Sermões

Assunto 16: O Evangelho Segundo JOÃO

[Capítulo 4-5] (João 4:19-26) Que Tipo de Fé Nós Precisamos Ter para Recebermos o Avivamento Espiritual?

(João 4:19-26)
“Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta. Nossos pais adoraram neste monte, mas vós, os judeus, dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me, a hora vem em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós, os samaritanos, adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos, pois a salvação vem dos judeus. Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, pois o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. Disse-lhe a mulher: Eu sei que o Messias (chamado Cristo) vem. Quando ele vier, nos explicará tudo. Disse-lhe Jesus: Eu o sou, eu que falo contigo.”
 
 
Vocês almoçaram bem hoje? Um rapaz acabou de me contar o testemunho de como ele foi salvo do pecado através do evangelho da água e do Espírito. E eu dei graças a Deus por ver a obra da salvação que o próprio Jesus operou em sua vida. Eu agradeci a Ele muito mais, pois quem salvou aquele irmão foi nosso Senhor que veio pelo evangelho da água e do Espírito. Além disso, Jesus é Aquele que te salvou também de todos os seus pecados pelo evangelho da água e do Espírito.
Nessa hora, o tema da Palavra que eu quero compartilhar com vocês é o seguinte: “Que tipo de fé nós devemos ter diante de Deus para sermos levados a um avivamento espiritual?” No texto bíblico deste capítulo, vemos nosso Senhor falando com uma mulher junto a um poço na cidade de Samaria. Enquanto conversava com Jesus, aquela mulher pôde ver que Ele sabia tudo sobre sua vida e conhecia seus pecados. Então disse ela ao Senhor: “Nossos pais adoraram neste monte, porém os judeus dizem que o lugar onde se deve adorar é Jerusalém”. O Senhor disse a ela então: “A hora vem em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós, os samaritanos, adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos, pois a salvação vem dos judeus. Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, pois o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade” (João 4:21-24).
 
 
Então, Quem São Aqueles que Adoram a Deus em Espírito e em Verdade?
 
Para nós, adorar a Deus em espírito e em verdade significa adorarmos o Deus santo após termos sido remidos de todos os nossos pecados crendo no evangelho da água e do Espírito. Quando Jesus disse que temos que adorar a Deus em espírito e em verdade, Ele quis dizer que primeiro temos que nos tornar sem pecado crendo no evangelho da água e do Espírito dado pelo Deus santo, e só depois adorá-Lo. A adoração espiritual se refere à adoração sincera dos santos que crêem no evangelho da água e do Espírito de coração. Aqueles que adoram a Deus em espírito e em verdade são os que receberam em seu coração a remissão de pecados por crerem no evangelho da água e do Espírito, e que adoram a Deus porque também receberam o Espírito Santo.
Você crê no evangelho da água e do Espírito de coração? Melhor dizendo, você realmente crê no evangelho da água e do Espírito através do qual Jesus Cristo purificou todos os seus pecados? Você foi remido de todos os seus pecados crendo no evangelho da água e do Espírito de todo o seu coração? Deste modo, Deus está nos dizendo para crermos na Verdade do evangelho da água e do Espírito e adorá-Lo em espírito e em verdade. Temos que estar com aqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito dado por Deus para que possamos adorá-Lo em espírito e em verdade. Deus está dizendo que Ele está à procura de pessoas que tenham essa mesma comunhão e fé.
Por isso que aqueles que adoram a Deus em espírito e em verdade procuram Sua Igreja. E mesmo que estejamos longe da Igreja, podemos ter comunhão com a Igreja de Deus em nossa mente e no nosso coração. Nós podemos compartilhar nossa fé e ter comunhão uns com os outros através da nossa literatura porque ela é única para todos nós. Nossos colaboradores em outros países podem se corresponder através de cartas e e-mails.
Deus Pai está procurando agora aqueles que receberam a remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito dado por Jesus, e por aqueles que O adoram e espírito e em verdade. A Mulher samaritana sabia que o Messias viria a essa terra, e disse ao Senhor que quando Ele viesse Ele lhes diria toda a verdade. Jesus naquela hora então disse à mulher: “Eu o sou, Eu que falo contigo. Eu sou o Messias que vocês estavam esperando”. E lhe disse mais: “Este é o momento de se adorar em espírito e em verdade”.
Nós agora podemos nos achegar a Deus e adorá-Lo em espírito e em verdade. Quando cremos no evangelho da água e do Espírito que agrada a Deus, nós podemos ser remidos de todos os nossos pecados e adorá-Lo em espírito e em verdade. Deus disse que aceitaria a adoração oferecida por aqueles que tivessem fé e O glorificassem. Se alguém adora a Deus crendo no evangelho que nós conhecemos e cremos – ou seja, no evangelho da água e do Espírito – sua oração então chega até Deus e Ele a aceita. Deus dará todas as bênçãos espirituais a essas pessoas e as capacitará para que façam a obra de anunciar o evangelho nessa terra, o que cumprirá toda a justiça de Deus. Assim sendo, todos os cristãos que crêem em Jesus como seu Salvador primeiro têm que receber a remissão de pecados para que possam oferecer esse tipo de adoração espiritual.
Portanto, você tem que examinar sua fé agora e ver se você de fato adora a Deus em espírito e em verdade. Para você receber o avivamento espiritual de Deus, primeiro você tem que ver se você está espiritualmente preparado para oferecer a Deus o tipo de adoração que Ele aceita e se agrada. E primeiro você tem que crer no evangelho da água e do Espírito. Isso porque Deus disse a todos nós para adorá-Lo em espírito e em verdade. Todos nós podemos nos tornar filhos de Deus crendo no evangelho da água e do Espírito que Ele nos deu.
Todos os cristãos hoje em dia buscam receber a remissão de pecados em seu coração crendo em Jesus como seu Salvador. Mas muitos deles não conhecem o evangelho da água e do Espírito. Isso porque eles não sabem nada sobre o plano de salvação de Deus oculto no Antigo e Novo Testamento.
Como é que o povo de Israel foi salvo do pecado nos dias do Antigo Testamento então? Os israelitas tinham seus pecados purificados indo ao Tabernáculo. Havia uma Casa de Deus em Israel onde o povo podia ter comunhão e ser purificado diante de Deus dos seus pecados. Ali, aqueles que reconheciam que haviam pecado contra Deus ofereciam sacrifícios de animais a Ele.
Hoje também existe um lugar onde nós podemos adorar a Deus crendo na Palavra do evangelho da água e do Espírito. É a reunião da família de Deus que se tornou uma só crendo no evangelho da água e do Espírito. Este lugar é a Igreja de Deus. Nos dias do Antigo Testamento, quando alguém do povo de Israel pecava, ele tinha que levar um animal para ser sacrificado no Tabernáculo. Ele então passava seus pecados para ele impondo suas mãos sobre sua cabeça, derramava seu sangue e o entregava ao sacerdote. “Depois o sacerdote, com o dedo, tomará do sangue da oferta, e o porá sobre os chifres do altar do holocausto, e o restante do seu sangue derramará à base do altar. Tirará toda a gordura, como se tira a gordura do sacrifício de oferta pacífica, e a queimará sobre o altar, por cheiro suave ao Senhor. Assim o sacerdote fará expiação por ele, e ele será perdoado” (Levítico 4:30-31).
Essa era a oferta do pecado do sistema sacrificial. O povo de Israel recebia a remissão de pecados oferecendo esse tipo de sacrifício. Mas para receber este sacrifício, eles tinham que confessar seus pecados a Deus, dizendo: “Deus, eu briguei com os outros, eu roubei, eu cometi todo tipo de pecado”. Eles então tinham que impor suas mãos sobre o animal do sacrifício e passar seus pecados para ele. Só então seus pecados podiam ser passados para a cabeça do animal do sacrifício. Assim, o povo de Israel no Antigo Testamento só podia passar seus pecados pela imposição de mãos a uma ovelha ou gado sem mancha.
Os pecados do povo no Antigo Testamento eram passados para a cabeça do sacrifício pela imposição de mãos. Foi este o método que Deus estabeleceu para a salvação (Levítico 1:1-4; 4:20-39).Todo sistema sacrificial do Antigo Testamento é uma sombra do evangelho da água e do Espírito que o Senhor nos deu no Novo Testamento. Todo ritual do sacrifício do Antigo Testamento é uma sombra do evangelho da água e do Espírito de que fala o Novo Testamento.
Vamos ver aqui como o povo de Israel recebia a remissão de pecados no Antigo Testamento. Este mundo foi dividido em duas eras: a primeira antes da vinda de Jesus e a segunda após Sua vinda. A era antes da vinda de Jesus é chamada de Antigo Testamento. E a era subseqüente ao cumprimento do ministério de salvação de Jesus – isto é, após Ele ter vindo a essa terra, ter sido batizado, ter morrido na Cruz para apagar os pecados do mundo e ter salvado a humanidade ao ressuscitar dos mortos – é chamada de Novo Testamento.
Assim, a história da humanidade foi dividida em duas eras: uma antes do advento de Jesus a essa terra e outra após Seu advento. A era que nós estamos vivendo agora é a do Novo Testamento, onde já se passaram 2006 anos desde a vinda de Jesus a essa terra. Hoje em dia nós usamos a sigla A.D. (Anno Domini; palavras gregas que significam “no ano do nosso Senhor) como base para o nosso calendário. O mundo todo usa este calendário, filipinos e americanos, chineses, tailandeses, norte coreanos e esquimós.
Por mais que alguém tente, ninguém pode ser remido do seu pecado por seu próprio esforço. A remissão de pecados do homem é realizada quando ele crê no evangelho da água e do Espírito que o Senhor nos deu. Embora nosso Senhor tenha nos dado a Verdade do evangelho da água e do Espírito quando Ele veio a essa terra, muita gente neste mundo ainda não conhece essa Verdade. Isso quer dizer que ainda há muitas pessoas que irão receber a remissão de pecados quando elas ouvirem este evangelho. Então, se nós pregarmos o evangelho para elas, elas serão salvas.
Para que nós venhamos a ter uma compreensão correta e precisa do evangelho da água e do Espírito que o Senhor Jesus cumpriu, temos que analisar o método e a maneira pelas quais Deus apagou os pecados daqueles que vivam antes da vinda de Jesus.
 
 
Está Escrito no Antigo Testamento que a Remissão de Pecados Foi Alcançada Oferecendo Sacrifícios a Deus
 
Vamos voltar para a Palavra de Deus e ver o capítulo quatro de Levítico. Vamos voltar para Levítico 4:27-31: “Se alguém dentre o povo da terra pecar por ignorância, fazendo algumas das coisas que o Senhor ordenou não se fizessem, ele se tornou culpado. Quando o pecado que cometeu lhe for notificado, então trará por sua oferta uma cabra, sem defeito, pelo pecado cometido. Porá a mão sobre a cabeça da oferta pelo pecado, e a degolará no lugar do holocausto. Depois o sacerdote, com o dedo, tomará do sangue da oferta, e o porá sobre os chifres do altar do holocausto, e o restante do seu sangue derramará à base do altar. Tirará toda a gordura, como se tira a gordura do sacrifício de oferta pacífica, e a queimará sobre o altar, por cheiro suave ao Senhor. Assim o sacerdote fará expiação por ele, e ele será perdoado”. Deste modo, o povo do Antigo Testamento oferecia sacrifício a Deus pelos seus pecados.
Deus é santo. Então, para fazer sua santidade conhecida a todos, Ele nos deu as palavras contidas na Lei que faz com que o homem tenha consciência dos seus pecados. Vamos analisar primeiro os nossos pecados através dos Dez Mandamentos. O Senhor deu a todos nós dez estatutos:
“Não terás outros deuses diante de mim.
Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança.
Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão.
Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.
Honra a teu pai e a tua mãe.
Não matarás.
Não adulterarás.
Não furtarás.
Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.
Não cobiçarás a casa do teu próximo” (Êxodo 20:1-17)
Os quatro primeiros estatutos são exigências que o homem deve cumprir em relação a Deus, e os outros seis devem ser guardados em relação aos nossos semelhantes. Deus disse que se um israelita quebrasse alguma das Suas Leis e reconhecesse o seu pecado diante Dele, ele teria então que trazer um animal sem mancha para ser sacrificado no altar de ofertas queimadas, e impor suas mãos sobre sua cabeça a fim de ser purificado do seu pecado. O pecado deste homem seria então passado para o animal do sacrifício. Deus também disse ao povo de Israel que depois deles passarem seus pecados impondo suas mãos sobre a cabeça do animal, eles teriam que sacrificá-lo, derramar seu sangue e entregá-lo ao sacerdote. O sacerdote por sua vez tinha que colocar este sangue nas pontas do altar de oferta queimada.
Isso significa que eles primeiro tinham que passar seus pecados ao animal do sacrifico impondo suas mãos sobre ele, para depois então se achegarem a Deus (Levítico 1:3-5). Deus é santo, e se quisermos estar na Sua presença temos que saber se pecamos contra Ele ou não. Isso porque se fizemos algo de errado diante de Deus, primeiro nós temos que reconhecer esse pecado e entender que merecemos receber o justo julgamento de Deus por causa desse pecado. Mesmo que para nós algo não pareça pecado, temos que entender que, segundo os estatutos da Lei de Deus, isso é uma iniqüidade e merece ser condenada.
É por isso que a Bíblia diz: “Se alguém dentre o povo da terra pecar por ignorância, fazendo algumas das coisas que o Senhor ordenou não se fizessem, ele se tornou culpado” (Levítico 4:27). Isso mostra que mesmo quando o povo pecava, eles não sabiam que aquilo era pecado. Por quanto tempo eles pecavam desse jeito? Eles cometiam transgressão até morrerem. Sempre que o povo de Israel na época do Antigo Testamento cometia algum pecado, eles tinham que levar um animal para ser sacrificado diante de Deus e impor suas mãos sobre a sua cabeça para serem purificados. Deus prometeu que os seus pecados seriam passados ao animal do sacrifício e expiados quando eles impusessem suas mãos sobre a sua cabeça.
Os pecados do povo estão escritos na própria consciência, assim como no Livro do Juízo no Reino de Deus. E já que seu pecado está escrito nestes dois lugares, eles têm que purificá-los em ambos. Todos são atormentados pelo pecado justamente porque eles estão escritos na tábua do seu coração. Pessoas que estavam bem ficam tristes e deprimidas de uma hora para outra porque seus pecados estão escritos em seu coração. No Antigo Testamento, Deus deu ao povo de Israel o sistema sacrificial a fim de que eles fossem salvos do pecado. Quando um israelita levava um animal para ser sacrificado, impunha as suas mãos sobre a sua cabeça e confessava: “Senhor, eu cometi este e este pecado”, os pecados do seu coração eram passados ao animal do sacrifício segundo o sistema sacrificial dado por Deus. Por isso que quando alguém sacrificava a Deus a carne e o sangue de um animal em seu lugar, Deus o perdoava dos seus pecados.
Era assim que todos no Antigo Testamento eram remidos dos seus pecados. O sacerdote no Antigo Testamento pegava o sangue do sacrifício de quem estava oferecendo-o e o colocava nas quatro pontas do altar de oferta queimada. Ele fazia isso porque Deus disse: “Pois a vida da carne está no sangue, pelo que vo-lo tenho dado para fazer expiação pelas vossas vidas sobre o altar; é o sangue que faz expiação pela vida” (Levítico 17:11). E também está escrito que “quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue, e sem derramamento de sangue não há remissão” (Hebreus 9:22).
A vida está no sangue. O sangue tinha que ser colocado nas pontas do altar de oferta queimada , e isso significa que o animal do sacrifício levava os pecados daquele que o oferecia e pagava o preço pelos seus pecados. Deste modo, o animal do sacrifício no Antigo Testamento dava sua vida para levar os pecados dos israelitas. Aqueles animais recebiam seus pecados e morriam em seu lugar. Em outras palavras, cada pecador no Antigo Testamento tinha que passar seus pecados ao animal do sacrifício impondo suas mãos sobre a sua cabeça, imolando-o, derramando seu sangue e entregando-o ao sacerdote. Este então passava parte do sangue nas pontas do altar de oferta queimada, derramava o restante no chão, o cortava em pedaços, queimava sua carne e sua gordura no altar de oferta queimada e oferecia tudo a Deus. Só então Deus aceitava aquele sacrifício. Através deste sistema sacrifical do Tabernáculo, Deus encontrou uma maneira de resolver o problema do pecado de toda humanidade.
Deus não pode simplesmente nos dizer: “Você cometeu um pecado? Bom, eu vou declarar com Meus lábios que você é justo e esse pecado não vai mais existir”. Isso porque Deus é perfeito e justo. Então, para que os pecados do povo fossem apagados, eles tinham que ser passados sem falta ao animal do sacrifício e sua vida sacrificada. Somente quando os pecados de alguém eram condenados de modo justo, tendo como preço a vida do animal, é que ele podia dizer que o juízo do pecado havia acabado e receber a remissão de pecados.
Os coreanos perdoam tanto que, mesmo quando alguém faz algo contra eles, eles dizem: “Tudo bem; não se preocupe com isso”. Nós coreanos perdoamos tudo assim com muita naturalidade. Mas o verdadeiro perdão pode ser conseguido de Deus assim? A não ser que paguemos o preço do pecado para Deus, nunca conseguiremos o verdadeiro perdão. Deus é justo. Ele é totalmente reto. Pelo fato de Deus ser amor e justiça, Ele estabeleceu o sistema sacrificial para apagar os pecados do homem de modo perfeito segundo as duas exigências do amor e da justiça. E Ele fez o povo passar seus pecados para a cabeça do animal do sacrifício e sacrificá-lo segundo a Lei. Deus ama o homem e é por isso que Ele aceitou um sacrifício justo que é oferecido transferindo os pecados para o animal do sacrifício, imolando-o e o queimando. Nos dias do Antigo Testamento, Deus tornou sem pecado os que creram nesse sacrifício justo.
O povo do Antigo Testamento também pecou dia após dia durante toda sua vida. Quantos pecados o povo cometia num só dia? Se alguém pecasse de manhã amaldiçoando outra pessoa, ele tinha que trazer uma ovelha ou um bode ao Tabernáculo e oferecê-lo em sacrifício para expiação. Mas vamos dizer que depois de ter oferecido sacrifício, este homem encontrou uma linda mulher voltando para casa e pecou desejando-a em seu coração. Isso significa que ele pecou novamente. Então, ele tinha que trazer outra oferta de sacrifício. Por isso que o povo de Israel no Antigo Testamento criava animais como ovelhas, bois, e bodes, para expiar seus pecados. Eles criavam muitos animais para oferecer sacrifícios a Deus, não somente para comê-los. Mas já que eles pecavam todos os dias, como este sacrifício para a expiação teria um fim?
Conhecendo nossa fraqueza humana, Deus permitiu aos israelitas oferecer um sacrifício apenas nos tempos do Antigo Testamento, enquanto que nos tempos do Novo Testamento, Jesus Cristo ofereceu o sacrifício para a salvação que apagou para sempre todos os pecados do homem de uma vez por todas. Este sacrifício para a salvação que Jesus ofereceu por nós está todo descrito no evangelho da água e do Espírito. Jesus Cristo é o Senhor do evangelho da água e do Espírito.
 
 
O Sacrifício do Dia da Expiação Oferecido pelo Sumo Sacerdote
 
Na época do Antigo Testamento, o sumo sacerdote fazia um único sacrifício, no décimo dia do sétimo mês, para apagar os pecados anuais do povo de Israel. Este era o sacrifício do Dia da Expiação. Vamos voltar agora para Levítico 16:29-34: “Assim fará expiação pelo Santíssimo Lugar por causa das impurezas dos filhos de Israel e das suas rebeldias, segundo todos os seus pecados. Procederá da mesma forma para com a tenda da congregação que está entre eles, no meio das suas impurezas. Nenhum homem estará na tenda da congregação desde quando ele entrar para fazer propiciação no Santíssimo Lugar até sair, tendo feito expiação por si mesmo, pela sua casa, e por toda a congregação de Israel. Então sairá ao altar que está diante do Senhor, e fará expiação por ele. Tomará do sangue do novilho e do sangue do bode, e o porá sobre as pontas do altar ao redor. Daquele sangue espargirá com o seu dedo sete vezes sobre o altar, e o purificará das impurezas dos filhos de Israel, e o santificará. Terminada a purificação do Santíssimo Lugar, da tenda da congregação e do altar, Arão trará o bode vivo. Porá ambas as mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele confessará todas as iniqüidades dos filhos de Israel, e todas as suas rebeldias, segundo todos os seus pecados, fazendo-os assim cair sobre a cabeça do bode. E o enviará ao deserto pela mão de um homem designado para isso. O bode levará sobre si todas as iniqüidades deles para terra solitária; e o homem soltará o bode no deserto. Depois Arão entrará na tenda da congregação, despirá as vestes de linho que havia vestido antes de entrar no Santíssimo Lugar, e ali as deixará. Banhará o corpo em água no lugar santo, e vestirá as suas vestes. Então sairá e preparará o seu holocausto, e o holocausto do povo, e fará expiação por si e pelo povo. Também queimará a gordura da oferta pelo pecado sobre o altar. O homem que tiver soltado o bode emissário, lavará as suas vestes e banhará o corpo em água; depois entrará no arraial. Mas o novilho da oferta pelo pecado, e o bode da oferta pelo pecado, cujo sangue foi introduzido no Santíssimo Lugar para fazer expiação, serão levados para fora do arraial. As peles, a carne e o excremento serão queimados com fogo. Aquele que os queimar lavará as suas vestes, banhará o corpo em água, e depois entrará no arraial. Isto vos será por estatuto perpétuo: No sétimo mês, aos dez do mês, afligireis as vossas almas, e nenhuma obra fareis - nem o natural nem o estrangeiro que peregrina entre vós”.
Arão era o sumo sacerdote de Israel e fazia expiação pelo povo uma vez por ano, passando seus pecados para o animal do sacrifício ao impor suas mãos sobre sua cabeça. A redenção era alcançada quando os pecados eram passados para o animal do sacrifício e assim expiados. Deus determinou o décimo dia do sétimo mês como o dia para que os pecados do povo de Israel fossem apagados. Neste dia, no lugar de todo o povo, o sumo sacerdote transferia os seus pecados anuais para o animal do sacrifício, derramava seu sangue, levava-o ao Santo dos Santos, o espargia sobre o propiciatório que cobria a Arca e queimava sua carne.
Vamos voltar agora para Levítico 16:6-15: “Arão trará o novilho da sua oferta pelo pecado, e fará expiação por si e pela sua casa. Também tomará ambos os bodes, e os porá perante o Senhor, à entrada da tenda da congregação. Arão lançará sortes sobre os dois bodes: uma pelo Senhor e a outra pelo bode emissário. Arão fará chegar o bode sobre o qual cair a sorte pelo Senhor, e o oferecerá como oferta pelo pecado. Mas o bode escolhido por sorte como o bode emissário será apresentado vivo diante do Senhor, para fazer com ele expiação a fim de ser enviado ao deserto como bode emissário”.
“Arão trará o novilho da oferta pelo seu próprio pecado, e fará expiação por si e pela sua casa, e imolará o novilho da oferta pelo seu próprio pecado. Tomará também o incensário cheio de brasas de fogo do altar, diante do Senhor, e tomará dois punhados de incenso aromático moído, e levará tudo para detrás do véu. Porá o incenso sobre o fogo diante do Senhor, e a nuvem do incenso cobrirá o propiciatório, que está sobre o testemunho, para que não morra. Tomará do sangue do novilho, e com o seu dedo o espargirá sobre a frente oriental do propiciatório, e perante o propiciatório espargirá sete vezes do sangue com o seu dedo. Depois imolará o bode da oferta pelo pecado do povo, e trará o seu sangue para detrás do véu; fará com o seu sangue como fez com o sangue do novilho, e o espargirá sobre o propiciatório e diante do propiciatório”.
Para que o sumo sacerdote transferisse todos os pecados anuais dos israelitas em seu lugar, ele e sua família tinham que receber a remissão dos seus pecados primeiro. Então, o sumo sacerdote primeiro pegava um novilho como o animal para o seu sacrifício e de sua família, e passava seus pecados para ele impondo suas mãos sobre sua cabeça. Depois de sacrificar este animal, ele levava seu sangue ao Santos dos santos e o espargia diante do propiciatório e sobre ele. Era assim que ele oferecia oferta pelo seu pecado.
Depois disso, ele trazia dois bodes para o meio de toda a congregação de Israel e lançava sorte sobre eles, separando um como oferta a ser oferecida a Jeová, e outro para ser oferecido pelo povo. Arão primeiro confessava os pecados dos israelitas impondo suas mãos sobre o animal do sacrifício, para depois oferecê-lo a Deus, imolá-lo, derramar seu sangue, levá-lo ao santuário e espargi-lo sobre o propiciatório sete vezes. Quando o sangue era espargido, as campainhas de ouro nas abas ao redor do manto do sumo sacerdote (Êxodo 28:34) soavam sete vezes consecutivamente.
Depois de oferecer sacrifício a Deus, Arão então trazia o outro bode. Vamos ver agora Levítico 16:20-22: “Terminada a purificação do Santíssimo Lugar, da tenda da congregação e do altar, Arão trará o bode vivo. Porá ambas as mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele confessará todas as iniqüidades dos filhos de Israel, e todas as suas rebeldias, segundo todos os seus pecados, fazendo-os assim cair sobre a cabeça do bode. E o enviará ao deserto pela mão de um homem designado para isso. O bode levará sobre si todas as iniqüidades deles para terra solitária; e o homem soltará o bode no deserto”.
Pelo fato de Arão oferecer o primeiro sacrifício dentro da Casa de Deus, e povo de Israel não podia ver o que acontecia lá dentro, mesmo que eles estivessem bem junto a ela. As cortinas de linho no átrio do Tabernáculo tinham 2,5m de altura. E a maioria das pessoas não conseguia ver além das cortinas. Por trás dessa cortina ficava o altar de oferta queimada e a pia de bronze, e depois da pia ficava o Tabernáculo, isto é, o santuário. Quando Arão passava pelo véu do santuário, os israelitas não podiam ver nada que ele fazia lá dentro. Havia outra pequena sala dentro do Tabernáculo para que o povo de Israel não visse o que Arão estava fazendo naquela hora. Eles só ouviam o som das campainhas de ouro soando sete vezes, e neste momento eles pensavam: “Ah, o primeiro sacrifício pelos nossos pecados já foi totalmente oferecido a Deus!”
Com o povo ainda esperando do lado de fora, Arão trazia outro bode e impunha suas mãos sobre sua cabeça enquanto todos observavam. O versículo 21 diz: “Porá ambas as mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele confessará todas as iniqüidades dos filhos de Israel, e todas as suas rebeldias, segundo todos os seus pecados, fazendo-os assim cair sobre a cabeça do bode. E o enviará ao deserto pela mão de um homem designado para isso”. Todas as iniqüidades aqui dizem respeito a todos os pecados. Isso se refere a todos os pecados anuais que o povo de Israel cometia em sua fraqueza, de modo intencional ou não. Arão confessava todos as iniqüidades e os pecados anuais do povo de Israel, dizendo: “Senhor, o povo de Israel adulterou, matou e roubou; eles não honraram seus pais; eles se levantaram contra Ti; e eles fizeram coisas hediondas”. Depois de confessar seus pecados, Arão tirava então suas mãos da cabeça do bode.
O bode não era morto logo assim que Arão tirava as mãos da sua cabeça. O que foi que eu disse que acontecia quando Arão impunha suas mãos sobre o sacrifício? Os pecados anuais dos israelitas eram passados para a cabeça do bode. Imposição de mãos significa passar alguma coisa. Quando Arão, que era o representante do povo de Israel, impunha suas mãos sobre a cabeça do bode e confessava: “O povo de Israel cometeu tais e tais pecados”, seus pecados anuais eram passados para o bode. Depois de fazer isso, Arão então o entregava a alguém para que ele fosse levado ao deserto. Este homem então levava o bode sem nenhuma água ou comida para o deserto e o abandonava lá antes de voltar. O bode então vagava no deserto levando todos os pecados e iniqüidades do povo de Israel até morrer.
Por que o bode morria? Porque ele recebia sobre si todos os pecados que o povo de Israel havia cometido por um ano. A Bíblia diz que “o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, em Cristo Jesus nosso Senhor” (Romanos 6:23). Isso quer dizer que, embora o amor de Deus encontrado em Cristo Jesus nos traga salvação e vida eterna, Deus nunca tolera o pecado, a não ser que o preço por ele seja pago com uma vida. O salário do pecado é a morte. Deus ama o povo de Israel, mas por não poder estar junto a eles por causa dos seus pecados, Ele retirou todos eles e os passou ao bode. Deus sacrificava o bode no lugar do povo por causa do Seu amor por eles. Este é o significado do sacrifício do Dia da Expiação. Era assim que todos os israelitas expiavam seus pecados oferecendo sacrifício a Deus.
 
 
Mas Depois do Dia da Expiação os Israelitas Não Pecavam de Novo?
 
Depois que o povo de Israel oferecia sacrifício no Dia da Expiação eles pecavam novamente? Eles tinham que oferecer sacrifício a Deus porque pecavam diariamente, mas muitos deles se cansavam de ficar fazendo isso sempre. Alguns então desistiram de fazer sacrifícios diários e pensaram: “Quando o décimo dia do sétimo mês chegar, eu resolvo esse problema de uma vez por todas”. Assim, o povo de Israel passou a esperar por “um dia” em especial para fazer expiação por todos os seus pecados anuais com um único sacrifício e cabia a Arão, o sumo sacerdote, oferecer este sacrifício no décimo dia do sétimo mês.
Era assim que o povo de Israel do Antigo Testamento recebia a remissão de pecados. A Bíblia diz que esse sistema sacrificial foi uma sombra da eterna propiciação de Jesus Cristo, que veio a essa terra e apagou os pecados do homem de uma vez por todas (Hebreus 10:1-4).
 
 
Qual Era o Tipo de Fé, Então, Pela Qual o Povo da Época do Antigo Testamento Recebia a Remissão de Pecados?
 
Nós agora estamos vivendo na era do Novo Testamento, pois Jesus já veio a essa terra. Mas que tipo de fé devemos ter para receber a remissão de pecados? Nos tempos do Antigo Testamento, a povo de Israel recebia a remissão de pecados crendo que Arão passava todos os seus pecados ao animal do sacrifício de uma vez por todas, impondo suas mãos sobre sua cabeça em nosso lugar. Nos tempos do Novo Testamento, a remissão de pecados é alcançada crendo que todos os pecados deste mundo foram passados a Jesus de uma vez por todas no momento em que João Batista, que cumpriu um papel similar ao de Arão, O batizou impondo suas mãos sobre Ele. Melhor dizendo, quando alguém crê na Verdade, no evangelho da água e do Espírito, é que ele é remido de todos os seus pecados e entra no Reino de Deus.
A mulher samaritana que lemos sobre ela aqui também disse: “Eu sei que Jesus Cristo, o Messias, virá.” Mas o que foi que Jesus disse a ela? Ele lhe disse que era Dele que ela falava. Melhor dizendo, a remissão de pecados é recebida crendo que Jesus veio como o Messias, aceitou todos os nossos pecados através do Seu batismo e pagou o salário pelos nossos pecados derramando Seu sangue e morrendo na Cruz.
Vamos voltar para Mateus 3:13-17: “Então veio Jesus da Galiléia ter com João junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João tentava dissuadi-lo, dizendo: Eu preciso ser batizado por ti, e vens tu a mim? Mas Jesus lhe respondeu: Deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça. Então João consentiu. Assim que Jesus foi batizado, saiu logo da água. Nesse instante abriram-se-lhe os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e pousando sobre ele. E uma voz dos céus disse: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.”
Jesus foi gerado e nasceu da virgem Maria. E segundo as instruções do anjo Gabriel, Ele foi chamado de “Jesus”. Como Mateus 1:21 diz: “Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles”. O nome “Jesus” significa o Salvador. Jesus é o Filho de Deus e o próprio Deus que criou o universo e tudo que nele há. Mas porque o ser humano que Deus criou caiu em pecado e tinha que receber a justa condenação por causa dele, Jesus veio num corpo carnal para libertar a Sua criação do pecado.
Quando Jesus fez 30 anos nessa terra, Ele procurou ser batizado por João Batista. A razão pela qual Jesus foi batizado por João Batista é explicada aqui. Mateus 3:14 diz: “Mas João tentava dissuadi-lo, dizendo: Eu preciso ser batizado por ti, e vens tu a mim? Quem era este João? Ele era descendente de Arão. Um sumo sacerdote exercia sua função dos 30 aos 50 anos. Quando o sumo sacerdote fazia 50 anos, ele deixava o sacerdócio. E quando ele passava o sacerdócio ao seu filho impondo suas mãos sobre ele, esse filho iniciava a função de sumo sacerdote para representar o povo de Israel. Quando este sumo sacerdote chegava aos 50 anos, ele passava o sacerdócio ao seu filho também. O ofício do sumo sacerdócio foi passado de geração a geração até chegar a um homem chamado João Batista. Foi Deus que enviou João Batista a essa terra e o separou para ser o representante da humanidade. Nós podemos ver isso olhando a genealogia de João Batista e o que Jesus disse sobre ele.
O pai de João Batista era Zacarias. Como está escrito em Lucas, Zacarias era descendente de Arão e um sacerdote da ordem de Abias, um dos netos de Arão (Lucas 1:5; 1 Crônicas 24:1-10). Jesus procurou ser batizado por João Batista aqui porque ele era o representante da humanidade e o último sumo sacerdote do Antigo Testamento. Portanto, foi João Batista que passou os pecados deste mundo a Jesus ao batizá-Lo.
Por que Jesus foi ao rio Jordão? Para ir ao encontro de João Batista para aceitar nossos pecados, assim como o bode do Antigo Testamento. Foi por isso que Jesus quis ser batizado por João Batista no rio Jordão e ele, por sua vez, teve que batizá-Lo. E quando Jesus apareceu de repente e disse a João Batista: “Me batize”, ele reconheceu quem era Jesus, e disse: “Eu preciso ser batizado por Ti, e Tu vens a mim?”
Nós podemos ver aqui que a função de João Batista era diferente da de Jesus Cristo. Quem é o maior entre os dois? Jesus Cristo, o Filho de Deus que veio como o Salvador do homem, ou João Batista, o maior de todos os homens? Não é óbvio que o Filho de Deus é maior? Mas Jesus abaixou Sua cabeça perante João Batista, e disse: “Deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça” (Mateus 3:15). Jesus quis dizer: “Você tem que Me batizar para passar os pecados do mundo todo para Mim. Eu tenho que ser a propiciação por estes pecados, e você, que é descendente de Arão, tem que passar os pecados do homem para Mim de uma vez por todas impondo suas mãos sobre Minha cabeça. Quando você Me batizar Eu poderei salvar todos os seres humanos dos seus pecados e da condenação. Portanto, você tem que aceitar fazer isso agora”.
Todos neste mundo pecaram e irão pecar até o dia da sua morte. O povo de Israel trazia sacrifícios de animais a Deus por causa dos seus pecados e das suas culpas, e as pessoas do Novo Testamento também têm que trazer uma oferta a Deus Pai pelo mesmo motivo, impor suas mãos sobre a cabeça da sua oferta e crer que ela levará todos os seus pecados. Só então poderemos ser purificados dos nossos pecados.
Todos pecam desde que nascem até morrerem. Para ser bem sincero, todos nós temos cometido pecados em nossa vida até agora, nesse exato momento nós estamos pecando e iremos continuar pecando no futuro, mesmo se nós vivermos cem anos. Mas nós não iremos pecar novamente? É claro que iremos. Todos nós não somos culpados? De fato, somos todos culpados. Toda essa culpa é pecado aos olhos de Deus, e esse pecado nós o cometemos com nossos olhos e nossos atos. Mas as pessoas acham que o pecado está somente em seus atos. No entanto, a Bíblia diz que todos os pecados que cometemos no coração e em nossos atos constituem “os pecados do mundo”, e declara que nosso Senhor levou todos estes pecados do mundo quando foi batizado.
Jesus disse: “Deixa por agora, pois assim nos convém cumprir toda a justiça”. Jesus explicou a João Batista porque Ele tinha que ser batizado por ele quando pediu que ele O batizasse. O Senhor estava dizendo: “Convém que você passe os pecados de todo mundo para Mim impondo suas mãos sobre Mim e Me batizando, para que Eu salve toda a humanidade ao receber esse batismo, aceitando os pecados de todo mundo e sendo crucificado até a morte. Você tem que Me batizar então, e Eu tenho que ser batizado por Ti”.
Jesus foi batizado por João Batista dessa forma. Foi nessa hora que Ele levou para sempre todos os pecados do mundo. É por isso que Ele pôde ir à Cruz e se tornar a oferta do sacrifício pelos pecados do homem. Foi assim que Jesus foi batizado por João Batista. Agora, as pessoas são limpas dos seus pecados e libertas da condenação por causa destes pecados, crendo que Jesus levou sobre Si os pecados deste mundo ao ser batizado por João Batista, e que Ele expiou a condenação do pecado ao ser crucificado.
Portanto, quem crê em Jesus é batizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. O verdadeiro batismo tem que ser recebido depois de se crer no evangelho da água e do Espírito. O batismo por efusão onde a água fica num recipiente, e só é aspergida sobre a cabeça, é uma forma abreviada do batismo. O batismo também é ministrado com imposição de mãos sobre a cabeça, e isso diz respeito à imposição de mãos do Antigo Testamento. João Batista impôs suas mãos sobre a cabeça de Jesus a fim de passar para Ele os pecados do mundo todo; Jesus passou pelas águas e recebeu a imposição de mãos de João Batista, que representava a Sua morte; e o fato Dele ter sido mergulhado nas águas significa a Sua ressurreição. A Palavra “Batismo” tem significados espirituais como: “ser purificado, ser enterrado, passar algo, transferir”.
Nós, seres humanos, pecamos a vida toda. Contudo, Jesus foi batizado por João Batista. No momento em que Jesus foi batizado por João Batista os pecados do mundo foram passados a Ele. Os pecados do seu coração foram então purificados ou não? Sim, eles já foram purificados. Por isso, se você crer que Jesus foi batizado e aceitou os seus e os meus pecados, o seu coração será purificado na mesma hora. E mesmo que você tenha errado com Deus e com os homens, seus pecados serão purificados quando você crer assim: “Todos os meus pecados já foram passados a Jesus quando Ele foi batizado. Senhor, eu creio nisso. Tu és meu Salvador”. Seus pecados são purificados pela fé.
Foi por isso que quando Jesus saiu das águas depois de ter sido batizado, Deus Pai disse que Ele era Seu Filho amado, de quem Ele se agradava. Jesus é o Filho de Deus, e segundo a vontade de Deus Pai, Ele aceitou todos os pecados do homem por meio de João Batista, o representante da humanidade.
Deus Pai não quis todo mundo impondo as mãos sobre a cabeça de Jesus. Se todos neste mundo impusessem as mãos sobre Jesus, Ele não teria ido à Cruz e ainda estaria vivendo nessa terra. Eu fiz um pequeno cálculo, e já que a população do mundo agora é de 60 bilhões de pessoas, se todas elas fizessem uma fila e cada uma delas impusesse suas mãos sobre Jesus, nem que fosse por um segundo, isso levaria mais de 190 anos. Sendo assim, seria impossível cada um de nós impor nossas mãos sobre Jesus para passar a Ele os nossos pecados. Ao invés de fazer isso então, Jesus sabiamente separou um representante para a humanidade, e ao ser batizado pela imposição de mãos deste representante, Ele aceitou todos os pecados do homem de uma vez por todas.
 
 
Jesus é o Cordeiro de Deus que Tirou os Pecados do Mundo, e Ele é o Salvador da Humanidade que Levou Seus Pecados e Derramou Seu Precioso Sangue
 
Vamos voltar agora para a Palavra de Deus. João 1:29 diz: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!”. Por Jesus ter recebido o batismo de João Batista, aos olhos de Deus Ele se tornou o bode expiatório, aceitou todos os pecados deste mundo e teve que morrer. Jesus levou os pecados do mundo. Assim como o bode expiatório levava os pecados do povo de Israel na época do Antigo Testamento, quando Jesus recebeu o batismo Ele aceitou os pecados do mundo e cumpriu todas as coisas de modo perfeito, e por isso que até agora Ele carrega os pecados do mundo.
Todos os pecados que cometermos até o dia deste planeta desaparecer são os pecados do mundo. Melhor dizendo, cada pecado que cometemos desde o berço até a cova, desde a hora que nascemos até sermos enterrados, pertencem aos pecados do mundo. Já que Jesus levou os pecados do mundo, os pecados dos seus pais não estavam incluídos neles também? É claro que estavam. E os pecados dos seus filhos? Eles não estão incluídos também? Todos eles estão sim. E os pecados que você cometeu num passado muito distante? Esses pecados estão incluídos também. De fato, todos eles foram passados a Jesus. Em suma, Jesus levou todos os seus pecados de uma vez por todas, até os que você vai cometer no futuro. E Já que Deus ama não apenas você, mas todos neste mundo, Ele aceitou todos os pecados do homem de uma só vez. Jesus tornou possível a todos serem salvos apenas crendo Nele como seu Salvador. Este é o amor maravilhoso de Deus pelo qual Ele nos preparou a salvação.
Um dia após ter batizado Jesus, João Batista disse: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (João 1:29). Jesus se tornou o Cordeiro de Deus. Por ter aceitado os pecados do mundo é que Ele pôde ser crucificado depois. Os pecados do mundo foram passados a Jesus quando Ele foi crucificado ou não? É claro que foram. Então, já que os pecados do mundo foram passados a Jesus, e já que o salário do pecado é a morte, Jesus tinha mesmo que morrer ou não? Ele realmente tinha que morrer. Só se Ele morresse na Cruz e ressuscitasse dos mortos ao terceiro dia é que você e eu poderíamos ser salvos. Jesus foi batizado, levou os pecados do mundo, morreu na Cruz, nos salvou, e por isso, é crendo Nele que somos libertos de todos os nossos pecados, todos eles são apagados e nos tornamos filhos de Deus para entrar no Céu.
Nós temos que dar muita importância ao fato de Jesus ter tirado os pecados do mundo. O Senhor levou até os pecados que cometeremos no futuro. E mesmo que nós não mereçamos nada de Jesus, mesmo que não tenhamos muito a oferecer a Ele e nada que possamos fazer por Ele, quando cremos Nele nós somos remidos de todos os pecados do nosso coração. Não é por merecimento próprio que nós recebemos a salvação, mas só porque cremos em Jesus. Você e eu alcançamos a justiça pelo fato de crermos em Jesus de coração, e porque o que Ele fez por nós representa a verdadeira salvação. Foi assim que a salvação veio até nós.
Depois de levar os seus e os meus pecados através do Seu batismo, aonde Jesus foi levando todos os pecados do mundo? Vamos voltar para a Palavra agora. João 19:17-18 diz: “Então os soldados tomaram a Jesus. Ele próprio, levando a sua cruz, saiu para o lugar chamado Caveira, que em hebraico se chama Gólgota, onde o crucificaram, e com ele outros dois, um de cada lado, e Jesus no meio”. Jesus foi crucificado. Mas por que Jesus teve que ser crucificado? Porque Ele recebeu os pecados do mundo por meio do Seu batismo. Jesus teve que entregar Seu próprio corpo na Cruz porque o salário do pecado é a morte. Foi por isso que Ele teve Suas mãos e Seus pés pregados na Cruz. E devido a isso, todo sangue que havia em Seu coração foi derramado. Por que isso aconteceu? Jesus foi condenado por todos os nossos pecados porque Ele os recebeu a todos sobre Si ao ser batizado. Ele foi crucificado por causa disso.
João 19:28-30 prossegue dizendo: “Mais tarde, sabendo Jesus que tudo estava consumado, e para que a Escritura se cumprisse, disse: Tenho sede! Estava ali um vaso cheio de vinagre. Embeberam de vinagre uma esponja, colocaram-na numa vara de hissopo, e chegaram-na à sua boca. Quando Jesus recebeu o vinagre, disse: Está consumado! E inclinando a cabeça, entregou o espírito”. Amados irmãos, quando Jesus morreu na Cruz Ele disse: “Está consumado!” Ele veio a essa terra para nos tornar sem pecado, e completou Sua obra sendo batizado por João Batista e derramando Seu sangue até a morte na Cruz.
Vamos ver Hebreus 10:5-18 agora:
“Pelo que, ao entrar no mundo, diz:
Sacrifício e oferta não quiseste,
Mas corpo me preparaste;
Não te deleitaste em holocaustos e oblações pelo pecado.
Então eu disse: Aqui estou
(no rolo do livro está escrito de mim),
Para fazer, ó Deus, a tua vontade.
Depois de dizer, como acima: Sacrifícios e ofertas e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem neles te deleitaste (os quais se oferecem segundo a lei). Então acrescentou: Aqui estou, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro para estabelecer o segundo. Nessa vontade é que temos sido santificados pela oferta do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez por todas.
Todo sacerdote se apresenta dia após dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar pecados. Mas este, havendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus. Daí por diante espera que os seus inimigos sejam postos por estrado dos seus pés, porque com uma só oferta aperfeiçoou para sempre os que estão sendo santificados.
O Espírito Santo também no-lo testifica. Primeiro diz: Esta é a aliança que farei com eles depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações, e as escreverei em seu entendimento. Então acrescenta: E jamais me lembrarei dos seus pecados e das suas iniqüidades. Ora, onde há remissão destes, não há mais oferta pelo pecado”.
Meus amados irmãos, Deus diz em Hebreus 10:16-18: “Esta é a aliança que farei com eles depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações, e as escreverei em seu entendimento. Então acrescenta: E jamais me lembrarei dos seus pecados e das suas iniqüidades. Ora, onde há remissão destes, não há mais oferta pelo pecado”.
Por que Deus disse isso? O Senhor disse isso para explicar que, após ter vindo a essa terra e realizado a nossa salvação de uma forma perfeita através do Seu batismo e da Cruz, Deus fez uma aliança conosco prometendo que Ele colocaria a Lei da Sua salvação no coração daqueles que cressem no evangelho da água e do Espírito. Deus também disse que nunca mais se lembraria dos nossos pecados e iniqüidades. Por quê? Porque o “Senhor” disse: “Eu apaguei todos os seus pecados. Eu não levei todos os seus pecados quando fiz 30 anos vivendo nessa terra? Não é isso que está escrito aqui? Tudo que eu fiz quando vim a essa terra está na Bíblia, e você ainda não viu nem ouviu falar sobre isso?” Deus pôs uma nova lei no coração daqueles que crêem nisso.
O Senhor nunca mais se lembra de nenhum dos nossos pecados. E por quê? Porque quando Ele veio a essa terra, Ele levou todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista, foi condenado à morte na Cruz, ressuscitou dentre os mortos ao terceiro e agora está assentado à direita do trono de Deus; por Ele ter se tornado nosso Salvador; por Ele ter apagado todos os nossos pecados; Ele eliminou todos esses pecados mesmo que os crentes sejam imperfeitos. Por isso que Deus diz que não se lembra mais dos nossos pecados. Vocês crêem nisso, amados irmãos?
Deus também diz no versículo 18: “Ora, onde há remissão destes, não há mais oferta pelo pecado”. Isso quer dizer que Deus remiu os pecados deste mundo. Assim como os pecados anuais do povo de Israel eram passados ao bode expiatório pela imposição de mãos do sumo sacerdote no Antigo Testamento, quando Jesus foi batizado nessa terra Ele levou sobre Si todos os pecados para sempre. Você consegue entender isso?
Você é um ser humano ou um animal? Jesus não levou os pecados dos animais. Jesus levou todos os pecados do homem, independente se ele é preto ou branco, velho ou jovem, budista, muçulmano ou hindu. Jesus levou sobre Si até os pecados dos nossos antepassados. Mesmo não conhecendo a sua genealogia ou se ela vai durar até o fim do mundo, eu sei que Jesus levou sobre Si todos os pecados da sua família. É por isso que Jesus é o Salvador de toda a humanidade. Ele é o Salvador de todos. Ainda resta algum pecado em você então? Não, nenhum. Será que seus pecados ainda existem agora? Não, isso é impossível.
Vamos voltar agora para Hebreus 10:19-20: “Portanto, irmãos, tendo ousadia para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne”.
Quando cremos que Jesus foi batizado quando veio a essa terra, e que Ele morreu na Cruz só por causa desse batismo, nós temos coragem de entrar no lugar mais santo dos Céus onde Deus habita graças ao sangue da Cruz. Nós podemos entrar no Céu “pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, isto é, pela sua carne”. Nosso Senhor apagou todos os seus e os meus pecados com Sua carne. O irmão mais novo entre nós se chama Dongwook; quando ele crescer, ele vai se casar e ter filhos. E quanto aos pecados dessas crianças então? Jesus já apagou os seus pecados também quando foi batizado? Ou Ele se esqueceu deles? Ele apagou todos eles há mais de 2000 anos atrás.
Jesus viveu nessa terra por 33 anos. Quando tinha 30 anos, Ele foi batizado, e aos 33 anos Ele morreu na Cruz, ressuscitou dos mortos e subiu para os Céus. Mas o Senhor prometeu que um dia voltaria. Você e eu, que estamos vivendo agora, nos tornamos justos quando ouvimos o que aconteceu por volta de 2000 anos atrás e cremos nisso. Nós fomos salvos dos nossos pecados. A obra de salvação que o Senhor realizou 2000 anos atrás foi suficiente para todos no passado, o é até agora e será para sempre. A importância do evangelho de poder que Deus nos deu é eterna. Se alguém que deseja entrar no Céu crê na Palavra de Deus do Antigo e Novo Testamento, seu desejo será realizado e ele será liberto do seu triste destino que o condenou ao inferno. A Bíblia diz que “com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação” (Romanos 10:10). Nós somos salvos quando cremos na Palavra de Deus.
“Portanto, irmãos, tendo ousadia para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne”. Jesus recebeu o batismo através do qual Ele levou os pecados do homem em Seu corpo e recebeu o justo juízo por causa deles. Ele levou sobre o Seu corpo todos os nossos pecados ao ser batizado. Ele levou sobre Si todos os nossos pecados de uma vez por todas através do Seu batismo sem requerer nada de nós. Agora, mesmo que nós venhamos a pecar até morrermos, Deus terá misericórdia de nós para que não sejamos condenados pelos nossos pecados. E foi por isso que Jesus levou sobre Si todos os nossos pecados pelo Seu batismo e do Seu sangue derramado, porque Ele nos amou. E Jesus cumpriu todo o Seu ministério como o Sumo Sacerdote do Reino dos Céus. Este Sumo Sacerdote nos tornou justos, não oferecendo um bode ou qualquer outro animal para o sacrifício, mas aceitando todos os pecados do homem sobre o Seu próprio corpo e o entregando na Cruz como nossa eterna propiciação. Vocês crêem nisso, meus amados irmãos? Quem somos nós para rejeitar este amor de Deus?
A vontade de Deus foi cumprida. Quem mais neste mundo aceitaria os pecados de outra pessoa e morreria por ela? Alguns pais poderiam até morrer pelos seus filhos e outros até morrer pelo seu país, mas Deus foi obrigado ou houve alguma razão para Ele fazer isso por você e por mim? Jesus é de fato o Deus de amor, o Deus criador que fez o universo e tudo que nele há. Ele é o Deus de amor que nos salvou através do evangelho da água e do Espírito.
Hebreus 10:21-22 diz: “E tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, cheguemo-nos com verdadeiro coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado de má consciência, e o corpo lavado com água limpa”.
Amados irmãos, todos nós não tínhamos pecados antes? Todos nós tínhamos pecados. Mas talvez nenhum de nós tenha blasfemado contra Deus por querer. Ou, pensando melhor, talvez algum de nós tenha feito isso sim. Se você sofresse um acidente que te deixasse completamente pobre e acabado, você não culparia a Deus? Recentemente a cidade de Nova Orleans, nos Estados Unidos, foi arrasada por um terremoto; você não acha que muitas pessoas que perderam suas casas apontaram o dedo para Deus e O culparam? Tudo isso é pecado. Todos nós pecamos e com certeza estávamos destinados ao inferno. Mas apesar disso, o Senhor não purificou o nosso corpo e o nosso coração com água limpa? Ele não apagou os nossos pecados de uma vez por todas ao ser batizado? Ele os apagou a todos.
Jesus recebeu todos os nossos pecados de uma vez por todas através do Seu batismo. O corpo dos que crêem nisso foi purificado com água limpa, e por isso eles podem se achegar a Deus agora com um coração puro e cheio de fé. E ainda que de forma alguma mereçamos isso, mesmo assim nós podemos nos achegar a Deus e confessar: “Tudo que eu fiz até agora foi só pecar. E eu sou um estúpido. Eu fiz de tudo para não pecar, mas acabei pecando. Mas Tu levaste estes pecados também. Tu fizeste tudo isso por mim e eu Te agradeço por isso. Eu não tenho como Te agradecer, Senhor”. Deste modo, podemos estar na presença de Deus com um coração puro e cheio de fé.
Vocês não são gratos por isso? Não é verdade que vocês podem entrar no Céu agora? Seu coração não se alegra com isso? O avivamento acontece quando recebemos a remissão dos nossos pecados e cremos na Verdade. O senhor levou sobre Si os seus e os meus pecados quando foi batizado. Ele levou à Cruz esses pecados e foi condenado por causa deles. Mas Ele ressuscitou dos mortos. Jesus mesmo disse: “Está consumado! Ele disse que nunca mais se lembraria dos nossos pecados e dos nossos atos de injustiça. Ele também disse: “Ora, onde há remissão destes, não há mais oferta pelo pecado”. Jesus nos salvou de uma maneira perfeita para que não fôssemos mais condenamos pelos nossos pecados e lançados no inferno.
Quando cremos no evangelho da água e do Espírito é que adoramos a Deus em espírito e em verdade. Se nós cremos que todos os nossos pecados foram passados a Jesus quando Ele foi batizado, nós então não temos pecado em nosso coração. Ainda existe pecado em seu coração? Não, não há mais nenhum. Se cremos com fé, não há mais pecado então em nosso coração. E já que não temos pecado, nós agora temos o Espírito Santo. E Deus aceita a nossa adoração justamente porque a Sua Palavra e o Espírito Santo estão em nosso coração agora. Deus aceita a adoração feita por aqueles que o chamam de “Aba Pai”, isto é, dos que receberam Dele a remissão de pecados. Deus aceita a adoração que é feita em espírito e em verdade por pessoas como nós, que ouvem a Verdade com seus ouvidos e conhecem e crêem nela com seu coração.
O avivamento espiritual nada mais é do que isso. Quando alguém recebe a remissão de pecados em seu coração e se torna justo, seu coração se alegra e ele não tem mais com o que se preocupar até sua morte chegar. É no coração de pessoas assim que o avivamento espiritual acontece. Nós só podemos entrar no Céu pela fé. Você vai para o Céu crendo que Jesus recebeu os pecados da sua vida toda ao ser batizado por você quando Ele veio a essa terra, crendo que Ele foi condenado na Cruz em seu lugar, aceitando isso em seu coração e crendo que este Jesus é o Deus da sua salvação. Deus abençoou o seu e o meu coração para que nós pudéssemos adorá-Lo em espírito e em verdade. Mas primeiro você tem que se tornar uma pessoa sem pecado pela fé e depois adorar a Deus em espírito e em verdade baseado na Sua Palavra. E você deve levar esse avivamento espiritual ao coração das pessoas, e pela fé ajudá-las a ir para o Céu também. Deus se agrada de pessoas assim, e nenhum outro além de nós somos essas pessoas.
Vocês crêem nisso, amados irmãos? Vocês são gratos a Deus ou acham que há pouco para agradecê-Lo? Todos vocês devem ser gratos a Deus. Eu creio como vocês também. Se o Senhor não tivesse apagado todos os meus pecados, eu já teria perecido muito tempo atrás. O Senhor me salvou, meu coração foi espiritualmente avivado, eu comecei a pregar esta Verdade aos outros e eu sou grato a Deus por tudo isso. Os servos de Deus nascidos de novo e Seu povo foram todos revestidos da Sua graça. Deus está à procura dos que O adoram em espírito e em verdade, e nós somos essas pessoas que O adoram assim.
Eu sou totalmente grato a Deus que é sempre verdadeiro. Eu sou grato a Ele reconhecendo e crendo que o evangelho da água e do Espírito é um dom vindo Dele. Nós temos que dar valor à salvação que o Senhor nos concedeu a fim de que nosso coração receba o verdadeiro avivamento espiritual. Nós temos que crer na Sua salvação.