Sermões

Assunto 22: O Evangelho segundo LUCAS

[Capítulo 24-1] (Lucas 24:13-53) O Senhor Ressurreto que Nos Deu a Esperança da Ressurreição

(Lucas 24:13-53)
“E eis que, no mesmo dia, iam dois deles para uma aldeia que distava de Jerusalém sessenta estádios, cujo nome era Emaús. E iam falando entre si de tudo aquilo que havia sucedido. E aconteceu que, indo eles falando entre si e fazendo perguntas um ao outro, o mesmo Jesus se aproximou e ia com eles. Mas os olhos deles estavam como que fechados, para que o não conhecessem. E ele lhes disse: Que palavras são essas que, caminhando, trocais entre vós e por que estais tristes? E, respondendo um, cujo nome era Cleopas, disse-lhe: És tu só peregrino em Jerusalém e não sabes as coisas que nela têm sucedido nestes dias? E ele lhes perguntou: Quais? E eles lhe disseram: As que dizem respeito a Jesus, o Nazareno, que foi um profeta poderoso em obras e palavras diante de Deus e de todo o povo; e como os principais dos sacerdotes e os nossos príncipes o entregaram à condenação de morte e o crucificaram. E nós esperávamos que fosse ele o que remisse Israel; mas, agora, com tudo isso, é já hoje o terceiro dia desde que essas coisas aconteceram. É verdade que também algumas mulheres dentre nós nos maravilharam, as quais de madrugada foram ao sepulcro; e, não achando o seu corpo, voltaram, dizendo que também tinham visto uma visão de anjos, que dizem que ele vive. E alguns dos que estavam conosco foram ao sepulcro e acharam ser assim como as mulheres haviam dito, porém, não o viram. E ele lhes disse: Ó néscios e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram! Porventura, não convinha que o Cristo padecesse essas coisas e entrasse na sua glória? E, começando por Moisés e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras. E chegaram à aldeia para onde iam, e ele fez como quem ia para mais longe. E eles o constrangeram, dizendo: Fica conosco, porque já é tarde, e já declinou o dia. E entrou para ficar com eles. E aconteceu que, estando com eles à mesa, tomando o pão, o abençoou e partiu-o e lho deu. Abriram-se-lhes, então, os olhos, e o conheceram, e ele desapareceu-lhes. E disseram um para o outro: Porventura, não ardia em nós o nosso coração quando, pelo caminho, nos falava e quando nos abria as Escrituras? E, na mesma hora, levantando-se, voltaram para Jerusalém e acharam congregados os onze e os que estavam com eles, os quais diziam: Ressuscitou, verdadeiramente, o Senhor e já apareceu a Simão. E eles lhes contaram o que lhes acontecera no caminho, e como deles foi conhecido no partir do pão. E, falando ele dessas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles e disse-lhes: Paz seja convosco. E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito. E ele lhes disse: Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos ao vosso coração? Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; tocai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. E, dizendo isso, mostrou-lhes as mãos e os pés. E, não o crendo eles ainda por causa da alegria e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer? Então, eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado e um favo de mel, o que ele tomou e comeu diante deles. E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na Lei de Moisés, e nos Profetas, e nos Salmos. Então, abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras. E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse e, ao terceiro dia, ressuscitasse dos mortos; e, em seu nome, se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém. E dessas coisas sois vós testemunhas. E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder. E levou-os fora, até Betânia; e, levantando as mãos, os abençoou. E aconteceu que, abençoando-os ele, se apartou deles e foi elevado ao céu. E, adorando-o eles, tornaram com grande júbilo para Jerusalém. E estavam sempre no templo, louvando e bendizendo a Deus. Amém!”
 
 
O que os Discípulos de Jesus Disseram?
 
Como vão vocês? Lucas, o discípulo de Jesus, o escritor do texto bíblico deste capítulo, tinha um temperamento muito manso. Por outro lado, Marcos, que escreveu o evangelho que leva seu nome, tinha uma fé poderosa mas era ingênuo. Mateus, que era publicano, tinha um argumento lógico, e por isso ele escreveu o maravilhoso evangelho que leva seu nome na Palavra de Deus depois de se tornar discípulo de Jesus. Porém, dentre todos os discípulos, talvez o que era mais chegado a ele e tinha uma personalidade mais prudente era o apóstolo João. João era mais chegado ao Senhor espiritualmente, tinha uma fé justa e escreveu sobre Jesus Cristo como sendo Deus. Ele descreveu a obra de Jesus Cristo durante seus 33 anos de vida da forma mais elevada.
Como eu disse alguns minutos atrás, Lucas, o autor do evangelho que leva seu nome, era um discípulo de Jesus e tinha um temperamento manso. Por isso que ele fala muito sobre a fraqueza do homem no seu evangelho, pois conhece isso muito bem. Todos os quatro evangelhos falam da ressurreição de Jesus, mas o evangelho de Lucas é o único que descreve um encontro especial que dois discípulos tiveram com ele a caminho de Emaús.
Depois de morrer na cruz, o corpo de Jesus foi posto num sepulcro que pertencia a José de Arimatéia. Ele não foi sepultado na terra como fazemos em nosso país, pois seu corpo foi posto num sepulcro escavado na rocha. Quando alguém morria em Israel, eles costumavam colocar o corpo numa caverna e fechar a entrada; os ricos é que faziam sepulcros nas rochas, colocam ali o corpo e fechavam a entrada. Este era o costume em Israel naquela época. As pessoas na Coreia tem muito contato com a terra, com o solo. Por isso que elas aqui sepultam seus mortos na terra para que eles se decomponham e voltem ao estado original. Mas em Israel eles colocavam seus mortos em cavernas para passar pelo mesmo processo. Esta tradição de sepultamento conservava mais o corpo. Ao manter o corpo sobre a superfície, os ossos demoram mais para se decompor. Mas no costume de sepultamento no ocidente até os ossos se decompõem totalmente com o passar do tempo.
Até a aparência do túmulo é diferente. Os túmulos nos países do oriente são feitos de pedra e cimento, mas nos países orientais os corpos são sepultados na terra e cobertos por grama. A teologia de Confúcio foi que criou esta tradição nestes países e fez com que se perdesse muito espaço no solo. Até em nosso país, a Coreia, a área de cemitérios públicos é muito grande e isso é o maior obstáculo para o plano de expansão territorial aqui.
De todo modo, Jesus ressuscitou do sepulcro escavado na rocha ao terceiro dia após morrer e te dito: “Está consumado!” Maria Madalena e outra mulher chamada Maria foram as primeiras a testemunhar a ressurreição de Jesus. Naquela ocasião, estas mulheres foram ao sepulcro com outras crentes. Elas foram lá para cobrir o corpo de Jesus com especiarias a fim de que ele não se decompusesse tão rápido e cheirasse mal. Elas foram ao sepulcro bem cedinho, antes de o sol nascer, e viram que a grande pedra que fechava a entrada havia sido movida. E quando elas olharam lá dentro, o corpo de Jesus havia sumido e somente as vestes que o envolviam estavam ali, enroladas à parte. E naquele momento quando elas estavam confusas por não encontrar o corpo de Jesus e sem saber o que fazer, dois anjos apareceram e lhes perguntaram: “Por que vocês estão procurando Jesus? Ele não está aqui”. E o anjo disse: “O Senhor ressuscitou como disse que aconteceria e está onde disse que estaria”.
Maria Madalena e a outra Maria ficavam maravilhas com isso. Elas ficaram tão felizes e alegres que correram para os discípulos de Jesus como se estivessem fora de si. Elas então disseram a ele tudo que viram. João e Pedro, que eram impetuosos, na mesma hora foram correndo para o sepulcro. Eles então viram que o corpo não estava mais ali, somente as vestes de linho dobradas à parte. Jesus ressuscitou três dias depois de morrer na cruz. No quarto dia após a morte de Jesus, um dia após sua ressurreição, o boato de que ele ressuscitara se espalhou e em todos os lugares as pessoas começaram a falar sobre isso.
Nesta ocasião, dois de seus discípulos desciam para a vila de Emaús temerosos e decepcionados. Jerusalém ficava no alto e Emaús era uma vila localiza acerca de 10 quilômetros dali. Os dois discípulos desciam a estrada decepcionados. E eles iam conversando sobre tudo que havia acontecido recentemente. E enquanto caminhavam tristes lembrando do passado, Jesus apareceu para eles.
A princípio eles não o reconheceram, pois Jesus apareceu para eles como um viajante comum que ia por aquela estrada. Então Jesus lhes perguntou: “O que aconteceu em Jerusalém? Do que vocês estão falando?” Os dois discípulos pararam então e lhe disseram: “Meu Deus! Você vive em Jerusalém e não sabe o que aconteceu ultimamente? Algo grandioso aconteceu. Os principais sacerdotes e oficiais do governo entregaram Jesus aos romanos e ele foi morto por receber a pena capital. Ele foi pregado na cruz e derramou seu sangue até morrer. Nós então pegamos seu corpo e o pusemos um sepulcro na rocha, mas o corpo desapareceu. Alguns dos seus discípulos disseram que o encontraram pessoalmente ressuscitado, mas estamos confusos. Como pode você não saber deste grandioso acontecimento que houve em Jerusalém ultimamente?”
 
 
Jesus Disse aos Dois Discípulos que Iam para Emaús
 
O Senhor Jesus Cristo explicou a eles tudo que estava escrito sobre ele no livro de Salmos, de Moisés e dos profetas do Antigo Testamento. E conforme prosseguiam, o sol se pôs e a noite chegou. Jesus quis continuar no caminho, mas eles o constrangeram dizendo: “Fica conosco, porque já é tarde, e já declinou o dia”. Ele então ficou com eles e todos jantaram juntos. E enquanto comiam, Jesus pegou o pão, o abençoou, o partiu e deu aos discípulos. Aí eles viram que seu companheiro de viagem era Jesus Cristo. Eles finalmente o reconheceram.
A questão é a seguinte: “Por que os discípulos não reconheceram Jesus, mesmo ele estando na sua frente?” Os judeus costumavam cobrir a cabeça com um tecido. Foi por isso que os dois discípulos não reconheceram Jesus a princípio, e sim quando sentaram com ele para cear e ele partiu o pão. E assim que os discípulos o reconheceram, Jesus desapareceu num piscar de olhos. Foi uma experiência de arrepiar. Quando os discípulos encontraram Jesus a caminho de Emaús, havia muitas coisas que eles não entendiam. No entanto, seu coração ardia enquanto o Senhor explanava a Palavra no Antigo Testamento, no Pentateuco e no livro de Salmos, e a explicava para eles. E eles finalmente reconheceram que era Jesus quando ele pegou o pão, o abençoou, o partiu e deu a eles. Embora tenham ficado confusos quando Jesus desapareceu, eles estavam certos que o haviam encontrado. Depois de passar a noite ali então, eles correram para Jerusalém para contar aos outros discípulos o que tinha acontecido.
Quando os discípulos ouviram isso e estavam reunidos conversando, Jesus apareceu a eles pessoalmente. Vamos ler o que o texto bíblico deste capítulo dos versículos 36 ao 45. “Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; tocai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. E, dizendo isso, mostrou-lhes as mãos e os pés. E, não o crendo eles ainda por causa da alegria e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer? Então, eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado e um favo de mel, o que ele tomou e comeu diante deles. E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na Lei de Moisés, e nos Profetas, e nos Salmos. Então, abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras”.
Os dois discípulos de Jesus que iam para Emaús encontrou Jesus no caminho e o reconheceram quando ele partiu o pão de deu a eles. Mas logo depois Jesus desapareceu. Um deles disse ao outro então: “Porventura, não ardia em nós o nosso coração quando, pelo caminho, nos falava e quando nos abria as Escrituras?” Então eles voltaram para Jerusalém e contaram aos outros discípulos o que tinha acontecido. E havia outros entre eles que também haviam encontrado Jesus, como os dois discípulos. Alguns duvidavam da ressurreição de Jesus, outros estavam certos dela. Por isso que eles debatiam se isso tinha acontecido mesmo ou não.
Naquele momento Jesus apareceu em meio a eles e disse: “Paz seja convosco”. Os falsos mestres de hoje dizem: “O Espírito Santo vem pela entrada ocidental. O Espírito Santo vem pela porta oriental”. Mas vemos aqui que Jesus apareceu no meio deles. Isso mostra que ele fato apareceu para os onze discípulos quando eles estavam muito confusos com as notícias da sua ressurreição. É como se estivéssemos conversando aqui agora e Jesus aparecesse no nosso meio. Os discípulos ficaram espantados e com medo quando Jesus apareceu no meio deles. Mas eles então lhes disse: “Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos ao vosso coração? Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; tocai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho”. Os discípulos de Jesus ficaram felizes em vê-lo de novo, mas não puderam crer na sua ressurreição, pois acharam aquilo incrível. Jesus lhes perguntou: “Tendes aqui alguma coisa que comer?” Eles então pegaram um pedaço de peixe assado e deram a ele. Jesus o pegou e de fato o comeu.
Antes de Jesus aparecer aos discípulos, é bem provável que eles tenha dito: “Alguns viram o Senhor ressuscitado. Até estes dois discípulos disseram que conversaram com ele enquanto desciam para Emaús. Mas eles não o reconheceram a princípio, só depois que ele desapareceu. O que está acontecendo? Isso é tão confuso. Vocês também o viram? E outros discípulos disseram que também o tinham visto. Isso é muito estranho”. E enquanto questionavam uns aos outros, Jesus entrou sem abrir a porta e apareceu no meio deles. Eles então ficaram espantados, mas Jesus lhes mostrou as mãos e os pés e disse: “Põe aqui o teu dedo e vê as minhas mãos; chega a tua mão e põe-na no meu lado”.
Outro evangelho fala de Tomé, um dos doze discípulos de Jesus, que não creu no que os discípulos disseram. Isso quer dizer que ele não creu quando as pessoas disseram que viram Jesus. Mas Jesus apareceu para ele e disse: “Põe aqui o teu dedo e vê as minhas mãos; chega a tua mão e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente” (João 20:27). E como disse o Senhor, Tomé pôs a mão nas marcas feitas pelos pregos no corpo de Jesus para ver se ele tinha mesmo ressuscitado. Foi assim que Tomé se tornou um homem de fé. Isso não está no evangelho de Lucas, mas aqui diz que Jesus comeu. Ele disse: “Vocês têm algo para eu comer agora? Eu ressuscite tanto no corpo como no espírito”. E Jesus comeu na hora um pedaço de peixe assado que os discípulos lhe deram. Ele então deixou a Palavra para eles, os abençoou e foi para o céu. Está escrito: “E levou-os fora, até Betânia; e, levantando as mãos, os abençoou. E aconteceu que, abençoando-os ele, se apartou deles e foi elevado ao céu”. E isso nos mostra que a Palavra realmente se cumpriu.
Já que lemos na Palavra de Deus, podemos até pensar: “Eu sou muito grato por Jesus ter ressuscitado”. É claro que eu também sou grato ao Senhor. E minha esperança é que também seremos como ele no futuro. E esperança aqui significar desejar muito alguma coisa. O que desejamos ser então? O fato de Jesus ter ressuscitado dos mortos é uma bênção maior ainda do que ele ter apagado todos os nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito e nos ter feito seus filhos. Por isso que a ressurreição é a maior de todas as bênçãos. E vemos aqui que Jesus ressuscitou mesmo. Voltar à vida é de fato uma grande bênção para nós.
Já que vivemos neste mundo, às vezes deixamos para lá uma culpa que não pode ser apagada. Mas o que as pessoas dizem? Elas dizem: “Eu gostaria de viver bem sem esta culpa se tivesse outra chance”. As pessoas dizem isso sempre. Mas nó que nascemos de novo não temos culpa alguma. Jesus apagou todas as nossas culpas e pecados de um modo perfeito. Nós que cremos no evangelho da água e do Espírito recebemos a remissa de pecados, nos tornamos filhos de Deus e viveremos no seu reino no futuro. Nós cremos realmente nisso.
Jesus ressuscitou do vale de onde ninguém podia voltar chamado ‘morte’ pelo seu poder. Nós temos que analisar a ressurreição de Jesus e meditar nisso. E também temos que desejar isso em nosso coração. Temos que desejar morrer com Jesus, ter uma nova vida e começar tudo novo. Este é o sentido principal da ressurreição de Jesus. Já que estamos na Páscoa, temos que analisar isso e meditar nisso também.
 
 
Você e Eu Recebemos a Remissão de Pecados Crendo no Evangelho da Água e do Espírito
 
Receber a remissão de pecados é algo muito bom. Nós somos filhos de Deus e iremos para o céu no futuro. Mas temos que fazer a obra do Senhor enquanto estivermos neste mundo. A obra de Deus é justa e perfeita, porém muito desafiadora e difícil também. Mas nós temos esperança. Já que recebemos a salvação em nossa alma, nossa carne deseja morrer, volta à vida, realizar nossos mais lindos sonhos e começar uma nova vida. Jesus ressuscitou dos mortos e começou uma nova vida. Ele entrou no reino eterno e agora tem uma vida gloriosa como Rei, desfrutando de riquezas e glória.
O que o Senhor disse quando morreu na cruz? Um ladrão que estava ao seu lado disse a ele: “Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu Reino”. No que Jesus lhe disse: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso”. Como você bem sabe, um dos sinônimos de paraíso é ‘utopia’. A palavra utopia vem do grego ou (não) e topos (lugar). Ela quer dizer literalmente ‘um lugar que está nessa terra’ ou ‘um lugar imaginário considerado ideal e perfeito’. Mas o que o Senhor quis dizer quando falou: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso?” Que depois de completar 33 anos de vida nessa terra e começar uma nova vida no reino eterno depois de ressuscitar, nós que cremos no evangelho da água e do Espírito também desfrutaremos de uma nova vida. Porém se quisermos desfrutar desta nova vida, temos que crer que Jesus ressuscitou e ser gratos por isso.
Jesus ressuscitou mesmo dos mortos? Sim, ele ressuscitou dos mortos para que nosso corpo corruptível se revestisse de incorruptibilidade e tivéssemos uma nova vida para sempre (1 Coríntios 15:53). Eu disse antes que desejar significa querer muito alguma coisa. O que você e eu desejamos então? Todo ser humano que nasce neste mundo certamente morrerá. Mas já que nosso corpo vai ressuscitar como o Senhor depois que morrermos, o que vamos desejar quando estivermos na sua presença? O que desejaríamos se nosso corpo imperfeito morresse mas se tornasse novo depois de voltar à vida? Nosso desejo seria apenas viver com o Senhor. O Senhor disse que participaríamos da sua ressurreição. Portanto, nosso corpo ressuscitará depois que morrermos, e o que mais desejamos de Deus é ter um novo corpo, diferente do corpo imperfeito que temos agora, e estar junto a Jesus, reinando sobre os anjos, desfrutando de tudo e livres de todo o mal. É isso o que eu quero.
Meu coração se alegra neste domingo de Páscoa porque eu recebi a salvação em minha alma, a remissão de pecados em meu coração. E como eu tenho a garantia de que receberei tudo do Senhor, eu me alegro com meu futuro porque estarei na sua presença. Portanto, eu quero que meu corpo receba uma nova vida e viva como o Senhor. Eu quero viver novamente com um corpo perfeito, não com este corpo imperfeito que tenho agora. Por isso que a Páscoa tem um significa muito especial para nós.
 
 
Você Crê que Jesus Ressuscitou dos Mortos?
 
Por que você acha que Jesus ressuscitou dos mortos? Ele ressuscitou dos mortos para nos dar uma nova vida. Jesus foi batizado, morreu na cruz, apagou todos os nossos pecados e ressuscitou dos mortos. Ele ressuscitou para ser nosso perfeito Senhor, para apagar todos os nossos pecados, para nos trazer de volta à vida e fazer com que levemos uma nova vida. Jesus é o Senhor da ressurreição. Ele é o Senhor da vida. O apóstolo Paulo disse: “E, se não há ressurreição de mortos, também Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé” (1 Coríntios 15:13-14).
Aqui diz que nossa fé seria vã se o Senhor não tivesse ressuscitado. Se tivéssemos sido salvos apenas espiritualmente, no nosso espírito ou em nossa mente, e nosso corpo não tivesse sido trazido de volta à vida para levarmos uma nova vida, e se não esperássemos a ressurreição do nosso corpo, não haveria mais então nenhuma esperança para nós cristãos. Mas já que o Senhor ressuscitou dos mortos, ele nos ressuscitou também a fim de recebermos a remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito, trouxe nosso corpo de volta à vida e nos deu uma nova vida. Ele nos deu uma vida realmente abençoada. Esta é a vida que espera por mim e por você. E se nós não tivéssemos esta esperança, seríamos apenas sonhadores. E se fosse assim, tudo que cremos seria invenção da nossa mente e apenas um tolo jogo de palavras.
A alma de Jesus, que nos salvou do pecado, não tem pecado. O Senhor veio como o Cordeiro sem defeito e levou sobre si todos os nossos pecados. Depois foi condenado por eles ao ter seu corpo crucificado na cruz, ao morrer sobre ela e ressuscitar dos mortos. O corpo físico é indispensável para o ser humano. Por quê? Porque não podemos viver aquis em um corpo físico. Viver sem um corpo físico não faz sentido algum. Mas o Senhor salvou até nosso corpo físico. Com diz a Palavra: “Onde está, ó morte, o teu aguilhão?” Sua ressurreição fez com que a morte desaparecesse do nosso corpo físico também. O Senhor fez a morte desaparecer. Ele disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”, e “eu sou a ressurreição”. Isso quer dizer que ele é o Senhor da vida que ressuscitou dentre os mortos.
Já que estamos na Páscoa então, nosso corpo deve ansiar pela ressurreição, e devemos crer que isso de fato acontecerá. Temos que crer que de coração e desejar ter uma nova vida pensando assim: “Nosso vai mesmo voltar à vida e teremos uma nova vida depois que ressuscitarmos”. Temos que desejar isso. Não estamos levando uma verdadeira vida cristã se não desejamos a ressurreição do corpo e da alma. E esta não é a verdadeira fé. A vida neste mundo é apenas um processo para alcançarmos a vida eterna. Não precisamos nos preocupar se mesmo que nossa vida seja miserável aqui. Quando nosso corpo físico for ressuscitado, nossa vida miserável neste mundo chegará ao fim. Nós teremos a mesma vida que Deus desfruta num mundo glorioso. E devemos desejar esta vida em nosso coração. O Senhor nos deu a ressurreição. E ele prometeu que ressuscitaria nosso corpo também. O próprio Senhor cumpriu a promessa e disse que também nos ressuscitaria a seu tempo. Você e eu seremos ressuscitados pelo Senhor e teremos uma nova vida com um novo corpo que espera por nós. Mas o que aconteceria conosco que recebemos a remissão de pecados crendo no evangelho da água e do Espírito se não desejássemos isso? O que aconteceria se não desejássemos viver assim na presença de Deus? Obviamente teremos esta vida mesmo que não a desejemos. No entanto, temos que entender que uma vida maravilhosa espera por nós e devemos desejá-la, já que temos uma vida espiritual. O que eu estou dizendo é que temos que entender muito bem o que é esta vida.
Já que a Páscoa está chegando, o que acontecerá se não crermos que nosso corpo ressuscitará e que teremos uma vida gloriosa? Temos que desejar isso com toda esperança porque certamente irá acontecer. Mas o acontecerá se não desejarmos isso ardentemente? Nós sucumbiremos perante a morte quando as lutas vieram e ela nos ameaçar. Mas se cremos que o Senhor nos deu a ressurreição, jamais sucumbiremos perante a morte. Ao contrário, estaremos firmes diante dela por crermos que viveremos novamente. Por isso que nossa fé na ressurreição é tão importante. O domingo de Páscoa é um dia maravilhoso para nós porque confirmamos em nosso coração que cremos na ressurreição do nosso corpo porque o Senhor ressuscitou. Não é algo simples como dizer ‘vamos começar uma nova obra; vamos renovar nossas forças’.
Eu desejo isso realmente. Eu desejo muito a nova vida que receberei, a nova vida na qual viverei para sempre e que será gloriosa quando começar. Eu creio nisso porque o Senhor ressuscitou e agora vive gloriosa e eternamente. Eu creio nisso porque ele ressuscitou dos mortos e ascendeu aos céus para nos dar uma nova vida, e também porque ele garantiu que voltaria. Eu quero que você entenda isso e creia nisso também. Todos nós temos que desejar isso.
Todos os cristãos devem ter esta esperança no coração agora. Primeiro, temos que desejar a ressurreição dos mortos. Temos que ansiar por isso. Temos que viver com esta esperança. As Escrituras dizem: “Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor (ARA)”. Deus nos amou tanto que apagou todos os nossos pecados, nos salvou e ressuscitou dos mortos por nós. Ele nos deu uma nova vida e nos ressuscitou. Ele ressuscitou nossa alma e ressuscitará nosso corpo físico. Temos que desejar isso então. Devemos ter este desejo daqui por diante. O maior destes é o amor, mas o que afinal nos resta? A esperança. Que tipo de vida devemos desejar ter? Esta é a questão. Que tipo de vida você e eu desejamos ter? Qual o objetivo da nossa vida e que tipo de vida desejamos ter? O que devemos desejar então? Temos que desejar ressuscitar dos mortos como o Senhor e ter uma vida de riquezas e glória com ele eternamente. Isso quer dizer que devemos desejar ter uma vida sem defeito, perfeita, embora nossa vida neste mundo seja imperfeita. Enfim, temos que crer, desejar e esperar por isso. Esta é a verdadeira vida espiritual dos cristãos. Você crê nisso?
Devemos ter esta esperança. Devemos viver com esta esperança. O apóstolo Paulo disse: “Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada” (Romanos 8:18). Certamente não conseguiríamos viver neste mundo se não tivéssemos esperança. Se as pessoas recebessem a remissão de pecados pelo evangelho que pregamos para elas e seu corpo morresse depois de ter uma vida miserável, e se seu corpo não ressuscitasse para desfrutar da vida eterna, com toda certeza não pregaríamos mais este evangelho. É algo muito importante ter os pecados remidos e não ir para o inferno. Só o fato de irmos para o céu é algo glorioso, mas se não tivéssemos esta esperança, se não existisse nada mais além disso, nosso evangelho e nossa fé não mudaria em nada o status quo deste mundo.
Mas qual é a verdade? É que uma nova vida espera por todos que receberam a remissão de pecados. Nós morreremos, mas teremos uma nova vida depois que ressuscitarmos dentre os mortos.
Nós somos maus, fracos e tolos agora. No entanto, a vida que nos aguarda no futuro é positiva, definitiva e perfeita em detrimento à vida negativa deste mundo. A nova vida que teremos no futuro será gloriosa, abençoada e perfeita para todo o sempre. Nós viveremos com um poder perfeito. Será uma vida em que poderemos realizar todo desejo do nosso coração se não for algo ruim. Esta é a vida da ressurreição. Seremos como o Senhor quando ressuscitarmos, pois foi ele quem nos deu esta ressurreição.
Não precisamos ter medo na hora da morte ou ficar tristes quando ela chegar no futuro, pois com toda certeza uma vida gloriosa está garantida para nós depois da morte. Nossa vida não acabará em desgraça porque começaremos uma nova vida depois que ressuscitarmos dos mortos. Eu creio nisso. Você crê nisso também? A ressurreição é algo magnífico porque é o início de uma nova vida.
Nós estamos nos dedicando ao máximo agora para salvar a alma das pessoas. E nosso corpo se cansa cada vez mais por causa desta obra. E ainda temos um longo caminho pela frente. Uma nova vida espera por nós. Mas esta nova vida é para os que nasceram de novo. Esta é a ressurreição. Se fosse para irmos para o céu depois de recebermos a remissão de pecados e vivermos assim, se não tivéssemos uma nova vida após a morte, se nosso corpo não ressuscitar, o Senhor não teria ressuscitado. Mas o Senhor ressuscitou mesmo. Ele ressuscitou dos mortos para nos fazer ressuscitar também, para nos mostrar que ele é o Senhor da ressurreição e da vida, assim como sua abundante graça.
Antes de nascer de novo, ou seja, antes de crer no evangelho da água e do Espírito, eu não cria na ressurreição. Mas eu creio nela agora. Eu creio que uma nova vida espera por mim e por você. Você crê nisso também? Embora eu não saiba quanto tempo vamos viver neste mundo após nascermos e como viveremos no futuro, uma coisa que está muito clara para mim é que uma nova vida nos espera. Eu tenho fé nisso e creio que você também tem esta fé.
A ressurreição do Senhor é a prova que nos garante que começaremos uma nova vida após a morte. Nesta ocasião, este corpo físico será trazido de volta à vida e transformado num corpo santificado. Você está entendendo? O que eu quero dizer é que não restará apenas nossa alma. É por esta razão que a ressurreição é algo maravilhoso para mim. E eu sou tão grato ao Senhor que nos deu este valioso presente.
Nós podemos ter esta esperança agora. E já que estamos pregando o evangelho agora, levando algo de valor às pessoas, fazendo a obra que o Senhor nos confiou, o fato de iniciarmos uma nova vida nos encoraja a servi-lo e fazer sua obra.
O que eu estou dizendo é que esta esperança me alegra muito. Guarda esta Palavra no fundo do seu coração, medite nela e creia mesmo nela. Eu espero que você encontre o Senhor depois de viver ansiando pela ressurreição, crendo na ressurreição do Senhor e na sua também. Você crê nisso? Sim, eu também creio. Aleluia! Jesus ressuscitou!