The New Life Mission

Sermões

Assunto 9: Romanos

[Capítulo 10-1] Introdução ao Capítulo 10

Existem pessoas que, enquanto buscam sua própria justiça, creem no evangelho da água e do Espírito? A Escritura diz que essas pessoas, porque não creem na Justiça de Deus e, em vez disso, buscam sua própria justiça, são aquelas que se voltam contra Deus. O que essas pessoas vão fazer?
Deus planejou dar a toda a humanidade Sua salvação, que é a Justiça de Deus, e enviar Jesus Cristo por meio dos Israelitas? Claro que sim! Jesus queria tanto salvar todos os pecadores de seus pecados que veio a esta Terra, foi batizado por João Batista, crucificado na Cruz e ressuscitou da morte. Ele veio, em outras palavras, para salvar todos aqueles que creem Nele.
Deus Pai enviou Jesus Cristo aos Israelitas para salvá-los de seus pecados, mas os Israelitas não receberam Jesus, a Justiça de Deus. Em vez disso, eles estavam obcecados com a busca de sua própria justiça. Mesmo hoje, eles ainda são incapazes de aceitá-Lo como o Messias de seu povo e o Salvador de suas almas.
Paulo disse que existem aqueles que são enviados por Deus e que é por meio deles que o belo evangelho pode ser ouvido. O evangelho ouvido dos servos de Deus enviados por Ele é o evangelho que tem a Justiça de Deus. Você não pode perder essa chance. Somente ouvindo este evangelho da água e do Espírito, pregado pelos servos de Deus que conhecem e creem na Sua Justiça, você pode crer que Deus deu a você a remissão de pecados e a Sua Justiça.
O evangelho da água e do Espírito é a melhor e mais bela notícia do mundo. É a boa e bela notícia que salvou os pecadores de seus pecados. Esta bela notícia enche a alma das pessoas porque o evangelho da água e do Espírito dado por Deus é o verdadeiro alimento para as almas.
No belo evangelho da Redenção fornecido por Deus está o poder do perdão dos pecados para todos. O evangelho da água e do Espírito tem o poder de abençoar para trazer paz às nossas mentes por meio da remissão dos nossos pecados.
Centrados na Lei de Deus, os Israelitas estavam ocupados em buscar sua própria justiça. Porque eles pensaram que sua própria justiça era abundante com sua obediência à Lei, eles não receberam Jesus como seu Salvador. Eles estavam tão ansiosos em sua busca pelas obras da Lei que nem mesmo podiam tolerar a Justiça de Deus. Eles falham em receber o Senhor Jesus como seu Salvador mesmo agora, tentando buscar sua própria justiça.
A Escritura nos fala que os Israelitas se voltaram contra a Justiça de Deus para estabelecer a sua própria justiça? Falando dos Israelitas que estavam obstinados com a Lei, Paulo repreendeu sua fé dizendo: “Porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê”. (Romanos 10:4).
Uma fé legalista que busca a própria justiça não é a fé correta diante de Deus. Enquanto os Israelitas estavam preocupados apenas em seguir as leis do Antigo Testamento, eles falharam em perceber que Jesus, que se tornou a Justiça de Deus, seria seu Salvador e, em vez disso, se voltaram contra Ele. No seu zelo em se vangloriar de ser o povo escolhido a quem a Palavra de Deus foi dada e que deveria segui-la, os Israelitas acabaram como uma nação que se voltou contra a Justiça de Deus.
 

Você está Obcecado em Estabelecer sua Própria Justiça?

O problema com o zelo dos Israelitas pela Lei era o desejo de estabelecer sua própria justiça. Por causa disso, a Justiça de Deus estabelecida por nosso Senhor Jesus foi completamente ignorada.
O resultado da fé legalista dos Israelitas foi que eles acabaram se voltando contra a Justiça de Deus; assim, eles ainda não perceberam o quão irreversivelmente devastador esse resultado foi. Que bem ou benefícios sua busca pela obra da Lei lhes trouxe? Suas paixões por seguir a Palavra de Deus só acabaram como obstáculos para conhecer e crer na Justiça de Deus. Mais uma vez, devemos perceber que o “zelo” daqueles que não têm o entendimento correto da Lei só os levará a se voltar contra a Justiça de Deus no final.
A Escritura nos diz claramente que, para todo aquele que crê, Jesus se tornou o fim da Lei para a Justiça. Nosso Senhor Jesus completou a Justiça de Deus levando todos os pecados do mundo com Seu batismo e derramamento de sangue na Cruz, tudo para limpar os pecados dos Israelitas e gentios. Sendo assim, o evangelho da água e do Espírito que contém a Justiça de Deus, não a Lei, se tornou um oásis no deserto para todos os pecadores. Foi o evangelho da água e do Espírito que apagou nossos pecados e nos deu a verdadeira santificação. De que outra forma, senão pelo evangelho da água e do Espírito, todos os pecadores do mundo poderiam encontrar a verdadeira santificação em seus corações?
Aqui no livro de Romanos, Paulo nos diz que estabelecer a própria justiça sem crer na Justiça de Deus é um pecado grave. Que tipo de evangelho teria sido um belo evangelho para nós, os gentios? O evangelho que nos disse que nosso Senhor Jesus levou todos os pecados do mundo com Seu batismo.
Este evangelho é aquele registrado em Mateus 3:13-17, que testifica que Jesus levou os pecados do mundo: “Por esse tempo, dirigiu-se Jesus da Galileia para o Jordão, a fim de que João o batizasse. Ele, porém, o dissuadia, dizendo: Eu é que preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim? Mas Jesus lhe respondeu: Deixa por enquanto, porque, assim, nos convém cumprir toda a justiça. Então, ele o admitiu.
Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”. Foi assim que Jesus levou todos os pecados do mundo sobre Si com o Seu batismo por João.
Paulo repreendeu os legalistas que não criam na Justiça de Deus, perguntando: "Quem subirá ao céu?, isto é, para trazer do alto a Cristo". (Romanos 10:6). Em outras palavras, esta pergunta é: "Quem pode ser salvo dos seus pecados apenas por seguir a Lei?". O propósito da pergunta de Paulo era enfatizar o ponto de que seguir a Lei nunca trará a salvação do pecado. Ele está dizendo que não há nada que possamos fazer para nos livrarmos de nossos pecados por nós mesmos.
Paulo frequentemente fala da Justiça de Deus em suas Epístolas. A resposta de Paulo à verdadeira fé é encontrada em Romanos 10:10, onde diz: “Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação”. O evangelho pregado por Paulo nos diz que podemos receber a Justiça de Deus pela fé no batismo de nosso Senhor Jesus e Seu sangue na Cruz, através do qual esta Justiça de Deus é revelada. Nós devemos crer que o Senhor Jesus nos deu o evangelho da água e do Espírito, e que Ele permitiu que aqueles que cressem neste evangelho recebessem a verdadeira paz em suas mentes.
 

A Verdadeira Fé vem de Ouvir a Palavra de Deus

O que Paulo fala sobre a verdadeira fé? Romanos 10:17 diz: “E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo”. Em outras palavras, a verdadeira fé vem quando ouvimos o evangelho que Seus servos, por meio de quem Deus fala, pregam com Sua Palavra.
Nossa convicção da verdadeira fé vem por ouvir a Palavra de Deus, e para sermos pessoas de verdadeira fé, devemos ouvir e crer em Sua Palavra. Somente ouvindo a Palavra de Deus podemos ter uma fé verdadeira e somente assim nossa fé pode crescer. É por isso que Deus nos enviou Seus servos, que pregam sobre Sua Justiça.
Quando cremos no evangelho da água e do Espírito dado aos homens por Deus, podemos receber a remissão de pecados e descansar em nosso coração. A libertação do pecado só é possível crendo na Justiça de Deus, na qual encontramos paz de espírito.
Não nos foi dito que a Justiça de nosso Senhor Jesus enxugará toda lágrima de nossos olhos e nos libertará de nossas dores e sofrimentos? Claro que sim. Por crer na Justiça do evangelho da água e do Espírito dado por Deus, todas as nossas dores serão removidas. Este evangelho é a notícia mais linda do mundo e o cumprimento da Justiça de Deus.
Deus enviou nosso Senhor Jesus, que cumpriu Sua Justiça, aos Israelitas, mas, ao buscarem sua própria justiça, eles se recusaram a se voltar para Ele. O que, então, Deus fez? Para provocar ciúme nos Israelitas, Deus deu o evangelho, o cumprimento de Sua Justiça, para que os gentios cressem. Deus, então, deu aos gentios a chance de crer no evangelho da água e do Espírito? Na verdade, Ele deu a eles a chance de crer no evangelho da água e do Espírito, mesmo quando eles não O buscaram, nem o chamaram, e O adoraram muito menos do que os Israelitas.
Foi por isso que os gentios puderam se tornar filhos de Deus crendo na bela notícia do cumprimento de Sua Justiça. É também por isso que a Escritura nos diz que a Justiça de Deus foi reverenciada e glorificada fora de Israel.
Quantas pessoas, na verdade, agradecem ao Senhor Jesus por nos dar o evangelho da água e do Espírito que cumpriu a Justiça de Deus? Nosso Senhor Jesus levou todos os pecados do mundo com o belo evangelho da água e do Espírito. No entanto, existem muitos cristãos que não acreditam nesta verdade. Temos, então, alguma justiça em nós que possamos apresentar a Deus? Não, não temos! Então, por que não acreditamos? É por não sabermos o que é o evangelho que cumpriu a Justiça de Deus? Mas conhecer esse evangelho é simples!
Nós também somos o tipo de pessoa que buscaria nossa própria justiça, assim como os Israelitas fizeram, mas Deus nos salvou de todos os nossos pecados nos dando o belo evangelho da água e do Espírito. Agradecemos ao Senhor Jesus por nos dar o evangelho da água e do Espírito, o cumprimento da Justiça de Deus, para nós crermos.
 

Não diga, “Quem subirá ao céu?”

O versículo 6 diz: “Mas a justiça decorrente da fé assim diz: Não perguntes em teu coração: Quem subirá ao céu?, isto é, para trazer do alto a Cristo”. Tanto nossa redenção quanto nosso serviço ao evangelho da verdade são possíveis pela nossa fé no evangelho da água e do Espírito, não por nossas obras. Se não fosse por nossa fé na verdade que cumpre a Justiça de Deus, não seríamos nada além de pecadores que, como legalistas buscando sua própria justiça, apenas incomodam a Deus.
Assim como nossa salvação veio pela fé na Justiça de Deus, nós também podemos viver para nosso Senhor Jesus tendo fé nessa Justiça. A força para continuarmos nossas vidas vem da nossa fé na Justiça de Deus, já que nosso conhecimento dessa Justiça surgiu pela nossa fé no evangelho da água e do Espírito.
Existe alguma verdade além da fé na Justiça de Deus para aqueles que são redimidos? Não há nenhuma. A essência do Cristianismo está centrada na fé, e não é exagero dizer que a Justiça de Deus tem tudo a ver com a fé cristã. Aqueles que foram justificados podem viver e pregar o evangelho pela fé nesta Justiça. Aqueles que creem na Justiça de Deus, então, também enfrentam problemas? Eles enfrentam. Mas, pela fé na Justiça de Deus, eles podem superar todos os problemas, pois acreditam e confiam que Deus cuidará de seus problemas. Essas crenças se originam da fé na Justiça de Deus.
E as outras religiões que não incluem a Justiça de Deus? São todos os tipos errados de fé, com base em obras humanas? Na verdade, são. A fé daqueles que creem em Jesus, sem crer na Justiça de Deus, não é a fé verdadeira.
Você e eu poderíamos ser redimidos de nossos pecados sem primeiro crer na Justiça de Deus? Podemos viver pela fé em Deus sem ter fé na Sua Justiça? Nem seria possível. A força dos justos para servir ao Senhor Jesus vem do poder do Espírito Santo, dado a eles como um presente por sua fé na Justiça de Deus. Você pode viver neste mundo apenas com suas próprias forças ou suas posses terrenas? Você pode realmente encontrar paz de espírito com essas coisas?
Nós podemos servir ao evangelho em paz crendo na Justiça de Deus. Aqueles que servem ao evangelho da água e do Espírito têm fé, coragem, força e paz. Os justos que não servem ao evangelho da água e do Espírito, o cumprimento da Justiça de Deus, não têm paz nem coragem. As mentes dos justos precisam de paz? Sim, eles precisam. Eles precisam de paz não apenas para pregar o evangelho da água e do Espírito, mas também para viver suas vidas de forma plena.
Sua mente está em paz? Se você vivesse apenas para si mesmo, não haveria razão para a paz crescer em sua mente. Por que você precisaria de mais paz ou fé quando só precisa atender às necessidades da carne para viver na carne? Mas se você deseja servir a Deus, a paz em sua mente também precisa crescer. Para servir ao evangelho que cumpre a Justiça de Deus, sua fé e paz devem e irão crescer.
Aqueles que creem no evangelho da Justiça de Deus são responsáveis por espalhar Sua Paz por todo o mundo. Porque esta não é uma questão apenas de preocupações individuais, mas da necessidade de espalhar a paz de espírito dada por Jesus Cristo a todos, precisamos pregar o evangelho da Justiça de Deus ao mundo inteiro. A Paz de Deus é necessária para os outros, bem como para nós. Precisamos orar mais a Deus para conseguirmos espalhar essa Paz para outras pessoas. Quando vivemos para divulgar a Justiça de Deus, nossa paz espiritual aumenta e encontramos os objetivos claros e preciosos de nossas vidas.
Se você quer aprender sobre a verdadeira Paz dada por Deus, você precisa conhecer e crer no evangelho que cumpriu a Sua Justiça. Você precisa experimentar por si mesmo a paz de espírito que Deus preparou para você.
Você tem servido bem ao Senhor Jesus até agora, mas precisa continuar a servi-Lo assim até que seja chamado à Sua presença, para que outros possam compartilhar da Sua Paz. Quando você busca a Paz com sua fé na Justiça de Deus, aqueles crentes que estão seguindo seus passos para a Redenção também podem viver para a paz dos outros.
Aqueles que são jovens em sua fé são novatos no reino da fé e têm capacidade limitada de compreendê-la. Mas quando vivemos pela nossa fé, aqueles que estão atrás de nós, embora possa levar algum tempo, acabarão por compreender como os redimidos vivem suas vidas em paz, seguindo nossos passos de fé.
Você acha difícil ensinar aqueles que estão seguindo sua liderança como viver pela fé? Essa vida de ensino não é alcançada da noite para o dia. Pode até levar muito tempo para que você consiga conduzi-los ao tipo de fé necessária para viver em paz. Mas com o tempo, aqueles que foram redimidos pela fé na Justiça de Deus aprenderão a viver em paz como pessoas de fé, assim como os primeiros crentes que serviam a Deus encontraram paz de espírito com Ele, aprendendo com aqueles de nós que estamos à frente.
Você e eu devemos viver pela fé na Justiça de Deus. Os justos devem viver pela fé na Palavra. Tanto nossa vida presente como futura devem ser determinadas pela fé. A Escritura nos pergunta: “E como ouvirão, se não há quem pregue?”. (Romanos 10:14). Porque cremos na Justiça de Deus, devemos pregar o evangelho ao mundo. Pela fé, podemos resistir e enfrentar a todos os desafios que surgirem enquanto pregamos o evangelho.
A vida dos justos que não é vivida pela fé é aquela que perdeu a paz de espírito. Crer na Justiça de Deus permite que as pessoas tenham paz de espírito. Quando cremos na Palavra de Deus e na Sua Justiça para todas as coisas, teremos paz.
Você deve permanecer firme em sua paz e fé crendo na Justiça de Deus. Você também deve louvar a Deus, pois o Senhor Jesus permitiu que você vivesse pela libertação de Sua Justiça e Paz. Que você viva sua vida pregando o evangelho, com fé em Deus, de quem você recebeu sua paz.
Nós podemos aprender no livro de Romanos quão perfeita é a Justiça de Deus? Romanos explica em detalhes o que é a Justiça de Deus. A Justiça de Deus de que falamos não é a justiça feita pelo homem, mas a de Deus somente.
A Justiça de Deus é perfeita e mais do que suficiente para nos salvar de todos os nossos pecados. Ao levar todos os pecados do mundo por meio do Seu batismo, Jesus cuidou de todos eles com perfeição. Podemos crer em Jesus Cristo porque a Justiça de Deus é perfeita. Já que a Justiça de Deus nos salvou totalmente de todos os nossos pecados, é absolutamente necessário que creiamos no evangelho que cumpriu a Sua Justiça.
Ao crer na Justiça de Deus, podemos viver nossas vidas admirando, agradecendo e louvando. As pessoas podem habitar na santidade de Deus somente crendo na Sua Justiça. Ao crer nesta Justiça, nossas mentes são purificadas, podemos louvar a Deus e nossas vidas podem ser vividas para a Sua Glória.
Se a Justiça de Deus não fosse perfeita, não poderíamos ser libertos de nossos pecados. Embora nosso pecado original possa ter sido perdoado pela fé em Jesus, cada pecado cometido diariamente por nós mesmos depois disso exigiria orações diárias de arrependimento.
Mas depois que fomos redimidos pela crença na Justiça de Deus, revelada no evangelho da água e do Espírito, nós pudemos então perceber que a Justiça de Deus é absoluta. É por isso que passei a ser infinitamente grato pelo fato de que a Justiça de Deus é crível e perfeita para a eternidade. Porque a Justiça de Deus nos libertou de todos os pecados possíveis que poderíamos cometer em nossas vidas, nós podemos ser salvos dos pecados crendo na Sua Justiça.
Aqueles que não comparam a Justiça de Deus com a nossa imundície humana não podem crer na Sua Justiça porque eles simplesmente não percebem o quão grande ela é. Mesmo a pessoa mais perfeita não é nada quando comparada à Justiça de Deus, e é por isso que cremos na Sua Justiça e, portanto, podemos habitar na Sua santidade. Em outras palavras, nós nos tornamos aqueles que glorificam a Deus crendo e habitando em Sua Justiça.
Precisamos ter um entendimento correto da Justiça de Deus em nosso coração - isto é, devemos entender que a Justiça de Deus nos libertou total e completamente de nossos pecados. Não cometemos inúmeros pecados ao longo de nossas vidas? Como, então, Deus realizou o Ato de Justiça que nos libertou de tantos pecados? Ele cumpriu isso vindo a esta Terra em semelhança de nossa carne, levando todos os nossos pecados ao ser batizado por João, morrendo na Cruz e ressuscitando da morte - cumprindo, em resumo, toda a Justiça de Deus.
Todos, jovens e velhos, ricos e pobres, fortes e fracos, cometem pecados. Quem, então, nos salvou de todos esses pecados do mundo? Foi Jesus Cristo quem, cumprindo a Justiça de Deus, nos libertou de todos os nossos pecados. O fato de Deus ter enviado Jesus para levar todos os nossos pecados e eliminá-los completamente é a Justiça de Deus.
Nada além disso é precisamente a Justiça de Deus que nos salvou de todos os nossos pecados. A Justiça de Deus nos libertou de todos os pecados do mundo de uma vez. Não é Sua Justiça total e completamente perfeita? Chamamos esse amor que Deus nos deu, que durará não apenas por nossa vida, mas também por toda a eternidade, de Justiça de Deus.
Como João Batista proclamou quando viu Jesus no dia seguinte ao batizá-lo: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!”. (João 1:29). Como Jesus disse a João quando ele se recusou a batizá-lo: “Deixa por enquanto, porque, assim, nos convém cumprir toda a justiça”. (Mateus 3:15). O que essas passagens significam? Eles significam nada menos do que a verdade de que o batismo de Jesus e Sua morte na Cruz são a própria Justiça de Deus. Esta Justiça de Deus não nos abandona quando somos fracos e carecemos de Sua Glória.
Nós só podemos louvar a Deus e glorificá-Lo por este amor abundante que nos salvou e nos permitiu habitar em Sua Justiça. Aqueles que creem na Justiça de Deus passam a viver para a Sua Justiça pelo resto de suas vidas. É muito melhor confiar em Deus do que nos seres humanos ou no mundo. Uma bela vida é aquela que prega este evangelho de libertação completa do pecado. É por isso que devemos absolutamente conhecer e crer na Justiça de Deus.
Aqueles que receberam a remissão de pecados devem testificar: “Jesus levou todos os meus pecados ao ser batizado por João! E Ele foi julgado em meu lugar por todos os pecados do mundo!”. Quando cremos na Justiça de Deus, só podemos agradecê-Lo por essas bênçãos.
Quando você tropeçar por causa de suas fraquezas, cair no pecado por causa da carne, ou quando você estiver desanimado e envergonhado por causa de seus pecados, olhe para a Justiça de Deus que o curou. A Justiça de Deus também não nos tornou justos? Jesus não levou completamente nossos pecados com Seu batismo? Sua Redenção não nos salvou de todos os nossos pecados, incluindo aqueles que iremos cometer no futuro?
Somente quando cremos que Jesus Cristo nos salvou completa e totalmente é que cremos na Justiça de Deus. Somente quando cremos na Justiça de Deus é que nos tornamos justificados. Aqueles que creem na Justiça de Deus podem se tornar os instrumentos da Sua Justiça. A perfeição da Justiça de Deus é completa. Aqueles que buscam sua própria justiça, embora sejam ignorantes da Justiça de Deus, são apenas tolos sentados em sua própria destruição, para serem amaldiçoados por Deus.
 

Preste Atenção ao que Paulo disse: “Eles têm zelo por Deus, porém não com entendimento”

Como podemos viver uma vida de fé, ser redimidos e nos tornarmos povo de Deus se permanecermos ignorantes sobre Sua Justiça? Aqueles que seguem a Lei devem saber que seus pecados os levarão à destruição e ser gratos porque a Justiça de Deus os salvou completamente. Por Jesus se tornar nosso Salvador, cremos Nele e O glorificamos porque conhecemos e cremos na Justiça de Deus. Somente crendo em Sua Justiça nos tornamos Seus filhos, sem pecado e recebemos vida eterna. Aqueles que professam crer em Jesus e vivem vidas fiéis, mas permanecem ignorantes da Justiça de Deus, serão amaldiçoados.
Paulo deu testemunho em Romanos que os Israelitas, ignoraram a Justiça de Deus e procuraram estabelecer sua própria justiça e, ao fazer isso, desobedeceram à Justiça de Deus. Eles também deveriam crer na Justiça de Deus.
Devemos crer que Deus nos livrou dos pecados do mundo. Todos os nossos pecados estão incluídos nesses pecados do mundo. Todos eles desapareceram com o cumprimento da Justiça de Deus. Você crê nesta verdade?
 

“Porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê”

A Justiça de Deus é o fim da Lei. A razão é que Jesus Cristo atendeu a todos os requisitos da Lei levando todos os pecados do mundo com Seu batismo e crucificação.
Certamente, o resultado do pecado é a morte, mas está escrito que a Justiça de Deus é o fim da Lei. Por quê? Porque Deus Pai nos salvou completamente ao enviar Seu único Filho à Terra para ser batizado e levar todos os pecados da humanidade, morrendo na Cruz e ressurgindo dos mortos.
Crer na Justiça de Deus de coração e seguir a Justiça da Lei são duas coisas diferentes. Você recebeu a remissão de pecados por suas obras? Você recebeu sua salvação por suas próprias boas ações? Todas as outras religiões neste mundo ensinam que a maneira de lidar com seus pecados é praticando boas obras. A compreensão budista do pecado, por exemplo, ensina que você pode redimir os pecados de sua vida passada praticando boas ações em sua vida presente. Isso faz algum sentido para você?
Uma pessoa nasce somente uma vez e morre somente uma vez, e o julgamento virá depois. Porque todos nascem neste mundo somente uma vez e retornam a Deus depois disso, ninguém pode retornar à Terra em outro ciclo de vida. É por isso que as pessoas devem ser redimidas pela fé na Justiça de Deus enquanto estão nesta Terra. Que tipo de absurdo é esse ensinamento budista do carma?
Crer que somos redimidos de nossos pecados é crer na Justiça de Deus. Crer na Justiça de Deus é crer apenas na Sua Justiça, não em nossos próprios atos. Como, então, a Justiça da fé de Deus fala? Como está registrado no livro de Romanos, fala desta forma: “Não perguntes em teu coração: Quem subirá ao céu?”. Isso ocorre porque a Justiça de Deus é encontrada crendo no coração, não por algum tipo de força física.
Nós nos tornamos filhos de Deus e pessoas sem pecado que recebem vida eterna pela fé na Justiça de Deus. Porque não podemos resolver nossos pecados por nós mesmos, não importa quantas boas ações façamos, nossos esforços acabam apenas como mais pecados diante de Deus. É por isso que devemos abandonar essa fé em nós mesmos e crer no Deus justo para buscar Sua Justiça. Algumas pessoas perguntam: "Não podemos ser salvos apenas por crer em Jesus, mesmo que não conheçamos a Justiça de Deus? Não está escrito que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo?”. Mas a salvação não vem apenas por invocar o nome de Jesus, mas por conhecer e crer completamente na Justiça de Deus.
 
 
Todo aquele que Crê na Justiça de Deus não será confundido

O versículo 11 diz: “Todo aquele que nele crê não será confundido”. Qual é o significado desta passagem? Quem crê Nele não se envergonha porque crê na Justiça de Deus. “Todo aquele que nele crê” se refere ao crente em Sua Justiça.
E a passagem: “Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo". (Romanos 10:13). Isso significa que aqueles que conhecem e creem no evangelho da água e do Espírito clamam por Jesus, pois creem Nele como o Deus Salvador. Ao recebermos nossa salvação por meio da Justiça de Deus, acreditamos que nossa Redenção nos é dada pela fé nesta verdade.
Em outras palavras, sem essa fé, não importa quantas vezes chamemos o nome de Jesus em vão, não seremos salvos de nossos pecados. Porque a Escritura como um todo fala da Justiça de Deus em Jesus, apenas invocar o nome do Senhor não nos dará salvação.
A Bíblia nos fala da Justiça de Deus desde o início. Como está escrito no livro do Gênesis, Deus colocou a árvore da vida e a árvore do conhecimento do bem e do mal no Jardim do Éden e disse a Adão e Eva para não comerem da árvore do conhecimento. O que Deus fez foi exigir deles a fé em Sua Palavra. Deus, em outras palavras, disse-lhes que comessem da árvore da vida para obter a vida eterna.
A Palavra de Deus diz: “o meu justo viverá pela fé”. Nós também vivemos pela fé na Justiça de Deus durante toda a nossa vida - desde quando cremos Nele para ser salvo até quando recebemos nossa salvação e, finalmente, até alcançarmos o Reino de Deus.
Muitos cristãos neste mundo dizem que a salvação do pecado é dada pela fé em Jesus, mas na realidade, muitos deles não são libertos de seus pecados porque permanecem ignorantes quanto à Justiça de Deus. O que acontece quando as pessoas creem em Jesus sem conhecer a Justiça de Deus? Essas pessoas podem mostrar indicações externas de que são crentes devotos por meio de suas adorações e orações. Mas porque eles são ignorantes da Justiça de Deus, eles permanecerão apenas como praticantes da religião, bem como pecadores não libertos.
Muitos, tanto da comunidade cristã quanto dos Israelenses, permanecem ignorantes sobre a Justiça de Deus e, portanto, não estão obedecendo a Sua Justiça. Aqueles que creem em Jesus, mas não creem na Justiça de Deus, marcam esta mesma Justiça. Não é praticando boas obras, dando grandes ofertas ou outros atos próprios diante de Deus que os crentes em Jesus, enquanto permanecerem ignorantes da Justiça de Deus, receberão esta Justiça.
Aqueles que acreditam na Justiça de Deus creem nela, independentemente das circunstâncias em que se encontrem e, portanto, vivem uma vida de louvor e gratidão pela Glória de Deus. Para aqueles de nós que creem na Justiça de Deus, quanto mais nossas falhas são reveladas, mais Sua Justiça brilha diante de nossas almas. Oro para que você também possa ter esse despertar.
Podemos receber a Justiça de Deus porque de alguma forma temos alguma justiça em nossa carne? Claro que não! Não há nada que seja justo em nós, a não ser a Justiça de Deus. Porque Deus nos salvou completamente de nossos pecados com a Sua Justiça, nós cremos e louvamos nesta Justiça. Sua Justiça nos salvou totalmente de nossos pecados.
Não caia na fé orientada para as obras quando estiver enfrentando problemas em sua vida, mas sempre creia na Justiça de Deus, independentemente das circunstâncias. A Justiça de Deus é perfeita para a eternidade. Todos neste mundo devem conhecer a Sua Justiça e crer nela obedecendo ao evangelho da água e do Espírito. Visto que muitos que professam ter fé em Jesus ainda vivem apenas pela Justiça da Lei, eles devem ter certeza de que conhecem a Justiça de Deus.
Paulo conclui dizendo que o evangelho de Deus cumpre Sua Justiça. Sem o conhecimento do verdadeiro evangelho de Deus, ninguém pode explicar o que é Sua Justiça. Essas pessoas podem dizer, quando questionadas sobre o significado da Justiça de Deus: “Jesus é meu Salvador que morreu na Cruz, ressuscitou da morte e me salvou dos meus pecados”. Mas eles acrescentarão que devem fazer orações de arrependimento por seus pecados diários e que, para se tornarem perfeitos, eles devem ser santificados passo a passo cada vez mais.
Você deve conhecer a si mesmo primeiro para conhecer a Justiça de Deus. Se você conhece a si mesmo e a Justiça de Deus, você não terá escolha a não ser crer na Justiça Dele, porque você perceberá o quão elevada, grande e expansiva é a Justiça de Deus quando comparada a você. Mas se você não conhece a Sua Justiça, você ficará obcecado em buscar a sua própria justiça. Aqueles que estão obcecados com sua própria justiça não obedecem à Justiça de Deus, pois desejam apenas buscar suas próprias justificativas.
Devemos conhecer a Justiça de Deus antes de podermos crer e dar graças por ela. Conhecendo a Justiça de Deus, podemos crer que Jesus lavou todos os pecados do mundo ao levá-los sobre Si com Seu batismo e morte na Cruz. Se pudéssemos ser justificados por nossas próprias boas obras, não precisaríamos de salvação pela Justiça de Deus. Mas quando percebemos que isso não é possível, podemos apreciar a Sua Justiça ainda mais porque Deus salvou a nós, que não poderíamos viver nossas vidas baseados em boas obras.
Seus pensamentos e obras são bons? Claro que não. É porque temos muitas deficiências que Deus nos salvou totalmente por Sua Justiça. Visto que crer na Justiça de Deus nos salvou, desejamos pregar Sua Justiça a todos neste mundo que não a conhecem.
Aquele que não se conhece encontra defeitos nos outros e fala mal deles. Mas se ele crê na Justiça de Deus, ele deve proclamar essa Justiça com orgulho, e não deve se gabar de sua própria justiça. Mas aqueles que não creem na Justiça de Deus cometem o pecado de caluniar a Sua Justiça. Deus os julgará por seus pecados.
Deus enviou Seu Filho a este mundo e deu a você Sua Justiça. Como nos aproximamos do último dia, não devemos discutir uns com os outros sobre qual Justiça, a da Lei ou a de Deus, é melhor ou pior. Aqueles que creem na Justiça de Deus não devem se preocupar com sua carne, mas devem ser gratos a Deus por sua fé na Justiça de Deus.
Agradeçamos ao nosso Deus que nos salvou totalmente pela Sua Justiça. Porque a Justiça de Deus perdoou todos os seus pecados, você não deve se tornar como aqueles que se voltam contra Deus buscando sua própria justiça.