The New Life Mission

Sermões

Assunto 9: Romanos

[Capítulo 8-10] As Doutrinas Erradas ( Romanos 8:29-30 )

( Romanos 8:29-30 )
“Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.
E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou”.


Essa passagem nos diz que quando Deus predestinou, foi para salvar os homens em Jesus Cristo. Para fazer isso, Deus os chamou em Cristo, justificou aqueles que ele chamou e glorificou aqueles que ele justificou. Todos os fundamentos das Escrituras são projetados e funcionam em Jesus Cristo. Isso é o que diz o livro de Romanos, mas muitos teólogos e falsos ministros fizeram dessa verdade clara e simples uma mera doutrina, formada por seus próprios pensamentos e interesses, e a difundiram. Vamos agora voltar nossa atenção para examinar como muitos entendem mal essa verdade.
Alguns teólogos deduzem cinco doutrinas principais dessa passagem: 1) Presciência. 2) Predestinação. 3) Chamado Efetivo. 4) Justificação. 5) Glorificação. Essas cinco doutrinas são conhecidas como a “Corrente Dourada da Salvação” e foram espalhadas como verdade para os crentes e não crentes. Mas suas afirmações estão cheias de falhas.
Todas as cinco doutrinas falam apenas do que Deus fez, ou seja, “Deus já conheceu, já elegeu, já chamou, justificou e glorificou alguém”. Mas a Doutrina da Predestinação é uma doutrina que afirma que Deus elegeu incondicionalmente aqueles a quem Ele salvou, mesmo antes do nascimento. Mas a verdade bíblica da predestinação ensina que Deus fez dos pecadores Seus filhos derramando Seu amor sobre eles. Portanto, tendo-os escolhido, Deus os chamou, justificou e glorificou.


O Erro das Doutrinas Teológicas da Predestinação e Eleição

Na teologia Cristã, podemos encontrar as “cinco grandes doutrinas” do Calvinismo proclamadas por João Calvino. Entre elas estão a Doutrina da Predestinação e a Doutrina da Eleição. Na discussão a seguir, mostraremos os erros dessas doutrinas de acordo a Bíblia e testificaremos com o evangelho da água e do Espírito.
A Doutrina da Eleição se originou com um teólogo chamado João Calvino. É claro que Deus falou da eleição em Jesus Cristo muito antes de Calvino, mas sua Doutrina da Eleição levou muitos à confusão. Essa falsa doutrina limita o amor de Deus e o define como discriminatório e injusto. Fundamentalmente, não há limites ou barreiras para o amor de Deus, então a Doutrina da Predestinação que coloca limites ao amor de Deus só pode estar errada. Mas a realidade é que muitos crentes em Jesus hoje aceitam essa doutrina como natural e fatalista.
As ideias desta Doutrina da Predestinação passaram a dominar muitas mentes, pois a doutrina é adequada para quem gosta de filosofar, e assim dominou suas mentes, tornando-se sua crença. A doutrina diz que mesmo antes da Criação, Deus predestinou e elegeu incondicionalmente alguns, enquanto outros foram predestinados para serem deixados de fora da eleição. Se essa doutrina fosse verdadeira, aquelas almas que não foram escolhidas teriam motivos para protestar contra Deus e Ele se tornaria um Deus injusto e prejudicial.
Por causa dessas doutrinas, o Cristianismo de hoje caiu em uma grande confusão. Como resultado, muitos Cristãos estão sofrendo enquanto se perguntam: “Eu fui eleito? Se Deus me reprovou antes da Criação, de que vale crer em Jesus?”. Eles acabam ficando mais interessados em saber se foram incluídos ou excluídos da eleição de Deus. É por isso que a Doutrina da Predestinação produz tanta confusão entre os crentes em Jesus, já que eles dão mais importância ao assunto de sua eleição do que ao verdadeiro evangelho da água e do Espírito dado por Deus.
Essa doutrina transformou a verdade do Cristianismo em apenas outra religião do mundo. Mas agora é tempo de lançarmos fora essas doutrinas do Cristianismo, com o evangelho que testifica a Justiça de Deus. Então, você deve primeiro analisar se a Doutrina da Predestinação é correta ou não, e então ser liberto de todos os pecados por conhecer e crer no evangelho da água e do Espírito. Aqueles que realmente foram escolhidos por Deus são aqueles que conhecem e creem na Sua Justiça.


A Predestinação e a Eleição faladas pela Verdade

Efésios 1:3-5 diz: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo,
assim como nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor
nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade”. A eleição falada nesta passagem de Efésios é uma eleição escolhida “Nele (Cristo), antes da fundação do mundo”. (Efésios 1:4). A passagem também nos fala que Jesus Cristo não excluiu nenhuma pessoa da Graça da salvação do pecado.
Nessa passagem, podemos descobrir o que exatamente está errado com a Doutrina da Predestinação. O erro fundamental dessa doutrina é que ela vai contra o padrão da eleição de Deus - ou seja, sua base é que aqueles que devem ser salvos ou não depende não da Palavra de Deus, mas de Sua decisão arbitrária e incondicional.
Se fôssemos basear nossa fé em Jesus na lógica da Eleição e Predestinação Incondicional, como poderíamos crer em Jesus com nossas dúvidas e preocupações? O Calvinismo prega uma falsa doutrina que transforma o Deus justo em um Deus injusto. A razão pela qual Calvino cometeu esse erro é porque ele retirou a condição de “Em Cristo Jesus” da predestinação de Deus, e o erro foi suficientemente grave para confundir e levar muitos ao caminho errado. Mas a Escritura nos fala claramente, “Assim como nos escolheu, nele (em Seu Filho Jesus Cristo), antes da fundação do mundo”. (Efésios 1:4).
Se, como dizem os Calvinistas, Deus escolhesse incondicionalmente alguns para ser Seu Deus, excluindo outros sem motivo, o que poderia ser mais absurdo do que isso? Calvino transformou Deus em um injusto aos olhos de muitas pessoas. Mas a Bíblia nos fala em Romanos 3:29, “É, porventura, Deus somente dos judeus? Não o é também dos gentios? Sim, também dos gentios”. Deus é o Deus de todos e o Salvador de todos.
Jesus é o Salvador de todos. Ele deu a redenção para todos levando sobre Si todos os pecados da humanidade com Seu batismo por João e Seu sangue na Cruz. (Mateus 3:15). A Escritura nos fala que Cristo salvou todos os pecadores levando todos os pecados do mundo com Seu batismo e carregando estes pecados para a Cruz (João 1:29), sendo julgado por estes pecados em nosso lugar. (João 19). Além disso, João 3:16 nos fala, “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. Jesus Cristo levou os pecados de todos com Seu batismo, morreu na Cruz e ressurgiu da morte por toda a humanidade na Justiça de Deus.

Nosso entendimento de quem Deus chama deve ser baseado em Sua Palavra. Para isso, vamos ver a passagem de Romanos 9:10-11. “E não ela somente, mas também Rebeca, ao conceber de um só, Isaque, nosso pai. E ainda não eram os gêmeos nascidos, nem tinham praticado o bem ou o mal (para que o propósito de Deus, quanto à eleição, prevalecesse, não por obras, mas por aquele que chama)”.
Está dito aqui que o propósito de Deus pode permanecer “Por aquele que chama”. Quem, então, Deus chamou em Jesus Cristo? Foram precisamente os pecadores que Deus chamou. Entre Esaú e Jacó, quem Deus amou? Ele amou a Jacó. Deus não ama pessoas como Esaú, que estava cheio de sua própria justiça, mas Ele chamou pecadores como Jacó e permitiu que eles nascessem de novo por meio do evangelho da água e do Espírito. Esta foi a vontade da Justiça de Deus que escolheu pecadores como Jacó para amar e chamar através de Jesus Cristo.
Porque Adão foi o pai de todos, todos nasceram pecadores. No Salmo 51, Davi diz que foi concebido em pecado desde o ventre de sua mãe. Porque as pessoas nascem pecadoras, elas cometem pecados, independentemente de suas determinações. Durante sua vida, eles continuam a colher os frutos do pecado até o último dia. Marcos 7:21-23 diz que assim como as macieiras dão maçãs e as pereiras dão peras, os humanos estão fadados a viver em pecado por toda a vida porque nascem com o pecado.
Você deve ter passado pela experiência de cometer um pecado contra sua vontade. Isso porque desde o início você nasceu pecador. As pessoas nascem com maus desígnios, prostituição, furtos, homicídios, adultérios, avareza, malícias, dolo, lascívia, inveja, blasfêmia, soberba, loucura, e outros pecados em suas mentes. É por isso que todos vivem suas vidas em pecado. O pecado é herdado. Como nascemos com os pecados que nossos antepassados passaram para nós, estamos destinados a viver em pecado. É por isso que precisamos crer em Jesus como nosso Salvador e na Justiça de Deus.
Isso significa que a primeira obra de Deus, Adão, acabou falhando? Não. Deus tomou a decisão de fazer da humanidade Seus filhos, então Ele permitiu que o primeiro homem caísse em pecado. Ele nos permitiu ser pecadores para que pudesse nos salvar e nos tornar Seus filhos com o batismo de Jesus Cristo e Seu sangue. Portanto, devemos saber que nascemos pecadores, sem exceção.

Contudo, Deus decidiu que enviaria Jesus Cristo à Terra antes da Criação, sabendo que a humanidade se tornaria pecadora. Deus então colocou em Jesus, por meio do batismo que Ele recebeu de João, todos os pecados do mundo e O deixou morrer na Cruz. Em outras palavras, Deus decidiu conceder a todos os que creem a bênção da redenção do pecado e de se tornarem filhos de Deus. Este foi o plano de Deus e Seu propósito ao criar a humanidade.
Algumas pessoas podem perguntar em meio a seu mal-entendido: "Olhe para Esaú e Jacó. Um não foi escolhido e o outro rejeitado por Deus?". Mas Deus não escolheu incondicionalmente aqueles que insistem em ser salvos fora de Jesus Cristo. Ele claramente escolheu todos para se tornarem Seus filhos através de Jesus Cristo. Quando consideramos apenas o Antigo Testamento, podemos ter a impressão de que Deus escolheu apenas um lado, mas com o Novo Testamento, podemos ver que Ele escolheu pessoas como Jacó para salvar todos os pecadores através de Jesus Cristo. Devemos ter um entendimento claro e crer em quem Deus chamou com Sua Palavra.
De Esaú e Jacó, a quem Deus chamou e amou? Ele chamou a Jacó, um homem cheio de falhas, enganador e injusto, para amá-lo e salvá-lo na Justiça de Deus. Você também deve crer nesta verdade, que Deus Pai o chamou por meio de Jesus Cristo em Sua Justiça. Você também deve crer no fato de que o evangelho da água e do Espírito em Jesus Cristo é a Justiça de Deus.

Por que então Deus escolheu pessoas como Jacó? Deus escolheu Jacó porque ele era o representante de toda a humanidade injusta. O chamado de Jacó por Deus foi um chamado congruente com Sua vontade; um chamado segundo a Palavra de Deus de que “somos escolhidos em Jesus Cristo”. Este chamado também é consistente com a Palavra da verdade de que “(para que o propósito de Deus, quanto à eleição, prevalecesse, não por obras, mas por aquele que chama)”.
A forma de salvar os pecadores através de Jesus Cristo foi para cumprir completamente a Justiça de Deus com Seu amor. Esta foi a lei da salvação escolhida pela Justiça de Deus para os pecadores. Para revesti-los com Sua Justiça, Deus chamou pessoas como Jacó, que não tinha nenhuma justiça própria, e aqueles que responderam Seu chamado através de Jesus Cristo.
Deus chamou aqueles que buscavam a justiça própria e que pareciam bons? Ou Ele chamou aqueles que não tinham justiça própria e que estavam cheios de erros? Aqueles a quem Deus chamou foram pessoas como Jacó. Deus chamou e salvou pecadores que iriam para o inferno por causa de seus pecados. Você deve perceber que, desde o seu nascimento, você também foi um pecador que não tinha a Graça de Deus e, portanto, estava caminhando para o inferno. Em outras palavras, você precisa conhecer seu verdadeiro eu. Deus chamou todos os pecadores através de Jesus Cristo e os salvou em Sua Justiça.
O povo de Deus é formado por aqueles que foram justificados pela fé na Sua Justiça. Deus predestinou a chamar todos os pecadores e redimi-los em Jesus, e Ele cumpriu o que predestinou. Esta é a predestinação e a verdadeira eleição em Jesus Cristo que Deus fala. Para entender a verdadeira eleição de Deus, devemos primeiro entender o contexto desta verdade da eleição conforme descrito no Antigo Testamento.


Contexto da Eleição de Deus no Antigo Testamento

Gênesis 25:21-26 nos fala sobre a história de Jacó e Esaú enquanto ainda estavam no ventre de sua mãe, Rebeca. Entre os dois, Deus escolheu Jacó. Calvino baseou sua Doutrina da Eleição nesta passagem, mas logo descobriremos que seu entendimento nos afasta da vontade de Deus. Havia uma razão pela qual Deus amou a Jacó mais do que a Esaú. Essa razão é que pessoas como Esaú, em vez de confiar em Deus, vivem acreditando em sua própria força, enquanto pessoas como Jacó vivem com sua confiança na Justiça de Deus. Quando se diz que Deus amou Jacó mais do que Esaú, significa que Deus amou pessoas como Jacó. É por isso que Deus “Nos escolheu, nele (em Jesus Cristo)”. (Efésios 1:4).
“Eleição Incondicional” sem Jesus e fora da Justiça de Deus é apenas uma falsa doutrina Cristã. Esta ideia está relacionada a trazer e crer em um “deus” do destino no Cristianismo. Mas a verdade nos diz que Deus elegeu todos os pecadores em Jesus. Porque Deus escolheu salvar todos os pecadores “em Jesus Cristo”, Sua eleição foi uma eleição justa. Se Deus tivesse escolhido Jacó incondicionalmente e reprovado Esaú sem justificativa, Ele seria um Deus injusto, mas Ele nos chamou em Jesus Cristo. E para salvar aqueles que Ele chamou, Ele enviou Jesus a esta Terra para levar os pecados do mundo com Seu batismo, que cumpriu a Justiça de Deus, e derramar Seu precioso sangue na Cruz. Foi assim que Deus nos escolheu e nos amou em Cristo Jesus.
Precisamos jogar fora nossos pensamentos humanos e crer na Palavra das Escrituras, não uma fé literal, mas nossa fé espiritual. Em outras palavras, Deus Pai nos escolheu através de Jesus Cristo. Mas como Calvino trata a eleição de Deus? A verdadeira fé é encontrada quando alguém conhece e crê na Justiça de Deus. Acreditar no pensamento humano como verdade é o mesmo que adorar um ídolo, não a Deus. 
Crer na Justiça de Deus através de Jesus é bem diferente de crer na Doutrina errônea da Predestinação. Se não conhecêssemos e crêssemos em Jesus, de acordo com a Palavra de Deus escrita, não seríamos diferentes de meros animais incapazes de pensar. Fomos escolhidos como filhos de Deus pelo selo da Justiça de Deus “em Jesus Cristo”. Devemos examinar nossa fé com base na Palavra das Escrituras.

Uma das cinco doutrinas do Calvinismo fala da “Expiação Limitada”. Esta doutrina fala que entre muitas pessoas do mundo, algumas foram excluídas da salvação de Deus. Mas o amor de Deus e a Sua Justiça não podem ser injustos. As Escrituras nos falam que Deus “Deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade”. (1 Timóteo 2:4). Se a bênção da salvação fosse uma bênção limitada garantida a alguns, mas não permitida a todos, haveria muitas pessoas que desistiriam de sua fé em Jesus. Aqueles que creem nessas falsas doutrinas devem retornar ao evangelho da água e do Espírito, ser salvos de seus pecados e receber a vida eterna por conhecer e crer em Jesus Cristo como seu Salvador. Deus salvou a todos através de Jesus Cristo com Sua Justiça.
Se Deus realmente amasse alguns e odiasse outros, as pessoas rejeitariam a Deus. Suponhamos que Deus estivesse aqui agora. Se Deus escolhesse todos os que estão à sua direita para a salvação e os que estão à sua esquerda para o inferno, sem nenhum critério, isso seria justo? Os da esquerda não teriam escolha, mas poderiam se voltar contra Deus. Se Deus fosse assim, quem neste mundo iria servi-Lo e adorá-Lo como o verdadeiro Deus? Todos aqueles que fossem odiados incondicionalmente por Deus protestariam e, em troca, também odiariam a Deus. Mesmo os criminosos deste mundo têm sua própria moral e justiça. Como, então, nosso Criador seria tão injusto, e quem acreditaria em um Deus tão injusto?

Nosso Pai decidiu salvar todos os pecadores com a Justiça de Deus encontrada em Seu Filho Jesus Cristo. É por isso que a Doutrina Calvinista da Expiação Limitada não tem nada a ver com a Justiça de Deus. Mas por causa dessas doutrinas erradas, muitas pessoas ainda estão enganadas, crendo em Deus de forma errada ou se afastando Dele, por causa de seu próprio entendimento errado.


Um Filme Falso

O livro de Stephen King, "A Dança da Morte", foi transformado em uma minissérie de TV há alguns anos e foi amplamente aclamado em todo o mundo. O enredo do livro se desenvolve assim: No ano de 1991, uma praga atinge a América, deixando apenas alguns milhares de pessoas vivas, que eram “imunes” à epidemia. Dos sobreviventes, aqueles que instintivamente serviam a Deus encontraram-se em Boulder, Colorado, enquanto aqueles que serviam ao “Homem Negro” seguiram para Las Vegas, Nevada. Os dois grupos reconstruíram sociedades separadamente, até que um querer destruir o outro.
 Entre os sobreviventes, um jovem chamado Stuart sonhou repetidamente que o fim do mundo viria e uma senhora idosa chamada Abigail falou em seus sonhos para que ele fosse a determinado lugar, lembrando-o de que Deus já o havia escolhido. Neste filme, Deus salvou este jovem porque o predestinou antes da Criação, embora ele não acreditasse em Deus ou em Jesus.
Deus então salva incondicionalmente aqueles que nem mesmo creem em Jesus? Claro que não. Deus predestinou todos em Jesus Cristo para salvar aqueles que creem em Sua Justiça de seus pecados.
A história deste filme é baseada nas Doutrinas Calvinistas da Eleição e da Predestinação. Este filme é apenas uma história que conta uma parte das doutrinas teológicas. Como Deus poderia decidir arbitrariamente enviar algumas pessoas para o inferno e escolher outras para a salvação? Porque Deus é justo, Ele predestinou e escolheu a todos por meio de Jesus Cristo e ninguém está impedido de receber a salvação da Sua Justiça. A Eleição e a Predestinação de Deus sem Jesus Cristo não têm sentido e não é bíblica. É uma pena que tantos teólogos continuem a dizer que Deus escolheu alguns enquanto reprovava outros.
Mesmo antes de criar o Universo, Deus planejou salvar todos os pecadores e torná-los Seus filhos com Sua Justiça através de Jesus Cristo. Em outras palavras, Ele escolheu todos os pecadores por meio do evangelho de Jesus. Como então você crê?
Você crê que os monges Budistas que meditam profundamente nas montanhas estão excluídos da eleição de Deus? Se a predestinação e eleição de Deus fossem incondicionais sem Jesus Cristo, não haveria necessidade de pregarmos a Sua Palavra ou crermos nela. Se, sem o Salvador Jesus Cristo, algumas pessoas estivessem destinadas a serem salvas e outras não, não haveria necessidade dos pecadores crerem em Jesus. E o fato de que Jesus nos salvou de nossos pecados com Seu batismo e Seu sangue na Cruz também perderia o significado. Mas na Justiça de Deus encontrada em Jesus Cristo, Deus permitiu a salvação até mesmo para os monges budistas que não creem em Jesus, mas somente se eles se arrependerem e voltarem suas mentes para Deus.

Existem muitas pessoas neste mundo que vivem suas vidas crendo em Jesus. Se os dividirmos em dois grupos, em um grupo haveria aqueles como Esaú e no outro aqueles que são como Jacó. As pessoas como Jacó se identificariam como pecadores prestes a ir para o inferno e assim seriam salvos de todos os seus pecados pela fé no evangelho da água e do Espírito dado por Jesus. O outro grupo é formado por pessoas como Esaú, que tentam entrar nos portões do Céu somando seus próprios esforços à sua fé em Jesus.
Você é como qual deles? Jacó ou Esaú? Você crê na Justiça de Deus? Ou você crê na Doutrina errônea da Predestinação? Sua escolha entre estas duas fés decidirá para onde você irá – para o Céu ou para o inferno. Você deve rejeitar essas doutrinas erradas e receber a Justiça de Deus para ter Paz com Ele, pela fé no evangelho da água e do Espírito, transmitido pela Justiça de Deus. Apenas esta fé nos dá a libertação perfeita de nossos pecados e vida eterna.