The New Life Mission

Sermões

Assunto 16: O Evangelho Segundo JOÃO

[Capítulo 18-3] (João 18:25-40) Jesus é o Nosso Rei e Salvador

(João 18:25-40)
“E Simão Pedro estava ali e aquentava-se. Disseram-lhe, pois: Não és também tu um dos seus discípulos? Ele negou e disse: Não sou. E um dos servos do sumo sacerdote, parente daquele a quem Pedro cortara a orelha, disse: Não te vi eu no horto com ele? E Pedro negou outra vez, e logo o galo cantou. Depois, levaram Jesus da casa de Caifás para a audiência. E era pela manhã cedo. E não entraram na audiência, para não se contaminarem e poderem comer a Páscoa. Então, Pilatos saiu e disse-lhes: Que acusação trazeis contra este homem? Responderam e disseram-lhe: Se este não fosse malfeitor, não to entregaríamos. Disse-lhes, pois, Pilatos: Levai-o vós e julgai-o segundo a vossa lei. Disseram-lhe, então, os judeus: A nós não nos é lícito matar pessoa alguma. (Para que se cumprisse a palavra que Jesus tinha dito, significando de que morte havia de morrer.) Tornou, pois, a entrar Pilatos na audiência, e chamou a Jesus, e disse-lhe: Tu és o rei dos judeus? Respondeu-lhe Jesus: Tu dizes isso de ti mesmo ou disseram-to outros de mim? Pilatos respondeu: Porventura, sou eu judeu? A tua nação e os principais dos sacerdotes entregaram-te a mim. Que fizeste? Respondeu Jesus: O meu Reino não é deste mundo; se o meu Reino fosse deste mundo, lutariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; mas, agora, o meu Reino não é daqui. Disse-lhe, pois, Pilatos: Logo tu és rei? Jesus respondeu: Tu dizes que eu sou rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz. Disse-lhe Pilatos: Que é a verdade? E, dizendo isso, voltou até os judeus e disse-lhes: Não acho nele crime algum. Mas vós tendes por costume que eu vos solte alguém por ocasião da Páscoa. Quereis, pois, que vos solte o rei dos judeus? Então, todos voltaram a gritar, dizendo: Este não, mas Barrabás! E Barrabás era um salteador”.
 
 
Como vão vocês? Eu estive na cidade de Sokcho e acabei de chegar. Por mais que a cidade de Sokcho não seja muito longe daqui, eu me senti como se estivesse num lugar muito distante. Quando eu fico longe da igreja por uma semana, eu sinto como se eu estivesse fora por muitos anos. Mas o importante é que minha viagem foi muito boa e eu estou de volta em segurança. Eu espero que todos vocês estejam ótimos também. Eu posso ver que estamos com muito mais vigor do que antes, talvez pelo fato de termos muito trabalho pela frente.
Há três dias um vírus da gripe tem se espalhado por aí; por isso, eu peço a vocês que cuidem muito bem da sua saúde. No entanto, o vírus da gripe não é o único problema que estamos enfrentando, pois problemas políticos e sociais também tem assolado nosso país. Só que isso não está acontecendo só na Coreia, mas no mundo inteiro. Mas embora o mundo esteja um caos agora, os pregadores do evangelho devem continuar sendo firmes em sua mensagem.
 
 
O Mundo Está um Caos
 
Dizem que terroristas iraquianos planejam iniciar seus ataques na Europa. Os ataques terroristas cada vez aumentam mais em todo o mundo. Recentemente, um livro escrito por um ex-oficial do governo Bush fez tanto sucesso nos Estados Unidos que ficou popular até aqui na Coreia. Um dos assuntos tratados no livro é o terrorismo. Segundo ele, os terroristas da Al-Qaeda avisaram as autoridades americanas que fariam um ataque terrorista três meses antes do ataque de 11 de setembro. Mas o presidente George Bush ignorou o aviso dos terroristas da Al-Qaeda e ele acabou acontecendo. Depois dos ataques, a única pessoa que suspeitou da Al-Qaeda foi o secretário de defesa Collin Powell, enquanto todo mundo, inclusive o presidente Bush, voltaram sua atenção para outras coisas. O governo se preocupou somente em invadir o Iraque e destituir Saddam Husseim do poder. O autor deste livro critica George Bush, diz que ele não é muito inteligente e tem o QI baixíssimo.
Embora os Estados Unidos proclamem aos quatro cantos que são contra a guerra, a verdade é que eles começaram a guerra do Iraque; e essa guerra despertou o mundo islâmico ainda mais. E o resultado disso é que o mundo corre cada vez mais perigo de sofrer ataques terroristas. Um dos assuntos mais polêmicos no mundo islâmico é sobre a Palestina e o apoio americano a Israel. Os palestinos que são atacados por Israel são muito pobres, sem força alguma e suas armas não passam de rifles. É por isso que eles têm confiado cada vez mais nos grupos terroristas que são inimigos dos Estados Unidos e Israel. Então, de certa forma, foram os Estados Unidos que criaram os terroristas que estão atacando-os agora. Já que eles invadiram o Iraque e causaram muita destruição no país, isso levou muitos iraquianos a lutar contra a ocupação americana e a um número muito maior de ataques terroristas.
Eu disse no início da mensagem que a chance de ocorrer ataques terroristas na Europa é muito grande. Se isso acontecer, vai ser difícil enviarmos livros para lá. Então, precisamos orar por esta situação. Toda vez que nos reunimos, temos que orar incessantemente para que Deus impeça estes ataques terroristas, para que ele proteja nosso ministério de literatura e abençoe os nossos livros, para que através deles muitas almas sejam salvas neste mundo.
O sentimento nacionalista tem crescido no mundo inteiro. É por isso que povos e nações estão se levantando uns contra os outros. O que mais vemos nesse tempo em que estamos vivendo são notícias aterradoras de ataques terroristas e guerras. Mas a aproximação do tempo do fim não é algo ruim para nós, pois fará com que os novos céus e a nova terra cheguem mais rápido.
Alguns cientistas andam dizendo que há evidências muito fortes de que há água em Marte. Por que vocês acham que eles estão pesquisando outros planetas e tentando descobrir se sua atmosfera é igual a do planeta Terra? Subconscientemente, o que eles querem é deixar este planeta, que a cada dia se torna cada vez mais inóspito. Contudo, amados irmãos, temos que viver pela fé esperando o fim dos tempos como o Senhor nos prometeu, ao invés de ficarmos procurando um novo planeta para vivermos. Assim como o Senhor prometeu nos dar um novo reino, no dia em que ele voltar entraremos nesse reino e lá viveremos em paz. A nossa realidade hoje em dia no mundo em que vivemos é muito dura, mas nossa grande esperança é o Reino Milenial que espera por nós, assim como o novo céu e a nova terra que será inaugurada para nós. É essa esperança que nos leva a ter paz no coração.
Me disseram que a tradução final da série de livros de mensagens no evangelho de Mateus estará pronta no dia 10 deste mês. Também me disseram que só resta um sermão a ser traduzido para que a série de livros de mensagens no evangelho de João fique pronta. Metade das mensagens de Gálatas já foi enviada para tradução, enquanto que a outra metade ainda está comigo. Quando o restante das mensagens estiver revisado e eu enviá-lo para a tradução, os primeiros volumes das mensagens em Gálatas serão publicados. Embora eu tenha me cansado muito com todo este trabalho, eu estou muito feliz com isso. Então, por mais que haja muito trabalho a fazer, eu me alegro muito com isso e meu coração está bem disposto.
 
 
Depois de Ser Interrogado, Jesus Foi Levado à Corte de Pilatos, o Governador Romano
 
O texto bíblico que vamos ver agora está em João 18:25-45. Israel naquela época trocava de sacerdote a cada ano, e naquele ano Caifás era o sumo sacerdote. Jesus primeiro foi levado a Anás, genro de Caifás, e só depois levado a Caifás. O povo de Israel dava muito importância às festividades, sem falar no sábado. E Jesus foi preso e interrogado quando uma dessas festas acontecia, uma noite antes da Páscoa, depois de celebrar a última ceia com seus discípulos.
Depois de ser interrogado na casa de Caifás, Jesus foi levado mais uma vez ao Pretório, o palácio do governador Pilatos. Para não violar a lei do sábado, os judeus não entraram no Pretório. Então, Pilatos sair para falar com eles e perguntou: “Que acusações vocês trazem contra este homem? Que crime ele cometeu para vocês o trazerem a mim?” O líderes judeus disseram então: “Se ele não fosse um malfeitor, nós não o teríamos trazido até você. Ele é um homem violento que cometeu muitos pecados”. Então, Pilatos disse aos judeus. “Levem-no e julguem-no vocês mesmos”. E os judeus disseram a Pilatos: “Nós não temos autoridade para condenar ninguém à morte”. Eles levaram Jesus a Pilatos para que ele o condenasse à morte.
Pilatos entrou no Pretório novamente e perguntou a Jesus: “Tu és o rei dos judeus?” Como ele era o governador romano enviado para governar aquela província, só poderia haver um crime pelo qual Jesus poderia ser condenado à morte: o único crime punido com a morte era se rebelar contra Roma e seu imperador. Se Jesus dissesse que era o rei dos judeus e incitasse o povo de Israel à revolta, sua execução então seria justificada. Foi por isso que Pilatos perguntou: “Tu és o rei dos judeus?” (João 18:33). Se Jesus dissesse sim, Pilatos poderia sentenciá-lo à morte sem ter que ouvir nenhuma testemunha. Já que não pode haver dois governantes numa nação, se Jesus tivesse dito que era rei, isso seria o motivo perfeito para Pilatos condená-lo à morte, segundo as leis romanas.
Mas Jesus perguntou a Pilatos: “Tu dizes isso de ti mesmo ou disseram-to outros de mim?” (João 18:34). No que ele respondeu: “Porventura, sou eu judeu? A tua nação e os principais dos sacerdotes entregaram-te a mim. Que fizeste?” Já que Jesus foi acusado de dizer que era o rei dos judeus, a intenção de Pilatos era julgá-lo sob esta acusação e sentenciá-lo à morte. Foi por isso que Jesus lhe perguntou: “Tu dizes isso de ti mesmo ou disseram-to outros de mim?”
Jesus não deu uma resposta clara à pergunta de Pilatos, ao contrário, lhe perguntou: “É o povo de Israel ou tu que estás dizendo que eu sou o rei dos judeus, porque eu nunca disse isso?” Jesus não caiu na astuta cilada de Pilatos. Então, Pilatos disse: “Eu não sou judeu. Foi teu próprio povo que te entregou a mim. O que tu fizestes que estas pessoas te acusassem?”
 
 
Jesus é o Rei do Seu Próprio Reino
 
Jesus ajudou os pobres, curou os enfermos e ressuscitou os mortos. Por essa razão, muitas pessoas o seguiam. E muitas delas queriam tomá-lo e literalmente fazê-lo rei de Israel. Mas o propósito de Jesus não era esse. Ele só ajudou as pessoas porque teve compaixão delas. Quando uma mãe chorava pela perda do seu filho, ele tocou o esquife e trouxe o rapaz de volta à vida. E ele também curou muitos enfermos. Então, todos que viram estes milagres adoraram o Senhor e o seguiam por todos os lugares; e eles eram muitos.
O fato de Jesus ter muito seguidores não era visto com bons olhos pelos principais sacerdotes e fariseus. Eles achavam que eles é que tinham que ser tão populares, e que Jesus estava roubando isso deles. Então, eles perceberam que só havia uma maneira de condenar Jesus à morte: já que a multidão queria coroá-lo rei, eles decidiram acusá-lo de se autoproclamar rei de Israel. Foi por essa acusação que Jesus foi condenado à morte e uma placa escrita “Rei dos Judeus” foi colocada sobre ele na cruz. E Bíblia diz que essa placa foi escrita em grego e hebraico.
E essa placa não estava de todo errada, pois Jesus era de fato o rei espiritual dos judeus. Ele é o rei não somente dos judeus e de todos que creem nele, mas de todo o universo. O Rei dos reis não é outro senão Jesus Cristo.
Ao ser interrogado por Pilatos, Jesus disse: “O meu Reino não é deste mundo; se o meu Reino fosse deste mundo, lutariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; mas, agora, o meu Reino não é daqui” (João 18:36). “Disse-lhe, pois, Pilatos: Logo tu és rei? Jesus respondeu: Tu dizes que eu sou rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz” (João 18:37).
Quando Pilatos interrogou Jesus sob a acusação de ser ele rei, ele falou de algo fundamental: “O rei que você está falando é este reino humano que pertence ao Império Romano, mas o reino que eu estou falando é totalmente diferente. Meu reino não é deste mundo. Se meu reino fosse deste mundo, meus servos lutariam para me resgatar e salvar dos judeus. Não, meu reino não é deste mundo”.
Então, Pilatos lhe perguntou: “Logo tu és rei?” No que Jesus respondeu: “Tu dizes que eu sou rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade”. Em outras palavras, Jesus disse a Pilatos que ele era rei, mas não deste mundo, e sim do seu próprio reino.
Jesus seria crucificado logo depois. Afinal de contas, ele disse que era rei, e por isso fui acusado de sedição. O Império Romano dominava todo o mundo conhecido da época, e essa é a razão do ditado: “Todos os caminhos levam a Roma”. Apesar de Jesus ter dito que era rei do seu próprio reino, e não de um reino deste mundo, isso foi suficiente para que os romanos considerassem isso um insulto ao seu imperador. Só que Jesus estava falando de coisas espirituais e da fé, não de algo secular. No entanto, para acalmar o ânimo dos judeus, Pilatos extraiu a confissão de Jesus, de que ele se dizia rei, e o sentenciou à morte.
Jesus disse: “Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz”, no que Pilatos perguntou: “Que é a verdade?” (João 18:38). Então, ele foi até os judeus e disse: “Eu não vejo culpa alguma neste homem. Ele não se levantou contra a lei romana. Portanto, ele é inocente. Há um costume entre vocês de soltar um prisioneiro na Páscoa, e o certo seria soltar este homem”. Pilatos disse isso porque, após interrogar Jesus, viu que ele era inocente. Já que Jesus de fato não estava procurando se fazer um rei terreno, e, ao contrário, tenha dito que era rei de outro reino, não deste mundo, Pilatos percebeu que aquilo se tratava de fé e espiritualidade, e por isso quis soltá-lo. Só que ao invés de pedir a Pilatos que soltassem Jesus, os judeus escolheram Barrabás, um ladrão violento e muito mau. No fim, segundo o desejo dos judeus, Jesus morreu na cruz, enquanto que Barrábas, um homem maligno, foi libertado.
O ponto principal desse texto bíblico é o seguinte: Jesus tem seu próprio reino, o reino dos céus, e dele é o rei. E como o Senhor disse que quem crê nessa verdade ouve sua Palavra, nós agora ouvimos a Palavra de Deus e cremos nela. É por isso que somos o povo do nosso Rei Jesus Cristo.
 
 
Jesus Veio a Essa Terra para Dar Testemunho da Verdade
 
O Senhor disse que veio a essa terra para trazer a verdade e dar testemunho dela para nós. Mas por não entender o que Jesus quis dizer, Pilatos perguntou: “Que é a verdade?” (João 18:38). Ao contrário de Pilatos, que só estava interessado nas coisas humanas, Jesus estava falando de coisas celestiais, não de coisas deste mundo efêmero.
Nós temos que entender e crer exatamente no que Jesus disse. Jesus veio a essa terra para dar testemunho da verdade e para salvar a todos, tornando-nos filhos de Deus. Todos nós temos que entender muito bem que Jesus veio a essa terra para fazer a obra da justiça e fazer de nós, meras criaturas, seu povo e seus filhos, a fim de que possamos dar testemunho também da maior de todas as verdades. Jesus Cristo veio para dar testemunho da verdade da salvação. Ele veio para nos salvar do pecado e nos tornar seu povo para sempre. A grande verdade testificada por Jesus é o que nos leva a nos tornarmos povo de Deus; e isso só acontece por causa dessa verdade. Só há uma coisa que está totalmente correta: Jesus nos salvou do pecado com o evangelho da água e do Espírito. E ele veio justamente para dar testemunho dessa verdade; ele nos salvou com essa verdade.
Como disse Jesus: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8:32). E essa verdade de fato nos salvou. Isso é tudo que precisamos saber. Deus nos fez seus filhos ao apagar todos os nossos pecados – essa é a verdade. A verdade não é algo falso, e sim legítima e concreta. E a verdade mais perfeita de todas é o evangelho da água e do Espírito, pelo qual o Senhor nos salvou. Todos nós temos que entender isso.
Pilatos perguntou a Jesus o que era a verdade. Já que nascemos neste mundo como pecadores, nós iriamos perecer por causa dos nossos pecados, mas o Senhor veio como nosso Salvador. Jesus nos deu a vida e a salvação verdadeiras pelo evangelho da água e do Espírito. Então, a pergunta de Pilatos sobre o que era a verdade foi tola. Embora Jesus tenha dito a ele pessoalmente o que era a verdade, ele não a entendeu. Jesus disse: “O meu Reino não é deste mundo; se o meu Reino fosse deste mundo, lutariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; mas, agora, o meu Reino não é daqui” (João 18:36). O reino do Senhor de fato existe, mas longe deste mundo visível.
As pessoas atualmente não se preocupam muito com a questão de como nasceram, para que estão vivendo, para onde elas irão e em como será o fim da sua vida. Mas todos nós, que fomos criados à imagem e semelhança de Deus, temos que entender o que é a verdade. O que está certo realmente? No que devemos acreditar? Qual o sentido da vida? Como deve ser nosso relacionamento com Jesus? Nós temos que pensar em tudo isso.
Como governador romano de Israel, Pilatos gozava de grande poder. Mas apesar disso, ele não saiba o que era certo ou errado. E mesmo tendo encontrado Jesus pessoalmente e ouvido sua palavra, até o fim ele não conseguiu entendê-lo. A Bíblia diz que aqueles que são de Deus entendem a sua Palavra exatamente como ela é. E os que de fato reconhecem a Deus creem nele e o seguem – ou seja, aqueles que querem seguir a única verdade, a verdadeira vida, a verdadeira justiça e o amor verdadeiro entendem o que o Senhor disse. Isso porque a verdade nos trouxe a vida eterna e a verdadeira remissão de todos os nossos pecados.
Como eu disse no início da mensagem, o mundo está cada vez mais caótico porque terroristas estão atacando a Europa e o sentimento nacionalista tem crescido no mundo todo. Mas não há motivo algum para termos medo, pois temos a certeza de que quando o fim do mundo chegar, o Senhor com certeza nos levará como seu povo para o reino dos céus.
É claro que ainda há algumas coisas que nos preocupam. Eu fico preocupado com a dificuldade que teremos para pregar o evangelho por causa dessa situação caótica. Será que nós conseguiremos continuar pregando o evangelho no mundo tão tumultuado como ele está? E se tivermos que parar com nosso trabalho missionário? Nós de fato nos preocupamos com isso. Mas apesar das nossas preocupações, temos que esperar pela volta do Senhor com fé e orações. E quando chegar a hora, eu tenho certeza que o Senhor nos levará para o seu reino e nos fará felizes e prósperos. Vocês também têm fé nisso? Se têm, então não há motivo algum para vocês se preocuparem com as coisas terríveis que estão acontecendo no mundo.
 
 
Só Se Pode Conhecer a Verdade Crendo na Justiça de Deus e no Seu Amor
 
Já que o Senhor disse: “Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo dai graças” (1 Tessalonicenses 5:16-18), nós temos que fazer isso então. Você e eu éramos pessoas malignas como Barrábas. Por termos nascido com os doze tipos de pecados, nós pecávamos todos os dias. Mas apesar disso, o Senhor salvou pessoas como nós.
Vamos voltar agora para a primeira parte do texto bíblico deste capítulo. Ele descreve como Pedro negou Jesus. Quando Jesus foi levado à casa de Anás, genro do sumo sacerdote Caifás, Pedro o seguiu de longe. Alguém então o reconheceu e lhe perguntou: “Você não é um dos discípulos de Jesus?” Pedro então negou dizendo que não conhecia Jesus. Perguntaram a ele pela segunda vez então: “Você não estava no jardim junto com seus seguidores?” “Eu não tenho nada a ver com Jesus”, Pedro respondeu.
Jesus é o Salvador de seres humanos imperfeitos assim. Já sabendo que Pedro faria isso, Jesus lavou seus pés e lhe disse: “Você me negará três vezes antes que o galo cante”. Quando Jesus foi lavar os pés de Pedro, ele a princípio se recusou e lhe disse: “Como pode o Mestre lavar os pés dos seus discípulos? Eu não posso permitir que tu faças isto”. Mas Jesus lhe disse com toda firmeza: “Se eu não lavar teus pés, tu não tens parte comigo”. Jesus sabia tudo que Pedro iria fazer. Ele sabia muito bem que ele o negaria mais tarde quando estivesse em perigo. E assim como disse Jesus, Pedro o negou três vezes antes que o galo cantasse.
Quando olhamos para os atos do homem, vemos que todos são iguais. Todos nós somos como Barrábas. Todos nós somos pecadores. Se fôssemos julgados por Deus toda vez que nós pecássemos, já teríamos sido condenados à crucificação, como Barrábas tinha que ser, há muito tempo atrás. Mas o Senhor disse que aqueles que são da verdade ouvem a sua voz, e que ele salva essas pessoas. Portanto, o que você e eu temos que fazer é crer no evangelho da água e do Espírito com o qual o Senhor salvou toda a humanidade do pecado e nos tornou seus filhos.
A verdade é a justiça de Deus e seu amor. Conhecer a verdade e crer nela é o mesmo que crer que Deus nos ama a todos e que ele apagou todos os nossos pecados por meio do evangelho da água e do Espírito. Porém, muitos não entendem isso e continuam perguntando o que é a verdade, como Pilatos. Eles perguntam: “O que é a verdade?” Qual o caminho para o céu? Como podemos ser purificados do pecado? O que temos que fazer para levarmos uma vida de retidão? No que temos que crer para termos a verdadeira fé?” Meus amados irmãos, a verdade é que Deus, por causa do seu amor por nós, enviou seu Filho Jesus a essa terra e nos remiu de todos os pecados com o evangelho da água e do Espírito. É crendo nessa verdade que recebemos o amor de Deus, a vida eterna, a verdadeira vida, a verdadeira remissão de pecados e a verdadeira bênção. Deus apagou todos os nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito por causa do seu amor por nós, nos tornou seu povo e nos abençoou, e fará com que vivamos para sempre no mundo vindouro, pois preparou um reino para vivermos com ele – este é o amor e a verdade de Deus que compõem a grande verdade.
Amados irmãos, nossa vida não acabará neste mundo. Está escrito: “E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo, depois disso, o juízo” (Hebrus 9:27). De fato, num futuro muito próximo, todos nós morremos e estaremos diante do trono do juízo de Deus. Vocês estão cientes disso? Para aqueles que ainda são jovens, não é fácil aceitar que o tempo vai passar rápido e que este dia logo chegará, mas só que ele de fato chegará para todos. Hoje é 24 de março, mas logo abril chegará e a primavera trará a renovação da vida. Mas a primavera não durará muito, pois logo virá o verão e depois, o inverno. O tempo voa mesmo e, num piscar de olhos, ele já passou; a metade do ano vai passar rápido assim.
 
 
Nós Temos que Trabalhar pelo Evangelho
 
É uma bênção trabalharmos para o Senhor, pois ainda há tempo de pregar o evangelho. Vocês concordam comigo?
Antes, tudo que fazíamos era perguntar o que é a verdade, mas agora tivemos um encontro com o Senhor, que é a verdade em pessoa. Por isso, agora conhecemos e cremos nessa verdade, que é o amor de Deus, que o evangelho apagou todos os nossos pecados, e que Jesus cumpriu a verdade. Jesus de fato veio a essa terra, nos salvou com o evangelho da água e do Espírito e nos deu testemunho que essa salvação é a verdade. Foi para dar testemunho dessa verdade que Jesus veio a essa terra. E todos nós entendemos essa verdade e cremos nela.
Vocês creem que Jesus Cristo é a verdade? Vocês creem que ele apagou todos os nossos pecados com o evangelho da água e do Espírito? Se creem, vocês encontrarão a verdade de fato então. Para nos dar a verdadeira salvação, o Senhor veio a essa terra, foi batizado, morreu na cruz e ressuscitou dentre os mortos ao terceiro dia. É essa verdade sublime e maravilhosa que nos deixa sem palavras de tão felizes que ficamos.
Vocês precisam entender essa verdade da salvação e crer nela. Ao ser batizado, Jesus levou todos os pecados; e para ser crucificado, ele permitiu que o prendessem e o levassem à casa de Pilatos. Vocês têm que entender que Jesus foi preso não porque ele não tinha poder, mas para que tudo isso acontecesse e assim fôssemos salvos. Vocês e eu temos que entender muito bem que depois de morrer crucificado, Jesus ressuscitou dentre os mortos e nos deu a verdadeira salvação. Agora, nós cremos de todo o nosso coração na salvação que o Senhor nos deu.

Pela fé, todos nós temos ser gratos a Deus e glorificá-lo pelo seu infinito amor. Nós somos gratos a ele por ter nos salvado. Somos gratos a ele de todo o nosso coração. Aleluia!