The New Life Mission

Sermões

Assunto 9: Romanos

[Capítulo 9-3] ( Romanos 9:30-33 ) É Errado Deus Amar a Jacó?

( Romanos 9:30-33 )
“Que diremos, pois? Que os gentios, que não buscavam a justificação, vieram a alcançá-la, todavia, a que decorre da fé; e Israel, que buscava a lei de justiça, não chegou a atingir essa lei. Por quê? Porque não decorreu da fé, e sim como que das obras. Tropeçaram na pedra de tropeço, como está escrito: Eis que ponho em Sião uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, e aquele que nela crê não será confundido”.
 

Ao nos chamar a todos, nosso Senhor Jesus disse: “Pois não vim chamar justos, e sim pecadores [ao arrependimento]”. (Mateus 9:13). Devemos perceber que para aqueles que buscam sua própria justiça, o dom da salvação não é permitido e, para evitar isso, devemos crer na Justiça de Deus.
Romanos 9:13 diz que Deus amou Jacó enquanto odiava Esaú. Para aqueles que recebem com gratidão a Justiça de Deus, Deus deu a eles o dom da remissão de pecados, bem como a bênção que os torna Seu povo. Todos nós devemos crer em Deus com o conhecimento de Sua Justiça.
Devemos aprender e entender a Palavra da Justiça de Deus dada a todos nós. Quando alguém deseja ser libertado de seus pecados, deve primeiro conhecer suas próprias deficiências e enfermidades, bem como a Justiça de Deus. Devemos conhecer e crer na Sua Justiça. Deus nos disse que apenas aqueles que sabem que estão indo para o inferno precisam da Sua Justiça. É importante que reconheçamos nossos próprios pecados e percebamos que, por causa deles, enfrentamos a ira de Deus que tornará nosso castigo no inferno inevitável.
Mas nós podemos receber em nosso coração o evangelho da água e do Espírito por meio do batismo de nosso Senhor Jesus, Sua morte na Cruz e Sua ressurreição, porque somente aqueles que conhecem a Justiça de Deus podem crer nela. Isso ocorre porque a Graça e o amor de Deus não são algo que pode ser conquistado mesmo por orações de arrependimento ou uma vida de piedade, na qual muitas pessoas religiosas se dedicam. No entanto, a remissão de pecados dada por Deus é para todos aqueles que adoram e creem em Sua Justiça.
Todos nós devemos estar prontos para crer no evangelho da água e do Espírito de boa vontade em nossos corações. Você quer receber a Justiça de Deus? Então, admita diante de Deus e por Sua Lei suas próprias insuficiências. Reconheça que por causa dos seus pecados, você está sob a ira de Deus e que precisa da Sua Justiça! Quando você crê no evangelho da água e do Espírito e o aceita em seu coração, a Justiça de Deus será sua. Você deve saber desta verdade.
 

As mentes daqueles que não creem na Justiça de Deus são confusas e presas no vazio

Deus nos disse que nossos pensamentos estavam confusos desde o início. (Gênesis 1:2). Por que os pensamentos do homem foram confusos desde o início? Porque o anjo caído que se voltou contra Deus impediu as pessoas de crer na Palavra da Justiça de Deus, tornando suas mentes confusas e vazias. É por isso que o pecado veio ao coração do homem. (Gênesis 3: 1-8).
A Escritura nos diz que um anjo criado por Deus se voltou contra Ele. Este anjo tentou assumir o Trono de Deus com sua própria força e esquema, e tendo falhado na rebelião, foi expulso de sua posição privilegiada. Este anjo caído então seduziu e enganou a humanidade, e os voltou contra Deus. Este anjo é chamado de Satanás. Este anjo orgulhoso ainda atua tanto em crentes como em não crentes de todos os tipos de formas orgulhosas e rebeldes. Ao enganar o homem, ele desafiou a Palavra da Justiça de Deus e Sua autoridade.
O diabo sempre recorre a mentiras para que as pessoas não possam crer no evangelho da água e do Espírito. Tendo sido enganados pelo Diabo, muitos tentam estabelecer sua própria justiça infrutiferamente. Ele deixou a humanidade cair em pecado e, como resultado, os fez viver suas vidas com mentes confusas e vazias.
 

A Remissão de Pecados e a Justiça dada por Deus

A libertação do pecado para a humanidade, que caiu em pecado pela tentação do mal de Satanás, não depende da ânsia de alguém ou de sua própria justiça. No entanto, muitas pessoas tentam desesperadamente escapar de seus pecados em vão enquanto se voltam contra Deus sem perceber suas próprias enfermidades. Deus repreendeu aqueles que buscam sua própria justiça, aqueles que tentam ganhar a Justiça de Deus com suas boas obras. A redenção não é para essas pessoas; somente para aqueles que sabem que são pecadores, e que creem no verdadeiro evangelho da água e do Espírito, Deus permitiu a Sua Justiça.
A soberana vontade de Deus é em sua essência diferente dos pensamentos humanos. Paulo nos disse que não importa o quão bom um ser humano possa parecer externamente, com suas manifestações de religiosidade e frequência à Igreja, orações noturnas e matinais, jejum, ofertas, orações de arrependimento, etc..., ele nunca seria capaz de limpar seus próprios pecados.
Deus nos diz que as obras da Lei não podem nos redimir de nossos pecados e tornar nossa a Justiça de Deus. Como os versículos 32-33 do capítulo 9 dizem, “Por quê? Porque não decorreu da fé, e sim como que das obras. Tropeçaram na pedra de tropeço, como está escrito: Eis que ponho em Sião uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, e aquele que nela crê não será confundido”.
Assim, para receber a Justiça de Deus, devemos crer no batismo de Jesus e em Seu sangue na Cruz, por meio do qual Jesus se tornou uma oferta de sacrifício entre Deus e a humanidade. É, portanto, necessariamente crítico que você entenda que deve jogar fora sua própria justiça a fim de obter a Justiça de Deus. Não devemos rejeitar a Justiça de Deus, dada gratuitamente a nós, enquanto confessamos Jesus como nosso Salvador.
Mesmo agora, muitos que confessam o Senhor Jesus como seu Salvador ainda permanecem pecadores porque não creem no evangelho que manifesta a Justiça de Deus. As pessoas não podem ganhar a Justiça de Deus seguindo Sua Lei. Aqueles que creem na Palavra da Justiça de Deus devem rejeitar a busca de sua própria justiça. Você deve se lembrar que Jesus se tornou a pedra de tropeço para aqueles que buscavam sua redenção e a Justiça de Deus por suas próprias obras da Lei.
O evangelho da água e do Espírito, dado a nós por Deus, é a verdade que redime aqueles que creem em Jesus Cristo como seu Salvador, e que deve acompanhar aqueles que buscam a Justiça de Deus. O que é absolutamente necessário para a redenção e vida eterna é a fé na Palavra da Justiça de Deus, manifestada por meio do batismo de Jesus e Seu sangue na Cruz. Esta Palavra nos revela quem entre os cristãos não pode receber a remissão de pecados e, ao mesmo tempo, nos ensina a verdade que aqueles que creem no evangelho da água e do Espírito receberão a Justiça de Deus.
A fé correta, portanto, requer o entendimento de que Deus não decidiu escolher um determinado grupo de pessoas incondicionalmente e enviá-las para o inferno. Se Deus realmente amasse alguns enquanto odiasse outros arbitrariamente, as pessoas não respeitariam Sua Justiça.
Por meio do evangelho da água e do Espírito, Deus estabeleceu a Lei da Justiça da redenção para libertar todos os pecadores de seus pecados e nos deu a grande bênção de sermos revestidos do Seu amor. Todos devem jogar fora sua própria justiça diante do evangelho da água e do Espírito falado pela Justiça de Deus. Deus deu Sua Justiça apenas para aqueles que creem nela.
Deus não permitiu que as pessoas pudessem se salvar do pecado por sua própria justiça. Sem crer no evangelho da água e do Espírito como sendo a Justiça de Deus, ninguém receberá essa Justiça, mesmo que confesse a fé em Jesus. (João 3:1-8).
O batismo que Jesus recebeu e o sangue que Ele derramou na Cruz se tornaram a Justiça de Deus. É por isso que Jesus se tornou a Rocha da ofensa para aqueles que buscam sua própria justiça. Os crentes em Jesus, portanto, devem perceber e compreender que, quando buscam sua própria justiça, estão pisoteando a Justiça de Deus. Nenhum pecador pode entrar nos Portões do Céu sem ter fé na Justiça de Deus. Nós que cremos em Jesus devemos receber a remissão dos nossos pecados crendo na Justiça de Deus.
Jesus Cristo, que veio a esta Terra, é o Salvador dos pecadores e é a própria Justiça de Deus. Devemos realmente crer nesta Justiça, já que Jesus perdoou nossos pecados com Sua Palavra, pela água e pelo Espírito. Os crentes em Jesus devem crer no batismo que Ele recebeu de João e em Seu sangue na Cruz como a Justiça de Deus. Somente aqueles que creem na Palavra escrita da água e do Espírito podem entrar no Céu.
 

Nós Somos Divididos em Vasos de Ira e Vasos de Misericórdia

O Senhor Jesus disse: “Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma?”. (Mateus 16:26). Se alguém perder a vida eterna, tudo o que ganhou neste mundo será inútil, não importa o que seja. De nada vale uma pessoa conquistar o mundo inteiro ou mesmo o Universo, se não receber a Justiça de Deus pela fé no batismo de Jesus e no Seu sangue na Cruz.
Não importa quão desenvolvidas sejam as doutrinas teológicas, somente pela fé no evangelho da água e do Espírito que cumpre a Justiça de Deus uma pessoa pode receber e crer nesta Justiça. Os crentes em Jesus só podem ser libertos dos pecados quando recebem a Justiça de Deus pela fé.
Hoje, é comum ver crentes que, professando crer na Justiça de Deus, angustiam-se por causa de seus pecados em todas as reuniões de oração matinais. Eles realmente não acreditam na Justiça de Deus. Devemos perceber que tal fé professada por aqueles que não creem na Redenção dentro de Sua Justiça não agrada a Deus, mas apenas O irrita. Por se voltarem contra a Justiça de Deus, eles só podem continuar sendo Seus inimigos.
João 3:5 nos fala que “Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus”. É por isso que você deve resolver todos os seus problemas de pecado crendo no evangelho da água e do Espírito e na Justiça de Deus. Este evangelho se tornou a Justiça de Deus, que pode dar a você a remissão de pecados e a Sua Justiça.
Se você deseja ter o tipo de fé que o justifica na Justiça de Deus, você deve seguir e crer na Palavra da água e do Espírito que contém essa Justiça. Você também deve entender que para que seu coração seja cheio de fé na Justiça de Deus, você deve abandonar sua própria justiça. O que Paulo está dizendo aos Israelitas e gentios é que eles devem abandonar a busca por sua própria justiça se quiserem obter a Justiça de Deus.
Deus deu a Abraão seu filho como fruto de sua fé na Justiça de Deus. A Justiça de Deus aparece na Palavra da água e do Espírito. Todo aquele que crê na Palavra da Justiça de Deus se torna uma pessoa justa. Rebeca, a esposa de Isaque, concebeu gêmeos e, mesmo antes de eles nascerem ou fazerem o bem ou o mal, foi-lhe dito que "O mais velho será servo do mais moço". Desta passagem, algumas pessoas concluem que Deus não é um Deus justo, e esta é uma conclusão errada.
Isso porque Deus já conhecia a fé futura de Jacó e Esaú, mesmo quando eles ainda estavam no ventre de Rebeca. O segredo da Justiça de Deus está escondido no evangelho da água e do Espírito. Porque Esaú era alguém que se orgulhava de suas próprias boas obras, Deus o via como não tendo nada a ver com a fé em Sua Justiça, e é por isso que Deus o odiava. Jacó, por outro lado, foi alguém que creu na Justiça de Deus e deu toda a Glória somente a Ele; assim, Deus não poderia fazer outra coisa senão amá-lo.
Que Deus amou Jacó e odiou Esaú, portanto, está baseado na verdade. Deus não aprecia pessoas como Esaú, que se orgulha de seu próprio poder sem crer na Justiça de Deus, mas Ele se agrada e ama pessoas como Jacó, que conhecia suas fraquezas e cria apenas na Sua Justiça.
Muitas vezes as pessoas interpretam mal a Justiça de Deus perguntando como Deus poderia agir dessa forma para com Isaque. Eles pensam que se Deus amou alguns enquanto odiava outros, deve haver algo errado com Deus, e eles podem até se recusar a crer em Jesus porque pensam Nele como um Deus de injustiça.
Mas como Deus pode ser injusto? Se alguém pensa que Deus é injusto, isso é apenas um reflexo do fato de que não tem uma compreensão correta da Justiça de Deus. Ainda mais, são exatamente aqueles que, por não crerem na Justiça de Deus, cobrem a Sua Justiça com sua própria justiça humana e cometem um grave erro diante de Deus. Todos devem jogar fora sua própria justiça diante da Justiça de Deus e crer na Palavra do evangelho da água e do Espírito.
Este é o único caminho para crer na Palavra da Redenção que contém a Justiça de Deus. O entendimento de que Deus é injusto é um fragmento de sua própria imaginação, derivado de sua ignorância do profundo propósito de Deus, estabelecido dentro de Seu plano e predestinação. O plano justo de Deus era revelar Sua Justiça diante de nós. Porque Deus já sabia do futuro dos gêmeos, Deus planejou de acordo com Sua Justiça e começou a amar aquele que creria.
Devemos entender e crer na Justiça de Deus e em Seu plano. Quem, entre Jacó e Esaú, Deus chamaria? Nosso Senhor Jesus disse: “Não vim chamar justos, e sim pecadores”. A Justiça de Deus, em outras palavras, chama pessoas como Jacó. E Esaú não apenas não respondeu ao chamado da Justiça de Deus, mas também se orgulhava de sua própria justiça. É por isso que Esaú foi odiado enquanto Jacó se tornou aquele que respondeu ao chamado da Justiça de Deus.
Todas essas verdades bíblicas devem ser entendidas dentro da fé que conhece e crê no amor da Justiça de Deus. Se alguém tentar resolver o enigma da predestinação de Deus sem o devido conhecimento de seu amor justo, essa pessoa cairá em uma armadilha, levando à sua própria destruição.
Deus estabeleceu a predestinação para revelar o amor de Sua Justiça. Jacó foi um homem que reconheceu suas deficiências e creu na Palavra da Justiça de Deus. É justo Deus amar Jacó enquanto odiava Esaú. Aos olhos de Deus, todos merecem Sua ira, mas Ele deu Sua Redenção para todos os que creem na Sua Justiça. Aqueles que estão revestidos de misericórdia diante de Deus são aqueles que não se orgulham de sua própria justiça, mas creem na Justiça de Deus como sua Redenção. Estas são as pessoas que confessam: “Eu mereço ser condenado ao inferno pelos meus pecados. Senhor Deus, tem misericórdia de mim e ensina-me a Sua Justiça”.
Deus dá a remissão de pecados apenas para aqueles que creem em Seu justo amor, e este é o plano de Deus para que nos tornemos Seus filhos que Ele já nos revelou. Você não deve interpretar mal o plano de Deus de amar Jacó e odiar Esaú. Se por acaso você não entendeu a Justiça de Deus, então é hora de você crer novamente no justo amor de Deus e na Sua Justiça.
Eu creio na Justiça de Deus. Aqueles que podem entender corretamente o justo amor de Deus também podem crer corretamente na justa Providência de Deus dentro da Sua justiça. Mas poucos neste mundo têm o entendimento correto do justo plano de Deus e creem Nele, e muitos estão atormentados pelo seu entendimento errado sobre Deus.
Essas pessoas pensam que porque a Escritura nos diz que Deus odiava Esaú, algumas pessoas são escolhidas por Deus para serem odiadas arbitrariamente por Ele, como se fosse seu destino serem odiadas por Ele. Mas nosso Deus não é um Deus despótico. Deus é um Juiz certo e justo em Sua Justiça. Deus quer dar a cada um de nós Sua justa misericórdia e amor.
Deus queria nos dar Sua Justiça através de Jesus Cristo e Ele revestiu aqueles que creram em Sua Justiça com Sua misericórdia e os fez Seus filhos.
Esta verdade é revelada no Novo Testamento em Mateus 9:12-13, onde Jesus diz: “Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes. Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero e não holocaustos; pois não vim chamar justos, e sim pecadores [ao arrependimento]”. Os que estão bem não precisam de médicos e podem até considerá-los incômodos. Assim como as pessoas não percebem a importância dos médicos quando estão saudáveis, elas não percebem a importância de receber a Justiça de Deus em seus corações crendo nela. Não conhecendo a Justiça de Deus, eles estão ocupados em buscar sua própria justiça.
Mas os pecadores devem abandonar sua própria justiça e crer na Justiça de Deus. Você pode ser Jacó ou Esaú diante de Deus. Quem você quer ser? A recompensa e punição de Deus dependerão da sua decisão de crer ou não na Redenção da Justiça de Deus.
 

Não há Nada de Errado com Deus

Cada pessoa é por natureza um ser competitivo. Alguns deles podem ser pessoas muito inteligentes e bem-sucedidas, e alguns podem ter feito muitas boas ações pelos outros. Mas sem o entendimento e a fé na Justiça de Deus, eles não terão a aprovação de Deus. Todos - você e eu, até mesmo os Israelitas - estávamos condenados ao inferno diante de Deus. Apesar disso, fomos justificados, não por nossos próprios esforços, obras ou forças, mas apenas por nossa fé na própria Justiça de Deus.
Porque Deus deu a todos Seu amor justo de maneira imparcial e justa, todos aqueles que creem Nele podem ser libertos de todos os seus pecados. Deus não é um Deus injusto, como você pode ter pensado que Ele fosse.
Se uma pessoa vai ou não receber a bênção da redenção de Deus depende se ele decide recebê-la ou rejeitá-la. É por isso que algumas pessoas se tornaram vasos de ira, enquanto outras se tornaram vasos de misericórdia. Jacó, olhando dessa forma, se tornou vaso de misericórdia, enquanto Esaú acabou como vaso de ira.
Mas alguns teólogos e aqueles sem o Espírito Santo frequentemente caluniam a Deus. Eles dizem: “Veja, Deus não fez o Faraó como um vaso de ira? Olhe para Jacó e Esaú! Olhe para a Rebeca! Veja o que o oleiro fez! Deus não fez de alguém o vaso de honra desde o início? Isso pode ser apenas o destino!”. A lógica deles é a seguinte: algumas pessoas já foram eleitas para se tornarem filhos de Deus antes mesmo de seu nascimento; e essas pessoas que foram predestinadas e eleitas para serem revestidas do amor de Deus se tornam todos Seus filhos, enquanto os outros estão destinados ao inferno. É assim que a eleição de Deus é atacada. Mas Deus deu Sua Justiça a todos, e Ele imparcialmente elege aqueles que creem nela.
Nós fomos justificados pela fé na Justiça de Deus quando, na verdade, ainda não éramos Seu povo. Deus pode aprovar nossa fé porque fomos justificados pela fé no evangelho da água e do Espírito por meio da Sua Palavra. Esta é a verdade do evangelho que mostra o incomparável poder de Deus.
Originalmente não tínhamos Deus em nós, não o conhecíamos e éramos todos pecadores. Mas, por crer na Justiça de Deus, nos tornamos Seu povo. O evangelho da água e do Espírito, no qual cremos, não é um evangelho incompleto, mas completo e perfeito. Devemos louvar a Deus por nos dar a verdade pela qual podemos obter Sua Justiça.
Nossas vidas podem ser cheias de problemas, mas não devemos esquecer a Justiça de Deus porque Deus nos ensinou a grandeza de Seu poder. A pessoa mais feliz em todo o Universo é aquela que conhece a Justiça de Deus. Para aqueles de nós que creem em Deus, o Deus Triúno é o Pai da misericórdia. Ele é nosso Santo Deus. Ele colocou a fé na Justiça de Deus na alma daqueles que creem nela. Fomos feitos filhos de Deus e recipientes de Sua Graça e bênçãos por conhecer e crer em Sua Justiça.
Mesmo assim, muitas pessoas ainda estão preocupadas com seus próprios esforços para fazer boas obras. Dar ofertas, ser voluntário para a Igreja, fazer grandes doações para ela em competição com outras pessoas - você pode pensar que tudo isso são boas ações, mas elas sozinhas não podem e não irão salvá-lo. Focar apenas nessas obras não é uma indicação de sua fé na Justiça de Deus, mas é uma indicação de que você está buscando sua própria justiça. Aqueles que estão preocupados com os esforços de sua própria carne estão indo contra Deus. São aqueles que não conhecem a Justiça de Deus que se preocupam com as coisas da carne.
A Escritura nos diz que a salvação de Deus não é concedida àqueles que correm atrás dela, mas apenas àqueles que creem na Sua Justiça. Essa Justiça pode ser recebida apenas pela fé em nosso Deus misericordioso. Não é por nossas obras que somos amados por Deus, mas somente por crer na Sua Justiça recebemos Seu amor misericordioso. É por isso que a verdadeira fé depende inteiramente se conhecemos e cremos na Justiça de Deus ou não.
Não éramos seres inúteis desde o início? E ainda assim, por causa de nossa fé na Justiça de Deus, não nos tornamos tão nobres? Podemos manter nossa fé até o fim crendo na Justiça de Deus e nos orgulhando do fato de que agora nos tornamos Seus filhos.
Existem muitos no mundo que fazem o mal e afirmam que Deus não existe, mas Deus teve misericórdia de nós porque cremos na Sua Justiça. Somos verdadeiramente nobres diante de Deus e nosso orgulho em Deus é bem merecido. Podemos enfrentar provações e tribulações enquanto estamos nesta Terra, mas somos todos espiritualmente ricos e felizes. Todos nós devemos seguir a Justiça de Deus e exaltar Jesus.
Deus fez de todos os pecadores Seus filhos, sem pecado, justos e perfeitos diante Dele. Temos que saber a quem a Justiça de Deus virá. Esta Justiça de Deus preencheu todas as nossas faltas e limpou todos os nossos pecados e defeitos. Se você crer nesta verdade ou não, depende de você. Você também foi completamente salvo dos seus pecados pela Justiça de Deus. Você vai adiar a decisão de crer para amanhã?
Que a Justiça de Deus esteja sobre você.