bens aos pobres e restauraria quatro vezes mais a quem havia defraudado com falsas acusações. Os únicos que podem nascer de novo da água e do Espírito perante o Senhor são aqueles que admitem que são pecadores. Pessoas aceitam Jesus como seu Salvador de modo correto e o deixam entrar em seu coração. Nosso Deus concede a estas pessoas a bênção de nascer de novo da água e do Espírito. Temos que entender que se crermos no evangelho da água e do Espírito, Deus nos dará todas as coisas celestiais, assim como muitas bênçãos nessa terra, muito mais do que temos hoje.
Ninguém que crê na justiça de Deus é pobre, até mesmo humanamente falando. Tanto Abraão como Isaque e Jacó eram ricos. Qual deve ser nosso alvo então? Nosso alvo deve ser a pregação do evangelho da água e do Espírito. A vontade de Deus para nós nunca foi que crêssemos na sua justiça mas fôssemos pobres. Se olharmos para nossa igreja, não existe ninguém aqui que ficou pobre por ter fé em Jesus. Até mesmo humanamente falando, nenhum dos nossos irmãos é pobre; ao contrário, eles são ricos. Deus com certeza nos dá bênçãos espirituais, assim como bênçãos materiais também. Qual deve ser o nosso alvo então? Como Zaqueu, nosso alvo deve estar nas coisas espirituais; e devemos ter um coração como o dele também.
Vamos ler agora Lucas 18:9-14, que vem antes do texto bíblico deste capítulo. “E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros: Dois homens subiram ao templo, a orar; um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou, porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana e dou os dízimos de tudo quanto possuo. O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.”
Quem o Senhor justificou mais, o fariseu ou o publicano? O Senhor disse que teria misericórdia do publicano, pois ele confessou que era pecador, ao contrário do fariseu que estava cheio da sua própria justiça. É isso o que o Senhor quer que entendamos. Foi por isso que ele disse: “Não necessitam de médico os que estão sãos, mas sim os que estão enfermos. Eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores, ao arrependimento” (Lucas 5:31-32).
Jesus entrou e passou por Jericó. E ele ficou na casa de um certo homem ali. E está escrito que ele abençoou este homem dizendo: “Você é filho de Abraão.” Isso quer dizer que entre toda a multidão que estava ali, Zaqueu foi o único que recebeu a bênção de nascer de novo da água e do Espírito. Todos os outros moradores de Jericó foram apenas expectadores. Eles eram expectadores, como as damas da noiva cuja função era apenas iluminá-la, pois ela é a figura principal do casamento. Era tradição dos judeus usar vestes enroladas ao seu corpo. Algumas pessoas provavelmente devem ter ido ver Jesus bem vestidas, usando lindas vestes ou até mesmo com suas melhores roupas. Mas Zaqueu foi o único entre todas elas que conseguiu encontrar Jesus.
Então temos que entender como Zaqueu conseguiu ter um encontro com Jesus e receber a bênção de encontrá-lo. E é justamente aí que deve estar o foco da nossa fé. Nós temos que entender corretamente como alguém pode nascer de novo da água e do Espírito. Nascer de novo da água e do Espírito significa se tornar justo crendo no que Jesus fez para nos dar a salvação. É isso. É um absurdo pensar que é possível nascer de novo crendo em Jesus de qualquer jeito. Quando alguém crê no evangelho da água e do Espírito, é certo ele nascer de novo e se tornar um justo que não tem pecado. O que eu estou dizendo é que nosso foco tem que estar justamente nisso.
Como podemos crer que é possível nascermos de novo e deixar de ser pecadores? Que tipo de pessoa pode nascer de novo? Que tipo de pessoa o Senhor quer conhecer? Na casa de que tipo de pessoa ele quer ficar? A que tipo de pessoa ele diz: “Você é filho de Abraão”? Alguém como Zaqueu ou como os expectadores? Nós temos que saber se somos como os expectadores ou como Zaqueu. E temos que saber também se queremos ser como Zaqueu ou como os expectadores. Ao invés de dizer que não quer ser como Zaqueu por ele ter pouca estatura, embora seja rico, você precisa ter o desejo de ter um coração espiritual como o dele. Só assim o Senhor trará a você a justiça de Deus. Você não deve levar uma vida de fé como os expectadores.
Alguns cristãos podem até dizer: “A adoração deve durar no máximo uma hora. E se tudo correr bem nesta hora, vai ser muito bom. Tudo que temos a fazer é clamar: ‘Oh, bendito Espírito Santo’, bater palmas e ir para casa. Só isso!.” Amados irmãos, é errado ter um coração assim. Temos que rejeitar um coração como este. Devemos nos desfazer do coração de um expectador e ter um coração como o de Zaqueu.
Que tipo de coração tinha Zaqueu? Antes de tudo, ele sabia que era pecador. E quando Jesus entrou em sua casa, ele disse: “Eu darei metade dos meus bens aos pobres.” Em outras palavras, algo tocou seu coração. Por essa razão que ele disse isso assim que o Senhor santo entrou em sua casa. Foi por isso que ele se tornou um completo mendigo? Não, de modo algum.
 
 
Há Todo Tipo de Gente Entre os Cristãos
 
O primeiro deles são os beatos. Os beatos são aqueles que acham que as pessoas que creem em Jesus devem levar uma vida pobre e ascética. Eles acham que ser rico é pecado e que é preciso levar uma vida de pobreza para seguir Jesus. Pessoas assim têm muito medo de ficar ricas depois que se convertem, como se isso fosse um grande pecado. E ao longo de toda a sua vida, elas jamais serão ricas. Pessoas assim jejuam a cada três dias, e embora digam que compartilham seu alimento com os outros, elas sempre falam mal deles. Elas dizem a si mesmas: “Como alguém assim pode crer em Jesus? Um verdadeiro crente, como eu, tem que dividir o que possui e não comer tanto a fim de parecer magro para mostrar sua devoção e ter uma voz rouca para mostrar que ora bastante. Não é assim hoje em dia, mas pastores que tinham uma boa aparência e seu rosto corado não eram bem vistos algum tempo atrás. Uma geração atrás, pastores que eram muito magros e cujo rosto era fino eram muito populares.
Até na Coreia um novo conceito começou a predominar: “Você terá energia e alimento se crer em Jesus.” Foi quando o movimento pentecostal começou a surgir aqui. Depois que isso aconteceu, os cristãos começaram a gostar de quem era robusto e esbelto. Há outro tipo de cristãos – os conservadores que são cheios da sua própria justiça. Eles são a versão moderna dos fariseus, que deliberadamente desrespeitavam e desprezavam os outros.
Podemos ver estes dois tipos de mentalidade no texto bíblico que lemos há pouco, em Lucas 18:9-14. O publicano de coração quebrantado e o fariseu de coração soberbo. O fariseu estava em pé e orava dizendo para si mesmo: “Ó Deus, graças te dou, porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana e dou os dízimos de tudo quanto possuo” (Lucas 18:9-12). Ele disse que jejuava duas vezes por semana a Deus. Você consegue jejuar? Ficamos fracos quando deixamos de comer. Só aqueles que ficam em casa repousando para não gastar energia e pregam algumas vezes por semana é que podem fazer isso. Pessoas como nós morreriam de inanição se jejuassem duas vezes por semana. De certa forma, aquele fariseu era um grande homem. Ele disse: “Eu jejuo duas vezes por semana. Eu não adultero e não sou como este publicano.” Apontando para o homem ao seu lado e com a cabeça em pé, ele disse: “Eu não sou como este homem mau que comete furto, homicídio e adultério.”
Mas o publicano não era assim. E ele de fato deve ter cometido muitos pecados, não é verdade? Ele era um homem cujos pecados foram revelados. Nosso Senhor disse que “onde o pecado abundou, superabundou a graça” (Romanos 5:20). E ele também disse: “Eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores, ao arrependimento” (Lucas 5:32). Portanto, só os que reconhecem como são grandes e muitos os seus pecados é que podem ter um encontro com o Senhor. Eu também quero que vocês entendam agora como são muitos os seus pecados. O que vocês fizeram até agora não é importante. O que eu estou dizendo é que se vocês querem mesmo receber a bênção de nascer de novo da água e do Espírito, vocês têm que admitir primeiro como são muitos os seus pecados.
O publicano não podia levantar a cabeça direito e olhar para o céu. Ele orava balançando sua cabeça para baixo. E ele orava assim porque não ousava levantar seu rosto de tanta vergonha. Ele dizia, batendo no peito: “Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!” (Lucas 18:13). Ele não confessou seus pecados em detalhes, ao contrário, reconheceu que era pecador.
Nosso Senhor nos mostrou como devemos agir usando o exemplo destes dois homens. Ele disse: “Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado” (Lucas 18:14). Na verdade, temos que entender que o Senhor olha no fundo do coração de alguém para ver se tem pecados dentro dele. Ao olhar para alguém, as pessoas geralmente atentam para a sua aparência, mas o Senhor olha para o fundo do coração. Muitos pensam que é preciso cometer o ‘ato’ de adultério para ser acusado de adultério, mas Deus disse que todo aquele que olhar para uma mulher com desejo já adulterou em seu coração. Deus olha para o fundo do coração da pessoa, e então diz que tipo de pessoa ela é.
Por essa razão, temos que pensar pelo menos se somos como Zaqueu. O publicano Zaqueu disse: “Eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens.” E isso mostra que ele venderia metade dos seus bens para dar aos pobres, pois se arrependeu em seu coração e queria que o Senhor visse que sua vida não era mais como antes. Ele confessou para Deus: “Eu sou um poço de pecados. Eu sou um homem condenado ao inferno. É por isso que eu preciso de ti. Tu vieste ao meu encontro e entraste em minha casa. Por isso que eu estou me confessando. Eu sou um homem condenado ao inferno.”
Você e eu cremos em Jesus. Mas será que se ele olhar para o nosso coração, ou seja, se ele olhar para a nossa vida ele verá expectadores ou protagonistas brilhantes que são justos? Será que aos olhos de Deus somos um poço de pecados, pessoas condenadas ao inferno ou aqueles que receberam a remissão de pecados? Se você ainda não nasceu de novo da água e do Espírito e Deus olhar para você, esteja certo que ele te vê como um pecador. Supondo que não tivéssemos nascido da água e do Espírito, se Deus olhasse para o fundo do nosso coração, para a nossa alma, para os nossos pensamentos, para os nossos atos, e para a nossa vida, ele nos veria como pecadores. Não haveria palavras que pudessem descrever o tipo de gente que seríamos. Mas os que reconhecerem de coração que são pecadores e confessarem isso a Deus poderão receber a bênção de nascer de novo da água e do Espírito e ter um encontro com o Senhor.
Você já se sentiu assim: “Parece que eu também tenho fé em Jesus quando estou com os crentes. Mas quando não estou com ninguém, parece que meu coração está vazio, que Jesus não existe, que sua Palavra não existe também, e eu percebo então que não tenho mais fé na Palavra.” Você às vezes se sente assim? Quando você bate palmas e canta: “♪Vem, doce Espírito, vem. ♫Veja, levantamos nossas mãos a ti♪”, você sente como se tivesse mesmo fé em Jesus. Mas quando você olha para a chuva caindo lá e para dentro do seu coração, quando você faz perguntas tipo: “Eu tenho fé no meu coração realmente? O que parece mesmo é que eu não tenho; eu tenho mesmo a Palavra de Deus em meu coração? Em que Palavra eu creio? Em que Palavra eu me apego? Que Palavra que está em minha mente?” Você sente seu coração confuso, vazio, turbado, e sua mente não entende a Palavra de Deus. Isso está acontecendo com você?
Se você olhar para si mesmo e perceber que é um poço com todo o tipo de pecado, a primeira coisa a fazer é pedir a Deus para purificá-los. Você tem que sentir vergonha perante Deus e as pessoas. Você se escondeu tanto para que as pessoas não vissem seus pecados. Você tinha medo de encontrar alguém quando ia para outros lugares. Você ia a muitos lugares, porém pecava muito lá também. É por isso que você tinha vergonha das pessoas lá também. Você tem que entender sua verdadeira natureza. A primeira coisa que temos que fazer é reconhecer que tipo de pessoa somos e a nossa natureza, para que depois possamos pedir ao Senhor para nos dar a bênção de nascer de novo da água e do evangelho.
 
 
Espiritualmente, Que Tipo de Pessoas Somos para Deus?
 
Vamos ver agora que tipo de pessoas somos no evangelho de Marcos capítulo 7. Vamos ler os versículos 20 a 23 no evangelho de Marcos capítulo 7. “E dizia: O que sai do homem, isso é que contamina o homem. Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem.” Nosso Senhor disse que o que vem de dentro do homem é o que o contamina. E ele também disse em detalhes tudo que vem do coração do homem.
Vamos ver então quais são os pecados que vem do coração de cada ser humano. O primeiro pecado que vem do coração do homem são os maus pensamentos. Quando nossos pensamentos são maus, nossos atos também são. Sempre perguntam quem veio primeiro, o ovo ou a galinha, mas já que a Palavra de Deus diz que todo animal foi criado conforme a sua espécie, Deus certamente criou a galinha primeiro.
O que vem primeiro no homem então, o ato ou o coração? Claro que o coração vem primeiro. Se o coração do homem for mau, sujo e impuro, seus atos com certeza também serão maus, sujos e impuros. Mas embora todos sejam maus, eles tentam não pecar. E embora todos pequem, eles se esforçam de todas as formas para ter um bom coração. Os pecados destes não são tantos como os dos outros, mas eles tendem a escondê-los. No entanto, os que pecam abertamente são pecadores profissionais.
Jesus nos disse que a primeira coisa que sai do homem são os maus pensamentos. Somos seres humanos. E nós dizemos que as pessoas muito violentas são ‘piores que os animais’. Até os animais selvagens amam seus filhotes, mas há pessoas que são inferiores a estes animais. Os animais, por outro lado, devoram tudo que têm para comer, mas o homem não é assim. As crianças dividem o que têm quando seus pais pedem para eles fazerem isso. Não é bem assim quando nós enfrentamos alguma situação difícil, mas o homem é nitidamente diferente dos animais.
Os maus pensamentos que há no coração do homem são pecado também. Ou seja, fornicar significa que seu coração é assim. Mas a pessoa nem sempre comete isso na prática. Se alguém pensou em adulterar em seu coração, para Deus isso significa que ele já cometeu adultério. Foi isso o que disse o Senhor: “Eu porém, vos digo que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar já em seu coração cometeu adultério com ela” (Mateus 5:28). Além disso, todos sentem o desejo de roubar e matar. E o desejo da cobiça também está em nós, além do desejo da maldade, do engano, da dissolução, da inveja, da blasfêmia, da soberba e da loucura. O homem sente tudo isso. Você entendeu agora?
Nosso coração está cheio ou não destes pecados? Sim, está. Eles estão no coração de todos que vivem neste mundo ou não? Sim, estão. Jesus disse que estes pecados estão no coração de todo ser humano. Todos nós temos um coração assim, pois nascemos com estes doze tipos de pecado em nosso coração. E já que nascemos com um coração assim, nós pecamos o tempo todo. Nós pecamos hoje e pecaremos amanhã. Pecamos sempre assim. Pecamos dia após dia, mês após mês. Todos nós somos assim.
O problema de todo mundo é que eles pecam sem saber que estão pecando. E é este justamente o problema. Em outras palavras, o problema é que eles não sabem que são grandes pecadores. O próprio fato de eles não se considerarem pecadores, embora suas obras sejam más, é a prova de que eles são cegos espirituais e não nasceram de novo. Portanto, por mais que não coloquemos em prática os pecados que há em nosso coração, temos que conhecê-los e saber quem de fato somos. Sócrates disse: “Conhece a ti mesmo.” E nosso Senhor disse o mesmo aos fariseus.
Em Lucas 10, nosso Senhor conta a parábola do bom samaritano para um doutor da lei. Mas antes de contar esta parábola, o fariseu lhe perguntou: “Mestre, o que devo fazer para ganhar a vida eterna?” E Jesus lhe respondeu assim: “Que está escrito na lei? Como lês?” No que o fariseus respondeu: “Amarás ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento e ao teu próximo como a ti mesmo.”
Jesus disse então: “Você respondeu bem, mas você faz isso?”
“Sim, eu amo meu próximo como a mim mesmo e Deus acima de todas as coisas.”
“É assim que você vive?”
“Sim, eu vivo assim mesmo.”
“Mas será que você consegue cumprir tudo isso”
“Sim, eu consigo. É só tu me dizeres quem é o meu próximo que eu irei amá-lo como a mim mesmo.” E no fim desta conversa, o Senhor percebeu que o fariseu era ridículo. Ele então contou uma parábola para que ele conhecesse a si mesmo.
 
 
Também Havia Estes Doze Tipos de Pecado no Coração do Fariseu
 
Os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura – havia todos estes pecados no coração do fariseu. No entanto, por não entender sua verdadeira natureza, este fariseu achava que vivia segundo a vontade de Deus, embora seu coração estivesse cheio de desejos pecaminosos. Ele perguntou com toda ênfase: “O que faço para ganhar a vida eterna?”
Jesus então lhe contou esta parábola: “Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos salteadores” (Lucas 10:30). Eu já disse a vocês que a palavra ‘Jericó’ quer dizer ‘aroma’, ou seja, ‘o mundo’. E como Jerusalém é uma cidade religiosa, naquele lugar habitava todo tipo de religioso. A parábola diz assim: “Um homem desceu de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos dos salteadores, que o despojaram e espancaram, indo embora depois e deixando-o meio morto. E veio pelo mesmo caminho um sacerdote, mas vendo-o, passou de largo. Também veio um levita, mas ao chegar àquele lugar e ver o homem, também passou de largo. Mas um samaritano que ia de viagem chegou perto dele e, vendo-o, moveu-se de íntima compaixão. E aproximando-se dele, cuidou das suas feridas, colocando azeite e vinho, o pôs sobre o seu cavalo, levou-o para uma estalagem e cuidou dele. Ao partir no outro dia, tirou dois dinheiros, deu-os ao hospedeiro e disse: cuida dele, e eu te pagarei tudo que você gastar quando voltar.”
Então Jesus perguntou ao fariseu: “Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos salteadores, os quais o despojaram e, espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto?” “O samaritano.” Jesus disse então: “Faça o mesmo, pois você ganhará a vida eterna se fizer isso.” Com quem Jesus comparou o fariseu que lhe fez a pergunta? Com os hipócritas como o sacerdote e o levita. “Você respondeu muito bem, mas quando está numa posição mais alta que os outros, você diz a elas para fazer isso e aquilo, mas não move um dedo para ajudar. Você oprime as pessoas, mas procura demonstrar com suas palavras que é um mestre piedoso. Só que se você encontrar alguém que está morrendo, você vai embora sem ajudá-lo.” Embora Jesus não tenha dito isso, ele certamente deve ter pensado.
Os levitas eram considerados homens fiéis a Deus. Mas um deles não ajudou alguém que estava morrendo. Jesus então percebeu que o mestre da lei era hipócrita em seu caráter e lhe disse: “Você é este homem.”
Nós podemos fazer o que é bom perante Deus? Será que podemos viver segundo a sua Palavra na sua presença? Não, não podemos. Há pastores e diáconos em todas as igrejas deste mundo, e achamos que eles são pessoas de retidão e caráter. Mas para Deus todos têm em seu coração os doze tipos de pecado.
O que vemos na Palavra aqui então? Jesus repreende os fariseus soberbos por causa da sua hipocrisia. Ele os repreende assim: “Seus hipócritas, sepulcros caiados!” Os judeus sempre enterravam seus mortos no chão e os cobriam com terra. Mas com o tempo vinha a chuva e a espalhava, deixando-o à mostra. Por que os sepulcros eram assim? Até grama não crescia em cima dos túmulos. E mesmo que tivessem boa aparência, por dentro havia corpos apodrecendo. Em outras palavras, Jesus está dizendo que embora os atos dos mestres da lei parecessem justos, seu coração estava cheio de hipocrisia, imundície e coisas abomináveis. E ele diz para essa gente: “Vocês pecam escondido, enganam a Deus, a si mesmos, as pessoas e até os irmãos na igreja.”
Cerca de uma década atrás, um famoso sacerdote budista chamado Sungcheol Lee faleceu. Os budistas da Coreia assim como no mundo todo veneram os monges como se eles fossem Buda vivo. O monge Sungcheol Lee praticou a meditação espiritual dez anos virado para parede. Dentro de uma cabana, ele recebia alimento através de uma pequena janela, comia e devolvia os pratos vazios. Ele fazia suas necessidades num penico e o devolvia por uma pequena abertura quando acabava. Ele meditou dez anos assim, praticando este exercício espiritual virado para a parede e dormindo sentado. Por isso que as pessoas o chamavam de Buda vivo.
Um grande número de pessoas admirava e respeitava o monge Sungcheol Lee. Alguns budistas disseram: “O grande monge Sungcheol Lee era Buda vivo. E é bem provável que ele tenha sido maior até do que o próprio Buda.” Mas ele compôs um poema antes de falecer. E ele escreveu em seu poema: “Eu enganei tantas pessoas ao longo da minha vida; meus pecados chegaram à altura do monte Sumi. Uma lenda diz que o monte Sumi é a montanha mais alta que existe. Foi isso o que ele quis dizer com este poema: “As pessoas me diziam que, fora minhas fezes, eu era o Buda vivo. Mas embora elas me venerem tanto, eu perdi a conta de quantos pensamentos impuros eu tive em meu coração quando olhava para uma mulher.”
Na opinião de outras pessoas, a imagem deste monge era algo sublime. Mas até no coração deste homem havia desejos carnais incontroláveis, que o levava em pensamentos às montanhas e vales para tentar controlá-lo. Foi por isso que ele disse que enganou muitas pessoas. Ele também disse em seu último poema: “Eu vou caiu no abismo sem fim do inferno, e meu lamento vai ser infinitamente maior do que agora.” Isso nos mostra como ele estava preocupado de ficar eternamente no inferno.”
Ele conseguiu conhecer a si mesmo desta forma porque meditou muito. Mas a diferença entre o monge Sungcheol Lee e os outros é que ele sabia muito bem que tinha pecados em seu coração e que iria para o inferno quando morresse. Havia iniquidade no seu coração, esta é a verdade.
Deus é o Criador que nos fez. “No princípio criou Deus os céus e a terra. E disse Deus: ‘Haja luz, e houve luz’.” Você sabe quem é este Deus? Jesus Cristo, que veio a essa terra encarnado como homem para nos salvar, é este Deus. Foi Jesus quem criou o universo e tudo que nele há, e ele é o Deus que nos criou também. É por isso que a Bíblia diz que “o verbo se tornou carne e habitou entre nós, e o mundo foi feito por ele. Mas ao vir a essa terra, os seus não o receberam. Porém a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de ser filhos, aos que creem no seu nome.”
Deus nos criou e nos colocou no Jardim do Éden, mas fomos expulsos dele no fim porque Satanás nos enganou e nos levou a pecar. É por isso que, para Deus, todos nós estávamos perdidos. O homem originalmente foi criado à imagem de Deus e era seu filho. Mas no fim acabamos nos perdendo dele. E foi por isso que ele veio a essa terra num corpo carnal, para nos resgatar.
Jesus veio para nos levar de volta ao seu reino, mas ainda há muitos que não sabem que estão perdidos e são pecadores. Por essa razão Deus veio a essa terra e disse: “O que sai do homem, isso é que contamina o homem. Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem” (Marcos 7:20-23). Vocês creem nesta Palavra? Vocês acreditam que somos iguais a estas pessoas? Na verdade, somos pecadores como elas, embora outros tenham nos dito que somos bons e levamos uma vida de retidão, como bambu que sempre está em pé. Nosso coração está cheio de maldade e pecado, e é por isso que pecaremos para o resto de nossa vida com nossos atos e pensamentos. Mas aqueles que reconhecem e confessam isso são como Zaqueu. E o Senhor encontrará pessoas assim. O que eu estou dizendo é que temos que entender isso e aceitar.
“Eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado” (Lucas 19:8). Isso nos mostra como Zaqueu estava determinado a fazer o que disse. “Eu sou um homem condenado ao inferno. Eu sou um grande poço de pecados. Como então tu queres entrar em minha casa? Eu sou poço de pecados e simplesmente não posso convidá-lo.” Mas é isso o que o Senhor diz a pecadores que se confessam assim: “Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes. Eu vim não para chamar os justos, mas os pecadores ao arrependimento. Eu vim para chamar os pecadores e purificá-los, fazendo-os nascer de novo crendo no evangelho da água e do Espírito. E eu farei isso para que eles vivam como filhos de Deus. Eu vou abençoá-los tornando-os filhos de Deus e justos perante ele.” É por isso que temos que crer nesta Palavra.
Além disso, temos que reconhecer nossa verdadeira natureza perante Deus. Não importa se nos convertemos há um ano, cinco anos, vinte anos ou até mesmo cem anos, se você reconhecer que vai pecar até morrer e que alguém tem que pagar o salário por este pecado e ir para o inferno, o Senhor com certeza terá um encontro contigo.
 
 
“O Salário do Pecado é a Morte, Mas o Dom Gratuito de Deus é a Vida Eterna, por Cristo Jesus, Nosso Senhor”
 
O Senhor disse que o salário do pecado é a morte. Isso quer dizer que se alguém tem pecado, ele tem que ir para o inferno. Há doze tipos de pecado no coração homem, e se nós revelássemos os frutos destes pecados, eles cresceriam como os frutos de uma árvore que crescem na estação certa. Este é o mesmo princípio dos ramos que brotam na primavera, dão seu fruto no verão e são colhidos no outono. Nosso Senhor falou sobre isso comparando o homem a uma árvore, dizendo que “toda árvore boa produz bons frutos, e toda árvore má produz frutos maus” (Mateus 7:17).
Já que somos comparados com árvores, temos que ver se somos árvores boas ou ruins. Precisamos ter certeza disso antes de prosseguir. Amados irmãos, somos árvores boas ou ruins? Ser uma árvore ruim quando se é jovem não tem problema, embora isso certamente será um problema mais tarde. E será um problema porque os pecados do coração do homem, que é um poço de pecados, começarão a vir à tona; pecados como o desejo de matar, de adulterar, de enganar, de satisfazer os desejos, de blasfemar e se engrandecer. Estes desejos maus dão frutos ruins como os atos malignos e errados: o engano, a mentira, ludibriar e ferir as pessoas, conflitos, orgulho, loucura.
Eu ontem vi uma mulher indo ao supermercado, e quando seu filho começou a chorar e não quis ir com ela, ela amaldiçoou a criança dizendo: “Seu idiota! Fique sentado aí até morrer então!” Eu a ouvi dizendo para seu filho não chorar, mas batia nele e dizia: “Morra.” Como há maldade no coração do homem, o rosto sereno da mulher mudou e suas feições ficaram como que a de uma bruxa, enquanto ela amaldiçoava seu filho. Vocês acham que os homens são assim também? Nós vemos vizinhos discutindo uns com os outros e perdendo a calma por causa de coisas banais. Quando o ego de alguém é ferido ou ele sente que as coisas não estão do seu jeito, quando bebe ou está enfrentando alguma dificuldade, ele esbraveja: “Pode vir quem quiser. Eu vou matar quem vier primeiro!” Ele vai até bater na sua esposa e dizer: “Quem mandou você se meter?” Isso até a polícia chegar. Os atos dos homens são fruto da maldade e estultícia do seu coração.
Amados irmãos, é por isso que todos nós somos um poço de pecados; todos nós somos iguais. Os que nasceram de novo da água e do Espírito são aqueles que receberam a remissão de pecados. E aqueles que não nasceram de novo, por sua vez, são os que ainda não receberam a remissão de pecados. A Bíblia diz que não havia muitos fariseus e pessoas que criam em Deus, não é? A maioria não passava de expectadores por que tinham nascido da água e do Espírito. Só uma pequena parte deles recebeu a remissão de pecados. Vocês precisam entender que aqueles que ainda não nasceram de novo da água e do Espírito não passam de expectadores. E o fato de vocês concordarem com isso é muito importante.
Se você quiser ser justo perante Deus, você primeiro tem que receber a remissão de pecados ao invés de tentar resolver tudo do seu jeito. Está escrito que Deus olha para o fundo do coração primeiro. Então, a primeira coisa em nós que deve ser remida é o nosso coração. Nosso Senhor disse: “Fariseu cego! Limpa primeiro o interior do copo e do prato, para que também o exterior fique limpo” (Mateus 23:26). O que ele está dizendo é que devemos receber a remissão de pecados primeiro. Ele está dizendo que temos que nascer da água e do Espírito, pois ele fará com que isso aconteça conosco. Só que para recebermos esta bênção, temos que reconhecer que somos grandes pecadores. Somente quando entendermos quem somos é que poderemos subir numa figueira brava e esperar a vinda do Senhor. O que eu estou dizendo é que temos que ser guiados pelos nossos pais na fé para termos um encontro com Jesus do modo correto. E enquanto os expectadores quiserem apenas ver Jesus, nós o encontraremos face a face tendo a certeza de que iríamos para o inferno se não tivéssemos encontrado-o. Vê-lo é algo muito diferente de encontrá-lo. Temos que encontrar Jesus para termos paz. Se não o encontrarmos, nosso coração sofrerá e não poderemos viver em paz.
“Eu tenho que encontrar Jesus para resolver o problema do pecado. Tenho que receber a bênção de nascer de novo pela água e pelo Espírito de Jesus. Eu vou para o inferno se não receber isso. Eu creio em Jesus, mas já que há pecado em meu coração, eu vou para o inferno. Apesar de ter fé em Jesus, eu sei que vou para o inferno. Eu tenho certeza que iria para o inferno se Jesus voltasse agora.” Àqueles que têm um coração como este, o Senhor dará a bênção de nascer de novo da água e do Espírito.
Mas para recebermos a bênção de nascer de novo da água e do Espírito, temos que aceitar que somos iguais a quem clama assim: “Querido Senhor, são estes os maus pensamentos que há em meu coração. São estes os pecados que eu tenho cometido e cometerei no futuro também. Eu sou um grande pecador que comete todo tipo de atos impuros quando estou nervoso, apesar de não querer cometê-los.” Amados irmãos, se vocês quiserem nascer de novo da água e do Espírito, vocês têm que se entregar a Deus. Vocês têm que reconhecer que são pecadores e estão condenados ao inferno. E vocês têm que desejar nascer da água e do Espírito. E com este coração ouvir a Palavra.
Eu vou resumir meu sermão agora e concluí-lo. O que eu estou dizendo é que o solo do seu coração precisa estar preparado para receber a remissão de pecados. Um agricultor jamais desperdiça suas sementes plantando no inverno. Se ele quiser ter uma boa safra, ele tem que preparar o solo primeiro. Ele tem que tirar todas as pedras que há nele e deixá-lo plano. Aí então ele o limpará, furará, lançará a semente e a cobrirá. Quando ele fizer isso, os raios de sol e a chuva virão sobre as sementes e elas brotarão e darão alface, repolhos, rabanetes e tomates. Suas ideias fixas têm que ser deixadas também. Vocês não devem ficar pensando se são realmente pecadores ou não. Ao contrário, vocês devem reconhecer perante Deus que são grandes pecadores e clamar a ele que os salve.
Talvez haja pessoas que digam assim: “Senhor Deus, até hoje eu vivo direito, mas eu não sei quem sou realmente. E eu acho que devo continuar assim.” Se você é assim, pense bem. “Será que eu tenho vivido direito perante Deus? Será que eu posso ter certeza de que levarei uma vida de retidão no futuro? Será que vou poder entrar no reino dos céus se não nascer de novo da água e do Espírito?” Jesus disse: “Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus” (João 3:5). Ele disse que temos que nascer de novo da água e do Espírito para entrarmos no reino dos céus e vermos o Pai. Temos que nascer da água e do Espírito então. Mas temos que preparar o solo do nosso coração antes disso.
Só pode haver pecado no coração daqueles que ainda não nasceram de novo da água e do Espírito. Então, prepare o seu coração primeiro. Há pecados escondidos em seu coração? Seu coração está repleto de pecados? Reconhecer isso é o caminho para ter um coração como o de Zaqueu.
Zaqueu disse: “Eu darei metade dos meus bens aos pobres.” E isso quer dizer: “Tudo o que eu tenho não é mais meu agora.” Jamais devemos esquecer que os que reconhecem e confessam com toda a sinceridade que são grandes pecadores é que recebem a bênção de nascer de novo da água e do Espírito perante Deus.
Só porque alguém tem boa aparência isso significa que ele é um cavalheiro? É preciso não ter pecado no coração para ser um cavalheiro. Se há pecado no coração de alguém, ele não é nem um ser humano. Alguém que tem o coração cheio de pecados como o desejo de praticar a maldade, furto e adultério é um ser humano? Alguém assim não é nem um animal. Na verdade, ele é inferior a um animal. Ele é um pecador condenado ao inferno.
Nós iríamos para o céu ou para o inferno se morrêssemos esta noite? Se vocês não nascerem da água e do Espírito agora, vocês irão para o inferno. Orem para que vocês possam participar do outro culto ou ouvir outro sermão. Nós temos que dormir tranquilos esta noite e nos encontrarmos amanhã. Mas temos que nos cuidar até nos encontrarmos amanhã. Não se esqueça de que o sermão será à noite. Quando vocês ouvirem o evangelho, seu coração irá brilhar e será totalmente purificado. O Espírito Santo entrará no seu coração e ele ficará cheio da Palavra de Deus. E já que vocês têm fé em Jesus, será a primeira vez que vocês sentirão seu coração tão cheio assim.
A pergunta que eu vou fazer agora é para os santos. Vocês são justos ou pecadores? Vocês são justos. Aquele que ainda não nasceu de novo da água e do Espírito é justo ou pecador? Ele é um pecador condenado ao inferno. Em outras palavras, pessoas como Zaqueu é que recebem as bênçãos de Deus.