Sermões

Assunto 10: O Apocalipse (Comentários sobre o Apocalipse)

[Capítulo 15-2] O Ponto de Divisão do Destino Eterno ( Apocalipse 15:1-8 )

O Ponto de Divisão do Destino Eterno
( Apocalipse 15:1-8 )

O capítulo 15 descreve as pragas das sete taças, que serão derramadas logo após o arrebatamento dos santos sobre aqueles que, como inimigos de Deus, se levantaram contra Ele. O número “sete” que aparece em comum no Apocalipse, como os sete selos, as sete trombetas e as sete taças, significa a perfeição de Deus e Seu poder onipotente. Jesus Cristo é o Deus onisciente e onipotente. Que Jesus é o Deus onisciente e onipotente para nós significa que nosso Senhor Jesus é o Deus Todo-Poderoso para quem nada é impossível. Nosso Senhor Jesus é o próprio Deus que planejou todas as coisas e que tem o poder de cumpri-las.
Os santos, como tais, devem louvar ao Senhor Jesus por Sua onisciente e onipotente majestade e poder revelados através das pragas das sete taças que Ele derramará sobre este mundo. Agradecemos ao nosso Senhor Jesus pelo fato de que tal julgamento é possível por Sua onisciência e onipotência. Que o Senhor Jesus se vingasse de Seus inimigos com as pragas das sete taças e o sofrimento eterno do inferno é, para os santos, algo que eles só podem agradecer e é muito apropriado. Os santos, portanto, não podem deixar de louvar ao Senhor Jesus. Aleluia!
As pragas das sete taças chegarão depois que os santos forem arrebatados pouco depois dos primeiros três anos e meio do período de sete anos da Grande Tribulação. Por causa dessas pragas das sete taças, os corações dos inimigos de Deus ficarão abatidos e, ao descobrirem que nosso Senhor Jesus é o Deus Todo-Poderoso, eles O temerão.
O “sinal grande e admirável” declarado no versículo 1 refere-se às últimas pragas que serão derramadas sobre este mundo – isto é, as pragas das sete taças. O que a frase: “grande e admirável” nos diz, por outro lado, é triplo: primeiro, pela Palavra da profecia, os santos já sabem tudo sobre as pragas que virão a este mundo; segundo, os santos serão isentos das pragas das sete taças; e terceiro, o poder dessas pragas das sete taças trazidas pelo Senhor Jesus será mundial e fatalmente destrutivo.
Por outro lado, os santos redimidos e arrebatados cantarão “o cântico de Moisés, o servo de Deus, e o cântico do Cordeiro” no ar. O pano de fundo desse cântico, como pode ser visto em Êxodo 15:1-8, é o cântico dos israelitas, que louvaram ao Senhor Deus por Seu poder e autoridade após cruzarem o Mar Vermelho, liderados por Moisés. Eles não podiam deixar de louvar ao Senhor Deus por salvá-los com Seu poder e autoridade da situação desesperadora de serem perseguidos pelo exército egípcio.
Da mesma forma, os santos do Novo Testamento não podem deixar de louvar ao Senhor Jesus por sua salvação eterna, que veio através da remissão de pecados cumprida pelo batismo que Jesus recebeu de João e Seu sangue na Cruz. Quando o fim dos tempos chegar, o povo de Deus mais uma vez louvará ao Senhor Jesus, agradecendo a Ele por seu martírio, ressurreição, arrebatamento e vida eterna, tudo possibilitado por Jesus Cristo que os livrou de seus inimigos e de todos os seus pecados.
Além disso, a distinção importante deste cântico é que louva a onipotência, majestade e justiça do Senhor Deus. Os mártires não podem deixar de louvar ao Senhor Jesus por Seu poder, a Graça de sua salvação do pecado e a bênção de vida eterna.
“O Santuário do Tabernáculo do Testemunho” no versículo 5 refere-se ao Tabernáculo que Deus permitiu aos israelitas construir quando saíram do Egito para lhes dar a bênção de estar acompanhados pelo Senhor Deus.
O “linho” no versículo 6 refere-se à justiça de Deus. Isso nos diz que os anjos estarão revestidos da justiça de Deus e receberão Dele a autoridade para fazer o tipo de julgamento que nenhum inimigo jamais poderá rejeitar.
O versículo 8 diz: “O santuário se encheu de fumaça procedente da glória de Deus e do seu poder, e ninguém podia penetrar no santuário, enquanto não se cumprissem os sete flagelos dos sete anjos”. Podemos descobrir três significados aqui. Primeiro, mostra quão completa é a ira de Deus sobre Seus inimigos.
Segundo, nos diz que ninguém poderá entrar no Santuário do Senhor Deus sem crer no batismo de Jesus Cristo e em Seu sangue, pois a salvação dos pecadores por Deus é perfeita.
Terceiro, mostra que nenhuma bondade humana poderá capacitar alguém a evitar o justo julgamento de Deus, e que somente crendo no batismo de Jesus Cristo e em Seu sangue na Cruz, alguém poderá escapar da ira de Deus que será derramada sobre os pecadores.
Os santos devem, portanto, apegar-se firmemente ao evangelho e pregá-lo até o último momento. Aqueles que ainda não receberam a remissão dos seus pecados devem entender que estão condenados a enfrentar o justo julgamento de Deus, e devem retornar o mais rápido possível ao evangelho da água e do Espírito dado pelo Senhor Jesus. A passagem nos mostra que, como o julgamento que Deus trará sobre Seus inimigos com as pragas das sete taças é perfeito diante de todos os olhos, ninguém jamais será capaz de detê-lo até que este julgamento do pecado esteja completo.
O capítulo 15 de Apocalipse nos mostra que o Anticristo, Satanás, os demônios e todos aqueles que se opõem e não creem no evangelho da água e do Espírito, que nos foi disponibilizado pelo amor de Cristo, são os inimigos de nosso Senhor Jesus. Eu louvo e agradeço ao Senhor Deus por trazer Suas pragas a esses inimigos de Deus para julgá-los. É apropriado que os santos louvem ao Senhor Jesus com o cântico de Moisés, o servo de Deus, e o cântico do Cordeiro.
Ninguém pode impedir nosso louvor à justiça, poder, majestade e verdade do Senhor Jesus. Eu louvo ao Senhor Deus por nos dar tais bênçãos. Aleluia!