The New Life Mission

Sermões

Assunto 18: GÊNESIS

[Capítulo 4-7] (Gênesis 4:1-7) Jesus Cristo Foi a Perfeita Propiciação que Apagou os Pecados do Mundo

(Gênesis 4:1-7)
“Conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e teve a Caim, e disse: Alcancei do Senhor um homem. Tornou a dar à luz, e teve a Abel, seu irmão. Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra. Ao cabo de dias trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao Senhor. Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura. Atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta, mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante. Então lhe disse o Senhor: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante? Se procederes bem, não serás aceito? E se não procederes bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar”.
 
 
O que os Pecadores Precisam?
 
Deus deu a Adão e Eva dois filhos chamados Caim e Abel, e quando eles cresceram, Caim se tornou lavrador e Abel pastor de ovelhas. E aconteceu que estes dois homens deram uma oferta ao Senhor: Abel ofereceu dos primogênitos de suas ovelhas e sua gordura, e Caim ofereceu o fruto da terra. Deus então aceitou a oferta de Abel, mas não a de Caim. Mas por que Deus aceitou a oferta de Abel e rejeitou a de Caim?
A resposta está no fato de Abel ter oferecido os primogênitos das suas ovelhas e sua gordura, pois esta oferta era aceitável a Deus. A bíblia diz aqui que Deus aceitou a oferta de sacrifício dos primogênitos das ovelhas e sua gordura, e quando vista à luz da obra de redenção de Deus, esta passagem nos traz a verdadeira e profunda providência de Deus. Através do evangelho da água e do Espírito, temos que entender o significado dessa Palavra misteriosa e crer nela. Melhor dizendo, esta oferta mostra o “ato de justiça” de Deus (Romanos 5:18) que foi cumprido pelo Senhor quando Ele veio a essa terra num corpo carnal, quando Ele foi batizado e derramou Seu sangue para salvar toda a raça humana dos pecados deste mundo.
A “gordura” mencionada no texto bíblico deste capítulo demonstra que Jesus é o próprio Deus que criou o universo e nos salvou do pecado. Para ser bem claro, nosso Senhor é de fato o Deus que tem a função de Sumo Sacerdote celestial, e foi por isso que Ele veio a essa terra num corpo carnal a fim de salvar o homem do pecado e levá-lo para o Reino dos Céus. Jesus é o Salvador que veio a essa terra, foi batizado para levar todos os pecados deste mundo em Seu corpo, derramou Seu sangue na cruz levando todos eles e ressuscitou dos mortos. Este foi o ato de justiça pelo qual Ele salvou todos os crentes dos seus pecados.
Como o Salvador que veio a essa terra para apagar todos os nossos pecados, o Senhor realizou a obra da salvação e a completou de uma vez por todas. O Senhor veio a essa terra em um corpo carnal, apesar de ser o próprio Deus, o Ser espiritual que não conhecia o pecado, com o propósito de se tornar a perfeita propiciação que poderia salvar a todos neste mundo dos seus pecados. O Senhor teve que vir num corpo carnal. Só assim Ele poderia levar todos os nossos pecados em Seu corpo através do batismo. E com Seu sangue, com Sua vida e sendo condenado por todos os nossos pecados de uma vez por todas, Ele nos salvou de todos os nossos pecados. Agora, por meio do evangelho da água e do Espírito, nós podemos ter um encontro com este Jesus que ofereceu Seu corpo para expiar todos os nossos pecados como Sumo Sacerdote. Jesus é de fato o Deus que, vendo nossa fé no evangelho da água e do Espírito, nos dá a salvação.
Por que Jesus veio a essa terra? Ele veio para salvar todos os pecadores deste mundo de todo pecado e maldição ao apagar todos os seus pecados de uma vez por todas com o evangelho da água e do Espírito. Para se tornar nosso Sumo Sacerdote, Jesus levou todos os nossos pecados de uma vez por todas em Seu corpo quando foi batizado. Melhor dizendo, nosso Senhor foi batizado para aceitar os pecados do mundo sobre Seu corpo e se tornar nossa propiciação para apagar estes pecados. Nosso Senhor ofereceu Seu próprio corpo a Deus como propiciação para nos salvar de todos os nossos pecados. Ele não tomou nenhum animal dessa terra para apagar nossos pecados; pelo contrário, Ele ofereceu Seu próprio corpo sem defeito como propiciação pelos nossos pecados.
Deste modo, o texto bíblico deste capítulo nos ensina com que tipo de fé devemos nos aproximar de Deus quando estamos em Sua presença. Que tipo de fé devemos ter quando estamos na presença de Deus? O Senhor está nos dizendo que devemos buscá-Lo tendo fé no evangelho da água e do Espírito que purificou todos os nossos pecados. Para sermos remidos de todos os nossos pecados, temos que crer no batismo que Jesus recebeu para nos salvar dos pecados deste mundo e no Sangue que Ele derramou para expiar estes pecados. Nosso Senhor é o verdadeiro Salvador que, ao expiar nossos pecados, apagou de forma completa todos os pecados do mundo. Nós só podemos ser salvos de todos os nossos pecados quando buscamos estar na presença de Deus crendo nessa propiciação eterna oferecida pelo nosso Senhor. Nós temos que reconhecer realmente o evangelho da água e do Espírito como a Verdade da nossa salvação. Só assim nossa fé será aceita pelo Deus justo.
Jesus Cristo é o nosso Senhor e o Sumo Sacerdote do Reino dos Céus. Se não conhecermos a obra do evangelho da água e do Espírito que o Senhor cumpriu por nós, então não poderemos ter certeza de que Jesus Cristo é o nosso Salvador, mesmo se quisermos. Nós não podemos conhecer o verdadeiro sacrifício de expiação nem oferecer toda nossa fé a Deus se nós não conhecermos primeiro o evangelho da água e do Espírito. Como nós podemos oferecer então os primogênitos das nossas ovelhas e sua gordura, nossa verdadeira propiciação? Deixe-me dizer de novo: nós temos que ter fé no evangelho da água e do Espírito que o Senhor nos deu para que estejamos na presença de Deus tendo uma fé verdadeira. Os verdadeiros atos de fé só são possíveis no evangelho da água e do Espírito. Em outras palavras, nós só podemos caminhar com Deus pela fé crendo no evangelho da água e do Espírito. É por isso que a bíblia diz que ninguém pode ter uma vida espiritual plena se não tiver a fé perfeita (Tiago 2:22). E só conseguimos ter essa fé quando cremos que Jesus Cristo é o nosso Salvador.
Nós temos que ser remidos de todos os nossos pecados crendo no Salvador Jesus através do evangelho da água e do Espírito. Nós temos que ter fé neste Jesus Cristo como nosso Salvador, Ele que é o nosso Sumo Sacerdote celestial. Só então poderemos receber a verdadeira salvação, nos tornar filhos de Deus e herdar Seu Reino como Seus verdadeiros herdeiros. É isso que o texto de Gênesis capítulo quatro está nos dizendo.
 
 
Nós Precisamos Sacrificar o Cordeiro de Deus para Purificar Todos os Nossos Pecados
 
Nossa natureza é tão terrível que não podemos deixar de pecar até o dia da nossa morte. E é por isso que o Cordeiro de Deus é absolutamente necessário para que pessoas como nós recebam de Deus a remissão de pecados. Nós temos que trazer para Deus os primogênitos das nossas ovelhas e sua gordura e fazermos a seguinte confissão de fé: “Deus eterno, assim como este cordeiro derramou seu sangue e morreu diante de Ti, eu também tinha que morrer assim pelos meus pecados, mas para me salvar, Jesus, o Cordeiro de Deus, foi batizado por João Batista. O Senhor aceitou meus pecados de uma vez por todas ao ser batizado e depois foi condenado por todos estes pecados na cruz”.
Quando apresentamos a Deus essa fé em Jesus, o Cordeiro sacrificial, e quando O buscamos com fé em Jesus como nosso Salvador, podemos receber a verdadeira remissão de pecados. Quando apresentamos a Deus essa fé e Ele a vê em nós, Ele a aprova e nos aceita como Seus filhos.
Até Abel, se não tivesse oferecido dos primogênitos das suas ovelhas e sua gordura a Deus, não teria sido aceito por Ele. Abel trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e sua gordura e ofereceu a Deus. Isso significa que ele podia se achegar a Deus com toda confiança porque cria que Jesus Cristo era o Sumo Sacerdote celestial que apagou todos os pecados do homem. Foi por isso que Deus aceitou Abel e sua oferta. Nós também temos que buscar a Deus com a mesma fé de Abel. Nós temos que entender que toda fé diferente da fé de Abel jamais será aceita por Deus.
 
 
O Altar de Ofertas Queimadas do Antigo Testamento é o Produto do Castigo pelo Pecado
 
Quando o povo de Israel entrava no Tabernáculo para oferecer sacrifícios de expiação a Deus, o primeiro utensílio que eles encontravam lá dentro era o altar de ofertas queimadas. O segundo utensílio que eles viam era a pia de bronze. Tanto o altar quanto a pia eram feitos de bronze. O que o altar e a pia de bronze nos dizem então? Como nós, que não possamos de um poço de pecados, podemos buscar a Deus e estar na Sua presença? O altar de ofertas queimadas demonstra que todos os nossos pecados já foram condenados pela oferta de sacrifício. Portanto, a única maneira de escaparmos do juízo de Deus e estamos na Sua presença é quando O buscamos crendo que todos os nossos pecados foram condenados no altar de bronze de ofertas queimadas. Apesar de sermos seres imperfeitos que não podem evitar o pecado até o dia de nossa morte, podemos buscar a Deus com toda ousadia crendo que o sacrifício de expiação tirou todos os nossos pecados e os condenou no altar de ofertas queimadas.
Sempre que um israelita oferecia um sacrifício no altar de ofertas queimadas, ele primeiro tinha que confessar os seus pecados e passá-los para o animal do sacrifício impondo suas mãos sobre sua cabeça. Depois disso, ele o imolava, derramava seu sangue e o dava ao sacerdote. Este então oferecia sacrifício de expiação em seu lugar, levando-o assim a receber a remissão dos seus pecados.
A pia de bronze, por outro lado, simboliza a certeza de que nossos pecados foram totalmente apagados por meio do sacrifício de expiação aceito por Deus. Em outras palavras, isso significa que quando aceitamos a Palavra do evangelho da água e do Espírito, nós podemos ter a fé de que todos os pecados cometidos em nosso coração e em nossos atos já se tornaram mais alvos que a neve. Agora, crendo em Jesus Cristo, o Sumo Sacerdote celestial, e no Seu sangue na cruz, podemos chegar diante de Deus com toda ousadia e sem medo algum. Nós cremos que foi assim que o Senhor nos salvou.
Depois de passarmos pelo altar de ofertas queimadas e pela pia de bronze, encontramos o santuário, que é a estrutura principal do Tabernáculo. Mas que tipo de fé procuramos ter quando entramos no santuário? É a mesma fé que nós temos na Palavra que afirma que Deus apagou todos os nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito. Nós só podemos entrar no santuário se crermos que o Senhor é o Sumo Sacerdote de todos nós que cremos no evangelho da água e do Espírito.
O que nós encontramos quando entramos no santuário de Deus? Encontramos o candelabro, a mesa dos pães asmos e o altar de incenso. O candelabro fica à esquerda e a mesa de pães asmos à direita; nessa mesa há doze pães sem fermento postos em fileira. Aqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito dado por Deus se alimentam do pão da vida que é a Palavra de Deus. Quem sempre come este pão espiritual nunca mais tem fome, pois se tornam membros da Igreja de Deus e Seus obreiros que iluminam este mundo com a luz da salvação. Aqueles que receberam a remissão de pecados compartilham deste pão na Igreja de Deus e o repartem com as pessoas do mundo todo também. É isso que nos ensina a mesa de pães asmos e o candelabro.
O altar de incenso simboliza a vida de oração. Ela foi colocada à direita no santuário e a cada ano o sumo sacerdote passava o sangue nas suas quatro pontas. Isso significa que se quisermos orar a Deus, primeiro nós temos que crer que Jesus Cristo apagou todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista e derramando Seu sangue, e que é assim que recebemos a remissão dos nossos pecados. Se houver algum pecado em nosso coração quando nós orarmos a Deus, elas jamais O alcançarão. É por isso que a bíblia diz:
“Certamente a mão do Senhor não está encolhida,
Para que não possa salvar,
Nem surdo o seu ouvido,
Para que não possa ouvir.
Mas as vossas iniqüidades fazem divisão entre vós e o vosso Deus,
E os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós,
Para que não vos ouça” (Isaías 59:1-2).
Se um pecador quiser orar a Deus, ele primeiro deve ter fé que todos os seus pecados foram totalmente purificados através do batismo de Jesus e do Seu sangue. Apesar de nós pecarmos sempre por causa da nossa fraqueza, temos que crer que nosso Senhor já levou todos os nossos pecados com Seu batismo e foi condenado por eles ao ser crucificado. Só então nós poderemos fazer com que Deus receba nossas súplicas como alguém que não tem pecado. É assim que podemos fazer com que o incenso do altar no santuário suba até Deus. Portanto, somente aqueles que receberam a remissão de pecados por crerem no evangelho da água e do Espírito é que podem orar a Deus como Seus filhos. Só depois de nascermos de novo, melhor dizendo, é que estaremos aptos a orar ao Deus santo.
 
  
Aqueles que Crêem no evangelho da água e do Espírito estão Aptos a Orar a Deus
 
Nenhum pecado está apto a orar a Deus. No entanto, nós crentes no evangelho da água e do Espírito estamos todos aptos a orar a Deus. Assim como o altar de incenso, a mesa dos pães asmos e o candelabro eram encontrados no Santo lugar, e se nós recebemos de Deus a remissão de pecados por cremos no evangelho da água e do Espírito, somos membros da Igreja de Deus então, e assim podemos comer do pão da vida e também compartilhá-los com os outros. Em outras palavras, todas essas três bênçãos nos são dadas quando recebemos a remissão de pecados. Esta é a vida de quem vive no santuário de Deus. Isso significa também que somos santuário de Deus (1 Coríntios 3:16). Deus nos tem como Seus filhos santificados. É por isso que quando recebemos de Deus a remissão de pecados, nós nos tornamos justos e podemos nos alimentar da Sua Palavra pela fé.
Para entrarmos no santuário, precisamos passar pelo véu de tecido azul, púrpura e escarlate de linho fino, assim como passar também pelo véu da entrada do Tabernáculo que tinha as mesmas cores: o azul significa o batismo de Jesus, a púrpura significa que Ele é Deus, e o carmesim significa Seu sangue. O que devemos apresentar então para entrarmos no Reino dos Céus? Nós temos que apresentar a fé de que nossos pecados já foram apagados pelo evangelho da água e do Espírito. Só assim nos tornamos justos, podemos comer o pão da vida, desfrutar da vida eterna e orar a Deus.
Na época do Antigo Testamento, para entrar no Santo dos santos, o sumo sacerdote tinha que levar o sangue do sacrifício que aceitava os pecados do povo. O sistema sacrificial do Dia da Expiação representa a Verdade de que, quando cremos no batismo do Cordeiro Jesus Cristo, não apenas escapamos da ira de Deus, mas também nos tornamos Seus filhos e desfrutamos de todas as bênçãos celestiais.
A fé que nos leva a entrar no Reino de Deus é exatamente a nossa fé no evangelho da água e do Espírito. Este evangelho testifica que Jesus tirou os pecados da nossa vida inteira ao ser batizado no rio Jordão, levou os pecados do mundo sobre si e foi condenado na cruz. Portanto, temos que crer na expiação do Cordeiro de Deus. Temos que crer no Senhor Jesus Cristo que levou todos os nossos pecados e trazer o sangue da expiação à presença de Deus.
Depois do Santo Lugar, encontramos outra entrada com um véu. Este véu também é azul, púrpura e carmesim e de linho fino retorcido, com querubins (anjos) estampados nele.
Além deste véu está o Santo dos santos. Mas o que nós encontramos dentro do Santo dos santos? Encontramos a Arca do Testemunho, a Arca do Concerto de Deus. Este é o lugar onde o próprio Deus se manifestava. A Arca era retangular e coberta por uma tampa; dentro dela estavam as duas tábuas da lei, a vara de Arão que floresceu e um pote de ouro com maná. Havia dois querubins com as asas abertas, um de frente para o outro, na tampa da Arca. Essa tampa também era chamada de propiciatório, pois ali Deus manifestava Sua misericórdia.
Por sermos pecadores, não podemos evitar o severo juízo de Deus, mas quando nós cremos que Jesus Cristo tirou todos os nossos pecados e derramou Seu sangue para expiá-los e entramos no Santos dos santos com essa fé, Deus nos concede a graça da Sua redenção. Isso não é nada mais do que receber a graça da salvação vinda do propiciatório. Quando o sumo sacerdote espargia o sangue do sacrifício sete vezes sobre o propiciatório uma vez por ano, era essa fé que ele estava confessando.
O que precisamos realmente para estarmos na presença de Deus? Deus nos aceita quando oferecemos a Ele nossas boas obras, como Caim? Não, claro que não! Não são nossas obras que Deus aceita com prazer, mas nossa fé. Se nos achegarmos a Deus com fé no evangelho da água e do Espírito, Ele irá nos considerar justos ao vê-la, nos aceitará como Seus filhos e nos dará todas as bênçãos celestiais também. Mas se não tivermos fé no evangelho da água e do Espírito, enfrentaremos sérios problemas. Ao invés de recebermos a graça da salvação de Deus, nós seremos amaldiçoados e condenados.
Se alguém buscar a Deus, mesmo que seja com o menor de todos os pecados, o fogo do juízo irá consumi-lo na mesma hora. Portanto, se alguém busca a Deus, se ele tiver a fé de um pecador que foi remido do pecado original mas não dos seus pecados pessoais, ele não poderá entrar no Reino de Deus, por mais que deseje isso.
O átrio do Tabernáculo tinha a forma retangular, na parte que dá para o ocidente e o oriente, 50 cúbitos (22,5 metros ou 24.6 jardas) e na parte que dá para o norte e para o sul, 100 cúbitos (45 metros ou 49,2 jardas). Para separar o Tabernáculo da parte externa, todos os quatro lados foram cobertos com cortinas de linho fino retorcido. Estas cortinas tinham 5 cúbitos (2.25 metros) e a entrada do Tabernáculo tinha um total de 100 pilares de madeira. Estes pilares eram amarrados com faixas de prata e fixados ao chão com pregos de bronze. Além disso, os pilares foram fixados em bases de prata para que não viessem a afundar na terra.
Na bíblia, a graça de Deus simboliza a graça da salvação de Deus, enquanto que o bronze simboliza Seu juízo. De todos os utensílios do Tabernáculo, tudo que era enterrado no solo era de bronze. Isso significa que nós seres humanos merecemos ser condenados, mas já que Jesus tirou todos os nossos pecados ao ser batizado e foi condenado em nosso lugar, aqueles que tinham que ser condenados pela fé podem receber agora a remissão de pecados e entrar no santuário de Deus pela Sua graça.
Madeira, prata e bronze foram usados nos pilares cobertos com linho fino retorcido que separavam a parte externa do Tabernáculo. Cada pilar foi amarrado com faixas de prata para ficarem juntos, e fixados ao solo sobre bases de prata para que não afundassem. Isso nos mostra que nós podemos permanecer firmes na graça de Deus porque o Senhor já foi condenado por nós. Além disso, os pilares cobertos com linho fino retorcido ao redor do Tabernáculo nos mostram que fomos purificados de todos os nossos pecados e nos tornamos povo de Deus por crermos no evangelho da água e do Espírito. Por isso, todos os elementos do Tabernáculo deixam bem claro que é pela graça da salvação de Deus que podemos estar na Sua presença como Seus filhos agora.
 
 
A Oferta Sacrificial de Abel Representa a Fé na Justiça de Deus
 
Quando Abel sacrificou o primogênito de suas ovelhas e o trouxe a Deus junto com sua gordura, foi isso que ele disse pela fé do seu coração: “Querido Deus, eu tinha que ser condenado e morrer pelos meus pecados. Mas eu creio que, segundo a Sua lei da salvação, quando eu impus as mãos sobre este cordeiro, todos os meus pecados foram passados para ele; deste modo, o salário pelos meus pecados foi pago. Eu ofereço este sacrifício a Ti pela fé. Eu creio que Tu aceitarás este cordeiro sacrificial e me salvará”. A fé que Abel apresentou a Deus foi essa, e foi por causa dessa oferta de fé que ele foi aprovado por Ele. Enfim, Abel foi alguém que venceu o pecado e a morte pela fé.
Abel é um dos pais da fé que creram na justiça de Deus. Nós também podemos nos tornar filhos de Deus tendo a mesma fé, crendo que Jesus é nosso Sumo Sacerdote. Quando nós buscamos a Deus tendo fé na Sua justiça, até mesmo a justa lei de Deus não pode mais nos condenar. Por Jesus ter se tornado nosso Sumo Sacerdote, até mesmo essa lei que representa a severa justiça de Deus não pode dizer que temos pecado – pelo contrário, ela só pode reconhecer que não temos mais pecado.
Jesus levou sobre Seu corpo todos os nossos pecados ao ser batizado e foi condenado por nós; por isso, todo aquele que crê nessa Verdade será salvo dos seus pecados. Embora Deus seja justo e muito severo, Ele nos salvou de todos os nossos pecados ao enviar Seu Filho, fazê-Lo ser batizado e derramar Seu sangue. E tudo isso graças à salvação trazida a nós por Aquele que é o Sumo Sacerdote do Reino dos Céus, Jesus Cristo. Você entende isso? Melhor dizendo, Deus nos tornou justos pela Sua própria justiça. Então, temos que dar graças a Deus e glorificá-Lo pela fé por causa da Sua justiça.
Nós temos que saber realmente o que é a oferta de justiça aceitável a Deus e crer nisso. E essa oferta é a própria fé no batismo que Jesus Cristo recebeu e no Seu sangue derramado na cruz. Todos nós temos que entender através do evangelho da água e do Espírito que Jesus se tornou nosso Sumo Sacerdote. Sem dúvida alguma, Jesus cumpriu o papel de Sumo Sacerdote do Reino dos Céus. Jesus é inegavelmente o Salvador que tirou todos os pecados deste mundo de uma vez por todas. E como Sumo Sacerdote celestial, Ele apagou todos os pecados deste mundo. Esta obra foi feita através do sacrifício eterno que só o Sumo Sacerdote podia oferecer.
Os sacerdotes comuns tinham que oferecer sacrifício todo dia em favor do povo, e também tinham que fazer vários outros sacrifícios para apagar os pecados de todos os pecadores. Por outro lado, o sumo sacerdote apagava todos os pecados anuais dos israelitas oferecendo um sacrifício no décimo dia do sétimo mês. Mas quando ele completava 50 anos, ele tinha que passar as funções sacerdotais para seu filho; por essa razão, inúmeros sumo sacerdotes serviram no Tabernáculo por várias gerações.
O Sumo Sacerdote que veio do Céu, ao contrário, salvou de modo perfeito todo aquele que busca a Deus confiando no batismo de Jesus e no Seu sangue. Quando Ele veio a essa terra, Ele tirou todos os pecados do mundo de uma vez por todas ao ser batizado por João Batista, foi condenado na cruz por estes pecados, ressuscitou dos mortos, ascendeu aos Céus e agora está assentado à direita do trono de Deus. Por isso, a bíblia diz: “E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque pela morte foram impedidos de permanecer, mas este, porque permanece eternamente, tem o seu sacerdócio perpétuo. Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles” (Hebreus 7:23-25). Portanto, Jesus é o Sumo Sacerdote eterno, não é? Jesus apagou todos os pecados do mundo duas vezes? Não, claro que não! Ele os apagou de uma vez por todas com a Verdade do evangelho da água e do Espírito.
Somente quando oferecemos sacrifício de justiça a Deus pela fé no evangelho da água e do Espírito é que Ele se agrada da nossa oferta. Se não fosse assim, nós seríamos amaldiçoados, e é isso que Deus está nos mostrando com as ofertas oferecidas por Caim e Abel. Foi a oferta de Abel que Deus aceitou. E nós também nos tornamos povo de Deus quando, pela fé, damos um sacrifício de justiça que Ele aceita. Melhor dizendo, Deus aceita como Filhos você e eu que cremos no evangelho da água e do Espírito.
Nossa fé é a mesma de Abel. Nós demos uma oferta de justiça como Abel, e foi por isso que Ele nos aceitou também. Deus nos disse detalhadamente o que é a oferta da Sua justiça. A bíblia nos fala de várias maneiras sobre o evangelho da água e do Espírito. Só aqueles que crêem no evangelho da Palavra de Deus, que está descrito muito bem na bíblia, podem entrar no Céu. Agora, crendo no evangelho da água e do Espírito, nós podemos oferecer um sacrifício de justiça diário a Deus.
Caim não deu uma oferta de sacrifício como especificado por Deus; ao contrário, ele fez tudo segundo a sua vontade. Em outras palavras, totalmente diferente de Abel, Caim trouxe o fruto da terra como oferta a Deus. Toda oferta que é dada não segundo a vontade de Deus, mas segundo a vontade de alguém, não pode ser aceita por Ele. Até hoje há muitos cristãos que se enquadram nessa categoria. Muitos cristãos não têm a fé que Deus deseja; ao contrário, eles têm sua própria fé e desviam os outros com essa fé enganosa. Eles estão se tornando falsos profetas, apesar de crerem em Jesus. Eles estão se tornando ladrões que roubam do cofre das igrejas. Eles estão se tornando bandidos. Se alguém crê em Deus à Sua maneira e do jeito que quer, ele com certeza será um vigarista espiritual. Todos nós temos que crer em Deus exatamente como diz a Palavra.
O apóstolo Paulo diz em 1 Coríntios capítulo 15: “Ora, irmãos, desejo lembrar-vos o evangelho que já vos tenho anunciado, o qual recebestes e no qual permaneceis, pelo qual também sois salvos se o retendes tal como vo-lo anunciei. Se não é que crestes em vão. Pois primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e que ressurgiu ao terceiro dia, segundo as Escrituras” (1 Coríntios 15:1-4).
Ao dizer aqui “que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras” – ou seja, ao escrever isso em 1 Coríntios – Paulo está dizendo que a palavra “Escrituras” diz respeito ao Antigo Testamento. A que parte do Antigo Testamento Paulo está se referindo então? Onde o Antigo Testamento fala como nossos pecados foram remidos? O sacrifício de expiação no livro de Levítico fala desse mistério. Melhor dizendo, este sacrifício é aquele no qual o pecador passa seus pecados para um animal sem defeito impondo suas mãos sobre sua cabeça, o sacrifica, esparge seu sangue e queima sua carne e sua gordura como oferta a Deus.
Este é o mesmo sacrifício de justiça que Abel ofereceu. O Senhor veio a essa terra segundo as Escrituras, tirou todos os nossos pecados segundo as Escrituras, morreu na cruz segundo as Escrituras, ressuscitou dos mortos segundo as Escrituras, e assim se tornou nosso Sumo Sacerdote e salvou a todos nós, exatamente segundo as Escrituras. Jesus se tornou o Salvador de todos os pecadores através do evangelho da água e do Espírito. Assim como o apóstolo Paulo se tornou um homem justo crendo em Jesus segundo as Escrituras, nós também nos tornamos justos crendo da mesma maneira.
Aleluia!