The New Life Mission

Sermões

Assunto 9: Romanos

[Capítulo 7-2] ( Romanos 7:1-4 ) A Essência da Fé de Paulo: A Unidade com Cristo após Morrer para o Pecado

( Romanos 7:1-4 )
“Porventura, ignorais, irmãos (pois falo aos que conhecem a lei), que a lei tem domínio sobre o homem toda a sua vida? Ora, a mulher casada está ligada pela lei ao marido, enquanto ele vive; mas, se o mesmo morrer, desobrigada ficará da lei conjugal. De sorte que será considerada adúltera se, vivendo ainda o marido, unir-se com outro homem; porém, se morrer o marido, estará livre da lei e não será adúltera se contrair novas núpcias. Assim, meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que frutifiquemos para Deus”.


Você já viu um rolo de fio embaraçado? Se tentar entender este capítulo sem conhecer a verdade do batismo de Jesus na qual o Apóstolo Paulo cria, sua fé ficará em um estado de grande confusão, mais do que antes.
Paulo diz neste capítulo que, porque todos são absolutamente pecadores diante da Lei de Deus, a pessoa só pode ir até Jesus Cristo e nascer de novo após morrer uma morte espiritual.


A Verdade que Paulo descobriu

Romanos 7:7 afirma, “Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei”. Paulo continua, “Pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera: Não cobiçarás”. Além disso, ele acrescenta, “Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, despertou em mim toda sorte de concupiscência”. Paulo descobriu que estava violando todos os 613 Mandamentos de Deus. Em outras palavras, ele não era nada mais do que uma massa de pecado que não podia fazer nada senão cometer pecados, porque era um descendente do primeiro homem, Adão, que nasceu na iniquidade e foi concebido em pecado pela sua mãe.
Todo aquele que nasceu neste mundo peca do nascimento à morte. Eles são, portanto, incapazes de guardar os Mandamentos de Deus. Como essas massas de pecado poderiam guardar todos os 613 Mandamentos e a Lei de Deus? Somente quando reconhecemos que nós somos pecadores diante da Lei de Deus podemos chegar até Jesus Cristo, a Justiça de Deus, e descobrir que nós finalmente podemos ser libertos do pecado através de Cristo Jesus. Jesus Cristo tornou-se a Justiça de Deus. Ele nos trouxe a Justiça de Deus por meio de Seu batismo por João e Seu sangue na Cruz. Todos nós devemos, portanto, conhecer e crer na Justiça de Deus. A razão pela qual nós devemos crer em Jesus é porque esta Justiça de Deus é encontrada nEle.
Você conhece e crê na Justiça de Deus? A Justiça de Deus é o segredo que está escondido no evangelho da água e do Espírito. Este segredo está no batismo que Jesus recebeu de João no Rio Jordão. Você quer conhecer este segredo? Se quiser acreditar nesta verdade, você alcançará a Justiça de Deus pela sua fé.
Antes de conhecermos a Lei de Deus e os Mandamentos, parecia que nós não éramos pecadores, apesar de cometermos pecados diariamente. Mas após começarmos a frequentar a Igreja, percebemos que éramos muito pecadores e que morreríamos espiritualmente em razão dos pecados revelados em nós. Assim, para guiar as almas até Jesus Cristo, o Apóstolo Paulo recordou o seu passado, quando ele tinha uma crença falsa, em razão do entendimento errado da Lei de Deus e dos Mandamentos.

Aqui está um exemplo que ajudará você a entender o papel da Lei de Deus. Eu estou segurando a Bíblia agora. Se eu esconder algo de grande importância entre as folhas desta Bíblia dizendo, “Não olhe para dentro deste livro para encontrar o que está escondido nele” e então deixá-la aqui na mesa com você por um instante, como você irá reagir? No momento em que ouvir as minhas palavras, você sentirá um desejo de descobrir o que está escondido nesta Bíblia e, como resultado desta curiosidade, violará as minhas instruções. No momento em que você perguntar a si mesmo sobre o que pode estar escondido nesta Bíblia, você não terá outra escolha senão descobrir. Mas se eu não tivesse falado para você não olhar dentro da Bíblia, você nunca teria sentido esta tentação. Da mesma forma, quando Deus nos ordena, os pecados que estão latentes em nós se manifestam segundo as circunstâncias.
A Lei que Deus deu para a humanidade tem a função de revelar o pecado no coração das pessoas. Ele não nos deu a Lei para que nós pudéssemos guardá-la e segui-la; pelo contrário, a Lei nos foi dada para revelar os nossos pecados e, portanto, nos tornar pecadores. Todos nós pereceremos se não formos até Jesus Cristo e crermos na Justiça de Deus que é encontrada no batismo que Jesus recebeu de João e no sangue que Ele derramou na Cruz. Nós devemos ter em mente que o papel da Lei é nos trazer até Cristo e nos ajudar a crer na Justiça de Deus através Dele.
É por isso que o Apóstolo Paulo testifica, “Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, despertou em mim toda sorte de concupiscência; porque, sem lei, está morto o pecado”. (Romanos 7:8). Por meio da Lei de Deus, o Apóstolo Paulo nos mostrou quais são os fundamentos básicos do pecado. Ele confessou que no início era um pecador, mas que alcançou a vida eterna crendo na Justiça de Deus dada por Jesus Cristo.


A lamentação e a Fé de Paulo

Paulo disse, “Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado”. (Romanos 7:24-25).
Paulo reconhecia o fato de que ele, que possuía a Justiça de Deus, ainda pecava e que assim a Justiça de Deus era ainda mais necessária, não só para ele, mas também para todo o resto da humanidade.
Nós devemos obter a Justiça de Deus conhecendo corretamente os segredos escondidos no batismo que Jesus recebeu e crer nele. Você e eu devemos conhecer e crer na Justiça de Deus encontrada no batismo de Cristo e no Seu sangue na Cruz. Somente assim a nossa alma e carne, que não têm outra escolha senão pecar, serão libertas de nossos pecados. Nós não devemos esquecer o fato de que o batismo de Jesus e Seu sangue na Cruz cumpriram a Justiça de Deus.
Aqueles que não conhecem a Justiça de Deus permanecerão pecadores até o fim, apesar de tentarem duramente guardar a Lei. Nós devemos perceber que a Lei de Deus não foi dada para nós a guardarmos. Mas os legalistas não percebem que o segredo da redenção está no “batismo” que Jesus recebeu, juntamente com o Seu sangue na Cruz. Como resultado disso, eles entendem erroneamente a Lei de Deus pensando que ela foi dada para ser obedecida e continuam vivendo confusos. Mas nós devemos reconhecer os nossos pecados por meio da Lei e viver pela nossa fé na Justiça de Deus. Nós não devemos deixar de lado a Justiça de Deus para buscar a nossa própria justiça. Pelo contrário, devemos crer na Justiça de Deus cumprida pelo batismo de Cristo e Seu sangue na Cruz. Em outras palavras, precisamos aprender a dar graças ao nosso Senhor Jesus, que cumpriu a Justiça de Deus.

É por isso que Paulo, olhando para sua própria carne, inicialmente lamentava, “Desventurado homem que sou!”, mas ainda dava graças a Deus através de Jesus Cristo. Paulo fez esta confissão porque quanto mais ele tivesse pecados, mais completamente o batismo de Jesus e o Seu sangue na Cruz cumpririam a Justiça de Deus. Nós também podemos gritar de alegria e vitória, porque fomos salvos pela nossa fé em Jesus Cristo, mesmo que nós ainda vivamos vidas difíceis entre a lei da carne e aquela da Justiça de Deus. A fé que Paulo tinha foi aquela que cria no batismo de Jesus Cristo e no Seu sangue na Cruz. Foi assim que Paulo alcançou a sua fé na Justiça de Deus e, pela crença nesta Justiça de Deus, ele pôde se tornar aquele que ofereceu louvores a Ele.
Em Romanos capítulo 7, Paulo fala sobre seu estado miserável de antes, em contraste com a sua vitoriosa fé na Justiça de Deus. A vitória de fé de Paulo foi em razão da sua fé na Justiça de Deus.
“Porventura, ignorais, irmãos (pois falo aos que conhecem a lei), que a lei tem domínio sobre o homem toda a sua vida?”. (Romanos 7:1).
O clímax do capítulo 7 está nos versículos 24 e 25. Paulo escreveu, “Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado”.
Em Romano capítulo 6, Paulo falava sobre a fé que nos leva a ser enterrados e ressuscitados juntamente com Cristo. Pela nossa união com o Seu batismo e a Sua morte na Cruz, nós podemos alcançar esta fé.
Paulo percebeu que ele era um homem desventurado, cuja carne era tão insuficiente que quebrou a Lei de Deus não apenas antes de encontrar a Jesus, mas também continuou quebrando mesmo após o encontro com Jesus. Ele lamentava, “Quem me livrará do corpo desta morte?”. Então concluiu que ele podia ser liberto do corpo desta morte crendo na Justiça de Deus, dizendo: “Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor”. Paulo estava livre dos pecados da carne e mente pela fé na Justiça de Deus através de Cristo, unindo-se a Ele.
A confissão final de Paulo foi, “De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado”. (Romanos 7:25). E no início do capítulo 8, ele confessou, “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.
Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte”. (Romanos 8:1-2).
Havia originalmente duas leis dadas por Deus: a lei do pecado e da morte e a do Espírito da vida. A lei do Espírito da vida salvou Paulo da lei do pecado e da morte. Isso significa que pela fé no batismo de Jesus e Sua morte na Cruz, que levou todos os seus pecados, ele se uniu com Jesus e foi salvo de todos os pecados. Todos nós devemos ter a fé que nos uni com o batismo do Senhor Jesus e com a Sua morte na Cruz.
Paulo confessou em Romanos capítulo 7 que ele já estava condenado sob a Lei, mas através de Jesus Cristo, ele foi liberto dessa condenação. Assim, pôde servir a Deus por intermédio do Espírito Santo, que habitava nele.


A verdade que Paulo descobriu

Paulo confessou, “Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei”. (Romanos 7:7). Ele não conheceria a cobiça se a Lei não dissesse, “Não cobiçarás”. Paulo explicou a relação entre a Lei e o pecado, dizendo, “Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, despertou em mim toda sorte de concupiscência”. Isso significa que os corações humanos estão cheios de pecado. A partir do momento em que as pessoas são concebidas no ventre de suas mães, elas são concebidas em pecado e nascerão com os doze tipos de pecado.
Estes doze tipos de pecados são prostituição, furtos, homicídios, adultérios, avareza, malícias, dolo, lascívia, inveja, blasfêmia, soberba e loucura. Todos cometem estes pecados até morrerem. Como alguém no mundo pode obedecer à Lei e aos Mandamentos de Deus quando a pessoa é nascida no mundo com estes doze pecados? No momento em que a pessoa ouve as palavras da Lei e os Mandamentos que nos falam o que nós “devemos” ou “não devemos”, o pecado começa a atuar em nós.

Quando não conhecíamos a Lei e os Mandamentos de Deus, os pecados dentro de nós estavam adormecidos. Mas após ouvir os Mandamentos, que nos falaram o que fazer e o que não fazer, estes pecados surgiram e nos fizeram pecar ainda mais.
Qualquer um que não é nascido de novo ou não crê e não entende a verdade da água e do Espírito tem pecado. Este pecado, tendo se tornado ativo pelas palavras dos Mandamentos, produz ainda mais pecados. A Lei, que fala para as pessoas o que fazer e o que não fazer, é como um treinador que tenta adestrar o pecado. Contudo, o pecado vai contra os Mandamentos de Deus e os desobedece. Quando um pecador ouve os Mandamentos, os pecados dentro de seu coração são ativados, levando-o a cometer cada vez mais pecados.
Nós podemos descobrir por intermédio dos Dez Mandamentos que nós temos pecados dentro de nós. O papel da Lei é, portanto, revelar os pecados dentro de nossos corações, e nos faz perceber que os Mandamentos de Deus são santos e nos acorda para a nossa pecaminosidade. Nós nascemos com a cobiça para termos ambição sobre tudo o que Deus criou, incluindo propriedades ou sócios que não são nossos. Então, o mandamento que diz, “Não cobiçarás”, nos fala que nós nascemos pecadores e fomos destinados ao inferno desde o dia de nosso nascimento. Isso também mostra a nossa necessidade pelo Salvador, que cumpriu a Justiça de Deus.
É por isso que Paulo confessou que o pecado tomou ocasião pelo mandamento para produzir nele toda sorte de concupiscência. Paulo descobriu que ele era um grande pecador que quebrou os bons Mandamentos de Deus, pois havia nascido originalmente pecador e estava com pecado antes de crer na Justiça de Deus.

Quando olhamos para o capítulo 7, descobrimos que o Apóstolo Paulo era muito espiritual, tinha um vasto conhecimento da Bíblia e tinha um grande conhecimento e experiência espiritual. Ele sabia por intermédio da Lei que havia pecado dentro dele e que os Mandamentos produziram toda sorte de concupiscência. Descobriu que a Lei de Deus tinha o papel de revelar os pecados dentro dele. Quando estes pecados surgiram, ele também confessou que o Mandamento, que era pra trazer vida, trouxe morte a ele.
Como é a sua fé? É como era a de Paulo? Não há pecado em seu coração se você crê ou não em Jesus? Se você pensa assim, significa que você ainda não conhece a Justiça de Deus, ainda não recebeu o Espírito Santo, e é um pecador que está destinado ao inferno para ser julgado por seus próprios pecados. Você reconhece esses fatos? Se reconhece, então creia no evangelho da água e do Espírito, no qual a Justiça de Deus é revelada. Você será salvo de todos os seus pecados, receberá a Justiça de Deus e terá o Espírito Santo sobre você. Nós devemos crer no evangelho da água e do Espírito.


O Pecado, tomando ocasião pelo mandamento, enganou a Paulo

O Apóstolo Paulo disse, “E o mandamento que me fora para vida, verifiquei que este mesmo se me tornou para morte. Porque o pecado, prevalecendo-se do mandamento, pelo mesmo mandamento, me enganou e me matou”. (Romanos 7:10-11). O pecado, em outras palavras, enganou a Paulo tomando ocasião pelo Mandamento. Paulo acreditava nos Mandamentos, que eram verdadeiramente bons e justos, mas os doze tipos de pecados estavam vivos e apodrecendo em seu coração. Isso significa que ele foi enganado pelo pecado porque não entendia o propósito dos Mandamentos de Deus.
Inicialmente, Paulo pensou que Deus houvesse dado a Lei para ele obedecê-la, porém, depois, percebeu que a Lei não era para ser obedecida, mas para revelar os pecados no coração das pessoas, juntamente com a santidade de Deus, e para que os não-crentes fossem julgados por Deus. Foi assim que Paulo percebeu que havia sido enganado pelo pecado, pois ele não entendia os Mandamentos de Deus e a Lei corretamente. A maioria das pessoas de hoje é enganada da mesma forma.
Nós devemos perceber que a razão pela qual Deus nos deu os Mandamentos e a Lei não foi para que os obedecêssemos, mas para percebermos os nossos próprios pecados e alcançarmos a Justiça de Deus pela fé no evangelho da água e do Espírito. Mas como tentamos viver segundo a Lei com os nossos pecados, nós acabamos revelando a nossa natureza pecaminosa.
Então, um pecador percebe por intermédio da Lei que embora a Lei seja santa, ele não tem nenhum poder ou capacidade para viver uma vida santa. Neste momento, a pessoa se torna pecadora que não tem escolha senão ser enviada para o inferno pela Lei. Mas os pecadores que não creem no evangelho da água e do Espírito continuam pensando que Deus deu a Lei para ser obedecida. Eles continuam tentando obedecer a Lei, mas estarão enganando a si mesmos e serão destruídos no final.
Aqueles que não são nascidos de novo, pela ignorância sobre a Justiça de Deus, cometem pecado e então tentam ser perdoados oferecendo orações de arrependimento. No final, contudo, eles irão perceber que entenderam errado o propósito da Lei de Deus e enganaram a si mesmos. O pecado, tomando ocasião pelo mandamento, os enganou. A Lei de Deus é santa, mas os pecados dentro deles os leva à morte.
Paulo disse, “Por conseguinte, a lei é santa; e o mandamento, santo, e justo, e bom. Acaso o bom se me tornou em morte? De modo nenhum! Pelo contrário, o pecado, para revelar-se como pecado, por meio de uma coisa boa, causou-me a morte, a fim de que, pelo mandamento, se mostrasse sobremaneira maligno”. (Romanos 7:12-13). Aqueles que entendem esta verdade percebem sua necessidade pela Justiça de Deus, e dessa forma, creem que o evangelho da água e do Espírito é a verdade. Uma pessoa que crê no evangelho da água e do Espírito também crê na Justiça de Deus. Sejamos libertos de todos os nossos pecados e alcancemos a santidade de Deus pela fé em Sua Justiça. Eu espero que todos vocês sejam abençoados por este evangelho.


Como era a carne e a mente de Paulo?

Paulo era cheio do Espírito e tinha um profundo entendimento da Palavra de Deus. Contudo, ele falava sobre a sua carne com as seguintes palavras: “Porque bem sabemos que a lei é espiritual; eu, todavia, sou carnal, vendido à escravidão do pecado. Porque nem mesmo compreendo o meu próprio modo de agir, pois não faço o que prefiro, e sim o que detesto. Ora, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. Neste caso, quem faz isto já não sou eu, mas o pecado que habita em mim”. (Romanos 7:14-17). Ele disse que cometia pecado porque era carnal por natureza. Como era carnal, ele se via buscando os desejos da carne, apesar de querer fazer o bem.
Portanto, Paulo percebeu que, “Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus;
mas vejo, nos meus membros, outra lei que, guerreando contra a lei da minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros”. (Romanos 7:22-23). É por isso que ele lamentava sobre a sua carne, dizendo, “Desventurado homem que sou!”. (Romanos 7:24). Mesmo depois que Paulo nasceu de novo, ele ainda se angustiava, porque o mal estava presente dentro dele, apesar de querer fazer o bem. Quando Paulo disse que o mal estava dentro dele, ele estava se referindo à sua própria carne. Ele viu outra lei em seus membros, que ia contra a lei do Espírito, fazendo-o perder para a carne e o levando a cometer pecados. Ele só podia admitir que não tinha escolha, senão se sujeitar ao julgamento, pois via sua carne tomar o controle sobre ele para pecar. Porque Paulo também tinha carne, ele lamentava sobre os pecados que surgiam dela.

É por isso que Paulo declarou, “Desventurado homem que sou!”. Mas ele também agradeceu a Jesus Cristo por cumprir a Justiça de Deus. Isso porque ele cria que Jesus veio a Terra, foi batizado e crucificado para dar o perdão dos pecados para toda a humanidade. Ele podia agradecer a Deus de todo coração, pois tinha a fé que o unia com o batismo e com o sangue de Jesus Cristo.
Paulo sabia que quando João batizou Jesus, todos os seus pecados, bem como os pecados do mundo, foram passados para Jesus de uma vez por todas. Ele também sabia que quando Jesus morreu na Cruz, todos nós morremos para o pecado juntamente com Ele. Nós devemos, portanto, ter uma fé unida com a verdade do evangelho da água e do Espírito. O seu coração está unido com o batismo e com o sangue de Jesus Cristo? Em outras palavras, você já uniu o seu coração com o evangelho da água e do Espírito, que cumpriu a Justiça de Deus? Nós devemos ter a nossa fé unida com o batismo que nosso Senhor Jesus recebeu de João e o sangue que Ele derramou na Cruz. É muito importante para nós termos a fé unida, porque a unidade com o evangelho da água e do Espírito é a unidade com a Justiça do Senhor.
Romanos 6:3 afirma, “Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte?”. Isso significa que pela fé no batismo de Jesus, nós também fomos batizados com Ele, o que quer dizer que nós nos unimos na morte do Senhor Jesus. Ou seja, sendo batizados em unidade por meio da fé, fomos espiritualmente batizados em Sua morte. Ser unido com o Senhor Jesus é ser unido com o Seu batismo e morrer junto com a Sua morte.

Devemos, portanto, crer e nos unirmos com o batismo de Jesus e Sua morte na Cruz, que cumpriu a Justiça de Deus. Se você ainda não crê no evangelho da água e do Espírito, que guarda a Justiça de Deus, você não está unido com o batismo de Jesus e Sua morte. E é neste evangelho que a Justiça de Deus foi revelada.
Se nossos corações não se unirem com o batismo de Jesus e Sua morte na Cruz, nossa fé é meramente teórica e inútil. Una-se com o batismo de Jesus e Seu sangue na Cruz e creia neles. É assim que nós devemos crer. Uma fé teórica é inútil. De que adianta uma bela casa, se ela não é sua? Para fazer a Justiça de Deus ser nossa, devemos saber que o propósito do batismo de Jesus foi lavar todos os nossos pecados e que Sua morte na Cruz foi para a morte da nossa carne. Por intermédio da nossa fé na Justiça de Deus, cumprida pelo nosso Senhor Jesus, devemos ser redimidos de uma vez por todas e andar em novidade de vida.
Por meio da sua fé unida com o batismo de Jesus e Seu sangue na Cruz, a Justiça de Deus se tornará sua. Nós devemos nos unir com o batismo e a morte de Jesus, pois se não fizermos isso, nossa fé não terá significado algum.
“Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?”. (Romanos 7:24). Esta não é apenas a lamentação de Paulo, mas também a minha e a sua, bem como de todos aqueles que ainda estão separados de Cristo. Quem nos livrará de toda esta angústia é Jesus e isso só pode ser resolvido pela fé no Senhor, que foi batizado, crucificado e ressuscitado, tudo isso por nós!
Paulo disse, “Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor”. Isto mostra que Paulo uniu-se com o Senhor Jesus. Nós devemos crer que se nos unirmos e tivermos a fé de que o Senhor Jesus nos salvou de todos os nossos pecados, por meio de Seu batismo e sangue, seremos perdoados e receberemos a vida eterna. Todos os seus pecados serão passados para Jesus quando você crer no batismo de Jesus com um coração unido. Você terá morrido e ressuscitado com Ele, após ter a fé na união com a Sua morte e Cruz.

Jesus iniciou o Seu ministério na Terra com trinta anos. A primeira coisa que Ele fez na Sua missão foi lavar os nossos pecados sendo batizado por João Batista. Por que Ele se batizou? Foi para que levasse sobre Si todos os pecados da humanidade. Portanto, quando nós unimos nossos corações com a Justiça de Deus, cumprida por Jesus, todos os nossos pecados são verdadeiramente passados para Jesus por meio de Seu batismo. Todos os nossos pecados foram transferidos para Jesus e lavados de uma vez por todas.
Nosso Senhor Jesus veio a este mundo e foi batizado para levar todos os nossos pecados e morreu para pagar o salário destes. Jesus disse para João um pouco antes de ser batizado, “Deixa por enquanto, porque, assim, nos convém cumprir toda a justiça”. (Mateus 3:15). “Toda a justiça” se refere ao batismo de Jesus, que lavou todos os pecados da humanidade, que estava destinada ao inferno, e também à Sua morte e ressurreição. O que é a Justiça de Deus? Segundo as promessas de Deus no Antigo Testamento, o batismo de Jesus e a Sua morte na Cruz, que salvaram todos os pecadores, é a Sua Justiça. A razão pela qual Jesus veio a Terra na aparência de homem e recebeu o batismo foi para levar todos os pecados da humanidade sobre Ele e os redimir.

Por que João batizou Jesus? Foi para cumprir a Justiça de Deus, levando todos os pecados da humanidade. Nós, que fomos batizados em Cristo Jesus, também fomos batizados em Sua morte e agora andamos em novidade de vida, pois Ele foi ressuscitado da morte. Ter fé na Justiça de Deus é crer e unir os nossos corações com o batismo de Jesus, Sua morte na Cruz e Sua ressurreição. É muito importante para nós crermos que Jesus levou todos os nossos pecados sobre Si quando Ele foi batizado. Nós fomos sepultados com Ele quando Ele morreu na Cruz, porque nos unimos a Ele por meio do Seu batismo. É essencial unirmos os nossos corações com o Senhor Jesus pela fé na Justiça de Deus, mesmo após sermos libertos de todos os nossos pecados. Nós podemos dar graças a Deus porque já morremos com Cristo quando Ele morreu na Cruz, pois Ele já levou todos os nossos pecados por meio de Seu batismo.
A união com Jesus Cristo pela fé é necessária mesmo depois de obtermos a Justiça de Deus por meio da nossa redenção. Após recebermos o presente da redenção, nossa fé pode se deteriorar em uma mera convenção. Mas, se unirmos os nossos corações com a Justiça do Senhor Jesus, nossos corações viverão com Ele, mas se não o fizermos, então não poderemos evitar nos tornar irrelevantes para Ele. Se não nos unirmos ao Senhor Deus e permanecermos meros espectadores Dele, como se estivéssemos admirando o jardim do vizinho, nos tornaremos irrelevantes e seremos separados Dele. Portanto, devemos nos unir à Palavra do Senhor Jesus e com a Justiça de Deus em fé.


Se tivermos a fé da união com o batismo de Jesus e Sua morte na Cruz, seremos Cristãos Unidos com o Senhor

Crer na Justiça de Deus é se unir com o Senhor Jesus e ter fé para reconhecer a Sua justiça. Todos os aspectos de nossas vidas deveriam ser unidos à Justiça de Deus. É assim que deveríamos viver. Se não nos unirmos com a Sua Justiça, nos tornaremos escravos da nossa carne e morreremos, mas no momento em que nos unimos à Justiça de Deus, todos os nossos pecados são perdoados. Apenas quando unimos os nossos corações com a Justiça do Senhor Jesus nos tornamos Seus servos. Todas as obras de Deus se tornarão relevantes para nós e, assim, todas as Suas obras e Seu poder se tornarão nossos. Contudo, se não nos unirmos a Ele, permaneceremos irrelevantes para a Sua Justiça.
Nós somos instáveis e fracos na carne, assim como Paulo também era, então devemos unir os nossos corações com a Justiça de Deus. Devemos unir e crer que Jesus Cristo foi batizado por João Batista e foi crucificado para nos salvar de todos os nossos pecados. Este é o tipo de fé que agrada a Deus e traz bênçãos para o nosso corpo e alma. Se nós cremos no esforço do Senhor Jesus com os nossos corações unidos em fé, todas as bênçãos prometidas do Céu também serão nossas. É por isso que devemos nos unir a Ele.
Por outro lado, se não unirmos os nossos corações com a Justiça de Deus, nós não estaremos servindo-O. Aqueles Cristãos que não unem os seus corações com a Justiça de Deus amam valores mundanos mais do que qualquer coisa. Eles não são diferentes dos descrentes do mundo. Eles só percebem o valor da Justiça de Deus quando seus pertences, que eles amam como a própria vida, são tomados deles. Coisas materiais não têm o valor ou o poder para tomar o controle da vida das pessoas, apenas a Justiça do Senhor Jesus pode nos dar o perdão dos pecados, vida eterna e bênçãos. Coisas materiais não valem as nossas vidas. Nós devemos perceber que se nos unirmos com a Justiça do Senhor Jesus, nós, bem como nossos próximos, viveremos bem.

Nossos corações devem estar unidos à Justiça do Senhor Jesus. Devemos viver pela fé e unir os nossos corações com Cristo. A fé que é unida com a Justiça de Deus é bela. O que Paulo finalmente diz no capítulo 7 é que nós devemos viver vidas espirituais em união com o Senhor Jesus.
Você já viu alguém que se tornou um servo de Deus sem unir seu coração com a Sua Justiça? Não existe ninguém! Você já viu alguém que reconhece o evangelho da água e do Espírito como condição necessária para o perdão dos pecados sem estar unido à Justiça de Deus? Não existe ninguém. Não importa o quanto conhecemos a Bíblia, a nossa fé se tornará inútil se não nos unirmos com a Justiça de Deus e cremos que pela fé no batismo de Jesus e no Seu sangue na Cruz nós podemos ser libertos de todos os nossos pecados.
Mesmo se já recebemos o perdão dos pecados e frequentamos a Igreja, se nós não estivermos unidos à Sua Justiça, seremos pecadores e não faremos parte do plano do Senhor Jesus. Apesar de dizermos que cremos em Deus, nós estaremos separados do Senhor Jesus se não nos unimos à Sua Justiça. Nós devemos nos unir à Justiça de Deus se quisermos ser consolados, ajudados e guiados por Cristo.
Você recebeu a Justiça de Deus e o perdão de todos os seus pecados pela fé no evangelho da água e do Espírito? Você serve, assim como Paulo fazia, a Lei de Deus com a sua mente, enquanto que a sua carne serve à lei do pecado todos os dias? Nós devemos nos unir à Justiça de Deus todo o tempo. O que acontecerá se não nos unirmos à Justiça de Deus? Nós seremos destruídos. Mas aqueles que estão unidos à Justiça de Deus terão vidas que estão unidas à Igreja de Deus.

Crer na Justiça de Deus significa estar unido à Igreja e aos servos de Deus. Nós só podemos continuar vivendo pela fé quando nos unimos à Justiça de Deus todos os dias. Aqueles que são perdoados de seus pecados pela fé na Sua Justiça devem se unir à Igreja de Deus todos os dias. Como a carne sempre quer servir a lei do pecado, nós devemos sempre meditar na Lei de Deus e viver pela fé. Podemos nos unir com o Senhor Jesus se meditarmos e nos concentrarmos na Justiça de Deus.
Nós, que cremos na Justiça de Deus, devemos nos unir à Igreja e aos servos de Deus diariamente. Para isso, temos que lembrar sempre da Justiça de Deus. Temos que pensar em nos unir à Igreja de Deus todos os dias. Nós devemos meditar no fato de que o Senhor Jesus foi batizado para levar todos os nossos pecados em nosso lugar. Quando estamos unidos com esta fé e com a Justiça de Deus, nós teremos a Paz de Deus e você será renovado, abençoado e fortalecido por Ele.
Una-se com a Justiça de Deus. Você então encontrará nova força. Una-se com o batismo de Jesus na Justiça de Deus agora. Todos os seus pecados serão removidos. Una o seu coração à morte de Cristo na Cruz. Você também morrerá com Ele. Una-se à Sua ressurreição. Você também viverá novamente. Em resumo, quando você se une com Cristo em seu coração, morrerá e será ressuscitado com Cristo e, portanto, será liberto de todos os seus pecados.
O que acontece se não nos unirmos com Cristo? Nós podemos estar confusos e perguntar, “Por que Jesus foi batizado? A única diferença entre o Antigo e o Novo Testamento é que o Antigo fala sobre a “imposição de mãos” e o Novo fala sobre o batismo. E então? Qual é a grande questão?”. Uma fé teórica e orientada pelo conhecimento não é uma fé verdadeira e eventualmente levará os crentes a afastarem-se de Deus.
Aqueles que creem dessa maneira são como um estudante que só aceita o conhecimento de seus professores. Se o estudante realmente respeita seus professores, ele também aprenderá com o caráter nobre, liderança ou grande personalidade deles. Nós não devemos aceitar a Palavra de Deus apenas como uma parte do conhecimento, mas devemos aprender com a personalidade, o amor, a misericórdia e a Justiça de Deus em nossos corações. Devemos fugir da ideia de tentar aprender Sua Palavra apenas como conhecimento, mas devemos nos unir à Sua Justiça. A união com a Justiça de Deus leva os crentes a receber a verdadeira vida. Una-se ao Senhor Jesus! Uma fé unida é a verdadeira fé. Uma fé teórica e orientada pelo conhecimento não é uma fé unida, mas uma fé superficial.

“A misericórdia de Deus” como é cantada em um hino, “é um oceano divino, uma inundação insondável e sem limites”. Quando os nossos corações estão unidos à Justiça de Deus, haverá uma Paz tão insondável e sem limites como a misericórdia de Deus, que nos deu Sua Justiça. Mas uma fé teórica e orientada pelo conhecimento, não unida com Deus, é como águas rasas. Se o mar é raso, facilmente espuma, mas o fluir magnífico das ondas azuis, onde a água do oceano é muito profunda, é indescritível. Mas em águas rasas, quando as ondas atingem a praia, elas se misturam, quebram, espumam e viram uma bagunça. A fé daqueles que não estão unidos à Justiça de Deus é como as ondas em águas rasas.
Os corações daqueles que estão unidos à Palavra de Deus são profundos, centrados no Senhor Jesus, firmes e inabaláveis em todas as circunstâncias. Seus corações se movem rumo à vontade do Altíssimo. Mas aqueles cujos corações não estão unidos à Sua Justiça são facilmente abalados, com a mais leve dificuldade.

Nós devemos ter a fé que nos une ao Senhor Jesus, devemos nos unir à Palavra de Deus. Nós não podemos nos abalar com questões triviais. Aqueles que estão unidos ao Senhor Jesus foram batizados com Cristo, morreram com Cristo e ressuscitaram da morte com Cristo. Como não pertencemos mais a este mundo, nós devemos nos unir à Justiça de Deus para agradá-Lo, pois nos aceitou como servos da Justiça.
Se nos unirmos à Justiça de Deus, estaremos sempre em paz, felizes e cheios de força, porque a força do Senhor Jesus se torna a nossa. Com o Seu poder e bênçãos sendo nossos, viveremos com grandes bênçãos. Se nos unimos ao batismo de Jesus e Sua morte na Cruz pela fé, todo o Seu poder se tornará nosso.
Una seu coração ao Senhor Jesus. Se você se unir ao Senhor Jesus, também se unirá à Igreja de Deus. E aqueles que estão unidos com Deus se unirão uns com os outros, fazendo como amigos as Suas obras e juntos crescendo em fé na Palavra de Deus.
Se não unirmos nossos corações com Cristo, nós perderemos tudo. Mesmo que a nossa fé seja pequena como um grão de mostarda, o Senhor Jesus já perdoou os nossos pecados de uma vez por todas. Devemos nos unir a esta verdade todos os dias, apesar de nossa fraqueza. Apenas uma fé unida permitirá que você viva e dê graças a Deus por meio de Jesus Cristo.
Quando nos unimos à Justiça de Deus, encontramos nova força e nossos corações se tornam firmes. Nossos corações são justificados quando nos unimos à Palavra de Deus. É impossível obter a determinação de servir ao Senhor Jesus seguindo as nossas próprias mentes. Quando nos unirmos com o batismo de Jesus, Sua Cruz e ressurreição, nossa fé crescerá e permanecerá firme nas Escrituras.

Nós devemos unir os nossos corações com o Senhor Jesus. Apenas a fé que esteja unida com Ele é a verdadeira; aquela que não é unida com Ele é uma falsa fé.
Agradecemos a Deus por permitir que unamos a nossa fé com o Senhor Jesus, nos dando o batismo de Jesus e Seu sangue na Cruz. Nós devemos unir os nossos corações com Ele a partir de agora, até o último dia, onde encontraremos o Senhor Jesus novamente. Vamos nos unir com Ele.
Precisamos unir os nossos corações com Deus porque nós somos fracos diante Dele. Paulo também era unido com Deus e foi liberto de seus pecados. Ele tornou-se um servo precioso de Deus, que pregou o evangelho por todo o mundo, conhecendo e crendo no evangelho da água e do Espírito dado por Jesus Cristo, a Justiça de Deus. Porque somos fracos, servindo à Lei de Deus com nossas mentes e servindo à lei do pecado com a nossa carne, só podemos viver unidos com o Senhor Jesus.
Agora você aprendeu sobre a fé que une você à Justiça de Jesus? Sua fé é unida com o batismo de Jesus? Agora é tempo de ter uma fé unida, que crê no batismo e no sangue de Jesus. Aqueles cuja fé não é unida com a Justiça de Deus falharam na fé, em sua salvação e em suas vidas.
Portanto, a Justiça do Senhor Jesus é a exigência indispensável para a sua libertação. Unir-se com Deus é a bênção que leva todos a receberem o perdão dos pecados e tornar-se filhos de Deus. Receba a Justiça de Deus unindo-se e crendo na Sua Justiça. A Justiça de Deus se tornará então a sua e as bênçãos de Dele sempre estarão com você.


Obrigado Deus por Jesus Cristo!

O Apóstolo Paulo disse que agradecia a Deus por meio de Jesus Cristo nosso Senhor. Ele agradeceu pela Justiça de Deus recebida pela fé através de Jesus Cristo. Mesmo após Paulo crer na Justiça de Deus ele não podia evitar servir à Lei de Deus com sua mente e à lei do pecado com sua carne. Mas como cria na Justiça de Deus com todo o seu coração, seu coração não tinha pecado.
Paulo confessou que foi condenado pela Lei em Jesus Cristo e salvo dos seus pecados por meio da fé na Justiça de Deus. Ele também disse que aqueles que enfrentarão a ira de Deus e o castigo de Sua Lei ainda podem ser salvos pela fé na Justiça de Deus em seus corações. No coração dos nascidos de novo, existem desejos do Espírito Santo bem como desejos da carne, mas a pessoa que não é nascida de novo tem apenas os desejos da carne. Portanto, os pecadores somente desejam o pecado, e mais, por meio de seus instintos naturais, tentam embelezar seus pecados diante dos olhos dos outros.
Os diáconos e anciãos que não são nascidos de novo normalmente dizem, “Eu quero viver virtuosamente, mas não sei porque é tão difícil”. Devemos levar em conta o motivo de não poderem evitar viver deste modo: É porque são pecadores que não receberam a salvação pela fé na Justiça de Deus. Em seus corações há pecado porque a Justiça de Deus não é encontrada neles. Nos corações dos nascidos de novo existe a Justiça de Deus e o Espírito Santo, e não há pecado.
Quando Paulo tinha pecado em seu coração, ele lamentava, “Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço”. “Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?”. Contudo, Paulo acrescenta imediatamente, “Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor”. (Romanos 7:25). Isso significa que ele recebeu a salvação de todos os seus pecados pela fé em Jesus Cristo, que cumpriu a Justiça de Deus.

O que Paulo estava tentando dizer no capítulo 7 é que antes, quando ele era um religioso sem ser nascido de novo, ele não conhecia o papel da Lei. Mas ele disse que quem o libertou daquele estado deplorável, causado pelo pecado, foi Jesus Cristo, que cumpriu a Justiça de Deus. Quem crê que Jesus Cristo cumpriu a Justiça de Deus para nos libertar dos pecados será salvo.
Aqueles que creem na Justiça de Deus servem à Lei de Deus com a mente, mas servem à lei do pecado com a carne. Sua carne ainda se inclina para o pecado porque ainda não foi mudada, apesar de ter nascido de novo. A carne deseja pecar, mas a mente, que crê na Justiça de Deus, deseja seguir a Justiça de Deus. Por outro lado, aqueles que não receberam o perdão dos pecados serão guiados por sua mente e carne para cometerem pecados, porque no interior de seus corações ainda há pecado. Mas aqueles que conhecem e creem na Justiça de Deus permanecem na Sua Justiça.
Nós agradecemos a Deus por meio de Jesus Cristo, pois Cristo cumpriu toda a Justiça de Deus. Graças sejam dadas ao Senhor Jesus por nos dar Sua Justiça e nos levar a crer nela.