The New Life Mission

Sermões

Assunto 18: GÊNESIS

[Capítulo 14-6] (Gênesis 14:17-24, 15:1) A Fé de Abraão que Renuncia aos Bens Materiais

( Gênesis 14:17-24 )
“E o rei de Sodoma saiu-lhe ao encontro (depois que voltou de ferir a Quedorlaomer e aos reis que estavam com ele) até ao Vale de Savé, que é o vale do rei. E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e era este sacerdote do Deus Altíssimo. E abençoou-o, e disse: ‘Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra; e bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos’. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo. E o rei de Sodoma disse a Abrão: Dá-me a mim as pessoas, e os bens toma para ti. Abrão, porém, disse ao rei de Sodoma: Levantei minha mão ao SENHOR, o Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra, jurando que desde um fio até à correia de um sapato, não tomarei coisa alguma de tudo o que é teu; para que não digas: ‘Eu enriqueci a Abrão; salvo tão-somente o que os jovens comeram, e a parte que toca aos homens que comigo foram, Aner, Escol e Manre; estes que tomem a sua parte.’”
 
( Gênesis 15:1 )
“Depois destas coisas veio a palavra do SENHOR a Abrão em visão, dizendo: ‘Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo, o teu grandíssimo galardão.’”
 
 
O Rei de Sodoma e o Rei de Salém
 
Depois de ir para a guerra com 318 servos treinados da sua casa, Abraão derrotou seus inimigos e voltou triunfante. Depois da batalha, enquanto Abraão retornava como um general vitorioso com muitas pessoas e os espólios da guerra, dois homens foram recebê-lo. Eles eram o rei de Sodoma e o rei de Salém. Embora os dois reis tenham ido receber Abraão, suas atitudes perante ele foram bem diferentes.
Primeiro vamos ver Melquisedeque rei de Salém, que foi nomeado por Deus como um sacerdote eterno. Quando Melquisedeque foi receber Abraão, ele levou pão e vinho e os ofereceu a ele com a seguinte bênção:
“Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo,
O Possuidor dos céus e da terra;
E bendito seja o Deus Altíssimo,
Que entregou os teus inimigos nas tuas mãos” (Gênesis 14:19). Ao dizer estas palavras Melquisedeque cumpriu sua função sacerdotal. Então Abraão ofertou ao rei de Salém o dízimo de todos os espólios que tinha trazido consigo da guerra.
Mesmo antes de estabelecer o Tabernáculo, a tribo sacerdotal de Levi e o sistema sacrificial, todos estes figura do nascimento de Jesus Cristo, Deus levantou o rei de Salém aqui no livro de Gênesis e o chamou rei da paz e o exaltou como sacerdote. Melhor dizendo, Deus levantou um sacerdote celestial chamando-o nesta terra de rei de Salém mesmo antes de estabelecer o sistema sacrificial, para nos falar desde aquela época sobre o nascimento de Jesus Cristo. Por isso Deus já tinha preparado com perfeição a obra da salvação de Jesus Cristo desde muito tempo atrás.
 
 
Quando Vemos as Coisas da Dimensão da Fé
 
A Bíblia diz que Melquisedeque, rei de Salém, foi o sacerdote do Deus Altíssimo (Hebreus 7:1). Este rei de Salém, a quem Deus pessoalmente consagrou como um sacerdote celestial mesmo antes de estabelecer o sistema sacrificial, não se refere a outro senão a Jesus Cristo que um dia viria. Quando lemos novamente o texto bíblico deste capítulo com base nessa informação, podemos entender com clareza a verdade que está revelada nesta passagem bíblica. O rei de Salém, que simbolizava Jesus Cristo, abençoou Abraão dando-lhe pão e vinho, e Abraão recebendo esta bênção ofereceu-lhe o dízimo de todos os seus espólios.
O que esta passagem realmente significa? Significa que o rei de Salém, isto é, Jesus Cristo abençoou Abraão com pão e vinho mostrando que ele nos salvaria através do pão e do vinho, ou seja, através de sua própria carne e sangue. Quando lemos João 6:55, vemos Jesus dizendo: “A minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida.” Como eu expliquei bem antes, a carne de Jesus se refere ao seu batismo e seu sangue se refere à condenação sofrida na cruz.
Melquisedeque, rei de Salém e sacerdote dos céus ofereceu pão e vinho a Abraão e abençoou louvando a Deus. Assim como Melquisedeque, nós também podemos ir a presença de Deus para louvá-lo e pôr toda nossa fé sobre ele porque cremos no pão e no vinho de Jesus. Melhor dizendo, como cremos que Jesus Cristo nos salvou através do seu batismo e sangue, nós podemos louvar a Deus e confiar nele segundo esta fé.
O mesmo aconteceu com Abraão, nosso pai da fé. Quando pensamos em Abraão, achamos que ele foi apenas alguém que se tornou justo graças as bênçãos de Deus, mas Abraão também se tornou um homem abençoado de fé por crer na salvação da água e do sangue oferecido pelo Senhor. Como vemos no texto bíblico deste capítulo, o rei de Salém abençoou Abraão com pão e vinho. E como ele creu de todo coração no sacrifício da água e do sangue oferecidos pelo Senhor, ele se tornou um homem justo graças a Jesus Cristo. Isto significa que Abraão, o pai da fé, também creu no mesmo evangelho da água e do Espírito que você e eu cremos hoje.
Somente o sacerdote celestial podia abençoar Abraão desta forma. Nem o rei de Israel podia desfrutar do mesmo privilégio do sacerdote. Somente o sacerdote podia abençoar o povo de Israel, pedindo a Deus que manifestasse sua glória e derramasse suas bênçãos sobre eles. Em agradecimento pelo pão e vinho que recebeu do rei de Salém, o sacerdote celestial, Abraão ofereceu o dízimo a ele. Este rei de Salém era uma figura de Jesus Cristo, e foi através dele que Abraão recebeu a bênção e louvou a Deus. Deixe-me novamente ratificar que o rei de Salém do texto bíblico que lemos hoje manifesta a figura de Jesus Cristo.
 
 
Abraão Rejeitou o Rei de Sodoma que o Tentou com Bens Materiais
 
Alguém recebeu Abraão de um modo bem diferente que o rei de Salém, e este homem foi o rei de Sodoma, que pode ser descrito como o rei carnal. Vamos ler novamente as Escrituras. O rei de Sodoma disse a Abraão: “Dá-me a mim as pessoas, e os bens toma para ti” (Gênesis 14:21). O rei de Sodoma estava dizendo a Abraão para devolver todas as pessoas que ele tinha resgatado e pegar os bens para si. Humanamente falando, isso pode ter até sentido, mas Abraão rejeitou o que o rei de Sodoma lhe ofereceu e jurou em nome do Senhor que não tomaria nada dele. Então Abraão não ficou com nada do rei de Sodoma, mas separou apenas alguns espólios para os homens que tinham ido com ele a guerra, e deu o resto dos espólios de volta ao rei de Sodoma para que ele não viesse a dizer: “Abraão enriqueceu por pegar esses espólios.”
O que esse texto significa? Apesar do rei de Sodoma ter dito a Abraão para dar a ele o povo e ficar com os bens, Abraão ficou apenas com a parte dos homens que foram com ele a guerra. Isto nos ensina que os pregadores do evangelho e os justos, ou seja, nós os fieis, devemos deixar de lado toda ganância pelas riquezas e nos concentrar só na alma. Quando deixamos de lado nossa ganância e nos focamos na alma, Deus se torna nosso escudo e o nosso pastor que nos dá fé e provém todas as nossas necessidades, assim como ele apareceu diante de Abraão e disse: “Eu sou o teu escudo, o teu grandíssimo galardão” (Gênesis 15:1).
Depois de derrotar quatro reis, Abraão voltou com uma grande quantidade de espólios, mas ele não sucumbiu a ganância diante de todas essas riquezas. Ele rejeitou a proposta do rei de Sodoma de se aliar a ele. E logo depois disso, Deus apareceu diante de Abraão e deu-lhe as bênçãos celestiais, dizendo: “Eu sou o teu escudo, o teu grandíssimo galardão” (Gênesis 15:1). Se os seguidores do Senhor ficassem gananciosos por bens materiais, eles não poderiam ganhar alma alguma. Por outro lado, se eles deixarem de lado sua ganância pelas riquezas deste mundo reconhecendo que uma alma é muito mais preciosa que toda riqueza, Deus virá até eles, os abençoará e os recompensará.
Antes da guerra, houve conflitos entre Abraão e Ló. Abraão disse a seu sobrinho: “Vá para onde quiser e eu seguirei em caminho oposto ao seu.” Então Deus apareceu diante de Abraão e disse: “Levanta agora os teus olhos, e olha desde o lugar onde estás, para o lado do norte, e do sul, e do oriente, e do ocidente; Porque toda esta terra que vês, te hei de dar a ti, e à tua descendência, para sempre” (Gênesis 13:14-15). Segundo esta palavra, Abraão teve a chance de ter muitas riquezas e muitas pessoas naquela guerra. E quando ele voltou da guerra, o rei carnal disse a ele: “Dá-me a mim as pessoas, e os bens toma para ti.” O que teria acontecido a Abraão se ele tivesse feito o que o rei de Sodoma lhe propôs? Ele teria ficado vulnerável. Se o rei de Sodoma tivesse ficado com os homens, Abraão teria sido derrotado, já que esses homens deveriam estar presos demais aos espólios para defenderem a si mesmo. Bens materiais são totalmente inúteis. Mas Abraão, o pai da fé, não ficou com os bens. Pelo contrário, ele respondeu ao rei de Sodoma com palavra sábias, dizendo-lhe para ficar com todos os bens. Ele disse isso para que o rei de Sodoma saísse por aí dizendo que ele fez Abraão enriquecer. Embora Abraão não tivesse muita riqueza, ele não mostrou ganância alguma.
Amados irmãos, através do assunto de hoje, o Senhor está falando sobre a preciosidade do evangelho e nos exortando a cuidar da alma. Dinheiro vem e vai, um dia o temos e no outro talvez não, e no dia seguinte podemos estar cheios de dinheiro outra vez. As tentações giram em torno dos bens materiais e vivem a nos visitar, assim como Abraão continuou enfrentando muitas tentações de promessas de riquezas e ganhos materiais. Mas Abraão derrotou todas estas tentações colocando sua fé em Deus. E devemos nos lembrar que quando Abraão superou essas tentações materiais, Deus apareceu diante dele e o abençoou.
 
 
No que Você Está Mais Interessado: em Dinheiro ou em Almas?
 
Precisamos analisar com cuidado e ver onde está o nosso interesse, se estamos mais interessados no dinheiro ou em almas. O que Abraão fez no texto que lemos hoje é muito louvável. Ele foi à guerra contra quatro reis, os derrotou, resgatou os prisioneiros e ficou com seus bens. Se um homem comum tivesse recebido a mesma proposta feita pelo rei de Sodoma, ele teria aceitado as riquezas e vivido uma vida de rico. Mas o que aconteceria lá na frente? Se ele não aplicasse sua riqueza em nenhuma causa nobre, isso o teria arrastado para o injusto Mamom. Quando a pessoa é tirada do oceano da ganância, ela pode ir a luta e não será derrotada e nem morta. Aqueles que só estão interessados nas riquezas materiais e põem sua confiança apenas no dinheiro, seu derradeiro fim é óbvio.
O que é mais importante? As riquezas do mundo ou a alma? Precisamos aproveitar estas oportunidades para pensar o que faríamos se estivéssemos no lugar de Abraão, e examinar a nós mesmos para saber onde está o nosso verdadeiro interesse. Deus está nos dizendo hoje neste instante que aquele que se preocupa com dinheiro nunca pode fazer a obra de Deus.
Nós temos publicado muitos livros para pregar o evangelho através do nosso ministério de literatura, e embora não saibamos exatamente quanto gastamos, sabemos que uma enorme quantia de dinheiro foi investida neste ministério. Só a diaconisa Jeongsoon Lee ofertou cerca de 200.000 dólares para este ministério, e uma grande quantia foi dada por todos nós. Mas ninguém entre nós mostrou sequer alguma ganância por este dinheiro, porque nós estamos interessados na alma e não nas riquezas. Se uma alma pudesse ser salva por 100.000 dólares, essa grande quantia não significaria nada para nós. Obviamente, se os nossos pastores fossem gananciosos e não tivessem interesse em salvar almas, como muitos líderes cristãos que aparecem hoje em dia, eles pegariam esse dinheiro para si mesmos ou o gastariam em alguma obra extravagante para construir a igreja. E quanto a você? Você está mais interessado no dinheiro ou em almas? Você precisa refletir sobre isso e ser honesto para com Deus. Melhor dizendo, você precisa avaliar sua fé para ver se ela está certa ou errada. E se ela não estiver certa, com coragem você deve deixar de lado o que não presta e tomar para si o que é bom. Resumindo, você deve estar bem preparado.
Na verdade, não é tão fácil ser tão determinado como Abraão era. Se você estivesse diante de tanto espólios de guerra, você abriria mão de tanta riqueza e diria: “Eu não vou querer nada, desde um fio até a correia de um sapato” (Gênesis 14:23)? Você renunciaria a todas as riquezas materiais deste mundo se isso pudesse fazer você pregar o evangelho a muitas almas e salvá-las? Lembre-se que somente os que responderem um grande ‘Sim’ a esta pergunta terão Deus aparecendo diante deles se tornando seu pastor e o seu galardão.
 
 
Embora Seja Difícil, Nenhum Servo de Deus Jamais Deve Buscar as Coisas Materiais
 
Amados irmãos, nenhum crente jamais deve buscar as riquezas materiais. Porque os bens materiais por si mesmo não são o mais importante, eles são apenas algo necessário para nós pregarmos o evangelho. Os bens materiais de que eu estou falando aqui não significa apenas dinheiro. Buscar os valores carnais é o mesmo que buscar riquezas materiais. Por acaso você ama a si mesmo mais do que o evangelho que o Senhor te deu ou até mesmo ao próprio Deus? Isso também é buscar as coisas materiais. Ninguém que ama a si mesmo mais que a Deus pode servir este evangelho com total devoção. Se você é esse alguém, então eu peço que deixe de lado todos os seus desejos egoístas.
Quando comparado a você e a mim, Abraão é verdadeiramente um homem honrado e digno do nosso respeito. Afinal de contas, ele abdicou dos espólios da guerra e não ficou com nada para si embora toda aquela riqueza tenha sido oferecida a ele. Agora imagine que alguém lhe mostre 100 milhões de dólares e pergunte a você o seguinte: “Eu lhe darei todo esse dinheiro se você parar de servir o evangelho. Você desistiria de 100 milhões e continuaria servindo o evangelho ou pegaria esse dinheiro e viveria o resto de sua vida no conforto, já que você já nasceu de novo pela fé em Jesus?” O que você faria? Talvez você recorresse a um truque e dissesse: “Eu vou pegar os 100 milhões e ainda servirei o evangelho.”
Porém queridos, não há meio termo para o Deus justo. Você não pode servir a dois senhores. Entre o dinheiro e o evangelho, se você quiser tomar posse de um terá que abrir mão do outro. Do que você desistiria então? Você desistiria do evangelho ou de 100 milhões? Cem milhões de dólares talvez não pareça muita coisa em palavras, mas a verdade é que esta é uma grande quantia que está além da nossa imaginação. Se fôssemos empilhar 100 milhões em notas de dez, encheria todo este recinto e ainda sobraria toneladas de notas. Até mesmo 1 milhão é uma grande quantia de dinheiro. Mas nós devemos desistir desses 100 milhões não somente em nossa mente mas na vida real.
Abraão desistiu de uma fortuna maior que 100 milhões como está descrito na passagem bíblica deste capítulo. E depois disso Deus apareceu diante de Abraão e o abençoou. Este Deus Todo-Poderoso também é o nosso Deus, aquele que concede seu galardão a todos nós.
Não subestime Abraão. Ele realmente era um homem de grande fé. É minha esperança e oração que Deus também nos faça pessoas de fé como Abraão. Eu confio que Deus realmente fará de nós pessoas de fé e eu agradeço a ele por isto.