The New Life Mission

Sermões

Assunto 16: O Evangelho Segundo JOÃO

[Capítulo 19-1] (João 19:1-11) Reconheça o Amor que o Senhor Tem por Você e Creia Nele

(João 19:1-11)
“Pilatos, pois, tomou, então, a Jesus e o açoitou. E os soldados, tecendo uma coroa de espinhos, lha puseram sobre a cabeça e lhe vestiram uma veste de púrpura. E diziam: Salve, rei dos judeus! E davam-lhe bofetadas. Então, Pilatos saiu outra vez fora e disse-lhes: Eis aqui vo-lo trago fora, para que saibais que não acho nele crime algum. Saiu, pois, Jesus, levando a coroa de espinhos e a veste de púrpura. E disse-lhes Pilatos: Eis aqui o homem. Vendo-o, pois, os principais dos sacerdotes e os servos, gritaram, dizendo: Crucifica-o! Crucifica-o! Disse-lhes Pilatos: Tomai-o vós e crucificai-o, porque eu nenhum crime acho nele. Responderam-lhe os judeus: Nós temos uma lei, e, segundo a nossa lei, deve morrer, porque se fez Filho de Deus. E Pilatos, quando ouviu essa palavra, mais atemorizado ficou. E entrou outra vez na audiência e disse a Jesus: De onde és tu? Mas Jesus não lhe deu resposta. Disse-lhe, pois, Pilatos: Não me falas a mim? Não sabes tu que tenho poder para te crucificar e tenho poder para te soltar? Respondeu Jesus: Nenhum poder terias contra mim, se de cima te não fosse dado; mas aquele que me entregou a ti maior pecado tem”.
 
 
Como vão vocês? Ultimamente, o clima tem estado tão instável que parece que alguns de vocês pegaram um resfriado. Se vocês perceberem que estão ficando resfriados, procurem logo um médico e cuidem da sua saúde antes que piore. Não é sempre que podemos curar um resfriado tomando remédio e esperando; se ele não for curado devidamente, vocês terão muitos problemas no futuro. Por isso, eu peço a vocês que cuidem muito bem do corpo que Deus lhes deu.
O texto bíblico deste capítulo trata do julgamento de Jesus na corte de Pilatos. E podemos ver aqui o quanto o Senhor nos amou a todos. Como descrito no texto, Jesus foi injustamente interrogado e provocado na corte de Pilatos. E através de tudo isso, podemos experimentar o amor de Deus tanto no nosso corpo como no nosso espírito.
Na época em que Jesus foi crucificado, Israel era uma província do Império Romano. Por isso, o governador romano tinha jurisdição sobre todo julgamento criminal. A autoridade de julgar e punir alguém foi tirada de Israel pelo Império Romano. Foi por isso que quando os fariseus e principais sacerdotes prenderam Jesus, eles tiveram que levá-lo a Pilatos, que era o governador. Eles então pediram ao governador que punisse Jesus, acusando-o de se autodeclarar rei dos judeus e Filho de Deus. E já que o governador Pilatos não tinha jurisdição para julgar assuntos religiosos, os principais sacerdotes acusaram Jesus de incitar o povo. Pilatos procurou então encontrar algo que pudesse incriminá-lo, mas não pôde descobrir nada.
Pilatos tentou libertar Jesus então. Só que os fariseus e os principais sacerdotes foram contra. Era costume libertar um prisioneiro em Israel no dia da celebração da Páscoa, e Pilatos então perguntou ao povo de Israel quem eles gostariam que fosse libertado, um criminoso violento chamado Barrabás ou Jesus. Pilatos achou que por ser um bandido cruel, os judeus escolheriam libertar Jesus ao invés dele. Mas ao contrário do que ele pensou, os principais sacerdotes instigaram o povo para que eles exigissem aos gritos que Jesus fosse crucificado. Deste modo, eles pressionaram Pilatos para que ele condenasse Jesus a morrer crucificado.
Os líderes judeus acusaram Jesus de chamar a si mesmo de Rei dos judeus e incitaram o povo de Israel. Eles exigiram a morte de Jesus tão veementemente que Pilatos ficou com medo de uma revolta e, por isso, o interrogou. Pilatos perguntou a Jesus então: “Tu és o rei dos judeus?” E Jesus respondeu de forma afirmativa dizendo: “O meu Reino não é deste mundo; se o meu Reino fosse deste mundo, lutariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; mas, agora, o meu Reino não é daqui” (João 18:36). O que Jesus disse aqui é verdade, pois ele era mesmo o Filho de Deus. Mas devido ao que ele disse aqui, Pilatos decidiu condená-lo à morte, pois isso foi o motivo que ele precisava para fazer isso.
Está escrito em João 19:1: “Pilatos, pois, tomou, então, a Jesus e o açoitou”. Dizem que, segundo a lei romana, a roupa dos prisioneiros era rasgada e ele recebia quarenta chibatadas menos uma antes de ser executado. E já que pedaços de metal pontiagudos eram amarrados na ponta dos chicotes, a cada acoite ele entrava na carne e arrancava pedaços. Então, já que Jesus levou quarenta chibatadas menos uma, todo o seu corpo ficou coberto de sangue.
Mas os soldados romanos não pararam por aí. Eles também zombaram de Jesus vestindo-o com um manto púrpura e pondo uma coroa de espinhos na sua cabeça. Os reis usavam mantos púrpuras naqueles dias, e já que Jesus disse que era o rei dos judeus, eles puseram sobre ele um manto púrpura para zombar dele. E foi pelo mesmo motivo que eles fizeram uma coroa de espinhos e a puseram sobre sua cabeça para humilhá-lo.
Os arbustos de espinhos que crescem em Israel são muito mais grossos e afiados do que os que estamos acostumados a ver. Então, quando esses espinhos afiados foram colocados na cabeça de Jesus, sangrou tanto que seu rosto ficou todo ensanguentado. Os soldados romanos também vestiram Jesus com um manto púrpura e colocaram a coroa de espinhos em sua cabeça para ridicularizá-lo, zombando dele assim: “Salve, rei dos judeus!” Eles também o esbofetearam, bateram na sua cabeça com uma cana, e até cuspiram no seu rosto. Eles zombaram de Jesus assim para que ele fosse o mais humilhado possível. Quando Pilatos o sentenciou à morte, os soldados não somente o açoitaram, mas também escarneceram dele o quanto puderam.
Diante do sofrimento que viria através dos açoites e a crucificação, qualquer pessoa se declararia inocente e faria tudo para se salvar. Mas Jesus não abriu sua boca, como um cordeiro levado ao matadouro e uma ovelha diante dos seus tosquiadores, como foi profetizado em Isaías 53:7. Ele não mostrou resistência alguma e suportou todo o sofrimento em silêncio por nós.
Por mais que Pilatos tenha interrogado minuciosamente Jesus, ele sabia que ele não estava tentando se autoproclamar rei ou conspirando contra o Império Romano. Por isso, Pilatos levou Jesus à multidão e tentou soltá-lo novamente, dizendo: “Não acho culpa alguma nele”. Mas os principais sacerdotes e seus seguidores gritaram cada vez mais alto: “Crucifica-o! Crucifica-lo!” Pilatos não entendeu por que os judeus estavam exigindo tanto a morte de Jesus, já que ele era completamente inocente. Foi por isso que ele lhes disse: “Tomai-o vós, e crucificai-o; porque eu nenhum crime acho nele” (João 19:6). Mas os judeus protestaram ainda mais e justificaram seu clamor dizendo: “Nós temos uma lei e, segundo a nossa lei, deve morrer, porque se fez Filho de Deus” (João 19:7).
Pilatos temeu Jesus ainda mais porque ele disse que era o Filho de Deus. Vamos ler João 19:8-10 agora: “E Pilatos, quando ouviu esta palavra, mais atemorizado ficou. E entrou outra vez na audiência, e disse a Jesus: De onde és tu? Mas Jesus não lhe deu resposta. Disse-lhe, pois, Pilatos: Não me falas a mim? Não sabes tu que tenho poder para te crucificar e tenho poder para te soltar?” Pilatos temia o que podia acontecer com ele se Jesus fosse mesmo quem ele dizia e pensou: “O que será de mim se ele for mesmo o Filho de Deus?” Será que eu serei perdoado se torturar o Filho de Deus?” Isso parece explicar por que Pilatos insistiu tanto para soltar Jesus. Talvez tenha sido por isso também que ele tentou fazer com que Jesus confessasse que era inocente para poder soltá-lo quando disse: “Não me falas a mim? Não sabes tu que tenho poder para te crucificar e tenho poder para te soltar?”
Mas Jesus permaneceu calmo. Ao invés de se alterar, ele disse com toda ousadia: “Nenhum poder terias contra mim, se de cima não te fosse dado; mas aquele que me entregou a ti maior pecado tem”. Ele disse a Pilatos que o pecado daqueles que o entregaram a ele era maior do que o dele, porque o plano de Deus era que Jesus fosse condenado à morte como propiciação por toda a humanidade.
Então, por mais que Pilatos tenha tentado soltar Jesus várias vezes, Jesus não deu a resposta que ele queria porque já tinha recebido todos os pecados do mundo quando foi batizado por João Batista e, de todo modo, tinha que ser crucificado. Se ele tivesse dito: “Eu sou inocente. Liberte-me”, ele não poderia ser crucificado e pagar pelos pecados do mundo que havia aceitado quando foi batizado. Foi por isso que ele não disse nada.
Quando lemos o Credo Apostólico, que foi elaborado pela Igreja Católica após a era dos apóstolos, vemos uma frase que diz: “Ele padeceu sob Pôncio Pilatos”. Embora o Credo dos Apóstolos diga que Jesus foi torturado por Pilatos e sentenciado à morte por ele, ele na verdade tentou libertá-lo. Foi Jesus que quis ser crucificado por sua própria vontade. Embora Jesus tenha sido crucificado pelos soldados romanos sob as ordens de Pilatos, Jesus diz a ele em João 19:11: “Nenhum poder terias contra mim, se de cima não te fosse dado; mas aquele que me entregou a ti maior pecado tem”. Pilatos não tinha em si mesmo autoridade para condenar Jesus à morte ou crucificá-lo. Foi Deus quem deu este poder a ele temporariamente. Foi para explicar a Pilatos que sua autoridade para julgá-lo de fato havia sido dada por Deus que o Senhor disse a ele: “Nenhum poder terias contra mim, se de cima não te fosse dado; mas aquele que me entregou a ti maior pecado tem”.
 
 
Jesus Suportou o Sofrimento Porque Nos Amou Muito
 
Jesus só foi crucificado levando sobre si todos os pecados do mundo porque antes havia recebido todos eles quando foi batizado por João Batista. O Senhor foi castigado pelos nossos pecados porque já havia recebido todos eles ao ser batizado por João Batista. Melhor dizendo, nosso Senhor foi crucificado em nosso lugar porque já havia recebido todos os nossos pecados. O Senhor disse que foi batizado por João Batista nessa terra para aceitar todos os nossos pecados, e morreu crucificado para que o mundo viesse a conhecer o amor de Deus. E o mundo aqui diz respeito justamente a mim e a você. Deus enviou seu Filho a essa terra para apagar todos os nossos pecados. Nosso Senhor foi enviado a essa terra segundo a vontade do Pai, e depois que foi batizado por João Batista, ele morreu crucificado para que pudéssemos conhecer o amor de Deus. Deus fez tudo isso para nos salvar de todos os nossos pecados.
Jesus veio a essa terra num corpo carnal para salvar você e a mim do pecado. E depois que aceitou todos os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista, ele morreu crucificado. O que temos que entender aqui é por que Jesus teve que sofrer tanto na cruz, embora não tenha feito nada errado. Se Jesus não tivesse sido batizado e crucificado pelos nossos pecados, nunca teríamos condições de resolver nosso problema com o pecado sozinhos.
Dentre as inúmeras pessoas que vivem neste mundo, os que são pobres de espírito jamais se esquecem que o Senhor foi batizado e crucificado para salvá-los do pecado. E são estes que compreendem sua vontade e o aceitam como seu Salvador. O Senhor suportou o sofrimento para que todo mundo viesse a conhecer a verdade da salvação. Ele foi batizado por João Batista e crucificado para que pudéssemos entender o quanto Deus nos ama. E já que o Senhor foi batizado por João Batista e suportou o sofrimento na cruz quando veio a essa terra, ele pôde nos salvar de uma vez por todas. Nós temos que entender essa verdade de um jeito ou de outro e crer nela de todo o nosso coração. Jesus suportou a dor quando recebeu 39 chibatadas e sua carne foi dilacerada; ele suportou a vergonha de ter suas vestes rasgadas e a humilhação de ser esbofeteado. O próprio Deus suportou tudo isso e aceitou receber todos os nossos pecados porque nos amou muito. Todos nós temos que entender e crer que o Senhor suportou todo este sofrimento nessa terra para que todos conhecessem o amor de Deus. O que todos nós temos que entender aqui é que foi assim que Deus amou o mundo e morreu por amor a nós.
Já que Deus nos amou todo ser humano, ele quis resolver o problema do pecado que não conseguiríamos resolver. Então, o próprio Deus veio a essa terra num corpo carnal, tirou todos os pecados do homem ao ser batizado por João Batista, e sofreu uma tortura crudelíssima até finalmente ser crucificado. Nosso Senhor então derramou todo o sangue do seu coração, morreu na cruz, ressuscitou dos mortos e agora é um testemunho vivo de que ele nos salvou de todos os nossos pecados. Nós temos que entender isso muito bem.
Deus nos amou tanto assim que nos livrou do pecado e do juízo, e nos salvou da destruição eterna e do inferno ao apagar nossos pecados. O próprio Deus passou por todo este sofrimento para nos salvar com o evangelho da água e do Espírito. Então, seria um grande erro não reconhecermos isso; e o que é ainda pior, não demonstrar interesse alguém de conhecê-lo ou crer nele. Deus amou a todos nós, e ainda nos ama. Portanto, não temos apenas que entender com nossa mente, mas crer de todo o nosso coração que o Senhor foi batizado e crucificado porque ele nos amou, e que ele fez tudo isso por amor a nós. Nós temos que entender muito bem o amor de Deus através do evangelho da água e do Espírito.
 
 
Todos Morrerão Um Dia
 
Como está escrito: “E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo” (Hebreus 9:27). Todos que nasceram neste mundo morrerão um dia, sem exceção; e todos ressuscitarão também, com certeza. Alguns ressuscitarão para a vida eterna, enquanto outros ressuscitarão para o juízo. E já que o juízo espera por todos depois da morte, nossa morte física não significa que tudo acabou. Embora todos nós estivéssemos destinados à condenação e a ser lançados no inferno por causa dos nossos pecados, o Senhor tornou possível nossa entrada no céu. Nosso Senhor nos amou tanto que nos salvou de todos os nossos pecados através do evangelho da água e do Espírito. Por amar a humanidade, Jesus Cristo veio a essa terra, aceitou ser batizado para levar sobre si todos os nossos pecados sobre seu corpo, e morreu na cruz para pagar o salário por todos estes pecados. E ao ressuscitar dentre os mortos, ele nos salvou de modo perfeito. Deste modo, nosso Senhor faz com que todos que creem no evangelho da água e do Espírito não sejam destruídos na outra vida, mas entrem no céu e vivam felizes com Deus para sempre. Assim, Deus “nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós” (Romanos 8:32). Foi assim que o Senhor nos amou.
Apesar de agirmos como se fôssemos viver por mil anos, todos nós um dia morreremos. Está escrito em Salmos 90:10: “Os dias da nossa vida chegam a setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos”. Você acha que vai viver para sempre? E mesmo que você não viva para sempre, você acha que vai ter uma vida longa nessa terra? Alguns irão morrer daqui a dez anos, outros, num mês, e outros ainda, em alguns anos. A única diferença é quanto tempo alguém vai viver. Se alguém nasceu, com certeza irá morrer um dia. E quando nós morrermos, teremos que nos apresentar a Deus para receber seu julgamento. A verdadeira felicidade não se encontra em tudo que fazemos no dia a dia. Quando a nossa hora chegar, e esse dia mais cedo ou mais tarde vai chegar, todos nós estaremos diante do trono do juízo de Deus. É por isso que todos precisam crer em Jesus Cristo, que veio pelo evangelho da água e do Espírito.
Levado à corte de Pilatos, Jesus levou quarenta chibatadas menos uma, e seu corpo ficou todo coberto de sangue. Depois então, ele foi levado ao povo com uma coroa de espinhos sobre sua cabeça e um manto púrpura em suas costas. Embora Pilatos tenha tentado libertá-lo várias vezes, ele se deixou levar pelas armações políticas dos líderes judeus e acabou entregando-o aos soldados romanos. Mas Jesus suportou todo o sofrimento em silêncio, como uma ovelha diante dos seus tosquiadores. Ele carregou a cruz até o Gólgota, um monte cujo nome significa caveira. Ele foi crucificado ali, e embora tenha derramado todo o seu sangue na cruz e tido a morte mais violenta que existia, suas últimas palavras foram: “Está consumado!” (João 19:30).
Jesus teve que vir a essa terra para levar todos os nossos pecados ao ser batizado e nos salvar ao ser condenado por nós. Ele nasceu nessa terra e realizou a obra da salvação, e para nós, as boas novas são motivo de tanta alegria que cantamos: “Que o mundo se alegre, o Senhor está aqui!” Em outras palavras, Jesus Cristo veio a essa terra para nos salvar de todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista e morrer crucificado. Seu propósito nessa terra era nos tornar filhos de Deus apagando todos os nossos pecados e entregando sua vida por nós. Foi para demonstrar seu amor a nós que Jesus foi batizado e crucificado, nos salvando assim.
Será que Jesus Cristo tinha algum pecado? Não, ele era completamente puro. Mesmo assim, ele recebeu sobre seu corpo todos os seus e os meus pecados quando foi batizado por João Batista. Jesus Cristo foi crucificado pelas nossas transgressões e ferido pelas nossas iniquidades. E ele só foi crucificado para pagar o salário pelos nossos pecados porque antes foi batizado por João Batista. Jesus passou por sofrimentos terríveis só para nos livrar dos nossos pecados. E nós só pudemos ser salvos de todos os pecados do mundo porque ele nos amou tanto assim.
Fomos nós que pedimos o Senhor para nos salvar? Antes mesmo de pedirmos isso ao Senhor, ele já nos conhecia muito bem e purificou todos os nossos pecados com o batismo que recebeu no rio Jordão e seu sangue derramado na cruz. Nós não éramos muito egoístas e imperfeitos diante de Deus? Embora tenhamos nascido de novo pelo evangelho da água e do Espírito, nós somos tão egoístas como os ímpios. Afinal, não aceitamos tudo que é do nosso interesse e rejeitamos tudo que não nos agrada? Mas, ao contrário de nós, que somos egoístas, o próprio Deus veio a essa terra encarnado como homem e foi batizado e crucificado, salvando nossa alma de uma vez por todas e não deixando mais nada para ser feito por nós. Isso significa que Deus veio nos libertar do pecado e do castigo da morte, para nos fazer prosperar nessa vida como seus filhos e nos fazer felizes no mundo vindouro. Foi assim, e através da sua salvação, que o Senhor manifestou seu amor a nós.
 
 
É Por Isso que Todos Precisam Crer no Amor de Deus
 
Deus deixou sua glória nos céus e nasceu nessa terra num corpo carnal para manifestar seu amor a nós. E por ter nos amado tanto, ele recebeu todos os pecados do homem ao ser batizado por João Batista quando tinha 30 anos, e foi crucificado para ser condenado por todos estes pecados que havia recebido. Deus fez tudo isso porque nos amou. Ele suportou toda a dor em silêncio como um cordeiro levado ao matadouro por causa do infinito amor da salvação que teve por nós. Por essa razão, todos nós temos que entender este amor e nascer de novo crendo no evangelho da água e do Espírito. É assim que podemos pagar o Senhor pelo seu amor.
Mas embora isso possa ser entendido através do evangelho da água e do Espírito, muitas pessoas não conhecem o amor de Deus em sua vida por não conhecerem o evangelho da verdade. E isso acontece porque não há pessoas o suficiente pregando este evangelho. O amor de Deus por nós é demonstrado pelo fato de Jesus ter sido batizado por João Batista para purificar todos os nossos pecados e pagar todo o salário por eles ao ser crucificado. Mas tem muita gente ainda que não entende que o Senhor é o seu Salvador. Ao vir a essa terra pelo evangelho da água e do Espírito, Jesus revelou totalmente seu amor por nós ao nos salvar de todos os nossos pecados de uma vez por todas. Deus nos amou realmente e quis nos tornar seus filhos. Mas será que só basta ele nos dizer: “Vocês não têm mais pecado”? Não, claro que não. Jesus veio a essa terra nos tornar os verdadeiros filhos de Deus, para fazer de nós seu povo. E foi por isso que ele foi batizado, morreu crucificado e ressuscitou dos mortos. Melhor dizendo, o Senhor veio a essa terra para que nossa alma, nosso corpo e nosso futuro estivessem seguros; foi justamente para isso que ele nos livrou da condenação do pecado. Ao vir a essa terra, Jesus aceitou todos os pecados do homem ao ser batizado por João Batista e suportou uma tortura terrível antes de morrer crucificado. Mas foi assim que ele revelou tudo sobre a salvação. Agora, portanto, nós podemos conhecer toda a obra da salvação que ele realizou e crer nela. O Senhor salvou todos que creem nele da forma mais perfeita e justa com o evangelho da água e do Espírito. Por isso, todos nós podemos ser salvos dos nossos pecados através do evangelho da água e do Espírito. Só assim não haverá falha alguma em nós e estaremos preparados para viver para sempre com Deus. Foi assim que Jesus revelou seu amor ao mundo inteiro através do evangelho da água e do Espírito.
Você não precisa ter muito conhecimento, mas todos nós temos que saber pelo menos que Deus nos ama. Para manifestar seu amor, o próprio Deus veio a essa terra num corpo carnal e aceitou todos os pecados do homem ao ser batizado por João Batista. E só por isso ele foi crucificado e derramou seu sangue até a morte. Mas nós sabemos que sua obra não acabou com sua morte, pois ele ressuscitou dos mortos e nos deu a vida eterna.
Devemos nos lembrar sempre disso em nosso coração. Por mais que não saibamos de mais nada, pelo menos temos que conhecer o amor de Deus revelado no evangelho da água e do Espírito. Por mais que alguém seja analfabeto, ele e todos nós temos que entender que Deus enviou Jesus Cristo, seu único Filho, a essa terra para manifestar seu amor a nós. O Filho de Deus recebeu todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista; e Deus também permitiu que ele fosse crucificado. Deus amou o mundo de tal maneira que não poupou seu próprio Filho e o entregou à morte. Portanto, todos nós temos que crer que foi assim que Deus nos amou. Eu peço a todos vocês que procurem entender de todo o seu coração como Deus amou a todos nós.
Quando pensamos no amor de Deus, podemos ver como ele é grande e majestoso. Por outro lado, quando pensamos em nós, seres humanos, vemos como somos fracos, egoístas e vis. Ao vermos animais morrendo presos nas florestas em chamas, nós ficamos tristes. Mas a corrupção e a maldade do ser humano já chegaram a um nível tão extremo que eles nem se preocupariam se descesse fogo do céu e consumisse todo o planeta. Contudo, ao invés de castigar seres vis como nós com grande sofrimento, o Senhor nos deu o evangelho da água e do Espírito e salvou a todos que creem nele.
Se eu tivesse o poder de Deus, eu iria castigar essas pessoas do jeito que eu pudesse, enviando sobre elas pragas incuráveis para que elas agonizassem de tanta dor em sua vida. E Deus poderia ter feito isso facilmente. Mas ele não é como nós, e, por isso, ao invés de infligir tamanho sofrimento ao homem, ele nos trouxe a salvação ao nos dar o evangelho da água e do Espírito. Vocês são gratos por isso?
Nós fomos criados pelas mãos de Deus, e apesar de termos nos desviado, mesmo sendo criação sua, ele manifestou o seu amor através do evangelho da água e do Espírito ao invés de nos castigar. Alguém que não crê nessa verdade da salvação pode dizer que é uma boa pessoa? Se rejeitarmos este amor de Deus, seremos piores do que os animais. Até mesmo um animal feroz como um tigre, quando é capturado e criado pelo seu dono, ouve o que ele diz e o obedece. Até mesmo um animal confia no seu dono e o segue; então, nós, que fomos criados pelas mãos de Deus, não deveríamos confiar e seguir nosso Criador também? Deus revela seu infinito amor por nós através do evangelho da água e do Espírito, mas será que você o reconhece como o seu Salvador?
O fato de o homem ter sido criado por Deus é uma verdade irrefutável. Todos de fato foram criados por Deus. E também é verdade que todos podem receber o amor de Deus e ser remidos de todos os seus pecados. Já que o homem é vil por natureza, todos precisam receber a salvação pela fé. Mas uma coisa que não podemos esquecer em hipótese alguma é que Deus nos deu o evangelho da água e do Espírito por causa do seu amor por nós e que ele nos ama a todos. Mas apesar disso, muitas pessoas não conhecem o amor de Deus, mas só buscam o amor carnal que só pode trazer um prazer momentâneo para sua carne. E quando conseguem alguma coisa, essas pessoas acham que o mérito é todo delas e não são gratas a Deus por nada. Isso não é ridículo? É por isso que o Senhor disse que os ímpios são como os animais que perecem.
Por mais que um ser humano viva muito, quanto tempo ele terá de vida? A vida não é muito longa. Até achamos que vamos ter uma longa vida quando temos saúde, mas quando caímos doentes, ficamos logo preocupados e pensamos até em morrer. Você já pensou na morte? Você acha que nunca vai morrer? Você está totalmente errado. Você também vai morrer um dia. Todos um dia provarão da morte. Mesmo assim, você ainda acha que terá uma vida longa? Por mais que você tenha uma vida longa, você dificilmente passará dos cem anos. Você pode até vir a passar, mas só viverá poucos anos depois disso.
O que nos resta depois da morte então? Deus diz na Bíblia: “E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo” (Hebreus 9:27). Existe algo de especial nessa vida? O pó voltará ao pó; a vida é isso. Todos um dia acabarão morrendo. E não devemos esquecer que depois disso enfrentaremos o juízo de Deus.
Todos nós estávamos condenados a enfrentar o juízo de Deus por causa dos nossos pecados. Nossos pecados eram tantos que todos nós estávamos condenados a ser lançados no inferno. Todos nós merecíamos esse destino.
No entanto, por mais que fosse justo sermos lançados no inferno, Deus nos amou tanto que suportou uma dor indizível para pagar o salário por todos os nossos pecados e, deste modo, manifestar seu grande amor a nós. O que aconteceria conosco se não aceitássemos este amor com gratidão e nos esquecêssemos dele? Nós não seríamos muito mais corruptos do que todos os pecadores, pois além de todos os nossos pecados, teríamos como o maior deles o pecado de não crer no amor de Deus e rejeitá-lo?
É por isso que todos nós temos que crer no amor de Deus exatamente como ele é, sem tirar ou adicionar nada a ele. Já que o próprio Deus disse que nos amou, temos que aceitar esse amor então. E nós também temos que viver neste mundo crendo no evangelho da água e do Espírito. O próprio Deus veio a essa terra para manifestar o seu amor, foi batizado por João Batista para tirar todos os nossos pecados e morreu crucificado levando todos eles. Mas ele ressuscitou ao terceiro dia e nos salvou de uma vez por todas. Foi assim que Deus amou a todos nós. Sendo assim, todos nós temos que nos lembrar do que Jesus fez para nos salvar do pecado, além de jamais esquecermos da nobreza e pureza de todo o sacrifício que ele fez por amor a nós.
 
 
De Agora em Diante, Temos que Fazer a Obra de Deus para Salvar Outras Almas
 
Embora Deus tenha nos amado de tal maneira e nos dado seu único Filho, ainda há muitos neste mundo que não conhecem seu amor. Então, para que o amor de Deus seja conhecido de todos que ainda não o conhecem, temos que pregar o evangelho da água e do Espírito pela fé. Já que nascemos de novo pela fé no evangelho da água e do Espírito, temos que viver pelo resto da nossa vida pela fé. O Senhor nos exortou dizendo: “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus” (1 Coríntios 10:31). Mas o que é a glória de Deus? Não é nascer de novo pela fé no evangelho da água e do Espírito que ele nos deu? E não é para a sua glória que pregamos esse evangelho para que muitas outras pessoas possam nascer de novo também?
É por isso que temos que nos lembrar sempre do evangelho da água e do Espírito. Independente das circunstâncias, nos bons e maus momentos, temos que nos lembrar desse evangelho o tempo todo e pregá-lo sempre pela fé. Para manifestar seu amor a nós, o Senhor nos salvou de todos os nossos pecados com o sacrifício do evangelho da água e do Espírito; e ele também nos livrou da destruição eterna. Todos nós temos que crer nessa verdade para recebermos a salvação. E também temos que revelá-la a todos. Isso quer dizer que temos que viver para a justiça do Senhor até o dia em que o veremos face a face. Ao invés de apenas levarmos uma vida carnal, temos que viver para o resto da nossa vida nos preocupando com as outras almas, a fim de que possamos ser recebidos pelo Senhor na sua volta. Eu jamais diria isso para você se essa questão de viver na carne não fosse extremamente importante. Então, eu estou dizendo isso porque é algo que você precisa muito saber. Se de fato tivemos um encontro com o Senhor nessa terra e entendemos o seu amor através do evangelho da água e do Espírito, de agora em diante todos nós temos que manifestar seu amor a todas as pessoas. Eu sou muito grato ao Senhor por ter nos salvado com o evangelho da água e do Espírito.
Amados irmãos, vocês entendem quanto sofrimento Jesus teve que passar depois que recebeu todos os nossos pecados ao ser batizado? Como se as chibatadas não fossem dolorosas o bastante, o açoite que foi usado em Jesus tinha pedaços de metal amarrados na ponta. E nosso Senhor teve que suportar por nós a dor de ter sua carne dilacerada. Vocês suportariam essa dor? É provável que nos primeiros açoites vocês já não aguentariam mais. Mas os açoites que o Senhor suportou não foram menos de 39.
Por que ele teve que sofrer tanto assim? Simplesmente porque ele recebeu todos os nossos pecados quando foi batizado por João Batista. Você entende isso? Nós temos que entender que Jesus suportou esse terrível sofrimento até a morte por amor a nós, embora fôssemos pecadores. E também temos que crer nessa verdade e ser gratos a Deus de todo o nosso coração.
A Bíblia diz assim: “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro” (Gálatas 3:13; Deuteronômio 21:23). Melhor dizendo, os amaldiçoados é que deveriam ser pregados no madeiro. E esses amaldiçoados eram exatamente todos nós. Mas ao invés de nós, Jesus foi pregado na cruz. Ele foi amaldiçoado pelos nossos pecados em nosso lugar. Mas quem merecia essa maldição? Nós mesmos. Se o Senhor não tivesse levado todos os nossos pecados ao ser batizado por João Batista, nós teríamos que suportar esse maldito castigo. A nossa própria carne teria sido rasgada e nós mesmos teríamos sido crucificados. Mas já que o Senhor levou todos os nossos pecados ao ser batizado, seu corpo foi amaldiçoado e partido em nosso lugar.
Vocês acham que eram muitos que morriam dessa maneira naquela época? Não, de modo algum! Naqueles dias, no Império Romano, somente os criminosos mais vis e que tinham cometido os crimes mais hediondos é que morriam crucificados. Os outros eram enforcados ou jogados nas covas para alimentar os animais selvagens. Como você se sentiria se tivesse que sofrer uma pena como essa? Você iria suportar ter suas vestes rasgadas e ficar nu na frente de todo mundo, açoitado até ter sua carne dilacerada, cuspido e apanhado na cara, e ridicularizado com todo tipo de insulto?
O Senhor sentiu dor e passou por todo tipo de sofrimento de um ser humano antes de morrer. Furada por espinhos, sua cabeça ficou ensanguentada; e ele também sofreu com todo o escárnio e zombaria que fizeram dele. Ele sofreu no corpo e no espírito. Mas apesar disso, ele não se declarou inocente; pelo contrário, suportou toda a dor em silêncio. Por que ele fez isso? Por quem ele fez isso? Foi exatamente por mim e por você que o Senhor suportou todo esse escárnio, dor e sofrimento. Pelas suas pisaduras fomos sarados, e pelas suas feridas ele levou nossas dores. Se o Senhor não tivesse recebido nossos pecados quando foi batizado nessa terra, e se ele não tivesse sido crucificado como resultado disso, nós jamais teríamos sido salvos. Jesus nos salvou pessoalmente com o evangelho da água e do Espírito, e nós somos salvos crendo nessa verdade. E só fomos libertos de todos os nossos pecados porque ele foi castigado em nosso lugar por causa deles.
Este mundo tem mudado a cada dia, mas há algo que nunca devemos esquecer, pois mais que ele mude: Jesus morreu para manifestar seu amor a nós através de todo o sofrimento que ele passou e da crucificação. Foi assim que Deus nos amou. Ele nos amou tanto que entregou sua vida por nós. Agora, todo aquele a quem Jesus revela seu amor através do evangelho da água e do Espírito pode ser salvo de todos os seus pecados de uma vez por todas. É isso o que você tem que entender aqui. Todos nós temos que dar graças a Jesus crendo nessa verdade, e também devemos adorá-lo por tudo que ele fez por nós. E já que o Senhor é justo, nós também temos que levar uma vida de retidão para sempre, pregando o evangelho da água e do Espírito até o dia em que o encontraremos.
 
 
Olhe para o Amor que Deus Manifestou a Nós
 
Imagine agora o sofrimento que Deus passou para nos salvar dos pecados do mundo e tente senti-lo em seu coração. A maioria das pessoas não dá muita importância ao batismo de Jesus e a cruz porque não entendem o real significado disso. O batismo de Jesus e a cruz são elementos muito importantes que manifestam o amor do Senhor por nós. Mas apesar disso, muitos não creem no amor de Deus revelado na cruz, por mais que entendam isso. Contudo, se crermos no amor do Senhor revelado na cruz e nascermos de novo no evangelho da água e do Espírito, seremos gratos a ele por sua graça e nos tornaremos pessoas muito humildes por causa do seu amor.
Será que conhecemos mesmo o amor de Deus? Será que reconhecemos o sacrifício que o próprio Deus fez para revelar seu amor por nós? Na semana santa, todos nós temos que ser gratos ao Senhor do fundo do nosso coração por ele ter nos salvado, manifestando seu amor e nos levado a crer nele assim. Portanto, temos que dar graças ao Senhor mais uma vez, confirmando nossa fé no evangelho da água e do Espírito na semana santa.